terça-feira, 28 de maio de 2013

LIÇÃO 9, HABACUQUE, A SOBERANIA DIVINA SOBRE AS NAÇÕES 



LIÇÃO 9, A FAMÍLIA E A SEXUALIDADE (PRONTA SÓ NA QUINTA-FEIRA A NOITE)
LIÇÕES BÍBLICAS - 2º Trimestre de 2013 - CPAD - Para jovens e adultosTema: A FAMÍLIA CRISTÃ NO SÉCULO 21 - Protegendo seu lar dos ataques do inimigo.Comentário: Pr. Elinaldo Renovato de LimaComplementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida SilvaQUESTIONÁRIONÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃOhttp://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  

TEXTO ÁUREO "E criou DEUS o homem à sua imagem; à imagem de DEUS o criou; macho e fêmea os criou" (Gn 1.27). 

VERDADE PRÁTICA Apesar da grotesca e abominável exploração sexual que vitima o mundo atual, não podemos esquecer-nos dos princípios bíblicos que regem o relacionamento entre os sexos.

LEITURA DIÁRIASegunda - 1 Pe 1.15 - Santos em toda a maneira de viver.Terça - 1 Ts 3.13 - Irrepreensíveis em santidade.3.13 IRREPREENSÍVEIS EM SANTIDADE... NA VINDA DE NOSSO SENHOR. Paulo freqüentemente orava pensando na volta de CRISTO (cf. Fp 1.10). Considerava que seria uma tragédia se, na volta do Senhor, alguns da igreja fossem surpreendidos vivendo em pecado ou indiferentes. JESUS salientou esse mesmo interesse (Mt 24.42-51; 25.1-13). À luz da volta de CRISTO, o padrão bíblico é estarmos "irrepreensíveis em santidade". Devemos ser sincera e totalmente dedicados ao Senhor e separados de tudo quanto o ofende. O termo "com todos os seus santos" se refere aos crentes fiéis que já morreram, e que agora estão com o Senhor no céu.Quarta - Is 5.20 - DEUS condena a inversão de valores.5.20 AO MAL CHAMAM BEM. É comum a sociedade exaltar o pecado, chamando a depravação de força varonil, de virtude autêntica e de liberdade elogiável. Ao mesmo tempo a sociedade opõe-se à retidão, tachando-a de maléfica. Dois exemplos conhecidos, a respeito do assunto em pauta.(1) A perversão sexual (i.e., do homossexualismo e do lesbianismo), a sociedade considera um modo de vida alternativo legítimo, que deve ter aceitação pública, enquanto os que condenam tal conduta, por observarem as normas bíblicas da moralidade sexual são chamados de intolerantes e defensores de um preconceito opressor (ver o estudo PADRÕES DE MORALIDADE SEXUAL).(2) Os defensores do aborto, a sociedade os chama de pessoas sensíveis , dedicadas com afinco aos direitos da mulher, ao passo que os defensores da vida, a mesma sociedade os chama de extremistas ou fanáticos religiosos . Quanto ao crente, este deve, em todo tempo, manter-se fielmente e de todo coração, dentro dos padrões divinos do bem e do mal, conforme nos revela a Palavra de DEUS escrita.Quinta - Gn 2.22-24 - DEUS criou dois sexos: masculino e feminino.2.24 DEIXARÁ O VARÃO O SEU PAI E A SUA MÃE. Desde o princípio, DEUS estabeleceu o casamento e a família que dele surge, como a primeira e a mais importante instituição humana na terra (ver 1.28). A prescrição divina para o casamento é um só homem e uma só mulher, os quais tornam-se uma só carne (i.e., unidos em corpo e alma). Este ensino divino exclui o adultério, a poligamia, a homossexualidade, a fornicação e o divórcio (Mc 10.7-9; ver Mt 19.9).Sexta - Gn 2.24 - Intimidade só após o casamento.Sábado - Hb 13.4 - Leito sem mácula.13.4 VENERADO SEJA... O MATRIMÔNIO. DEUS tem elevados padrões para seu povo, quanto ao casamento e à sexualidade. Para um tratamento desse importante assunto, ver o estudo PADRÕES DE MORALIDADE SEXUAL 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE- 1 Tessalonicenses 4.3-5; 5.23; 1 Pedro 1.14-161 Tessalonicenses 4.3-5 - 3 Porque esta é a vontade de DEUS, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição, 4 que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra, 5 não na paixão de concupiscência, como os gentios, que não conhecem a DEUS.
1 Tessalonicenses 5.23 - E o mesmo DEUS de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor JESUS CRISTO.
1 Pedro 1.14-16 - 14 como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; 15 mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, 16 porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.
4.3 ESTA É A VONTADE DE DEUS - Embora vivessem numa sociedade onde o pecado sexual era comum e aceitável, os apóstolos não transigiam com a verdade e a santidade de DEUS. Não rebaixaram os padrões morais para acomodá-los às idéias e tendências daquela sociedade. Sempre que se deparavam com baixo padrões morais em alguma igreja (cf. Ap 2.14,15,20), repreendiam-na e procuravam corrigi-la. Considerando padrões a baixa moralidade que prevalece em nossos dias, precisamos de dirigentes do tipo dos apóstolos, para conclamar a igreja a obedecer aos padrões divinos de retidão.4.3-7 QUE VOS ABSTENHAIS DA PROSTITUIÇÃO. DEUS determina para todos os crentes normas elevadas de pureza e santidade concernentes a assuntos sexuais (para um estudo deste assunto, ver o estudoPADRÕES DA MORALIDADE SEXUAL).
5.23 VOS SANTIFIQUE EM TUDO. A oração final de Paulo em favor dos crentes tessalonicenses é que sejam santificados. Para um melhor exame do assunto, ver o estudo A SANTIFICAÇÃO.

