terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Vídeos Lição 9, Conhecendo a Armadura de DEUS, 4 Partes, 1Tr19, Pr. Henrique, E...

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Escrita - Lição 9, Conhecendo a Armadura de DEUS, Pr Henrique, EBD NA TV

 Lição 9, Conhecendo a Armadura de DEUS1º Trimestre de 2019 - Batalha Espiritual: O povo de DEUS e a guerra contra as potestades do mal. - Comentário: Esequias Soares
Complementos, Ilustrações e Vídeos: Pr. Luiz Henrique de Almeida Silva - 99-99152-0454. - henriquelhas@hotmail.comSlides - https://ebdnatv.blogspot.com/2019/02/slides-licao-9-conhecendo-armadura-de.htmlVídeo - https://www.youtube.com/watch?v=CDlV_gFjM1sSlideShere https://www.slideshare.net/henriqueebdnatv/slides-lio-9-conhecendo-a-armadura-de-deus-1tr19-pr-henrique-ebd-na-tvVeja escrita ajuda em: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/oracao.htmhttp://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/orarnoespiritosanto.htm


TEXTO ÁUREO“Portanto, tomai toda a armadura de DEUS, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.” (Ef 6.13)


VERDADE PRÁTICAA metáfora do sistema militar, usada por Paulo, mostra que estamos em guerra no mundo espiritual. Estejamos, pois, cingidos com a armadura espiritual!



LEITURA DIÁRIASegunda – 2 Co 10.4 As armas do cristão são espirituaisTerça – Cl 2.1 Pastorear o rebanho do Senhor também é um combate Quarta – 1 Ts 2.2 Pregar o Evangelho já é um grande combate espiritualQuinta – 1 Ts 5.8 A couraça e o capacete são armas espirituais no combate ao pecadoSexta – 1 Tm 1.18 O apóstolo Paulo compara a nossa missão como a de um militarSábado – 2 Tm 4.7 O apóstolo Paulo combateu o bom combate e venceu
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Efésios 6.13-2013 - Portanto, tomai toda a armadura de DEUS, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. 14 - Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça, 15 - e calçados os pés na preparação do evangelho da paz; 16 - tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. 17 - Tomai também o capacete da salvação e a espada do ESPÍRITO, que é a palavra de DEUS, 18 - orando em todo tempo com toda oração e súplica no ESPÍRITO e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos 19 - e por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho, 20 - pelo qual sou embaixador em cadeias; para que possa falar dele livremente, como me convém falar.
OBJETIVO GERALConscientizar que é a vontade de DEUS que sejamos revestidos de toda a armadura espiritual.
OBJETIVOS ESPECÍFICOSMostrar a guerra e seu sentido metafórico;Discutir a metáfora bíblica da armadura;Elencar outras armas usadas como ilustração.
INTERAGINDO COM O PROFESSORÉ importante ter em mente que esta lição é um desdobramento da anterior. Se na lição anterior vimos que há uma guerra espiritual, pois nossa “luta não é contra carne e sangue”, aqui, o apóstolo usa a metáfora da armadura para mostrar a realidade dessa guerra. Assim, veremos que o apóstolo usou os instrumentos bélicos como metáfora de uma realidade que todos vivemos. Há uma batalha espiritual e, para enfrentá-la, precisamos estar bem preparados com as armas espirituais. Devemos estar prontos, e armados, a fim de lutarmos e vencermos essa guerra. Boa aula!
PONTO CENTRAL - Estamos em guerra no mundo espiritual.Resumo da Lição 9, Conhecendo a Armadura de DEUSI – A GUERRA1. Ao longo dos séculos.2. Os antigos.3. Sentido metafórico.II – A METÁFORA BÍBLICA1. A armadura do soldado romano.2. A armadura de DEUS (v.13).3. A couraça da justiça (v.14).III – OUTRAS ARMAS USADAS COMO ILUSTRAÇÃO1. Os calçados (v.15).2. O escudo da fé (v.16).3. O capacete da salvação e a espada do ESPÍRITO (v.17).4. A outra lista (vv. 18,19). 
SÍNTESE DO TÓPICO I - A guerra em si mesma é incompatível com o espírito cristão, mas aqui o apóstolo a usa como metáfora a fim de mostrar a realidade da batalha espiritual.SÍNTESE DO TÓPICO II - A armadura do soldado romano representa a armadura de DEUS.
SÍNTESE DO TÓPICO III - Os calçados, o escudo da fé, o capacete da salvação e a espada do ESPÍRITO são armas usadas como ilustração.




COMENTÁRIOS DIVERSOS
 
Comentários extras do Pr. Henrique
Passamos 24 horas por dia lutando numa guerra interminável contra Satanás e seus demônios, mas quantas horas por dia passamos nos preparando ou treinando para esta luta? Quanto tempo dedicamos à leitura bíblica e à oração?Um soldado romano treinava pelo menos 3 horas por dia.Um soldado romano jamais tirava sua armadura em campo de batalha.Se a Palavra de DEUS é a espada do Espírito, você está armado realmente? Só agora que o Bolsonaro liberou as armas, mas JESUS já liberou suas armas para você desde o instante que o Aceitou como seu único Salvador e Senhor.

I – A GUERRAPor falta de argumentos os homens acabam por se enfrentarem em guerras. Muitas vidas são ceifadas por falta de diálogo.
1. Ao longo dos séculos.
ALGUMAS GUERRAS HISTÓRICASGrécia AntigaGuerra de Troia (1250 - 1240 a.C)Guerras Médicas (499 - 479 a.C.)Guerra do Peloponeso (431 - 404 a.C.)Campanhas de Alexandre, o Grande (334 - 323 a.C.).Roma AntigaGuerras Samnitas (343 - 290 a.C.); Primeira Guerra Púnica (264 - 241 a.C.); Segunda Guerra Púnica (218 - 202 a.C.); Terceira Guerra Púnica (149 - 146 a.C.); As guerras macedônicas (215 - 168 a.C.); Guerra civil de Sulla(82 - 81 a.C.); Guerras da Gália (58 - 50 a.C.); Invasão romana das ilhas britânicas (43); Guerra dos Três Reinos na China (220 - 265); Guerra dos Oito Príncipes (291 - 306)Idade Média e RenascimentoInvasão muçulmana da península Ibérica (711 - 718); Conquista normanda (1066)Cruzadas - Primeira Cruzada (1096 - 1099)Segunda Cruzada (1147 - 1149)Terceira Cruzada (1187 - 1191)Quarta Cruzada (1202 - 1204)Quinta Cruzada (1217 - 1221)Sexta Cruzada (1228)Sétima Cruzada (1248 - 1254)Oitava cruzada (1270); Nona cruzada (1271 - 1291) - Invasão Mongol da Bulgária do Volga (1236 - 1236); Invasão Mongol da Rússia (1223 - 1240); Invasão mongol da Europa (1241); A Anarquia (guerra civil inglesa) (1139 - 1153); Guerra da Barba (1152 - 1153); Guerra da Independência Escocesa (1296 - 1328) (1332 - 1333); Guerra dos Cem Anos (1337 - 1453); Guerra Tokhtamysh-Tamerlão (1385 - 1399); Guerras Hussitas (1420 - 1436); Guerra dos Treze Anos (1454 - 1466)Guerra das Rosas (1455 - 1485)Século XVI a Século XIXGuerra dos Oitenta Anos (independência da Holanda) (1568 - 1648); Guerra Luso-Neerlandesa (1588 - 1654); Guerra dos Trinta Anos (1618 - 1648); Guerra Civil Inglesa (Oliver Cromwell) (1639 - 1652); Fronda em França (1648 - 1653); Revolta de Chmielnicki (1648 - 1654); Guerra Russo-Polaca (1654 - 1656); Guerra Sueco-Brandenburg (1655 - 1656); Guerra Sueco-Polaca (1655 - 1660); Guerra Russo-Sueca (1656 - 1658); Guerra Sueco-Dinamarquesa (1656 - 1660); Guerra Sueco-Holandesa (1657 - 1660); Guerra Russo-Polaca (1658 - 1667); Guerra da Sucessão Espanhola (1701 - 1714); Guerra de Sucessão da Polônia (1733 - 1738); Guerras Guaraníticas (1754 - 1777); Guerra dos Sete Anos (1756 - 1763); A independência dos EUA (1775 - 1783); Guerras Napoleônicas (1803 - 1815 ); Guerra Peninsular (1807 - 1814); Guerra da Independência da Bolívia (1809-1825); Guerra da Independência da Argentina (1810 - 1816); Guerra da Independência do México (1810 - 1821); Guerra da Independência do Chile (1817 - 1818); Guerra da Independência do Brasil (1822 - 1823); Guerras Liberais de Portugal (1828-1834); Guerra dos Farrapos (1835 - 1845); Guerras do ópio (1839 - 1860); Primeira Guerra Italiana de Independência (1848-1849); Segunda Guerra de Independência Italiana (29 de Abril de 1859 - 11 de Julho de 1859); Terceira Guerra de Independência Italiana (1866); Guerra contra Oribe e Rosas (1851 - 1852); Guerra da Crimeia (1853 - 1856); Guerra Civil Americana ou Guerra de Secessão (1861 - 1865); Guerra contra Aguirre (1864); Guerra do Paraguai ou Guerra da Tríplice Aliança (1864 - 1870); Guerra franco-prussiana (1870 - 1871); Guerra do Pacífico (1879 - 1881); Primeira Guerra dos Bôeres (1880 - 1881); Guerra de Canudos (1893 - 1897); Primeira Guerra Sino-Japonesa (1894 - 1895); Guerra Hispano-Americana (1898); Segunda Guerra dos Bôeres (1899 - 1902); Guerra dos Boxers (1900 - 1901)Século XXGuerra Civil 1918 - 1922) e revolução Russa de 1917Guerra Russo-Japonesa (1904 - 1905); Guerra dos Bálcãs (1912 - 1913); Guerra do Contestado (1912 - 1916);  Primeira Guerra Mundial (1914 - 1918)Tratado de Versalhes; Guerra Civil Russa (1918 - 1922); Guerra do Chaco (1932 - 1935); Guerra Civil Espanhola (1936 - 1939);  Segunda Guerra Mundial (1939 - 1945); Guerra de 41 (1941); Primeira Guerra da Indochina (1946 - 1954); Guerra fria (1948 - 1989); Primeira Guerra Caxemira (1948 - 1949); Guerra da Coreia (1950 - 1953); Guerra da Argélia (1954 - 1962); Guerra Colonial Portuguesa (1961 - 1975); Guerra de Independência de Angola (1961 - 1975); Guerra de Independência da Eritreia (1961 - 1991); Guerra da Independência de Moçambique (1964 - 1975); Guerra do Vietnã (1964 - 1973); Guerra Civil na Colômbia (1964 - presente); Segunda Guerra Caxemira (1965); Guerra da Independência da Namíbia (1966 - 1988); Guerra dos Seis Dias (1967); Guerra do Futebol; (Guerra das 100 horas) (1969); Guerra de Bangladesh (1971); Guerra do Yom Kipur (1973 - 1973); Ocupação soviética do Afeganistão (1979 - 1989); Guerra Irã-Iraque (1980 - 1988); Guerra das Malvinas (1982 - 1982); Primeira Guerra do Líbano (1982); Guerra de Nagorno-Karabakh (1988 - 1994); Guerra do Golfo (1990 - 1991); Primeira Guerra da Chechênia (1994 - 1997); Guerra do Cenepa (1995); Guerra do Kosovo (1996) - (1999); Guerra Etíope-Eritrea (1998 - 2000); Guerra de Kargil (1999); Guerra do Kosovo (1999); Segunda Guerra da Chechênia (1999 - atualidade)Século XXIInvasão Afegã pelos Estados Unidos (2001 - 2002); Guerra do Iraque (2003 – agosto de 2010); Segunda guerra do Líbano (2006); Operação Chumbo Fundido (2008 – 2009)

2. Os antigos.

NA BÍBLIAAbraão fez guerra - Miosés fez guerra.Josué era para conquistar a terra prometida através de guerras. Algumas vezes lutou, mas muitas vezes nem precisou lutar.Josué perdeu guerra por não consultar a DEUS.Josué por fazer aliança com inimigo lutou em guerra que não era dele.O rei Josias morreu por lutar em guerra que DEUS não o mandou lutar.Gideão venceu com pequeno exército sem nem precisar lutar.A fé em DEUS já era suficiente para vencer uma guerra.Davi e todos os reis de Israel em algum momento de seus reinados tiveram que entrar em guerra (Com excessão de Salomão).
Só podemos vencer uma guerra se DEUS estiver conosco, Se formos íntimos do Senhor. Na verdade quem vence é DEUS, nós só participamos louvando e adorante a DEUS, por isso somos mais do que vencedores.Só o pecado pode nos impedir de vencer.
Algumas guerras Bíblicas
1 – A GRANDE GUERRA DOS 9 REISPense numa batalha que reunisse quatro reis contra outros cinco reis, entre eles os chefes das poderosas Sodoma e Gomorra. O episódio aconteceu no Vale de Sidim, às planícies do Mar Morto. Um local cheio de poços de betume, uma substância viscosa que foi fundamental para o desfecho da batalha. Pense ainda que, no meio da grande guerra entre reis, de repente, aparece Abrão com 318 homens para batalhar também. O que um homem de Deus fazia nesse lugar e por que entrou numa guerra desta dimensão? - Leia em Gênesis 14.2 – JOSUÉ E A CONQUISTA DA TERRA PROMETIDAJosué foi o sucessor de Moisés e o encarregado de introduzir o povo de Deus na Terra Prometida e para isso, teve que conquistá-la por meio de uma dura batalha. Uma história que conta com espiões e uma estratégia divina. - Leia em Josué capítulo 1, 10-18; capítulos 2, 6 e 8.3 – A SAGA ENTRE DAVI E OS FILISTEUSBatalha entre Davi e Golias. Mas, saiba que a guerra contra os filisteus (povo ao qual pertencia o gigante) não parou por ali? A guerra só terminou depois que Davi se tornou rei. Até lá, várias batalhas foram travadas. E ainda tem um episódio interessante que o próprio pequeno guerreiro se refugia no meio do exército filisteu! Quer saber por quê? - Leia em I Samuel capítulo 17; 18, 6-16; capítulos 28 e 29; II Samuel 5, 17-25; capítulo 8.4 – JOSAFÁ E A PROFECIA DE GUERRAJosafá era um rei agradável a Deus. Havia exterminado os ídolos do meio do povo e promovido o ensino de toda a gente com os preceitos do Deus de seus pais. Entretanto, ao casar com uma israelita, o rei de Judá aliou-se a uma guerra que não era sua. Miquéias era um dos profetas de Israel e predisse um oráculo para os reis Josafá e Acabe, que seguiram em frente com a luta. Quem será o sobrevivente desta história? - Leia em II Crônicas, nos capítulos 17 e 18.5 – GEDEÃO E A GUERRA DOS 300Pode até lembrar, mas essa história não tem nada a ver com aqueles 300 de Esparta. Acontece que Israel estava oprimido pelos madianitas e, para livrar seu povo, Deus ordenou a Gedeão que tomasse a frente do exército. Por obediência ao Senhor, Gedeão se tornou líder de 32 mil homens. Porém, para dar uma lição no povo, que estava adorando ídolos, Deus manda reduzir seus homens a apenas 300. E aí, como acha que vai terminar essa história? - Leia em Juízes, nos capítulos de 6 a 8.6 – JEFTÉ.Outra vez, Israel tinha pecado contra Deus e sofria opressão dos filisteus e amonitas. Precisavam de um chefe para o exército e buscaram Jefté, um valente guerreiro. O problema é que os próprios israelitas o havia expulsado da casa de seu pai por ser filho bastardo. Jefté coloca uma condição ao povo e passa a liderar a guerra contra os filhos de Amon. Qual será esta condição? - Leia em Juízes 10, 6 -18; capítulos 11 e 12, 1-7.
3. Sentido metafórico.

II – A METÁFORA BÍBLICA1. A armadura do soldado romano.2. A armadura de DEUS (v.13).3. A couraça da justiça (v.14).
Tomai - (Strong Português) αναλαμβανω analambano 1) levantar2) erguer (um coisa a fim de levar ou usá-la)
Armadura (Strong Português) πανοπλια panoplia1) armadura inteira e completa 1a) inclue escudo, espada, lança, capacete, grevas, e peitoral

Revesti-vos, quer dizer que nós é que temos de nos revestir e não DEUS quem vai nos revestir. Assim como Enchei-vos do ESPÍRITO não é DEUS quem vai nos encher já que colocou em nós seu ESPÍRITO SANTO. DEUS nos vestiu com vestes de salvação.  Efésios 6:13 - Portanto, tomai toda a armadura de DEUS, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.O sacerdote tinha que se vestir com uma roupa própria para ministrar.E o sacerdote, que for ungido, e que for sagrado, para administrar o sacerdócio, no lugar de seu pai, fará a expiação, havendo vestido as vestes de linho, as vestes santas; Levítico 16:32JESUS se vestiu da armadura de DEUS. Veja que quem se veste somos nós. É nosso trabalho nos vestir de novo. Precisamos desejar entrar na guerra. DEUS nos dá vestes de salvação, depois nós mesmos é que vamos nos revestir para a guerra contra Satanás e seus demônios"Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegra no meu Deus; porque me cobriu de vestes de salvação, e me envolveu com o manto de justiça, como noivo que se adorna de turbante, como noiva que se enfeita com as suas jóias" (Isaias 61. 10).Nosso inimigo tenta ter vestes como a nossa, mas não consegue - E o rei, entrando para ver os convidados, viu ali um homem que não estava trajado com veste de núpcias. Mateus 22:11
Os religiosos hipócritas tentam se vestir com roupas de salvação, mas não conseguem - E fazem todas as obras a fim de serem vistos pelos homens; pois trazem largos filactérios, e alargam as franjas das suas vestes, Mateus 23:5Pois vestiu-se de justiça, como de uma couraça, e pôs o capacete da salvação na sua cabeça, e por vestidura pôs sobre si vestes de vingança, e cobriu-se de zelo, como de um manto. Isaías 59:17Mesmo em meio a uma igreja profana existem servos de DEUS que não contaminam suas vestes - Mas também tens em Sardes algumas poucas pessoas que não contaminaram suas vestes, e comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso. Apocalipse 3:4
Nós temos que nos revestir da armadura de DEUS




III – OUTRAS ARMAS USADAS COMO ILUSTRAÇÃO1. Os calçados (v.15).2. O escudo da fé (v.16).3. O capacete da salvação e a espada do ESPÍRITO (v.17).

Cinto era para colocar a arma de ataque principal, a espada. Cinto da verdade, JESUS é a verdade. Só com JESUS se vence a batalha. Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14:6
Calçados os pés para marchar, para caminha, para correr, para ir ao encontro do inimigo e para levar o evangelho a todos.E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas. Romanos 10:15


Escudo - Depois destas coisas veio a palavra do SENHOR a Abrão em visão, dizendo: Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão. Gênesis 15:1
6.11 A ARMADURA DE DEUS. O cristão está engajado num conflito espiritual com o mal. Esse conflito é descrito como o combate da fé (2 Co 10.4; 1 Tm 1.18,19; 6.12), que continua até o crente galgar a vida do porvir (2 Tm 4.7,8; ver Gl 5.17 nota). (1) A vitória do crente foi obtida pelo próprio CRISTO, mediante a sua morte na cruz. JESUS travou uma batalha triunfante contra Satanás, desarmou as potências e potestades malignas (Cl 2.15; cf. Mt 12.28,29; Lc 10.18; Jo 12.31), levou os cativos com Ele (4.8) e redimiu o crente do domínio do maligno (1.7; At 26.18; Rm 3.24; Cl 1.13,14). (2) No presente, o cristão está empenhado numa guerra espiritual que ele trava, mediante o poder do ESPÍRITO SANTO (Rm 8.13), (a) contra os desejos corruptos dentro de si mesmo (1 Pe 2.11; ver Gl 5.17 nota), (b) contra os prazeres ímpios do mundo e todos os tipos de tentações (Mt 13.22; Gl 1.4; Tg 1.14,15; 1 Jo 2.16), e (c) contra Satanás e suas forças (ver 6.12 nota). O crente é conclamado a se separar do presente sistema mundano (ver o estudo A SEPARAÇÃO ESPIRITUAL DO CRENTE), repudiando os seus males (cf. Hb 1.9; ver o estudo O RELACIONAMENTO ENTRE O CRENTE E O MUNDO), vencendo suas tentações e morrendo para elas (Gl 6.14; 1 Jo 5.4), e condenando abertamente os seus pecados (cf. Jo 7.7). (3) A milícia cristã deve guerrear contra todo o mal, não por seu próprio poder (2 Co 10.3) , mas com armas espirituais (2 Co 10.4,5; Ef 6.10-18). (4) Na sua guerra espiritual, o cristão é conclamado a suportar as aflições como bom soldado de CRISTO (2 Tm 2.3), sofrer em prol do evangelho (Mt 5.10-12; Rm 8.17; 2 Co 11.23; 2 Tm 1.8), combater o bom combate da fé (1 Tm 6.12; 2 Tm 4.7), guerrear espiritualmente (2 Co 10.3), perseverar (6.18), vencer (Rm 8.37), ser vitorioso (1 Co 15.57), triunfar (2 Co 2.14), defender o evangelho (Fp 1.16), combater pela fé (Fp 1.27), não se alarmar ante os que resistem (Fp 1.28), vestir toda a armadura de DEUS (6.11), ficar firme (v.v. 13,14), destruir as fortalezas de Satanás (2 Co 10.4), levar cativo todo pensamento (2 Co 10.5) e fortalecer-se na guerra contra o mal (Hb 11.34)

6.12 HOSTES ESPIRITUAIS DA MALDADE. O cristão trava um conflito espiritual contra Satanás e uma multidão de espíritos malignos (ver Mt 4.10 ver o estudo PODER SOBRE SATANÁS E OS DEMÔNIOS). (1) Os poderes das trevas são os governantes espirituais do mundo (Jo 12.31; 14.30; 16.11; 2 Co 4.4; 1 Jo 5.19), que incitam os ímpios (2.2), se opõem à vontade de DEUS (Gn 3.1-7; Dn 10.12,13; Mt 13.38,39) e constantemente atacam os crentes (v. 12; 1 Pe 5.8). (2) É uma vasta multidão (Ap 12.4,7), altamente organizada em forma de império do mal, tendo categorias e ordens (2.2; Jo 14.30)

6.17 A ESPADA DO ESPÍRITO. A "espada do ESPÍRITO, que é a palavra de DEUS", é a arma ofensiva do crente, para uso na guerra contra o poder do mal. Por esta razão, Satanás fará todos os esforços possíveis para subverter ou destruir a confiança do crente na Palavra. A igreja precisa defender as Escrituras inspiradas contra o argumento de que ela não é a Palavra de DEUS em tudo que ensina. Abandonar a posição e a atitude de CRISTO e dos apóstolos para com a Palavra de DEUS é destruir seu poder de convencer, corrigir, redimir, curar, expulsar demônios e vencer o mal. Negar sua fidedignidade total, em tudo quanto ela ensina é entregar-nos a Satanás (ver 2 Pe 1.21 nota; cf. Mt 4.1-11; ver o estudo A INSPIRAÇÃO E A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS) 
4. A outra lista (vv. 18,19).
6.18 ORANDO... NO ESPÍRITO. A guerra do cristão contra as forças espirituais de Satanás exige dedicação a oração, i.e., orando "no ESPÍRITO", "em todo tempo", "com toda oração e súplica", "por todos os santos", "com toda perseverança". A oração não deve ser considerada apenas mais uma arma, mas parte do conflito propriamente dito, onde a vitória é alcançada, mediante a cooperação com o próprio DEUS. Deixar de orar diligentemente, sob todas as formas de oração, em todas as situações, é render-se ao inimigo e deixar de lutar (Lc 18.1; Rm 12.12; Fp 4.6; Cl 4.2; 1 Ts 5.17).
Jd 1.20 = Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo.     1- Falar Em Línguas:    É realmente complicado convencer alguém que orar no Espírito Santo significa orar em línguas, pois temos que "respeitar" ou talvez o termo seja "temer" os que não são batizados no ESPÍRITO SANTO, apesar de pertencerem a uma Igreja Evangélica, tradicionalmente pentecostal.    Vemos a respeito da necessidade de ser batizado no ESPÍRITO SANTO quando os Apóstolos  enviaram uma comitiva de irmãos a Samaria, onde Filipe pregava o evangelho e multidões se convertiam pelo poder dos sinais que fazia, porém ainda não eram batizados no ESPÍRITO SANTO. (At 8.13-17)    Como uma Igreja pode crescer qualitativamente e não só quantitativamente, se seus membros não vêm a necessidade de serem cheios do ESPÍRITO SANTO e conseqüentemente do poder para testemunharem? (Lc 24.9; At 1.8)   1.1- Língua para oração:     "Porque se eu orar em língua, o meu espírito ORA BEM, mas o meu entendimento fica infrutífero."(I Co 14:14). Você quer orar bem? Veja também em Rm 8.26 que não sabemos pedir como convém, mas o ESPÍRITO SANTO sabe o que precisamos e ELE sabe pedir.       1.2- Fala com Deus:     "Porque o que fala em língua não fala aos homens, mas a Deus; pois ninguém o entende; porque em espírito fala mistérios."(I Co 14:2). Por isso é tão combatido o falar em línguas, pois nem Satanás entende.       1.3- Edificação própria:     "O que fala em língua edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja."(I Co 14:4)    Você quer ser edificado? "Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé,  orando no Espírito Santo," Jd.20 (orar no ESPÍRITO, não quer dizer orar em pensamento e sim falando em línguas.     1.4- Falar muito em línguas, muitas horas de edificação:     1 Co 14.18 Dou graças a Deus, que falo em línguas mais do que vós todos.

A Armadura de Deus - http://ibatistaesperanca.blogspot.com/2012/07/a-armadura-de-deus_19.html
"fortalecei-vos no Senhor e na força do Seu Poder; revesti-vos de toda armadura de Deus ( Efésios 6:10-11) Além das armas, você precisa estar totalmente vestido com a armadura para que as setas do diabo não possam lhe atingir. E Paulo, que conhecia muito bem o exército romano e a suas armaduras, faz uma comparação com a Armadura de Deus: 
a) Capacete da SalvaçãoPara proteger a sua mente. Lembre-se, o ataque do diabo é sobre a mente, pois ali está o seu livre arbítrio. É aí que você decide se quer ou não quer, se faz ou não faz. Com o capacete da salvação, você passa a ter a mente de Cristo.
"Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo." (I Cor 2:16)  b) Couraça da JustiçaApesar da palavra couraça vir de couro, como era feita a roupa dos soldados romanos, a nossa couraça é da justiça. O que nos justifica é o sangue de Jesus. A nossa couraça é feita de sangue, o sangue de Jesus.
"Justificados, pois, pela fé, tenhamos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo" (Rm 5:1)  c) sandálias da PazNão é arrancar folhas da Bíblia e colocá-las dobradas como palmilhas no seu sapato. Mas é vestir-se do evangelho verdadeiro de Jesus, e ser o portador da paz onde quer que você vá. Entra um ambiente de paz que as pessoas logo percebem. Da preparação obediente precede as bençãos (2 Rs 5:10 - Cura de Naamã; Jo 11:39 - Ressureição de Lázaro, Ap. 7:13-14 - Limpos pela obediência do Evangelho da Paz).
"E um dos anciãos me perguntou: Estes que trajam as compridas vestes brancas, quem são eles e donde vieram? Respondi-lhe: Meu Senhor, tu sabes. Disse-me ele: Estes são os que vêm da grande tribulação, e levaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro." (Ap.7:13-14) d) Escudo da FéO Soldado romano normalmente usava um escudo redondo no braço esquerdo para se proteger das setas do inimigo. Quando o maligno enviar uma seta de cansaço e desânimo, levante o escudo da fé, e diga "Conforme Isaías 40:31, o Senhor renova as forças daqueles que confiam nele". A fé segura o êxito (2 Cr 20:20). é arma defensiva (Ef. 6:16), é essencial na oração (Tg.1:5-6). Pela fé somos justificados em Cristo (Rm 5:1)"Tomando, sobretudo, o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno." (Ef. 6:16)  e) A Espada do ESPÍRITOÉ a Palavra de Deus. Use-a como espada. Está escrito: "E o diabo, que os enganava foi lançado no fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta. De dia e de noite serão atormentados para sempre" (Ap.20:10). Jesus ao enfrentar o diabo no deserto usou como arma a espada: "Está escrito" (Lc 4:1-13). A Palavra do Senhor é Poderosa."Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração." (Hb 4:12) f) O Cinto da VerdadeCinto é usado para segurar as calças. O Cinto da Verdade segura a Armadura de Deus. Quando uma mentira sai da sua boca, você perde o Cinto da Verdade e toda a sua armadura cai e você fica nú diante do inimigo. Não existe para o cristão "mentirinha", "mentira santa", MENTIRA é mentira e É PECADO. O diabo é o pai da mentira, logo quem mente é o filho do diabo.
"Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira." (Jo 8:44)Agora você está preparado para entrar nesta guerra que já tem um vencedor determinado:  JESUS CRISTO E VOCÊ, NO PODER DO ESPÍRITO SANTO, PARA GLORIFICAR AO PAI.



PODER SOBRE SATANÁS E OS DEMÔNIOSMc 3.27 “Ninguém pode roubar os bens do valente, entrando-lhe em sua casa, se primeiro não manietar o valente; e, então, roubará asua casa”.Um dos destaques principais do Evangelho segundo Marcos é o propósito firme de JESUS: derrotar Satanás e suas hostes demoníacas. Em 3.27, isto é descrito como “manietar o valente” (i.e., Satanás) e, “roubará a sua casa” (i.e., libertar os escravos de Satanás). O poder de JESUS sobre Satanás fica claramente demonstrado na expulsão de demônios (gr. daimonion) ou espíritos malignos.OS DEMÔNIOS. (1) O NT menciona muitas vezes pessoas sofrendo de opressão ou influência maligna de Satanás, devido a um espírito maligno que neles habita; menciona também o conflito de JESUS com os demônios. O Evangelho segundo Marcos, e.g., descreve muitos desses casos: 1.23-27, 32, 34, 39; 3.10-12, 15; 5.1-20; 6.7, 13; 7.25-30; 9.17-29; 16.17.Os demônios são seres espirituais com personalidade e inteligência. Como súditos de Satanás, inimigos de DEUS e dos seres humanos (Mt 12.43-45), são malignos, destrutivos e estão sob a autoridade de Satanás (ver Mt 4.10 nota).Os demônios são a força motriz que está por trás da idolatria, de modo que adorar falsos deuses é praticamente o mesmo que adorar demônios (ver 1Co 10.20 nota; ver o estudo A IDOLATRIA E SEUS MALES).O NT mostra que o mundo está alienado de DEUS e controlado por Satanás (ver Jo 12.31 nota; 2Co 4.4; Ef 6.10-12; ver o estudo O RELACIONAMENTO ENTRE O CRENTE E O MUNDO). Os demônios são parte das potestades malignas; o cristão tem de lutar continuamente contra eles (ver Ef 6.12 nota).Os demônios podem habitar no corpo dos incrédulos, e, constantemente, o fazem (ver Mc 5.15; Lc 4.41; 8.27,28; At 16.18) e falam através das vozes dessas pessoas. Escravizam tais indivíduos e os induzem à iniqüidade, à imoralidade e à destruição.Os demônios podem causar doenças físicas (Mt 9.32,33; 12.22; 17.14-18; Mc 9.17-27; Lc 13.11,16), embora nem todas as doenças e enfermidades procedam de espíritos maus (Mt 4.24; Lc 5.12,13).Aqueles que se envolvem com espiritismo e magia (i.e., feitiçaria) estão lidando com espíritos malignos, o que facilmente leva à possessão demoníaca (cf. At 13.8-10; 19.19; Gl 5.20; Ap 9.20,21).Os espíritos malignos estarão grandemente ativos nos últimos dias desta era, na difusão do ocultismo, imoralidade, violência e crueldade; atacarão a Palavra de DEUS e a sã doutrina (Mt 24.24; 2Co 11.14,15; 1Tm 4.1). O maior surto de atividade demoníaca ocorrerá através do Anticristo e seus seguidores (2Ts 2.9; Ap 13.2-8; 16.13,14).JESUS E OS DEMÔNIOS. (1) Nos seus milagres, JESUS freqüentemente ataca o poder de Satanás e o demonismo (e.g., Mc 1.25,26, 34, 39; 3.10,11; 5.1-20; 9.17-29; cf. Lc 13.11,12,16). Um dos seus propósitos ao vir à terra foi subjugar Satanás e libertar seus escravos (Mt 12.29; Mc 1.27; Lc4.18).JESUS derrotou Satanás, em parte pela expulsão de demônios e, de modo pleno, através da sua morte e ressurreição (Jo 12.31; 16.17; Cl 2.15; Hb 2.14). Deste modo, Ele aniquilou o domínio de Satanás e restaurou o poder do reino de DEUS (ver o estudo O REINO DE DEUS).O inferno (gr. Gehenna), o lugar de tormento, está preparado para o diabo e seus demônios (Mt 8.29; 25.41). Exemplos do termo Gehenna no grego: Mc 9.43,45,47; Mt 10.28; 18.9.O CRENTE E OS DEMÔNIOS. (1) As Escrituras ensinam que nenhum verdadeiro crente, em quem habita o ESPÍRITO SANTO, pode ficar endemoninhado; i.e.: o ESPÍRITO e os demônios nunca poderão habitar no mesmo corpo (ver 2Co 6.15,16 nota). Os demônios podem, no entanto, influenciar os pensamentos, emoções e atos dos crentes que não obedecem aos ditames do ESPÍRITO SANTO (Mt 16.23; 2Co 11.3,14).JESUS prometeu aos genuínos crentes autoridade sobre o poder de Satanás e das suas hostes. Ao nos depararmos com eles, devemos aniquilar o poder que querem exercer sobre nós e sobre outras pessoas, confrontando-os sem trégua pelo poder do ESPÍRITO SANTO (ver Lc 4.14-19). Desta maneira, podemos nos livrar dos poderes das trevas.Segundo a parábola em Mc 3.27, o conflito espiritual contra Satanás envolve três aspectos: (a) declarar guerra contra Satanás segundo o propósito de DEUS (ver Lc 4.14-19); (b) ir onde Satanás está (qualquer lugar onde ele tem uma fortaleza), atacá-lo e vencê-lo pela oração e pela proclamação da Palavra, e destruir suas armas de engano e tentação demoníacos (cf. Lc 11.20-22); (c) apoderar-se de bens ou posses, i.e., libertando os cativos do inimigo e entregando-os a DEUS para que recebam perdão e santificação mediante a fé em CRISTO (Lc 11.22; At 26.18).Seguem-se os passos que cada um deve observar nesta luta contra o mal: (a) Reconhecer que não estamos num conflito contra a carne e o sangue, mas contra forças espirituais do mal (Ef 6.12).Viver diante de DEUS uma vida fervorosamente dedicada à sua verdade e justiça (Rm 12.1,2; Ef. (c) Crer que o poder de Satanás pode ser aniquilado seja onde for o seu domínio (At 26.18; Ef 6.16; 1Ts 5.8) e reconhecer que o crente tem armas espirituais poderosas dadas por DEUS para a destruição das fortalezas de Satanás (2Co 10.3-5). (d) Proclamar o evangelho do reino, na plenitude do ESPÍRITO SANTO (Mt 4.23; Lc 1.15-17; At 1.8; 2.4; 8.12; Rm 1.16; Ef 6.15). (e) Confrontar Satanás e o seu poder de modo direto, pela fé no nome de JESUS (At 16.16-18), ao usar a Palavra de DEUS (Ef 6.17), ao orar no ESPÍRITO (At 6.4; Ef 6.18), ao jejuar (ver Mt 6.16 nota; Mc 9.29) e ao expulsar demônios (ver Mt 10.1 nota; 12.28; 17.17-21; Mc 16.17; Lc 10.17; At 5.16; 87; 16.18; 19.12; ver o estudo SINAIS DOS CRENTES). (f) Orar, principalmente, para que o ESPÍRITO SANTO convença os perdidos, no tocante ao pecado, à justiça e ao juízo vindouro (Jo 16.7-11). (g) Orar, com desejo sincero, pelas manifestações do ESPÍRITO, mediante os dons de curar, de línguas, de milagres e de maravilhas (At 4.29-33; 10.38; 1Co 12.7-11).


SUBSÍDIOS DA LIÇÃO 9 - REVISTA CPAD
SUBSÍDIO DIDÁTICO-PEDAGÓGICOPara enriquecer a sua exposição do primeiro tópico seria interessante fazer uma pesquisa sobre a guerra ao longo da história do mundo. Por meio de sites confiáveis ou de revista especializada, tenha acesso a um resumo sobre o contexto das guerras, principalmente a primeira e segunda mundiais. A ideia é que essa exposição tenha maior objetividade quando você se encontrar munido de conhecimentos básicos sobre a guerra. Avalie a possibilidade de compartilhar a sua pesquisa com a classe, seja em forma de artigo, resumos ou resenhas.SUBSÍDIO TEOLÓGICOPara este tópico é importante conhecer melhor o termo “Justiça”: “Justiça de DEUS. [Do hb. tsadik; do gr. dikaios; do lat. justitia] Atributo moral e básico de DEUS, manifestado pela fidelidade com que o Supremo Ser trata seus propósitos e decretos. É a sua fidelidade com a própria natureza. A justiça de DEUS entra em ação todas as vezes que a sua santidade é agredida. Sua justiça e santidade acham-se intimamente associadas; não se pode abstrair uma da outra sem violar sua inefável natureza. Justiça Original. Condição moral e espiritual que o ser humano recebeu de DEUS quando de sua criação. O homem era naturalmente bom. Tendia a executar o que era reto e justo. Mas o pecado afetou-lhe a natureza de forma flagrante e quase que irremediável. Aceitando porém a CRISTO, os descendentes de Adão e Eva são, não somente justificados, como transformados pelo ESPÍRITO de DEUS. A regeneração faz com que readquiramos a justiça original e passemos a viver sob o mando da justiça de CRISTO. Este ensino encontra-se na maioria das epístolas paulinas (Ef 4.24; Rm 8.29; 2 Co 3.18)” (ANDRADE, Claudionor de Corrêa. Dicionário Teológico. Rio de Janeiro: CPAD, 1998, pp.197-98).CONHEÇA MAIS*Armadura Espiritual “Na bem conhecida passagem em Efésios 6.10-17, os cristãos são exortados a vestir toda a armadura de DEUS. [...] O apóstolo Paulo simboliza elementos vitais do caráter cristão para se defender das acusações do maligno (cf. Ap 12.10) através de várias partes da armadura greco-romana da sua época.” Leia mais em Dicionário Bíblico Wycliffe, CPAD, p.184.SUBSÍDIO DE VIDA CRISTÓDEUS quer trazer fé aos nossos olhos e aos nossos ouvidos, uma realização viva do que seja a Palavra de DEUS, do que o Senhor DEUS quer dizer e do que podemos esperar se crermos. Estou certo de que o Senhor deseja colocar diante de nós um fato vivo que, pela fé, deve pôr em ação um princípio que está dentro de nossos corações, a fim de que CRISTO destrone todo o poder de Satanás. É isso que eu penso. O Reino dos Céus está dentro de nós, dentro de cada crente. O Reino dos Céus é CRISTO, é a Palavra de DEUS. O Reino dos Céus deve superar todas as demais coisas, até sua própria vida. Tem que ser manifestado de maneira tal que compreendas que mesmo a morte de CRISTO traz à lume a vida de CRISTO. O Reino dos Céus é a vida de JESUS, é o poder do Altíssimo. O Reino dos Céus é puro, é santo. Não tem doenças, nem imperfeição” (WIGGLESWORTH, Smith. Devocional. Série: Clássicos do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, pp.72-73).
PARA REFLETIR - A respeito de “Conhecendo a Armadura de DEUS”, responda:Qual o enfoque da guerra na presente lição? O enfoque é metafórico, representando a nossa luta espiritual contra os inimigos da nossa salvação (2 Co 10.3; 1 Tm 1.18).O que significa cingir “os lombos com a verdade”? Significa usar a verdade como cinturão (Is 11.5).O que significa o uso dos calçados na linguagem figurada? Na linguagem figurada isso remete a agilidade e prontidão na obra da evangelização e na pregação do evangelho da paz.De que o escudo da fé nos protege? Esse escudo nos protege das setas malignas (Sl 91.5).A que se refere a expressão “espada do ESPÍRITO”? A expressão paulina “espada do ESPÍRITO” se refere à Bíblia, pois as Escrituras Sagradas vieram do ESPÍRITO SANTO (2 Pe 1.21).
CONSULTE - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 77, p40.

SUGESTÃO DE LEITURA - Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento, Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento, Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal 2 Volumes.
AJUDA BIBLIOGRÁFICATeologia Sistemática de Charles Finney
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.Conhecendo as Doutrinas da Bíblia - Myer Pearman - Editora Vida
Comentário Bíblico Beacon, v.5 - CPAD.
Comentário Bíblico TT W. W. Wiersbe
Comentário Bíblico Expositivo - Novo Testamento - Volume I - Warren W. Wiersbe
CRISTOLOGIA - A doutrina de JESUS CRISTO - Esequias Soares - CPAD
Dicionário Bíblico Wycliffe - CPAD
GARNER, Paul. Quem é quem na Bíblia Sagrada. VIDA
Guia Básico de Interpretação da Bíblia - CPAD
http://www.gospelbook.net, www.ebdweb.com.br, http://www.escoladominical.net, http://www.portalebd.org.br/, Bíblia The Word.O Novo Dicionário da Bíblia - J.D.DOUGLAS.Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPADPequeno Atlas Bíblico - CPAD Hermenêutica Fácil e Descomplicada - CPAD
Revista Ensinador Cristão - CPAD.STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD.Teologia Sistemática Pentecostal - A Doutrina da Salvação - Antonio Gilberto - CPAD
Teologia Sistemática - Conhecendo as Doutrinas da Bíblia - A Salvação - Myer Pearman - Editora Vida
Teologia Sistemática de Charles Finney
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htmHOUAISS, Antônio. Dicionário da Língua Portuguesa. OBJETIVA.
ALLMEN, J. J. V. VocabulárioBíblico,2ª Edição. Asso­ciação de Seminários Teológicos Evangélicos, São Pau­lo, SP,1972APPUI, BLOOMFIELD, A. E. Apocalipse-OFuturoglo­riosodoPlanetaTerra,Editora Betânia, Belo Horizon­te, MG, 1980BROWN, C. ONouoDicionárioInternacionaldeTeologia, 4º Volumes. Edições Vida Nova, São Paulo, SP, 1981 A 1985BUBECK, M. I. OAdversário.Edições Vida Nova, São Paulo, SP,1985CHAFER, L. S. TeologiaSistemática,1ª Edição. Impren­sa Batista Regular, São Paulo, SP,1986CHAMPLIN, R. N. ONouoTestamentoInterpretado VersículoporVersículo.6 volumes, 1ª Edição, 3ªIm­pressão. Distribuidora Cultura Ltda. (MILENIUM); São Paulo, SP,1982COOKE, W. TeologiaCrista,5ª Edição, op. cit. em1947CORSINI, E. Apocalipse-OApocalipsedeSãoJoão,Edi­ções Paulinas, São Paulo, SP,1984DAVIS, J. D. DicionáriodaBíblia,11ª Edição. Editora JUERP, Rio de Janeiro, RJ. 1985DURRANT, H. LesDossiersdesOVNI(Os Estranhos Ca­sos dos OVNI). Éditions Robert Laffont, S. A., Paris, França, 1973FHILLIPS, Mc. C. O Mundo Espiritual, Wheaton, 1970 GAEBELEIN, A. C.Os Anjos de DEUS. op. cit.1947GRAHAM, B. Anjos:Os Agentes Secretos de DEUS,1ª Edição. Editora Record, Rio de Janeiro, RJ. 1975HALLEY, H. H. Manual Bíblico de Halley, 5 ª Edição. Edições Vida Nova, São Paulo, SP, 1983LADD, G. E. Apocalipse - Introdução e Comentário. Edições Vida Nova, São Paulo, SP,1980LARKIN, C. O Mundo dos Espíritos, op. cit.1947LOCKYER, H. Apocalipse-O Drama dos Séculos. Editora Vida, Miami, Flórida,1982MILLER, C. L. Tudo sobre Anjos: O outro lado do mundo e dos espíritos, V Edição. Editora Vida, São Paulo, SP, 1978NEVIUS, J. L. PossessãoDemoníacaeTemasConexos. Nova Iorque, Revell,1893RIDEERBOS, J. Isaías,Introdução e Comentário,1ª Edição. Editora Mundo Cristão, São Paulo, SP, 1986SCOFIELD, C. I. Bíblia anotada por Scofield.Imprensa Batista Regular, São Paulo, SPSEISS, J. A. O Apocalipse,3 Volumes, Filadélfia, 1865SHEDD, R. P. O Novo Comentário da Bíblia,3ª volumes, 1ª Edição, 3ª Reimpressão. Edições Vida Nova, São Paulo, SP,1979SHEDD, R. P. ONovoDicionáriodaBíblia.2º Volumes, 1ªEdição, 4ª Reimpressão. Edições Vida Nova, São Pau­lo, SP,1983SILVA, S. P. Apocalipse:VersículoporVersículo,4ª Edi­ção do autor, Rio de Janeiro, RJ,1987SILVA, S. P. Daniel:VersículoporVersículo,2ª Edição. Casa Publicadora das Assembléias de DEUS, Rio de Ja­neiro, RJ,1986SUMMERS, R.Apocalipse-AMensagemdoApocalipse. Editora JUERP, Rio de Janeiro, RJ,1978TAYLOR, J. B. Ezequiel,IntroduçãoeComentário,1ªEdição. Editora Mundo Cristão, São Paulo, SP, 1984VANNI, H. Apocalipse-UmaAssembléiaLitúrgicaInter­pretaaHistória.Edições Paulinas, São Paulo, SP,1984Livro Batalha Espiritual - Livro de Apoio Adulto 1º Trimestre -  2019 - Pr. EsequiasSoares
Angelogia — a Doutrina dos anjos - Wagner Caby - Teologia Sistemática Pentecostal - CPAD
Primeira tradução do Antigo Testamento do hebraico para o grego, em Alexandria, no Egito, feita em cerca de 285 a.C., conhecida como a tradução dos setenta — LXX.MARTENSEN, Christian Dogmatics, 133.Questão 50, artigo 3°, da Suma Teológica (Volume II Lovola, São Paulo,2002), a qual trata da natureza dos anjos de modo absoluto. Tomás de Aquino aqui cita as palavras de Dionísio, o areopagita, acerca do número de anjos existentes.Nota do Editor — apesar de alguns teólogos acreditarem que haja uma categoria de anjos formada por arcanjos, só há menção explícita a um arcanjo nas Escrituras (Jd v.9; I Ts 4.16, ARA).O Novo Testamento Versículo por Versículo, Candeia. Champlm comenta sobre Efésios 1.21.O Novo Testamento Versículo por Versículo, Candeia. Champlin comenta sobre Colossenses I.16.SILVA, Severmo Pedro da, A Doutrina Bíblica dos Anjos, CPAD.PERLMAN, Mver, Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, Editora Vida.Teologia Sistemática Atual e Exaustiva, Edições Vida Nova.PERLMAN Mver, Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, Editora Vida.J KOEHLER, Edward W. A., Sumário da Doutrina Cristã, Concórdia.PERLMAN, Myer, Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, Editora Vida.Comentário Bíblico Pentecostal do Novo Testamento, CPAD.HORTON, Stanley M., A Vitória Final, CPAD.ARCHER, Gleason L., Enciclopédia de Dificuldades Bíblicas, Editora Vida. Archeré professor de Antigo Testamento e Estudos Semíticos naTrinity Divinitv School — em Deerfield, Illinois, Estados Unidos — e deão no Fuller Theological Seminary.GRAHAM, Billy. Anjos, os Agentes Secretos de DEUS. Record, pp.79-89.Bíblia de Estudo de Genebra.Homília de Centum Ovibus (Homílias sobre os Evangelhos), citado porTomás de Aquino.OLSON, N. Lawrence, Plano Divino através dos Séculos, CPAD.GILBERTO, Antomo, Manual da Escola Dominical, CPAD.JOSEFO, Flávio, de Bello Judaico, VII. 6:3.OLSON, N. Lawrence, Plano Divino através dos Séculos, CPAD.BOYER, Orlando, Espada Cortante, Vol. I, CPAD.COSTA, Samuel, Psicoteologia Geral, Vol I, Editora Silvacosta.http://www.cblibrary.net/portugue/colossenses/col_ch5.htm
 x

Slides Lição 9, Conhecendo a Armadura de DEUS