sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Inversao Valores, Licao10 3Trim2008, EvHenrique, EBD NA TV

Lição 10 - A Inversão dos Valores

Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 3ºtRIMESTRE DE 2008

As doenças do nosso século - As Curas Que A Bíblia Oferece

Comentarista: Pr. Wagner dos Santos Gaby

Consultor doutrinário e teológico: Pr. Antônio Gilberto

Complementos e questionário: Ev. Luiz Henrique

TEXTO ÁUREO

"Sabendo primeiro isto: que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências" (2 Pe 3.3).

VERDADE PRÁTICA

Os valores éticos e morais encontrados na Bíblia são absolutos e insubstituíveis, porque estão fundamentados na Palavra e no caráter de CRISTO.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Mateus 23.13-19,28.

13 Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que fechais os homens o Reino dos céus; e nem vós entrais, nem deixais entrar aos que estão entrando.14 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que devorais as casas das viúvas, sob pretexto de prolongadas orações; por isso, sofrereis mais rigoroso juízo.15 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós.16 Ai de vós, condutores cegos! Pois que dizeis: Qualquer que jurar pelo templo, isso nada é; mas o que jurar pelo ouro do templo, esse é devedor.17 Insensatos e cegos! Pois qual é maior: o ouro ou o templo, que santifica o ouro?18 E aquele que jurar pelo altar, isso nada é; mas aquele que jurar pela oferta que está sobre o altar, esse é devedor.19Insensatos e cegos! Pois qual é maior: a oferta ou o altar, que santifica a oferta?

23.13 AI DE VóS... FARISEUS. As palavras de JESUS no capítulo 23 se constituem na sua mais severa denúncia contra os líderes religiosos e falsos mestres que rejeitavam em parte a Palavra de DEUS, substituindo a revelação divina por suas próprias idéias e interpretações (vv. 23,28; 15.3,6-9; Mc 7.6-9).

(1) Notemos a posição de JESUS. Não é a posição tolerante e liberal dos acomodados que não compartilham do clamor do coração do Senhor, por fidelidade à Palavra de DEUS. CRISTO não era um pregador tímido, a tolerar o pecado. Ele foi em tudo fiel à sua missão de combater o mal (cf. 21.12,13; Jo 2.13-16) e denunciar o pecado e a corrupção entre os importantes (vv. 23,25).

(2) O amor de JESUS pelas Escrituras inspiradas do seu Pai, bem como pelos que estavam sendo arruinados pela distorção delas (cf. 15.2,3; 18.6,7; 23.13,15), era tão grande que o levou a usar palavras tais como hipócritas (v. 15), filho do inferno (v. 15), condutores cegos (v. 16), insensatos (v. 17), cheios de rapina e de iniqüidade (v. 25), limpos só no exterior (v. 25), sepulcros caiados (v. 27), imundícia (v. 27), iniqüidade (v. 28), serpentes (v. 33), raça de víboras (v. 33) e assassinos (v. 34).

(3) Estas palavras, embora severas e condenatórias, foram ditas com profunda dor (v. 37), por aquele que morreu pelas pessoas a quem elas foram dirigidas (cf. Jo 3.16; Rm 5.6,8).

(4) JESUS descreve o caráter dos falsos mestres e pregadores como os dos ministros que buscam popularidade, importância e atenção das pessoas (v. 5), que amam honrarias (v. 6) e títulos (v. 7), e que, com o evangelho distorcido que pregam, impedem as pessoas de entrar no céu (v. 13). São religiosos profissionais que, na aparência, são espirituais e santos, mas que, na realidade, são iníquos (vv. 14, 25-27). Falam bem dos líderes espirituais piedosos do passado, mas não seguem as suas práticas, nem a sua dedicação a DEUS e à sua Palavra e justiça (vv. 29,30).

(5) A Bíblia ordena aos crentes a se acautelarem desses falsos dirigentes religiosos (7.15; 24.11); a considerá-los incrédulos e malditos (ver Gl 1.9) e a não dar apoio ao seu ministério e a não ter comunhão com eles (2 Jo 9-11).

(6) Cristãos que, em nome do amor, da tolerância, ou da união, não procedem nesses casos como JESUS, quanto aos que corrompem os ensinos de CRISTO e das Escrituras (7.15; 2 Jo 9; Gl 1.6,7), participam das más ações dos falsos profetas e mestres (2 Jo 10,11)

28Assim, também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade.

EXTERIORMENTE PARECEIS JUSTOS. JESUS continua seu discurso a respeito dos líderes e ministros religiosos dos seus dias, cuja conduta pública parecia reta, mas cujos corações estavam cheios de hipocrisia, soberba, cobiça e iniqüidade. Eram semelhantes aos sepulcros caiados: belos e atraentes por fora, mas com imundícia e corrupção ocultas interiormente.

Mt 5.13 Vós sois o sal da terra; ... 20 Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos céus.

SAL DA TERRA. Os cristãos são o sal da terra . Dois dos valores do sal são: o sabor e o poder de preservar da corrupção. O cristão e a igreja, portanto, devem ser exemplos para o mundo e, ao mesmo tempo, militarem contra o mal e a corrupção na sociedade.

(1) As igrejas mornas apagam o poder do ESPÍRITO SANTO e deixam de resistir ao espírito predominante no mundo. Elas serão lançadas fora por DEUS (ver Ap 3.16).

