terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

LIÇÃO 9, ELIAS NO MONTE DA TRANSFIGURAÇÃO



LIÇÃO 9, ELIAS NO MONTE DA TRANSFIGURAÇÃO  
LIÇÕES BÍBLICAS - 1º Trimestre de 2013 - CPAD - Para jovens e adultos
Tema: Elias e Eliseu um Ministério de Poder para toda a Igreja.
Comentário: Pr. José Gonçalves
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva

QUESTIONÁRIO
NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  

 
 
 
TEXTO ÁUREO 
"E [JESUS] transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele" (Mt 17.2,3). 
 
 
VERDADE PRÁTICA 
O aparecimento de Moisés e Elias no Monte da Transfiguração é um testemunho de que a Lei e os Profetas cumprem-se em CRISTO, o Messias prometido.
 
 
LEITURA DIÁRIA 
Segunda - Mt 17.3 O Messias e a tipologia
Terça - Mt 17.10 O Messias e a escatologia
Quarta - Mt 17.12 O Messias rejeitado
Quinta - Lc 9.35 O Messias esperado
Sexta - Mc 9.12 O Messias humilhado
Sábado - Lc 9.29 O Messias exaltado 
 
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE- Mateus 17.1-8  (Também em Mc 9.2 e em Lc 9.28,29)
1 Seis dias depois, tomou JESUS consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte. 2 E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. 3 E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. 4 E Pedro, tomando a palavra, disse a JESUS: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés e um para Elias. 5 E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; escutai-o. 6 E os discípulos, ouvindo isso, caíram sobre seu rosto e tiveram grande medo.7E, aproximando-se JESUS, tocou-lhes e disse: Levantai-vos e não tenhais medo.8 E, erguendo eles os olhos, ninguém viram, senão a JESUS.
 
 

 
Meus comentários (Ev Luiz Henrique)
O assunto dessa lição fala de Elias participando de um dos mais importantes eventos da Bíblia - a Transfiguração de JESUS - marco do cristianismo tão negligenciado em nossas pregações.
A transfiguração é a prova mais nítida de nosso futuro estado glorificado e na presença de JESUS, em nossa nova morada celestial.
 
Mateus 16:27-28
Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então dará a cada um segundo as suas obras. Em verdade vos digo que alguns há, dos que aqui estão, que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do homem no seu reino.
Mateus 17.1-8  (Também em Mc 9.2 e em Lc 9.28,29)
1 Seis dias depois, tomou JESUS consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte. 2 E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. 3 E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. 4 E Pedro, tomando a palavra, disse a JESUS: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés e um para Elias. 5 E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; escutai-o. 6 E os discípulos, ouvindo isso, caíram sobre seu rosto e tiveram grande medo.7E, aproximando-se JESUS, tocou-lhes e disse: Levantai-vos e não tenhais medo.8 E, erguendo eles os olhos, ninguém viram, senão a JESUS.
 
Pedro, Tiago e João não morreriam antes de verem a transfiguração (sete dias depois).
 
Seis dias depois (Mc 9.2) ou quase oito dias depois (Lc 9.28), ou seis dias depois (Mt 17.1)?
As indicações estão ligadas à maneira de se contar o tempo em grego e em hebraico - equivalem a sete dias após JESUS ter dito que alguns ali não morreriam sem ver a glória de DEUS.
 
JESUS subiu ao monte para orar – Os discípulos oraram até que dormiram. JESUS continuou orando até entrar completamente na presença de DEUS –aconteceu então sua transfiguração – sua forma original se revelou devido à sua comunhão com o Pai e o ESPÍRITO SANTO.
 
O céu desceu por um momento – Elias e Moisés apareceram prefigurando a aparição deles durante a grande tribulação.
 
Por que Pedro, Tiago e João?
Escolhidos como colunas da futura igreja.
Gálatas 2:9 - E conhecendo Tiago, Cefas (Pedro) e João, que eram considerados como as colunas, a graça que me havia sido dada, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão.
 
Pedro foi aquele que abriu o caminho do evangelho aos judeus, no pentecostes e o primeiro a abrir a porta do evangelho aos gentios, na casa de Cornélio.
Tiago foi o primeiro apóstolo a morrer pelo evangelho.
João foi último apóstolo a morrer (tendo como função primordial escrever provando que JESUS era DEUS e escrever sobre as revelações escatológicas.
 
JESUS pede aos discípulos para não revelarem esse fato antes de sua ressurreição.
Mateus 17:9
E, descendo eles do monte, Jesus lhes ordenou, dizendo: A ninguém conteis a visão, até que o Filho do homem seja ressuscitado dentre os mortos.
 
Após a morte e ressurreição de JESUS eles falaram do evento (Tiago não falou pois morreu antes disso - Atos 12:1,2).
Pedro fala sobre a transfiguração
Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade. Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido. E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com ele no monte santo; E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações.
2 Pedro 1:16-19
 
João fala sobre a transfiguração
João 1:14
E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.
1 João 1.1, 2
O que era desde o princípio, o que ouvimos o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida (Porque a vida foi manifestada, e nós a vimos, e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e nos foi manifestada);
 
Como Elias não morreu os judeus ainda o esperam antes da vinda do Messias, pois a palavra de DEUS diz que Elias viria preparando o caminho de JESUS CRISTO.
Na verdade João Batista veio na mesma unção de Elias, ele mesmo disse que viera para preparar o caminho do Messias, mas os judeus não o reconheceram e nem reconheceram aquele que veio logo depois dele – JESUS CRISTO.
Cremos que os judeus vão aceitar a JESUS no final da grande tribulação exatamente porque Elias mesmo estará ali como uma das duas testemunhas.
Logo após isso eles clamarão PR JESUS e ELE virá para salvá-los, portanto o trabalho de Elias só findará com sua morte e ressurreição no final da Grande Tribulação.
Os judeus ainda esperam Elias e para eles o Messias só virá após a aparição de Elias.
Nós esperamos o arrebatamento – eles esperam Elias.
É somente após a confissão de Pedro, em Cesaréia, dizendo que JESUS é o filho de DEUS vivo que acontece a transfiguração.
Pedro, Tiago e João precisavam ver Elias para crerem na ressurreição de JESUS, para crerem na glória de DEUS, para terem esperança em seu próprio futuro glorioso.
 