OS SERES CRIADOS SEM SEXO FORAM OS ANJOS (e nós, após a morte, não mais teremos ativa esta capacidade).Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de DEUS no céu. Mateus 22:30Porquanto, quando ressuscitarem dentre os mortos, nem casarão, nem se darão em casamento, mas serão como os anjos que estão nos céus. Marcos 12:25Mas os que forem havidos por dignos de alcançar o mundo vindouro, e a ressurreição dentre os mortos, nem hão de casar, nem ser dados em casamento; Lucas 20:35
Significado de Sexualidade - subst. f. - 1. comportamentos ligados à união entre homens e mulheres. (http://www.lexico.pt/sexualidade/)Sexualidade - A atração que o homem sente pela mulher e vice-versa (http://www.dicionarioinformal.com.br/sexualidade/)
Sexo (http://200.241.192.6/cgi-bin/houaissnetb.dll/frame)1- no Homem, conformação física, orgânica, celular, particular que permite distinguir o homem e a mulher, atribuindo-lhes um papel específico na reprodução.2- nos animais, conjunto das características corporais que diferenciam, numa espécie, os machos e as fêmeas e que lhes permitem reproduzir-se.3- nos vegetais, conjunto de características que distinguem os órgãos reprodutores femininos e masculinos.
O sexo entre o casal deve sempre ser visando o prazer sexual um do outro. A esposa visa o prazer sexual do esposo e o esposo visa o prazer sexual da esposa.
Todo sexo desnatural é pecadoQuais os principais tipos de sexo condenados pela bíblia?Homossexualismo e Lesbianismo (Levítico 18.22; Romanos 1:26-27).Sexo com animais (Levítico 18:23).Sexo entre parentes próximos (Levítico 18:6).Sexo anal (a mulher não tem prazer algum no sexo anal e doenças podem nascer dessa relação - Ânus não foi feito para entrar nada e sim para sair fezes).Sexo oral (responsável por inúmeras doenças na boca e nos lábios - boca foi feita para alimentar-se e comunicar-se e não para sexo).Adultério (incluindo intenção de adulterar, Êxodo 20:14; Mateus 5.28).Fornicação. Prostituição. Qualquer relação sexual fora do casamento.Masturbação. É Lascívia e muitas vezes adultério - Gl 5:19; Mt 5:27,28; Ninguém se masturba pensando numa cachoeira ou num pé de couve - Masturbação é egocêntrica e escravista (Rm 6:12 e 1Co 6.12).Defraudação - Defraudar significa excitar ou despertar desejos sexuais na outra pessoa, que não podem ser satisfeitos dentro da vontade de DEUS, que é o casamento. Carícias exageradas que provocarão desejos que não poderão ser satisfeitos (defraudar, 1Ts 4.6; Ef 4.19).Prostituição - Prazer em ver ou assistir cenas de sexo.Imoralidade sexual de todas as formas. Sexo fora do casamento.Pedofilia (sexo de pessoa maior de 16 anos com crianças menores do que essa idade - abuso sexual).Luxúria - Atração pelos prazeres carnais; comportamento desmedido em relação aos prazeres sexuais; lascívia (1Jo 2.16; Rm 8.4-14; Gl 5.17).Impureza (gr. akatharsia), i.e., pecados sexuais, atos pecaminosos e vícios, inclusive maus pensamentos e desejos do coração (Ef 5.3; Cl 3.5; Rm 8.4-14; Gl 5.17).Lascívia (gr. aselgeia), i.e., sensualidade. É a pessoa seguir suas próprias paixões e maus desejos a ponto de perder a vergonha e a decência (2Co 12.21; Rm 8.4-14; Gl 5.17).
O sexo bíblico só é permitido num casamento monogâmico e heterossexual.A sexualidade do ser humana foi criada por DEUS - DEUS não parou de fazer o ser humano quando chegou na parte sexual e a entregou para satanás fazer. Não, DEUS mesmo criou todo o ser humano.O assunto sexo deve ser ensinado pelos pais aos filhos e tudo deve ser desvendado aos poucos de acordo com a idade de cada um e de acordo com a maturidade de cada um.
O sexo é um dom que DEUS dá às pessoas casadas para o prazer de ambos. (http://www.jesusvoltara.com.br/info/sexo.htm)A Bíblia diz em Provérbios 5:18-19 “Seja bendito o teu manancial; e regozija-te na mulher da tua mocidade. Como corça amorosa, e graciosa cabra montês saciem-te os seus seios em todo o tempo; e pelo seu amor sê encantado perpetuamente.” A Bíblia recomenda que o romance e o dom de sexualidade sejam usados no contexto do casamento.A Bíblia diz em Hebreus 13:4 “Honrado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; pois aos devassos e adúlteros, DEUS os julgará. ”A Bíblia diz em 1 Coríntios 7:3-4 “O marido pague à mulher o que lhe é devido, e do mesmo modo a mulher ao marido. A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido; e também da mesma sorte o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher.” DEUS criou o sexo como parte do casamento.A Bíblia diz em 1 Coríntios 7:5 “Não vos negueis um ao outro, senão de comum acordo por algum tempo, a fim de vos aplicardes à oração e depois vos juntardes outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.” Para que não causemos danos a nós mesmos, os desejos e as atividades sexuais devem ser mantidas sob o controle de CRISTO.A Bíblia diz em 1 Tessalonicenses 4:3-5 “Porque esta é a vontade de DEUS, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santidade e honra, não na paixão da concupiscência, como os gentios que não conhecem a DEUS.” O sétimo mandamento proíbe o adultério.A Bíblia diz em Êxodo 20:14 “Não adulterarás.” A Bíblia diz em Mateus 5.28 - "Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela".O pecado sexual é destrutivo mesmo que não se vejam as conseqüências imediatamente.A Bíblia diz em 1 Coríntios 6:18 “Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo.” Como começa o pecado sexual?A Bíblia diz em Mateus 5:28 “Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.” A Bíblia condena o comportamento homossexual.A Bíblia diz em Levítico 18.22 "Com homem não te deitarás como se fosse mulher; abominação é".A Bíblia diz em Romanos 1:26-27 “Pelo que DEUS os entregou a paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza; semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro.” A Bíblia proíbe o incesto.A Bíblia diz em Levítico 18:6 “Nenhum de vós se chegará àquela que lhe é próxima por sangue, para descobrir a sua nudez. Eu sou o Senhor.” A Bíblia proíbe a bestialidade.A Bíblia diz em Levítico 18:23 “Nem te deitarás com animal algum, contaminando-te com ele; nem a mulher se porá perante um animal, para ajuntar-se com ele; é confusão.” A Bíblia proíbe relações sexuais com uma prostituta.A Bíblia diz em 1 Coríntios 6:15-17 “Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de CRISTO? Tomarei pois os membros de CRISTO, e os farei membros de uma meretriz? De modo nenhum. Ou não sabeis que o que se une à meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque, como foi dito, os dois serão uma só carne. Mas, o que se une ao Senhor é um só espírito com ele."
A SANTIFICAÇÃO1Pe 1.2 “Eleitos segundo a presciência de DEUS Pai, em santificação do ESPÍRITO, para a obediência e aspersão do sangue de JESUS CRISTO: graça e paz vos sejam multiplicadas”.
Santificação (gr. hagiasmos) significa “tornar santo”, “consagrar”, “separar do mundo” e “apartar-se do pecado”, a fim de termos ampla comunhão com DEUS e servi-lo com alegria (ver também o estudo A SEPARAÇÃO ESPIRITUAL DO CRENTE).(1) Além do termo “santificar” (cf. 1Ts 5.23), o padrão bíblico da santificação é expresso em termos tais como “Amarás o Senhor, teu DEUS, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento” (Mt 22.37), “irrepreensíveis em santidade” (1Ts 3.13), “aperfeiçoando a santificação” (2Co 7.1), “a caridade de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida” (1Tm 1.5), “sinceros e sem escândalo algum” (Fp 1.10), “libertados do pecado” (Rm 6.18), “mortos para o pecado” (Rm 6.2), “para servirem à justiça para santificação” (Rm 6.19), “guardamos os seus mandamentos” (1Jo 3.22) e “vence o mundo” (1Jo 5.4). Tais termos descrevem a operação do ESPÍRITO SANTO mediante a salvação em CRISTO, pela qual Ele nos liberta da escravidão e do poder do pecado (Rm 6.1-14), nos separa das práticas pecaminosas deste mundo atual, renova a nossa natureza segundo a imagem de CRISTO, produz em nós o fruto do ESPÍRITO e nos capacita a viver uma vida santa e vitoriosa de dedicação a DEUS (Jo 17.15-19,23; Rm 6.5, 13, 16, 19; 12.1; Gl 5.16, 22,23; ver 2Co 5.17).(2) Esses termos não subentendem uma perfeição absoluta, mas a retidão moral de um caráter imaculado, demonstrada na pureza do crente diante de DEUS, na obediência à sua lei e na inculpabilidade desse crente diante do mundo (Fp 2.14,15; Cl 1.22; 1Ts 2.10; cf. Lc 1.6). O cristão, pela graça que DEUS lhe deu, morreu com CRISTO e foi liberto do poder e domínio do pecado (Rm 6.18); por isso, não precisa nem deve pecar, e sim obter a necessária vitória no seu Salvador, JESUS CRISTO. Mediante o ESPÍRITO SANTO, temos a capacidade para não pecar (1Jo 3.6), embora nunca cheguemos à condição de estarmos livres da tentação e da possibilidade do pecado.(3) A santificação no AT foi a vontade manifesta de DEUS para os israelitas; eles tinham o dever de levar uma vida santificada, separada da maneira de viver dos povos à sua volta (ver Êx 19.6; Lv 11.44; 19.2; 2Cr 29.5). De igual modo a santificação é um requisito para todo crente em CRISTO. As Escrituras declaram que sem santificação ninguém verá o Senhor (Hb 12.14). (4) Os filhos de DEUS são santificados mediante a fé (At 26.18), pela união com CRISTO na sua morte e ressurreição (Jo 15.4-10; Rm 6.1-11; 1 Co 130), pelo sangue de CRISTO (1Jo 1.7-9), pela Palavra (Jo 17.17) e pelo poder regenerador e santificador do ESPÍRITO SANTO no seu coração (Jr 31.31-34; Rm 8.13; 1Co 6.11; 1Pe 1.2; 2Ts 2.13).(5) A santificação é uma obra de DEUS, com a cooperação do seu povo (Fp 2.12,13; 2Co 7.1). Para cumprir a vontade de DEUS quanto à santificação, o crente deve participar da obra santificadora do ESPÍRITO SANTO, ao cessar de praticar o mal (Is 1.16), ao se purificar “de toda imundícia da carne e do espírito” (2Co 7.1; cf. Rm 6.12; Gl 5.16-25) e ao se guardar da corrupção do mundo (Tg 1.27; cf. Rm 6.13,19; 8.13; Ef 4.31; 5.18; Tg 4.8).(6) A verdadeira santificação requer que o crente mantenha profunda comunhão com CRISTO (ver Jo 15.4), mantenha comunhão com os crentes (Ef 4.15,16), dedique-se à oração (Mt 6.5-13; Cl 4.2), obedeça à Palavra de DEUS (Jo 17.17), tenha consciência da presença e dos cuidados de DEUS (Mt 6.25-34), ame a justiça e odeie a iniqüidade (Hb 1.9), mortifique o pecado (Rm 6), submeta-se à disciplina de DEUS (Hb 12.5-11), continue em obediência e seja cheio do ESPÍRITO SANTO (Rm 8.14; Ef 5.18).(7) Segundo o NT, a santificação não é descrita como um processo lento, de abandonar o pecado pouco a pouco. Pelo contrário, é apresentada como um ato definitivo mediante o qual, o crente, pela graça, é liberto da escravidão de Satanás e rompe totalmente com o pecado a fim de viver para DEUS (Rm 6.18; 2Co 5.17; Ef 2.4,6; Cl 3.1-3). Ao mesmo tempo, no entanto, a santificação é descrita como um processo vitalício mediante o qual continuamos a mortificar os desejos pecaminosos da carne (Rm 8.1-17), somos progressivamente transformados pelo ESPÍRITO à semelhança de CRISTO (2Co 3.18) crescemos na graça (2Pe 3.18), e devotamos maior amor a DEUS e ao próximo (Mt 22.37-39; 1Jo 4.10-12, 17-21).(8) A santificação pode significar uma outra experiência específica e decisiva, à parte da salvação inicial. O crente pode receber de DEUS uma clara revelação da sua santidade, bem como a convicção de que DEUS o está chamando para separar-se ainda mais do pecado e do mundo e a andar ainda mais perto dEle (2Co 6.16-18). Com essa certeza, o crente se apresenta a DEUS como sacrifício vivo e santo e recebe da parte do ESPÍRITO SANTO graça, pureza, poder e vitória para viver uma vida santa e agradável a DEUS (Rm 12.1,2; 6.19-22).
PADRÕES DE MORALIDADE SEXUALHb 13.4 “Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém aos que se dão à prostituição e aos adúlteros DEUS os julgará”.
O crente, antes de mais nada, precisa ser moral e sexualmente puro (cf. 2Co 11.2; Tt 2.5; 1Pe 3.2). A palavra “puro” (gr. hagnos ou amiantos) significa livre de toda mácula da lascívia. O termo refere-se a abstenção de todos os atos e pensamentos que incitam desejos incompatíveis com a virgindade e a castidade ou com os votos matrimoniais da pessoa. Refere-se, também, ao domínio próprio e a abstenção de qualquer atividade sexual que contamina a pureza da pessoa diante de DEUS. Isso abrange o controle do corpo “em santificação e honra” (1Ts 4.4) e não em “concupiscência” (4.5). Este ensino das Escrituras é tanto para os solteiros, como para os casados. No tocante ao ensino bíblico sobre a moral sexual, vejamos o seguinte:(1) A intimidade sexual é limitada ao matrimônio. Somente nesta condição ela é aceita e abençoada por DEUS (ver Gn 2.24; Ct 2.7; 4.12). Mediante o casamento, marido e mulher tornam-se uma só carne, segundo a vontade de DEUS. Os prazeres físicos e emocionais normais, decorrentes do relacionamento conjugal fiel, são ordenados por DEUS e por Ele honrados.(2) O adultério, a fornicação, o homossexualismo, os desejos impuros e as paixões degradantes são pecados graves aos olhos de DEUS por serem transgressões da lei do amor (Êx 20.14) e profanação do relacionamento conjugal. Tais pecados são severamente condenados nas Escrituras (ver Pv 5.3) e colocam o culpado fora do reino de DEUS (Rm 1.24-32; 1Co 6.9,10; Gl 5.19-21).(3) A imoralidade e a impureza sexual não somente incluem o ato sexual ilícito, mas também qualquer prática sexual com outra pessoa que não seja seu cônjuge. Há quem ensine, em nossos dias, que qualquer intimidade sexual entre jovens e adultos solteiros, tendo eles mútuo “compromisso”, é aceitável, uma vez que não haja ato sexual completo. Tal ensino peca contra a santidade de DEUS e o padrão bíblico da pureza. DEUS proíbe, explicitamente, “descobrir a nudez” ou “ver a nudez” de qualquer pessoa a não ser entre marido e mulher legalmente casados (Lv 18.6-30; 20.11, 17, 19-21; ver 18.6).(4) O crente deve ter autocontrole e abster-se de toda e qualquer prática sexual antes do casamento. Justificar intimidade premarital em nome de CRISTO, simplesmente com base num “compromisso” real ou imaginário, é transigir abertamente com os padrões santos de DEUS. É igualar-se aos modos impuros do mundo e querer deste modo justificar a imoralidade. Depois do casamento, a vida íntima deve limitar-se ao cônjuge. A Bíblia cita a temperança como um aspecto do fruto do ESPÍRITO, no crente, i.e., a conduta positiva e pura, contrastando com tudo que representa prazer sexual imoral como libidinagem, fornicação, adultério e impureza. Nossa dedicação à vontade de DEUS, pela fé, abre o caminho para recebermos a bênção do domínio próprio: “temperança” (Gl 5.22-24).(5) Termos bíblicos descritivos da imoralidade e que revelam a extensão desse mal:(a) Fornicação (gr. porneia). Descreve uma ampla variedade de práticas sexuais, prémaritais. Tudo que significa intimidade e carícia fora do casamento é claramente transgressão dos padrões morais de DEUS para seu povo (Lv 18.6-30; 20.11,12, 17, 19-21; 1Co 6.18; 1Ts 4.3).(b) A lascívia (gr. aselgeia) denota a ausência de princípios morais, principalmente o relaxamento pelo domínio próprio que leva à conduta virtuosa (ver 1Tm 2.9). Isso inclui a inclinação à tolerância quanto a paixões pecaminosas ou ao seu estímulo, e deste modo a pessoa torna-se partícipe de uma conduta antibíblica (Gl 5.19; Ef 4.19; 1Pe 2.2,18).(c) Enganar, i.e., aproveitar-se de uma pessoa, ou explorá-la (gr. pleonekteo, e.g., 1Ts 4.6), significa privá-la da pureza moral que DEUS pretendeu para essa pessoa, para a satisfação de desejos egoístas. Despertar noutra pessoa estímulos sexuais que não possam ser correta e legitimamente satisfeitos, significa explorá-la ou aproveitar-se dela (1Ts 4.6; Ef 4.19).(d) A lascívia ou cobiça carnal (gr. epithumia) é um desejo carnal imoral que a pessoa daria vazão se tivesse oportunidade (Ef 4.22; 1Pe 4.3; 2Pe 2.18; ver Mt 5.28).
A SEPARAÇÃO ESPIRITUAL DO CRENTE2Co 6.17,18 “Pelo que saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-poderoso”.
O conceito de separação do mal é fundamental para o relacionamento entre DEUS e o seu povo. Segundo a Bíblia, a separação abrange duas dimensões, sendo uma negativa e outra positiva:(a) a separação moral e espiritual do pecado e de tudo quanto é contrário a JESUS CRISTO, à justiça e à Palavra de DEUS;(b) acercar-se de DEUS em estreita e íntima comunhão, mediante a dedicação, a adoração e o serviço a Ele. (1) No AT, a separação era uma exigência contínua de DEUS para o seu povo (Lv 11.44; Dt 7.3; Ed 9.2). O povo de DEUS deve ser santo, diferente e separado de todos os outros povos, a fim de pertencer exclusivamente a DEUS. Uma principal razão por que DEUS castigou o seu povo com o desterro na Assíria e Babilônia foi seu obstinado apego à idolatria e ao modo pecaminoso de vida dos povos vizinhos (ver 2Rs 17.7,8 notas; 24.3; 2Cr 36.14; Jr 2.5, 13; Ez 23.2; Os 7.8). (2) No NT, DEUS ordenou a separação entre o crente e(a) o sistema mundial corrupto e a transigência ímpia (Jo 17.15,16; 2Tm 3.1-5; Tg 1.27; 4.4);(b) aqueles que na igreja pecam e não se arrependem de seus pecados (Mt 18.15-17; 1Co 5.9-11; 2Ts 3.6-15); e (c) os mestres, igrejas ou seitas falsas que aceitam erros teológicos e negam as verdades bíblicas (ver Mt 7.15; Rm 16.17; Gl 1.9; Tt 3.9-11; 2Pe 2.17-22; 1Jo 4.1; 2Jo 10,11; Jd vv.12,13).(3) Nossa atitude nessa separação do mal, deve ser de(a) ódio ao pecado, à impiedade e à conduta de vida corrupta do mundo (Rm 12.9; Hb 1.9; 1Jo 2.15),(b) oposição à falsa doutrina (Gl 1.9),(c) amor genuíno para com aqueles de quem devemos nos separar (Jo 3.16; 1Co 5.5; Gl 6.1; cf. Rm 9.1-3; 2Co 2.1-8; 11.28,29; Jd v. 22) e(d) temor de DEUS ao nos aperfeiçoarmos na santificação (7.1).(4) Nosso propósito na separação do mal, é que nós, como o povo de DEUS,(a) perseveremos na salvação (1Tm 4.16; Ap 2.14-17), na fé (1Tm 1.19; 6.10, 20,21) e na santidade (Jo 17.14-21; 2Co 7.1);(b) vivamos inteiramente para DEUS como nosso Senhor e Pai (Mt 22.37; 2Co 6.16-18) e(c) convençamos o mundo incrédulo da verdade e das bênçãos do evangelho (Jo 17.21; Fp 2.15). (5) Quando corretamente nos separarmos do mal, o próprio DEUS nos recompensará, acercando-se de nós com sua proteção, sua bênção e seu cuidado paternal. Ele promete ser tudo o que um bom Pai deve ser. Ele será nosso Conselheiro e Guia; Ele nos amará e de nós cuidará como seus próprios filhos (6.16-18).(6) O crente que deixa de separar-se da prática do mal, do erro, da impureza, o resultado inevitável será a perda da sua comunhão com DEUS (6.16), da sua aceitação pelo Pai (6.17), e de seus direitos de filho (6.18; cf. Rm 8.15,16). Princípios para um Namoro Cristão (http://espadadedoisgumes.no.comunidades.net)Pr. Cleverson de Abreu FariaO namoro cristão é uma preparação. Um período extremamente importante na vida de dois jovens cristãos e de muitas responsabilidades. Representa um período de transição entre dois jovens ou adultos, um homem e uma mulher, crentes no Senhor JESUS CRISTO, sendo que ambos devem ter um bom nível de maturidade. Ambos mantém um bom ritmo de comunicação, sendo através deste relacionamento orientados e preparados por DEUS para um futuro casamento. Namoro cristão deve sempre visar o casamento. Um namoro que não tem como alvo um futuro casamento, sequer deve ser iniciado.Embora o desejo seja que ambos se tornem íntimos em seu relacionamento, isso não quer dizer liberdade no aspecto físico e muito menos liberdade sexual entre o casal de namorados. A relação sexual está destinada a ser desfrutada apenas entre pessoas devidamente casadas (Hebreus 13.4; Gênesis 2.24; Cantares de Salomão 4.12; 1Tessalonicenses 4.3-5; Colossenses 3.5-6; 1Coríntios 6.15-20; 1Timóteo 5.22; 2Timóteo 2.22).Este é um período de conhecimento mútuo, conhecimento da alma, do coração, nunca do físico um do outro. O aspecto físico está destinado para depois do casamento. Portanto, exige disciplina própria, vigilância constante. É um tempo onde se obtém oportunidade de duas personalidades diferentes se harmonizarem, conhecerem um ao outro. Comunhão espiritual é fator primordial. Lembre-se que quanto mais próximo cada um estiver de DEUS, mais próximo estarão um do outro. Este período também serve para confirmar a perfeita vontade de DEUS para a vida de ambos. O padrão de DEUS para um namoro bem sucedido é este:1) Espiritual – forte. DEUS em primeiro lugar, nunca seu namorado (a).2) Vontade, emoções e mente dentro do plano de DEUS.3) Corpo (físico) – sob controle. Quando um namoro está fora do padrão de DEUS, o que acontece é justamente o contrário:1) Espiritual – fraco. A sensibilidade espiritual está cauterizada.2) Emoções, vontade e mente – descontrolada.3) Físico – sensual. Portanto, fora do padrão de DEUS ocorre que o lado espiritual fica cauterizado; a mente, a vontade e as emoções raciocinam de forma sensual e o físico fica corrupto.Uma pergunta séria a se pensar: A vontade de DEUS é mais importante que o seu namoro? Como Começar um Namoro Cristão?Alguns aspectos são importantes para um começo no namoro cristão. Geralmente não sou de estabelecer uma idade certa para alguém namorar. Antigamente isso era o costume, hoje com o decorrer dos tempos e uma mudança na cultura não se faz mais tal coisa. Porém, ainda assim, existem pais que estabelecem uma determinada idade para que seus filhos venham a poder namorar. Eu creio que isso é benéfico e sábio por parte dos pais, mas não uma exigência. Vejamos alguns requisitos importantes para se começar um namoro: Salvação. Ambos os jovens ou adultos devem ser verdadeiramente salvos, ou seja, ambos já devem ter aceitado a JESUS CRISTO como seu único Senhor e Salvador pessoal (João 3.16; Lucas 19.10; Romanos 10.9-10). Maturidade física e Espiritual. Não devem ser crianças, pois maturidade é importante e essencial no relacionamento entre duas pessoas (Efésios 4.13; 1Coríntios 14.20). Comunhão com DEUS. Primeiramente DEUS deve estar sendo uma fonte de luz em sua vida, uma fonte de vigor espiritual. Se não tiver comunhão com DEUS, nunca será abençoado em qualquer tipo de relacionamento (1João 1.6-7). O rapaz inicia. Em nosso tempo moderno é "comum" uma moça querer iniciar um namoro. Mas isso fere o princípio bíblico. Mesmo num namoro, o rapaz é o líder, é ele quem deve iniciar, é ele quem deve pedir à moça para namorar. Permissão dos pais. Ambos os pais dos pretendentes devem estar de acordo com o namoro. Isso demonstra confiança e honra dos filhos para com seus pais. Um namoro onde os pais não apóiam, geralmente resulta em muitas dificuldades. Isso não significa que os pais são a autoridade final no namoro, significa que estão querendo a bênção paterna para o relacionamento. Apoio do seu pastor. Isso é importante e muitas vezes negligenciado pelos cristãos. O pastor de ambos deve apoiar e dar sua bênção. Pode ser que pastor veja coisas que eles não estão vendo e por isso é importante receber o apoio, o conselho deste servo de DEUS. Comunicação e visitas. Deve-se procurar estabelecer um determinado ritmo nas visitas por parte do rapaz à casa da moça. É claro que não todos os dias. Estabelecer uma boa comunicação entre ambos. Confiança dos pais. No decorrer do namoro, deve procurar ganhar e manter a confiança dos pais. Verificar como é a relação entre a pessoa e seus pais. Procurar ser sensível para qualquer mudança. 
Como Continuar um Namoro Cristão? O interesse deve estar voltado para a personalidade da pessoa, a parte imaterial. É importante que isso esteja bem claro na mente dos namorados. O interesse deve ser estabelecido na parte espiritual da pessoa, não em seu corpo físico, não no dinheiro que o outro tem, não no carro, na casa, na popularidade, na beleza,  etc.... A parte espiritual é a mais importante sobre todas. Mais uma vez: quanto mais próximos estiverem de DEUS, mais próximos estarão um do outro. O contrário também é verdadeiro: quanto mais longe estiverem de DEUS, mais longe ficarão um do outro. Reconheça que cada cristão é chamado de propriedade particular, pessoal, peculiar de DEUS (1Pedro 2.9). O namorado que não respeita tal fato está desrespeito os princípios de DEUS e desrespeitando o próprio DEUS, bem como a pessoa, a família dela, a Palavra de DEUS e o futuro casamento. Evitar contato físico exagerado. Todo namorado gosta de receber um carinho, beijos e abraços. Porém, deve-se parar por aqui. Procure a todo custo evitar continuar os avanços físicos, como tocar em outras partes do corpo da moça, por exemplo. Isso pode provocar desejos sexuais que não pode ser satisfeito devidamente antes do casamento (1Tessalonicenses 4.3-8; 1Coríntios 7). Existem condições onde a freqüência de visitas deve ser limitada. Isso exige paciência por parte de ambos. Algumas vezes a saúde, doença, serviço militar, estudos, trabalhos, deveres pessoais impedem que estejam juntos. Sejam pacientes nessas horas. Cautela com o modo de vestir, cautela em sua conversa, cautela em seu comportamento e mesmo nos gestos. Lembre-se de semear um ambiente agradável em que vale a pena estarem juntos. Evitar ficar sozinhos em ambientes fechados e por muito tempo. Procure estar em atividades com outros jovens, ou seja, procure envolver seus amigos em suas atividades. Qual o Perigo de Acariciar? Mata a espiritualidade de ambos os namorados. Pode fazer com que fiquem cegos para os valores verdadeiros, as virtudes de cada um. Pode fazer com que abaixem os padrões da moralidade. Pode conduzir para a realização do ato sexual não permitido por DEUS antes do casamento. Pode conduzir para depravação, destituição da dignidade. Pode conduzir para o desenvolvimento de um desejo de satisfação não natural. Pode causar frustração e nervosidade. Pode conduzir para um casamento errado, com a pessoa errada. Pode conduzir para contrair doenças. Pode conduzir ao desrespeito mútuo.
Conselhos Práticos: Nunca case com alguém que não seja cristão (2Coríntios 6.14-18; Amós 3.3). Ore para a escolha de DEUS (Salmo 37.5; Provérbios 3.6). Evite casar sob pressão (Romanos 12.1-2). Não case pensando que sua vida se endireitará depois do casamento. Não case com alguém pelo qual não tenha respeito. Não case cedo demais ou de repente (Tiago 1.4-5). Procure ver sua relação com DEUS, os hábitos da pessoa, os pais, o modo de vida. Não case tendo uma perspectiva errada do sexo (Gálatas 5.16-25). Alguns casam para desfrutar do sexo, mas casamento não é apenas sexo, muito mais está envolvido. Casamento é para sempre, ou seja, "até que a morte os separe" (Gênesis 2.24; Romanos 7.1-3; Mateus 19.6).  Conversa Franca sobre Sexo (http://espadadedoisgumes.no.comunidades.net)
Por que não é permitido sexo antes do casamento segundo a Bíblia? Por que tantas pessoas caem em pecados sexuais? Quais as razões ou motivos que os jovens alegam? Vivemos atualmente em uma cultura obcecada pelo sexo. As empresas de publicidade aproveitam esta força para atrair o público e vender seus produtos. Este interesse universal está sendo hoje explorado em detrimento da cultura e da sociedade. Vemos a decadência na perda da virtude e no endurecimento da sensibilidade moral dos jovens. Todo pecado começa na mente. Os pensamentos provocam ações. Os pensamentos estimulam as emoções e estas debilitam a vontade. A vontade responde às insinuações dos pensamentos e das emoções. A Bíblia está cheia de ensinamentos sobre sexo. Por que tantas pessoas caem em pecados sexuais?Temos muitas e muitas razões para poder dar uma resposta mediante a esta pergunta, no entanto, dentre tantas, as razões ou motivos que são mais encontrados entre os jovens hoje em dia são:1) Covardia: diante da “pressão da turma”, alguns jovens caem neste pecado. Os “amigos” lhes dizem: “você não é homem”; “todo mundo faz”; “para que se guardar”; “somente você ainda não fez”. E por covardia, medo, pressão da turma ele acaba fazendo sexo logo para acabar com essas gozações para consigo. 2) Avançar demais nas carícias: começam inocentemente tocando aqui e ali e quando menos se percebe os toques já são mais ousados e em lugares que antes eles sequer se atreveriam a tocar. Ao começar a avançar demais nas carícias ele percebe que não consegue mais parar e se envolve em sensações que não saberá mais como refrear e acaba por praticar o ato sexual. 3) Sentem-se apaixonados: alguns jovens praticam o ato sexual simplesmente pelo fato de que estão apaixonados por uma determinada pessoa e consideram isso um bom motivo para terem sexo. Afirmam que logo irão se casar mesmo, então por que adiar isso. Um tremendo erro, pois paixão nunca deve ser colocada como uma boa razão. Paixões passam. E paixões desenfreadas são como uma criança rebelde que precisa de disciplina e correção e não que sua vontade seja satisfeita. 4) Por ser excitante: quando o jovem entra em ação com as facetas desta misteriosa força criada por DEUS, ele acaba se esquecendo de toda restrição moral por se sentir completamente envolvido num “torvelinho” de emoções surpreendentes e perturbadoras, e essas emoções o arrastam para o inevitável ato sexual. O corpo corresponde ao excitamento e isto lhe vem como extremamente agradável e prazeroso. Logo mais tarde, descobre que tais emoções podem ser desastrosamente artificiais. 5) Ignorância: em muito dos sentidos, esta é a causa básica de muito dos tropeços e dos fracassos de nossa juventude. Porém, em se tratando de sexo, aparentemente todos acabam aprendendo de um jeito ou de outro. A ignorância aqui é que após se envolverem não conseguem mais parar. Acham que podem refrear este instinto quando quiserem, porém, na hora, percebem que não é bem assim. 6) Rebeldia: muitos adolescentes e jovens por serem extremamente rebeldes descaradamente ou abertamente resolvem praticar o ato sexual. Não se preocupam com o que outros pensam, querem apenas satisfazer o desejo de sua carne. Muitos perguntam: É ou não é permitido ter relações sexuais antes do casamento? A resposta é um sonoro NÃO! A existência de um desejo não justifica sua satisfação ilimitada. Há limites e estes limites são fixados por DEUS até mesmo na natureza criada por Ele. O sexo foi feito para ser expresso e experimentado. As relações sexuais são lógicas mas o sexo dever usado com responsabilidade. Seu lugar segundo o plano de DEUS é dentro do matrimônio. Amigo leitor! A única coisa que você aprenderá através da prática do sexo antes do casamento é que os resultados da rebelião contra a vontade de DEUS são sempre amargos. A única e desagradável lembrança que permanecerá gravada em seu subconsciente será a sordidez do seu egoísmo. Você terá mesquinhamente usado o corpo de outro ser humano para satisfazer o seu ego enfermo e irá arrepender-se disso até o túmulo (2Tm 2.22). “Se alguém não tenta enquanto é solteiro, não fracassará ao casar-se? Como um jovem pode saber se é capaz de ser um esposo(a) se não pratica antes?” Perguntas como estas e semelhantes a estas são feitas ao milhares e muitos a fazem com certa sinceridade, outros apenas para darem uma desculpa para a prática da relação sexual antes do casamento. Veja como Satanás é por demais astuto (2Co 11.14,15). DEUS nos criou e nos moldou de tal maneira que o jovem e a jovem poderão desfrutar deste dom maravilhoso de DEUS, o sexo, no matrimônio. E os comprometidos? E aqueles que já são noivos? Por meio de várias das pesquisas realizadas, a grande maioria dos compromissos que são desfeitos se rompem precisamente porque uma das partes está com sentimentos de culpa por terem cometido o ato sexual. Suas consciências foram contaminadas por meio das levianas e frívolas atitudes sexuais de um para com o outro. Essa consciência e essas atitudes provocam o rompimento do compromisso. O fato de se estar noivo não é motivo para ter relações sexuais entre si (Gl 5.21; Hb 13.4). A pureza é bela! Um dos maiores presentes que se pode levar para um casamento! A beleza da santidade de um jovem deve ser se guardar para seu cônjuge e praticarem o ato sexual apenas na noite de núpcias. O jovem ambiciona ter um casamento feliz e sonha com um bom noivado e um casamento melhor possível. O rapaz sonha com uma moça de boa educação, bonita, de convicções firmes. Acima de tudo, a noiva dos seus sonhos é pura. Já a moça, sonha com um rapaz maduro, que seja um bom líder espiritual, puro e que tenha um bom caráter. Quem ama, espera! Graças a DEUS por tais sonhos e lembre-se: quem ama, espera (1Co 7.1-5). O JOVEM CRISTÃO E A MASTURBAÇÃO  (http://espadadedoisgumes.no.comunidades.net)por JERRY WHITE Vivemos em uma era de liberdade de expressão e de um estilo "livre" de vida. Hoje vemos nos filmes, nas novelas, nas músicas, nas danças, nas roupas da moda,  etc...., uma comercialização do sexo. Em Gênesis 1:28, DEUS disse ao homem: "E DEUS os abençoou e DEUS lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra", ou seja, o sexo tinha uma função procriativa e fez DEUS uma mulher idônea para Adão para que, dela, ele desfrutasse e, com ela, enchesse a terra (Gn 2:18).Hoje em dia o sexo está tão banalizado que não há mais aquela expectativa dos noivos em se descobrirem aos poucos, em maravilharem-se um com o outro vivendo uma novidade maravilhosa de um toque, de uma fragrância, de surpresas que fortalecem o casamento e o amor. Com tamanha sobrecarga de "normal" (sexo antes do casamento é normal, homossexualismo é normal, filhos drogados é normal, você tem que aceitar...), porque não devemos ensinar nossos filhos a se masturbarem? Não é normal?Vamos falar de áreas cinzentas da moralidadeAo considerar as questões sexuais que não estão especificamente relacionadas na Escritura, tenha em mente certas experiências pré-sexuais que conduzem facilmente à lascívia ou à luxúria.Nossos pensamentosA batalha pela pureza sexual sempre começa na mente. Aquilo em que pensamos constantemente, acabamos fazendo. Enchemos nossa mente com o bem ou o mal, o puro ou o impuro, o certo ou o errado. Muitos crentes tentam abrigar ambas as tendências em seus pensamentos.O pecado sexual declarado é concebido na mente, desenvolvido em várias experiências pré-sexuais, e finalmente torna-se realidade, quando a oportunidade aparece. Não somente a imoralidade resultante é pecado - os pensamentos impuros também são pecados. As palavras de JESUS, no Sermão da Montanha, são freqüentemente citadas a este respeito: "Ouvistes o que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela" (Mt 5:27,28). Não se confunda, a ponto de dizer: "Visto que já pequei em meu coração, posso também pecar com o corpo". Estes pecados não são os mesmos! Um é o pecado da mente, e em pensamento apenas uma pessoa peca. O outro é um pecado da mente e do corpo, e, com o corpo, duas pessoas pecam. Na mente, não há união física. Com o corpo, os dois chegam a se conhecer um ao outro de maneira irreversível. Note que, em Mt 5:28, JESUS menciona não apenas olhar, mas olhar para cobiçar. Isto implica um desejo ativo, imaginando uma união ou contato sexual.Paulo diz que o crente de espírito controlado, na batalha espiritual, está "levando cativo todo pensamento à obediência a CRISTO" (II Co 10:5). E Pedro diz: "Cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios... não vos conformeis às concupiscências que antes tínheis na vossa ignorância" (I Pe 1:13,14). Não podemos impedir todo pensamento impuro de entrar na mente, porém somos realmente capazes de controlar os pensamentos que permanecem e se desenvolvem.Nossos olhosO que nossos olhos vêem e lêem produz e controla a maior parte de nossos pensamentos. As Escrituras ensinam que os olhos são a "candeia do corpo" (Mt 6:22,23) e que se os "olhos forem maus", o corpo "será tenebroso". Esta verdade descreve mais do que um fato físico. Refere-se ao que os olhos deixam entrar na mente.O apóstolo João adverte contra a "concupiscência dos olhos" (I Jo 2:16). Salomão escreveu: "Dirijam-se os teus olhos para a frente e olhem as tuas pálpebras diretamente diante de ti. Pondera a vereda de teus pés, e serão seguros todos os teus caminhos" (Pv 4:25,26). Salomão também diz: "Filho meu, dá-me o teu coração; e deleitem-se os teus olhos nos meus caminhos. Porque cova profunda é a prostituta; e o poço estreito é a aventureira" (Pv 23:26,27).Devemos nos afastar da pornografia que vem sendo despejada em nosso caminho, lembre-se: "os olhos são a candeia do corpo". Se você não resiste à tentação, não olhe. Você não pode ser tentado a se masturbar se estiver lendo passagens da Bíblia.Masturbação é pecado? A maioria dos não-crentes e também muitos crentes crêem que a masturbação não apresenta nenhum problema. Certamente, não acham que é pecado e que só constitui um problema quando é uma obsessão e um substituto psicológico total para as relações sexuais normais.
Masturbação é pecado?A maioria dos não-crentes e também muitos crentes crêem que a masturbação não apresenta nenhum problema. Certamente, não acham que é pecado e que só constitui um problema quando é uma obsessão e um substituto psicológico total para as relações sexuais normais.A muitos mitos sobre a masturbação, em escritos católicos e protestantes antigos, a este respeito. Alguns destes mitos são que a masturbação causa danos físicos, que destruirá a habilidade sexual no casamento ou que causará distúrbios emocionais. Estes mitos eram basicamente táticas para amedrontar e tinham pouca base em fatos.Não há passagem específica na Escritura que fale diretamente da questão da masturbação. Há quem chame a atenção para Gn 38:8-10 e I Co 6:9-10. Concordo com o escritor Herbert J. Miles, que estas passagens não falam de masturbação.Mesmo assim, a Bíblia fornece orientações que lhe permitirão decidir se a masturbação é pecado ou não. Reflita sobre as seguintes observações:1. Vejamos à definição de lascívia e luxúria: "Gratificação dos sentidos ou indulgência para com o apetite; dedicado aos ou preocupado com os sentidos" e "desejo sexual intenso". A masturbação encaixa-se definitivamente nestas definições (veja Gl 5:19). Pode-se praticar a masturbação sem lascívia ou luxúria?2. O teste seguinte é o de sua vida mental. JESUS disse: " Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela" (Mt 5:27,28). Quando uma pessoa pratica masturbação, o que se passa em sua cabeça? As cachoeiras de Paulo Afonso? Pode alguém se masturbar sem imaginar um ato sexual ou ao menos cenas sensuais? O que é que você acha? Se você pratica a masturbação, pode sua mente permanecer pura?3. Em seguida, reflita sobre a santidade e a intenção da relação sexual no casamento. Sem sombra de dúvida, a masturbação é uma tentativa de experimentar as mesmas sensações que são atribuídas ao casamento. É um substituto do ato verdadeiro - uma farsa, uma falsificação, um dolo.4. A masturbação é também totalmente egocêntrica. Uma das características do egocentrismo é a auto-indulgência. Paulo descreve o modo de vida de quem é controlado por Satanás, dizendo: "Todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos" (Ef 2:3).5. Finalmente, a masturbação pode nos levar à escravidão. Quando uma pessoa é dominada por uma indulgência carnal, ela peca. "Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências" (Rm 6:12). Paulo também diz: "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convém. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas" (I Co 6:12). Você é escravo da masturbação?Reflita sobre os cinco enunciados acima, para determinar se, para você, a masturbação é pecado.Liberte-se!O impulso sexual é uma parte normal, dada por DEUS, de qualquer homem ou mulher saudável. Envergonhar-se disto é duvidar da bondade de DEUS para conosco. Abusar dele é contrariar a graça que DEUS tenciona para nós. Ele nos criou com muitos impulsos e desejos, que podemos desenvolver ou usar de maneira errada. Como um deles, o impulso sexual ativa ou destrói os relacionamentos, de acordo com seu controle e aplicação.A masturbação é um problema comum. Não devemos ter medo de conversar sobre ela nem de ajudar as pessoas a superá-la. Homens e mulheres acham que é um hábito igualmente opressivo, e buscam ajuda para a superação do problema. Compaixão, e não condenação, deve ser nossa resposta.Minha conclusão é que a masturbação não deve fazer parte da vida do crente. I Coríntios 6:18-20, Gálatas 5:19 e I Tessalonicenses 4:3-7 são passagens que falam sobre a questão do uso de nossos corpos devidamente no sexo. Embora não possamos assentar todos os argumentos que dizem que a masturbação é pecado, não podemos negar que ela é resultado da lascívia e da paixão. Mas, na liberdade da graça de DEUS, podemos escolher fazer o que é sagrado e direito aos olhos de DEUS. Pergunta: Sexo antes do casamento é mesmo pecado? (http://espadadedoisgumes.no.comunidades.net)Resposta: Antes de nos determos no tema (sexo antes do casamento), é bom destacarmos que DEUS não é contra o prazer sexual. Foi Ele quem fez o sexo e o deu de presente para o ser humano. O problema está no sexo que é praticado fora do casamento. Quando nos criou DEUS sabia como poderíamos desfrutar plenamente do prazer sexual. Vendo que é dentro de um contexto de profunda intimidade e segurança (só dentro do casamento isto pode ser desfrutado plenamente) que a pessoa pode realizar-se sexualmente, DEUS estabeleceu em Sua Lei que as relações sexuais devem ser mantidas após o matrimônio. Veja que DEUS sempre sabe o que é melhor para as Suas criaturas! Continuemos em nossa análise: 1) Quando DEUS criou Adão e Eva, logo em seguida proferiu a “bênção” sobre o casal; após isto, ambos “se tornaram uma só carne” (Gênesis 1:27 e 28; 2: 21-24). O sexo faz parte da perfeita criação de DEUS qualificada como sendo “muito bom” (cf. Gênesis 1:31). 2) As Escrituras condenam a prática do sexo fora do casamento, pois tal atitude não faz parte do plano original de DEUS: "Alguém vai dizer: 'eu posso fazer tudo o que quero.' Pode, sim, mas nem tudo é bom para você. Eu poderia dizer: 'Posso fazer qualquer coisa. Mas não vou deixar que nada me escravize.' O alimento existe para o estômago, e o estômago existe para o alimento. Sim, mas DEUS acabará com os dois. O nosso corpo não existe para praticar a imoralidade, mas para servir o Senhor; e o Senhor cuida do nosso corpo. Fujam da imoralidade sexual! Qualquer outro pecado que alguém comete não afeta o corpo, mas a pessoa que comete imoralidade sexual peca contra o seu próprio corpo. Será que vocês não sabem que o corpo de vocês é otemplo do ESPÍRITO SANTO, que vive em vocês e lhes foi dado por DEUS? Vocês não pertencem a vocês mesmos, mas a DEUS, pois ele os comprou e pagou o preço. Portanto, usem o seu corpo para a glória dele.” (1 Coríntios 6:12,13, 18-20 BLH – Bíblia Na Linguagem de Hoje) “Mas eu digo: Já que existe tanta imoralidade sexual, cada homem deve ter a sua própria esposa, e cada mulher, o seu próprio marido”. (1 Coríntios 7:2 BLH) “O que DEUS quer de vocês é isto: que sejam completamente dedicados a ele e que fiquem livres da imoralidade”. (1 Ts 4:3 BLH – no original, a palavra para imoralidade se refere à fornicação, sexo fora do casamento). 3) O sexo pré-conjugal traz efeitos negativos: a) Efeitos emocionais negativos (na grande maioria das pessoas): culpa, ciúme, ansiedade, medo de uma gravidez,  etc...... b) Problemas de relacionamento: entre os namorados, familiares... c) Efeitos espirituais: culpa, medo de DEUS, ausência de vontade de estudar a Bíblia e orar... d) Efeitos físicos: aumenta as possibilidades de uma gravidez indesejada e de contrair doenças venéreas (estas considerações foram extraídas e adaptadas do livro Aconselhamento Cristão, de Gary R. Collins – Sociedade Religiosa Edições Vida Nova). Se ao nos relacionarmos sexualmente presenciamos alguns destes efeitos, o mesmo não está nos beneficiando; e isto não é da vontade de DEUS. Ele quer que desfrutemos deste presente da melhor maneira. Quando DEUS nos ensina a maneira correta de fazer sexo, o faz para nosso próprio bem. 4) A fim de aliviarmos a tensão sexual, a recomendação de DEUS é que nos casemos: “Caso, porém, não se dominem, que se casem; porque é melhor casar do que viver abrasado”. (1 Coríntios 7:9) O texto é claro a este respeito; não dá margem para que aliviemos nossos desejos sexuais fora do matrimônio. Isto não indica de forma alguma que a motivação de se casar seja apenas o sexo; cuidado com isto, pois muitos caem nesta cilada! Assim, vemos que biblicamente, o sexo deve ser feito apenas no casamento. Praticá-lo de outra forma, constitui-se um pecado sujeito a julgamento (I Co 6:9-13;18;20; Efésios 5:3-7; Colossenses 3:5-6,  etc...), pois o propósito original de DEUS é desvirtuado, trazendo assim prejuízos à felicidade e saúde humana. Há outras razões pelas quais não devemos usufruir a relação sexual antes de se casar? DEUS criou o sexo para o prazer e intimidade do casal (também com finalidade de procriação), de modo que ambos encontrassem plena satisfação um no outro. “O sexo é saudável quando você pode conciliar satisfação sexual, integridade, compromisso, bem-estar a outra pessoa e um senso de auto-estima e dignidade. E isto só é possível dentro do casamento” (Pastor José Maria, em um de seus artigos para a Revista Adventista), pois no namoro ou noivado não há este compromisso, palavra esta que está quase que totalmente extinta do vocabulário social atualmente. Temos de ser honestos em reconhecer que não é das coisas mais fáceis ser puro sexualmente, especialmente na sociedade moderna. Todos os dias somos bombardeados pela mídia com cenas de sexo ou abordados a respeito deste assunto. A cultura na qual vivemos de certo modo nos influencia muito, inclusive em nossos conceitos. Porém, isto não nos dá a liberdade de transgredirmos as leis de DEUS. O cristão é guiado pelo ESPÍRITO SANTO e não pelas opiniões alheias. O que fazer? Precisamos aceitar o fato de que não iremos modificar o mundo; ao mesmo tempo, tomar a decisão de não permitirmos que a coletividade nos mude, a ponto de negarmos os princípios divinos. Somente através de uma íntima e ininterrupta comunhão com o Criador poderemos vencer. Também é importante que adotemos corretos padrões de pensamentos (Filipenses 4:8), e que vigiemos nossos olhos (Jó 31:1; Provérbios 4:23 e 25,  etc...). Antes disso, temos que decidir ser puros. E se alguém errou? Nunca é tarde para recomeçar. DEUS perdoa todos os pecados, desde que os confessemos (Salmo 32:5; Miquéias 7:19; I João 1:7-9,  etc...). Pelo sacrifício de JESUS podemos ser purificados e tornados santos, com se nunca tivéssemos errado. Basta ir a Ele, confessar os erros e abandonar o pecado com o auxílio de seu grandioso poder. Se Ele dá esta nova chance, o pecador deveria perdoar-se a si mesmo; assim, sua vida teria sentido. Jamais nos esqueçamos do amor de nosso Senhor e que nosso Criador é o DEUS das Novas Oportunidades.

INTERAÇÃO Por muito tempo era tabu falar sobre a sexualidade na Igreja Evangélica. Muito se avançou neste sentido, mas sabemos que o assunto ainda é necessário e precisa ser desenvolvido com propriedade e seriedade. Pessoas mal resolvidas na sua sexualidade podem ter sérios problemas conjugais. É importante desconstruir a idéia de que o sexo é pecaminoso. Os cristãos devem entender que o sexo no âmbito do casamento expressa a vontade de DEUS para um matrimônio feliz. 
OBJETIVOS- Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:Identificar algumas questões importantes sobre a sexualidade. Reconhecer o valor da pureza sexual antes do casamento. Compreender o que a Bíblia ensina sobre a homossexualidade. ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA Professor, a homossexualidade é um tema polêmico em qualquer debate, seja na política, seja na ciência ou na religião. No entanto, a postura da igreja local é educar os seus membros à luz da Bíblia mostrando que o homossexualismo é pecado e como o crente deve lidar com essa questão. Para aprofundar o tópico III da presente lição sugerimos a seguinte atividade: divida a classe em dois ou três grupos de, no máximo, cinco pessoas por grupo. Peça para eles opinarem sobre as seguintes questões, respectivamente: "O homossexualismo é pecado?"; "Como a igreja deve lidar com isso?"; "Como deve ser o nosso relacionamento pessoal com um homossexual (na escola, no trabalho,  etc....)?" Em seguida, conclua o debate dizendo que o Senhor aborrece a prática pecaminosa, mas ama as pessoas, pois foi por elas que o Senhor JESUS morreu. Boa aula!
PALAVRA-CHAVE - SEXUALIDADE - O conjunto dos fenômenos da vida sexual; qualidade sexual; sexo.
RESUMO DA LIÇÃO 9, A FAMÍLIA E A SEXUALIDADEI. QUESTÕES SOBRE A SEXUALIDADE 1. Um mundo dominado pelo erotismo.2. Fornicação é pecado.3. Prazer no casamento.II.O VALOR DA PUREZA SEXUAL ANTES DO CASAMENTO 1. No Antigo Testamento.2. Em o Novo Testamento.III. O SEXO QUE A BÍBLIA CONDENA 1. A prática do homossexualismo.2. Educando os jovens na Palavra de DEUS.
SINOPSE DO TÓPICO (1) - Vivemos numa sociedade dominada pelo erotismo e pela sexualidade distorcida que nada tem com a ética cristã. SINOPSE DO TÓPICO (2) - No Antigo e em o Novo testamento, a pureza sexual de um jovem é exaltada e valorizada. SINOPSE DO TÓPICO (3) - A união heterossexual é o único modelo de casamento aprovado por DEUS. tal verdade condena o homossexualismo. AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I - Subsídio Vida Cristã"você necessita de algum encorajamento e idéias para ajudá-lo a iniciar um 'Renascimento' [no casamento]?Pensamos ser possível que haja tal renascimento antes das crianças deixarem o lar. Na verdade você precisa disto! Quando chegar o dia em que as crianças tiverem partido, e você acordar, olhar espantado para a pessoa com quem não está encorajado a passar o resto da sua vida... pode não ter o desejo de reacender a chama do casamento.Qual porta do Renascimento Você Deseja Abrir?A maioria dos homens com quem conversamos enquanto pesquisávamos para este livro, admitiam pensar que um Renascimento seria fazer amor quatro vezes por semana [...]. Após conscientizarem-se quão ridículo isto era, muitos apontaram a amizade que desejavam restabelecer com sua esposa.O Renascimento desejado pelas mulheres não divergia muito do dos homens: um marido atencioso às necessidades emocionais, alguém para conversar e valorizá-la por quem ela é - e não por seus dotes domésticos como: quão bem ela limpa casa, a cozinha ou dá conta do 'serviço' [...]" (JOHNSON, Greg; YORKEY, Mike. A segunda década do Amor: Renovando o casamento antes que os filhos saiam para viver suas próprias vidas. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, p.23). 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsídio Teológico"O relato da criação ensina que homens e mulheres foram criados para viver em relação com o Criador e uns com os outros. O fato de a humanidade rejeitar uma relação com o Criador resulta na perversão de todas as outras relações. O que DEUS declarou bom, isto é, que homem e mulher vivessem juntos numa relação como uma só carne (Gn 2.18-25), é trocado por relações nas quais os homens se engajam em relações sexuais com outros homens, e mulheres com outras mulheres [Romanos 1] (vv.26,27). Estes atos são 'contrário[s] à natureza', ou seja, eles infringem a ordem criada. A frase no versículo 27, 'cometendo torpeza', mostra que o que é condenado é o ato homossexual ou lésbico, não a tentação em si. O contexto também deixa claro que a razão de a homossexualidade ser abordada aqui não é porque seja mais perversa que os outros tipos de pecados sexuais. Antes, Paulo a usa para mostrar como o pecado perverte a ordem criada de macho e fêmea.O versículo 28 segue o mesmo padrão que já vimos acima: O ato de a humanidade rejeitar o conhecimento de DEUS que lhes está disponível conduz à punição divina. Há um jogo de palavras no original grego que reforça o argumento de Paulo de que a punição se ajusta ao pecado. Porque 'eles se não importam' (dokimazo) em reter o verdadeiro conhecimento de DEUS, 'DEUS os entregou a um sentimento perverso [adokimos].A lista de vícios que se segue denota os tristes efeitos da perda da capacidade de a humanidade ver a verdade. A linha introdutória da lista de maus comportamentos: 'Estando cheios de toda iniqüidade' (v.29), indica que o apóstolo quer que a lista seja considerada como um todo. O ponto dos versículos 29 a 31não deve ser achado examinando cada ação mencionada. A ênfase está em como o vasto alcance da depravação humana pode ser remontado à rejeição voluntariosa de DEUS. listas de vício como esta eram comuns em escritos do período, tanto em escritos judaicos quanto helenistas" (ARRINGtON, French l.; StRONStAD, Roger (Eds.). Comentário Bíblico Pentecostal: Novo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD,2008, pp.823-24). 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA JOHNSON, Greg; YORKEY, Mike. A segunda década do Amor: Renovando o casamento antes que os filhos saiam para viver suas próprias vidas. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1996.HEGStROM, Paul. Homens Violentos e as Mulheres que os Amam: Quebrando o ciclo do Abuso Físico e Emocional. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010.MIllER, Molly Ann. Meu Marido tem um Segredo: Encontrando a Libertação para o Vício Sexual. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009
SAIBA MAIS - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 54, p.40.

 

quarta-feira, 22 de maio de 2013

LIÇÃO 8, EDUCAÇÃO CRISTÃ, RESPONSABILIDADE DOS PAIS



LIÇÃO 8, EDUCAÇÃO CRISTÃ, RESPONSABILIDADE DOS PAIS
LIÇÕES BÍBLICAS - 2º Trimestre de 2013 - CPAD - Para jovens e adultos
Tema: A FAMÍLIA CRISTÃ NO SÉCULO 21 - Protegendo seu lar dos ataques do inimigo.
Comentário: Pr. Elinaldo Renovato de Lima
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva

QUESTIONÁRIO

NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO

http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  
 
 
TEXTO ÁUREO 
"Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele" (Pv 22.6). 
 
 
VERDADE PRÁTICA 
A educação cristã de nossas crianças, adolescentes e jovens é uma responsabilidade intransferível e pessoal dos pais com o apoio e assistência da igreja. 
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - Dt 6.4-9 A responsabilidade dos pais
Terça - Sl 78.5 Pais ensinando filhos
Quarta - Ef 6.4 Filhos criados na doutrina do Senhor
 Quinta - Ef 4.11 JESUS provê mestres para a sua igreja
Sexta - Lc 2.52 O desenvolvimento de JESUS
Sábado - Sl 127.3 Filhos - Herança do Senhor 
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE- Deuteronômio 6.1-9
1 Estes, pois, são os mandamentos, os estatutos e os juízos que mandou o SENHOR, vosso DEUS, para se vos ensinar, para que os fizésseis na terra a que passais a possuir; 2 para que temas ao SENHOR, teu DEUS, e guardes todos os seus estatutos e mandamentos, que eu te ordeno, tu, e teu filho, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida; e que teus dias sejam prolongados. 3 Ouve, pois, ó Israel, e atenta que os guardes, para que bem te suceda, e muito te multipliques, como te disse o SENHOR, DEUS de teus pais, na terra que mana leite e mel. 4 Ouve, Israel, o SENHOR, nosso DEUS, é o único SENHOR. 5 Amarás, pois, o SENHOR, teu DEUS, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder. 6 E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração; 7 e as intimarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te. 8 Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por testeiras entre os teus olhos. 9 E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas.
 
6.4-9 OUVE, Ó ISRAEL. Este trecho é comumente chamado "o Shema" (do hb. shama?, "ouvir"). Os judeus dos tempos de JESUS eram afeitos a esse trecho, por ser recitado diariamente pelos judeus devotos, e também regularmente nos cultos da sinagoga. O "Shema" é a declaração clássica do cunho monoteísta de DEUS. Ao "Shema" segue-se um duplo preceito para Israel:
(1) amar a DEUS de todo o coração, alma e forças (vv. 5,6); e
(2) ensinar diligentemente aos seus filhos sobre a sua fé (vv. 7-9).
6.4 O SENHOR, NOSSO DEUS, É O ÚNICO SENHOR. Este versículo juntamente com os versículos 5-9; 11.13-21; Nm 15.37-41 - ensina o monoteísmo. Esta doutrina afirma que DEUS é o único DEUS verdadeiro, e não uma teogonia ou grupo de diferentes deuses; que é onipotente entre todos os seres e espíritos do mundo (Êx 15.11). Este DEUS deve ser o objeto exclusivo do amor e obediência de Israel (vv. 4,5). Esse aspecto de "unicidade" é a base da proibição da adoração a outros deuses (Êx 20.2). O ensino de 6.4 não contradiz a revelação no NT, de DEUS como um ser trino, que sendo uno em essência, é manifesto como Pai, Filho e ESPÍRITO SANTO (ver Mt 3.17, e Mc 1.11).
6.5 AMARÁS... O SENHOR, TEU DEUS. DEUS anela comunhão com seu povo e lhe dá esse único e indispensável mandamento, que vincula esse povo a Ele mesmo.
(1) Retribuindo o seu amor com amor, gratidão e lealdade (4.37), os israelitas o conhecerão, e nEle se deleitarão pelas provisões do concerto.
(2) Deste mandamento, "o primeiro e grande mandamento", juntamente com o segundo mandamento: amar ao próximo (cf. Lv 19.18), depende toda a lei e os profetas (Mt 22.37-40).
(3) A verdadeira obediência a DEUS e aos seus mandamentos somente é possível quando brota da fé em DEUS e do seu amor (cf. 7.9; 10.12; 11.1,13,22; 13.3; 19.9; 30.6,16,20; ver Mt 22.39; Jo 14.15; 21.16; 1Jo 4.19).
6.6 ESTAS PALAVRAS... ESTARÃO NO TEU CORAÇÃO. O firme propósito de DEUS é que sua Palavra esteja no coração do seu povo (cf. Sl 119.11; Jr 31.33). Paulo declara explicitamente: "A palavra de CRISTO habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria" (Cl 3.16; cf. 2 Tm 3.15-17). Esse preceito somente pode ser cumprido se, diária e continuamente, examinarmos as Escrituras (Sl 119.97-100; Jo 8.31,32). Uma maneira de fazer isso é ler o NT todo duas vezes por ano, e o AT uma vez por ano (cf. Is 29.13; ver Tg 1.21).
6.7 E AS INTIMARÁS AOS TEUS FILHOS. Uma forma vital de expressar amor a DEUS (v. 5) é cuidar do bem-estar espiritual dos filhos e esforçar-nos para levá-los a um real relacionamento com DEUS.
(1) O ensino da Palavra de DEUS aos filhos deve ser uma tarefa altamente prioritária dos pais (cf. Sl 103.13; ver Lc 1.17; 2 Tm 3.3).
(2) O ensino das coisas de DEUS deve partir do lar, e nisso, tanto o pai como a mãe deve participar. Cultuar a DEUS no lar não é uma opção; pelo contrário, é um mandamento direto do Senhor (vv. 7-9; Êx 20.12; Lv 20.9; Pv 1.8; 6.20; cf. 2 Tm 1.5).
(3) O propósito da instrução bíblica pelos pais é ensinar os filhos a temer ao Senhor, a andar em todos os seus caminhos, a amá-lo e ser-lhe grato e a servi-lo de todo o coração e alma (10.12; Ef 6.4).
(4) O crente deve proporcionar sabiamente aos seus filhos uma educação teocêntrica, em que tudo se relacione com DEUS e às suas coisas (cf. 4.9; 11.19; 32.46; Gn 18.19; Êx 10.2; 12.26,27; 13.14-16; Is 38.19)
 
Esse é o material abaixo vem sendo distribuído aos colégios onde nossos filhos e netos estudam.
Continue votando neles e veja onde vai parar sua família...
 
 
 
 
 
 
EDUCAÇÃO
INSTRUÇÃO (Vine 's Expository Dictionary o f Biblical Words – Dicionário Vine - CPAD)
Substantivo. Musar: “instrução, castigo, advertência”.
Este substantivo aparece 50 vezes, principalmente em Provérbios. A primeira ocorrência está em Dt 11.2: “E hoje sabereis que falo, não com vossos filhos, que o não sabem e não viram a instrução do SENHOR, vosso Deus, a sua grandeza, a sua mão forte, e o seu braço estendido”.
Um dos principais propósitos da literatura sapiencial era ensinar sabedoria e "musar" (Pv 1.2). O termo "musar" significa disciplina, mas é mais que isso. Como "disciplina", ele ensina como viver corretamente no temor do Senhor, de forma que o sábio aprenda a lição antes da tentação e da prova: "O que tendo eu visto, o considerei: e, vendo-o, recebi instrução" (Pv 24.32). Esta “disciplina" é treinamento para a vida; por conseguinte, prestar atenção à "musar" é importante. Muitos verbos confirmam a necessidade de uma resposta correta: "Ouvir, obedecer, amar, receber, obter, apoderar-se, guardar, manter".
Além disso, a rejeição é confirmada por muitos verbos relacionados com "musar". “Rejeitar, odiar, ignorar, não amar, menosprezar, abandonar”. Quando "musar" é dado como “instrução", mas não é observado, o"musar" como “castigo” ou “disciplina" pode ser o próximo passo: “A estultícia está ligada ao coração do menino, mas a vara da correção a afugentará dele” (Pv 22.15).
Atenção cuidadosa à ‘instrução” traz honra (Pv 1.9), vida (Pv 4.13), e sabedoria (Pv 8.33), e, acima de tudo, agrada a Deus: “Porque o que me achar achará a vida e alcançará favor do SENHOR” (Pv 8.35). A falta de observância da “instrução’ ocasiona seus próprios resultados: morte (Pv 5.23), pobreza e vergonha (Pv 13.18), e é, em última instância, sinal de que o indivíduo não tem consideração pela própria vida (Pv 15.32).
A receptividade da “instrução” dada pelos pais, professores, o sábio ou o rei é corolário direto da subjugação do indivíduo à disciplina de Deus. Os profetas acusaram Israel por não receber a disciplina de Deus: “Ah! SENHOR, atentam os teus olhos para a verdade? Feriste-os, e não lhes doeu; consumiste-os, e não quiseram receber a correção;  endureceram as suas faces mais do que uma rocha; não quiseram voltar” (Jr 5.3). Jeremias pediu aos judeus e aos habitantes da Jerusalém sitiada que prestassem atenção ao que estava acontecendo ao redor, para que eles ainda se sujeitassem à “instrução” (Jr 35.13). Isaías predisse que o castigo de Deus que os homens mereciam foi levado pelo Servo Sofredor, trazendo paz aos que crêem n´Ele: “Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados” (Is 53.5).
A Septuaginta tem a tradução de Paidéia (“educação. treinamento, instrução"). A palavra grega é a base para a palavra pedagogia, “treinamento de uma criança”.
 
RESUMO RÁPIDO - Meus comentários:
A educação do Brasil é péssima e na igreja é vergonhosa.
Se no governo brasileiro existe um déficit de escolas absurdo, o que dizer de nossa denominação quanto ao número de escolas que possuímos?
Pelo menos em cada grupo de 15.000 crentes, deveríamos possuir um colégio evangélico para crianças, um para adolescentes e um para adultos.
A escola dominical não tem tido a eficiência desejada por DEUS. Para comprovação disso basta ver o número de filhos de crentes prisioneiros nas cadeias e presídios de nosso país.
Não temos, entre os lares de cristãos, nem 10% dos lares onde a Palavra de DEUS é ensinada, onde se realiza pelo menos um culto doméstico.
Encontramos o número de 90% de crentes que nem leram a bíblia toda pelo menos uma vez.
Esse é o triste retrato da educação cristã no Brasil de hoje.
Não há ensino na escola secular, não há ensino nos lares, não há eficiência no ensino de Escolas Bíblicas Dominicais que mais gastam tempo ensinando às nossas crianças a desenhar e a cantar do que ensinando a Palavra de DEUS a estas.
Os filhos são presentes de DEUS e recompensa pelo nosso amor para com nosso cônjuge.
Salmos 127:3 Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão. 
Temos a responsabilidade de criar e educar nossos filhos, preparando-os para o futuro onde terão suas próprias famílias para cuidar e educar.
Provérbios 22:6 Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. 
Primeiro a Palavra de DEUS deve estar no coração dos pais – depois devem ser ensinadas a seus filhos – devem ser repetidas e ensinadas a eles todos os dias de suas vidas em que estiverem em companhia de seus pais. A bíblia deve ser carregada pelas mãos dos filhos de DEUS, deve ser a luz a iluminar o caminho de cada cristão e deve ser o guia de regras de conduta e relacionamento do crente com DEUS, com sua família, com a Igreja e com o mundo a sua volta.
E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas. (Dt 6.6-9)
Os pais devem ensinar a seus filhos a ouvirem e a obedecerem à Palavra de DEUS.
Ouvi, filhos, a instrução do pai, e estai atentos para conhecerdes o entendimento. Pois eu vos dou boa doutrina; não abandoneis o meu ensino. Quando eu era filho aos pés de meu, pai, tenro e único em estima diante de minha mãe, ele me ensinava, e me dizia: Retenha o teu coração as minhas palavras; guarda os meus mandamentos, e vive. (Pv 4.1-4)
A prevenção é o melhor remédio para se evitar futuros desastres de conduta.
Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele. (Pv 22.6).
Timóteo foi um dos maiores exemplos de eficiência do ensino nos lares. Filho de uma judia que era crente, mas de pai grego; recebeu de sua avó e de sua mãe o maior legado, a maior herança, o ensino da Palavra de DEUS. De um garoto simples, criado em uma minúscula cidade chamada Listra, Timóteo se tornou um gigante na fé e na direção de igrejas fundadas pelo apóstolo Paulo.
[...] trazendo à memória a fé não fingida que há em ti, a qual habitou primeiro em tua avó Loide, e em tua mãe Eunice e estou certo de que também habita em ti." (2 Tm 1.5)
Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em CRISTO JESUS. (2 Tm 3.14-15)
E enviamos Timóteo, nosso irmão, e ministro de DEUS, e nosso cooperador no evangelho de CRISTO, para vos confortar e vos exortar acerca da vossa fé; (1Ts 3.2)
Trazendo à memória a fé não fingida que em ti há, a qual habitou primeiro em tua avó Lóide, e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também habita em ti. (2 Tm 1.5).
A sociedade corrompida e sucumbida por valores totalmente distanciados dos padrões bíblicos é o produto da falta legítimo ensino cristão nos lares. É o resultado da negligência dos pais na criação de seus filhos.
O estado pouco pode fazer e não o faz. Também não é papel do estado imprimir nas pessoas o ensino bíblico, mas é dever dos pais.
A falta do princípio da autoridade, que deveria ter sido implantado nas crianças em seus lares, traz o desrespeito das crianças pelos mais velhos e conseqüentemente pelas autoridades, como o professor, o pastor, o policial, os governantes, os patrões, os ensinadores em geral e até pelo professor de EBD.
Vivemos em pleno caos educacional.
A família quer transferir sua responsabilidade para a Igreja e para o governo.
Acredito que a solução deva ser a reestruturação da família, por isso a insistente investida de Satanás em destruir as famílias, criando até uma pior situação do que a vigente – a criação de crianças por parte de pessoas do mesmo sexo que se casam com o apoio do estado e adquirem permissão para adotarem crianças. Pior do que isto não acredito poder ficar.
A Igreja deve trabalhar insistentemente na reestruturação dos lares cristãos e nos princípios bíblicos que neles devem ser ensinados e imprimidos.
 
Algumas medidas que creio serem importantes, e por que não dizer urgentes, são:
 
1- Pelo menos um Domingo por mês deve ter um culto direcionado para o assunto família.
2- Todas a s congregações devem criar um departamento de família.
3- Deve ser implantado em todos os lares o Culto Doméstico com a ajuda de grupos treinados para esse fim.
4- Deve ser iniciado um programa de leitura bíblica em todos os lares e departamentos da Igreja. Cada reunião, cada ensaio, cada culto deve ser prioritária a leitura de um capítulo da bíblia.
5- Cada culto de doutrina deve ter pelo menos quinze minutos dedicados ao ensino sobre família.
6- Cada templo sede deve criar um grupo especializado em ensino e pregação sobre o tema “Família, projeto de DEUS”.
7- Deve ser criada uma revista especial para ser usada pelos pais no ensino fundamental das principais doutrinas bíblicas em seus lares, facilitando assim a orientação dos pais para com seus filhos – principais e básicos ensinos para os lares cristãos.
 
Sem consertar a base da sociedade (a família) nunca conseguiremos arrumar o estrago já feito.
 
PAIS E FILHOS (BEP - CPAD)Cl 3.21 “Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo.”

É obrigação solene dos pais (gr. pateres) dar aos filhos a instrução e a disciplina condizente com a formação cristã. Os pais devem ser exemplos de vida e conduta cristãs, e se importar mais com a salvação dos filhos do que com seu emprego, profissão, trabalho na igreja ou posição social (cf. Sl 127.3).
(1) Segundo a palavra de Paulo em Ef 6.4 e Cl 3.21, bem como as instruções de Deus em muitos trechos do AT (ver Gn 18.19; Dt 6.7; Sl 78.5; Pv 4.1-4; 6.20), é responsabilidade dos pais dar aos filhos criação que os prepare para uma vida do agrado do Senhor. É a família, e não a igreja ou a Escola Dominical, que tem a principal responsabilidade do ensino bíblico e espiritual dos filhos. A igreja e a Escola Dominical apenas ajudam os pais no ensino dos filhos.
(2) A essência da educação cristã dos filhos consiste nisto: o pai voltar-se para o coração dos filhos, a fim de levar o coração dos filhos ao coração do Salvador (ver Lc 1.17).
(3) Na criação dos filhos, os pais não devem ter favoritismo; devem ajudar, como também corrigir e castigar somente faltas intencionais, e dedicar sua vida aos filhos, com amor compassivo, bondade, humildade, mansidão e paciência (3.12-14, 21).
(4) Seguem-se quinze passos que os pais devem dar para levar os filhos a uma vida devotada a Cristo:
(a) Dediquem seus filhos a Deus no começo da vida deles (1Sm 1.28; Lc 2.22).
(b) Ensinem seus filhos a temer o Senhor e desviar-se do mal, a amar a justiça e a odiar a iniqüidade. Incutam neles a consciência da atitude de Deus para com o pecado e do seu julgamento contra ele (ver Hb 1.9).
(c) Ensinem seus filhos a obedecer aos pais, mediante a disciplina bíblica com amor (Dt 8.5; Pv 3.11,12; 13.24; 23.13,14; 29.15, 17; Hb 12.7).
(d) Protejam seus filhos da influência pecaminosa, sabendo que Satanás procurará destruí-los espiritualmente mediante a atração ao mundo ou através de companheiros imorais (Pv 13.20; 28.7; 2.15-17).
(e) Façam saber a seus filhos que Deus está sempre observando e avaliando aquilo que fazem, pensam e dizem (Sl 139.1-12).
(f) Levem seus filhos bem cedo na vida à fé pessoal em Cristo, ao arrependimento e ao batismo em água (Mt 19.14).
(g) Habituem seus filhos numa igreja espiritual, onde se fala a Palavra de Deus, se mantém os padrões de retidão e o Espírito Santo se manifesta. Ensinem seus filhos a observar o princípio: “Companheiro sou de todos os que te temem” (Sl 119.63; ver At 12.5).
(h) Motivem seus filhos a permanecerem separados do mundo, a testemunhar e trabalhar para Deus (2Co 6.14—7.1; Tg 4.4). Ensinem-lhes que são forasteiros e peregrinos neste mundo (Hb 11.13-16), que seu verdadeiro lar e cidadania estão no céu com Cristo (Fp 3.20; Cl 3.1-3).
(i) Instruam-nos sobre a importância do batismo no Espírito Santo (At 1.4,5, 8; 2.4, 39).
(j) Ensinem a seus filhos que Deus os ama e tem um propósito específico para suas vidas (Lc 1.13-17; Rm 8.29,30; 1Pe 1.3-9).
(l) Instruam seus filhos diariamente nas Sagradas Escrituras, na conversação e no culto doméstico (Dt 4.9; 6.5, 7; 1Tm 4.6; 2Tm 3.15).
(m) Mediante o exemplo e conselhos, encorajem seus filhos a uma vida de oração (At 6.4; Rm 12.12; Ef 6.18; Tg 5.16).
(n) Previnam seus filhos sobre suportar perseguições por amor à justiça (Mt 5.10-12). Eles devem saber que “todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições” (2Tm 3.12).
(o) Levem seus filhos diante de Deus em intercessão constante e fervorosa (Ef 6.18; Tg 5.16-18; ver Jo 17.1, nota sobre a oração de Jesus por seus discípulos, como modelo da oração dos pais por seus filhos).
(p) Tenham tanto amor e desvelo pelos filhos, que estejam dispostos a consumir suas vidas como sacrifício ao Senhor, para que se aprofundem na fé e se cumpra nas suas vidas a vontade do Senhor (ver Fp 2.17).
 
Efésios 6 (Comentário Bíblico Expositivo - Novo Testamento - Volume I - Warren W . Wiersbe)
Pais não devem provocar os filhos. No tempo de Paulo, o pai exercia autoridade suprema sobre a família. Quando uma criança nascia em uma família romana, por exemplo, era tirada do quarto e colocada diante do pai. Se ele a pegasse no colo, era sinal de que a aceitava no lar. Mas se não a pegasse, indicava que não a aceitava, e a criança deveria ser vendida, dada ou abandonada para morrer. Sem dúvida, o verdadeiro amor paterno não permitia tamanhas atrocidades, mas tais praticas eram legais naquela época. Paulo diz aos pais: "Não usem sua autoridade para abusar de seus filhos; pelo contrario: incentivem e edifiquem a criança". Para os Colossenses, o apóstolo escreveu: "Pais, não irriteis os vossos filhos, para que não fiquem desanimados" (Cl 3:21). Assim, o oposto de "provocar" e "animar". Eu estava dando uma palestra a um grupo de estudantes sobre a oração e dizendo que nosso Pai celeste está sempre disponível quando o buscamos. Para ilustrar esse fato, contei que a recepcionista do escritório de nossa igreja tem uma lista que eu preparei com o nome de todas as pessoas que podem falar comigo a qualquer momento, não importa o que eu esteja fazendo. Mesmo que esteja em uma reunião do conselho ou no meio de uma sessão de aconselhamento, se alguma dessas pessoas telefonar, a recepcionista deve me chamar imediatamente. Minha família esta no topo da lista. Ainda que o assunto pareça ser de importância secundária, quero que minha família saiba que estou disponível. Depois dessa palestra, um dos rapazes me perguntou: - Você não quer me adotar? Nunca consigo falar com meu pai... E preciso tanto do incentivo dele! Os pais provocam e desanimam os filhos quando dizem uma coisa e fazem outra, sempre criticando e nunca elogiando, sendo incoerentes e injustos na disciplina, mostrando favoritismo dentro de casa, fazendo promessas e não cumprindo, deixando de levar a serio problemas extremamente importantes para os filhos. Os pais cristãos precisam da plenitude do Espírito para se mostrarem sensíveis às necessidades e aos problemas dos filhos.
 
Não basta cuidar dos filhos fisicamente providenciando alimento, abrigo e roupas. Também deve lhes dar alimento emocional e espiritual. O desenvolvimento do menino Jesus é um exemplo para nós: "E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens" (Lc 2:52). Vemos aqui um crescimento equilibrado: intelectual, físico, espiritual e social. Em parte alguma da Bíblia, a educação dos filhos é apresentada como responsabilidade de alguma pessoa ou instituição fora do lar, por mais que tais elementos externos colaborem no processo.
Deus incumbiu os pais de ensinar aos filhos os valores mais essenciais. Deve discipliná-los. O termo "criar" da a idéia de aprendizado por meio da disciplina. É traduzido por "corrigir" em Hebreus 12. Alguns psicólogos modernos se opõem ao conceito "antiquado" de disciplina, e muitos educadores seguem essa filosofia. Dizem que devemos deixar as crianças se expressarem e que, se as disciplinarmos, iremos distorcer seu caráter. No entanto, a disciplina é um princípio fundamental da vida e uma demonstração de amor. "Porque o Senhor corrige a quem ama e acoita a todo filho a quem recebe" (Hb 12:6). "O que refém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina" (Pv 13:24). E preciso, porem, certificar-se de estar disciplinando os filhos da maneira correta. Em primeiro lugar, deve-se discipliná-los em amor, não com raiva, a fim de não ferir o corpo nem a alma da criança ou, possivelmente, os dois. Quem não é disciplinado, evidentemente, não pode disciplinar a outros, e explosões de raiva nunca trazem beneficio algum para os filhos nem para os pais. Além disso, a disciplina deve ser justa e coerente. - Meu pai é capaz de usar um canhão para matar um pernilongo! - disse-me um adolescente. - Posso cometer homicídio e nada acontece ou posso ser considerado culpado de absolutamente tudo! A disciplina coerente aplicada com amor dá segurança à criança. Ela pode não concordar conosco, mas pelo menos sabe que nos importamos o suficiente para criar alguns muros de proteção a seu redor até ela ser capaz de tomar conta de si mesma. - Nunca soube quais eram os meus limites - comentou uma moça rebelde -, pois meus pais nunca se importaram comigo o suficiente para me disciplinar. Acabei concluindo que, se não era importante para eles, então por que deveria ser importante para mim? Deve instruí-los e incentivá-los. Esse é o significado do termo "admoestação". A fim de educar o filho, o pai e a mãe não usam apenas ações, mas também palavras. No Livro de Provérbios, por exemplo, temos um registro inspirado de um pai compartilhando conselhos sábios com o filho. Os filhos nem sempre apreciam nossos conselhos, mas isso não elimina nossa obrigação de instruí-los e de incentivá-los. É evidente que nossa instrução deve sempre estar de acordo com a Palavra de Deus (ver 2 Tm 3:13-1 7). Quando a Suprema Corte deu seu veredicto contrario a obrigatoriedade de orar nas escolas públicas, o famoso cartunista Herblock publicou uma tira no jornal Washington Post mostrando um pai irado sacudindo um jornal para a família e gritando: - Só faltava essa! Agora querem que a gente ouça as crianças orando em casa?
A resposta é: sim! O lar e o lugar onde as crianças devem aprender sobre o Senhor e a vida cristã. É hora de os pais cristãos pararem de empurrar a responsabilidade para os professores da escola dominical e das escolas cristãs e começarem a educar seus filhos.
 
A EDUCAÇÃO NOS LARES É BEM PERCEBIDA NO NOVO TESTAMENTO
MARIA PROVA TER UM ALTO CONHECIMENTO DA PALAVRA DE DEUS QUANDO CRIANÇA - VEJA - Lc 1.46-55 - Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador;
Porque atentou na baixeza de sua serva; Pois eis que desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada, Porque me fez grandes coisas o Poderoso; E santo é seu nome. E a sua misericórdia é de geração em geração Sobre os que o temem. Com o seu braço agiu valorosamente; Dissipou os soberbos no pensamento de seus corações. Depôs dos tronos os poderosos, E elevou os humildes. Encheu de bens os famintos, E despediu vazios os ricos. Auxiliou a Israel seu servo, Recordando-se da sua misericórdia; Como falou a nossos pais, Para com Abraão e a sua posteridade, para sempre (Maria provavelmente tinha por volta de 13 anos). 
 
JESUS TAMBÉM PROVA UM ALTO CONHECIMENTO DA PALAVRA DE DEUS QUANDO CRIANÇA - VEJA - Lc 2.46-47 - E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os. E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas (JESUS tinha 12 anos - em tudo era semelhante aos homens, inclusive na educação no lar). 
 
TIMÓTEO TAMBÉM PROVA UM ALTO CONHECIMENTO DA PALAVRA DE DEUS QUANDO CRIANÇA - VEJA 2 Tm 3.14-15 - Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em CRISTO JESUS.
 
 
INTERAÇÃO
Em lições anteriores vimos que grande parte dos pais não acompanha a vida estudantil dos filhos. Em que pese às demandas atuais da vida da família cristã, o que os pais cristãos têm feito pela educação religiosa dos seus filhos? Se, em primeiro lugar, a fé cristã não for ensinada e vivenciada no lar; certamente será impossível aos nossos filhos peregrinarem pelo caminho da retidão. A Educação Cristã é responsabilidade dada por DEUS aos pais.
 
OBJETIVOS- Após a aula, o aluno deverá estar apto a:
Considerar a Educação Cristã como missão prioritária dos pais. 
Compreender a educação no Antigo e em o Novo testamento. 
Saber da importância da Educação Cristã na família. 
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA 
Professor, para introduzir a lição dessa semana, sugerimos que leia o trecho do Manual de Ensino para o Educador Cristão, CPAD: "O mandato 'Fazei discípulos' (ARA [Almeida Revista Atualizada]) inclui intrinsecamente o ensino. Mas temos de notar que o ensino requerido aqui é o de determinada espécie, isto é, 'guardar [obedecer] todas as coisas' que CRISTO ordenou. Em outras palavras, Seus ensinamentos foram designados para produzir informação e transformação [...]" .
Solicite aos alunos que comentem e discutam o texto. Em seguida, fale acerca do impacto do Evangelho na vida do discípulo. Afirme que a Palavra de DEUS transforma a vida de qualquer pessoa.
 
PALAVRA-CHAVE - EDUCAÇÃO - Processo de desenvolvimento das capacidades física, intelectual e moral da criança e do ser humano em geral, visando à sua melhor integração individual e social.
 
RESUMO DA LIÇÃO 8, EDUCAÇÃO CRISTÃ, RESPONSABILIDADE DOS PAIS
I. EDUCAÇÃO, A MISSÃO PRIORITÁRIA DOS PAIS 
1. O que significa educar?
2. Educação Cristã.
3. A educação nas escolas.
II. A EDUCAÇÃO NO ANTIGO E EM O NOVO TESTAMENTO 
1. No Antigo Testamento.
2. Em o Novo Testamento.
3. Na atualidade.
III. A EDUCAÇÃO CRISTÃ NA FAMÍLIA 
1. Os filhos são herança do Senhor.
2. O ensino da Palavra de DEUS no lar.
3. Leve seus filhos à igreja.
 
SINOPSE DO TÓPICO (1) - Educar é proporcionar uma formação completa ao educando: espiritual, moral e social
SINOPSE DO TÓPICO (2) - No Antigo testamento os israelitas priorizavam a educação dos filhos em casa. Em o Novo testamento, as sinagogas eram os centros de instrução para os meninos aprenderem a lei. 
SINOPSE DO TÓPICO (3) - Na família, a Educação Cristã deve estar eminentemente presente. 
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I- Subsídio Teológico
"Educação Cristã
É a ciência magisterial da Igreja Cristã que, fundamentada na Bíblia Sagrada, tem por objetivos:
a) A instrução do ser humano no conhecimento divino, a fim de que ele volte a reatar a comunhão com o Criador, e venha a usufruir plenamente dos benefícios do Plano de Salvação que DEUS estabeleceu em seu amado Filho. O apóstolo Paulo compreendeu perfeitamente o objetivo da Educação Cristã:
'Admoestando a todo homem e ensinando a todo homem em toda a sabedoria; para que apresentemos todo homem perfeito em JESUS CRISTO' (Cl 1.28).
b) A educação do crente, para que este logre alcançar a perfeição preconizada nas Sagradas Escrituras: 'toda a Escritura é inspirada por DEUS e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de DEUS seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra' (2 Tm 3.16,17).
c) A preparação dos santos, visando capacitá-los a cumprir integralmente os preceitos divinos da Grande Comissão: 'Procura apresentar-te a DEUS aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade' (2 Tm 2.15)" (ANDRADE, Claudionor. Teologia da Educação Cristã: A missão educativa da Igreja e suas implicações bíblicas e doutrinárias. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2002, pp.5-6).
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II- Subsídio Teológico
"[A Educação Cristã] FOI PRATICADA PELA IGREJA PRIMITIVA
Não há a menor sombra de dúvida de que o Novo testamento ordena a Igreja a ensinar. Mas a Igreja Primitiva obedeceu mesmo esse mandamento? 
A ILUSTRAÇÃO
Em Atos 2.41-47, temos um retrato da Igreja primitiva, o qual nos informa que eles 'perseveravam na doutrina [ensino] dos apóstolos' (At 2.42). Este era o padrão contínuo; não uma exceção. 
 
A IMPLEMENTAÇÃO
Efésios 4 confirma o compromisso de ensinar. JESUS CRISTO, após subir aos céus, deu dons aos homens, a fim de que servissem à Igreja, conforme está escrito: 'Uns [...] para pastores e doutores [mestres, professores]' (Ef 4.11). O propósito? 'Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de CRISTO' (Ef 4.12); mais uma outra prova de que os talentosos são chamados para o ministério da multiplicação e não da adição.
Para o judeu, não havia uma posição mais alta na escada da sociedade do que a de rabino. Por conseguinte, quando a Igreja do primeiro século foi ensinada sobre a doutrina dos dons espirituais, confrontou-se com um problema. As pessoas clamavam pelo 'dom de ensino' com todos os privilégios a ele pertencentes. Como resultado, Tiago teve de emitir esta advertência: 'Meus irmãos, muitos de vós não sejam mestres [professores], sabendo que receberemos mais duro juízo' (Tg 3.1). Considerando que o professor é compelido a falar e que a língua é o último membro a ser dominado (Tg 3.2), deve-se ter muito cuidado, ao aspirar tal responsabilidade, ponderada e sensata.
As evidências bíblicas acima devem ser constrangedoras o bastante para atrair o sério e abortar o superficial [a respeito do ensino]" (GANGEl, Kenneth; HENDRICKS, Howard G. (Eds.). Manual de Ensino para o Educador Cristão: Compreendendo a natureza, as bases e o alcance do verdadeiro ensino cristão. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1999, p.7).
 
VOCABULÁRIO 
Mister: Urgência.
Utilitarista: Busca egoísta do prazer individual. 
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA 
ANDRADE, Claudionor. Teologia da Educação Cristã: A missão educativa da Igreja e suas implicações bíblicas e doutrinárias.1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2002.
GANGEL , Kenneth ; HENDRICKS, Howard G. (Eds.). Manual de Ensino para o Educador Cristão: Compreendendo a natureza, as bases e o alcance do verdadeiro ensino cristão. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1999.
GEISlER, Norman; ZACHARIAS, Ravi. Sua Igreja Está Preparada? Motivando Líderes Para Viver Uma Vida Apologética.1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007 
 
SAIBA MAIS - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 54, p.40.
 

QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 8, EDUCAÇÃO CRISTÃ, RESPONSABILIDADE DOS PAIS
Responda conforme a revista da CPAD do 2º Trimestre de 2013
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas verdadeiras e com "F" as falsas
 
TEXTO ÁUREO 
1- Complete:
"Instrui o menino no ___________________________________ em que deve andar, e, até quando ________________________________, não se __________________________________ dele" (Pv 22.6). 

VERDADE PRÁTICA 
2- Complete:
A _____________________________ cristã de nossas crianças, adolescentes e jovens é uma responsabilidade intransferível e pessoal dos ___________________________ com o apoio e assistência da _________________________________. 

COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO 
3- Educar os filhos não é uma tarefa fácil. DEUS, porém, confiou-nos essa tarefa, e dela não podemos fugir. Infelizmente, o que muitos pais estão fazendo e qual o resultado?
(     ) Familiarizando a educação de seus filhos, e isso tem enfraquecido a família cristã.
(     ) Congregando na EBD com seus filhos, e isso tem enfraquecido a família cristã.
(     ) Terceirizando a educação de seus filhos, e isso tem enfraquecido a família cristã.

I. EDUCAÇÃO, A MISSÃO PRIORITÁRIA DOS PAIS 
4- O que significa educar?
(     ) Segundo o Dicionário Houaiss "a palavra educar vem do latim educo e significa 'criar uma criança'; cuidar, instruir".
(     ) Segundo o Dicionário Houaiss "a palavra educar vem do grego educo e significa 'criar uma pessoa'; cuidar, instruir".
(     ) Podemos definir educação como ensino e instrução.

5- Qual o papel da Igreja na educação de nossos filhos?
(     ) Como luz e sal deste mundo ela deve educar e instruir na educação secular.
(     ) Não podemos jamais nos esquecer que a Igreja do Senhor tem uma função educadora.
(     ) Como sal e luz deste mundo ela deve educar e instruir segundo a Palavra de DEUS.
(     ) Como crentes precisamos ser guiados e orientados segundo as Escrituras, pois ela nos protege das sutilezas do Maligno.

6- O que é preciso fazer quanto à Educação Cristã de nossa família?
(     ) A participação da liderança é prescindível. O ministério pastoral não é muito ligado à educação, por isso, a necessidade da EBD.
(     ) Se quisermos uma sociedade melhor, mais justa e solidária, precisamos, como Igreja do Senhor, valorizar o ensino da Palavra de DEUS.
(     ) Para isso, é imprescindível investir na Educação Cristã, pois o seu principal objetivo é levar o crente a conhecer mais a DEUS (Os 6.3), contribuindo para que o fiel tenha uma vida reta perante o Senhor e a sociedade.
(     ) Nesse processo, a participação da liderança é decisiva. Aliás, ensinar é um dos deveres do pastor.

7- Como funciona a educação nas escolas atualmente?
(     ) Tanto nas escolas públicas quanto nas privadas as crianças e os jovens estão em contato com a Palavra de DEUS.
(     ) Vivemos em uma sociedade permissiva, onde faltam valores morais e éticos.
(     ) Tanto nas escolas públicas quanto nas privadas as crianças e os jovens estão em contato com filosofias ateístas, materialistas e pragmáticas.
(     ) Tais ensinos, nocivos à fé cristã, já fazem parte do currículo de muitas escolas.
(     ) Por isso, os pais não podem negligenciar a educação dos seus filhos.
(     ) Eles precisam, com a ajuda da igreja, ser instruídos para orientar seus filhos.
(     ) Os resultados da educação divorciada dos valores cristãos podem ser os piores possíveis: milhares de adolescentes grávidas, aumento das doenças sexualmente transmissíveis e do número de casos de AIDS, etc. 

II. A EDUCAÇÃO NO ANTIGO E EM O NOVO TESTAMENTO 
8- Como era a educação no Antigo Testamento, entre os israelitas?
(     ) O ensino infantil era prioridade das sinagogas.
(     ) A ordem do Senhor aos israelitas era para que estes priorizassem a educação.
(     ) Os pais tinham a responsabilidade de ensinar os filhos a respeito dos atos do Senhor em favor do povo de Israel.
(     ) Assim os filhos, mediante o testemunho dos pais, conheceriam a DEUS e aprenderiam a temê-lo.
(     ) No livro de Josué lemos a respeito do memorial erguido com doze pedras retiradas do rio Jordão.
(     ) Este memorial serviria para lembrar ao povo o dia em que o Senhor os fez passar a pés secos pelo rio.
(     ) Ao verem esse memorial, as crianças ouviriam a sua história e aprenderiam mais sobre o DEUS de seus pais.
(     ) É preciso que façamos o mesmo com nossas crianças, testemunhando do poder de DEUS às próximas gerações.
(     ) É preciso aproveitar cada momento para mostrarmos a nossa gratidão a DEUS, de modo que o nosso exemplo de vida fale tanto quanto nossas palavras.

9- Como era a educação no Novo Testamento, no início do cristianismo?
(     ) Em sua pré-adolescência, JESUS já sabia de cor toda nossa bíblia, chegando a confundir os doutores da lei.
(     ) As sinagogas também eram um centro de instrução onde os meninos judeus aprendiam a respeito da lei. Mesmo havendo essas "escolas" a educação no lar era prioritária.
(     ) JESUS, como menino judeu, provavelmente participou do ensino nas sinagogas, pois seus pais cumpriam os rituais judaicos.
(     ) Em sua pré-adolescência, JESUS já sabia de cor a Torá, chegando a confundir os doutores no templo.
(     ) Em o Novo Testamento vemos que a educação começava no lar, passava pela sinagoga, e se fortalecia no templo.
(     ) Temos também o exemplo do jovem obreiro Timóteo. O apóstolo Paulo escreveu a Timóteo exortando-o a permanecer nas Sagradas Escrituras, que havia aprendido ainda menino.

10- Como é a educação cristã na atualidade?
(     ) Cabe à igreja a maior responsabilidade de educar os filhos dos crentes. Aliás, a educação de nossos filhos deve começar prioritariamente, na igreja.
(     ) A Escola Dominical é a maior e a mais acessível agência de educação religiosa das igrejas evangélicas.
(     ) Ela auxilia todas as faixas etárias na compreensão das Sagradas Escrituras.
(     ) Porém, a Escola Dominical não pode ser a única responsável pela formação espiritual e moral de nossas crianças, adolescentes e jovens.
(     ) A responsabilidade maior cabe aos pais. Aliás, a educação de nossos filhos deve começar, prioritariamente, em nosso lar, pois assim DEUS recomenda em sua Palavra. 

III. A EDUCAÇÃO CRISTÃ NA FAMÍLIA 
11- Os filhos são herança do Senhor. O que os pais devem fazer pela educação de seus filhos?
Os pais precisam cuidar dos filhos com zelo, carinho e amor, oferecendo uma educação de _______________________________, pois eles são "herança do Senhor" e a nossa grande __________________________ (Sl 127.3); portanto, agradeça a DEUS pelos seus filhos. Como forma de gratidão, procure ensiná-los e educá-los no _____________________________________ do Senhor (Ef 6.1-4). Não seja _________________________________ com a educação deles (Pv 22.6).

12- Qual deve ser o ensino da Palavra de DEUS, no lar, pelos pais?
(     ) O pastor é, por natureza, o primeiro professor dos filhos.
(     ) Os pais são, por natureza, os primeiros professores dos filhos.
(     ) A criança conhece a DEUS primeiramente através dos pais, por isso, não deixe de fazer o culto doméstico.
(     ) Reserve ao menos 10 minutos por dia para louvar e adorar ao Senhor com seus filhos. Tais momentos são especiais e ajudam a fortalecer a família.
(     ) Não permita que a televisão ou quaisquer meios de distração impeçam a sua família de desfrutar desses minutos tão especiais.

13- O que fazer com os filhos, quanto à igreja?
(     ) As crianças e os jovens devem ser obrigados, persuadidos, a ir à Casa do Senhor, pois lá terão o principal ensino bíblico de suas vidas.
(     ) Lamentavelmente, muitos pais vão à igreja sem seus filhos.
(     ) As crianças e os jovens devem ser persuadidos, com amor, a ir à Casa do Senhor.
(     ) Se ainda na infância forem conduzidos à Casa de DEUS, quando jovens darão valor a essa prática saudável.
(     ) A Educação Cristã começa no lar e é fortalecida na Igreja, notadamente na Escola Dominical. 

CONCLUSÃO 
14- Complete:
"Educação é _________________________ do Estado e direito do cidadão", porém, a educação começa na _______________________________. Os pais receberam de DEUS uma das mais nobres missões: _______________________________ seus filhos. Aqueles que amam ao Senhor e a sua Palavra vão fazer de tudo para que seus filhos sejam educados segundo os princípios ___________________________. Somente assim livraremos nossos filhos dos _____________________________________ destes últimos dias. 
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm 
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.
O Novo Dicionário da Bíblia - J.D.DOUGLAS.
Comentário Bíblico NVI - EDITORA VIDA.
Revista Ensinador Cristão - nº 53 - CPAD.
Comentário Bíblico Beacon, v.5 - CPAD.
GARNER, Paul. Quem é quem na Bíblia Sagrada. VIDA
ELISSEN, Stanley. Conheça melhor o Antigo Testamento. VIDA.
CHAMPLIN, R.N. O Novo e o Antigo Testamento Interpretado versículo por Versículo. 
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD
AS GRANDES DEFESAS DO CRISTIANISMO - CPAD - Jéfferson Magno Costa
O NOVO DICIONÁRIO DA BÍBLIA – Edições Vida Nova – J. D. Douglas
Tesouro de Conhecimento Bíblico - Emílio Conde - CPAD
Comentário Bíblico Expositivo - Novo Testamento - Volume I - W arren W . W iersbe
O Ato Conjugal - Tim e Beverly LaHaye
Pr. Elinaldo Renovato de Lima - A Família Cristã nos Dias Atuais; Ética Cristã; Aprendendo Diariamente com CRISTO;
Colossenses – Comentário; I e II Tessalonicenses – Comentário; Células-Tronco – Uma Visão ética e Cristã; Perigos da Pós-Modernidade; DEUS e a Bíblia (publicados pela CPAD)A Família Que Você Sempre Quis - Autor: Gary Chapman - Editora: Mundo Cristão
Projetos Para Um Casamento Sólido - Autor: Dr. Steve Stephens - Editora: CPAD
Os Conflitos no Lar e as Escolhas do Pacificador - Autores: Ken Sande & Tom Raabe - Editora: NUTRA
Maridos - Perseguindo a Excelência - Autor: Lou Priolo - Editora: NUTRA
Um Homem Segundo o Coração de DEUS - Autor: Jim George - Editora: Hagnos
A Sabedoria de DEUS na Vida da Mulher - Autora: Elizabeth George - Editora: CPAD
O Amor Como Estilo de Vida - Autor: Gary Chapman - Editora: SEXTANTE
Fazer Amor - Como Fazer do Sexo Um Ato de Amor - Autor: Gary Chapman - Editora: Mundo Cristão
AMOR - O Maior Mandamento - Autor: Henry Drummond - Editora: Ágape
Amor - O Que Nos Falta Para o Arrebatamento - Autor: Norbert Lieth - Editora: ACTUAL Edições
25 Maneiras de Valorizar as Pessoas - Autores: John C. Maxwell & Les Parrott, PH. D. - Editora: SEXTANTE
Purificando o Coração da Idolatria Sexual - Autor: Dr. John D. Street - Editora: NUTRA
Perdoando Para Viver - Autor: Wilson de Souza- Editora: MK Editora
PERDÃO - A Cura das Emoções - Autor: Hernandes Dias Lopes - Editora: Candeia
Venha Conhecer o Que Acontecerá no FUTURO - Autor: Meno Kalisher - Editora: ACTUAL Edições
Movido Pela Eternidade - Autor: John Bevere - Editora: Luz às Nações Ltda.
Mulheres Ajudando Mulheres - Autoras: Elyse Fitzpatrick & Carol Cornish - Editora: CPAD
Aliviando a Bagagem Para as Mães - Autor: Max Lucado - Editora: CPAD
Ele Escolheu os Cravos - Autor: Max Lucado - Editora: CPAD
Ele Ainda Remove Pedras - Autor: Max Lucado - Editora: CPAD
Quem Tem Sede Venha - Autor: Max Lucado - Editora: CPAD
Antes do Sim - Uma Criativa Preparação Pré-nupcial - Autores: Wes Roberts & H. Norman Wright - Editora: CPAD
SEXO? Agora Não, Obrigado! Só no Casamento - Autor: Ian Gregory - Editora: CPAD
Passando aos Filhos a Tocha da Fé - Autor: John M. Drescher - Editora: Mundo Cristão
O Coração da Ira - Guia Prático Para Lidar Com a Ira dos Filhos - Autor: Lou Priolo - Editora: NUTRA
AUTO-ESTIMA - Uma Perspectiva Bíblica - Autor: Jay E. Adams - Editora: NUTRA 
O Caminho Para o Filho Andar - Autor: Lou Priolo - Editora: NUTRA 
Colocando o Seu Passado no Devido Lugar - Autor: Stephen Viars - Editora: NUTRA
Quando Vem a Brisa... Reflexões Sobre os Dilemas Humanos e a Graça de DEUS - Autor: Estevam Fernandes - Editora: Central Gospel
Pregação Que Fala às Mulheres - Autora: Alice P. Mathews - Editora: CPAD