(2) Tais igrejas serão destruídas, pisoteadas pelos homens (v.13); i.e., os mornos serão destruídos pelos maus costumes e pelos baixos valores da sociedade ímpia (cf. Dt 28.13,43,48; Jz 2.20-22).

Lc 14.34 Bom é o sal, mas, se ele degenerar, com que se adubará? 35 Nem presta para a terra, nem para o monturo; lançam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça.

Lc 17.20 E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o Reino de DEUS, respondeu-lhes e disse: O Reino de DEUS não vem com aparência exterior.21 Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Porque eis que o Reino de DEUS está entre vós.

A principal imversão de valores na vida dos escribas e fariseus era colocar o exterior acima do interior, era exigir dos outros o que eles mesmos não praticavam, mas, na visão de DEUS o interior deve ser priorizado acima do exterior, a comunhão com DEUS acima da comunhão com os homens, ser templo do ESPÍRITO SANTO, acima de ser visto como santo. Ser salvo acima de ser religioso.

O REINO DE DEUS ESTÁ ENTRE VÓS. JESUS ensina que a natureza atual do reino de DEUS é espiritual, e não material, nem política. O Reino de DEUS não vem com aparência exterior (v. 20), i.e., não vem como poder político terrestre. Pelo contrário, está dentro dos corações dos crentes, no meio deles, e consiste em justiça, e paz, e alegria no ESPÍRITO SANTO (Rm 14.17). Ele se manifesta, ao vencermos, pelo poder do ESPÍRITO SANTO, o poder do pecado, da enfermidade e de Satanás, e não pela conquista de reis e nações. Quando JESUS vier novamente a este mundo, o reino será visto com todo o seu poder e glória (v.24; cf. Mt 24.30), quando ele triunfar sobre reis e nações (Ap 11.15-18; 19.11-21).

O cristão como sal da terra e luz do mundo, não só deve ser diferente, mas seu comportamento como cristão deve ser um referencial para a sociedade.

Jo 8.12 EU SOU A LUZ DO MUNDO. JESUS é a luz verdadeira (1.9). Ele remove as trevas e o engano, iluminando o caminho certo para DEUS e a salvação.

(1) Todos que seguem a JESUS são libertos das trevas do pecado, do mundo e de Satanás. Os que ainda andam nas trevas não o seguem (cf. 1 Jo 1.6,7).

(2) "Quem me segue" é um gerúndio contendo a idéia de seguir continuamente. JESUS, na realidade, disse "seguir-me continuamente". Ele reconhecia somente o discipulado perseverante (ver 8.31).

Lc 17.20 E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o Reino de DEUS, respondeu-lhes e disse: O Reino de DEUS não vem com aparência exterior. 21 Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Porque eis que o Reino de DEUS está entre vós.

SE A VOSSA JUSTIÇA. A justiça dos escribas e dos fariseus era exclusivamente exterior. Eles observavam muitas regras, oravam, cantavam, jejuavam, liam as Escrituras e freqüentavam os cultos nas sinagogas. No entanto, substituíam as atitudes interiores corretas pelas aparências externas. JESUS declara aqui que a justiça que DEUS requer do crente vai além disso. O coração e o espírito, e não somente os atos externos, devem conformar-se com a vontade de DEUS, na fé e no amor.

Exceder os escribas e fariseus é praticar sua religiosidade externa, mas também ser salvo, ou seja, ter íntima comunhão com DEUS, ser antes santo como templo do ESPÍRITO SANTO e depois santo externamente também no falar, no vestir, no agir.

Os valores morais nos Evangelhos. No Sermão da Montanha, encontramos as REGRAS BÁSICAS do Reino de DEUS, trazidas por JESUS CRISTO. A Ética do Sermão do Monte e das demais partes do evangelho é tão elevada, que nem mesmo a maioria dos cristãos a têm levado à prática.

Exemplos:

- A justiça do cristão deve exceder a dos escribas e fariseus (Mt 5.20);

- Quem somente olhar para uma mulher, pensando em adulterar com ela, já adulterou (Mt 5.28).

- Só é permitido o divórcio se o cônjuge praticar infidelidade. Outro motivo não tem respaldo nas normas de CRISTO (Mt 5.32;19.9);

- O falar deve ser sim, sim; não, não. O que disso passa é de procedência maligna (Mt 5.37);

- O certo é amar os inimigos, bendizer os que nos maldizem, fazer bem aos que nos odeiam e orar pelos que nos maltratam (Mt 5.44);

- CRISTO manda que sejamos perfeitos como é nosso Pai que está nos céus (Mt 5.48);

- Não se deve julgar os outros (Mt 7.1);

- Só devemos fazer aos homens o que queremos que eles nos façam (Mt 7.12);

- Se o irmão pecar contra nós, devemos perdoar sempre – até 70 x 7 (Mt 18.22);

- É para dar a César o que é de César e a DEUS o que é de DEUS (Mt 22.21);

- Quando o cristão der um banquete (casamento, festa de 15 anos, etc.) não deve convidar os amigos, os irmãos, os parentes, os vizinhos ricos, mas “os pobres, os mancos e cegos”(Lc 14.12-13).

Os valores morais nas Epistoas

1) Fazer tudo para a glória de DEUS (1 Co 10.31);

2) Fazer tudo em nome de JESUS, dando graças a DEUS (Cl 3.17);

3) Fazer de todo o coração, como ao Senhor (Cl 3.23);

4) Fazer o que é lícito e conveniente diante de DEUS (1 Co 10.23);

5) Não dar escândalo ao mais fraco (1 Co 8.9-13);

6) Não fazer nada em caso de dúvida (Rm 14.23);

7) Lembrar que vamos dar contas a DEUS de todas as nossas obras (Rm 14.11,12; Ec 11.9).

8) Evitar a aparência do mal (1 Ts 5.22).

Uma Perigosa Inversão de Valores:

O profeta Isaías denunciou a atitude daqueles que fazem das trevas luz e da luz trevas; do amargo doce e do doce amargo (Is 5.20). Os que postulam essa inversão de valores estão debaixo de um “ai” de maldição. A corrupção e a decadência dos valores morais tornaram-se tão gritantes que os homens não apenas se distanciaram da verdade, mas tornaram a verdade em mentira e a mentira em verdade. Vejamos três áreas em que essa inversão de valores acontece. 1. A inversão de valores na teologia – Há um notório, assustador e célere desvio teológico e doutrinário nos últimos tempos. No século XIX o liberalismo teológico varreu as igrejas na Europa e na América do Norte. Muitos seminários de referência, que formaram pastores, missionários e teólogos de grande envergadura foram tomados de assalto pelos liberais. O liberalismo teológico, que nega a inerrância e suficiência das Escrituras entrou nas cátedras, subiu aos púlpitos e dispersou as ovelhas. Vemos hoje templos se transformando em museus e o velho mundo tornando-se um continente pós-cristão. Por outro lado, vemos também florescer o misticismo e o sincretismo na igreja contemporânea. Práticas com laivos do misticismo pagão, como sal grosso, lenços ungidos, campanhas de prosperidade e cura estão sendo introduzidos na prática religiosa brasileira, até mesmo dentro daquelas igrejas chamadas evangélicas. A pregação fiel das Escrituras está ausente em muitos púlpitos. As doutrinas da graça foram trocadas por outro evangelho. O lucro é o vetor que governa muitas igrejas. Nesses redutos o evangelho está sendo transformado num produto, o púlpito num balcão, o templo numa praça de negócios e os crentes em consumidores. 2. A inversão de valores na ética –Estamos assistindo o desbarrancamento da virtude, a falência da ética e o colapso dos princípios morais. O homossexualismo está sendo aplaudido e incentivado sob os auspícios das autoridades políticas e a promoção da imprensa. A corrupção política torna-se endêmica e sistêmica. O cenário público é assaltado por ratazanas esfaimadas sem piedade. Os conchavos nos bastidores do poder desviam polpudos valores para as contas insaciáveis dos ladrões de colarinho branco, deixando o povo desassistido de esperança. A impunidade incentiva o crime e abastece a conta bancária dos corruptos. O narcotráfico multiplica seus tentáculos assassinos, desafia a lei e impõe um regime de terror ao povo. Os positivistas estavam enganados quando pensaram que o problema do homem era apenas ignorância. A educação, embora vital, não transforma o homem. O jornal A TRIBUNA publicou uma matéria no dia 12/06/08, mostrando como jovens universitárias, em nossa cidade, entregam-se à prostituição. Não basta ao homem informação, ele precisa de transformação. 3. A inversão de valores na família – A confusão teológica e o colapso da virtude em nossa sociedade atingiram profundamente a família. O divórcio está crescendo espantosamente até mesmo entre casais crentes. Só na terceira idade, o divórcio cresceu 56% na última década. O concubinato é visto hoje como coisa natural, a ponto de algumas pessoas considerarem o casamento como um estorvo para a felicidade conjugal. Cresce epidemicamente a infidelidade conjugal. Os jovens que pleiteiam uma vida casta e se posicionam contra a prática do sexo no namoro são hostilizados como uma geração jurássica. As telenovelas brasileiras no afã de retratar a realidade induzem o povo a práticas perniciosas, destruindo ainda mais a já fragilizada relação familiar.

Precisamos nos voltar para DEUS e sua Palavra. Precisamos emendar nossos caminhos e nos arrependermos de todo o nosso coração. Então, experimentaremos uma vida bem-aventurada, abundante, maiúscula e superlativa. (Rev. Hernandes Dias Lopes)