Nós conheceremos uns aos outros no céu sem nem mesmo conhecermos as pessoas aqui na Terra.
Pedro, Tiago e João reconheceram Elias e Moisés sem nunca os terem visto antes.
O ESPÍRITO SANTO revela todas as coisas.
Elias e Pedro não falaram com os discípulos – Ali quem importava era JESUS. Eles estavam em corpos celestes e espirituais, só poderiam se comunicar com quem estava também em corpo glorioso. Lucas disse em Lc 9.30 que Lhe falavam de sua morte e ressurreição em breve.
 
Moisés representava aqui a Lei – A lei nos revela o pecado e a condenação, portanto nos convence de que precisamos de um salvador.
 
Elias representa aqui os profetas que falaram a respeito do Messias que viria para salvar os homens de seus pecados.
 
JESUS aqui representa a graça de DEUS que salva os homens pelo sacrifício na cruz, sem nenhum tipo de mérito por parte dos homens que já estão condenados se permanecerem no pecado e não reconhecerem em JESUS sua salvação.
 
Como Pedro, Tiago e João não entendiam nada do que estava acontecendo, começaram a falar de coisas terrenas, não percebendo ali a glória e o poder de DEUS.
 
Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi.
Como no batismo de JESUS, aqui novamente DEUS dá testemunho de seu filho. Como Moisés mesmo disse no Antigo Testamento - Virá um profeta como eu - A ELE ouvi.
 
Moisés realizou seu sonho de entrar na Terra Prometida, mas ainda a pisará normalmente na grande tribulaçao segundo creio e Elias ainda verá a restauração de Israel também quando vier na grande tribulação segundo meu entendimento, pois na época em que veio na transfiguração os judeus rejeitaram a JESUS.
 
CONTRASTE ENTRE O FUTURO PRÓXIMO E A MANIFESTAÇÃO GLORIOSA:
(A) - O rosto para ser desfigurado por açoites e pela coroa de espinhos, então brilhava como o fulgor do sol;
(B) – As vestes que estavam destinadas a serem adquiridas pelo jogo, resplandeciam, não apenas como a neve, mas como a luz;
(C) – Em vez dos dois ladrões, um a cada lado do Senhor, havia Moisés e Elias;
(D) – Em vez das trevas ao meio dia, havia uma nuvem luminosa à noite;
(E) – Em vez de gritos do Senhor: - “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”, ouviu-se dos céus a voz de Deus-Pai: - “Este é meu Filho, o meu Escolhido, ouvio-O”.
 
Na cena da transfiguração, há em miniatura, todos os elementos que se manifestarão no reino que há de vir:
(1) - O Senhor, não mais na Sua humilhação, mas em glória – Mt 17.2,
(2) – Moisés, glorificado, representando os redimidos que passaram pela morte para o reino – Mt 13.43 cf Lc 9.30-31.
(3) - Elias, glo­rificado, figurando os redimidos que entraram no reino, sendo trasladados (I Cor 15:50-53; Ts 4:14-17.
(4) – Pedro, Tiago e João, não glorificados, representando (na ocasião) Israel na carne dentro do reino futuro – Ez 37.21-27
(5) – As multidões, ao pé do monte, representam as nações que entrarão no reino depois de inaugurado sobre Israel – Mt 17.14 cf Is 11.10-12.
 
Exemplo de manifestação dessa luz gloriosa mais tarde:
E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu. E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? E ele disse: Quem és, Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões. (At 9.3-5)
 
E, quando Herodes estava para o fazer comparecer, nessa mesma noite, estava Pedro dormindo entre dois soldados, ligado com duas cadeias, e os guardas diante da porta guardavam a prisão. E eis que sobreveio o anjo do Senhor, e resplandeceu uma luz na prisão; e, tocando a Pedro no lado, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa! E caíram-lhe das mãos as cadeias. E disse-lhe o anjo: Cinge-te e ata as tuas sandálias. E ele o fez assim. Disse-lhe mais: Lança às costas a tua capa e segue-me. E, saindo, o seguia. E não sabia que era real o que estava sendo feito pelo anjo, mas cuidava que via alguma visão. E, quando passaram a primeira e a segunda guarda, chegaram à porta de ferro que dá para a cidade, a qual se lhes abriu por si mesma; e, tendo saído, percorreram uma rua, e logo o anjo se apartou dele. E Pedro, tornando a si, disse: Agora, sei, verdadeiramente, que o Senhor enviou o seu anjo e me livrou da mão de Herodes e de tudo o que o povo dos judeus esperava. (At 12.6-11)
 
DEUS continua fazendo maravilhas no meio de seu povo, pena que muitos se especializaram tanto na parte de estudos da Palavra de DEUS e na pregação que se esqueceram de que na mesma Palavra que tanto ensinam e pregam dizem que as manifestações gloriosas de DEUS sempre acompanharam aqueles que realmente conhecem a DEUS. DEUS confirma sua Palavra e aqueles que são chamados por ELE (e não apenas por homens) com sinais prodígios e maravihas.
 
- Os sinais do meu apostolado foram manifestados entre vós com toda a paciência, por sinais, prodígios e maravilhas. 2 Coríntios 12:12
- Testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade? Hebreus 2:4
- Homens israelitas, escutai estas palavras: A Jesus Nazareno, homem aprovado por Deus entre vós com maravilhas, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis; Atos 2:22
- E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém. Marcos 16:20
- Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele. João 3:2
- E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou de contínuo com Filipe; e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito. Atos 8:13
- Detiveram-se, pois, muito tempo, falando ousadamente acerca do Senhor, o qual dava testemunho à palavra da sua graça, permitindo que por suas mãos se fizessem sinais e prodígios. Atos 14:3
- Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele. João 2:11
 
 
Este resumo contém estudos de vários sites de EBD, incluindo ai alguns comentários do professor Caramurú Afonso Francisco, Ismael Pereira de Oliveira, Natalino das Neves, Justei Cordeiro, EBDexplica, e estudos diversos da ebdweb.com.br etc...
 
 
A Transfiguração de CRISTO (http://www.estudosdabiblia.net/d16.htm)
Quando DEUS veio à terra, na pessoa de JESUS, adotou uma forma humana. Fisicamente, JESUS se parecia como qualquer outro homem. Ele teve fome, sede, cansaço, etc. Sua divindade foi vista apenas indiretamente, em suas ações e suas palavras. Mas, numa ocasião, a glória divina interior de JESUS resplandeceu e se tornou visível. A história é contada em Mateus 17:1-8:
Seis dias depois, tomou JESUS consigo a Pedro e aos irmãos Tiago e João e os levou, em particular, a um alto monte. E foi transfigurado diante deles; o seu rosto resplandecia como o sol, e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. Então disse Pedro a JESUS: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, farei aqui três tendas; uma será tua, outra para Moisés, outra para Elias. Falava ele ainda, quando uma nuvem luminosa os envolveu; e eis, vindo da nuvem, uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me compra-zo; a ele ouvi. Ouvindo-a os discípulos, caíram de bruços, tomados de grande medo. Aproximando-se deles, tocou- lhes JESUS, dizendo: Erguei-vos e não temais! Então, eles, levantando os olhos, a ninguém viram, senão JESUS.
 
