terça-feira, 30 de abril de 2019

Vídeos Lição 5, A Pia de Bronze, Lugar de Purificação, 1 Parte, 2Tr19, Pr. Henr...

Slides Lição 5, A Pia de Bronze, Lugar de Purificação




































Escrita - Lição 5, A Pia de Bronze, Lugar de Purificação

Lição 5, A Pia de Bronze, Lugar de Purificação
2º Trimestre de 2019 - O Tabernáculo - Símbolos da Obra Redentora de CRISTO - Comentário: Pr Elienai Cabral
Complementos, Ilustrações e Vídeos: Pr. Luiz Henrique de Almeida Silva - 99-99152-0454. - henriquelhas@hotmail.com
Para nos ajudar - conta Bradesco - 7074-2 agência 2365-5
Estudo escrito para ajudar -
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao8-2co-exortacaoasantificacao.htm 
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao6-es-ocristaoesuasantificacao.htm
https://ebdnatv.blogspot.com/2019/04/slides-licao-5-pia-de-bronze-lugar-de.html slides 
Vídeos para Ajudar - https://www.youtube.com/view_play_list?p=9B048B60A33FCE81 
Vídeo desta Lição - https://www.youtube.com/watch?v=9ALCpEE4bvw
TEXTO ÁUREO
“Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado.” (Jo 15.3)

VERDADE PRÁTICA
A Pia de Bronze é o símbolo do processo da santificação que CRISTO realiza em nós através de seu sangue e da Palavra de DEUS.
LEITURA DIÁRIA
Segunda – Ef 5.26 A Palavra como água purificadora
Terça – 1 Pe 1.22 A obediência à Palavra traz pureza
Quarta – Jo 3.5 Nascendo da “água” e do ESPÍRITO
Quinta – Hb 10.22 Apresentando-se a DEUS, purificados
Sexta – 1 Jo 5.6 A Palavra viva encarnou
Sábado – At 2.38 Batismo: a confirmação da purificação
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Êxodo 30.18-21; 40.30-32; 1 Coríntios 6.11; Efésios 5.26,27
Êxodo 30
18 - Farás também uma pia de cobre com a sua base de cobre, para lavar; e a porás entre a tenda da congregação e o altar e deitarás água nela. 19 - E Arão e seus filhos nela lavarão as suas mãos e os seus pés. 20 - Quando entrarem na tenda da congregação, lavar-se-ão com água, para que não morram, ou quando se chegarem ao altar para ministrar, para acender a oferta queimada ao Senhor. 21 - Lavarão pois, as mãos e os pés, para que não morram; e isto lhes será por estatuto perpétuo, a ele e à sua semente nas suas gerações. 
Êxodo 40
30 - Pôs também a pia entre a tenda da congregação e o altar e derramou água nela, para lavar. 31 - E Moisés, e Arão, e seus filhos, lavaram nela as mãos e os pés. 32 - Quando entravam na tenda da congregação e quando chegavam ao altar, lavaram-se, como o Senhor ordenara a Moisés. 
1 Coríntios 6
11 - E é o que alguns têm sido, mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor JESUS e pelo ESPÍRITO do nosso DEUS.
Efésios 5 
26 - para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, 27 - para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
OBJETIVO GERAL - Conscientizar sobre a importância da pureza espiritual.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Conceituar a Pia de Bronze;
Refletir acerca da Pia de Bronze e sua relação com a limpeza e a pureza espiritual;
Destacar os dois aspectos dos ritos de lavagem dos sacerdotes.
INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Na aula passada vimos que o Altar do Holocausto apontava para o Calvário. Assim, uma ideia de redenção, a partir da suficiência do sacrifício de JESUS, ficou muito clara para nós – não deixe de fazer esse pequeno resumo. Agora, estudaremos a Pia de Bronze. Esse objeto aponta para a doutrina da santificação na vida de quem foi redimido pelo sacrifício de JESUS. 
Antes de apresentar o sacrifício no Lugar SANTO, os sacerdotes precisavam se lavar. Isso remonta a necessidade de vivermos uma vida de pureza. A santidade é uma urgência espiritual na vida de quem é chamado discípulo de JESUS. Tenha uma boa aula!
PONTO CENTRAL - Fomos chamados a viver uma vida de pureza.
Resumo da Lição 5, A Pia de Bronze, Lugar de Purificação
I – A PIA DE BRONZE: A IMPORTÂNCIA DA SANTIDADE 
1. A pia de bronze e a água (Êx 30.18,19).
2. Os sacerdotes e a santidade (Êx 30.20).
3. A santidade para a vida* (Êx 30.21).
II – A PIA DE BRONZE: LUGAR DE LIMPEZA E PUREZA
1. A Pia de Bronze (cobre) entre o Altar do Holocausto e o Tabernáculo.
2. A lavagem na Bacia de Bronze.
3. A Pia de Bronze e o caráter de juízo.
III – DOIS ASPECTOS DO RITO DE LAVAGEM DOS SACERDOTES 
1. A lavagem completa.
2. A lavagem progressiva e constante.
3. Recapitulando verdades importantes.

SÍNTESE DO TÓPICO I - A Pia de Bronze aponta para a santidade da vida cristã.
SÍNTESE DO TÓPICO II - A Pia de Bronze remonta a ideia de purificação e juízo. À semelhança das águas purificadoras, a Palavra de DEUS tem o poder de limpar e disciplinar nossa vida.
SÍNTESE DO TÓPICO III - Uma lavagem completa e outra progressiva apontam para dois aspectos da santidade: a completa e a progressiva. Hoje, é inaceitável que um ministro queira servir na Casa de DEUS sem ter passado pela obra da regeneração (Jo 13.10).
Comemntários Pr. Henrique
INTRODUÇÃO
Após estudarmos o Altar de Holocaustos, nosso próximo passo, rumo ao propiciatorio é Pia de Bronze. É o caminho a ssr percorrido no Tabernáculo.
Qual o simbolismo da Pia de Bronze? Certamente a limpeza e a pureza, o que imnplica santidade.
Aqui temos a limpeza física (corpo), da alma e do espirito. Santidade (1 Ts 5:23 - E o mesmo DEUS de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesu CRISTO).
JESUS respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do ESPÍRITO, não pode entrar no reino de DEUS. João 3:5
Água - Pregação da Plavra e o aceirar e crêr nesta Palavra, o evangelho de nossa salvação. Palavra lava e santifica.
ESPÍRITO - Incluído no corpo de CRISTO e feito morada do mesmo ESPÍRITO SANTO. SANTO ESPÍRITO em ação em nossa vida.
 
Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o ESPÍRITO SANTO da promessa; Efésios 1:13
 
  

I – A PIA DE BRONZE: A IMPORTÂNCIA DA SANTIDADE
Hebreus 9:10
Eram tão-somente ordenanças que tratavam de comida e bebida e de várias cerimônias de purificação com água; esses mandamentos exteriores foram impostos até a chegada do tempo da nova ordem. O perfeito sacrifício de CRISTO

1. A pia de bronze e a água (Êx 30.18,19).
A pia de bronze foi uma ordem dada por DEUS na construção do tabernáculo. O objetivo era que antes de entrar ou sair, tanto do Tabernáculo em si, como da parte coberta do Tabernáculo, Arão e seus filhos lavassem as mãos e os pés. Durante a execução dos sacrifícios no Altar de Holocaustos os sacerdotes se sujavam de sangue contaminado pelo pecado. Para apresentarem-se diante de DEUS tanto nos sacrifícios no Altar de Holocaustos, quanto na parte coberta do Tabernáculo, onde os materiais eram recobertos com ouro, indicando maior proximidade com DEUS, era exigido que se purificassem. Não há manifestação de DEUS sem sacrifício. Após o sacrifício no Altar de Holocaustos o sangue das vítimas iriam ser apresentados a DEUS nas pontas do Altar de Incenso. No dia da expiação também na tampa do Propiciatório. Na purificação de todo santuário também. Todo culto prestado a DEUS deve ser racional, santo e reverente. Na presença de DEUS devemos considerar a santidade de DEUS (1 Pe 1.15,16).
 
Versículo 18 . Uma pia de bronze -
כיור kiyor às vezes significa um caldeirão, 1 Samuel 2:14, mas parece significar qualquer vasilha redonda grande ou bacia usada para lavar as mãos e os pés. Há sem dúvida ghargalos ou bicos nela para retirar a água, uma vez que não é provável que os pés fossem colocados dentro da Pia, a fim de serem lavados. O pé da pia deve significar o pedestal em que se encontrava.
 

2. Os sacerdotes e a santidade (Êx 30.20).
Toda vez que os sacerdotes entrassem no Tabernáculo deveriam se lavar para não morrerem. Eles entravam várias vezes e saíam. Após os ofertantes apresentarem seus animais e degolarem suas vítimas e as cortarem, o sacerdote entrava com o sangue para passar nas pontas do altar de holocaustos e derramar o restante do sangue ao redor do altar.
Depois queimava parte do animal no altar, ou todo o animal em algumas oportunidades.
Os sacerdotes tinham a obrigação também de manterem o fogo aceso no Altar de Holocaustos com três sacrifícios diários (manhã, Tarde e Noite) e fogo aceso nos pavios do Candelabro e o fogo aceso no Altar de Incenso. Entravam e saiam do Tabernáculo o dia todo.
Um cordeiro oferecerás pela manhã, e o outro cordeiro oferecerás à tarde. Êxodo 29:39
Dá ordem a Arão e a seus filhos, dizendo: Esta é a lei do holocausto; o holocausto será queimado sobre o altar toda a noite até pela manhã, e o fogo do altar arderá nele. Levítico 6:9
Sobre o candelabro de ouro puro porá em ordem as lâmpadas perante o Senhor continuamente. Levítico 24:4
 
Não havia possibilidade de esquecimento, suas vidas estavam em jogo. DEUS é santo e exige santidade. (Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo. 1 Pedro 1:16; Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver 1 Pedro 1:15; Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o Senhor vosso DEUS. Levítico 20:7).
Todo crente atente para isso - “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14).
Não ver o Senhor significa não será salvo. Não subirá no arrebatamento. Não estará com o Senhor para sempre.
A paz com todos é impossível ao crente verdadeiro, pois sempre será perseguido, tanmto por pessoas inimigas do evangelho como por falsos irmãos. Nós buscamos a paz e isso é nossos dever, mas nem sempre será aceita por outros. "Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens." Romanos 12:18. "Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de CRISTO". 2 Coríntios 11:13
 

3. A santidade para a vida* (Êx 30.21).
Versículo 21 . E será por estatuto perpétuo 
Para continuar, em seu sentido literal, enquanto a vida religiosa judaica durasse, e, em seu significado espiritual, eternamente. Que lição importante isso ensina a nós todos, filhois de DEUS e ministros do Evangelho de CRISTO! Cada vez que estamos em público, seja na pregação ou ensino da palavra ou com nossos testemunho de vida, devemos tomar o cuidado para que nos mantenhamos firmes na Santiddade, combatendo as transgressões ou infidelidades do passado, e assim sermos capacitados para ministrar com o maior efeito, como sendo o favor divino e, conseqüentemente, o dever de sermos instrumentos da unção divina, para fazer nossas ministrações em ESPÍRITO e vida para as pessoas.
 
Versículo 20 . Devem lavar com água, para que não morram 
Esta foi certamente uma lavagem emblemática, e como as mãos e os pés são particularmente mencionados, deve referir-se a pureza de toda a sua conduta. Suas mãos  todas as suas obras, os seus pés, todas as suas lidas, devem ser lavados, devem ser com santidade ao Senhor. 
Esta lavagem devia ser repetida cada vez que entrassem no tabernáculo, ou quando eles se aproximassem do altar para ministrar. Esta lavagem é necessária porque os sacerdotes tudo ministravam descalços (talvez de sandálias), mas foi igualmente por causa da culpa do pecado das ofertas que possam ter contraído, a lavagem foi emblemática do afastamento de pecado, pois, assim Paulo chama a pia da regeneração e da renovação do ESPÍRITO SANTO, (Tito 3:5 - Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do ESPÍRITO SANTO), assim, debaixo da influências do ESPÍRITO SANTO existe uma purificação da alma, freqüentemente lavando toda mácula moral que o tenha contaminado.
 
Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. João 15:3 - A PALAVRA LIMPA.
Você pode se limpar todo dia das impurezas do mundo pelas quais passa no dia a dia. Você pode lavar sua família todo dia lendo pelo mens um capítuo da Bíblia junto com eles.
 
 
 
 
 
O VALOR DA SANTIFICAÇÃO
Para prosseguir na sua caminhada cristã, o crente precisa lavar-se no lavatório. "Fez a bacia e o suporte de bronze, com os espelhos das mulheres que estavam de serviço à entrada da tenda de reunião" (Êxodo 38.8).
Aquela bacia, feita dos espelhos das mulheres piedosas que velavam à porta do Tabernáculo, significa a Palavra de DEUS. Os espelhos naquela época eram de metal polido. JESUS, falando da sua palavra, disse: "Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado" (João 15.3).
a. Lavar-se é renunciar. Com aquele gesto de doar os seus objetos de toalete, as mulheres estavam renunciando ao mundo e à vaidade mundana. A Bíblia diz: "Não ameis o mundo nem as cousas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de DEUS permanece eternamente" (1 João 2.15-17). Aquelas mulheres sacrificavam a sua beleza artificial, exterior, em busca da beleza interior. Há, no Novo Testamento, dois fatos interessantes relacionados com mulheres piedosas: O primeiro deles relaciona-se com aquela que derramou sobre JESUS um vaso de precioso ungüento, provocando murmurações de alguns e a revolta de Judas Iscariotes. JESUS, porém, respondeu: "Em verdade vos digo: Onde for pregado em todo o mundo o evangelho, será também contado o que ela fez, para memória sua" (Marcos 14.9). O outro fato diz respeito a Ana, filha de Fanuel, "que era viúva de oitenta e quatro anos. Esta não deixava o templo, mas adorava noite e dia em jejuns e orações" (Lucas 2.37).
b. Maior limpeza, mais fruto. JESUS disse que a vara que dá fruto precisa de limpeza, para dar mais fruto. O salmista, quando buscava uma resposta de DEUS para a juventude do seu tempo, perguntou: "De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando segundo a tua Palavra" (Salmo 119.9). No Pátio, o cristão é um ramo que dá bons frutos
c. A importância da pia de bronze. É impossível prosseguir a caminho do SANTO dos Santos sem passar pela água, sem passar pela pia de bronze: "O Senhor falou a Moisés, dizendo: Farás uma bacia de bronze; com suporte de bronze, para as abluções. Colocarás a bacia entre a tenda de reunião e o altar, e a encherás de água. Com ela Arão e os filhos lavarão as mãos e os pés. Ao entrarem na tenda de reunião eles deverão se lavar com esta água para não morrerem. Igualmente, ao aproximarem do altar para as funções, e ao queimarem um sacrifício pelo fogo ao Senhor, deverão lavar mãos e pés para não morrerem. Este será um decreto perpétuo para Arão e sua descendência, por todas as gerações". A bacia de bronze com água falava de santificação: "Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor" (Êxodo 30.17-21; Hebreus 12.14).
d. A santificação é aqui na Terra. O fato de a bacia estar na terra significa que a santificação deve ser buscada aqui na Terra: "Pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo vosso procedimento" (1 Pedro 1.15). Quando JESUS falou aos seus discípulos sobre a necessidade de serem lavados, Ele mencionou que Judas Iscariotes não passara pela pia de bronze, isto é, não se lavara na água do "lavatório". "Declarou-lhes JESUS: Quem já se banhou não necessita de lavar senão os pés; quanto ao mais está todo limpo. Ora, vós estais limpos, mas não todos" (João 13.10). Há três palavras gregas em João 13.9,10, que merecem destaque. São elas: "louo", que significa banho completo ("se banhou"); "nipto", que significa lavar parte do corpo ("não necessita de lavar senão os pés"), e, finalmente, "katharos" ("limpos"), significando isento de mancha. O cristão nascido de novo está purificado do pecado.
e. A palavra julga. A água reflete a face. "Tornai-vos, pois, praticantes da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla num espelho o seu rosto natural; pois a si mesmo se contempla e se retira, e para logo se esquece de como era a sua aparência" (Tiago 1.22-24). "Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei" (Ezequiel 36.25). Israel, em sua caminhada para Canaã, foi reprovado em Cades e pereceu no deserto. A palavra "Cades" pode ser traduzida por "santidade" ou "consagrado". O antigo nome de Cades era En-mispate (Gênesis 14.7), que significa "fonte do julgamento". Esta expressão aponta para as palavras de JESUS em João 12.48: "Quem me rejeita e não recebe as minhas palavras tem quem o julgue; a própria palavra que tenho proferido, essa o julgará no último dia". Como castigo por não haver sido aprovado em Cades, Israel passou 40 anos no deserto. Para cada dia que os espias estiveram em Canaã, eles, os israelitas, tiveram de passar um ano no deserto. "Ao cabo de 40 dias, voltaram de espiar a terra". "Vossos filhos serão pastores neste deserto quarenta anos, e levarão sobre si as vossas infidelidades, até que os vossos cadáveres se consumam neste deserto" (Números 13.25; 14.33). (Abraão de Almeida - O Tabernáculo e a Igreja - CPAD).
 
 
 
 
 
II – A PIA DE BRONZE: LUGAR DE LIMPEZA E PUREZA

1. A Pia de Bronze (cobre) entre o Altar do Holocausto e o Tabernáculo.
PIA -  palavra hebraica dud parece ter um duplo sentido, e expressa a ideia de um caldeirão ou chaleira em 1 Samuel 2.14; 2 Crônicas 35.13; Jó 41.20 e de uma cesta em 2 Reis 10.7; Salmo 81.6; Jeremias 24.1,2. O vaso de cerâmica que tinha esse nome era provavelmente uma panela de cozinha esférica e bem funda com uma boca estreita e duas alças pequenas. A palavra hebraica kiyyor geralmente se refere a uma bacia funda de bronze; em Zacarias 12.6 ela podia ser feita de metal ou de barro, e era um "braseiro ardente", ou seja, um utensílio que ia ao fogo. Essa palavra foi escolhida para descrever a pia de cobre ou a bacia de bronze (Ex 30.18; 38.8; 40.7,11,30; Lv 8.11). A palavra nebel originalmente significava um odre de vinho (1 Sm 1.24; 10.3; 25.18).
 
Entre o altar e a porta do Tabernáculo era colocada uma bacia (ou pia) de cobre ou bronze (Êx 30.17-21; 38.8; 40.30-32). Era uma grande bacia sobre um "suporte" ou "base" de cobre. A bacia era feita dos espelhos de bronze das mulheres que ministravam (Ex 38.8; veja Espelho). Ela continha água para as abluções dos sacerdotes. As Escrituras não nos contam nada sobre seu tamanho ou forma. Na verdade, ela também é omitida das instruções de marcha descritas no texto hebraico de Números 4, mas é mencionada na LXX. A omissão provavelmente não tem nenhuma importância, já que todas as outras partes do Tabernáculo possuem instruções detalhadas para o transporte.
A PIA DE COBRE COM ÁGUA SIMBOLIZA A PALAVRA DE DEUS E NÃO POSSUÍA MEDIDAS, POIS A PALAVRA DE DEUS É ETERNA.
Mt 24:35 
Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão.
A PALAVRA PURIFICA. 
Efésios 5
26 Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, 27 Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
A PALAVRA É VIVA E EFICAZ.
DISCERNE PENSAMENTOS E INTENÇÕES.
Hb 4:12 Porque a palavra de DEUS é viva e eficaz e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até a divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.
QUANDO CONFESSAMOS SOMOS PERDOADOS, PURIFICADOS.
Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. 1 João 1:9
 
 
A Pia de Cobre ficava logo após o Altar de Holocaustos, em frente da porta de entrada para o Lugar SANTO.
 
 
 

2. A lavagem na Bacia de Bronze.
A PIA ERA FEITA DE ESPELHOS DAS MULHERES, PORTANTO REFLETIA A IMAGEM DO SACERDOTE QUANDO SE LAVAVA.
Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; Tiago 1:23
Temos que ouvir e praticar. Assim seremos limpos para uso de DEUS.
Para não morrer o sacerdote devia lavar suas mãos e pés com a àgua da Pia. O sacerdote deveria ter a consciência da santidade de DEUS. Tudo no Tabernáculo foi santificado em sua inauguração com sangue de aliança. Tudo ali apontava para CRISTO, o únco caminho para DEUS.
Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo. 1 Pedro 1:16
Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; 1 Pedro 1:15
Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o Senhor vosso DEUS. Levítico 20:7
Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. Efésios 5:26,27
As maõs e pés de JESUS foram pregados na cruz.
 

3. A Pia de Bronze e o caráter de juízo.
No Altar de Holocaustos o pecado recebia seu justo juízo. Esse altar simboliza a Cruz onde JESUS deu sua vida por nós. Isso implica em salvação por justificação através de JESUS. Porém, em nosso dia a dia pecamos e precisamos de purificação. Assim a Palavra de DEUS vai nos revelando as impurezas para que possamos procurar sermos limpos. Fomos declarados santos ao nos converter, mas a apartir dai precisamos vigira e orar atentos à Palavra de DEUS. Esta Palavra é nosso prumo, ela nos dá a direção certa.
Pecamos por pensamentos, palavras e obras. Precisamos de sermos lavados continuamente. Não pode0os nos distanciar da Palvra de DEUS, senão como saberemos que estamos sujos?
 

III – DOIS ASPECTOS DO RITO DE LAVAGEM DOS SACERDOTES

1. A lavagem completa.
Esta lavagem de pés e mãos simbolizava a regeneração, tendo em vista a consagração dos sacerdotes no serviço de DEUS. Todo crente deve se preocupar com sua consagração a DEUS. Somos chamados para usso exclusivo de DEUS.
Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. João 15:3
 
Aproximou-se, pois, de Simão Pedro, que lhe disse: Senhor, tu lavas-me os pés a mim? Respondeu JESUS, e disse-lhe: O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois. Disse-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhe JESUS: Se eu te não lavar, não tens parte comigo. Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, não só os meus pés, mas também as mãos e a cabeça. Disse-lhe JESUS: Aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo. Ora vós estais limpos, mas não todos.” Jo. 13:6-10.
("Não todos" se referindo a Judas).
 
Tiramos muito proveito ao tomarmos essa lição como ensino de humildade que JESUS aqui nos transmite, mas devemos considerar outro aspecto, a saber:
Pedro, que ainda não tinha uma personalidade moldada na palavra de DEUS e no ESPÍRITO SANTO, quando JESUS estava lavando os pés aos discípulos achou-se indigno de ser lavado pelo mestre e foi preciso esforço do Senhor para que o mesmo aceitasse aquilo que só mais tarde ele entenderia;
 No Antigo Testamento vemos a ordem da lavagem dos pés e das mãos por parte dos sacerdotes ao entrarem no Tabernáculo. A apartir daí são muitos os rituais de purificação pela çlavagem da água. Até um absurdo vemos na atitude de judeius religiodsos que instituíram mais regras sobre regras, ordenando aos judeus que lavassem até suas camas.(E, quando voltam do mercado, se não se lavarem, não comem. E muitas outras coisas há que receberam para observar, como lavar os copos, e os jarros, e os vasos de metal e as camas. Marcos 7:4)
Naquela época era costume se lavar os pés aos convidados para cear, mas JESUS não estava se referindo a esse tipo de lavagem, pois essa lavagem lavava apenas a parte material nossa que estava em contado com a terra (no caso os pés), mas JESUS estava interessado em lavar Pedro e os demais do contato de suas almas com o mundo (pelas conversas, pelas amizades, pela vida cotidiana enfim).
Para melhor entendermos, leiamos hebreus 10.25 onde somos exortados a nos congregarmos sempre para sermos lavados pela palavra de DEUS (Ef 5.25-27) e recebermos o perdão pelos nossos pecados (1 Jo 1.9).
Quem não congrega fica cheio de sujeira do mundo e a tendência é se acostumar com o mesmo e deixar de reconhecer o erro e o pecado, quando estes se lhe apresentarem, desviando-se, assim do verdadeiro alvo, CRISTO JESUS.
 
LAVAGEM DAS MÃOS.
A lavagem cerimonial do corpo é universalmente reconhecida como um símbolo religioso ou um efetivo sacramento, que tem a função de purificar a pessoa da contaminação e da culpa do pecado. No AT, era colocada uma pia de cobre entre a tenda da congregação coberta e o altar do Tabernáculo do Templo, para que os sacerdotes que estavam ministrando ao Senhor pudessem lavar as mãos e os pés (Êx 30.17-21). O batismo de João nas águas do Rio Jordão era um símbolo da purificação dos pecados que acompanhava o arrependimento (Mt 3.6-11). Pilatos, o governador, mandou buscar água e lavou as mãos perante a multidão como se isso fosse absolvê-lo da culpa da crucificação de CRISTO (Mt 27.24). Os fariseus, em seu zelo pela lei, haviam deduzido inúmeras maneiras pelas quais uma pessoa poderia entrar em contato com a profanação cerimonial, o que, embora não sendo um ato pecaminoso, tornava o levita impuro e incapaz de se aproximar de DEUS com uma atitude de adoração. Da mesma maneira, haviam desenvolvido um elaborado programa de purificação para combater essa profanação. Por causa das mãos de seus discípulos, que não estavam lavadas, a discussão travada com JESUS estava relacionada com esse ato cerimonial, e não com a purificação habitual relacionada à higiene. JESUS condenou os fariseus porque, através de inúmeros detalhes que eram como um jugo sobre os homens, haviam obscurecido tanto a vontade quanto a Palavra de DEUS. "Porque, deixando o mandamento de DEUS, retendes a tradição dos homens" (Mc 7.1-9). Eles haviam transformado em obrigação moral aquilo que era apenas simbólico e cerimonial.
E eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados. Mateus 3:6
Por que transgridem os teus discípulos a tradição dos anciãos? pois não lavam as mãos quando comem pão. Mateus 15:2
O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem. Mateus 15:11
 

2. A lavagem progressiva e constante.
Assim como o sacerdote devia de purificar para ministrar as coisas sagrdas, npos devemos nos lavar cotidianamente.
 
A PIA, O FOGO, A PRATA E O CADINHO.
A pia era feita com os espelhos metálicos e refletores que as mulheres usavam e doaram para a construção do Tabernáculo.
O sacerdote se lavava e se via refletido para ver se estava limpo. Se não estivesse limpo, se lavava de novo, quantas vezes fossem necessárias, até ficar limpo para entrar no santuário.
Malaquias 3
2 Mas quem suportará o dia da sua vinda? E quem subsistirá, quando ele aparecer? Porque ele será como o fogo do ourives e como o sabão dos lavandeiros.
3 E assentar-se-á, afinando e purificando a prata; e purificará os filhos de Levi e os afinará como ouro e como prata; então, ao SENHOR trarão ofertas em justiça.
SERÁ COMO FOGO DO OURIVES. AFINANDO E PURIFICANDO A PRATA.
A PRATA
Certo dia, um grupo de mulheres estudava o livro de Malaquias quando chegou ao capítulo 3, versículo 3, que diz:"Ele assentar-se-á como fundidor e purificador da prata (...)" Essa declaração intrigou as mulheres que se perguntaram o significado dessas palavras em relação ao caráter e à natureza de DEUS. Foi quando uma delas se ofereceu para tentar descobrir como ocorria o processo de refinação da prata e, depois, voltar e contar ao grupo, na próxima reunião do estudo bíblico.
Naquela semana, a mulher ligou para um ourives e marcou com ele dia e hora para assistir ao seu trabalho. Não lhe explicou a razão de seu interesse. Seria apenas curiosidade sobre o processo de purificação da prata, metal tão precioso. No dia aprazado, enquanto ela o observava, o ourives mantinha um pedaço de prata sobre o fogo e o deixava aquecer. Explicou para ela que no processo de refinamento devia-se manter a prata no meio do fogo, onde as chamas eram mais quentes, a fim de se queimarem todas as impurezas do metal. Enquanto via aquilo, a mulher ficou a pensar em DEUS a manter-nos num lugar tão quente assim. E refletiu novamente sobre as palavras "ele (DEUS) se assenta como um fundidor e purificador da prata". Intrigada, perguntou ao ourives se de fato era necessário que ele se sentasse o tempo todo defronte ao fogo,enquanto ocorresse o processo de refino.Ele respondeu que sim, e que não apenas tinha de sentar-se lá, segurando a prata, mas também devia manter os olhos firmes nela o tempo todo em que a peça estivesse no meio das chamas. Se a prata fosse deixada sobre o fogo além do tempo necessário, mesmo por um breve instante, acabaria destruída. A mulher silenciou e, finalmente,perguntou ao ourives:"Como o senhor sabe quando a prata está completamente refinada?" Ele sorriu e respondeu: "Oh, é fácil: quando eu vejo a minha imagem nela".
Assim DEUS nos coloca no cadinho e fica de perto olhando, não nos deixa ser tentado acima do que suportamos, não deixa vacilar os nossos pés.
Só retira o fogo da provação quando ficarmos parecidos com ELE.
Fogo, termina logo seu serviço em mim.
Glória a DEUS.
 
2 Coríntios 7.1,8-10
1 ORA, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de DEUS
 

3. Recapitulando verdades importantes.
À luz de tudo quanto temos estudado até aqui, devemos assimilar algumas lições apreendias até o presente momento: 
1. Sobre o sangue de JESUS. O sangue de JESUS CRISTO nos livrou da pena do pecado ( Mt 20.28; 26.28; 1 Pe 4.17);
2. Sobre a Palavra. A Palavra de DEUS revela quem somos (Tg 1.22-24);
3. Sobre a limpeza espiritual. Uma vida irrepreensível é prioritária e absolutamente necessária (Jo 15.3).
Fala da salvação e santificação no altar de holocaustos. Depois fala da lavagem e regeneração pela Palavra na pia. Perpetuamente que significa a santificação progressiva. Depois fala da ressurreição de JESUS e nossa santificação eterna com o arrebatamento.
A santificação é em três etapas. Passado, no altar de holocaustos. Presente, na pia com lavagem todo dia. Futura, após arrebatamento.
A pia não tem a ver com a salvação em si, mas como ao ouvir a pregação da Palavra somos salvos por crer nela, implica que a Pia tem participação na fé para ser salvo pela graça que é CRISTO morrendo no altar de holocaustos.
A pia para um Batista significa batismo nas águas, pois para eles a salvação só se dá com o batismo nas águas. Porém, os sacerdotes não entravam dentro da pia e nem se batizava lá. Só lavavam as mãos e os pés. 
Então, o simbolismo aí na pia é da Palavra de DEUS e não do batismo nas águas.
 
A salvação se dá na morte vicária de CRISTO, simbolizada pelo Altar de Holocaustos.
Tt 2:11 Porque a graça de DEUS se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens.
Sangue no Altar de Holocaustos. Santificação posicional. É declarado santo quem crer. A Palavra revela quem somos. Revela o pecado. A lei mostra o pecado. Mostra a condenação. Aí corremos para JESUS que levou nossos pecados. Santificação progressiva se dá com o ouvir a Palavra de DEUS. A água da pia é a Palavra de DEUS.
 
 
CONCLUSÃO
A pia de bronze e a água (Êx 30.18,19) são símbolos da Palavra regeneradora de DEUS. Os sacerdotes deveriam ter a consciência da santidade de DEUS (Êx 30.20). A santidade para a vida (Êx 30.21) deve permear nossos pensamentos e açõesA Pia de Bronze (cobre) entre o Altar do Holocausto e o Tabernáculo ocupava lugar de destaque como meio de purificação.  A lavagem na Bacia de Bronze era obrigatória e perpétua. A Pia de Bronze denotava o sentido de juízo de morte para quem não se lavasse ali para purificação. A lavagem completa se dá no Altar de Sacrifícios ou Holocaustos, ali JESUS nos purificou de todo pecado e fomos decalrados santos. Porém com nosso sujar cotidiano precisamos de uma lavagem progressiva e constante.  Santificação - Separação do mal e do pecado, e dedicação total e exclusiva a DEUS.
 
 
Estudios diversos
A SANTIFICAÇÃO (BEP - CPAD)
1Pe 1.2 “Eleitos segundo a presciência de DEUS Pai, em santificação do ESPÍRITO, para a obediência e aspersão do sangue de JESUS CRISTO: graça e paz vos sejam multiplicadas”.

Santificação (gr. hagiasmos) significa “tornar santo”, “consagrar”, “separar do mundo” e “apartar-se do pecado”, a fim de termos ampla comunhão com DEUS e servi-lo com alegria  
(1) Além do termo “santificar” (cf. 1Ts 5.23), o padrão bíblico da santificação é expresso em termos tais como “Amarás o Senhor, teu DEUS, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento” (Mt 22.37), “irrepreensíveis em santidade” (1Ts 3.13), “aperfeiçoando a santificação” (2Co 7.1), “a caridade de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida” (1Tm 1.5), “sinceros e sem escândalo algum” (Fp 1.10), “libertados do pecado” (Rm 6.18), “mortos para o pecado” (Rm 6.2), “para servirem à justiça para santificação” (Rm 6.19), “guardamos os seus mandamentos” (1Jo 3.22) e “vence o mundo” (1Jo 5.4). Tais termos descrevem a operação do ESPÍRITO SANTO mediante a salvação em CRISTO, pela qual Ele nos liberta da escravidão e do poder do pecado (Rm 6.1-14), nos separa das práticas pecaminosas deste mundo atual, renova a nossa natureza segundo a imagem de CRISTO, produz em nós o fruto do ESPÍRITO e nos capacita a viver uma vida santa e vitoriosa de dedicação a DEUS (Jo 17.15-19,23; Rm 6.5, 13, 16, 19; 12.1; Gl 5.16, 22,23; ver 2Co 5.17).
(2) Esses termos não subentendem uma perfeição absoluta, mas a retidão moral de um caráter imaculado, demonstrada na pureza do crente diante de DEUS, na obediência à sua lei e na inculpabilidade desse crente diante do mundo (Fp 2.14,15; Cl 1.22; 1Ts 2.10; cf. Lc 1.6). O cristão, pela graça que DEUS lhe deu, morreu com CRISTO e foi liberto do poder e domínio do pecado (Rm 6.18); por isso, não precisa nem deve pecar, e sim obter a necessária vitória no seu Salvador, JESUS CRISTO. Mediante o ESPÍRITO SANTO, temos a capacidade para não pecar (1Jo 3.6), embora nunca cheguemos à condição de estarmos livres da tentação e da possibilidade do pecado.
(3) A santificação no AT foi a vontade manifesta de DEUS para os israelitas; eles tinham o dever de levar uma vida santificada, separada da maneira de viver dos povos à sua volta (ver Êx 19.6; Lv 11.44; 19.2; 2Cr 29.5). De igual modo a santificação é um requisito para todo crente em CRISTO. As Escrituras declaram que sem santificação ninguém verá o Senhor (Hb 12.14).
(4) Os filhos de DEUS são santificados mediante a fé (At 26.18), pela união com CRISTO na sua morte e ressurreição (Jo 15.4-10; Rm 6.1-11; 1 Co 130), pelo sangue de CRISTO (1Jo 1.7-9), pela Palavra (Jo 17.17) e pelo poder regenerador e santificador do ESPÍRITO SANTO no seu coração (Jr 31.31-34; Rm 8.13; 1Co 6.11; 1Pe 1.2; 2Ts 2.13).
(5) A santificação é uma obra de DEUS, com a cooperação do seu povo (Fp 2.12,13; 2Co 7.1). Para cumprir a vontade de DEUS quanto à santificação, o crente deve participar da obra santificadora do ESPÍRITO SANTO, ao cessar de praticar o mal (Is 1.16), ao se purificar “de toda imundícia da carne e do espírito” (2Co 7.1; cf. Rm 6.12; Gl 5.16-25) e ao se guardar da corrupção do mundo (Tg 1.27; cf. Rm 6.13,19; 8.13; Ef 4.31; 5.18; Tg 4.8).
(6) A verdadeira santificação requer que o crente mantenha profunda comunhão com CRISTO (ver Jo 15.4), mantenha comunhão com os crentes (Ef 4.15,16), dedique-se à oração (Mt 6.5-13; Cl 4.2), obedeça à Palavra de DEUS (Jo 17.17), tenha consciência da presença e dos cuidados de DEUS (Mt 6.25-34), ame a justiça e odeie a iniqüidade (Hb 1.9), mortifique o pecado (Rm 6), submeta-se à disciplina de DEUS (Hb 12.5-11), continue em obediência e seja cheio do ESPÍRITO SANTO (Rm 8.14; Ef 5.18).
(7) Segundo o NT, a santificação não é descrita como um processo lento, de abandonar o pecado pouco a pouco. Pelo contrário, é apresentada como um ato definitivo mediante o qual, o crente, pela graça, é liberto da escravidão de Satanás e rompe totalmente com o pecado a fim de viver para DEUS (Rm 6.18; 2Co 5.17; Ef 2.4,6; Cl 3.1-3). Ao mesmo tempo, no entanto, a santificação é descrita como um processo vitalício mediante o qual continuamos a mortificar os desejos pecaminosos da carne (Rm 8.1-17), somos progressivamente transformados pelo ESPÍRITO à semelhança de CRISTO (2Co 3.18) crescemos na graça (2Pe 3.18), e devotamos maior amor a DEUS e ao próximo (Mt 22.37-39; 1Jo 4.10-12, 17-21).
(8) A santificação pode significar uma outra experiência específica e decisiva, à parte da salvação inicial. O crente pode receber de DEUS uma clara revelação da sua santidade, bem como a convicção de que DEUS o está chamando para separar-se ainda mais do pecado e do mundo e a andar ainda mais perto dEle (2Co 6.16-18). Com essa certeza, o crente se apresenta a DEUS como sacrifício vivo e santo e recebe da parte do ESPÍRITO SANTO graça, pureza, poder e vitória para viver uma vida santa e agradável a DEUS (Rm 12.1,2; 6.19-22).
A SEPARAÇÃO ESPIRITUAL DO CRENTE
2Co 6.17,18 “Pelo que saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-poderoso”.
O conceito de separação do mal é fundamental para o relacionamento entre DEUS e o seu povo. Segundo a Bíblia, a separação abrange duas dimensões, sendo uma negativa e outra positiva:
(a) a separação moral e espiritual do pecado e de tudo quanto é contrário a JESUS CRISTO, à justiça e à Palavra de DEUS;
(b) acercar-se de DEUS em estreita e
íntima comunhão, mediante a dedicação, a adoração e o serviço a Ele.
(1) No AT, a separação era uma exigência contínua de DEUS para o seu povo (Lv 11.44; Dt 7.3; Ed 9.2). O povo de DEUS deve ser santo, diferente e separado de todos os outros povos, a fim de pertencer exclusivamente a DEUS. Uma principal razão por que DEUS castigou o seu povo com o desterro na Assíria e Babilônia foi seu obstinado apego à idolatria e ao modo pecaminoso de vida dos povos vizinhos (ver 2Rs 17.7,8; 24.3; 2Cr 36.14; Jr 2.5, 13; Ez 23.2; Os 7.8).
(2) No NT, DEUS ordenou a separação entre o crente e
(a) o sistema mundial corrupto e a transigência ímpia (Jo 17.15,16; 2Tm 3.1-5; Tg 1.27; 4.4);
(b) aqueles que na igreja pecam e não se arrependem de seus pecados (Mt 18.15-17; 1Co 5.9-11; 2Ts 3.6-15); e
(c) os mestres, igrejas ou seitas falsas que aceitam erros teológicos e negam as verdades bíblicas (ver Mt 7.15; Rm 16.17; Gl 1.9; Tt 3.9-11; 2Pe 2.17-22; 1Jo 4.1; 2Jo 10,11; Jd vv.12,13).
(3) Nossa atitude nessa separação do mal, deve ser de
(a) ódio ao pecado, à impiedade e à conduta de vida corrupta do mundo (Rm 12.9; Hb 1.9; 1Jo 2.15), (b) oposição
à falsa doutrina (Gl 1.9),
(c) amor genuíno para com aqueles de quem devemos nos separar (Jo 3.16; 1Co 5.5; Gl 6.1; cf. Rm 9.1-3; 2Co 2.1-8; 11.28,29; Jd v. 22) e
(d) temor de DEUS ao nos aperfeiçoarmos na santificação (7.1).
(4) Nosso propósito na separação do mal, é que nós, como o povo de DEUS,
(a) perseveremos na salvação (1Tm 4.16; Ap 2.14-17), na fé (1Tm 1.19; 6.10, 20,21) e na
santidade (Jo 17.14-21; 2Co 7.1);
(b) vivamos inteiramente para DEUS como nosso Senhor e Pai (Mt 22.37; 2Co 6.16-18) e
(c) convençamos o mundo incrédulo da verdade e das bênçãos do evangelho (Jo 17.21; Fp 2.15).
(5) Quando corretamente nos separarmos do mal, o próprio DEUS nos recompensará, acercando-se de nós com sua proteção, sua bênção e seu cuidado paternal. Ele promete ser tudo o que um bom Pai deve ser. Ele será nosso Conselheiro e Guia; Ele nos amará e de nós cuidará como seus próprios filhos (6.16-18).
(6) O crente que deixa de separar-se da prática do mal, do erro, da impureza, o resultado inevitável será a perda da sua comunhão com DEUS (6.16), da sua aceitação pelo Pai (6.17), e de seus direitos de filho (6.18; cf. Rm 8.15,16).

 
A TRÍPLICE SANTIFICAÇÃO DO CRENTE
De acordo com a Bíblia, a santificação do crente é tríplice:
1. Santificação posicional (Hb 10.10; Cl 2.10; 1 Co 6.11; Rm 8.33, 34; 1 Jo 4.17b)
É estar "Em CRISTO"
O crente pela fé torna-se santo. - DEUS nos vê perfeitos. - Não há qualquer acusação contra nós.- A santidade do Senhor passa a ser a nossa santidade"
Sentido posicional da Santificação
No sentido posicional todo o verdadeiro cristão é SANTO DE DEUS. Vejamos alguns aspectos desse sentido da santificação:
- A santificação posicional é um ATO SOBERANO de DEUS, mediante a obra de CRISTO (Hb10:9-10)
- O cristão verdadeiro é santificado em CRISTO (I Co 1:2)
- O cristão verdadeiro é santificado por vocação divina (Rm 1:7; Hb 3:1)
- A santificação posicional independe das nossas falhas ou imperfeições pessoais (I Co 3:1-3; cf 6:11)
- Isso não significa liberdade para andarmos como queremos. Há necessidade de SANTIFICAÇÃO PRÁTICA.
2. Santificação progressiva. É a santificação prática, aplicada ao viver diário do crente.
Pode ser aperfeiçoada (2 Co 7.1). - Ocorre à medida que o ESPÍRITO o rege soberanamente - O crente a busca, em cooperação com DEUS: "Sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver" (1 Pe 1.15).
SANTIFICAÇÃO PROGRESSIVA se refere ao crescimento gradual do crente em conhecimento e santidade, de forma que, tendo recebido justiça legal na justificação, ele pode agora desenvolver a justiça pessoal em seu pensamento e comportamento.
a) O lado divino da santificação progressiva.
São meios, os quais o Senhor utiliza para santificar-nos em nosso viver diário. (Hb 13.12; 1 Jo 1.7,9); (Sl 12.6; 119.9; Jo 17.17; Ef 5.26);  (Rm 1.4; 1 Pe 1.2; 2 Ts 2.13); (Êx 29.43; 2 Cr 5.13, 14); (At 26.18; Fp 3.9; Tg 2.23; Rm 4.11).
(1) O sangue de JESUS CRISTO - (2) a Palavra de DEUS - (3) o ESPÍRITO SANTO - (4) a glória de DEUS manifesta - (5) e a fé em DEUS

. O Pai (I Ts 5.23)
. O Filho, o Senhor JESUS CRISTO, ao verter seu precioso sangue (Hb 10.10; Hb 12.9-10)
. O ESPÍRITO SANTO (Rm 15.16; I Pe 1.2)
O poder interior e a unção do ESPÍRITO SANTO são, talvez, os maiores agentes para nos dar a vitória sobre a carne (Rm 8.13; Gl 5.17).
b) O lado humano da santificação.
DEUS é quem opera a santificação no crente, embora haja a cooperação deste. (Mt 5.6; 2 Tm 2.21, 22;1 Tm 5.22 ); (Êx 19.10,14; Ef 4.11,12);  (2 Tm 1.5; 3.15); (Sl 51.10; 32.6); (Lv 27.28b; Rm 12.1,2)
Os meios coadjuvantes (que auxiliam-nos) de santificação progressiva são:
(1) O próprio crente. Sua atitude e propósito de ser santo - (2) O santo ministério. Dever de cooperar para a santificação dos crentes -  (3) Pais que andam com DEUS.  - (4) As orações do justo: A oração tem efeito santificador. - (5) A consagração do crente a DEUS: Rendição incondicional a DEUS
Ao mesmo tempo, nos é dito em várias passagens que o cristão deve santificar-se.
Portanto, santificai-vos e sede santos, pois eu sou o Senhor, vosso DEUS (Lv 20.7).
Disse Josué ao povo: Santificai-vos, porque amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós (Js 3.5).
Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de DEUS (II Co 7.1).

Ora, numa grande casa não há somente utensílios de ouro e de prata; há também de madeira e de barro. Alguns, para honra; outros, porém, para desonra. Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra (II Sm 2.20-21).
De que meios os crentes podem dispor para sua santificação?

A fé (At 26.18; 15.9).
Obediência à Palavra (Jo 17.17; Ef 5.26; Sl 119.105).
Rendição ao ESPÍRITO SANTO (Jo 16.13).
Compromisso pessoal. Na experiência inicial da santificação, que tem lugar na conversão, DEUS separa o crente como vaso escolhido para o Seu uso e glória. Mas chega uma hora na vida de todo seguidor sincero do Senhor JESUS CRISTO em que ele, mediante um ato de profundo compromisso pessoal, se separa para qualquer serviço que DEUS queira que faça. Nessa ocasião, ele se afasta das coisas do mundo da carne e se dedica à vontade perfeita de DEUS para sua vida. O indivíduo recebeu JESUS CRISTO como seu Salvador, mas agora O coroa como Rei e Senhor da sua vida. Este é um ato real de santificação. Paulo se refere a isto em Rm 12.1-2).
Rendição da vida em definitivo a DEUS constitui a suprema condição para a santificação prática. E isso envolve a entrega de todos os nossos membros à vontade dEle; “Nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de iniquidade; mas oferecei-vos a DEUS, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros, a DEUS, como instrumentos de justiça” (Rm 6.13). Falo como homem, por causa da fraqueza da vossa carne. Assim como oferecestes os vossos membros para a escravidão da impureza e da maldade para a maldade, assim oferecei, agora, os vossos membros para servirem à justiça para a santificação (Rm 6.19). 
3. Santificação futura. "E o mesmo DEUS de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor JESUS CRISTO" (1 Ts 5.23). Trata-se da santificação completa e final (1 Jo 3.2). Ver também: Ef 5.27; 1 Ts 3.13.
É a consumação do propósito de DEUS em nossa Santificação. Na vinda do Senhor JESUS CRISTO seremos como Ele é. Seremos transformados à Sua própria imagem, perfeitos para sempre (Rm 8:29; Fp 1:6; 3:20-21; I Jo 3:2)
ESTORVOS À SANTIFICAÇÃO DO CRENTE
Embaraços que impedem o cristão de viver em santidade.
(Êx 19.5,6); (Rm 13.12); (Ef 5.3; 2 Co 6.14-17); (At 10.10-15);
1. Desobediência. - 2. Comunhão com as trevas. - 3. Erros a respeito da santificação. - 4. Áreas da vida não santificadas.
Vejamos o que não é a santificação bíblica. (Mt 23.25-28; 1 Sm 16.7); (Ef 2.10); (1 Jo 2.12, 13); (At 1.8;1 Co 14.3); (Mt 6.22,23).
a) Exterioridade - Usos, práticas e costumes. b) Maturidade cristã. Não é pelo tempo de crente. c) Batismo com o ESPÍRITO SANTO e dons espirituais. não equivalem à santificação.
Alguns aspectos reservados da vida do crente que não foram consagrados a DEUS, devem ser apresentados ao Senhor. Como por exemplo, a mente, sentidos, pensamento, instintos, apetites e desejos, linguagem, gostos, vontade, hábitos, temperamento, sentimento. Um exemplo disso está em Mateus 6.22,23.
O que SANTIFICAÇÃO não é
A) Afastamento de seres humanos (Jo 17:15):
O Senhor nos envia a pregar no mundo (Mc 16:15)
Não podemos viver isolados (I Co 5:9-10);
Temos que viver no mundo sem sermos contaminados pelo mundo (Jo 17:15; I Jo 2:15-17)
B) Conformação com certo padrão de vida (Cl 2:16-23):
Moralismo.O budismo, confucionismo, e outras ideologias ou formas religiosas consistem em doutrinas com conteúdo filosófico moralista, mas nem por isso são santas consoante o conceito bíblico de santidade.
Abstinências de certas comidas e/ou bebidas.
C) Obediência a regras ou ritos de formalismo religioso (Gl 4:8-10; 6:15):
A fonte de santificação do crente não é o “legalismo”
Paulo condena os ensinadores falsos que querem impor à Igreja regras e regulamentos que não conduzem à santificação (C l 2:8-15)
C) Manifestações ruidosas ou emotivas, beatices:
A santificação é resultante da operação constante da graça de DEUS na nossa vida (I Ts 4:1-7), quando lhe abrimos espaço para uma verdadeira e efetiva experiência da plenitude do ESPÍRITO SANTO (Ef. 5:18). Em I Ts 4:1 Paulo fala em “progredindo cada vez mais”, o que nos leva a perceber o aspecto progressivo da santificação, que é operada pela graça do Senhor, mas que implica, necessariamente, na nossa disposição de vontade e atitude sincera de permissibilidade da ação do Senhor, operadora da santificação. Paulo fala, também, nesse texto, da relação da nossa santificação com a “vontade de DEUS” (v.3). Todo esse texto em Tessalonicenses evidencia que a santificação tem a ver com a nossa postura ética, moral e espiritual (condições do ser interior) e não com as levianas e até hipócritas manifestações exteriores de religiosidade vã, sem correspondência ao que realmente somos na nossa experiência de vida cotidiana. Essa falta de autenticidade não condiz com a necessária santidade.
A NECESSIDADE DE O CRENTE SANTIFICAR-SE
Para esse tópico aconselhamos a leitura meditativa de 2 Coríntios 7.1 e 1 Tessalonicenses 4.7. (Rm 7.23; 8.2); (1 Pe 1.16; Lv 11.44; Ap 22.11); (Is 57.15; 1 Co 3.17); (1 Ts 3.13; 5.23; 2 Ts 1.10; Hb 12.14); (1 Ts 4.3); (Lv 10.3; Nm 20.12); (Êx 8.25).
Motivos para o crente santificar-se:
1. A Bíblia ordena. - 2. Os santos serão arrebatados. - 3. A santidade revelada de DEUS é revelada através do procedimento justo e da vida santificada do crente. - 4. Os ataques do Diabo.
Mistura em que o crente não deve se meter:
a- Da igreja com o mundanismo; b- Da doutrina do Senhor com as heresias; c- Da adoração com as músicas profanas; etc.
 
Santificação e Pentecostes
1.Santificados antes do Pentecostes. Lendo a Bíblia cuidadosamente, vemos que os discípulos eram pessoas salvas e santificadas e haviam recebido a unção do ESPÍRITO antes do dia de Pentecostes. Em João 17.15-17, JESUS ora: 'Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade'. JESUS é a Palavra e a verdade, por isso os discípulos foram santificados pela verdade na mesma noite em que ele orou por eles (Jo 20.21-23). Os discípulos, portanto, já estavam cheios da unção do ESPÍRITO SANTO antes do dia de Pentecostes, e isso os sustentou até que foram dotados com poder do alto. No primeiro capítulo de Atos, JESUS orienta os discípulos a esperarem pela promessa do Pai. Não era para esperar pela santificação. O sangue de CRISTO já havia sido derramado na cruz do Calvário. Ele não ia enviar o seu sangue para limpá-los da carnalidade, mas o seu ESPÍRITO, para dotá-los com poder.
2. A Santificação. Não há nada mais doce, mais sublime ou mais santo neste mundo do que a santificação. O batismo com o ESPÍRITO SANTO é o dom de poder na alma santificada, capacitando-a para pregar o Evangelho de CRISTO ou para morrer na fogueira. O batismo reveste o crente até o dia da redenção, de modo que ele esteja pronto para encontrar-se com o Senhor JESUS à meia-noite ou a qualquer momento, porque tem óleo em sua vasilha, junto com a sua lâmpada.
Você é participante do ESPÍRITO SANTO no batismo pentecostal da mesma maneira que foi participante do Senhor JESUS CRISTO na santificação."
(SEYMOUR,W.J. Santificados antes do Pentecostes. In KEEFAUVER, Larry (ed.). O avivamento da Rua Azusa - Seymour. RJ: CPAD, 2001, p.80-3.)
CONCLUSÃO
Em muitas igrejas hoje, a santificação é chamada de fanatismo. Nessas igrejas falam muito de união, amor, fraternidade, louvor, mas não da separação do mundanismo e do pecado. Notemos que as "virgens" da parábola de Mateus 25 pareciam todas iguais; a diferença só foi notada com a chegada do noivo.
 A santidade é fundamental para que a Igreja exerça, com resultado eficiente, a sua gloriosa missão no mundo. É uma área pouco levada a sério, nos dias de hoje, quando suportamos terrível pressão que o contexto em que estamos metidos nos impõe.
Havia quatro formas de abluções levíticas:
(1) lavagem das mãos .(Lv 15.11),
(2) lavagem das mãos e pés (Êx 30,19; 40.31),
(3) lavagem do corpo todo (Nm 19.19. Lv 22.4- 6) e
(4) aspersão com água especial (“água da separação”, Nm 19.9).
O batismo é uma forma do ritual da abluçâo que surgiu entre os judeus, aparentemente em conexão com a iniciação dos prosélitos. As autoridades estabeleceram que o estrangeiro que desejasse se tornar um prosélito do pacto da virtude, isto é, no sentido amplo de ser um israelita, tinha que ser circuncidado e batizado e depois oferecer um sacrifício. O batismo era uma imersão em uma piscina (ueja HDB. I. 239; Edersheim, Life and Tim.es of JESUS the Messiah, II, xii; Schürer, History of the Jewish People, II, ii. Par. 31, p. 319). O Batismo e outras abluções ocupavam uma posição de proeminência entre os Essênios (Jos War ií. 8.5) como foi testemunhado pelos achados em Qumram (F. M, Cross, Jr., The Ancient Library of Qumram, pp. 49,50, 70). É amplamente conhecido que tanto João quanto o Senhor JESUS praticaram o batismo.
Com exceção dos rituais do batismo e da lavagem dos pés (Jo 13) o ritual da ablução está tão fôra do cristianismo do NT quanto os sacrifícios da lei mosaica. Para o cristão, não existe uma profanação cerimonial (Mc 7.6-23; Mt 15.320־). Portanto, não existe a necessidade de um ritual de lavagem. O Senhor JESUS cumpriu esse aspecto da lei, e o mesmo foi feito por aqueles que serviram ao Senhor. O batismo (em qualquer das suas formas), e a lavagem dos pés, considerados como um ritual ou apenas como um acontecimento nos Evangelhos, não tem qualquer conexão com a impureza cerimonial, e assim não possui nenhuma conexão com o ritual do AT nem com a sua interpretação.
Veja Batismo; Banho, Banhar; Lavagem dos Pés; Mãos, Lavagem das; Impuro.
Bibliografia. A Oepke, “Louo etc.”, TDNT, IV, 295-307.
R.D.C.
DIFERENTES NOMES DO TABERNÁCULO
A) Santuário - Lugar santo do palácio do Grande Rei. (Êx. 25: 8 - E me farão um santuário, para que eu possa habitar no meio deles.).
B) Tabernáculo – Lugar de habitação. (Êx. 25:9-Segundo tudo que eu te mostrar como modelo do Tabernáculo...).
C) Tabernáculo do Senhor (Js. 22:19-...onde habita o tabernáculo do Senhor...).
D) Tenda - Cobertura do Tabernáculo (Êx. 40:2 levantarás o tabernáculo da tenda da congregação). 
E) Tenda da Congregação (Êx. 33:7... e lhe chamava a Tenda da Congregação...). Era o centro do culto (Nm. 18:14)
F) Tenda do Testemunho – Refere-se à Arca onde estava a Lei (Nm. 9:15-...a nuvem o cobriu, a saber, a tenda do testemunho;...)
G) Casa de DEUS – Chamada assim na terra de Canaã. (Jz. 18:31...estabeleceram por si todos os dias que a Casa de DEUS...).
H) Templo do Senhor (I Sm. 3:3-E tendo-se deitado também Samuel, no templo do Senhor...).
O tabernáculo nessa ocasião era maior.
I) Santuário terrestre ou material. - Pertence à dispensação das cerimônias tipo de JESUS. (Hb. 9:1-... e o seu santuário terrestre...).
J) Lugar de encontro (II Cor. 5:18-E tudo isso provém de DEUS, que nos reconciliou consigo mesmo por JESUS CRISTO e nos deu o ministério da reconciliação). Em que CRISTO, DEUS e o homem se encontram.
K) Lugar de Revelação (Jo. 1:18- DEUS nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o fez conhecer).
DEUS revelou o seu caráter em CRISTO (Rm. 3:22- para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em JESUS).
L) Habitação de Jeová, (Js 22.19,29; Jz 19.18; 1Sm 1.7,24; 3.15). E assim o fazia ele de ano em ano; quando ela subia à Casa do SENHOR...
M) Porta do tabernáculo do testemunho, (1Sm 2.22 - Era, porém, Eli já muito velho e ouvia tudo quanto seus filhos faziam a todo o Israel e de como se deitavam com as mulheres que em bandos se ajuntavam à porta da tenda da congregação).
N) Uma Morada, (Cl. 2:9 - Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade.) A humanidade de JESUS é a residência da Divindade.
Tabernáculo=Padrão; Santuário; Templo.
Latim= tenda, Hebraico= lugar de habitação.
O Tabernáculo era o lugar permanente da Presença de DEUS. (Ez. 37:27... meu tabernáculo estará com eles; eu serei o seu DEUS, e eles serão o meu povo e Hb. 8:5...
O tabernáculo foi o primeiro templo edificado por Israel segundo a orientação divina. Metais, cores e números têm um significado espiritual interessante quando visto em conjunto com outros elementos e é a luz dos ensinamentos do Novo Testamento. 
Era a “semelhança” de alguma coisa “cópia ou sombra” das coisas celestiais. Tinha um “significado” especial para os judeus, contudo, era uma “figura de coisas vindouras”.
SUBSÍDIOS DA REVISTA DA CPAD - LIÇÃO 5 - 2 TRIMESTRE DE 2019
SUBSÍDIO DIDÁTICO - PEDAGÓGICO
Para introduzir a lição dessa semana, sugerimos reproduzir o esquema proposto conforme a sua possibilidade e fazer uma Para introduzir a lição de hoje, e enfatizar a Pia de Bronze, apresente a imagem reproduzida nesta página. Entretanto, atente para o tópico II. Nele, há uma explicação conceitual a respeito da pia. A ideia é que, neste primeiro tópico, você apresente a figura com o objetivo de fazer um panorama geral do objeto. E no segundo tópico, você retome essa imagem para explicar o conceito dela conforme a exposição do segundo tópico.
SUBSÍDIO TEOLÓGICO
“A regeneração é a ação decisiva e instantânea do ESPÍRITO SANTO, mediante a qual Ele cria de novo a natureza interior. O substantivo grego (palingenesia) traduzido por ‘regeneração’ aparece apenas duas no Novo Testamento. Mateus 19.28 emprega-o com referência aos tempos do fim. Somente em Tito 3.5 se refere à renovação espiritual do indivíduo. Embora o Antigo Testamento tenha em vista a nação de Israel, a Bíblia emprega várias figuras de linguagem para descrever o que acontece. O Senhor ‘tirará da sua carne o coração de pedra e lhes dará um coração de carne (Ez 11.9). DEUS diz: ‘Espalharei água pura sobre vós, e ficareis purificados... E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo... E porei dentro de vós o meu espírito e farei que andeis nos meus estatutos’ (Ez 36.25-27). DEUS colocará a sua lei ‘no seu interior e a escreverá no seu coração’ (Jr 31.33). Ele ‘circuncidará o teu coração... para amares ao Senhor’ (Dt 30.6)” (HORTON, M. Horton (Ed.). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2018, p.371).
CONHEÇA MAIS*Acerca da santidade para a vida 
“[...] De acordo com Wesley, ‘não pode existir verdadeira santidade cristã se o amor de DEUS não for o fundamento dela’. Por isso, Wesley, em seu sermão ‘Eu, a Testemunha do ESPÍRITO’, sustenta que, primeiro, temos de amar a DEUS ‘para que, de fato, possamos ser santos.” Leia mais em “Teologia de John Wesley”, CPAD, p.22.

SUBSÍDIO VIDA CRISTÃ
“CRISTO Está Preparando a Sua Noiva
O Rei da Glória se casará com a sua Noiva. Será que vocês não sabem que todas as boas coisas que o mundo desfruta, DEUS nos fará desfrutar dez mil vezes mais? O grande banquete acontecerá, o evento mais maravilhoso de todos os tempos, em que comeremos pão e beberemos vinho no Reino de DEUS. A Noiva está em preparação.
O ESPÍRITO SANTO é a pomba. O cântico é o arrulhar da pomba antes da tormenta. Você viu como as pombas alertam os seus companheiros para que procurem abrigo antes das tempestades? Pois, da mesma forma, o ESPÍRITO SANTO está arrulhando e chilrando, chamando-nos para que procuremos abrigo contra as tempestades da tribulação que virá sobre a terra. O Senhor está nos treinando, fazendo os nossos corpos ficarem leves e flexíveis para que possamos subir” (ETTER, Maria Woodworth. Devocional. Série: Clássicos do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, pp.165-66).
PARA REFLETIR - A respeito de “A Pia de Bronze: Lugar de Purificação”, responda:
Qual era o objetivo para o estabelecimento da pia de bronze, conforme a lição? O objetivo era que antes de entrar ou sair do Tabernáculo, Arão e seus filhos lavassem as mãos e os pés, pois o ofício era santo.
Qual expressão deve ser destacada na lição? Há que se destacar a expressão “para não morrer”. 
O que significa a Pia de Bronze? O termo hebraico para “pia” é kyyor, que significa “lugar de se lavar”.
De que era formado o interior da Pia de Bronze? A Pia era de bronze polido, fabricado com o espelho das mulheres (Êx 38.8).
Cite os dois aspectos do rito de lavagem dos sacerdotes. A lavagem completa, mais a lavagem progressiva e constante.
SUGESTÃO DE LEITURA - A Santidade que Liberta; O Poder da Santificação; Salvação e Milagres – O Poder do Nome de JESUS.

AJUDA BIBLIOGRÁFICA
Veja Lição 1, 2, 3 e 4
Abraão de Almeida O TABERNÁCULO E A IGREJA - CPAD (principal fonte)
O Tabernaculo - Martyn Barrow
Os segredos do Tabernáculo de Moisés- Kevin J. Conner
O Tabernáculo e as suas lições por Gunnar Vingren - Gunnar Vingren
A Pessoa de CRISTO no Tabernáculo - Floyd Lee Gilbert
Dicionário Wycliffe - CPAD