Num Monte na Galiléia Não é por nenhuma coincidência que JESUS é chamado o "Verbo". Ele é o meio pelo qual DEUS manifesta para nós a sua mente. Na verdade, JESUS é a exata representação do próprio DEUS. Em seus atos ele dá o exemplo de como DEUS age, e em seus ensinos ele mostra como DEUS pensa. Ouvir JESUS pregar é escutar o Criador do universo. Os sermões e as declarações de JESUS estão repletos do caráter do Pai e no Sermão do Monte, como em nenhum outro lugar, temos uma revelação maior da mente de DEUS. Essa é a própria essência da verdade de DEUS sobre o seu reino. Por meio de palavras sempre relevantes, proferidas há séculos num monte na Galiléia, o Verbo encarnado manifestou o reino do céu entre os homens. O fato de conhecermos muito bem o Sermão do Monte torna difícil avaliarmos a magnitude e o poder de sua sabedoria. Os ouvidos acostumados a escutá-lo mal podem ouvir esse tremendo discurso como ele foi primeiramente recebido pelos seus ouvintes. Mas, na verdade, não há nada como esse sermão. Certamente, é lindo. Mas, mais que isso, é profundo. Sua profundidade é mais que um desafio para os mais sábios. E, ainda assim, há nele, ao mesmo tempo, uma simplicidade que está dentro do alcance de uma criança. A mensagem em si é radical, até revolucionária, mas a reforma social e política não é o que ela tem por objetivo. A influência para mudar o mundo se volta para o caráter interior do homem que entrou na comunhão com DEUS. Essa mensagem entregue por JESUS num monte da Galiléia mostra que ele é o Mestre, o Professor. É o próprio padrão de comunicação eficaz. Prendendo a nossa atenção contrariando ousadamente a sabedoria do mundo, o Sermão do Monte é pungente e cheio de paradoxos. Toma-nos de surpresa e nos obriga a questionar nossas idéias e atitudes. Desafia os nossos conceitos até a raiz, mas o faz utilizando vívidas metáforas extraídas do dia-a-dia. De toda maneira, o Sermão do Monte demonstra a verdade da afirmação de JESUS de que falava as palavras que seu Pai lhe deu. Como deve ter sido emocionante quando pregado pela primeira vez! O discurso de JESUS relacionava-se com o reino de DEUS. Na verdade, representa o estatuto desse reino. A natureza espiritual do reinado de DEUS e o caráter dos que se submetem a ele são os temas centrais desse sermão. O destaque de início ao fim é que a verdadeira justiça e a verdadeira religião procedem do coração. A mente dedicada a DEUS é a fonte da vida espiritual. Na avaliação de DEUS, contam muito os motivos. A justiça própria legalista e a observância externa e mecânica não bastam para agradar a DEUS. Antes, é o que busca com humildade, cheio da consciência do próprio vazio diante de DEUS, que receberá o dom da salvação de DEUS. É a pessoa sincera e obediente, agindo com o coração cheio de amor sem egoísmo para com DEUS e para com o próximo, que adorará de uma maneira que agrada aos Senhor. JESUS nos ensina que DEUS leva em conta quem somos, bem como o que fazemos. Não basta evitar atos físicos como matar e adulterar. A nossa mente tem que ser dedicada ao maior bem dos nossos colegas, chegando até ao ponto de amar os nossos inimigos. Os nossos atos de devoção a DEUS devem ultrapassar os rituais realizados visando a uma boa reputação. O orgulho egoísta tem que ser destruído para que DEUS seja honrado. Devemos realmente amar a DEUS e nele confiar, até mesmo chegando a dar-lhe prioridade acima dos nossos desejos e necessidades materiais. A ganância e a preocupação traem a mente que não está verdadeiramente posta em DEUS. O mundanismo é tão ruim quanto a idolatria, e não encontra lugar no reino de DEUS. DEUS pode ser encontrado e pode ser servido. Mas somente por aqueles que têm um coração completamente dedicado ao Pai.

Os valores que encontramos no Sermão do Monte são exatamente a antítese dos ideais do homem rebelde contra o Criador. Fora de JESUS CRISTO, levado por uma mente obstinada, jamais se consegue pôr em prática os princípios do Sermão. Não são sugestões que podem ser acatadas gradativamente pela pessoa mundana que está tentando melhorar a si. Temos aqui mais do que o elevado conselho, embora sábio, de um grande professor de moral. Antes, temos a declaração do próprio DEUS a respeito do caráter dos que entregaram coração e vida para sua soberania. Recusando-se a se entregar, alguém acharia que o Sermão tem pouco valor. Somos informados de que, quando JESUS acabou de falar, "estavam as multidões maravilhadas da sua doutrina; porque ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas" (Mateus 7:28-29). Quando o Verbo se fez carne, ele foi capaz de falar com uma autoridade que nenhum mestre mortal poderia atingir. Suas palavras tinham a qualidade serena e sólida da verdade eterna. Talvez não haja testemunho mais eloqüente da divindade de JESUS do que as palavras que seu Pai lhe deu para falar. Os que, em obediência ao evangelho, aceitaram a cidadania no reino do céu ouvirão atentamente o Sermão do Monte. E não só ouvirão; Farão de coração o que ouvirem. Pois JESUS disse: "E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia" (Mateus 7:26). Se tivermos ouvidos, que possamos ouvir de verdade! - por Gary Henry

Crise na Igreja Evangélica

1. Secularização da religião: Existe uma crise moral e ética nos nossos dias. Existia uma moral religiosa e uma moral do dever. A pessoa tinha uma moral baseada no que cria, nos preceitos do cristianismo. Com o advento do iluminismo, e mais com a revolução francesa, que destronou a monarquia e a religião, ficou apenas a moral do dever.

Hoje se deixado de lado, tanto a moral religiosa como a do dever tem se evaporado. O que está em voga é a chamada moral do prazer. O que determina a nova moralidade é o que “eu” sinto, isto é, o importante é estar bem e sentir bem. Não há mais a moral que levamos até as últimas conseqüências, com a disposição de sofrer se preciso for. Por exemplo, com respeito ao casamento, as pessoas estão dispostas a serem fiéis não ao cônjuge, mas aos seus sentimentos. Enquanto está sentindo que vale a pena continuar casado, tudo bem, no momento que não é mais interessante manter o casamento, busca o divorcio.

2 . Ascensão da individualidade

Nos nossos dias cada um tem a sua forma individualizada de entender as coisas. Um pensa de uma maneira, outro de outra, e assim por diante. Aplicado essa maneira de ser no meio evangélico, fica o mesmo sem relevância social.