A Glória de CRISTO
A Bíblia revela um DEUS unido, composto de três pessoas: o Pai, o Filho e o ESPÍRITO SANTO. João 1:1-2 diz: "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com DEUS, e o Verbo era DEUS". JESUS estava com o Pai desde o princípio, compartilhando de sua natureza divina. Então, JESUS deixou o céu e veio à terra. "E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai" (João 1:14). Fisicamente, JESUS tinha todas as características de um homem; espiritualmente, ele compartilhava da natureza de DEUS. Na transfiguração, sua glória interna tornou-se visível externamente.
Temos que chegar a ver em JESUS a glória de DEUS. Uma razão por que JESUS se tornou um homem foi para manifestar a natureza de DEUS. JESUS é "o resplendor da glória" de DEUS e "a expressão exata do seu Ser" (Hebreus 1:3). Ele reflete perfeitamente a natureza e o caráter de DEUS. Quando olhamos para JESUS, podemos ver "a glória do Senhor" (2 Coríntios 3:18 - 4:6). A conversa de JESUS com Filipe ilustra estes pontos: "Se vós me tivésseis conhecido, conheceríeis também a meu Pai. Desde agora o conheceis e o tendes visto. Replicou-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Disse-lhe JESUS: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, faz as suas obras" (João 14:7-10). JESUS é a revelação, a manifestação do Pai (João 1:18). Você já pensou no que DEUS faria, diria ou pensaria se fosse um homem? Olhe para JESUS. Tudo o que JESUS disse e fez foi exatamente o que o Pai diria e faria se viesse à terra como um homem. Que pensamento espantoso: DEUS se revelou a nós em forma humana. O reconhecimento da glória do Pai, em JESUS, torna o estudo da vida de CRISTO uma experiência profundamente comovente.
 
A Autoridade de CRISTO
As religiões são, freqüentemente, baseadas em ensinamentos, filosofias, visões, etc. A religião de CRISTO é baseada na História. Pedro, um dos três que testemunharam a transfiguração, indicaram-na como evidência de que o evangelho não era uma fábula ou lenda: "Porque não vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor JESUS CRISTO seguindo fábulas engenhosamente inventadas, mas nós mesmos fomos testemunhas oculares da sua majestade, pois ele recebeu, da parte de DEUS Pai, honra e glória, quando pela Glória Excelsa lhe foi enviada a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. Ora, esta voz, vinda do céu, nós a ouvimos quando estávamos com ele no monte santo" (2 Pedro 1:16-18). Este exemplo coloca JESUS numa categoria totalmente diferente da dos líderes de outras religiões do mundo. Qual deles foi transfigurado? A fé em CRISTO não é um salto no escuro, mas um passo razoável baseado em evidência histórica concreta.
JESUS está acima de tudo. Ele possui toda a autoridade no céu e na terra (Mateus 28:18). Ele está "acima de todo o principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir não só no presente século, mas também no vindouro" (Efésios 1:21). JESUS merece nossa honra, respeito, adoração e obediência. O CRISTO que é soberano sobre o universo inteiro, deverá reinar também sobre minha vida.
Muitos há que reagem como Pedro. Quando viu JESUS, Moisés e Elias, juntos na montanha, ele recomendou a construção de três tendas. Que Pedro sugerisse três tendas já era admirável. Moisés era o grande legislador e libertador do Velho Testamento. Elias estava entre os maiores dos profetas do Velho Testamento, arrebatado da terra sem morrer. Quão maravilhoso estar na presença deles! Podemos entender o desejo de Pedro de construir uma tenda para Moisés e outra para Elias. Mas, por que três tendas? Ah, ele estava elevando JESUS à mesma posição: Vamos dar para ele uma tenda também! Para Pedro, em vista da sua herança judia, ter posto JESUS a par com os grandes Moisés e Elias era algo admirável.
A resposta de DEUS mostrou que não deveria haver três tendas, nem duas, mas uma só. "Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi". Moisés desvaneceu. Elias desapareceu. Somente JESUS permaneceu. Devemos construir somente uma tenda. Muitos constroem mais. Muitos constroem tendas para Moisés e Elias, não reconhecendo que não estamos mais sob a lei do Velho Testamento. Muitos constroem tendas para grandes líderes religiosos: Buda, Kardec, Joseph Smith, Ellen G. White, Edir Macedo, etc. Muitos levantam tendas para os pais, bem junto da tenda para JESUS. Outros armam uma tenda para sua igreja ou tradição religiosa. Colossenses 2 diz, vigorosamente, que toda a sabedoria, todo o conhecimento e a plenitude da divindade estão em CRISTO. Portanto, "Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo CRISTO" (v. 8). Temos que aceitar nada mais, nada menos do que CRISTO. Ele tem toda a autoridade no céu como na terra.
 
A Transfiguração dos Seguidores de CRISTO
"E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em Glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o ESPÍRITO" (2 Coríntios 3:18). Temos que permitir que nossas vidas sejam transformadas pela glória de CRISTO. DEUS quer que compartilhemos de sua natureza divina (2 Pedro 1:4), e que CRISTO habite em nós (Colossenses 1:26-28; Gálatas 4:19; Efésios 2:19-22). Paulo escreveu: "Estou crucificado com CRISTO; logo, já não sou eu quem vive, mas CRISTO vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no filho de DEUS, que me amou e a si mesmo se entregou por mim" (Gálatas 2:19-20). Imagine-se acordando uma noite, com JESUS ao lado de seu leito. Você deixa seu corpo e CRISTO entra nele. Agora, seu corpo ainda pareceria exatamente o mesmo. Mas de agora em diante é CRISTO quem realmente habita em seu corpo. É claro que este evento não ocorrerá exatamente assim, mas seu resultado tem que ser assim. Tenho que permitir que minha vida, minhas ações, minhas palavras e até meus pensamentos sejam moldados como a imagem de CRISTO.
Mas como podemos realizar esta transformação? Depois que Moisés esteve na presença de DEUS, sua face mostrou-se tão brilhante que ele teve que cobrí-la com véu para que as pessoas pudessem olhar para ele. Paulo usa isto como uma ilustração de nossa transfiguração por CRISTO (2 Coríntios 3). Temos que olhar para CRISTO e deixar sua imagem nos transformar. Esta mudança ocorre através do conhecimento de CRISTO (2 Pedro 1:2-8; Colossenses 1:26-28). Em nosso estudo das Escrituras, temos que olhar para CRISTO e começar a agir como ele agia, falar como ele falava e pensar como ele pensava. Temos que chegar a conhecer CRISTO tão intimamente (por meio das Escrituras) e admirá-lo tão profundamente que o imitamos em cada pormenor. Muitas pessoas religiosas acabam fazendo umas poucas mudanças externas e chamam a isso cristianismo. Mas a glória de CRISTO era interna. Temos, não somente, que vestir uma máscara religiosa, mas temos que deixar a vida de CRISTO renovar nossas vidas de dentro para fora. Somente então CRISTO terá terminado sua obra em nossas vidas.
- por Gary Fisher
 
INTERAÇÃO
Caro professor, nesta lição estudaremos a respeito do profeta Elias no monte da Transfiguração. Este acontecimento teve como objetivo principal demonstrar que JESUS de fato era o Messias esperado. Moisés também apareceu neste episódio. Sabemos que ele tipificava a lei e Elias prefigurava os profetas que predisseram a vinda do Messias. No decorrer da lição, procure enfatizar que embora Moisés e Elias tivessem grande relevância na história do povo hebreu, eles não possuíam glória própria. Ainda que fossem homens fiéis ao Senhor, eram humanos, sujeitos a falhas e erros, porém, eles irradiavam a glória proveniente do CRISTO. Que possamos, como Filhos de DEUS, regenerados em JESUS CRISTO, irradiar também a glória do Profeta de Nazaré.
 
OBJETIVOS- Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Descrever o episódio da transfiguração de JESUS.   
Explicar a tipologia representada em Moisés e Elias. 
Conscientizar-se de que JESUS era o Messias esperado.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor, para introdução da lição escreva a seguinte indagação no quadro de  giz: "O que foi a transfiguração?" Ouça os alunos com atenção, faça as considerações que achar necessárias. Conclua explicando que a transfiguração foi na verdade uma rápida demonstração da glória de JESUS CRISTO, o Rei dos reis. A divindade de JESUS foi revelada no monte da Transfiguração. Os discípulos que ali estavam puderam ver o Verbo que se fez carne. Ele é DEUS. Infelizmente, na atualidade, muitos não creem mais na divindade de JESUS, por isso, enfatize que JESUS foi cem por cento homem e cem por cento DEUS. Sua glória foi manifestada em plena humanidade!
 
PALAVRA-CHAVE: TRANSFIGURAÇÃO -  mudança de aparência, ou forma, mas não de essência.
Ato ou efeito de transfigurar. Estado glorioso, em que JESUS apareceu sobre o Monte Tabor. (http://www.dicionarioweb.com.br/transfigura%C3%A7%C3%A3o.html) - Monte Hermom ou Monte Tabor?
 
RESUMO DA LIÇÃO 9, ELIAS NO MONTE DA TRANSFIGURAÇÃO 
I. ELIAS, O MESSIAS E A TRANSFIGURAÇÃO 
1. Transfiguração.
2. Glória divina.
II. ELIAS, O MESSIAS E A RESTAURAÇÃO  
1. Tipologia.
2. Escatologia.
III. ELIAS, O MESSIAS E A REJEIÇÃO 
1. O Messias esperado. 
2. O Messias rejeitado.
IV. ELIAS, O MESSIAS E A EXALTAÇÃO 
1. Humilhação.
2. Exaltação.
 
SINÓPSE DO TÓPICO (1) A transfiguração provou para os discípulos e para nós aquilo que JESUS sempre fora: o verbo divino encarnado.
SINÓPSE DO TÓPICO (2) No evento da transfiguração, Moisés prefigurava a Lei e Elias os profetas. 
SINÓPSE DO TÓPICO (3) João era o Elias que havia de vir e JESUS era o Messias.  
SINÓPSE DO TÓPICO (4) JESUS deixou claro que a cruz faz parte do plano divino para restaurar todas as coisas. 
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICOI- Subsidio Teológico
"Embora a Transfiguração fosse sem dúvida uma maravilhosa revelação da natureza essencial de JESUS, no contexto ela era também uma poderosa manifestação da natureza do reino que o nosso Senhor pretendia estabelecer com a sua morte.
[...] A chave para entendermos o pretenso significado da transfiguração é encontrada em Marcos 9.2, na frase 'seis dias depois'. O que havia acontecido antes dos seis dias?  JESUS havia falado sobre a sua cruz e depois a glória, e feito uma promessa específica: 'Em verdade vos digo que, dos que aqui estão, alguns há que não provarão a morte sem que vejam chegado o Reino de DEUS com poder' (Mc 9.1).
Não é costume de Marcos indicar um preciso relacionamento entre os eventos. A frase 'seis dias depois' faz íntima ligação entre a transfiguração e a profecia de CRISTO sobre a sua morte e ressurreição - e a promessa que fez aos discípulos de que alguns veriam 'o Reino de DEUS com poder'" (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p. 115).
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICOII 
Subsidio Teológico
Embora a transfiguração fornecesse uma confirmação visível da divindade de CRISTO, os discípulos, perante os quais Ele havia exibido sua glória, já o havia reconhecido através dos olhos da fé (Mc 8.29). Porém não haviam reconhecido a natureza do seu reino: não entendiam a implicação de tomar a cruz e seguir a JESUS a fim de receberem uma nova vida.
Então JESUS transfigurou-se diante deles e, nessa transformação, eles viram 'o Reino de DEUS com poder' (Mc 9.1). Eles viram Aquele que apareceu em sua encarnação como um homem comum, brilhar de repente com um extraordinário esplendor. O que eles viram era uma verdadeira transfiguração - uma transformação revolucionária do estado de um ser para outro. Um estado de ser que indiscutivelmente exibia a glória e o poder de DEUS. É isso que a transfiguração redefine o reino para seus discípulos. Quando, depois da morte e ressurreição de CRISTO o reino de DEUS vier 'com poder', a característica marcante desse reino não será exércitos de anjos marchando para esmagar o poder de Roma. O reino de DEUS vem com poder a fim de mudar os seres humanos comuns em seres que escolheram seguir a JESUS. O reino, pelo menos até à volta de JESUS, consistirá em transformação, e não nas conquistas que eles desejavam" (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p. 115).
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA 
RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1.ed.Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
MERRILL, Eugene H. História de Israel no Antigo Testamento: O reino de sacerdotes que DEUS colocou entre as
nações. 6. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
 
SAIBA MAIS - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 53, p.40.
 
QUESTIONÁRIO LIÇÃO 9, ELIAS NO MONTE DA TRANSFIGURAÇÃO 
Responda conforme a revista da CPAD do 1º Trimestre de 2013
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas verdadeiras e com "F" as falsas
 
TEXTO ÁUREO 
1- Complete:
"E [JESUS] ________________________________________-se diante deles; e o seu rosto _______________________________________ como o sol, e as suas vestes se tornaram __________________________________ como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele" (Mt 17.2,3). 
 
VERDADE PRÁTICA 
2- Complete:
O aparecimento de Moisés e Elias no Monte da _______________________________________ é um testemunho de que a Lei e os Profetas cumprem-se em ___________________________, o ____________________________ prometido.
 
COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO 
3- Onde encontramos o relato sobre a transfiguração nos evangelhos sinóticos e quais os personagens ai envolvidos?
(    ) Mt 17.1-13; Mc 9.2-8; Lc 9.28-36.
(    ) JESUS, Moisés, Elias, Pedro, Mateus e João.
(    ) JESUS, Moisés, Elias, Pedro, Tiago e João.
 
I. ELIAS, O MESSIAS E A TRANSFIGURAÇÃO 
4- Quais fatos põem em evidência a identidade do Messias, o Filho de DEUS, na transfiguração de JESUS?
(    ) A palavra transfigurar, que traduz o termo grego metanoia, mantém o sentido de mudança de forma, ou tipo, mas não mudança de essência.
(    ) O texto sagrado relata que tão logo subiram ao Monte, JESUS foi transfigurado diante de Pedro, João e Tiago.
(    ) Diz o texto sagrado: "o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz".
(    ) A palavra transfigurar, que traduz o termo grego metamorfose, mantém o sentido de mudança de aparência, ou forma, mas não mudança de essência.
(    ) A transfiguração mostrou aos discípulos aquilo que JESUS sempre fora: o verbo divino encarnado.
(    ) Os discípulos observaram que o seu rosto brilhou como o sol.
(    ) O texto revela também que suas vestes resplandeceram.
 
5- Qual relação existe entre a glória divina e a transfiguração de JESUS?
(    ) Mateus detalha que durante a transfiguração "uma nuvem luminosa os cobriu".
(    ) É relevante o fato de que Mateus, ao escrever o evangelho aos hebreus, põe em evidência o fato de que JESUS é o Messias anunciado no Antigo Testamento.
(    ) Isso pode ser visto na manifestação da nuvem luminosa, que está relacionada com a manifestação da presença de DEUS.
(    ) Tanto Moisés como Elias e Elizeu, quando estiveram no Horebe, presenciaram a manifestação dessa luz.
(    ) Tanto Moisés como Elias, quando estiveram no Sinai, presenciaram a manifestação dessa glória.
(    ) Todavia, não como os discípulos a vivenciaram no Monte da Transfiguração.
 
II. ELIAS, O MESSIAS E A RESTAURAÇÃO  
6- Qual a tipologia existente no evento da transfiguração, onde o texto destaca os nomes de Moisés e Elias (Mt 17.3)?
(    ) Para a Igreja Cristã, Moisés prefigura a Lei enquanto Elias, os profetas.
(    ) Para a Igreja Cristã, Moisés representa os mortos e transformados enquanto Elias, os arrebatados e JESUS a graça de DEUS.
(    ) É perceptível, nessa passagem, que Moisés aparece como figura tipológica.
(    ) Mateus põe em evidência o pronunciamento do próprio DEUS: "Escutai-o".
(    ) Mateus põe em evidência o pronunciamento do próprio DEUS: "Obedecei-o".
(    ) E Moisés havia dito exatamente estas palavras quando se referia ao Profeta que viria depois dele: "O SENHOR, teu DEUS, te despertará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis".
(    ) A transfiguração revela que Moisés tem seu tipo revelado em JESUS de Nazaré e que toda a Lei apontava para Ele. 
 
7- Enquanto Moisés ocupa um papel tipológico no evento da transfiguração, Elias aparece em um contexto escatológico. Por que?
(    ) O texto de Malaquias 4.5,6 apresenta Elias como o preletor do Messias.
(    ) O texto de Malaquias 4.5,6 apresenta Elias como o precursor do Messias.
(    ) O Novo Testamento aplica a João Batista o cumprimento dessa Escritura: "E irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos e os rebeldes, à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto".
(    ) Assim como Elias, João foi um profeta de confronto, ousado e rejeitado.
(    ) A presença do Batista, o Elias que havia de vir, era uma clara demonstração da morte de JESUS.
(    ) A presença do Batista, o Elias que havia de vir, era uma clara demonstração da messianidade de JESUS.
 
III. ELIAS, O MESSIAS E A REJEIÇÃO 
8- O relato de Mateus sugere que os escribas não reconheceram a JESUS como o Messias, porque faltava um sinal que para eles era determinante - o aparecimento de Elias antes da manifestação do Messias (Mt 17.10). Como JESUS poderia ser o Messias se Elias ainda não havia vindo?
(    ) Elias veio agora na Transfiguração e os discípulos testificavam isso.
(    ) Tanto os rabinos como o povo comum sabiam que antes do advento do Messias, Elias haveria de aparecer.
(    ) JESUS revela então que nenhum evento no programa profético deixara de ter o seu cumprimento.
(    ) Elias já viera e os fatos demonstravam isso.
(    ) Elias havia sido um profeta do deserto, João também o foi; Elias pregou em um período de transição, João prega na transição entre as duas alianças; Elias confrontou reis, João da mesma forma.
(    ) Mais uma vez fica claro: João era o Elias que havia de vir e JESUS era o Messias.
 
9- JESUS é o Messias rejeitado. Em qual contexto está inserida sua transfiguração?
(    ) O texto de Mateus 16.1-8, que narra o episódio da transfiguração, inicia-se com a sentença: "Sete dias depois".
(    ) O texto de Mateus 17.1-8, que narra o episódio da transfiguração, inicia-se com a sentença: "Seis dias depois".
(    ) O texto coloca a transfiguração num contexto onde uma sequência de fatos deve ser observada.
(    ) Os eruditos ressaltam que "seis dias" é uma outra forma de dizer: "uma semana depois".
(    ) De fato, o texto paralelo de Lucas fala de "quase oito dias", isto é, uma semana depois.
(    ) O texto, portanto, põe o evento no contexto da confissão de Pedroe no discurso de JESUS sobre a necessidade de se tomar a cruz.
(    ) O Messias revelado, portanto, em nada se assemelhava ao herói da crença popular. Pelo contrário, a sua mensagem, assim como a do Batista, não agradaria a muita gente e provocaria rejeição. 
 
IV. ELIAS, O MESSIAS E A EXALTAÇÃO 
10- Por que a preocupação dos discípulos sobre a relação do aparecimento de Elias e a manifestação do Messias?
(    ) Esse fato é demonstrado na pergunta que eles fazem logo após descer o monte da transfiguração.
(    ) Como D. A. Carson observa, o fato é que a profecia referente a Elias falava de "restaurar todas as coisas" e os discípulos não entendiam como o Messias tão esperado pudesse morrer em um contexto de restauração.
(    ) CRISTO corrige esse equivoco, mostrando que a transfiguração faz parte do plano divino para restaurar todas as coisas.
(    ) CRISTO corrige esse equivoco, mostrando que a cruz faz parte do plano divino para restaurar todas as coisas.
 
11- Quanto à exaltação da transfiguração de CRISTO, complete:
Muito tempo depois, o apóstolo Pedro ainda lembra dos fatos ocorridos e os cita em relação à exaltação e _____________________________ de JESUS e, também, como prova da veracidade da _____________________________ da cruz: "Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor JESUS CRISTO, seguindo _______________________________ artificialmente compostas, mas nós mesmos vimos a sua ___________________________________, porquanto ele recebeu de DEUS Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho ________________________________" (2 Pe 1.16,17).  
 
CONCLUSÃO 
12- Complete:
Vimos, pois, que os eventos ocorridos durante a ___________________________________ servem para demonstrar que JESUS era de fato o Messias esperado. Tanto a Lei, tipificada aqui em ______________________, como os _________________________________, representado no texto pela figura de Elias, apontavam para a revelação máxima de DEUS - o CRISTO JESUS. Essas personagens tão importantes no contexto bíblico não possuem glória própria, mas irradiam a glória proveniente do Filho de DEUS. Ele, sim, é o centro das ___________________________________, do Universo e de todas as coisas (Cl 1.18,19; Hb 1.3; Fl 2.10,11).
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm 
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
SOARES, Esequias. O Ministério Profético na Bíblia: A voz de DEUS na Terra. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010.
SOARES, Esequias. Visão Panorâmica do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.
ZUCK, Roy B (Ed.). Teologia do Antigo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009. 
William Macdonald - Comentário Bíblico popular (Antigo Testamento).
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.
O Novo Dicionário da Bíblia - J.D.DOUGLAS.
Comentário Bíblico NVI - EDITORA VIDA.
Revista Ensinador Cristão - nº 52 - CPAD.
Comentário Bíblico Beacon, v.5 - CPAD.
GARNER, Paul. Quem é quem na Bíblia Sagrada. VIDA
ELISSEN, Stanley. Conheça melhor o Antigo Testamento. VIDA.
CHAMPLIN, R.N. O Novo Testamento Interpretado versículo por Versículo. HAGNOS.
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD
101 PERGUNTAS QUE AS PESSOAS MAIS FAZEM SOBRE JESUS - JUERP - Don Stewart
AS GRANDES DEFESAS DO CRISTIANISMO - CPAD - Jéfferson Magno Costa
O NOVO DICIONÁRIO DA BÍBLIA – Edições Vida Nova – J. D. Douglas
A

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

LIÇÃO 8, O LEGADO DE ELIAS




LIÇÃO 8, O LEGADO DE ELIAS
LIÇÕES BÍBLICAS - 1º Trimestre de 2013 - CPAD - Para jovens e adultos
Tema: Elias e Eliseu um Ministério de Poder para toda a Igreja.
Comentário: Pr. José Gonçalves
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva

NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO

http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  

 
 
TEXTO ÁUREO
"E disse Josafá: Não há aqui algum profeta do Senhor, para que consultemos ao Senhor por ele? Então, respondeu um dos servos do rei de Israel e disse: Aqui está Eliseu, filho de Safate, que deitava água sobre as mãos de Elias" (2 Rs 3.11).
 
 
VERDADE PRÁTICA
Através do ministério de Eliseu aprendemos que os grandes homens foram aqueles que aprenderam a servir.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - 1 Rs 19.16 A origem da chamada    -   Terça - 1 Rs 19.20 A exclusividade da chamada
Quarta - 1 Rs 19.21 O custo da chamada    -  Quinta - 2 Rs 2.14 A autoridade da chamada
Sexta - 2 Rs 3.13,14 Os inimigos da chamada   -Sábado - 2 Rs 2.15 Os resultados da chamada
 
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE- 1 Reis 19.16,17,19-21
16 Também a Jeú, filho de Ninsi, ungirás rei de Israel e também Eliseu, filho de Safate, de Abel-Meolá, ungirás profeta em teu lugar. 17 E há de ser que o que escapar da espada de Hazael, matá-lo-á Jeú; e o que escapar da espada de Jeú, matá-lo-á Eliseu. 18 Também eu fiz ficar em Israel sete mil: todos os joelhos que se não dobraram a Baal, e toda boca que o não beijou.
19 Partiu, pois, Elias dali e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele; e ele estava com a duodécima. Elias passou por ele e lançou a sua capa sobre ele. 20 Então, deixou ele os bois, e correu após Elias, e disse: Deixa-me beijar a meu pai e a minha mãe e, então, te seguirei. E ele lhe disse: Vai e volta; porque que te tenho eu feito? 21 Voltou, pois, de atrás dele, e tomou uma junta de bois, e os matou, e, com os aparelhos dos bois, cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram. Então, se levantou, e seguiu a Elias, e o servia.
 

Em 1 Rs 19.16 A ELISEU... UNGIRÁS PROFETA. DEUS mandou Elias ungir Eliseu como seu sucessor. Note que não somente sacerdotes e reis eram ungidos para seus respectivos cargos, mas também profetas, Eliseu iria (1) auxiliar Elias, (2) auxiliar Hazael, rei da Síria, e Jeú, rei de Israel, a derrotar os inimigos de DEUS (vv. 16,17), e (3) proclamar a palavra de DEUS ao remanescente fiel (v. 18). Os ministérios de Elias e Eliseu abrangeram um período de 75 anos (875-800 a.C., durante os reinados de Acabe, Acazias, Jorão, Jeú, Jeoacaz e Jeoás). Eliseu foi um fiel servidor do profeta ancião e ficou conhecido como aquele "que deitava água sobre as mãos de Elias" (2 Rs 3.11)
Em 1 Rs 19.18 EM ISRAEL SETE MIL. Os sete mil de Israel, que não dobraram os joelhos a Baal, são parte dos fiéis sofredores, em todas as gerações, livres de apostasia, de transigência com o erro e de mundanismo entre o povo de DEUS, e que perseveram no amor, na fé e na obediência a DEUS e à sua Palavra. São os que fogem dos maus caminhos do mundo, que lavaram as suas vestes e as embranqueceram no sangue do Cordeiro (Ap 7.14), que são perseguidos por amor à justiça (Mt 5.10) e que permanecem firmemente no caminho estreito (Mt 7.14). Do começo ao fim das Escrituras, é o remanescente fiel e vencedor que é conhecido pelo Senhor (2 Tm 2.19). DEUS promete guardar esse remanescente leal, pelo seu poder, através da fé (1 Pe 1.5), e o Cordeiro os conduzirá ao lar celestial (Ap 7.17)
sucessor (http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=sucessor)
adj (lat successore) 1 Que sucede a outrem. 2 Que herda. 3 Que tem a mesma dignidade ou os mesmos predicados que outrem teve.

Elias vai ao Monte Horebe ou Monte Sinai, anda 40 dias e 40 noites de Berseba até lá, cerca de 400 km, na força da comida que um anjo havia lhe dado (1 Rs 19.8).
Note que quem envia Elias para lá é o próprio DEUS, aquele monte era lugar de encontro com DEUS, era lugar de manifestação de DEUS com fogo (Elias estava bem familiarizado com esse tipo de manifestação de DEUS com fogo).
Ali naquele monte, Elias se refugia numa caverna - Em 1 Rs 11 DEUS ordena a Elias para sair da caverna para que ELE lhe fale.
DEUS fala com Elias e lhe revela várias coisas que ele precisava saber e realizar antes de subir para DEUS.
DEUS lhe revela a existência de sete mil fiéis que não se dobraram diante de Baal e nem beijaram sua imagem (incluindo ai, cremos, Eliseu, Obadias, os cem profetas escondidos por Obadias, os filhos dos profetas que foram assassinados por Jezabel, Jeú e seus liderados).
Deveria ungir como rei da Síria a Hazael, como rei de Israel a Jeú e como profeta em seu lugar a Eliseu, filho de Safate que habitava em Abel-Meolá, pequena cidade a leste de Samaria e próxima ao Rio Jordão.
Eliseu além de profeta seria um soldado de DEUS, matando os infiéis que escapassem da espada de Hazael e de Jeú. O homem que arava terra com juntas de bois agora seria capacitado por DEUS para ser profeta e soldado.
DEUS só chama ocupados, mas ocupados que desejam servir a DEUS.
DEUS tem planos para nós mesmo antes de sabermos ou sonharmos com isso.
Quando Elias acha Eliseu este estava arando a terra com sua última junta de bois que no total eram doze. Era finalzinho de dia de trabalho árduo.
Na época do ministério de JESUS um jovem que disse querer segui-Lo pediu para voltar a sepultar seu pai antes de O seguir - JESUS lhe respondeu: Deixa os mortos sepultarem seus mortos, mas tu vem e segue-me.
Aqui no episódio de Elias e Eliseu, vemos que é permitido a Eliseu voltar e beijar seus pais, pois eles estavam vivos e Eliseu precisava se despedir deles e lhes comunicar que estava deixando tudo para ser profeta de DEUS.
Eliseu, antes de empreender sua jornada profética mata os dois bois que usava por último na hora de sua chamada e oferece uma festa de despedida aos seus companheiros de trabalho passado. O fogo foi feito com a aparelhagem do arado. Eliseu estava queimando tudo que o prendia ao passado na hora de seu chamado. Era uma aliança sem volta. Era morrer para o passado e nascer para DEUS e sua obra.
Esse homem não frequentava a escola de profetas e não era soldado do exército, mas um fazendeiro. DEUS pega um nada e transforma em um homem cheio de poder e autoridade - DEUS pega o fraco para confundir os fortes ...
Eliseu passa a servir a Elias e é conhecido a partir dai como "aquele que deitava água às mãos de Elias". (2 Reis 3:11).
Elias tinha um longo discipulado pela frente com Eliseu que de soldado e de profeta nada entendia. Esse discipulado deve ter durado por volta de sete anos. Dois anos de guerra de Acabe com Ben-Hadade, rei da Síria, depois vem o episódio da vinha de Nabote, depois três anos de paz e nova guerra, depois mais dois anos de reinado de Acazias filho de Acabe como rei de Israel, só depois Elias seria separado de Eliseu por um carro de fogo e partiu para DEUS em um redemoinho.
Vem a ordem de DEUS para Elias cercar aos emissários do rei Acazias que iam de encontro aos sacerdotes de Baal para saberem se ele sararia de uma enfermidade em seus pés e DEUS diz a Elias para mandar dizer que o rei morreria, pois consultava a Baal-Zebube, deus de Ecrom (2 Reis 1:3) ao invés de consultarem ao verdadeiro DEUS de Israel.
Depois vem o episódio dos soldados de Acazias sendo queimados por fogo que desceu de DEUS. Elias vai ao rei e lhe comunica sua morte. Jorão começou a reinar no seu lugar (2 Reis 1:17).
É agora nessa época que Elias vai ser assunto ao céu.
No discipulado de Elias para com Eliseu, Elias visita várias cidades e locais, sempre seguido de perto por seu aprendiz e substituto, Eliseu. dentre esses locais destacam-se Gilgal, Betel, Jericó e o Rio Jordão.
 
Eliseu agora se tornaria professor na escola de profetas, precisava de treinamento. Elias parte com Eliseu de Abel-Meolá para Gilgal.

Gilgal (círculo de fogo, aliança) era local de circuncisão, de páscoa, de aliança, de santificação, de derramar água perante ao Senhor (adoração), lugar de sacrifício, lugar de compromisso.
A primeira etapa do discipulado era Aliança - significa morrer para o mundo e para o pecado. Compromisso com DEUS.

Existe uma grande diferença entre "Estar envolvido com DEUS" e estar "Comprometido com DEUS"
Exemplo bem simples para compreendermos é o Eggs x bacon (Hamburguer, bacon, ovo, presunto, queijo e salada).
Veja que a galinha está envolvida no lanche pois ela deu o ovo, não precisou morrer para colaborar, para se envolver.
O porco deu o bacon, está comprometido no lanche, pois precisou morrer para dar o bacon.

ELISEU PRECISAVA FAZER ALIANÇA COM DEUS.

Em Gilgal Elias diz a Eliseu:
E disse Elias a Eliseu: Fica-te aqui, porque o SENHOR me enviou a Betel. Porém Eliseu disse: Vive o SENHOR, e vive a tua alma, que não te deixarei. E assim foram a Betel.
 
Betel (casa de DEUS) era local de aprender sobre relacionamentos horizontais - Saber viver em meio ao povo de DEUS é um desafio vencido por poucos.
Na casa de DEUS tem mal-pagador, mentiroso, adúltero, prostituto, invejoso, fofoqueiro, etc... - todos sendo regenerados, limpos, tratados por DEUS, recuperados, transformados. Alguns conseguem mudar mais rápido, outros levam a vida toda e ainda outros nunca conseguem.
Olhando de fora enxerga-se um presídio de segurança máxima - ex-ladrão, ex-assassino, ex-prostituta, ex-pedófilo, ex-drogado, etc... - Todos lavados e purificados no sangue de JESUS e agora libertos, mas com um passado para ser deixado de lado. Aqui é exigido muito perdão, muita misericórdia, muita paciência e principalmente, muito amor.
 
ELISEU PRECISAVA FAZER ALIANÇA COM O POVO DE DEUS.
 
Em Betel Elias diz a Eliseu:
E Elias lhe disse: Eliseu, fica-te aqui, porque o SENHOR me enviou a Jericó. Porém ele disse: Vive o SENHOR, e vive a tua alma, que não te deixarei. E assim foram a Jericó. 2 Reis 2:4
 
 
ELISEU
PROFETA Filho de Safat e natural de Abel-Meúla, era discípulo do Profeta Elias. Com o arrebatamento de Elias aos céus, Eliseu herdou os seus dons e tornou-se figura destacada e respeitada pelos populares e pelos líderes hebreus.
SINAI O Deserto do Sinai, também chamado de Horebe, localiza-se a oeste do Golfo de Acaba (no Mar Vermelho) e ao sul do Deserto de Sur. Nele, situa-se o Monte Sinai onde Moisés recebeu as Tábuas da Lei.
 
 
INTERAÇÃO
A lição de hoje tem como objetivo refletir acerca do legado de Elias. Aprendemos com este profeta que os homens de DEUS bem-sucedidos em seus ministérios são aqueles que têm o coração disposto a servir. Elias serviu a DEUS com integridade e foi um modelo para o seu sucessor, Eliseu. Sabemos que nesta vida tudo tem o seu tempo, por isso, chegou o dia em que o ministério de Elias encerrou-se. Todavia, ele, como profeta do Senhor, não foi pego de surpresa. Como um líder fiel e íntegro diante do Pai Celeste, teve o cuidado de seguir a orientação divina na escolha do seu sucessor.
 
OBJETIVOS - Após a aula, o aluno deverá estar apto a:
Reconhecer o caráter divino da vocação e chamada de Elias. 
Detalhar os princípios da exclusividade, autoridade da vocação e a chamada de Elias.
Compreender como se deu a sucessão e o discipulado de Eliseu.
 
QUESTÕES PARA O ESTUDO DIRIGIDO
O LEGADO DE ELIAS
1. “Qual o significado de lançar a capa sobre Eliseu (1 Rs 19.19)?”
2. “Por que Eliseu matou seus bois (2 Rs 19.20)?” “Qual o significado desse gesto?”
3. “Como se deu a chamada de Elias e o término do seu ministério?”
 
RESUMO DA LIÇÃO 8, O LEGADO DE ELIAS
I. O LONGO PERCURSO DE ELIAS
1. Uma volta às origens.
2. Uma revelação transformadora.
II. ELIAS NA CASA  DE ELISEU
1. A exclusividade da chamada.
2. A autoridade da chamada.
III. ELIAS E O DISCIPULADO DE ELISEU
1. As virtudes de Eliseu.
2. A nobreza de um pedido.
IV. O LEGADO DE ELIAS
1. Espiritual.
2. Moral.

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I- Subsídio Bibliográfico
“Eliseu, o sucessor
Poucos 'substitutos' nas Escrituras foram tão eficientes quanto Eliseu que foi o sucessor de Elias como profeta de DEUS para Israel. Mas Eliseu teve o profeta Elias como um grande exemplo a ser seguido. Ele permaneceu com Elias até os últimos momentos da vida do seu mestre na terra.  Estava disposto a seguir e aprender a fim de receber poder para fazer o trabalho o qual DEUS o havia chamado.
Tanto Elias como Eliseu concentraram seus esforços nas necessidades do povo que estava ao seu redor. O impetuoso Elias confrontou e expôs a idolatria, ajudando a criar uma atmosfera onde o povo pudesse adorar a DEUS livre e publicamente. Eliseu então agiu com a finalidade de demonstrar a poderosa natureza de DEUS, ainda que cuidadosa, para todos aqueles que vieram a ele em busca de ajuda. Ele passou mais tempo cuidando compassivamente do povo do que em conflitos contra o mal. A Bíblia registra 18 encontros entre Eliseu e as pessoas necessitadas. Eliseu teve uma visão mais ampla e de maior alcance na vida do que a maioria das pessoas, porque reconheceu que em DEUS havia mais bênçãos a favor da vida. Ele sabia que tudo o que somos e temos vem de DEUS" (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, p. 516).
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
MERRILL, Eugene H. História de Israel no Antigo Testamento: O reino de sacerdotes que DEUS colocou entre as nações. 6. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.      
SAIBA MAIS- Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 53, p.40.
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
SOARES, Esequias. O Ministério Profético na Bíblia: A voz de DEUS na Terra. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010.
SOARES, Esequias. Visão Panorâmica do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.
ZUCK, Roy B (Ed.). Teologia do Antigo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009. 
William Macdonald - Comentário Bíblico popular (Antigo Testamento).
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.
O Novo Dicionário da Bíblia - J.D.DOUGLAS.
Comentário Bíblico NVI - EDITORA VIDA.
Revista Ensinador Cristão - nº 52 - CPAD.
Comentário Bíblico Beacon, v.5 - CPAD.
GARNER, Paul. Quem é quem na Bíblia Sagrada. VIDA
ELISSEN, Stanley. Conheça melhor o Antigo Testamento. VIDA.
CHAMPLIN, R.N. O Novo Testamento Interpretado versículo por Versículo. HAGNOS.
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD