quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

LICAO 1 - ATOS - A Acao do ESPIRITO SANTO




LIÇÃO 1 - ATOS - A Ação do ESPÍRITO SANTO Através da Igreja

Lições Bíblicas do 1º Trimestre de 2011 - CPAD - Jovens e Adultos
ATOS DOS APÓSTOLOS - Até aos confins da terra
Comentários da revista da CPAD: Pr. Claudionor de Andrade
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD: Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva



TEXTO ÁUREO
"Mas recebereis a virtude do ESPÍRITO SANTO, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra" (At 1.8).

VERDADE PRÁTICA
Apesar de suas limitações locais, a Igreja de CRISTO, sob o poder do ESPÍRITO SANTO, universaliza-se em suas conquistas e faz-se irresistível corno Reino de DEUS.

JESUS confirma a promessa do Pai (At 1.4)
A ascensão de JESUS (At 1.9)
A primeira reunião da Igreja (At 1.15-26)
A missão da Igreja (At 1.8)
A expansão da Igreja (At 6.7)
Conservando a unidade da Igreja pelo ESPÍRITO SANTO (Ef 4.3)

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Atos 1.1-5
1 - Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo que JESUS começou, não só a fazer, mas a ensinar,
2 - até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo ESPÍRITO SANTO, aos apóstolos que escolhera;3 - aos quais também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas e infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias e falando do que respeita ao Reino de DEUS.4 - E, estando com eles, determinou-Ihes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes.5 - Porque, na verdade. João batizou com água, mas vós sereis batizados com o ESPÍRITO SANTO, não muito depois destes dias.

1.1 O PRIMEIRO TRATADO. No Evangelho segundo Lucas temos o relato de tudo que JESUS começou a fazer e a ensinar no poder do ESPÍRITO SANTO (Lc 4.1,18). No livro de Atos temos a continuação do relato de como seus seguidores, no mesmo poder do ESPÍRITO SANTO, proclamaram o mesmo evangelho, operaram o mesmo tipo de milagre e viveram o mesmo tipo de vida cristã. O ESPÍRITO SANTO reproduzindo a vida e o ministério de JESUS através da igreja é a principal ênfase teológica do livro de Atos. Este livro poderia muito bem ser chamado Os Atos do ESPÍRITO SANTO . Observe os itens abaixo sobre o registro inspirado do ESPÍRITO SANTO no livro de Atos.
(1) Todo o texto bíblico de Atos, inclusive o das narrativas históricas, tem relevância didática (i.e., ensino) e teológica. Dois fatos confirmam esta verdade. (a) A declaração bíblica de que Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça (2 Tm 3.16). (b) A declaração paulina de que as narrativas do AT têm um propósito didático e instrutivo (1 Co 10.11). Ele afirma que essas narrativas são exemplos de relevância prática e teológica para o crente (Rm 15.4). O que é válido às narrativas históricas do AT também o é a Atos.
(2) Os propósitos primários que Lucas tinha em mente ao escrever o livro de Atos eram, portanto, os seguintes:
(a) apresentar um padrão definitivo da atividade do ESPÍRITO SANTO, a ser seguido durante toda a era da igreja;
(b) fornecer dados para a formulação de uma doutrina do ESPÍRITO SANTO; e
(c) mostrar como essa doutrina deve relacionar-se com a vida dos crentes em CRISTO.
Note especificamente dois elementos neste livro que são normativos na teologia e na prática:
(i) o registro repetido e harmônico de Lucas das muitas ocasiões em que ocorreu o batismo no ESPÍRITO SANTO, ou quando os crentes foram cheios do ESPÍRITO SANTO (ver 2.39; cf. 1.5,8; 2.4; 4.8,31; 8.15-17; 9.17; 10.44-46; 13.9,52; 15.8; 19.1-6);
(ii) as muitas atividades do ESPÍRITO SANTO no livro de Atos, que forneceram à igreja os padrões de justiça, de testemunho e do poder que DEUS deseja para seu povo nos últimos dias (i.e., na era da igreja).
1.3 SE APRESENTOU VIVO. Ver Mt. 28.9.
URGÊNCIA EM ALEGRAR-SE
A saudação de JESUS foi um convite à alegria, Mt 28.9. A palavra grega chairete significa "alegrai-vos". A Bíblia de Jerusalém traduz: "E eis que JESUS veio ao seu encontro e lhes disse: Alegrai-vos!”, Mt 28.9.
O misto de alegria e tristeza causado pelo anúncio da ressurreição feito pelos anjos, Mt 28.8, transformou-se em alegre adoração diante da evidência da ressurreição, Mt 28.9. Além da alegria, a presença do CRISTO ressurreto traz paz, poder (ESPÍRITO SANTO) e missão, Jo 20.19-22.
1.4 A PROMESSA DO PAI. O prometido dom do Pai (Jl 2.28,29; Mt 3.11) é o batismo no ESPÍRITO SANTO (ver v. 5). O cumprimento desta promessa, no entanto, é descrito como ser cheios do ESPÍRITO SANTO (2.4). Assim, batizado no ESPÍRITO e cheio do ESPÍRITO , às vezes, são usados como equivalentes nas Escrituras. A partícula grega que aparece nos pertinentes textos do NT leva para a tradução com ou no ESPÍRITO SANTO, em se tratando do batismo pentecostal. Este batismo com ou no ESPÍRITO SANTO, não deve ser identificado com o recebimento do ESPÍRITO SANTO na ocasião da regeneração. São duas obras distintas do ESPÍRITO, muitas vezes separadas por um período de tempo.
1.5 BATIZADOS COM O ESPÍRITO SANTO. A preposição com é a partícula grega en, que pode ser traduzida como "em" ou "com" . Por isso, muitos preferem a tradução sereis batizados no ESPÍRITO SANTO . Da mesma forma, batizados com água pode ser traduzido batizados em água . O próprio JESUS é aquele que batiza no ESPÍRITO SANTO os que nEle crêem.

Observações sobre o livro de Atos dos Apóstolos:
Assim como a Igreja em seu início saiu do cenáculo e atingiu o mundo, assim devemos sair de entre as quatro paredes e alcançarmos todas as almas para CRISTO.
Veremos um resumo dos 30 primeiros anos da Igreja na Terra, através do livro de Atos dos Apóstolos.
Lucas, seu autor, poderia te-lo escrito a fim de defender o cristianismo e principalmente Paulo das acusações que lhe pesavam sobre a cabeça, pelo império romano que via o cristianismo como uma ameaça político-religiosa.
O título mais apropriado para o livro seria a meu ver "Atos de JESUS CRISTO pós-ressurreição, através do ESPÍRITO SANTO, agindo na Igreja iniciada pelos apóstolos em Jerusalém, atingindo todo o mundo habitado, graças ao poder recebido a partir do batismo no ESPÍRITO SANTO".
A data mais provável deve ser entre o ano 60e o ano 63, pois já em 64 houve uma grande perseguição à Igreja, por Nero, e esse fato com certeza seria descrito por Lucas, historiador que era - nunca a data poderia ser depois de 70, pois Lucas registraria o fato da destruição de Jerusalém por Tito, general romano.
Por incrível que pareça, existem denominações que separam para o santo ministério pessoas que nem batizados com o ESPÍRITO SANTO são, contrariando a a palavra de DEUS dita por JESUS CRISTO em Atos 1.4,5,8.
Quando aceitamos a JESUS CRISTO como Salvador e Senhor recebemos o ESPÍRITO SANTO, assim como os discípulos O receberam através do sopro de JESUS. Só depois é que foram batizados Com O ESPÍRITO SANTO, no dia do Pentecostes.
É interessante notar que a doutrina do ESPÍRITO SANTO é introduzida por Lucas em seu evangelho, sempre buscando informações sobre as vezes em que JESUS cita o ESPÍRITO SANTO. Agora em Atos Lucas fala abertamente sobre essa tão insubstituível doutrina para a Igreja que quer ser militante no evangelho do reino de DEUS.

ATOS DOS APÓSTOLOS - BEP - CPAD
Esboço
Introdução (1.1-11)

I. O Derramamento do ESPÍRITO SANTO (1.12 — 2.41)
A. A Preparação para a Promessa (1.12-26)
B.O Dia do Pentecoste (2.1-41)

II. Os Primeiros Dias da Igreja em Jerusalém (2.42—8.1a)
A. Características da Igreja Apostólica em Seguida ao Derramamento do ESPÍRITO (2.42-47)
B. Um Grande Milagre e Seus Efeitos (3.1—4.31)
C. A Comunidade de Bens dos Primeiros Cristãos (4.32—5.11)
D. Mais Curas e a Resistência da Religião Oficial (5.12-42)
E. A Escolha de Sete Diáconos (6.1-7)
F. Estêvão: O Primeiro Mártir do Cristianismo (6.8—8.1a)

III. A Perseguição Leva à Expansão (8.1b—9.31)
A. Os Crentes Dispersos na Judéia e Samaria (8.1b-4)
B. Filipe: O Ministério de um Evangelista (8.5-40)
C. Saulo de Tarso: A Conversão de um Perseguidor (9.1-31)

IV. O Cristianismo Propaga-se entre os Gentios (9.32—12.25)
A. O Ministério de Pedro em Lida e em Jope (9.32-43)
B. A Missão de Pedro aos Gentios em Cesaréia (10.1-48)
C. O Informe de Pedro à Igreja de Jerusalém e a Aprovação da Sua Decisão (11.1-18)
D. Antioquia: A Primeira Igreja Gentia (11.19-30)
E. Perseguição sob Herodes Agripa I (12.1-23)
F. Resumo do Crescimento da Igreja (12.24,25)

V. Primeira Viagem Missionária de Paulo (13.1—14.28)
A. Paulo e Barnabé Comissionados pela Igreja Local de Antioquia (13.1-3)
B. Início da Evangelização da Província da Ásia (13.4—14.28)

VI. O Concílio de Jerusalém (15.1-35)

VII. Segunda Viagem Missionária de Paulo (15.36—18.22)
A. Divergência entre Paulo e Barnabé (15.36-40)
B. Visita às Igrejas Fundadas (15.41—16.5)
C. Novas Regiões Evangelizadas na Província da Ásia (16.6—18.21)
D. Regresso à Antioquia da Síria (18.22)

VIII. Terceira Viagem Missionária de Paulo (18.23—21.16)
A. A Caminho de Éfeso (18.23)
Parêntese: O Ministério de Apolo (18.24-28)
B. Um Prolongado Ministério em Éfeso (19.1-41)
C. Viagem à Macedônia, Grécia e Volta à Macedônia (20.1-5)
D. Regresso a Jerusalém (20.6—21.16)

IX. A Prisão de Paulo e Seu Ministério Enquanto Preso (21.17—28.31)
A. Em Jerusalém (21.17—23.35)
B. Em Cesaréia (24.1—26.32)
C. A Caminho de Roma (27.1—28.15)
D. Em Roma (28.16-31)

Autor: Lucas
Tema: A Propagação Triunfal do Evangelho pelo Poder do ESPÍRITO SANTO
Data:Cerca de 63 d.C.

Considerações Preliminares
O livro de Atos, e de igual modo o Evangelho segundo Lucas, é endereçado a um homem chamado “Teófilo” (1.1). Embora nenhum dos dois livros identifique nominalmente o autor, o testemunho unânime do cristianismo primitivo e a evidência interna confirmatória dos dois livros denotam que ambos foram escritos por Lucas, “o médico amado” (Cl 4.14).
O ESPÍRITO SANTO inspirou Lucas a escrever a Teófilo a fim de suprir na igreja a necessidade de um relato completo dos primórdios do cristianismo. (1) “O primeiro tratado” foi seu Evangelho a respeito da vida de JESUS, e (2) o segundo foi seu relato, em Atos, sobre o derramamento do ESPÍRITO em Jerusalém e sobre o crescimento da igreja primitiva. Torna-se claro que Lucas era um escritor habilidoso, um historiador consciente e um teólogo inspirado.
Atos abrange, de modo seletivo, os primeiros trinta anos da história da igreja. Como historiador eclesiástico, Lucas descreve, em Atos, a propagação do evangelho, partindo de Jerusalém até Roma. Ele menciona nada menos que 32 países, 54 cidades, 9 ilhas do Mediterrâneo, 95 diferentes pessoas e uma variedade de membros e funcionários do governo com seus títulos precisos. A arqueologia continua a confirmar a admirável exatidão de Lucas em todos os seus pormenores. Como teólogo, Lucas descreve com habilidade a relevância de várias experiências e eventos dos primeiros anos da igreja.
Na sua fase inicial, as Escrituras do NT consistiam em duas coletâneas: (1) os quatro Evangelhos, e (2) as Epístolas de Paulo. Atos desempenhou um papel substancial como elo de ligação entre as duas coletâneas, e faz jus à posição que ocupa no cânon. Nos caps. 13—28, temos o acervo histórico necessário para bem compreendermos o ministério e as cartas de Paulo. O pronome “nós”, empregado por Lucas através de Atos (16.10-17; 20.5—21.18; 27.1—28.16), aponta-o como estando presente nas viagens de Paulo.

Propósito
Lucas tem pelo menos dois propósitos ao narrar os começos da igreja. (1) Demonstra que o evangelho avançou triunfalmente das fronteiras estreitas do judaísmo para o mundo gentio, apesar da oposição e perseguição. (2) Revela a missão do ESPÍRITO SANTO na vida e no papel da igreja e enfatiza o batismo no ESPÍRITO SANTO como a provisão de DEUS para capacitar a igreja a proclamar o evangelho e a dar continuidade ao ministério de JESUS. Lucas registra três vezes, expressamente, o fato de o batismo no ESPÍRITO SANTO ser acompanhado de enunciação em outras línguas (2.1-4.; 10.44-47; 19.1-6). O contexto destas passagens mostra que isto era normal no princípio da igreja, e que é o padrão permanente de DEUS para ela.



Visão Panorâmica

Enquanto o Evangelho segundo Lucas relata “tudo que JESUS começou, não só a fazer, mas a ensinar” (1.1), Atos descreve o que JESUS continuou a fazer e a ensinar depois de sua ascensão, mediante o poder do ESPÍRITO SANTO, operando em, e através dos seus discípulos e da igreja primitiva. Ao ascender ao céu (1.9-11), a última ordem de JESUS aos discípulos foi para que permanecessem em Jerusalém até que fossem batizados no ESPÍRITO SANTO (1.4,5). O versículo-chave de Atos (1.8) contém um resumo teológico e geográfico do livro: JESUS promete aos discípulos que receberão poder quando o ESPÍRITO SANTO vier sobre eles; poder para serem suas testemunhas (1) em Jerusalém (1—7), (2) em toda a Judéia e Samaria (8—12) e (3) até aos confins da terra (13—28).
Nos caps. 1—12, o centro principal irradiador da igreja é Jerusalém. Aqui, Pedro é o mais destacado instrumento usado por DEUS para pregar o evangelho. Nos caps. 13—28, o centro principal de irradiação passou a ser Antioquia da Síria, onde o instrumento de maior realce nas mãos de DEUS foi Paulo para levar o evangelho aos gentios. O livro de Atos termina de modo repentino com Paulo em Roma aguardando julgamento perante César. Mesmo com o resultado do referido julgamento ainda pendente, o livro termina de modo triunfante, estando Paulo prisioneiro, porém cheio de ânimo e sem impedimento para pregar e ensinar acerca do reino de DEUS e do Senhor JESUS (28.31).

Características Especiais
Nove principais destaques assinalam o livro de Atos. (1) A igreja. Atos revela a origem do poder da igreja e a verdadeira natureza da sua missão, juntamente com os princípios que devem norteá-la em todas as gerações. (2) O ESPÍRITO SANTO. A terceira pessoa da Trindade é mencionada cinqüenta vezes; o batismo no ESPÍRITO SANTO e o seu ministério outorgam poder (1.8), ousadia (4.31), santo temor a DEUS (5.3,5,11), sabedoria (6.3,10), direção (16.6-10), e dons espirituais (19.6). (3) Mensagens da igreja primitiva. Lucas relata com habilidade os ensinos inspirados de Pedro, Estêvão, Paulo, Tiago, e outros, apresentando assim um quadro da igreja primitiva não encontrado noutro lugar do NT. (4) Oração. Os cristãos primitivos dedicavam-se às orações com regularidade e fervor, que, às vezes, duravam a noite inteira, produzindo resultados maravilhosos. (5) Sinais, maravilhas e milagres. Estas manifestações acompanhavam a proclamação do evangelho no poder do ESPÍRITO SANTO. (6) Perseguição. A proclamação do evangelho com poder dava origem à oposição religiosa e/ou secular. (7) A ordem judaica/gentia. Do começo ao fim de Atos, o evangelho alcança primeiro os judeus e, depois, os gentios. (8) As mulheres. Há menção especial às mulheres dedicadas à obra contínua da igreja. (9) Triunfo. Barreira alguma nacional, religiosa, cultural, ou racial, nem oposição ou perseguição puderam impedir o avanço do evangelho.

Princípio Hermenêutico
Há quem considere o conteúdo do livro de Atos como se pertencesse a uma outra era bíblica e não como o padrão divino para a igreja e seu testemunho durante todo o período que o NT chama de “últimos dias” (cf. 2.17). O livro de Atos não é simplesmente um compêndio de história da igreja primitiva; é o padrão perene para a vida cristã e para qualquer congregação cheia do ESPÍRITO SANTO.
Os crentes devem desejar, buscar e esperar, como norma para a igreja atual, todos os fatos vistos no ministério e na experiência da igreja primitiva.

REFLEXÃO
"Pela fé em JESUS CRISTO e através do poder do ESPÍRITO SANTO, a igreja cristã pode se um agente de mudanças." Bíblia de Estudos Aplicação Pessoal.



RESUMO DA LIÇÃO 1 - ATOS - A Ação do ESPÍRITO SANTO Através da Igreja
I. AUTORIA, DATA E TEMA
1. Autoria.
2. Data de composição.
3. Tema.
II. O CONTEÚDO DE ATOS DOS APÓSTOLOS
1. Eventos pré-pentecostais.
a) A ascensão de CRISTO.
b) A eleição de Matias.
2. Evento Pentecostal.
3. Eventos missionários.
a) A expansão em Jerusalém.
b) A expansão da Igreja na Judéia e Samaria.
c) A expansão da Igreja entre os gentios.

III. O PROPÓSITO DE ATOS DOS APÓSTOLOS
1. Narrar a expansão da Igreja.
2. A justificar os Atos dos Apóstolos.
3. Estimular aos crentes.

SINOPSE DO TÓPICO (1)
Lucas participa da história da Igreja Primitiva, não somente como autor, mas como um personagem presente e ativo.

SINOPSE DO TÓPICO (2)
A ascensão de CRISTO e a eleição apostólica de Matias foram os eventos que antecederam o Pentecostes.

SINOPSE DO TÓPICO (3)
A expansão da Igreja deu-se em duas etapas: de Jerusalém à Samaria, de forma espontânea; de Antioquia à Roma, de forma planejada e intencional.

DICIONÁRIO:
Paracleto: "Aquele que é chamado ao lado de..."; Defensor advogado.
Escatologia: Estudo sistemático e lógico das doutrinas concernentes às últimas coisas.
Parousia: Presença, vinda ou chegada do Rei.
Vacância: Condição ou estado do que não se acha preenchido ou ocupado.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
PEARMAN, Myer. Atos: E a Igreja se Fez Missões. 2.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1999.
ZUCK, Roy et aI. Teologia do Novo Testamento. l.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.
VEJA MAIS NA Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 45 e pag. 36

Subsídio Bibliológico
Atos dos Apóstolos
"Os capítulos iniciais do Livro de Atos definem os alicerces do explosivo crescimento da jovem igreja. Por cerca de quarenta dias os discípulos foram ensinados, por JESUS, sobre o Reino de DEUS e sua responsabilidade de difundir a mensagem de JESUS até aos confins da terra" (1.1-8). A ascensão visível de CRISTO ao céu foi seguida por um breve período de espera, durante o qual os discípulos escolheram um fiel seguidor de JESUS para assumir o lugar de Judas Iscariotes (1.9-26). Esta espera terminou no dia de Pentecostes.
Os primeiros capítulos de Atos apresentam os temas que percorrem todas as epístolas do Novo Testamento, e são vitais para nós hoje. O primeiro tema é o ESPÍRITO SANTO. Sua vinda inaugura a igreja. O segundo tema é a evangelização. Os primeiros cristãos são levados a proclamarem o Senhor [...]. O terceiro motivo é a comunhão. Os membros da jovem igreja são unidos por comprometimento compartilhado com JESUS. Eles adoram, estudam, repartem e oram juntos, em unidade que inspira profundo carinho de uns pelos outros. Embora devamos encarar o Livro de Atos como documento descritivo que retrata o que aconteceu no século I, em lugar de encará-Io como um documento prescritivo que nos instrui sobre como devemos viver hoje, estes três temas nos lembram de como dependência do ESPÍRITO, paixão pela evangelização e comprometimento com a comunhão são vitais para qualquer pessoa que procure seguir a JESUS CRISTO em nossa época" (RICHARDS, Lawrence O.
Comentário Histórico-Cultural, do Novo Testamento. 1. ed. Rio de, Janeiro: CPAD. 2007. pp. 251-2).
A Eclesiologia em Lucas
"No pensamento de Lucas, a Igreja relaciona-se com algumas coisas antigas e novas. Ela está ligada às coisas antigas porque compartilha as promessas feitas e entrega essa mensagem ao mundo. Ela está ligada às coisas novas porque é uma estrutura totalmente nova por meio da qual, agora, DEUS opera. Os apóstolos proclamavam nas sinagogas que JESUS é o cumprimento da Lei do Antigo Testamento, portanto, todo judeu que respondia as promessas devia vir a JESUS. A argumentação dos apóstolos era que o fim natural do judaísmo encontrava-se em JESUS. No início de Atos dos Apóstolos, os apóstolos não parecem considerar que foram chamados a se separar de Israel. Eles iam ao Templo e se reuniam lá (At 3.1-10; 4.1,2; 5.12). A prática deles era sensível em relação às preocupações judaicas (15.1-35; 21.17-26). [u.] Até mesmo quando Paulo deixou os judeus para ir aos gentios, ele ainda ia à sinagoga, ou ao Templo, das cidades que viajava (13.46 - 14.1; 18.6 com 21.26) [.u] Os judeus que ouviam Paulo ficavam informados que eles, para seguir até o fim seu compromisso com DEUS, tinham de abraçar a mensagem da promessa inaugurada e se tornar membros da nova comunidade. Entretanto, os eventos forçaram a Igreja a se separar do Judaísmo, por causa da rejeição judaica. Como resultado disso, a Igreja emergiu como uma comunidade independente da sinagoga.
Lucas via essa comunidade que surgia como algo novo. Por isso, em At 11.15, Pedro, ao se referir aos eventos de 2.1-4, usa a expressão 'ao princípio'. Agora, nos termos lucanos, ela é o início da realização da promessa, conforme as declarações de Pedro relacionadas com a primeira distribuição do ESPÍRITO (At 2.14-36) [.u]. Assim, o surgimento da Igreja teve sua origem na vinda do ESPÍRITO SANTO. Atos 11.15-18 torna a concessão do ESPÍRITO o marco inicial dessa nova era e desse novo grupo de fiéis. Lucas explica como esse grupo torna-se distinto do judaísmo e, mesmo assim, tem o direito de proclamar as promessas que costumam pertencer exclusivamente às sinagogas. DEUS está presente nessa nova comunidade. Em Atos 11, o ponto adicional a respeito desse novo grupo é que DEUS incluiu os gentios nesse círculo de bênçãos com sua intervenção direta (w.II-18). Em Atos 2, os eventos da fundação da igreja fazem paralelo com os eventos da casa de Cornélio, registrados em Atos 10.1-11;18, mostrando, sem deixar a menor sombra de dúvida, que DEUS agiu para incluir os gentios" (ZUCK, Roy. et aI. Teologia do Novo Testamento. 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008, pp. 156-57).

VISÃO PANORÂMICA DE ATOS DOS APÓSTOLOS
(Pr. Geziel Gomes)
1. LOCALIZAÇÃO
1.1 Quadragésimo-quarto livro da Bíblia
1.2 Quinto livro do NT
1.3 Situado entre os 4 Evangelhos e as Epístolas Paulinas
1.4 Nos primeiros anos foi chamado de Quinto Evangelho.
2. DADOS ESTATÍSTICOS
2.1 Contém 28 capítulos e 1,007 versículos
2.2 O nome de João é mencionado 3 vezes
2.3 Cobre um período de aproximadamente 33 anos
2.4 Menciona 30 países, 39 cidades, 21 milagres e 15 pregações.
2.5 São relatadas 9 viagens missionárias.
2.6 57 pessoas estão associadas ao Ministério de Paulo.
2.7Aparecem 28 títulos de CRISTO;11de DEUS Pai;e 4 do ESPÍRITO SANTO.
2.8 Contem 25 referências do Antigo Testamento.
2.9 Tomados com um todo, o Evangelho de Lucas e o livro de Atos representam cerca de vinte e cinco dos escritos da Era Cristã
2.10 Mais de 100 nomes pessoais citados (isto certamente destaca o valor do indivíduo.
3. DESTINATÁRIO: TEÓFILO
3.1 Nome grego: “amigo, amante de DEUS”
3.2 Uma autoridade do Império Romano?
3.3 O advogado pessoal de Paulo durante sua defesa em Roma?
3.3 Um novo convertido, profundamente interessado no Evangelho?
3.4 Uma pessoa influente, interessada no Evangelho?
3.5 Um nome simbólico?
3.6 Muitos estudiosos afirmam que Teófilo deveria ter sido uma autoridade romano simpático à causa do Evangelho. Talvez Lucas escreveu o livro de Atos como uma defesa do Cristianismo, em tempos de perseguição, a fim de demonstrar que não se tratava de um movimento subversivo liderado pelos seguidores de JESUS.
4. ESCRITOR: LUCAS
4.1 Um médico conhecido, amigo e companheiro de Paulo, Cl 4.14; II Tm 4.11; Fl 24.
4.2 Escreveu o terceiro Evangelho. A similaridade de estilo e de vocabulário entre os dois livros não deixa dúvidas quanto à autoria de Lucas.
4.3 Escreveu provavelmente da Acaia ou de Roma
4.4 Lucas não foi uma testemunha ocular do ministério de CRISTO. Ele escreveu Atos como o resultado do recolhimento de informações.
4.5 Ele foi companheiro e amigo de Paulo durante muitos anos. Veja o uso de EU e NÓS por exemplo em At 16:10-17; 20:5-16; 21:1-18; 27:1-28:16, etc.
5.DATA: Escrito entre os anos 60 e 63 a.D.
6.VISÃO GERAL DO CONTEÚDO DO LIVRO
6.1 “Um dos mais enfáticos livros da Bíblia, porque aborda um fator muito importante - a Igreja planejada, destinada, revelada e finalmente inaugurada”.
6.2 “Um livro de ações, de trabalho, de movimento contínuo, o que identifica a natureza da Igreja.”.
6.3 Único livro histórico do NT
6.4 Único livro que retrata a história da Igreja Primitiva
6.5 O mais extenso livro do NT.
6.6 “Ätos assinala a transição da atuação de DEUS do meio dos judeus para uma dimensão universal de Sua Igreja. Em um senso real o leitor de Atos segue desde Jerusalém até os confines da terra” (Walvoord, Zuck, 1983, p.349.)

QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 1 - ATOS - A Ação do ESPÍRITO SANTO Através da Igreja
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 1º TRIMESTRE DE 2011
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas.
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"Mas recebereis a _______________________ do ESPÍRITO SANTO, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis __________________________ tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samária e até aos __________________________ da terra" (At 1.8).

VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
Apesar de suas ___________________________ locais, a Igreja de CRISTO, sob o _________________________ do ESPÍRITO SANTO, universaliza-se em suas conquistas e faz-se ______________________________ como Reino de DEUS.

INTRODUÇÃO
3- Com a leitura e estudo de Atos dos Apóstolos, que tipo de igreja encontraremos, conforme adverte-nos o pastor inglês John Stott? Complete:
"A leitura de Atos não deve levar-nos a uma ____________________________ da Igreja Primitiva, como se ela não possuísse nenhum ________________________. Como veremos adiante, ela tinha muitos". Sim, não encontraremos uma igreja perfeita, mas uma igreja poderosa e _________________________ que espalha o Evangelho de CRISTO sem impedimento algum.

I. AUTORIA, DATA E TEMA
4- Em seu Evangelho, Lucas fez um relato fidedigno e metódico pondo "em ordem a narração dos fatos" - De quem Lucas ouviu o que escreveu?
( ) Dos sacerdotes do templo.
( ) Dos apóstolos.
( ) Das autoridades romanas.

5- Segundo F. B. Meyer, como devem ser conhecidos também os Atos dos Apóstolos?
( ) "os Atos do ESPÍRITO SANTO que veio do céu".
( ) "os Atos do ESPÍRITO do CRISTO que ascendeu ao céu".
( ) "os Atos dos apóstolos de CRISTO que ascendeu ao céu".

6- De quem é a Autoria de Atos dos apóstolos?
( ) De Lucas.
( ) De Paulo.
( ) De Tiago.

7- Cite algumas características de Lucas:
( ) Um homem excepcional, culto e possuidor de um estilo literário de impressionante grandeza.
( ) Brilhante escritor, tento escrito o prólogo de seu evangelho num grego que se aproxima do clássico.
( ) Lucas também era médico. E mui amado por todos.
( ) Lucas, além de médico, era advogado brilhante.
( ) Pelo que depreendemos de sua obra, veio ele a converter-se depois da ascensão do Senhor JESUS.
( ) A partir da segunda viagem missionária de Paulo, encontramo-Io a participar ativamente da evangelização dos gentios.

8- Em que data foi composto o livro de Atos dos Apóstolos?
( ) Lucas concluiu os Atos dos Apóstolos entre os anos 80-90.
( ) Lucas concluiu os Atos dos Apóstolos entre os anos 61-63.
( ) Antes da execução de Paulo e bem antes da destruição de Jerusalém pelos romanos.
( ) Após a execução de Paulo e depois da destruição de Jerusalém pelos romanos.

9- Acerca da historiografia lucana, como manifesta-se A. N. Sherwin White, emérito professor de história da Universidade de Oxford?
( ) "Para o autor de Atos, a confirmação ou não da historicidade dos fatos deixa de ser fundamental".
( ) "Para o autor de Atos, a confirmação da historicidade dos fatos não é fundamental".
( ) "Para o autor de Atos, a confirmação da historicidade dos fatos é fundamental".

10- Qual o Tema Central de Atos dos Apóstolos?
( ) A cooperação dos judeus na propagação do Evangelho de CRISTO através do ESPÍRITO SANTO.
( ) A expansão triunfal do Evangelho de CRISTO através da Igreja no poder do ESPÍRITO SANTO.
( ) O esforço da Igreja e seu sofrimento para cumprir o IDE de CRISTO no poder do ESPÍRITO SANTO.
II. O CONTEÚDO DE ATOS DOS APÓSTOLOS
11- Como podemos dividir o conteúdo de Atos dos Apóstolos? Complete:
Eventos Pré-_________________________ (At 1); Evento ______________________________ (At 2); A expansão do Evangelho em _____________________________ (At 3-7); A expansão do Evangelho na ___________________________ e Samaria (At 8-12); A expansão do Evangelho entre os ________________________ (At 13-28).

12- De que maneira as divisões de Atos dos Apóstolos acompanham a ordem de JESUS em Atos 1.8? Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda:
Evento Pentecostal. a) A ascensão de CRISTO. Fato histórico comprovado e testemunhado por centenas de pessoas (At 1.15; 1 Co 15.6).e b) A eleição de Matias. A Igreja não poderia ser inaugurada com o colégio apostólico incompleto (At 1.15-26)

Eventos pré-pentecostais.
a) A expansão em Jerusalém. No Sermão do Pentecostes, quase três mi almas agregaram-se aos fiéis (At 2.41) - O número já sobe para quase cinco mil (At 4.4) - Até mesmo não poucos sacerdotes obedeciam a fé (At 6.7). b) A expansão da Igreja na Judéia e Samaria. Morte de Estevão, perseguição, diáspora, diácono Filipe em Samaria (At 8.1-25) c) A expansão da Igreja entre os gentios. Saulo de Tarso - três viagens missionárias, levou o Evangelho ao extremo ocidental do mundo então conhecido (At 13-28).

Eventos missionários.
Efusão do ESPÍRITO SANTO sobre os discípulos. A Igreja seria inaugurada como a agência por excelência do Reino de DEUS.

III. O PROPÓSITO DE ATOS DOS APÓSTOLOS
13- Quais os propósitos de Lucas ao escrever o livro de Atos dos Apóstolos?
( ) Basicamente, foi escrito para defender-se perante o império romano, apelando para seu amigo Teófilo, membro importante da casa de César.
( ) Foi escrito com o propósito de narrar e justificar a expansão universal da Igreja de CRISTO no poder do ESPÍRITO SANTO.
( ) Foi escrito para estimular os crentes de todas as gerações a prosseguir na universalização do Reino de DEUS até a volta de CRISTO.

14- Como a Igreja de CRISTO, inaugurada pelo ESPÍRITO SANTO em Jerusalém, veio a tornar-se na universal e invisível assembléia dos santos?
( ) Metódica e sistematicamente, mostra Lucas como a Igreja transcendeu as fronteiras da Judéia para universalizar-se nos confins da terra
( ) Lucas revela com maestria na pena, como a Igreja ascendeu as fronteiras da política no império romano e universalizou-se até aos confins da terra
( ) A Igreja rompeu barreiras graças a homens sábios e inteligentes que conheciam a cultura e hábitos a sua volta.

15- De maneira sutil, porém bastante evidente, Lucas destaca o mandamento de CRISTO que justifica não apenas a expansão da Igreja como a sua universalização. Qual é esse versículo em Atos dos apóstolos? complete:
"Mas recebereis a ____________________________ do ESPÍRITO SANTO, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis __________________________ tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos __________________________ da terra" (At 1.8). Evangelizar e fazer missões é a nossa ______________________________.

16- De que maneira Lucas procurou estimular aos crentes a fazerem missões? Complete:
Ao encerrar os Atos dos Apóstolos, deixa Lucas bem patente a todos nós que aqueles atos não foram encerrados com a ____________________ de Paulo em ____________________, mas acham-se abertos e livres para que evangelizemos e façamos _______________________ até a volta de JESUS sem impedimento algum.

CONCLUSÃO
17- Complete:
Tendo como ensejo o Centenário das Assembléias de DEUS no Brasil, busquemos um poderoso ____________________, a fim de que o Evangelho de CRISTO seja levado aos mais distantes rincões, quer de nosso país, quer do mundo, sem quaisquer impedimentos. Ore. Rogue a DEUS um ________________________ autenticamente ___________________________.

RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal. VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/
Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com, http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.
veja também - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao10-ldc-osdonsespirituais.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/atos.htm


sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

LIÇÃO 13, SE O MEU POVO ORAR

LIÇÃO 13, SE O MEU POVO ORAR
Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 4º Trimestre de 2010
O PODER E O MINISTÉRIO DA ORAÇÃO
O relacionamento do cristão com DEUS
Comentários da revista da CPAD: Pr. Eliezer de L. e Silva
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD: Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva



TEXTO ÁUREO
“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (2 Cr 7.14).



VERDADE PRÁTICA
A oração de confissão, acompanhada de temor e humildade, exalta a bondade e a benignidade do Senhor.



LEITURA DIÁRIA

Segunda - 2 Cr 6.27 Devemos confessar o pecado a DEUS em oração
Terça - Tg 4.10 Devemos nos humilhar diante de DEUS em oração
Quarta -2 Cr 6.30,31 Devemos pedir restauração a DEUS
Quinta - Jo 17.21-23 Devemos pedir a DEUS unidade
Sexta - 2 Cr 7.14 Devemos ter certeza de que DEUS responde à oração
Sábado - Lc 11.10-1 Devemos ser perseverantes em oração


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - 2 Crônicas 7.11-18
11 Assim, Salomão acabou a Casa do SENHOR e a casa do rei; e tudo quanto Salomão intentou fazer na Casa do SENHOR e na sua casa, prosperamente o efetuou. 12 E o SENHOR apareceu de noite a Salomão e disse-lhe: Ouvi tua oração e escolhi para mim este lugar para casa de sacrifício. 13 Se eu cerrar os céus, e não houver chuva, ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra, ou se enviar a peste entre o meu povo; 14 e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. 15 Agora, estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar. 16 Porque, agora, escolhi e santifiquei esta casa, para que o meu nome esteja nela perpetuamente; e nela estarão fixos os meus olhos e o meu coração todos os dias. 17 Quanto a ti, se andares diante de mim, como andou Davi, teu pai, e fizeres conforme tudo o que te ordenei, e guardares os meus estatutos e os meus juízos, 18 também confirmarei o trono do teu reino, conforme o concerto que fiz com Davi, teu pai, dizendo: Não te faltará varão que domine em Israel.

7.1 A GLÓRIA DO SENHOR. A "glória do SENHOR" refere-se a uma manifestação visível da presença e do esplendor de DEUS
7.12 O SENHOR APARECEU... A SALOMÃO. Ver 1 Rs 9.3.
7.14 SE O MEU POVO... SE HUMILHAR, E ORAR, E BUSCAR... E SE CONVERTER. O castigo que DEUS envia ao seu povo nos tempos de declínio moral, indiferença espiritual e de parceria com o mundo é a seca, a esterilidade e a peste (v. 13). A promessa de DEUS, embora originalmente feita a Israel, é de igual modo aplicável ao povo de DEUS em qualquer época, desde que este povo, uma vez sob castigo divino, satisfaça as seguintes condições para um avivamento espiritual e restauração do santo propósito e bênção de DEUS para seu povo (cf. At 3.19):
(1) "Humilhar-se". O povo de DEUS deve reconhecer as suas faltas, manifestar tristeza pelo seu pecado e renovar seu compromisso de fazer a vontade de DEUS. Humilharmo-nos diante de DEUS e da sua Palavra, importa em reconhecer nossa pobreza espiritual (11.16; 15.12,13,15; 34.15-19; Sl 51.17; Mt 5.3).
(2) "Orar". O povo de DEUS deve clamar agonizante, pedindo-lhe misericórdia, deve depender totalmente dEle e confiar nEle para a sua intervenção. A oração deve ser fervente e perseverante até DEUS responder do céu (cf. Lc 11.1-13; 18.1-8; Tg 5.17,18).
(3) "Buscar a minha face". O povo de DEUS deve, com dedicação, buscar a DEUS de todo o coração e ansiar pela sua presença e não simplesmente tentar fugir da adversidade (11.16; 19.3; 1 Cr 16.11; 22.19; Is 55.6,7).
(4) "E se converter dos seus maus caminhos". O povo de DEUS deve se arrepender com sinceridade, abandonar pecados específicos e todas as formas de idolatria, renunciar o mundanismo e chegar-se a DEUS; pedindo misericórdia, perdão e purificação (29.6-11; 2 Rs 17.13; Jr 25.5; Zc 1.4; Hb 4.16).
7.14 ENTÃO, EU OUVIREI... PERDOAREI... SARAREI. Quando são cumpridas as quatro condições da parte de DEUS, para o avivamento e renovação espiritual do seu povo, cumpre-se também a tríplice promessa divina do avivamento:
(1) DEUS desviará a sua ira do seu povo, ouvirá o seu clamor angustiado e atenderá a sua oração (v. 15). Noutras palavras, a primeira evidência de um reavivamento é DEUS começar a ouvir, do céu, a oração e responder de lá (vv. 14,15) e a manifestar compaixão pelo seu povo (Sl 85.4-7; 102.1,2,13; Jr 33.3; Jl 2.12,13,18,19).
(2) DEUS perdoará o seu povo, purificá-lo-á dos seus pecados e restaurará entre eles o seu favor, presença, paz, verdade, justiça e poder (cf. Sl 85.9-13; Jr 33.7,8; Os 10.12; Jl 2.25; 2 Co 6.14-18). (3) DEUS sarará o seu povo e sua respectiva terra, derramando novamente chuvas (i.e., favor e bênçãos físicas) e o ESPÍRITO SANTO (i.e., despertamento espiritual entre o seu povo e entre os perdidos, cf. Sl 51.12,13; Os 5.14-6.3,11; Jl 2.28-32)

INTERAÇÃO
Caro professor, estamos encerrando mais um ano de estudos bíblicos em nossa abençoada Escola Dominical. Você sabe o quanto é importante o diálogo entre teoria e prática. Portanto, leve o aluno a refletir acerca de sua vida de oração. Após um trimestre inteiro aprendendo a respeito da oração, espera-se do crente que ao menos sua vida devocional possa ser modificada. Afinal, de nada adiantará aprendermos a orar, se não orarmos.
Hoje, trataremos a respeito da resposta de DEUS à oração de Salomão. Veremos que o Senhor estabeleceu algumas condições para que sua bênção fosse derramada sobre o seu povo.
OBJETIVOS
Explicar o significado de humildade.
Definir arrependimento e conversão.
Mencionar as respostas divinas às atitudes do povo.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
A lição deste domingo trata de quatro ações fundamentais para atrair a bondade e a misericórdia de DEUS para nós:
HUMILHAR-SE - BUSCAR - ARREPENDER-SE - CONVERTER-SE
Escreva as ações no quadro-de-giz. Divida a turma em quatro grupos, conforme essas ações. Em seguida, solicite que cada grupo explique o que significa o seu verbo, bem como apresente pelo menos dois exemplos bíblicos que demonstrem tal atitude.



RESUMO DA LIÇÃO 13, SE O MEU POVO ORAR
COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO
Dirigir um clamor ao Senhor que a resposta viria. Contudo, DEUS estabeleceu
algumas condições para que a sua bênção fosse derramada, como veremos a seguir
I. A NECESSIDADE DE SE HUMILHAR E BUSCAR A DEUS
1. DEUS é grande, o homem é limitado.
2. A necessidade da humildade.
3. A busca pela presença de DEUS.
II. A NECESSIDADE DE ARREPENDER-SE E CONVERTER-SE
1. Arrependimento.
2. Conversão.
III. AS RESPOSTAS DIVINAS ÀS ATITUDES DO POVO
1. “Ouvirei dos céus” (v.14).
2. “Perdoarei os seus pecados”.
3. “Sararei a sua terra”.
CONCLUSÃO
O nosso DEUS, segundo as suas riquezas, supre todas as nossas necessidades
em glória, por CRISTO JESUS (Fp 4.19).

RESUMO RÁPIDO
O povo deveria clamar a DEUS sempre que estivesse em dificuldades, mas teria que passar por alguns pontos necessários para que DEUS os ouvisse e atendesse:
I. A NECESSIDADE DE SE HUMILHAR E BUSCAR A DEUS

1. DEUS é grande, o homem é limitado.

O pecar é do homem, o levantar é de DEUS. DEUS é o criador, é SENHOR, Está em toda parte, Sabe todas as coisas, Pode todas as coisas. O homem é fraco, é impotente, nada sabe do futuro, não tem poder sobre o pecado e nem sobre seu mentor: satanás. Precisamos de DEUS para tudo e devemos em tudo ser-LHE sujeito e dependente.
2. A necessidade da humildade.
A árvore boa e produtiva é aquela que se abaixa quando carregada de frutos. Devemos saber que é ao nos humilhar que somos exaltados. DEUS nos ouve em secreto e nos exalta publicamente. DEUS levanta o abatido. Convém que ELE cresça e que nós diminuamos. DEUS deve ser exalto e glorificado através de nós.
3. A busca pela presença de DEUS.
Devemos buscar a DEUS como a corça busca por água, ter sede de DEUS, desejo de estar em sua presença, separar um tempo para buscá-lo todos os dias de nossas vidas. Devemos ter sede de DEUS, fome de DEUS, anseio pela sua presença onde quer que estejamos.
II. A NECESSIDADE DE ARREPENDER-SE E CONVERTER-SE
1. Arrependimento.
A condição sine qua non (“sem o qual não pode ser”) para que DEUS ouça nossas orações é que estejamos arrependidos de nossos pecados, pois eles formam uma barreira entre nós e nosso DEUS.
2. Conversão.
Convergir é mudar de rumo, pegar outra direção. Por que a conversão? A Bíblia diz em Jeremias 17:09: "Enganoso é o coração, mais que todas as cousas e desesperadamente corrupto, quem o conhecerá?" O coração humano é um coração corrupto. Teologicamente chamamos a isso de natureza pecaminosa. Todos os seres humanos, desde que viemos a esta terra, você, eu, todos, nascemos com natureza pecaminosa. Mas o que é natureza pecaminosa? É uma vontade desesperada de gostar do lixo desta vida; de gostar das coisas erradas. Com essa natureza com que nascemos, é impossível agradar a Deus; é impossível amar as coisas certas; é impossível querer estudar a Bíblia, querer seguir a Jesus, querer obedecer. É literalmente impossível! Veja o que Jeremias confirma, no capítulo 13:23: "Pode acaso o etíope mudar a sua pele, ou o leopardo as suas manchas? Então poderíeis fazer o bem, estando acostumados a fazer o mal?" Esta é a situação do ser humano, e é por isso que é preciso uma conversão de natureza.
O que é conversão?
Primeiro, é muito importante você entender que conversão é converter-se a Alguém. Tipo meia-volta, volver! Primeiro vem o sentimento do pecado e ruína:
Jeremias 31:
19 Na verdade que, depois que me converti, tive arrependimento; e depois que fui instruído, bati na minha coxa; fiquei confuso, e também me envergonhei; porque suportei o opróbrio da minha mocidade.
Depois é preciso entender que seu pecado e ruína foram pagos por um substituto na Cruz, que Ele é o Cordeiro de Deus, a consumação dos cordeiros inocentes que os judeus imolavam cada vez que pecavam. Ou você Converte-se a Cristo ou não se converte a coisa alguma. É preciso se ver perdido para pedir socorro a Quem pode salvar. Como fez o carcereiro, ao perguntar a Paulo:
Atos 16:
30 E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?
31 E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.
O negócio é 8 ou 80. O que era cego, agora vê. O que estava morto, agora vive. É importante entender que Deus nos considera mortos espiritualmente antes de crermos. Qualquer tentativa de melhoria dessa natureza morta é o mesmo que maquiar cadáveres. Veja isto que foi escrito a pessoas convertidas:
Efésios 2:
1 E VOS vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados,2 Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência.3 Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também.4 Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou,5 Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos),
Veja que uma das características do estado de morto era fazer a própria vontade, agir conforme seus próprios pensamentos. Esta preocupação grande com o "fazer" ao invés do "crer" é natural ao ser humano. Disso provém as religiões, sempre com longas listas de obrigações a serem cumpridas para talvez merecer um lugar no céu. Deus não pediu para fazer nada. Quer fazer a obra de Deus? Então leia isto:
João 6:
28 Disseram-lhe, pois: Que faremos para executarmos as obras de Deus?
29 Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou.
Na conversão você ganha uma nova concepção de valores. Coisas que eram importantes já não são mais. Muita gente pensa na conversão como um processo no qual você é obrigado a abrir mão de uma porção de coisas. É claro que você acaba abrindo mão de uma porção de coisas, mas é por descobrir que nem tudo o que reluz é ouro. Quando você conhece a preciosidade de Cristo, fica mais fácil discernir o que é pirita e o que é ouro.
Cantares de Salomão 5:
9 Que é o teu amado mais do que outro amado, ó tu, a mais formosa entre as mulheres? Que é o teu amado mais do que outro amado, que tanto nos conjuras?10 O meu amado é branco e rosado; ele é o primeiro entre dez mil.11 A sua cabeça é como o ouro mais apurado, os seus cabelos são crespos, pretos como o corvo.12 Os seus olhos são como os das pombas junto às correntes das águas, lavados em leite, postos em engaste.13 As suas faces são como um canteiro de bálsamo, como flores perfumadas; os seus lábios são como lírios gotejando mirra com doce aroma.14 As suas mãos são como anéis de ouro engastados de berilo; o seu ventre como alvo marfim, coberto de safiras.15 As suas pernas como colunas de mármore colocadas sobre bases de ouro puro; o seu aspecto como o Líbano, excelente como os cedros.16 A sua boca é muitíssimo suave, sim, ele é totalmente desejável. Tal é o meu amado, e tal o meu amigo, ó filhas de Jerusalém.

A conversão não tira o osso que o cachorro está roendo. A conversão dá a ele um filé (então ele deixa o osso, pois achou algo melhor, mais precioso).

Outro ponto importante é entender que há um Caminho, não dois ou três. Veja isto:

1 Timóteo 1:

15 Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal.

Atos 4:12 E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.
Finalmente, há aqueles que quase aceitam a Verdade, que dizem que falta pouco para se converterem. Cuidado com o quase...
Atos 26:
28 E disse Agripa a Paulo: Por pouco me queres persuadir a que me faça cristão!
29 E disse Paulo: Prouvera a Deus que, ou por pouco ou por muito, não somente tu, mas também todos quantos hoje me estão ouvindo, se tornassem tais qual eu sou, exceto estas cadeias. (Mário Persona).
III. AS RESPOSTAS DIVINAS ÀS ATITUDES DO POVO
1. “Ouvirei dos céus” (v.14).
Que maravilha! Somos ouvidos, apesar de nossa pequenez. DEUS lá nos céus nos ouve e nos responde - A oração é um diálogo.
2. “Perdoarei os seus pecados”.
É ELE que nos perdoa todos os nossos pecados e sara todas as nossas enfermidades (Is 53, Sl 103).
3. “Sararei a sua terra”.
Sarar, curar, dar vida. Aqui estão envolvidas promessas materiais e espirituais, escolha as duas, não fique só com ma.
CONCLUSÃO
O nosso DEUS, segundo as suas riquezas, supre todas as nossas necessidades em glória, por CRISTO JESUS (Fp 4.19).

SINÓPSE DO TÓPICO (1)
O texto de 2 Crônicas 7.14 revela a necessidade de Israel reconhecer a grandeza divina, humilhar-se e converter-se.
SINÓPSE DO TÓPICO (2)
O texto de 2 Crônicas 7.14 revela a necessidade de Israel arrepender-se e converter-se.
SINÓPSE DO TÓPICO (3)
DEUS promete responder ao quebrantamento do povo: ouvindo as orações, perdoando os pecados e prosperando a terra.

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I - Subsídio teológico
“O Curso do Reino na Escatologia
Perdão e restauração. Apesar da nota de pessimismo soada pelo exílio, há, ao longo do livro de Crônicas, raios de esperança, pois o DEUS do concerto é digno de confiança — Ele não pode negar a si mesmo. Na famosa oração de dedicação do Templo, Salomão pediu ao Senhor, quando o povo pecasse e fosse exilado: ‘Ouve tu desde os céus, e perdoa os pecados de teu povo de Israel, e faze-os tornar à terra que tens dado a eles e a seus pais’ (2 Cr 6.24,25). Claro que isto requereria arrependimento, uma mudança de coração, pelo qual o rei orou fervorosamente (6.37-39).
Estabelecimento eterno. As condições da restauração, claramente declaradas na oração de Salomão, estão talvez implícitas na palavra de DEUS que Natã disse a Davi na ocasião da revelação do concerto davídico. Mas a ênfase está na iniciativa graciosa de o Senhor ser fiel à palavra do concerto. DEUS disse: ‘Ordenarei um lugar para o meu povo de Israel e o plantarei, para que habite no seu lugar e nunca mais seja removido de uma para a outra parte; e nunca mais os debilitarão os filhos da perversidade, como ao princípio’ (1 Cr 17.9). O seu reino, materializado no povo de Israel e particularmente na casa de Davi, será estabelecido para sempre (v.14). Mesmo depois da divisão do reino, todos sabiam muito bem que a soberania do Senhor pelo seu servo Davi permaneceria eternamente (2 Cr 13.5)” (ZUCK, ROY B. Teologia do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p.207)

VOCABULÁRIO
Escabelo: Banco pequeno para descanso dos pés.
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
ZUCK, ROY B. Teologia do Antigo Testamento. 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009
SAIBA MAIS pela Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 44, p.42.

QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 13, SE O MEU POVO ORAR
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 4º TRIMESTRE DE 2010
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas.

TEXTO ÁUREO
1- Complete:
“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se _______________________, e _________________________, e _____________________ a minha face e se _______________________ dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (2 Cr 7.14).

VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
A oração de _________________________, acompanhada de _________________________ e humildade, __________________________ a bondade e a benignidade do Senhor.

INTRODUÇÃO
3- Qual a promessa do Senhor, ao povo de Israel (aplicável à sua igreja de todas as épocas), por ocasião da dedicação do Templo de Jerusalém, no reinado de Salomão?
( ) Precisaria dirigir um louvor ao Senhor que a resposta viria, quando estivessem em dificuldades, enfrentando períodos de seca e esterilidade,
( ) Bastaria cantar adorando ao Senhor, mesmo que estivessem em dificuldades, DEUS os ouviria.
( ) Bastaria dirigir um clamor ao Senhor que a resposta viria, quando estivessem em dificuldades, enfrentando períodos de seca e esterilidade,

4- Quais condições DEUS estabeleceu para que a sua bênção fosse derramada sobre seu povo?
( ) A necessidade de se oferecer sacrifícios de animais a DEUS.
( ) A necessidade de se humilhar.
( ) A necessidade de buscar a DEUS.
( ) A necessidade de arrepender-se.
( ) A necessidade de converter-se.

I. A NECESSIDADE DE SE HUMILHAR E BUSCAR A DEUS
5-Por que temos a necessidade de nos humilhar e de buscar a DEUS?
( ) O caminho da humildade passa pelo reconhecimento humano da infinita grandeza divina, seu imenso poder e sua glória suprema.
( ) O DEUS que fez o céu, a Terra e tudo o que nela há.
( ) O DEUS que da Terra faz o escabelo de seus pés.
( ) O DEUS que criou Satanás e seus demônios.
( ) O DEUS que mediu na concha de sua mão as águas do planeta.
( ) O DEUS que com seu poder sustenta todas as coisas.

6- O que aconteceu quando Jó questionou ao Senhor?
( ) Jó foi surpreendido por uma seqüência reveladora de perguntas divinas que o levaram a ter consciência da magnificência, grandiosidade e sabedoria de DEUS.
( ) DEUS não aceitou os argumentos de Jó e lhe respondeu com juízos.
( ) Ao refletir acerca da grandeza de DEUS, Jó caiu em si, reconheceu a sua limitação, arrependeu-se e submeteu-se completamente ao propósito divino para sua vida.

7- Complete:
Quando o homem tem uma noção de sua ___________________________, limites, natureza, e do quão _______________________________ e indigno é diante de um DEUS tão poderoso e santo, ele naturalmente se aproxima do Criador com humildade, porquanto sabe que é ________________________ e que são as __________________________ do Senhor a causa de ele estar de pé (Lm 3.22).

8- O que ocorreria no caso de haver um afastamento entre o povo e DEUS?
( ) DEUS se compadeceria e lhes perdoaria imediatamente por terem ajudado na construção do templo.
( ) Provocaria seca, fome, pragas, etc..
( ) O povo deveria reconhecer seu erro e desobediência aos preceitos da Lei de DEUS e se humilhar.

9- O que significa "Humilhar-se" diante de DEUS?
( ) Significa submeter-se, sujeitar-se a alguém.
( ) No caso do homem com DEUS, é reconhecê-lo como DEUS, Senhor, Soberano, Criador, Todo-Poderoso e reconhecer-se como criatura pecadora, indigna de estar em sua presença e carente de sua misericórdia, graça e perdão.
( ) É com esse espírito humilde que o homem deve achegar-se a DEUS e, assim, colocar diante dEle suas petições, a fim de ser ouvido em tempo oportuno.
( ) Humilhar-se significa "estar em mesma altura", próximo.

10- Após chegar à presença de DEUS com humildade, a recomendação divina para a restauração de seu povo é orar, suplicar e buscar a face dEle. O que envolve essa busca?
( ) Voltar-se para o Senhor, buscando obter novamente a comunhão que fora quebrada, e colocar diante dEle o seu pecado..
( ) Voltar-se para o Senhor, buscando obter novamente a comunhão que fora quebrada, e colocar diante dEle os seus desejos.
( ) Voltar-se para o Senhor, buscando obter novamente a comunhão que fora quebrada, e colocar diante dEle as suas dúvidas.
( ) Voltar-se para o Senhor, buscando obter novamente a comunhão que fora quebrada, e colocar diante dEle as suas petições..
( ) Voltar-se para o Senhor, buscando obter novamente a comunhão que fora quebrada, e colocar diante dEle as suas ansiedades.

11- Além de manter com DEUS uma conversa amena, colocar petições e pedidos diante dEle, o que é buscar a face de DEUS?
( ) É um desejo intenso de conhecê-Lo, estar familiarizado com sua voz e conhecer sua vontade.
( ) Isso demanda tempo e esforço do homem, pois muitas vezes será necessário abrir mão do conforto físico, de algum tempo de lazer e até mesmo dos próprios planos.
( ) É manter uma intimidade que não é quebrada nem pelo pecado.
( ) Nada no mundo deve ser mais valioso do que a presença de DEUS na vida do homem e sua comunhão com Ele.
( ) Buscar a face do Senhor e anelar a sua presença e comunhão conosco deve ser mais do que uma necessidade, mas um prazer para o crente (Sl 105.4; 42.1,2; 84.1,2).

II. A NECESSIDADE DE ARREPENDER-SE E CONVERTER-SE
12- Quando o apóstolo João fala em sua primeira carta universal que o crente ainda está sujeito a pecar (1 Jo 1.8) e que quem diz que não peca é mentiroso, o que quer ele com isso dizer?
( ) Isso não é um convite ao pecado, mas o reconhecimento de que o homem é, por natureza, santo, e que só estará livre para sempre do pecado no céu.
( ) Isso não é um convite ao pecado, mas o reconhecimento de que o homem é, por natureza, pecador, e que só estará livre para sempre do pecado no céu.

13- Como é o Arrependimento segundo nossa lição? Complete:
O arrependimento genuíno provém da ________________________ por haver pecado, desagradado ao Senhor e __________________________ o ESPÍRITO SANTO (2 Co 7.10).

Aquele que, de fato, se arrepende, confessa e _______________________ o erro. Não basta apenas reconhecer o erro, mas também é imprescindível que se deixe o pecado, a fim de alcançar __________________________________ (Pv 28.13). A recomendação de João é: “Não _________________________”. Todavia, para aquele que pecou, ainda existe solução: JESUS, o _______________________. Se você se arrepender sinceramente e suplicar-lhe _____________________________, Ele intercederá junto ao Pai, a fim de que você receba o perdão divino e seja ____________________________ com DEUS.

14- No dicionário Houaiss da língua Portuguesa, conversão é transformação, alteração de sentido ou direção. O que deseja o Senhor quando requer que seu povo “se converta de seus maus caminhos”?
( ) Ele deseja contínuo rumo, transformação de palavras, atitudes, pensamentos, vontades e sentimentos.
( ) Ele deseja mudança de rumo, transformação de palavras, atitudes, pensamentos, vontades e sentimentos.

15- Como o apóstolo Paulo explica este processo na vida do homem convertido ao Senhor (Ef 4.22-32; Cl 3.1-11)?
( ) Converter-se, na ótica bíblica, é, portanto, abandonar as práticas passadas, que não agradam a DEUS, e viver uma vida que o agrade, pautada em sua Palavra.
( ) É uma vida completamente nova.
( ) É uma vida nova, porém o pecado sempre estará fortemente atado à nova criatura..

III. AS RESPOSTAS DIVINAS ÀS ATITUDES DO POVO
16- Quais as respostas divinas dadas ao povo, quando o mesmo se converte?
( ) “Ouvirei dos céus”
( ) "Me alegrarei no pecador".
( ) “Perdoarei os seus pecados”
( ) “Sararei a sua terra”

17- Quais promessas estão contidas em “Ouvirei dos céus” (v.14).?
( ) A primeira recompensa pelas atitudes mencionadas acima é ter suas orações ouvidas e atendidas pelo Senhor.
( ) O nosso DEUS responde às orações daqueles que o temem.
( ) DEUS jamais deixa de ouvir o pecador.
( ) Para esses, o seu ouvido não está agravado, mas aberto.

18- O que JESUS ensinou a esse respeito? Complete:
JESUS ensinou a respeito de um Pai amoroso que está sempre pronto a dar boas _________________________ a seus filhos e incentivou seus discípulos a pedir e buscar a DEUS, incessantemente, sem ___________________________ (Lc 11.9; 18.1-7), porque DEUS ouve e vê até o que está em ___________________________ (Mt 6.6; Jo 9.31).

19- A segunda resposta do Senhor ao povo seria o perdão. Quais promessas estão contidas em “Perdoarei os seus pecados”? Complete:

Davi conhecia a longanimidade e misericórdia divinas, porquanto havia experimentado a __________________________do perdão divino. Por isso, escreveu que o Senhor está pronto a perdoar àqueles que o invocam (Sl 86.5). A Bíblia está repleta de exemplos do perdão de DEUS, tanto para com seu povo __________________________ quanto para todos quantos lhe imploraram o perdão. Por várias vezes e para diversas pessoas, JESUS declarou: “__Perdoados__ são os teus pecados” (Mt 9.2; Lc 7.48). Através do nome de _________________________, DEUS perdoa os nossos pecados (1 Jo 2.12). Se você pecar contra DEUS, creia que: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos ___________________________________ de toda injustiça” (1 Jo 1.9).

20- A terceira resposta divina diz respeito ao nosso sustento. “Sararei a sua terra”. Quais promessas estão contidas ai? Complete:
DEUS não está preocupado apenas em _________________________ nossa alma e espírito, Ele sabe que necessitamos nos alimentar, vestir, morar, ou seja, de ter nossas necessidades básicas ___________________________. No caso de Israel, sua sobrevivência dependia de ____________________________ que regassem a terra, que produzia o fruto para a alimentação do homem e dos animais. DEUS disse a Salomão que, se o povo abandonasse os seus maus caminhos, Ele tornaria a abençoar a terra, a fim de que o ____________________________ de cada dia fosse garantido ao povo. JESUS ensinou que o Pai conhece as necessidades humanas e deseja ________________________-las (Mt 6.31,32). O Senhor cuida daqueles que o amam e o obedecem.

21- Qual a interpretação espiritual desta passagem: “Sarar a terra”?
( ) Voltando a enviar chuvas, trata-se também de uma renovação espiritual do povo e do envio do ESPÍRITO SANTO (Jl 2.28-32).
( ) Ainda hoje, o Senhor faz brotar rios de água viva dentro de cada um que recebe o dom do ESPÍRITO (Jo 7.37), que é seu próprio ESPÍRITO dentro do homem.
( ) Significa também que DEUS preservará a natureza em lugar do homem.
( ) Essa corrente de águas vivas flui através da vida do crente e atinge os outros com a mensagem sanadora do Evangelho.

CONCLUSÃO
22- Embora o texto bíblico desta lição fora dirigido a Israel, sua aplicação pode ser feita aos crentes de todas as épocas. Complete:
Portanto, Igreja de CRISTO, __________________________-se, retorne ao Senhor, _________________________-se de seus maus caminhos, busque a presença divina continuamente. O nosso DEUS, segundo as suas riquezas, supre todas as nossas ______________________________ em glória, por CRISTO JESUS (Fp 4.19).

RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

A GLÓRIA DE DEUS
Ez 10.4 “Então, se levantou a glória do SENHOR de sobre o querubim para a entrada da casa; e encheu-se a casa de uma nuvem, e o átrio se encheu do resplendor da glória do SENHOR.”
DEFINIÇÃO DA GLÓRIA DE DEUS. A expressão “glória de DEUS” tem emprego variado na Bíblia.
(1) Às vezes, descreve o esplendor e majestade de DEUS (cf. 1Cr 29.11; Hc 3.3-5), uma glória tão grandiosa que nenhum ser humano pode vê-la e continuar vivo (ver Êx 33.18-23).
Quando muito, pode-se ver apenas um “aparecimento da semelhança da glória do Senhor” (cf. a visão que Ezequiel teve do trono de DEUS, Ez 1.26-28). Neste sentido, a glória de DEUS designa sua singularidade, sua santidade (cf. Is 6.1-3) e sua transcedência (cf. Rm 11.36; Hb 13.21). Pedro emprega a expressão “a magnífica glória” como um nome de DEUS (2Pe 1.17).
(2) A glória de DEUS também se refere à presença visível de DEUS entre o seu povo, glória esta que os rabinos de tempos posteriores chamavam de shekinah. Shekinah é uma palavra hebraica que significa “habitação [de DEUS]”, empregada para descrever a manifestação visível da presença e glória de DEUS. Moisés viu a shekinah de DEUS na coluna de nuvem e de fogo (Êx 13.21). Em Êx 29.43 é chamada “minha glória” (cf. Is 60.2). Ela cobriu o Sinai quando DEUS outorgou a Lei (ver Êx 24.16,17), encheu o Tabernáculo (Êx 40.34), guiou Israel no deserto (Êx 40.36-38) e posteriormente encheu o templo de Salomão (2Cr 7.1; cf. 1Rs 8.11-13). Mais precisamente, DEUS habitava entre os querubins no Lugar Santíssimo do templo (1Sm 4.4; 2 Sm 6.2; Sl 80.1). Ezequiel viu a glória do Senhor levantar-se e afastar-se do templo por causa da idolatria infrene ali (Ez 10.4,18,19). O equivalente da glória shekinah no NT é JESUS CRISTO que, como a glória de DEUS em carne humana, veio habitar entre nós (Jo 1.14). Os pastores de Belém viram a glória do Senhor no nascimento de CRISTO (Lc 2.9), os discípulos a viram na transfiguração de CRISTO (Mt 17.2; 2Pe 1.16-18), e Estêvão a viu na ocasião do seu martírio (At 7.55).
(3) Um terceiro aspecto da glória de DEUS é sua presença e poder espirituais. Os céus declaram a glória de DEUS (Sl 19.1; cf. Rm 1.19,20) e toda a terra está cheia de sua glória (Is 6.3; cf. Hc 2.14), todavia o esplendor da majestade divina não é comumente visível, nem notado. Por outro lado, o crente participa da glória e da presença de DEUS em sua comunhão, seu amor, justiça e manifestações, mediante o poder do ESPÍRITO SANTO (ver 2Co 3.18; Ef 3.16-19; 1Pe 4.14).
(4) Por último, o AT adverte que qualquer tipo de idolatria é uma usurpação da glória de DEUS e uma desonra ao seu nome. Cada vez que DEUS se manifesta como nosso Redentor, seu nome é glorificado (ver Sl 79.9; Jr 14.21). Todo o ministério de CRISTO na terra redundou em glória ao nosso DEUS (Jo 14.13; 17.1,4,5).
A GLÓRIA DE DEUS REVELADA EM JESUS CRISTO. Quando Isaías falou da vinda de JESUS CRISTO, profetizou que nEle seria revelada a glória de DEUS para que toda a raça humana a visse (ver Is 40.5). Tanto João (Jo 1.14) como o escritor aos Hebreus (Hb 1.3) testificam que JESUS CRISTO cumpriu essa profecia. A glória de CRISTO era a mesma glória que Ele tinha com seu Pai antes que houvesse mundo (Jo 1.14; 17.5). A glória do seu ministério ultrapassou em muito a glória do ministério do AT (2Co 3.7-11). Paulo chama JESUS “o Senhor da glória” (1Co 2.8), e Tiago o chama “nosso Senhor JESUS CRISTO, Senhor da glória” (Tg 2.1).
Repetidas vezes, o NT refere-se ao vínculo entre JESUS CRISTO e a glória de DEUS. Seus milagres revelavam a sua glória (Jo 2.11; 11.40-44). CRISTO transfigurou-se em meio a “uma nuvem luminosa” (Mt 17.5), onde Ele recebeu glória (cf. 2Pe 1.16-19). A hora da sua morte foi a hora da sua glorificação (Jo 12.23,24; cf. 17.4,5). Subiu ao céu em glória (cf. At 1.9; 1Tm 3.16), agora está exaltado em glória (Ap 5.12,13), e um dia voltará “sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória” (Mt 24.30; cf. 25.31; Mc 14.62; 1Ts 4.17).
A GLÓRIA DE DEUS NA VIDA DO CRENTE. Como a glória de DEUS relaciona-se ao crente pessoalmente?
(1) Concernente à glória celestial e majestosa de DEUS, é bem verdade que ninguém pode contemplar essa glória e sobreviver. Sabemos que ela existe, mas não a vemos. DEUS habita em luz e glória inacessíveis, que nenhum ser humano pode vê-lo face a face (1Tm 6.16).
(2) A glória shekinah de DEUS, no entanto, era conhecida do seu povo nos tempos bíblicos. No decurso da história, até o presente, sabe-se de crentes que tiveram visões de DEUS, semelhantes às de Isaías (Is 6) e Ezequiel (Ez 1), embora isso não fosse comum naqueles tempos, nem agora. A experiência da glória de DEUS, no entanto, é algo que todos os crentes terão na consumação da salvação, quando virmos a JESUS face a face. Seremos levados à presença gloriosa de DEUS (Hb 2.10; 1Pe 5.10; Jd 24), compartilharemos da glória de CRISTO (Rm 8.17,18) e receberemos uma coroa de glória (1Pe 5.4). Até mesmo o nosso corpo ressurreto terá a glória do CRISTO ressuscitado (1Co 15.42,43; Fp 3.21).
(3) De um modo mais direto, o crente sincero experimenta a presença espiritual de DEUS. O ESPÍRITO SANTO nos aproxima da presença de DEUS e do Senhor JESUS (2Co 3.17; 1Pe 4.14).
Quando o ESPÍRITO opera poderosamente na igreja, através das suas manifestações sobrenaturais (1Co 12.1-12), o crente experimenta a glória de DEUS no seu meio, i.e., um sentimento da majestosa presença de DEUS, semelhante ao que sentiram os pastores nos campos de Belém quando nasceu o Salvador (Lc 2.8-20).
(4) O crente que abandona o pecado e que repudia a idolatria pode ser cheio da glória de CRISTO (ver Jo 17.22), bem como do ESPÍRITO da glória (1Pe 4.14); na realidade, uma das razões de JESUS vir ao mundo foi para encher de glória os crentes (Lc 2.29-32). Como salvos por CRISTO JESUS, devemos viver a nossa vida inteira para a glória de DEUS, a fim de que Ele seja glorificado em nós (Jo 17.10; 1Co 10.31; 2Co 3.18).
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/
Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com, http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.
veja também - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao10-ldc-osdonsespirituais.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao1-4t10-pmo-4tr10-oqueeoracao.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/orarnoespiritosanto.htm

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

LIÇÃO 12, QUANDO O CRENTE NÃO ORA



LIÇÃO 12, QUANDO O CRENTE NÃO ORA
Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 4º Trimestre de 2010
O PODER E O MINISTÉRIO DA ORAÇÃO
O relacionamento do cristão com DEUS
Comentários da revista da CPAD: Pr. Eliezer de L. e Silva
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD: Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva


TEXTO ÁUREO
“Então, aqueles homens israelitas tomaram da sua provisão e não pediram conselho à boca do SENHOR” (Js 9.14).

VERDADE PRÁTICA
A falta de oração na vida dos crentes leva-os a decisões precipitadas.

LEITURA DIÁRIA
Segunda - Jn 2.1,2 O crente deve orar na angústia
Terça - Jn 2.9,10 O crente que ora, DEUS responde
Quarta - Mt 10.16 O crente que não ora, não é prudente
Quinta - 1 Pe 4.7 O crente que ora é sóbrio e vigilante
Sexta -Js 9.14,15 O crente que não ora, se precipita
Sábado - Pv 12.15 O crente que não ora, não ouve conselhos

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Jonas 1.1-5,11,12,15
1 E veio a palavra do SENHOR a Jonas, filho de Amitai, dizendo: 2 Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até mim. 3 E Jonas se levantou para fugir de diante da face do SENHOR para Társis; e, descendo a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem e desceu para dentro dele, para ir com eles para Társis, de diante da face do SENHOR. 4 Mas o SENHOR mandou ao mar um grande vento, e fez-se no mar uma grande tempestade, e o navio estava para quebrar-se. 5 Então, temeram os marinheiros, e clamava cada um ao seu deus, e lançavam no mar as fazendas que estavam no navio, para o aliviarem do seu peso; Jonas, porém, desceu aos lugares do porão, e se deitou, e dormia um profundo sono.

11 E disseram-lhe: Que te faremos nós, para que o mar se acalme? Por que o mar se elevava e engrossava cada vez mais. 12 E ele lhes disse: Levantai-me e lançai-me ao mar, e o mar se aquietará; porque eu sei que, por minha causa, vos sobreveio esta grande tempestade.

15 E levantaram Jonas e o lançaram ao mar; e cessou o mar da sua fúria.

Jonas, o profeta fujão:




ATRAVESSANDO A TEMPESTADE SEM CRISTO E COM CRISTO
QUANDO O CRENTE NÃO ORA QUANDO O CRENTE ORA
JONAS (Jn 1:1-3) PAULO (At 28: 9-11)
Jonas fugindo de DEUS Paulo na direção de DEUS
Jonas negando sua chamada Paulo descobrindo sua vocação
Jonas escondido no porão Paulo no convés
Jonas desconhecido Paulo bem conhecido
Jonas com medo Paulo destemido
Jonas dormindo Paulo despertado
Jonas acordado pelos tripulantes Paulo tendo visão de anjo
Jonas forçado a dar testemunho Paulo de bom ânimo testificando
Jonas o motivo da tempestade Paulo, se ouvido não haveria perigo
Jonas que trazia a maldição Paulo era o motivo de todos estarem vivos
Se Jonas ficasse todos pereceriam Se paulo saísse todos pereceriam
Jonas desanimando a todos Paulo dando ânimo
Jonas jogado ao mar Paulo preservado com vida
Jonas deu péssimo testemunho Paulo de ótimo testemunho
Jonas no escuro do ventre do peixe Paulo na luz do fogo
Jonas clamando por perdão Paulo lançando serpente no fogo (milagre)
Jonas vomitado na praia Paulo curando enfermos
Jonas, agora você vai? Paulo viajando para seu destino
(Livre arbítrio pergunta para vontade própria, e agora quem manda?)
*Quando se está dentro da vontade perfeita de DEUS servimos de bênçãos para todos os que nos rodeiam, tanto crentes quanto descrentes.
*Quando estamos contra a vontade de DEUS somos como uma bomba atômica que pode explodir destruindo tudo e todos a nossa volta.

Jonas: O profeta fujão
O período histórico do ministério de Jonas é narrado com detalhes em II Reis 14 e 15. Ele viveu durante o reinado de Jeroboão II e, nesses tempos, a Assíria exercia seu poderio no Oriente Médio. Era uma nação cruel e era detestada por suas práticas desumanas.

Jonas era o típico judeu que nunca entenderia como seria possível que DEUS viesse a amar os assírios. Ao contrário, ele esperava que o DEUS Javé se voltasse contra eles e os destruísse.

A cidade de Nínive era a capital da Assíria, e quando DEUS mandou Jonas pregar àquela cidade, ele recusou-se a ir, por causa do ódio que sentia pelos assírios. Jonas é um indivíduo preconceituoso e seu livro mostra a resistência desse profeta ao propósito divino de evangelizar a raça mais cruel do mundo. E o que vamos verificar é que o inexplicável amor de DEUS para com Nínive não encontra eco no coração de Jonas.

Foram os preconceitos de Jonas que o levaram a fugir da Missão que DEUS lhe havia ordenado. Preconceitos políticos: pois os ninivitas eram velhos inimigos de seu povo. Preconceitos raciais: os ninivitas eram gentios e não pertenciam ao povo escolhido. Preconceitos religiosos: um povo tão perverso, tão mau, tão grosseiro, não podia nem devia ser perdoado.

Quantos hoje não são como Jonas. Quantas vezes os nossos preconceitos nos impedem de sermos úteis a DEUS. Quantas vezes os nossos preconceitos sufocam o amor às pessoas; aniquila nossa compaixão; obscurece nossa visão; seca as fontes da nossa espiritualidade e empobrece nossa mensagem.

Nós nos parecemos muito com Jonas. Podemos ver nele nossos preconceitos contra aqueles que não confessam a mesma doutrina, ou que pensam diferente de nós. Jonas é uma figura intrigante. Ele assiste a uma cidade inteira se converter e ao invés de se alegrar, ele se irrita. E mais do que irritado, ficou deprimido a ponto de desejar morrer. Jonas é uma figura desconcertante, mas veremos que muitos de nós agimos exatamente como ele.

CAPÍTULO PRIMEIRO: FUGA INÚTIL
"... veio a palavra do Senhor a Jonas." É assim que tudo começou: um dia estava Jonas em sua casa, lá peno ano 750 AC, quando DEUS lhe disse: "Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive e clama contra ela ... ". E aqui as coisas começam a se complicar, pois Jonas não tem a mínima vontade de ir àquela cidade.
Por quê? Porque Jonas conhecia muito bem Nínive e a odiava, e também conhecia muito bem a DEUS, e sabia que Ele é misericordioso e grande em benignidade (4:2) e com certeza iria dar uma oportunidade a Nínive de se converter. E como nosso profeta não quer a conversão desta cidade, e para evitar que tal acontecesse, "Levantou-se, mas para fugir da presença do Senhor, para Társis." (v. 3).
Se corremos os olhos pelo Mapa Bíblico, vamos observar que Nínive ficava diametralmente oposta a Társis, Nínive está no leste, Társis no oeste. Társis era o lugar mais longínquo de todo o planeta naqueles dias. A viagem para lá durava, pelo menos, um ano.
Lá se vai Jonas para a sua viagem rumo a Társis. Seus planos foram bem arquitetados, no entanto, vai se meter em uma tremenda enrascada. Aquela enrascada em que se envolve todos os desobedientes.

"Mas o Senhor lançou sobre o mar um forte vento, e fez no mar uma grande tempestade" (v.4). DEUS, valendo-se da natureza, levanta uma tempestade para corrigir o profeta fujão.
"Então os marinheiros cheios de medo clamavam cada um ao seu deus..." (v.5).
Os marinheiros conhecedores e experimentados no mar, sabem que a situação é perigosa. A sensação de medo os domina. A morte está às portas e por isso eles "clamavam cada um ao seu deus". Estes homens são pagãos e apegados a várias divindades. Contudo, enquanto eles dirigem suas preces aos seus deuses, Jonas dormia profundamente.
Aqui temos uma lição: no processo de fuga de DEUS, corremos o risco de nos tornarmos menos cristãos do que os pagãos. Que ironia! O único homem no navio que podia fazer uma oração de verdade ao DEUS verdadeiro, não quer orar." Ao mesmo tempo que é triste, é deveras impressionante notar que não poucas as vezes, os incrédulos que não conhecem a DEUS, manifestam mais respeito e fé em DEUS do que os próprios cristãos.

Nos versos 6 a 10 percebemos que os marinheiros pagãos têm noção da gravidade dos atos de Jonas. "Que fizeste? Pois sabiam os homens que Jonas estava fugindo da presença do Senhor, porque lhe havia declarado". (v.10).

Os marinheiros sabiam que havia algo naquela tempestade, além de um fenômeno natural. Havia algo maior ali e por isso eles resolveram "Lançar sortes, para saberem por causa de que lhes sobreveio aquele mal" (v.7).

A sorte é lançada, "e a sorte caiu sobre Jonas" (v.7). Descobriram que o homem de DEUS era a causa da desgraça. A desobediência de Jonas estava atraindo maldição sobre todo o grupo.

Precisamos aprender esta lição: As pessoas que desobedecem a DEUS, não criam problemas apenas para si. Infelizmente acabam colocando os outros em suas enrascadas também. Homem de DEUS em fuga leva problemas onde quer que vai.

Agora algo precisa ser feito, e daí a pergunta: "Que te faremos, Jonas, para que o mar se acalme? (v.11). E a resposta foi: "Tomai-me e lançai-me ao mar e o mar se aquietará..." (v.12). Assim, Jonas assume o fato de que ele era o causa da tragédia.

Antes de jogar Jonas no mar, os marinheiros pagãos se entregaram novamente à oração. Agora, oram não às divindades pagãs, mas ao DEUS de Israel. Enquanto eles oram, os lábios de Jonas ainda permaneciam fechados (v.14).

"E levantam a Jonas, e o lançaram ao mar, e cessou o mar da fúria" (v.15).

Jonas é lançado ao mar, mas DEUS não desiste do profeta fujão e ordenou que "um grande peixe engolisse a Jonas" (v.17).

Poucas situações devem ter sido tão angustiosas quanto esta. Jonas está consciente. Sua esperança de continuar vivendo eram mínimas. Que lugar para encerrar a vida, logo na barriga de um peixe, lugar escuro, mal cheiroso e onde provavelmente nunca encontrariam seu corpo. Mas, embora confuso e teimoso, Jonas é um homem que conhece a DEUS. E Jonas faz a única coisa que se pode fazer em um momento de angústia. Ele se entregou à oração.

CAPÍTULO SEGUNDO: A ORAÇÃO NO VENTRE DO PEIXE
"Então Jonas no ventre do peixe orou ao seu DEUS" (v.1).
É no ventre do grande peixe que Jonas começa a recuperar a saúde espiritual. "Na minha angústia clamei ao Senhor." (v.2).
Jonas começa a entender que a angústia pode ser uma expressão do amor de DEUS. A própria tragédia de ter sido "Lançado no coração dos mares" (v.3) e ter sido engolido pelo peixe, não era obra dos marinheiros, mas de DEUS. Por trás de tudo aquilo estava a mão divina. "Quando dentro em mim desfalecia a minha alma, eu me lembrei do Senhor ..." (v.7).

Quando estava para morrer, Jonas voltava seus olhos para o Senhor. Que coisa tremenda! A oração ainda é a única e suficiente resposta de que a espiritualidade continua viva. E nesse aspecto nós nos parecemos muito com Jonas. Pois quase sempre deixamos para orar em momentos de extrema dificuldades (Conferir: 1:3, 4,5,10,11,13,14).

A oração de Jonas foi ouvida. Ele podia ser um crente fraco e remitente, mas sua confiança está em Javé e não em ídolos (v.8). É bom saber que DEUS nos ouve, apesar de nossas fraquezas.

"Falou, pois, o Senhor ao peixe, e este vomitou Jonas na terra." (v.10).

O capítulo dois termina com mais uma ação soberana de DEUS. Ele ordena e o grande peixe, obediente, joga Jonas na praia.

CAPÍTULO TERCEIRO: PREGAÇÃO SEM COMPAIXÃO
"Veio a palavra do Senhor segunda vez a Jonas... " (v.1).
Pela segunda vez, DEUS comissionou o profeta à sua missão de pregar aos ninivitas. Uma nova oportunidade é dada a Jonas.
"Dispõe-te e vai à grande cidade de Nínive ..." (v.2) A ordem é a mesma da primeira vez. E nisso aprendemos que DEUS não muda sua vontade só pelo fato de não gostarmos dela.
Temos a impressão de que Jonas só pregou aos ninivitas, quando enviado pela segunda vez, porque não teve outra opção. Isso porque o v.3 diz que Nínive levava "três dias para percorrê-la". E no v.4 somos informados que Jonas a percorrer só "caminho de um dia". Isto significa que o nosso profeta não completou a caminhada da cidade, demonstrando assim má vontade em sua proclamação. Tipo coisa: "Já falei o suficiente, chega".

"Ainda quarenta dias e Nínive será subvertida." (v.4).

"Quarenta dias" é uma expressão que nos lembra o dilúvio (Gn 7:17). É uma expressão muitas vezes usada nas Escrituras para falar de juízo divino.

Jonas com seus preconceitos, odiava os ninivitas. Portanto sua mensagem não é para salvar, mas para condenar. Estava obedecendo uma ordem divina, mas sem a mínima paixão. Pregava o juízo mas sem lágrimas nos olhos.

Que mensagem precária a de Jonas: "Ainda quarenta dias e Nínive será subvertida". Não havia unção. Não havia vibração. Não havia o óleo da graça que cura e liberta. Havia apenas o tom de condenação, e era o que ele queria.

Mas algo extraordinário acontece. Mesmo sendo uma pregação sem unção e sem poder, causou um impacto tremendo naquela cidade. E assim, surpreendentemente, Nínive "cidade mui importante para DEUS" (v.3) é convertida. DEUS é inquestionavelmente soberano. Mesmo que os nossos planos e projetos limitadíssimos falhem, os Dele são infalíveis. O que DEUS quer fazer, Ele faz e "ninguém pode lhe deter a mão".

CAPÍTULO QUATRO: AMANDO OS SECUNDÁRIOS DA VIDA
"Com isso desgostou-se Jonas extremamente, e ficou irado" (v.1).

Jonas, ao invés de se alegrar, teve um extremo desgosto, por ver a cidade se converter e saber que a sentença da condenação por ele pronunciada, não seria mais aplicada a Nínive. Sua pregação foi um sucesso, mas ele não queria a graça de DEUS para aquele povo. Que mentalidade exclusivista!

Os preconceitos de Jonas estavam tão impregnados em seu coração, que a alegria deu lugar a ira, a ponto de entrar num processo depressivo: "Melhor me é morrer do que viver" (v.3).

Jonas fez uma barraca e ali ficou para "ver o que iria acontecer àquela cidade" (v.5).

Tão duro era o coração de Jonas, que ele ainda esperava que DEUS mudasse de pensamento e destruísse Nínive.

Para dar uma lição no profeta, DEUS fez nascer uma aboboreira para fazer sombra para ele. E esta planta se torna de um momento para outro o tesouro do coração de Jonas. No dia seguinte, DEUS manda um verme para ferir e matar a planta (v.7). E aquela planta que dava conforto a Jonas murchou deixando-o exposto ao sol. O que o deixou irado novamente (v.9).

"Tens compaixão da planta ..." (v.10).

Que insensatez! Jonas amava mais as coisas do que as pessoas. Conseguia chorar e se sensibilizar por causa de uma planta, por outro lado, nutria ódio pelas pessoas.

Jonas é um retrato de muitos hoje em dia. Hoje nossa aboboreira pode ser um carro, a casa, móveis, nosso conforto, etc.

Devemos nos lembrar que se pusermos o coração nas coisas secundárias da vida, não devemos esperar que a nossa alegria seja mais duradoura do que a de Jonas.

"Melhor me é morrer do que viver". Nisso devemos concordar com o profeta. Para quem coloca a vida num nível tão mesquinho, é melhor morrer do que viver.

JESUS disse: "Ajuntai tesouros nos céus, onde a traça e a ferrugem não consomem".

Se o nosso coração estiver nas coisas secundárias da vida, as angústias se sucederão uma após outra, pois estes tesouros são falíveis e efêmeros. Ponhamos o nosso coração nas coisas imperecíveis e eternas.

"... Não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive?" (v.11).

Finalmente Jonas aprendeu. DEUS tem compaixão de pecadores. Por isso, foi que o comissionou para pregar em Nínive. O recado final é no sentido de que ele volte a amar as pessoas. Não coloque os preconceitos acima da salvação. Volte a amar, mesmo aquelas pessoas estranhas a sua volta.

EM JONAS APRENDEMOS
1 - DEUS é soberano e sempre realiza sua vontade
2 - É impossível qualquer tentativa para fugir de DEUS
3 - Os preconceitos nos tornam sem amor pelos incrédulos
4 - Quando estamos em desobediência nos tornamos maldição onde quer que vamos
5 - Quando amamos os secundários, nossa vida se torna mesquinha e sem alegria
6 - O caminho da desobediência sempre nos coloca em enrascadas
7 - Quão apaixonadamente DEUS ama os pecadores



Josué e a falta de consulta a DEUS:

Lemos isto em Js 6.20: "Quando soaram as trombetas o povo gritou. Ao som das trombetas e do forte grito, o muro caiu. Cada um atacou do lugar onde estava, e tomaram a cidade" ...conquistaram a cidade, ou como mostra o v.21, "consagraram a cidade ao Senhor". Que vitória!

Agora, havia um próximo desafio à frente, lemos em Js 7.2: o próximo desafio seria a conquista de Ai. Então, Josué enviou homens para espionar essa cidade. O v.3 mostra que os homens voltaram e apresentaram o relatório para Josué. Eles disseram: "Não é preciso que todos avancem contra Ai. Envie uns dois ou três mil homens para atacá-la. Não canse todo o exército, pois eles são poucos". Aparentemente foi um conselho de zelo, de quem se preocupava com o povo. Mas DEUS não viu assim.

Os homens que espionaram aquela terra, diziam: "Josué, o desafio agora é pequeno... é fichinha. A cidade é pequena... uns dois ou três mil soldados são suficientes para conquistá-la!"Veja bem, já temos experiência nisso!

Então, aos olhos humanos, a pequena cidade de Ai (que significa "Ruína") não representava problema. Josué ouviu o conselho dos seus espiões, que não se cansasse todo o povo na batalha, porque uns dois ou três mil homens seria mais que suficiente...

Mas que grande engano!!!... O v.4 registra que foram enviados cerca de três mil homens, mas também registra que esses três mil foram postos em fuga pelo povo de Ai... no v.5, lemos que dos três mil, 36 não voltaram, porque foram mortos... e os que não foram mortos, voltaram perseguidos e feridos durante a fuga.

Que vexame! Os que foram, voltaram em fuga... vergonhosamente, viraram as costas ao inimigo, dando no pé, sendo que 36 deles foram mortos... Mas o que impressiona é que este vexame ocorre logo depois de uma grande vitória, logo depois da conquista de Jericó... que coisa: logo após a grande conquista, um terrível fracasso... logo depois da vitória, o vexame! O que aconteceu? Por que o quadro mudou tão radicalmente? Que fatores determinaram a vitória do povo de DEUS, num momento, e a derrota no outro?

Quando olhamos para os movimentos que envolveram esses dois episódios, notamos que houve pequenos detalhes que produziram resultados diferentes... E esses pequenos detalhes podem nos ensinar muito sobre como permanecer em conquista naquilo que estamos investindo hoje.

Houve fatores que nortearam o povo de DEUS diante do desafio de Jericó, mas que faltaram diante do desafio de Ai.... então vamos ao próximo passo:


SEJA DEPENDENTE DE DEUS E EXPRESSE ISTO PELA BUSCA EM ORAÇÃO.
O primeiro fator é dependência de DEUS que se expressa pela busca em oração. Veja Js 5.14: Antes de Jericó, encontramos Josué orando... Josué está tendo experiências com DEUS... Josué está recebendo estratégias sobrenaturais... no v.15, vemos Josué tirando as sandálias dos pés pela santidade de seus momentos devocionais.

Agora, diante da cidade de Ai (no cap 7), não há oração, apenas ação... Não encontramos, nem Josué nem sua equipe, buscando ao Senhor. Nos v.2 e 3, apenas os encontramos fazendo contas, analisando a situação numa perspectiva absolutamente natural, absolutamente humana, e assim agem. Josué houve apenas os conselhos dos seus generais que lhe aconselham mal: Mande apenas uns 3 mil homens e será suficiente. Então, podemos constatar que lá em Jericó, o resultado foi tremendo, um milagre de DEUS, algo sobrenatural aconteceu... mas, agora em Ai, o que aconteceu foi um tremendo vexame... "foi uma vergonha!"

Fica para nós uma grande lição: se queremos grandes conquistas em DEUS, precisamos depender de DEUS e manifestar essa dependência através da busca em oração, caso contrário, até os desafios mais fáceis de se vencer (naturalmente falando) poderão se transformar num vexame.

RECEBA A ESTRATÉGIA DE DEUS E SIGA À RISCA.
Diante do desafio de conquistar Jericó, Josué contava com uma estratégia, mas diante do desafio para tomar a cidade de Ai, não havia estratégia. Se você ler os capítulos 6 e 7 de Josué, verá isso claramente. No cap 6, do v.2 ao 5, DEUS entrega para Josué uma estratégia na mão, um plano de ação... é uma estratégia louca aos olhos humanos, é verdade - porque DEUS mandou rodear a cidade por sete dias, em silêncio, e no sétimo dia, rodeá-la sete vezes. Então os sacerdotes tocariam as trombetas e todo o povo gritaria - mas essa era a estratégia de DEUS! ...e se é de DEUS, irmão, por mais esquisito e estranho que seja, é abençoado! Portanto, Josué contava com um processo pré-determinado de ação... era seguir a estratégia de DEUS e comemorar a vitória.

Agora, no cap 7, já para tomar a cidade de Ai, Josué não teve estratégia alguma. No v.2, Josué simplesmente chamou três mil homens e lhes disse: "Tomem a cidade!" Josué só esqueceu de dizer pra eles "o como fazer isso"... Então o resultado foi catastrófico.

MANTENHA O PADRÃO DE FIDELIDADE
Para um povo conquistador em nome de DEUS, santidade não pode ser uma opção, não pode ser um aparato ocasional, mas uma condição. Lemos aqui em Js 7.20, que foi por causa do pecado de um homem chamado Acã, que escondeu coisas condenadas em sua tenda, que toda a nação de Israel amargou uma grande derrota. Isso deve nos levar a uma profunda reflexão sobre nossa disposição de viver uma vida santa diante do Senhor e de sermos vigia por nós mesmos e, pelo nosso irmão, já que o pecado dele pode trazer prejuízo para nós também.

a) Não dê brechas ao inimigo: Satanás não precisa de uma porta aberta para arrebentar com sua vida. Basta-lhe uma brecha. Acã não resistiu a uma linda capa babilônica e a vários quilos de ouro e prata que viu pelo caminho. A capa biblicamente falando significa aquilo que nos seduz: veja as duas capas de José: a que lhe foi dada por seu pai só lhe trouxe problemas. A outra que usou na casa de Potifar foi instrumento da mulher de Potifar para lhe acusar de abuso sexual. Agora é Acã que é seduzido por uma linda capa. Mais tarde, a túnica de JESUS se torna objeto de desejo dos soltados romanos.

b) Não subestime o inimigo: Lembre-se sempre que a vitória vem de DEUS e não porque você é bom nisso e naquilo. Então, nestes dias, quando buscamos avançar para novos níveis de conquista, é absolutamente necessário que cuidemos do padrão de fidelidade e de santidade e que, inclusive, alcancemos novos patamares, para que o respaldo de DEUS esteja conosco. ...e há um último fator:

PRESERVE A UNIDADE DO POVO:

O último fator determinante entre o fracasso e o sucesso, entre o vexame e a vitória, foi a unidade do povo de DEUS. Em Jericó, todo o povo obedeceu e participou do desafio de conquistar aquela cidade. Mas em Ai (Js 7.2), "apenas três mil" tentaram fazer o que deveria ser responsabilidade de todos. Irmãos, assim é no crescimento da igreja também. Quando queremos a multiplicação da igreja, dos seus ministérios, dos nossos alvos e desafios, precisamos do envolvimento total de cada um em cada batalha. Ou nos movemos nesse desafio como um só homem, ou vamos enfrentar baixas inesperadas

A precipitação de Abraão e Sara
1 Ora, Sarai, mulher de Abrão, não lhe gerava filhos, e ele tinha uma serva egípcia, cujo nome era Agar. 2 E disse Sarai a Abrão: Eis que o SENHOR me tem impedido de gerar; entra, pois, à minha serva; porventura, terei filhos dela. E ouviu Abrão a voz de Sarai.3 Assim, tomou Sarai, mulher de Abrão, a Agar, egípcia, sua serva, e deu-a por mulher a Abrão, seu marido, ao fim de dez anos que Abrão habitara na terra de Canaã.4 E ele entrou a Agar, e ela concebeu; e, vendo ela que concebera, foi sua senhora desprezada aos seus olhos.

16.2 O SENHOR ME TEM IMPEDIDO DE GERAR. Entre o povo da Mesopotâmia, o costume, quando a esposa era estéril, era deixar que a sua serva tivesse filhos com o esposo. Esses filhos eram considerados filhos legítimos daquela esposa.

(1) Apesar de existir então esse costume, a tentativa de Abrão e Sarai de terem um filho através da união de Abrão com Agar não teve a aprovação de DEUS (2.24).

(2) O NT fala do filho de Agar como sendo o produto do esforço humano segundo a carne, e não segundo o ESPÍRITO (Gl 4.29). Segundo a carne, equivale ao planejamento puramente carnal, humano, natural. Noutras palavras, nunca se deve tentar cumprir o propósito de DEUS usando métodos que não são segundo o ESPÍRITO, mas esperando com paciência no Senhor e orando com fervor.

O homem é sempre tendente a escolher o caminho mais curto e rápido na solução de seus problemas, mas DEUS sempre escolhe um caminho que necessite de fé para que o homem cresça em seu conhecimento.

Gn16.5-16 O nascimento de Ismael
5 Então, disse Sarai a Abrão: Meu agravo seja sobre ti. Minha serva pus eu em teu regaço; vendo ela, agora, que concebeu, sou menosprezada aos seus olhos. O SENHOR julgue entre mim e ti.6 E disse Abrão a Sarai: Eis que tua serva está na tua mão; faze-lhe o que bom é aos teus olhos. E afligiu-a Sarai, e ela fugiu de sua face.7 E o Anjo do SENHOR a achou junto a uma fonte de água no deserto, junto à fonte no caminho de Sur.8 E disse: Agar, serva de Sarai, de onde vens e para onde vais? E ela disse: Venho fugida da face de Sarai, minha senhora.9 Então, lhe disse o Anjo do SENHOR: Torna-te para tua senhora e humilha-te debaixo de suas mãos.10 Disse-lhe mais o Anjo do SENHOR: Multiplicarei sobremaneira a tua semente, que não será contada, por numerosa que será.11 Disse-lhe também o Anjo do SENHOR: Eis que concebeste, e terás um filho, e chamarás o seu nome Ismael, porquanto o SENHOR ouviu a tua aflição.12 E ele será homem bravo; e a sua mão será contra todos, e a mão de todos, contra ele; e habitará diante da face de todos os seus irmãos.13 E ela chamou o nome do SENHOR, que com ela falava: Tu és DEUS da vista, porque disse: Não olhei eu também para aquele que me vê?14 Por isso, se chama aquele poço de Laai-Roi; eis que está entre Cades e Berede.15 E Agar deu um filho a Abrão; e Abrão chamou o nome do seu filho que tivera Agar, Ismael.16 E era Abrão da idade de oitenta e seis anos, quando Agar deu Ismael a Abrão.

A escrava estava se sentindo dona da situação, ela era a abençoada (tinha um filho de Abraão), sara teria que se submeter a seus caprichos para que Abraão não a deixasse; quão enganada estava Hagar, pois Abraão é além de tudo, um esposo que ama e respeita sua esposa, prova disso, lhe dá carta branca para agir segundo sua vontade.

16.7 O ANJO DO SENHOR. À medida que esta narrativa prossegue, torna-se claro que o anjo do Senhor é o próprio DEUS falando com Agar (v. 13; 18.1,22; Jz 6.12,14).

Fugida de sua senhora: Apesar de se ter comportado mal perante sua senhora, Saraí não tinha culpa de ser escolhida pela própria Sara para gerar um filho de seu esposo Abraão.

O conselho é sempre a humilhação para posterior exaltação.

16.11 ISMAEL. O nome Ismael significa DEUS ouve e significa que DEUS viu o modo injusto de Abrão e Sarai tratarem Agar, e que também agiu a respeito disso. Aquele nome dado antecipadamente foi um julgamento sobre Abrão, e revela que DEUS abomina toda e qualquer injustiça entre os seus. Que DEUS castigará quem cometer injustiça contra os fiéis da igreja, não deixa dúvida o NT (ver Cl 3.25).

16.12 CONTRA TODOS. Ismael, juntamente com os seus descendentes, seria um povo aguerrido, forte e corajoso. Sua disposição para a luta poderia ser usada na peleja espiritual, em favor de DEUS ou contra DEUS. A escolha seria dele.

Gn 21.17 DEUS OUVIU. DEUS sabia que era melhor que Agar e Ismael se separassem de Abraão. Nem por isso DEUS desamparou os dois, pois permaneceram na sua presença e sob seus cuidados (vv. 17-21). DEUS tinha um propósito para Ismael, paralelo ao seu propósito para com Isaque, a saber: que dele faria uma grande nação (v. 18).

Ismael (Gn 16.1-5,15, 16). Ler Gênesis 13.15,16; 15.18; 18.18; 22.17,18; 26.3,4; 28.3,4.

Filho de Abraão com Agar (Escrava egípcia), filho da prostituição consentida por sua esposa Sara, que sem fé preferiu arriscar a desgraça de sua família ao invés de crer em DEUS e esperar com paciência pelas suas promessas. Abraão sendo tentado caiu no mesmo engodo de Satanás.

Tg 1.13 Ninguém, sendo [tentado], diga: Sou [tentado] por DEUS; porque DEUS não pode ser [tentado] pelo mal e ele a ninguém tenta.14 Cada um, porém, é [tentado], quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência;


Alguém explica esta contradição (será?) da Bíblia (Quem fez que Davi fizesse o censo?) DEUS ou Satanás?

Leia este versículo e responda quem foi que fez Davi fazer o Censo de Israel e trazer a ira contra seu povo, matando 70.000 pessoas. DEUS ou Satanás?

Satã provocou Davi a fazer um censo de Israel (I Crônicas 21:1).

DEUS sugeriu Davi a fazer um censo de Israel (II Samuel 24:1).

Este texto de Crônicas mostra o agente imediato da provocação, Satanás, e este texto de Samuel mostra o autorizador da provocação, DEUS.

Isto já aconteceu em outros textos bíblicos, isto é, a permissão de DEUS para Satanás agir, como quando DEUS permitiu Satanás afligir Jó (Jó 1-12, Jó 2-6).



Creio que Satanás com a permissão de DEUS tentou Davi porque este saiu fora da palavra de DEUS ao deixar de confiar em DEUS. No livro de Jó ele sem ter consciência do que estava acontecendo declarou falando de DEUS: Porque Ele faz a chaga e Ele mesmo a cura, porém ao lermos o relato sabemos que DEUS permitiu que Satanás entrasse na vida de Jó até certo ponto! Jó também saiu da palavra de DEUS? Sim, pois ele mesmo declarou: "o que eu temia me veio", Jó tinha um medo fora do normal de acontecer algo ruim com ele ou sua família, porém se confiasse em DEUS diria como Davi: "O Senhor é o meu pastor e nada me faltará" Sl 23:1!


http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao8-ldj-perigoardilgibeonita.htm


O engano Gibeonita:
Ao ficar claro que Josué havia ferido o norte de Canaã a partir do sul, e que efetivamente instalara a nação de Israel na região montanhosa central, os cananeus e outras populações decidiram pôr de lado as diferenças e formar uma só defesa contra Israel. Os heveus (horitas ou hurrianos?) de Gibeão (el-Jib), situados apenas a onze quilômetros ao sul de Betel, ficaram tão apavorados em face do que acontecera a Jericó e a Ai que tentaram uma ação diplomática ao invés de militar. Disfarçados de viajantes que vinham de muito longe, uma delegação de Gibeão foi a Gilgal - agora acampamento de Israel e persuadiu Josué a assinar um pacto de não agressão contra eles. Josué se esqueceu do principal: consultar a DEUS sobre esse importante negócio. O acordo requeria que o povo servisse a Israel como escravos (Dt 20.11 ; Js 9.15, 21,27), uma condição que embora indesejável, era definitivamente melhor que a morte. É claro que os gibeonitas eram alvos do herem, juntamente com os demais cananeus, e por isso deveriam ser destruídos (Dt 20.16,17; Js 9.24). Em vez disso, despercebido como estava Josué, o pacto teve de vigorar, e os gibeonitas com seus amigos heveus de Quefira (Te Kefireh), Beerote (Nebi Samwil?) e Quiriate-jearim (Qiryat Ye'arim) conseguiram sobreviver, e todas as vilas que ficavam nos oito quilômetros de Gibeão foram permitidas viver," (MERRILL, E. H. História de Israel no Antigo Testamento. Rio de janeiro: CPAD, 2001, pp.112-3.)

INTERAÇÃO
Prezado professor, na lição de hoje veremos que além de orar, o crente precisa buscar a direção de DEUS e cumprir a sua vontade. Muitos oram, mas não obedecem ao Pai.
Jonas era um porta-voz de DEUS. Ele tinha uma vida de comunhão com o Senhor, porém quando recebeu de DEUS uma difícil tarefa, recuou e procurou fazer a sua própria vontade. O que DEUS quer que você, professor, faça em sua classe? Não recue! Tenha coragem, cumpra a missão que lhe foi determinada pelo Senhor!
OBJETIVOS
Compreender que precisamos orar e obedecer a DEUS.
Saber que quando o crente deixa de buscar a direção de DEUS ele prejudica a si próprio e aos que o rodeiam.
Conscientizar-se de que através da oração e do estudo da Palavra o crente é dirigido por DEUS.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor, converse com seus alunos sobre conhecer a vontade do Pai mediante a oração. Explique que não basta conhecer a vontade de DEUS, é preciso executá-la com alegria. Depois, escreva no quadro-de-giz as frases abaixo e discuta com os alunos a respeito do crente que não ora:
O crente que não ora:
• Não cresce espiritualmente (Os 6.3).
• DEUS não está em primeiro lugar em sua vida (Mt 6.33).
• Não é submisso ao Senhor (Rm 8.28).
• Não reconhece a DEUS em todos os seus caminhos (Pv 3.6).
• Não aprende a confiar no Senhor (Sl 118.8).

RESUMO RÁPIDO
I. QUANDO O HOMEM ORA, MAS NÃO OBEDECE
1. Jonas desobedece a DEUS. Jonas, talvez porque tinha condições financeiras, decidiu agir sem a dependência de DEUS. Era um profeta que confiava em sua própria capacidade, em sua própria inteligência; seu ego era maior do que sua chamada.
2. Jonas foge da presença de DEUS. Jonas acha a saída mais agradável para si mesmo, a saída do materialismo. Talvez estivesse querendo as riquesas do garimpo de prata de Társis. Pensava ele em se tornar independente de DEUS em seu sustento.
3. Jonas é jogado ao mar. Jonas era o motivo da tempestade, do desespero e da oração dos marinheiros aos seus deuses. Quem se torna trevas, se torna insípito, só serve para ser lançado fora. Para que a tempestade de DEUS passasse era preciso retirar o motivo da mesma dali. Aquele que devia abençoar o navio e seus tripulantes foi lançado fora para que o mal não os atingisse. É quando o crente se torna maldição ao invés de bênção.
II. DEIXANDO DE BUSCAR A DIREÇÃO DE DEUS
1. Josué. Josué se esqueceu rapidamente da direção de DEUS, dos ensinamentos de Moisés. Parece que após a grande vitória sobre Jericó se achou muito confiante em sua posição junto a DEUS e ao povo. Descobriu que não era nada sem DEUS, que não podia fazer nada sem a direção de DEUS e o poder de DEUS em operação.
2. Davi. Davi queria se engrandecer e não dar glória a DEUS que vence todas as batalhas sem depender dos homens, mas que os usa para que ELE mesmo, DEUS, seja louvado e glorificado. Um erro clássico dos homens é querer a glória que só pertence a DEUS. 70.000 pessoas morrreram para que Davi aprendesse a se humilhar.
3. Sara. Sarai e Abrão nào confiaram nas promessas de DEUS e decidiram dar uma ajudazinha para DEUS. Se esqueceram de que DEUS não precisa de ajuda. Pagaram caro pelo erro e ainda hoje as consequências desastrosas dessa atitude se vêem no relacionamento entre árabes se judeus.
III. BUSCANDO CONSELHOS EM OUTRO LUGAR
1. Acazias. Baal-Zebube era seu DEUS. A doença chegou e junto com ela veio o medo da morte.
2. Saul. Aquele que perseguiu e destruiu a feitiçaria em israel, agora se une a ela, consultando uma feiticeira ao invés de DEUS. é o perigo da falta de comunhão com DEUS.
3. Roboão. O rei que deu mais valor aos seus amigos de infância do que a DEUS e na experiência dos mais velhos. Pagou caro por isso. Os amigos muitas vezes nos levam a caminhos distantes de DEUS.

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I
Subsídio Bibliológico - A Resposta de Jonas a DEUS
“Apesar da desobediência e presunção, o próprio Jonas experimentara a libertação misericordiosa de DEUS e recebera uma segunda chance. Quando comissionado por DEUS para ir a Nínive, Jonas fugiu na direção oposta. Quando lançado ao mar furioso e engolido por um peixe, ele teve a audácia de presumir que estava livre. Em lugar de oferecer um clamor penitencial e humilde por libertação, ele agradeceu ao Senhor por tê-lo libertado (Jn 2.1-9). Mas DEUS perseverou e comissionou novamente o profeta (Jn 2.10 — 3.2). O livro termina com um DEUS gracioso ainda tentando persuadir Jonas a pensar corretamente na sua misericórdia (Jn 4.9-11).

Embora Jonas, como Israel, fosse recebedor da misericórdia de DEUS, o profeta negou a mesma misericórdia para o mundo gentio. Ironicamente, estes pagãos a quem Jonas detestava por serem idolatras (Jn 2.8), mostrou mais sensibilidade espiritual do que o profeta. Jonas reivindicou temer ‘ao Senhor, o DEUS do céu, que fez o mar e a terra seca’ (Jn 1.9). Mas suas ações contradisseram o seu credo. Enquanto Jonas tentou fugir do Criador do mar através do mar, os pagãos expressaram que temiam genuinamente ao Senhor por meio de sacrifícios e orações (Jn 1.16). Em contraste com Jonas que desobedeceu à palavra revelada de DEUS e prevaleceu-se da misericórdia divina, os ninivitas responderam imediata e positivamente à palavra de DEUS e humildemente se lançaram aos pés do DEUS soberano (Jn 3.4-9)” (ZUCK, Roy B. Teologia do Antigo Testamento. 1. ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2009, pp. 467-8).

VOCABULÁRIO
Relapso: que não cumpre com seus deveres.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia. 1. ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2005.
Dicionário Bíblico Wycliffe. 1. ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2006.
SAIBA MAIS pela Revista Ensinador Cristão CPAD, nº 44, p.42.


QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 12, QUANDO O CRENTE NÃO ORA
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 4º TRIMESTRE DE 2010
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas.

TEXTO ÁUREO
1- Complete:
“Então, aqueles homens israelitas tomaram da sua _____________________ e não pediram ____________________ à boca do ______________________” (Js 9.14).

VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
A falta de ________________________ na vida dos ___________________ leva-os a __________________________ precipitadas.

COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO
3- Complete:
Há ____________________ divinas para os que se propõem a _____________________ com regularidade e afinco; há também consequências ________________________ para aqueles que são negligentes nessa prática.

I. QUANDO O HOMEM ORA, MAS NÃO OBEDECE
4- Por que Jonas é um exemplo do crente que não quer fazer a vontade DEUS?
( ) Porque Jonas é um exemplo de profeta esforçado, dedicado e obediente a DEUS.
( ) É de se esperar que um homem chamado por DEUS dependa exclusivamente dEle para realizar o trabalho proposto.
( ) Como Jonas, muitos decidem por si mesmos o que fazer e o modo como fazer.
( ) Esquecem-se de buscar a direção do Senhor que os chamou, pois querem seguir a sua própria vontade.

5- Jonas tinha comunhão com DEUS, conhecia a vontade do Senhor e sabia exatamente o lugar para o qual DEUS o tinha chamado. O que fez Jonas?
( ) Decidiu, de boa vontade, ir para o lugar para onde DEUS o enviara, sempre na presença do Senhor.
( ) Decidiu, por conta própria, ir para outro lugar, longe da presença do Senhor.
( ) A desobediência de Jonas quase causou a morte de todos no navio.

6- O que aprendemos com esse episódio? Complete:
Através desse episódio, aprendemos que a nossa __________________________ pode trazer ________________________ àqueles que estão ______________________ de nós. Ouça e obedeça à voz de DEUS!

7- Jonas estava consciente da sua desobediência. O que lhe aconteceu?
( ) Jonas foi pregar em Társis e foi impedido por ímpios pecadores em seu intento sagrado.
( ) Ele sabia que a tempestade era por sua causa, por isso, não hesitou em dizer: “lançai-me ao mar”.
( ) Jonas tentava fugir da presença de DEUS.
( ) Se não fosse a intervenção milagrosa do Senhor, ele teria perecido.
( ) Dentro da barriga do grande peixe, Jonas clamou a DEUS.
( ) O Senhor que é grande em misericórdia, e está sempre disposto a perdoar, ouviu sua oração.
( ) Jonas teve de ir parar no ventre de um grande peixe para aprender a respeito da obediência.

8- Complete:
Pare um instante e reflita: O que é necessário acontecer em sua vida para que você se disponha a obedecer a DEUS e ter uma vida de oração? Não seja como Jonas!

___________________________________________________________________________

___________________________________________________________________________

___________________________________________________________________________


II. DEIXANDO DE BUSCAR A DIREÇÃO DE DEUS
9- Quando o povo de Israel estava se estabelecendo na terra que o Senhor havia prometido a seus pais, os moradores de Gibeão, com astúcia, vieram até Josué para fazer um acordo de paz (Js 9.1-15). O que fizeram Josué e os líderes do povo e quais as consequências?
( ) Josué e os líderes do povo cometeram um grave erro: não buscaram o conselho de DEUS.
( ) Assim, sem orar e buscar a direção divina, fizeram um concerto com os gibeonitas.
( ) Fizeram um acordo provisório de paz que durou até uma guerra que travaram em favor dos gibeonitas, logo depois.
( ) Essa decisão imprudente trouxe os cananeus para dentro de Israel.
( ) O povo de DEUS precisou entrar em guerra para honrar o pacto que havia feito fora da direção do Senhor, a fim de proteger aqueles que os haviam enganado.

10- Certa ocasião, Davi não consultou ao Senhor, o que fez e quais as consequências?
( ) DEUS o mandou fazer um censo para saber quantos soldados estavam prontos para guerrear a favor de Israel e defender Israel de seus inimigos.
( ) Resolveu fazer um censo.
( ) Talvez o rei quisesse orgulhar-se do seu poderio militar.
( ) Todavia, quando o censo terminou, Davi sentiu-se mal e declarou: “Muito pequei no que fiz” .
( ) Davi caiu em si. Então, clamou ao Senhor pedindo-lhe seu perdão.
( ) Quando um homem não busca a direção de DEUS, coloca-se em situações bastante desagradáveis e perigosas causando prejuízo a outras pessoas.
( ) A atitude errada de Davi fez com que setenta mil homens perdessem a vida.

11- DEUS havia prometido um filho para Abraão e Sara (Gn 15.4). O que fizeram eles durante sua espera por essa promessa?
( ) Sarai e Abrão consultaram ao SENHOR sobre a possibilidade de terem um filho da escrava Agar que tinha vindo com eles do Egito.
( ) Tendo aguardado a promessa por muito tempo, Sara foi vencida pela impaciência.
( ) Ela quis agir por conta própria, tentando passar à frente de DEUS.
( ) Sara não orou buscando a direção de DEUS ao prover um filho para Abraão através de Agar, sua serva.
( ) A precipitação de Sara causou-lhe uma série de problemas.

III. BUSCANDO CONSELHOS EM OUTRO LUGAR
12- Como foi o reinado de Acazias sobre Israel?
( ) Foi caracterizado pela iniqüidade.
( ) Ele abertamente destruiu todos os inimigos do DEUS de seu pai Davi, mas ao mesmo tempo servia a Baal-Zebube.
( ) Ele abertamente desprezou o DEUS de Davi, servindo a Baal-Zebube.
( ) Acazias após cair do alto de sua casa em Samaria ficou doente e recorreu a Baal-Zebube, a quem mandou perguntar se sararia de sua doença.
( ) Um homem que se afasta dos caminhos do Senhor chega a extremos inimagináveis, a ponto de consultar um deus sem condições de salvar ou de responder.
( ) Por intermédio do profeta Elias, DEUS perguntou a Acazias: “Porventura, não há DEUS em Israel, para que mandes consultar a Baal-Zebube, deus de Ecrom?”( ) Acazias não temia ao Senhor e morreu em conseqüência da sua enfermidade.

13- Como era Saul em respeito à consulta a DEUS? Complete:
Após a ____________________ de Samuel, quando os filisteus se reuniram para uma batalha contra Israel, Saul resolveu consultar uma ______________________, uma __________________________, que entrava em contato com espíritos demoníacos, para saber se deveria ou não entrar na _______________________ (1 Sm 28.7,8).

14- Complete:
Mais uma vez, pode-se depreender o profundo _______________________ no qual o homem sem DEUS cai, de modo que aceita buscar conselhos em qualquer lugar, inclusive de agentes do ____________________________. Horóscopos, espiritismo, adivinhações, isso tudo é _____________________ pela Palavra de DEUS (Dt 18.9-12; Lv 19.26,31; 20.6). Através da oração e do estudo da Bíblia, o crente é dirigido por DEUS, não necessitando de nenhum outro subterfúgio para encontrar o ________________________ a seguir.

15- Depois da morte de Salomão, Roboão tornou-se rei. O que fez ele?
( ) Ele não procurou seguir o exemplo de seu pai, que pediu a DEUS sabedoria para governar.
( ) Roboão se arrependeu, se tornou um bom rei no início de seu reinado, pois ouviu os conselhos dos mais velhos.
( ) Roboão, além de não orar e de não buscar os conselhos divinos, preferiu seguir os conselhos insensatos de seus amigos.

CONCLUSÃO
16- Complete:
A falta da _______________________ e da busca constante pela ___________________ de DEUS levam o homem a uma vida que prejudica a si próprio e aos que o rodeiam, principalmente se este homem é um líder. Que o Senhor, em sua infinita misericórdia, nos dê forças espirituais para estar sempre aos seus pés, em oração, buscando sua ____________________ para nossa vida e para o desenvolvimento do trabalho que Ele colocou em nossas mãos. Ele está sempre disposto a ouvir e atender àquele que o busca de ______________________ (Jr 29.13).


RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/
Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com, http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.
veja também - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao10-ldc-osdonsespirituais.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao1-4t10-pmo-4tr10-oqueeoracao.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/orarnoespiritosanto.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/jonaspaulo.htm