3.Quebra do consenso social

Há meio século atrás tanto o sexo fora do casamento como o divórcio eram inadmissíveis. Tal atitude recebia por parte da sociedade uma severa reprimenda. Havia um consenso na sociedade em que tais coisas não deveriam ser praticadas.

4. Relativismo moral

Moral sem fronteiras. Existe hoje os movimentos “gays”, cultura inclusiva, aceitar as diferenças, aceitar as opções. Estamos hoje numa ditadura da social democracia. Afirmar que CRISTO é o único Caminho, é a Verdade e a Vida é perigoso. Dizer que só CRISTO salva não está politicamente correto. Pastores estão sendo processados por afirmar que só CRISTO salva. A mídia tem procurado tirar CRISTO do centro do Natal. Hoje nos EUA, já se falam no natal como uma festa de estação e não uma festa religiosa.

5. Crise de identidade

A família está desarticulada. Ninguém sabe qual o seu papel dentro da família. O senso de nacionalidade está se indo com a globalização. Há inversão dos direitos e dos deveres. Os pais não sabem os seus papeis, nem os filhos os seus. Até mesmo as autoridades não conhecem bem os seus papeis.

6. A tecnologia ocupou o lugar da sabedoria

A tecnologia é uma ferramenta muito boa. Quem não gosta do que a tecnologia tem dado para o homem? Porém, quando a tecnologia toma o lugar da sabedoria, ela se torna perigosa. Isso é o que está acontecendo principalmente no meio evangélico. Igrejas e pastores estão trocando a sabedoria pela tecnologia. Faz o homem depender não de DEUS, mas dos efeitos tecnológicos. A oração e a leitura da Palavra de DEUS tem ficado em segundo plano.

Grande parte dos evangélicos confia muito mais nos efeitos que a tecnologia faz do que na oração e comunhão com DEUS. Um dos Faraós do Egito reclamou da invenção da escrita, dizendo que a mesma iria atrofiar a memória. Não podemos ser tenofóbicos, por um lado, ou seja, ter medo da tecnologia, nem podemos ser tecnodólatra, ou seja, colocar a tecnologia em primeiro lugar. 7. Pastores como burocratas

Na Carolina do Norte, EUA, foi constatado que o índice de divórcio entre os crentes e não crentes era igual. Nos EUA, nos anos 1998 houve um movimento intitulado “o verdadeiro amor espera” entre os jovens cristãos. De doze mil que assinaram um compromisso de não ter sexo até o casamento, cerca de 80% mais ou menos não honraram o voto que haviam feito. Hoje em dia os pastores deixaram de ser referencial para a sociedade e passaram a ser meros burocratas que dirige uma “empresa”. É duro ter que admitir que a coisa de um modo geral está funcionando assim. É preciso volta ao bom senso de termos pastores não afoitos a todo custo por resultados, ou seja, crescimento da igreja. É preciso ter pastores que pastoreiam as ovelhas.

8. A credibilidade foi banida

Só 2% dos jovens que se dizem cristãos nos EUA, lê a Bíblia e medita nela. Dos adultos somente 9% dos cristãos faz o mesmo. Isto se refere aqueles que são assíduos aos cultos e trabalhos na igreja. São os denominados que “nasceram de novo”. Não está nesse índice os cristãos nominais.

Precisamos hoje de pessoas mais altruístas e menos egoístas. Mais mártires , renunciando o ministério. Pessoas que praticam o respeito tanto para com DEUS como para com o próximo. Os pastores hoje passaram de herói para vilões, na visão da sociedade de um modo geral.

DIANTE DE TUDO ISSO O QUE PRECISAMOS FAZER?

É preciso que seja feita uma reforma relacional. Relacionamento com DEUS, com o nosso próximo e com o mundo. Ter uma fé vulnerável no sentido de amar a DEUS e ao próximo como a nós mesmos.

Amar é o grande segredo de um discipulado com a marca de CRISTO. Em II Co.4 Paulo fala da fragilidade do vaso que é de barro mas que tem o mais valioso tesouro. Nós somos o vaso de barro. Aquele tempo é bem parecido com os nossos dias. A cultura helênica e a romana eram muito hostis. Hoje também o cenário é hostil. Muitos ministérios são narcisistas, mas precisamos olhar para um ministério como o de Paulo.

Vivemos num mundo pluralista, com a emergente campanha das minorias. Um mundo em que a liberdade de expressão está sendo tolhida, baseada num pluralismo em que todas as coisas estão corretas. Todo mundo está certo. Não nada errado. E todos têm que concordar com todos. Não se pode afirmar uma verdade excludente, pois isso fere os postulados contrários.

Precisamos nos preparar para sermos mártires. Se vamos manter o padrão do que aprendemos até hoje, de que CRISTO é o Caminho a Verdade e a Vida, ninguém vem ao Pai senão por Ele, se vamos pregar essa mensagem, tenhamos certeza de que vai sobrar alguma reprimenda para nós. Vamos ensinar os nossos filhos, vamos alertá-los pois tal situação está mais perto de nós do que pensamos.(Rev. Washington Paulo Emrich.)

INTERAÇÃO

Prezado professor, observe os noticiários durante esta semana. Selecione algumas notícias na área da educação, política, religião, saúde e entretenimento. Faça uma análise dos valores difundidos por essas reportagens e pelos filmes, novelas e peças de teatro. Ao iniciar a lição dominical, use essas informações e partilhe com a classe suas reflexões. Contraste os valores difundidos pela indústria cultural com aqueles ensinados pelas Escrituras. Desperte o senso crítico de seus alunos. DEUS o abençoe!

OBJETIVOS: Após esta aula, seu aluno deverá estar apto a:

Explicar o termo "valor".

Descrever as causas da inversão dos valores.

Reagir contra a inversão dos valores.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, se possível, leia os capítulos 8 e 11 da obra Panorama do Pensamento Cristão (CPAD).

As informações contidas nesses capítulos certamente o auxiliarão a ministrar a aula com mais segurança. No capítulo 8, os autores discutem a ética bíblica e a práxis cristã no contexto da comunidade eclesiástica e da sociedade, com uma interface com a cultura pós-moderna. No capítulo 11, outros autores discorrem a respeito do relacionamento crítico entre os cristãos, a cultura e a mídia de entretenimento. As obras de Charles Colson e Nancy Pearcey também serão úteis. Use a tabela ao lado para reforçar o tópico II da lição. Reproduza o gráfico conforme os recursos disponíveis.

OUTROS FUNDAMENTOS DOS VALORES CRISTÃOS

FUNDAMENTOS

O Caráter de DEUS

Os Dez Mandamentos

O Sermão do Monte

Toda a Escritura

REFERÊNCIAS

Sl 99.3; 116.5; Jr 10.10

Êx 20

Mt 5-7.28

2 Tm 3.16,17

RESUMO DA Lição 10 - 3TRIMESTRE 2008 - A Inversão dos Valores

Palavra Chave: Valores - Normas ou princípios morais que orientam a conduta das pessoas.

I - INVERSÃO DOS VALORES BÍBLICO-CRISTÃOS

1. Causas da inversão dos valores.

a) Ascensão do relativismo moral. b) Manifestação social do pluralismo. c) Crescente mundanismo.

2. Os valores cristãos invertidos.

a) Quanto ao casamento, b) Quanto à família, c) Quanto à igreja.

II - FUNDAMENTOS DOS VALORES CRISTÃOS

1. Os valores cristãos. 2. Os três fundamentos.

a) Universais. b) Absolutos. c) Imutáveis.

III - COMO REAGIR À INVERSÃO DE VALORES

1. Denunciar o pecado e os valores mundanos.

2. Ensinar e viver os valores do Reino de DEUS.

CONCLUSÃO

A igreja deve viver o que prega e pregar o que vive.

SINOPSE DO TÓPICO (1) A ascensão do relativismo moral, a manifestação social do pluralismo e os valores cristãos invertidos são algumas causas da inversão de valores na pós-modernidade.

SINOPSE DO TÓPICO (2) Os valores cristãos são universais, absolutos e imutáveis, pois se fundamentam no caráter de DEUS e nos princípios das Escrituras.

SINOPSE DO TÓPICO (3) O crente além de ensinar e viver os valores cristãos deve denunciar a inversão dos valores, o pecado e os valores mundanos.

REFLEXÃO: "Devemos aprender a aplicar criticamente as categorias estéticas, éticas e teológicas para distinguir o bem dos valores distorcidos do mundanismo, seja no entretenimento seja na ciência seja na política.

"REFLEXÃO "A Igreja não faz nenhum favor à sociedade adaptando-se à cultura popular prevalecente, porque falha em sua tarefa justamente no ponto em que deixa de ser ela mesma." (C. B.Johns)

REFLEXÃO: "Quando a Igreja adota uma ética moral formada pela cultura popular prevalecente, está negando sua natureza." (C. B.Johns)

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 10 - A INVERSÃO DOS VALORES - 3ºtRIMESTRE DE 2008

RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD

TEXTO ÁUREO

1- Complete:

"Sabendo primeiro isto: que nos ______________________ dias virão _____________________________, andando segundo as suas próprias _____________________________" (2 Pe 3.3).

VERDADE PRÁTICA

2- Complete:

Os valores _______________________ e morais encontrados na ______________________ são absolutos e insubstituíveis, porque estão fundamentados na ______________________________ e no caráter de CRISTO.

COMENTÁRIO: INTRODUÇÃO:

3- O que significa a palavra "valor" e de onde origina-se?

( ) Significa "ser valoroso" e vem do hebraico "Valores"

( ) Significa "ser santo" e vem do latim "sanctus"

( ) Significa "ser digno" e vem do latim "Valores"

4- No contexto desta lição, a que se referem "Valores"? "Coloque "V" nas respostas verdadeiras e "F" nas Falsas.

( ) Referem-se aos princípios éticos e sociais aceitos por uma pessoa ou grupo.

( ) Referem-se ao comportamento dehumano; suas duras regras e padrões.

( ) Referem-se ao comportamento humano; suas regras e padrões.

( ) Referem-se às posses materiais em cada sociedade, ou grupo, ou pessoa.

5- Pelo que vêm sendo sistematicamente substituídas a ética e a moral cristãs atualmente?

( ) Por princípios morais mundanos.

( ) Por princípios amorais da igreja.

( ) Por princípios amorais mundanos.

I - INVERSÃO DOS VALORES BÍBLICO-CRISTÃOS

6- Quais as principais causas da inversão dos valores éticos e morais cristãos bem como o desprezo deles pela sociedade pós-moderna? "Coloque "V" nas respostas verdadeiras e "F" nas Falsas.

( ) Ascensão do relativismo moral.

( ) Ascensão do proselitismo cristão.

( ) Manifestação social do pluralismo.

( ) Aumento do número de cristãos no mundo.

( ) Crescente mundanismo.

7- Cite algumas das características da Ascensão do relativismo moral? "Coloque "V" nas respostas verdadeiras e "F" nas Falsas.

( ) Todos vivem conforme as regras que foram estabelecidas pelo estado.

( ) Segundo esta teoria filosófica, não existe norma moral ou ética válida para todas as pessoas.

( ) As normas variam de cultura para cultura, de pessoa para pessoa.

( ) Cada um vive conforme as regras que estabeleceu para si mesmo.

( ) Cada um deve se pautar pela bíblia.

( ) Há uma ética para o cristão, outra para o ateu e uma terceira para os que não se enquadrem nas anteriores.

( ) Não existe normas, verdades ou valores que sirvam para todas as pessoas em todos os lugares.

8- Como é a Manifestação social do pluralismo? "Coloque "V" nas respostas verdadeiras e "F" nas Falsas.

( ) Reconhece que há uma multiplicidade de culturas, religiões e posições éticas e morais conflitantes.

( ) Posições contraditórias podem coexistir, como se cada uma delas trouxesse uma parte da verdade e, nenhuma, a verdade completa ou absoluta.

( ) A verdade encontra-se em cada sistema religioso, filosófico ou moral.

( ) A única verdade absoluta e imutável é a bíblia.

( ) Segundo esse pensamento, o cristianismo traz uma parte da verdade, o budismo outra e assim sucessivamente.

( ) Assumir e respeitar diferentes valores em uma sociedade em constante mudança é uma manifestação de empatia e tolerância com o outro.

( ) A Igreja é responsável pelo bom testemunho de moral e bons costumes da sociedade.

9- Como Cresce o mundanismo? "Coloque "V" nas respostas verdadeiras e "F" nas Falsas.

( ) O mundanismo faz constante oposição à Igreja e aos valores cristãos.

( ) O mundanismo cresce ao "passo do gado", como deve ser em qualquer sociedade.

( ) A sociedade organizada e rebelada contra DEUS, tem estabelecido suas próprias leis, sem a menor consideração aos mandamentos divinos.

( ) O que temos visto, infelizmente, é o sagrado e o religioso curvarem-se ante o profano e o secular, até mesmo em certas denominações evangélicas.

10- Os valores cristãos invertidos. Há uma lista considerável de princípios bíblicos que não apenas foram desvalorizados, mas ultrajados pela sociedade pós-moderna. Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda:

Quanto à igreja:

As virtudes cristãs concernentes à família estão sendo substituídas por valores anticristãos: filhos que não respeitam os pais; pais permissivos quanto à moralidade; e a substituição do culto doméstico por entretenimentos perniciosos etc.

Quanto à família:

Atualmente, em algumas sociedades, já se aceita a abominável união entre pessoas do mesmo sexo. A Bíblia é implacável neste caso: "Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de DEUS? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos... herdarão o Reino de DEUS" (1 Co 6.9,10 - NVI).

Quanto ao casamento:

Muitas comunidades cristãs valorizam mais o "ministério" bem-sucedido do pregador que a santidade e o testemunho mantido por ele; mais o marketing ministerial do que os verdadeiros sinais do poder de DEUS. Pregadores santos e tementes a DEUS são preteridos por aqueles que buscam o louvor próprio em vez da glória de CRISTO.i

II - FUNDAMENTOS DOS VALORES CRISTÃOS

11- Como são os valores cristãos? "Coloque "V" nas respostas verdadeiras e "F" nas Falsas.

( ) Estão pautados nas Sagradas Escrituras.

( ) São opostos aos do mundo.

( ) Cremos na existência de um só DEUS, cujas leis regem não apenas o Universo, mas nossas vidas, planos e vontades.

( ) Em algumas sociedades os valores morais e éticos superam aos valores cristãos legítimos, contidos na bíblia.

12- Quais os três principais fundamentos básicos dos princípios cristãos?

( ) Universais, resolutos e mutáveis.

( ) Universais, absolutos e imutáveis.

( ) Transcendentais, transitórios e efemeros.

13- O que são os valores universais cristãos? "Coloque "V" nas respostas verdadeiras e "F" nas Falsas.

( ) São universais por estarem fundamentados na moral divina.

( ) Nosso DEUS é um ser moral.

( ) Seus atributos atestam que Ele é santo.

( ) Seus atributos atestam que Ele é justo.

( ) Seus atributos atestam que Ele é incostante.

( ) Seus atributos atestam que Ele é bom.

( ) São universais por abrangerem todo o mundo.

( ) Seus atributos atestam que Ele é verdadeiro.

14- Compete:

O Senhor é o ____________________ moral daquilo que é santo - ______________________ ao pecado -, daquilo que é justo - oposto a ____________________ -, daquilo que é bom - oposto ao que é mau, e daquilo que é verdadeiro - oposto à mentira. Tudo o que é puro, justo, bom e verdadeiro têm sua origem no caráter moral de DEUS. Por conseguinte, os valores morais são universais porque procedem de um Legislador Moral universal.

15- O que quer dizer Valores Absolutos? "Coloque "V" nas respostas verdadeiras e "F" nas Falsas.

( ) Absoluto é aquilo que não depende de outra coisa, mas existe por si mesmo.

( ) Os valores cristãos são absolutos porque procedem de um DEUS pessoal que não depende de qualquer outro ser para existir.

( ) Ele é eterno (Dt 33. 27; Sl 10.16); existe por si mesmo (Êx 3.14), e tem a vida em si mesmo (Jo 5.26).

( ) DEUS é o Alfa e o Ômega, portanto tem início e fim.

( ) DEUS também é absoluto porque não está sujeito às épocas (1 Tm 1.17; 2 Pe 3.8; Jd v.25).

( ) Ele governa eternamente o Universo (Sl 45.6; 145.13).

( ) Seu reinado é de justiça (Hb 1.8).

( ) Quer dizer que DEUS depende do homem para existir, ELE é o criador.

16- O que quer dizer Valores Imutáveis? "Coloque "V" nas respostas verdadeiras e "F" nas Falsas.

( ) Imutável é a qualidade daquilo que não muda.

( ) Os valores cristãos são imutáveis porque o Senhor DEUS é imutável.

( ) Aquilo que é inconstante.

( ) Ele não muda (1 Cr 29.10; Sl 90.2), é o mesmo em todas as épocas (Hb 13.8; Tg 1.17).

( ) Suas leis se conformam ao seu caráter moral, pois Ele é fiel (2 Tm 2.13).

( ) Aquilo que é transitório..

( ) Portanto, devemos viver conforme a orientação de sua Palavra.

III - COMO REAGIR À INVERSÃO DE VALORES

17- Cite duas maneiras de reagir à inversão de valores:

( ) Somente orando pelos pecadores e pela mudança dos valores mundanos.

( ) Denunciar o pecado e os valores mundanos e Ensinar e viver os valores do Reino de DEUS.

( ) Anunciar o pecado e os valores mundanos e divulgá-los.

18- Como são difundidos os princípios amorais e antiéticos?

( ) Através de filmes, peças teatrais, novelas, músicas e revistas.

( ) Através de livros cristãos, peças teatrais, músicas e revistas evangélicas.

( ) Através de reuniões cristãs de adoração a DEUS.

19- Complete:

A Igreja, "_________________________ e firmeza da verdade" (1 Tm 3.15), tem como missão, não apenas _______________________ o evangelho, mas ______________________________ os pecados e os valores mundanos dos homens (1 Tm 1.18-20).

20- Complete:

Como Igreja do Senhor, temos a obrigação de viver e ensinar os mais elevados princípios éticos e morais do ___________________________ de DEUS (Lv 20.7; 1 Pe 1.16). A verdadeira mensagem do evangelho não se conforma aos _____________________________ politicamente corretos, mas aos elevados padrões da ___________________________ divina (Mt 5.20, 48; 1 Tm 3.15; 6.11).

CONCLUSÃO

21- Complete:

Os elevados preceitos exarados na Palavra de DEUS são ______________________________ e servem de regra para orientar os homens em todas as ________________________ (Is 30.21; Mt 24.35; 2 Tm 3.16). Esses valores são insubstituíveis, e devem ser coerentes com o testemunho cristão - a igreja deve viver o que ___________________________ e pregar o que vive.

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO: Subsídio Apologético

"Aceitando o Desafio - [...] A Igreja permanece verdadeira ao seu caráter preservando sua distinguibilidade. Ela não faz nenhum favor à sociedade adaptando-se à cultura popular prevalecente, porque falha em sua tarefa justamente no ponto em que deixa de ser ela mesma. A Igreja não tem uma ética social, mas é uma ética social, [...] na medida em que é uma comunidade que pode ser claramente distinta do mundo. Pois o mundo não é uma comunidade e não tem tal história, visto que está baseado na pressuposição de que os seres humanos, e não DEUS, governam a história. Quando a Igreja adota uma ética moral formada pela cultura popular prevalecente, está negando sua natureza. Antes, a Igreja tem de expressar a ética social que já encarna; tem de transmitir a história de CRISTO, uma história que continuamente causa impacto nas relações sociais dos seres humanos [...]" (PALMER, M.D. (org.) Panorama do pensamento cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2001, p. 314.) BIBLIOGRAFIA SUGERIDA: COLSON, C.; PEARCEY, N. E agora como viveremos? RJ: CPAD, 2000.

APLICAÇÃO PESSOAL

Os princípios, leis ou normas que regem a vida cristã encontram-se nos inúmeros mandamentos morais, sociais e religiosos descritos nas Sagradas Escrituras. Podemos afirmar que a base da ética bíblica e dos valores cristãos é o santíssimo caráter de DEUS. As Escrituras, nossa única fonte legítima da vontade de DEUS, expressam a vontade de DEUS para o seu povo. Os inúmeros mandamentos éticos e morais da Bíblia revelam a natureza santa, ética e moral de DEUS. Portanto, o estudo dos valores e da ética cristã tem como base o caráter santo de DEUS. Como você já sabe: DEUS é santo (Lv 11.44; 1 Sm 2.2), justo (2 Cr 12.6; Ed 9.15), bom (Sl 25.8; 54.6), e verdadeiro (Jr 10.10; Jo 3.33). (CPAD)

Ajuda:

CPAD - <www.cpad.com.br> - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.

- <www.ebdweb.com.br>

(VÍDEOS da EBD na TV, DESTA LIÇÃO INCLUSIVE)

BÍBLIA ILUMINA EM CD - Bíblia de Estudo NVI EM CD - Bíblia Thompson EM CD.

Nosso novo endereço: <http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos>

Nenhum comentário: