quarta-feira, 23 de abril de 2008

LIÇÃO 5 - A SUBLIMIDADE DO CULTO CRISTÃO

LIÇÃO 5 - A SUBLIMIDADE DO CULTO CRISTÃO AS DISCIPLINAS DA VIDA CRISTÃ Trabalhando em busca da perfeição Comentarista: Pr. Claudionor de Andrade Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antônio Gilberto Complementos e Ajuda para professores e alunos: Ev. Luiz Henrique. TEXTO ÁUREO "Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação" (1 Co 14.26). VERDADE PRÁTICA Cultuar a DEUS é uma obrigação que, em nossa vida, deve traduzir-se em júbilo espiritual. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Colossenses 3.12-17 12 Revesti-vos, pois, como eleitos de DEUS, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade, 13 suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim como CRISTO vos perdoou, assim fazei vós também. 14 E, sobre tudo isto, revesti-vos de caridade, que é o vínculo da perfeição. 15 E a paz de DEUS, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos. 16 A palavra de CRISTO habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais; cantando ao Senhor com graça em vosso coração. 17 E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor JESUS , dando por ele graças a DEUS Pai. 3.16 A PALAVRA DE CRISTO HABITE EM VÓS. A palavra de CRISTO (i.e., as Escrituras, a Palavra de DEUS) deve ser continuamente lida, estudada, meditada e assunto de oração, até que ela habite ricamente dentro de nós. Quando isto acontecer, nossos pensamentos, palavras, ações e motivação serão influenciados e controlados por CRISTO (Sl 119.11; Jo 15.7; ver 1 Co 15.2). Salmos, hinos e cânticos espirituais devem ser usados para ensinar a Palavra e admoestar os crentes a viver uma vida de obediência a CRISTO (ver Ef 5.19). 3.17 TUDO O QUE FIZERDES POR PALAVRAS OU POR OBRAS. A Bíblia apresenta princípios gerais que capacitam o crente orientado pelo ESPÍRITO SANTO a determinar se as práticas não expressamente mencionadas na Palavra de DEUS são certas ou erradas. Em tudo quanto dizemos, fazemos, pensamos ou desfrutamos, devemos fazer as seguintes perguntas: (1) Isso pode ser feito para a glória de DEUS (1 Co 10.31)? (2) Pode ser feito "em nome do Senhor JESUS ", com sua bênção (3.17; ver Jo 14.13)? (3) Pode ser feito com sincera gratidão a DEUS (3.17)? (4) É uma ação digna de CRISTO (1 Jo 2.6)? (5) Enfraquecerá as convicções sinceras de outros cristãos (ver 1 Co 8.1)? (6) Enfraquecerá meu desejo pelas coisas espirituais, pela Palavra de DEUS e pela oração (Lc 8.14; ver Mt 5.6)? (7) Enfraquecerá ou prejudicará meu testemunho de CRISTO (Mt 5.13-16)? A SUBLIMIDADE DO CULTO CRISTÃO Sublimidade - qualidade do que é sublime; elevação; grande altura; perfeição; excelência. Culto - Tem a ver com Adoração e homenagem reverente a DEUS. A ADORAÇÃO A DEUS Ne 8.5,6 “E Esdras abriu o livro perante os olhos de todo o povo; porque estava acima de todo o povo; e, abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé. E Esdras louvou o SENHOR, o grande DEUS; e todo o povo respondeu: Amém! Amém!, levantando as mãos; e inclinaram-se e adoraram o SENHOR, com o rosto em terra.” A adoração consiste nos atos e atitudes que reverenciam e honram à majestade do grande DEUS do céu e da terra. Sendo assim, a adoração concentra-se em DEUS, e não no ser humano. No culto cristão, nós nos acercamos de DEUS em gratidão por aquilo que Ele tem feito por nós em CRISTO e através do ESPÍRITO SANTO. A adoração requer o exercício da fé e o reconhecimento de que Ele é nosso DEUS e Senhor. BREVE HISTÓRIA DA ADORAÇÃO AO VERDADEIRO DEUS.O ser humano adora a DEUS desde o início da história. Adão e Eva tinham comunhão regular com DEUS no jardim do Éden (cf. Gn 3.8). Caim e Abel trouxeram a DEUS oferendas (hb. minhah, termo também traduzido por “tributo” ou dádiva”) de vegetais e de animais (Gn 4.3,4). Os descendentes de Sete invocavam “o nome do SENHOR” (Gn 4.26). Noé construiu um altar ao Senhor para oferecer holocaustos depois do dilúvio (Gn 8.20). Abraão assinalou a paisagem da terra prometida com altares para oferecer holocaustos ao Senhor (Gn 12.7,8; 13.4, 18; 22.9) e falou intimamente com Ele (Gn 18.23-33; 22.11-18). Somente depois do êxodo, quando o Tabernáculo foi construído, é que a adoração pública tornou-se formal. A partir de então, sacrifícios regulares passaram a ser oferecidos diariamente, e especialmente no sábado, e DEUS estabeleceu várias festas sagradas anuais como ocasiões de culto público dos israelitas (Êx 23.14-17; Lv 1—7; Dt 12; 16). O culto a DEUS foi posteriormente centralizado no templo de Jerusalém (cf. os planos de Davi, segundo relata 1Cr 22—26). Quando o templo foi destruído, em 586 a.C., os judeus construíram sinagogas como locais de ensino da lei e adoração a DEUS enquanto no exílio, e aonde quer que viessem a morar. As sinagogas continuaram em uso para o culto, mesmo depois de construído o segundo templo por Zorobabel (Ed 3—6). Nos tempos do NT havia sinagogas na Palestina e em todas as partes do mundo romano (e.g. Lc 4.16; Jo 6.59; At 6.9; 13.14; 14.1; 17.1, 10; 18.4; 19.8; 22.19).A adoração na igreja primitiva era prestada tanto no templo de Jerusalém quanto em casas particulares (At 2.46,47). Fora de Jerusalém, os cristãos prestavam culto a DEUS nas sinagogas, enquanto isso lhes foi permitido. Quando lhes foi proibido utilizá-las, passaram a cultuar a DEUS noutros lugares, geralmente em casas particulares (cf. At 18.7; Rm 16.5; Cl 4.15; Fm v. 2), mas, às vezes, em salões públicos (At 19.9,10). MANIFESTAÇÕES DA ADORAÇÃO CRISTÃ. (1) Dois princípios-chaves norteiam a adoração cristã.(a) A verdadeira adoração é a que é prestada em espírito e verdade (ver Jo 4.23), i.e., a adoração deve ser oferecida à altura da revelação que DEUS fez de si mesmo no Filho (ver Jo 14.6). Por sua vez, ela envolve o espírito humano, e não apenas a mente, e também como as manifestações do ESPÍRITO SANTO (1Co 12.7-12). (b) A prática da adoração cristã deve corresponder ao padrão do NT para a igreja (ver At 7.44). Os crentes atuais devem desejar, buscar e esperar, como norma para a igreja, todos os elementos constantes da prática da adoração vista no NT (cf. o princípio hermenêutico estudado na introdução a Atos). (2) O fato marcante da adoração no AT era o sistema sacrificial (ver Nm 28, 29). Uma vez que o sacrifício de CRISTO na cruz cumpriu esse sistema, já não há mais qualquer necessidade de derramamento de sangue como parte do culto cristão (ver Hb 9.1—10.18). Através da ordenança da Ceia do Senhor, a igreja do NT comemorava continuamente o sacrifício de CRISTO, efetuado de uma vez por todas (1Co 11.23-26). Além disso, a exortação que tem a igreja é oferecer “sempre, por ele, a DEUS sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome” (Hb 13.15), e a oferecer nossos corpos como “sacrifício vivo, santo e agradável a DEUS” (Rm 12.1). (3) Louvar a DEUS é essencial à adoração cristã. O louvor era um elemento-chave na adoração de Israel a DEUS (e.g., Sl 100.4; 106.1; 111.1; 113.1; 117), bem como na adoração cristã primitiva (At 2.46,47; 16.25; Rm 15.10,11; Hb 2.12). (4) Uma maneira autêntica de louvar a DEUS é cantar salmos, hinos e cânticos espirituais. O AT está repleto de exortações sobre como cantar ao Senhor (e.g., 1Cr 16.23; Sl 95.1; 96.1,2; 98.1,5,6; 100.1,2). Na ocasião do nascimento de JESUS , a totalidade das hostes celestiais irrompeu num cântico de louvor (Lc 2.13,14), e a igreja do NT era um povo que cantava (1Co 14.15; Ef 5.19; Cl 3.16; Tg 5.13). Os cânticos dos cristãos eram cantados, ou com a mente (i.e. num idioma humano conhecido) ou com o espírito (i.e., em línguas; ver 1Co 14.15). Em nenhuma circunstância os cânticos eram executados como passatempo. (5) Outro elemento importante na adoração é buscar a face de DEUS em oração. Os santos do AT comunicavam-se constantemente com DEUS através da oração (e.g. Gn 20.17; Nm 11.2; 1Sm 8.6; 2 Sm 7.27; Dn 9.3-19; cf. Tg 5.17,18). Os apóstolos oravam constantemente depois de JESUS subir ao céu (At 1.14), e a oração tornou-se parte regular da adoração cristã coletiva (At 2.42; 20.36; 1Ts 5.17). Essas orações eram, às vezes, por eles mesmos (At 4.24-30); outras vezes eram orações intercessórias por outras pessoas (e.g. At 12.5; Rm 15.30-32; Ef 6.18). Em todo tempo a oração do crente deve ser acompanhada de ações de graças a DEUS (Ef 5.20; Fp 4.6; Cl 3.15,17; 1Ts 5.17,18). Como o cântico, o orar podia ser feito em idioma humano conhecido, ou em línguas (1Co 14.13-15). (6) A confissão de pecados era sabidamente parte importante da adoração no AT. DEUS estabelecera o Dia da Expiação para os israelitas como uma ocasião para a confissão nacional de pecados (Lv 16). Salomão, na sua oração de dedicação do templo, reconheceu a importância da confissão (1Rs 8.30-36). Quando Esdras e Neemias verificaram até que ponto o povo de DEUS se afastara da sua lei, dirigiram toda a nação de Judá numa contrita oração pública de confissão (cap. 9). Assim, também, na oração do Pai nosso, JESUS ensina os crentes a pedirem perdão dos pecados (Mt 6.12). Tiago ensina os crentes a confessar seus pecados uns aos outros (Tg 5.16); através da confissão sincera, recebemos a certeza do gracioso perdão divino (1Jo 1.9). (7) A adoração deve também incluir a leitura em conjunto das Escrituras e a sua fiel exposição. Nos tempos do AT, DEUS ordenou que, cada sétimo ano, na festa dos Tabernáculos, todos os israelitas se reunissem para a leitura pública da lei de Moisés (Dt 31.9-13). O exemplo mais patente desse elemento do culto no AT, surgiu no tempo de Esdras e Neemias (8.1-12). A leitura das Escrituras passou a ser uma parte regular do culto da sinagoga no sábado (ver Lc 4.16-19; At 13.15). Semelhantemente, quando os crentes do NT reuniam-se para o culto, também ouviam a leitura da Palavra de DEUS (1Tm 4.13; cf. Cl 4.16; 1Ts 5.27) juntamente com ensinamento, pregação e exortação baseados nela (1Tm 4.13; 2Tm 4.2; cf. At 19.8-10; 20.7).(8) Sempre quando o povo de DEUS se reunia na Casa do Senhor, todos deviam trazer seus dízimos e ofertas (Sl 96.8; Ml 3.10). Semelhantemente, Paulo escreveu aos cristãos de Corinto, no tocante à coleta em favor da igreja de Jerusalém: “No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade” (1Co 16.2). A verdadeira adoração a DEUS deve, portanto ensejar uma oportunidade para apresentarmos ao Senhor os nossos dízimos e ofertas. (9) Algo singular no culto da igreja do NT era a atuação do ESPÍRITO SANTO e das suas manifestações. Entre essas manifestações do ESPÍRITO na congregação do Senhor havia a palavra da sabedoria, a palavra do conhecimento, manifestações especiais de fé, dons de curas, poderes miraculosos, profecia, discernimento de espíritos, falar em línguas e a interpretação de línguas (1Co 12.7-10). O caráter carismático do culto cristão primitivo vem, também, descrito nas cartas de Paulo: “Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação” (1Co 14.26). Na primeira epístola aos coríntios, Paulo expõe princípios normativos da adoração deles (ver 1Co 14.1-33). O princípio dominante para o exercício de qualquer dom do ESPÍRITO SANTO durante o culto é o fortalecimento e a edificação da congregação inteira (1Co 12.7; 14.26). (10) O outro elemento excepcional na adoração segundo o NT era a prática das ordenanças — o batismo e a Ceia do Senhor. A Ceia do Senhor (ou o “partir do pão”, ver At 2.42) parece que era observada diariamente entre os crentes logo depois do Pentecostes (At 2.46,47), e, posteriormente, pelo menos uma vez por semana (At 20.7,11). O batismo conforme a ordem de CRISTO (Mt 28.19,20) ocorria sempre que havia conversões e novas pessoas ingressavam na igreja (At 2.41; 8.12; 9.18; 10.48; 16.30-33; 19.1-5). AS BÊNÇÃOS DE DEUS PARA OS VERDADEIROS ADORADORES. Quando os crentes verdadeiramente adoram a DEUS, muitas bênçãos lhes estão reservadas por Ele. Por exemplo, Ele promete(1) que estará com eles (Mt 18.20), e que entrará e ceará com eles (Ap 3.20); (2) que envolverá o seu povo com a sua glória (cf. Êx 40.35; 2Cr 7.1; 1Pe 4.14); (3) que abençoará o seu povo com chuvas de bênçãos (Ez 34.26), especialmente com a paz (Sl 29.11); (4) que concederá fartura de alegria (Sl 122.1,2; Lc 15.7,10; Jo 15.11); (5) que responderá às orações dos que oram com fé sincera (Mc 11.24; Tg 5.15); (6) que encherá de novo o seu povo com o ESPÍRITO SANTO e com ousadia (At 4.31); (7) que enviará manifestações do ESPÍRITO SANTO entre o seu povo (1Co 12.7-13); (8) que guiará o seu povo em toda a verdade através do ESPÍRITO SANTO (Jo 15.26; 16.13); (9) que santificará o seu povo pela sua Palavra e pelo seu ESPÍRITO (Jo 17.17-19); (10) que consolará, animará e fortalecerá seu povo (Is 40.1; 1Co 14.26;2Co 1.3,4; 1Ts 5.11); (11) que convencerá o povo do pecado, da justiça e do juízo por meio do ESPÍRITO SANTO (ver Jo 16.8); e (12) que salvará os pecadores presentes no culto de adoração, sob a convicção do ESPÍRITO SANTO (1Co 14.22-25). EMPECILHOS À VERDADEIRA ADORAÇÃO. O simples fato de pessoas se dizendo crentes realizarem um culto, não é nenhuma garantia de que haja aí verdadeira adoração, nem que DEUS aceite seu louvor e ouça suas orações. (1) Se a adoração a DEUS é mera formalidade, somente externa, e se o coração do povo de DEUS está longe dEle, tal adoração não será aceita por Ele. CRISTO repreendeu severamente os fariseus por sua hipocrisia; eles observavam a lei de DEUS por legalismo, enquanto seus corações estavam longe dEle (Mt 15.7-9; 23.23-28; Mc 7.5-7). Note a censura semelhante que Ele dirigiu à igreja de Éfeso, que adorava o Senhor mas já não o amava plenamente (Ap 2.1-5). (2) Outro impedimento à verdadeira adoração é um modo de vida comprometido com o mundanismo, pecado e imoralidade. DEUS recusou os sacrifícios do rei Saul porque este desobedeceu ao seu mandamento (1Sm 15.1-23). Isaías repreendeu severamente o povo de DEUS como “nação pecadora... povo carregado da iniqüidade da semente de malignos” (Is 1.4); ao mesmo tempo, porém esse mesmo povo oferecia sacrifícios a DEUS e comemorava seus dias santos. Por isso, o Senhor declarou através de Isaías: “As vossas festas da lua nova, e as vossas solenidades, as aborrece a minha alma; já me são pesadas; já estou cansado de as sofrer. Pelo que, quando estendeis as mãos, escondo de vós os olhos; sim, quando multiplicais as vossas orações, não as ouço, porque as vossas mãos estão cheias de sangue” (Is 1.14,15). Semelhantemente, na igreja do NT, JESUS conclamou os adoradores em Sardes a se despertarem, porque “não achei as tuas obras perfeitas diante de DEUS” (Ap 3.2). Da mesma maneira, Tiago indica que DEUS não atenderá as orações egoístas daqueles que não se separam do mundo (Tg 4.1-5). O povo de DEUS só pode ter certeza que DEUS estará presente à sua adoração e a aceitará, quando esse povo tiver mãos limpas e coração puro (Sl 24.3,4; Tg 4.8). Observações: - Caim ofereceu sacrifício inferior ao de seu irmão Abel, pois Abel ofereceu sua própria vida a DEUS (verdadeira adoração requerida por DEUS), tipificada no cordeiro que foi imolado e derramado o seu sangue; antítipo de CRISTO.(Gn 4.2-5;Hb 11.4) - Abraão por já ser velho não poderia oferecer sua vida, pois pouco lhe restava para viver aqui na terra, por isso DEUS lhe pediu uma vida mais preciosa, a de seu filho amado que já estava começando a ocupar o lugar que só era de DEUS, no coração do velho patriarca. Pela fé Abraão ofereceu seu filho. - Moisés ofereceu sua vida quando deixou os seus 40anos de orgulho de ser filho da filha de um faraó e passar a ser pastor de ovelhas por mais 40 anos e depois passar mais 40 anos dirigindo o povo de DEUS pelo deserto, inclusive passando pelo Mar Vermelho, símbolo de batismo nas águas (morte). Se tivéssemos espaço e tempo falaríamos de tantos outros que entregaram a DEUS o melhor da adoração, suas próprias vidas. Hb 11.4 - Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho das suas oferendas, e por meio dela depois de morto, ainda fala. Hb 11.5- Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte; e não foi achado, porque Deus o trasladara; pois antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus. Hb 11.17- Pela fé Abraão, sendo provado, ofereceu Isaque; sim, ia oferecendo o seu unigênito aquele que recebera as promessas, Hb 11.24- Pela fé Moisés, sendo já homem, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, Hb 11.35- As mulheres receberam pela ressurreição os seus mortos; uns foram torturados, não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma melhor ressurreição; 36 e outros experimentaram escárnios e açoites, e ainda cadeias e prisões. 37 Foram apedrejados e tentados; foram serrados ao meio; morreram ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, aflitos e maltratados 38 (dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos e montes, e pelas covas e cavernas da terra. ELES PRESTARAM UM VERDADEIRO E SUBLIME CULTO A DEUS. E NÓS? RESUMO DA LIÇÃO 5 A SUBLIMIDADE DO CULTO CRISTÃO Palavra Chave: Culto: Adoração ou homenagem reverente que se presta a DEUS.I. O QUE É O CULTO CRISTÃO 1. Definição etimológica. 2. Definição teológica. II. OBJETIVOS DO CULTO PÚBLICO CRISTÃO 1. Levar-nos a reconhecer a DEUS como o nosso Criador e Mantenedor de tudo quanto existe. 2. Instigar-nos a agradecer a DEUS como o nosso Salvador através de CRISTO. 3. Constranger-nos a nos humilhar diante de DEUS como aquEle que, sempre presto, nos perdoa as iniqüidades. 4. Estimular-nos a nos alegrarmos diante de DEUS como aquEle que nos cura todas as enfermidades e que nos enche de benignidades. III. O CULTO PARTICULAR E DOMÉSTICO A DEUS 1. O que é o culto particular a DEUS. 2. O culto doméstico. IV. COMPONENTES DO CULTO CRISTÃO 1. Aos coríntios. 2. Aos colossenses. 3. Aos efésios. 4. Elementos do culto cristão. V. ATITUDES NO CULTO CRISTÃO 1. Reverência e profundo temor. 2. Alegria e regozijo. 3. Predisposição e discernimento espirituais. 4. ESPÍRITO de oração e súplicas. 5. ESPÍRITO de louvor e cânticos. CONCLUSÃO Tem você cultuado a DEUS na beleza de sua santidade, como a Bíblia o requer? ---------------------------------------------------------------------------------- QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 5 - A SUBLIMIDADE DO CULTO CRISTÃO RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD 2º TRIMESTRE DE 2008 TEXTO ÁUREO 1- Complete: "Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ___________________, cada um de vós tem ________________, tem doutrina, tem _________________________, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação" (1 Co 14.26). VERDADE PRÁTICA 2- Complete: Cultuar a ______________________ é uma ________________________ que, em nossa vida, deve traduzir-se em _____________________ espiritual. INTRODUÇÃO 3- Segundo as palavras de Agostinho, complete: "Quantas _______________________ verti de profunda comoção, ao mavioso ressoar de teus ______________________ e cânticos em tua igreja! Aquelas vozes penetravam nos meus ouvidos e destilavam a verdade em meu coração, inflamando-o de doce _________________________, enquanto corria meu pranto e eu sentia um grande bem-estar". I. O QUE É O CULTO CRISTÃO 4- Qual a definição etimológica da palavra culto? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) A palavra culto é originária do vocábulo latino "culto", e significa adoração ou homenagem que se presta ao Supremo Ser. ( ) No grego, duas palavras para culto: "latreia", significando adoração; e: "proskyneo", reverenciar, prestar obediência, render homenagem. 5- Qual a definição teológica de culto? ( ) É o momento da adoração que tributamos a Deus. ( ) Marca o encontro do Supremo Ser com os seus adoradores. II. OBJETIVOS DO CULTO PÚBLICO CRISTÃO 6- Complete segundo o reformador francês João Calvino: "O __primeiro ________________________ da ___________________ é, sem dúvida, a ___________________________ a Deus". 7- Quais são os objetivos do culto público cristão? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Levar-nos a reconhecer a Deus como o nosso Criador e Mantenedor de tudo quanto existe. ( ) Instigar-nos a agradecer a Deus como o nosso Salvador através de Cristo. ( ) Constranger-nos a nos humilhar diante de Deus como aquEle que, sempre presto, nos perdoa as iniqüidades. ( ) Estimular-nos a nos alegrarmos diante de Deus como aquEle que nos cura todas as enfermidades e que nos enche de benignidades. III. O CULTO PARTICULAR E DOMÉSTICO A DEUS8- O que é o culto particular a Deus? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) É o meio de que dispomos para manter a nossa comunhão com o Salvador. ( ) É o meio de que dispomos para vivermos uma existência repleta de regozijo espiritual. 9- O que é o culto doméstico? ( ) É a reunião da família que, unida, cultua a Deus, quer seja na bonança ou nos temporais. 10- Quais elementos devemos manter em nossas devoções particulares e domésticas? ( ) Oração, jejum, cânticos e leitura da Palavra de Deus com rápidos comentários. IV. COMPONENTES DO CULTO CRISTÃO 11- Como era a liturgia da Igreja Primitiva? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Ao contrário do culto levítico, era simples e pentecostal. ( ) Os dons espirituais faziam parte dos serviços. ( ) Não se estranhava quando alguém manifestava-se noutras línguas. ( ) Eram as línguas interpretadas, exortando, consolando, edificando os fiéis, e descobrindo os corações aos incrédulos. 12- Como o apóstolo Paulo, escrevendo aos Coríntios, aos Colossenses e aos Efésios, refere-se aos elementos que acompanhavam o culto da Igreja Primitiva? Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda: Aos colossenses. Realça ele os cânticos na adoração cristã: "Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração" Aos coríntios. Mostra o apóstolo que a liturgia é um eficiente meio da graça para enlevar a espiritualidade. Aos efésios. Deixa Paulo bem patente que os atos litúrgicos devem ser usados para a edificação: "Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação" 13- Quais são os elementos do culto cristão? ( ) Doutrina, revelação, línguas estranhas e interpretação, salmos, hinos, cânticos espirituais e ações de graças. V. ATITUDES NO CULTO CRISTÃO 14- Cite algumas coisas a serem observadas quando entrarmos na Casa de Deus para cultuá-Lo: Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Reverência e profundo temor. ( ) Alegria e regozijo ( ) Predisposição e discernimento espirituais ( ) Espírito de oração e súplicas ( ) Espírito de louvor e cânticos 15- Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda, quanto às atitudes a serem observadas em um culto a DEUS: Espírito de oração e súplicas. "Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor!" (Sl 122.1). Espírito de louvor e cânticos Aflita, a mãe do profeta Samuel entrou na casa do Senhor e, ali, derramou a sua alma: "Ela [Ana], pois, com amargura de alma, orou ao Senhor e chorou abundantemente" (1 Sm 1.10). Alegria e regozijo. "Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios, com hinos de louvor; rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome" (Sl 100.4). Reverência e profundo temor. Acordado, pois, Jacó do seu sono, disse: Na verdade o Senhor está neste lugar, e eu não o sabia. E temeu e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a Casa de Deus; e esta é a porta dos céus" (Gn 28.16,17). Predisposição e discernimento espirituais. "Guarda o teu pé, quando entrares na Casa de Deus; e inclina-te mais a ouvir do que a oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal" (Ec 5.1 CONCLUSÃO 16- Tem você cultuado a Deus na beleza de sua santidade, como a Bíblia o requer? ( ) Sim. ( ) Não. ( ) Vou mudar minha maneira de cultuar a DEUS, a partir de hoje. ---------------------------------------------------------------------------------- AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO Subsídio Devocional "O culto em Três Dimensões Um adjetivo chave, usado com freqüência no Novo Testamento para descrever os atos apropriados de culto é a palavra aceitável. Todo adorador procura ofertar o que seja aceitável. As Escrituras especificam pelo menos três categorias de culto aceitável. A dimensão externa. Primeiro, a maneira de nos comportarmos com os outros pode refletir o culto. Romanos 14.18 afirma: 'Porque quem nisto serve [latreuo] a CRISTO agradável [aceitável] é a DEUS'. Qual é a oferta aceitável a DEUS? O contexto revela que é ser sensível ao irmão mais fraco (v.13). Tratar companheiros cristãos com a devida sensibilidade é um culto aceitável.A dimensão interior. Uma segunda categoria de culto envolve comportamento pessoal. Efésios 5.8-10 afirma: 'Andai como filhos da luz (pois o fruto do ESPÍRITO está em toda bondade, justiça e verdade), aprovando o que é agradável ao Senhor'. A palavra agradável vem de uma palavra grega que significa 'aceitável'. Nesse contexto, Paulo refere-se à bondade, à justiça e à verdade, dizendo claramente que fazer o bem é um ato aceitável de culto a DEUS (1 Tm 2.2,3).A dimensão superior. O culto afeta todo o relacionamento com DEUS. Hebreus 13.15,16 resume maravilhosamente esta dimensão superior [...]" "Por ele, pois, ofereçamos sempre a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome. Mas não vos esqueçais de fazer o bem e de repartir com outros, porque com tais sacrifícios Deus se agrada". (MACARTHUR JR. J. Ministério pastoral. 4.ed., Rio de Janeiro: CPAD, 2004, pp.254-5.) SINOPSE DO TÓPICO (1): O culto, do grego latréia e proskyneo, é o momento através do qual os filhos de DEUS adoram a DEUS em espírito e em verdade. Literalmente quer dizer: adorar e reverenciar a DEUS. SINOPSE DO TÓPICO (2): Os principais objetivos do culto público são: reconhecer a DEUS como o Criador e Mantenedor de todas as coisas; instigar à gratidão e à rendição a DEUS; proporcionar alegria espiritual. SINOPSE DO TÓPICO (3): O culto particular a DEUS, ou doméstico, é o meio de que o crente dispõe para manter, juntamente com toda a família, comunhão com nosso Senhor JESUS CRISTO. SINOPSE DO TÓPICO (4): Os elementos que compõem o culto cristão estão expressos em várias passagens do Novo Testamento, entre os quais se destacam: doutrina, revelação, línguas estranhas e interpretação, salmos, hinos, cânticos espirituais e ações de graças. SINOPSE DO TÓPICO (5): As principais atitudes do adorador são: reverência e profundo temor, alegria e regozijo, predisposição e discernimento espiritual, espírito de oração, súplicas e de louvor. REFLEXÃO: "A disciplina da devoção deve culminar em sublime adoração e louvor. Isto começa com o devido senso de temor na presença do DEUS que conhecemos e servimos." (R. Kent Hughes) BIBLIOGRAFIA SUGERIDA KESSLER, N. O culto e suas formas. RJ: CPAD, 2007. MACARTHUR JR. J. Ministério pastoral. 4.ed., RJ: CPAD, 2004. TAYLOR, K.N. Culto doméstico para crianças. RJ: CPAD, 2002. SAIBA MAIS - Revista Ensinador Cristão, CPAD, no 34, p.38. Ajuda: CPAD - www.cpad.com.br - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.www.escoladominical.com.br - www.ebdweb.com.br http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm (VÍDEOS da EBD na TV)BÍBLIA ILUMINA EM CD - Bíblia de Estudo NVI EM CD - Bíblia Thompson EM CD.Nosso novo endereço: http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/
LIÇÃO 4 - A LEITURA DEVOCIONAL DA BÍBLIA AS DISCIPLINAS DA VIDA CRISTÃ Trabalhando em busca da perfeição Comentarista: Pr. Claudionor de Andrade Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antônio Gilberto Complementos e Ajuda para professores e alunos: Ev. Luiz Henrique. QUESTIONÁRIO PARA RECEBER LEITURA BÍBLICA EM UM ANO PELO E-MAIL, VISITE http://www.leiturabiblica.com.br/  e por celular entre em http://www.leiturabiblica.com.br/celular.php TEXTO ÁUREO: "Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de DEUS seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra" (2 Tm 3.16,17). VERDADE PRÁTICA: A leitura da Bíblia é o nosso alimento cotidiano; não podemos passar sem ler e meditar na Palavra de DEUS. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: 2 Pedro 1.16-21. 16 Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor JESUS CRISTO, seguindo fábulas artificialmente compostas, mas nós mesmos vimos a sua majestade, 17 porquanto ele recebeu de DEUS Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido. 18 E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com ele no monte santo. 19 E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia esclareça, e a estrela da alva apareça em vosso coração, 20 sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação; 21 porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de DEUS falaram inspirados pelo ESPÍRITO SANTO.   1.19 MUI FIRME A PALAVRA DOS PROFETAS. Pedro contrasta as idéias humanistas com a Palavra de DEUS (v. 16). Ele atesta a origem divina das Escrituras e afirma que toda a profecia teve sua origem em DEUS, e não no ser humano (cf. v. 16). Assim, temos a certeza de que a mensagem de DEUS é infalível (não é passível de conter erros ou enganos) e inerrante (livre de erros, falsificação ou logro). A infalibilidade e a inerrância da Bíblia são inseparáveis, porque a inerrância é o resultado da infalibilidade da própria Palavra de DEUS. As Escrituras, na sua totalidade, são verdadeiras e fidedignas em todos os seus ensinos (2 Sm 23.2; Jr 1.7-9; 1 Co 14.37) 1.20 NENHUMA PROFECIA DA ESCRITURA. O significado é que nenhuma profecia das Escrituras veio das idéias, ou raciocínio do seu escritor, mas, sim, do ESPÍRITO SANTO. 1.21 OS HOMENS... DE DEUS FALARAM INSPIRADOS PELO ESPÍRITO SANTO. Pedro afirma a divina origem e autoridade das profecias da Escritura. Todos os crentes devem, de modo semelhante, manter um conceito firme e final da inspiração e autoridade das Sagradas Escrituras. Há várias razões para isso: (1) É a única maneira de ser fiel ao que JESUS CRISTO, os apóstolos e a própria Bíblia ensinam a respeito das Escrituras (ver Sl 119; Jo 5.47). (2) Sem uma convicção inabalável nas Sagradas Escrituras, a igreja fica sem alicerce autêntico e seguro para sua fé, sem certeza da salvação, sem valor moral absoluto, sem mensagem garantida para pregar, sem nenhuma certeza do batismo no ESPÍRITO SANTO e da operação de milagres e nenhuma esperança da volta iminente de JESUS CRISTO. (3) Sem uma convicção inabalável nas Sagradas Escrituras, os cristãos fiéis à Bíblia não têm nenhuma verdade absoluta e objetiva, baseada na autoridade do próprio DEUS, com a qual possam julgar e rejeitar os valores movediços deste mundo, as filosofias humanas e as práticas ímpias da cultura mundana (Sl 119.160). (4) Sem uma convicção inabalável nas Sagradas Escrituras, o cristão não tem condições de suportar as terríveis dificuldades dos últimos dias (ver 1 Ts 2.1-12; 1 Tm 4.1; 2 Tm 3.1). (5) Sem uma convicção inabalável nas Sagradas Escrituras, ficam enfraquecidas a plena autoridade e as doutrinas da Bíblia; em conseqüência disso, ela será substituída pela experiência religiosa subjetiva humana, ou pelo raciocínio independente e crítico, também humano (2.1-3). Testemunho Pessoal: Antes mesmo de conhecer a JESUS como meu Salvador e Senhor pessoal alcancei a graça de ganhar um Novo Testamento. Era meu sonho ler a Palavra de DEUS antes de morrer. Comi aquelas Palavras dizendo ao seu Autor: Não quero saber do jeito dos católicos e nem do jeito dos crentes, quero do Seu jeito. Foi assim que DEUS me resgatou. Foi me revelando seus mistérios, um deles o dízimo que comecei a entregar antes mesmo de me converter. Li todo o Novo Testamento e me apaixonei tanto pela Palavra de DEUS que comprei uma bíblia (a primeira era católica, cheia de imagens). Só depois é que fui aceitar a JESUS definitivamente como meu Salvador e Senhor. Aprendi então a fazer uma leitura devocional da Palavra de DEUS, procurando conhecer DEUS atravéz de sua mensagem escrita, que já não era apenas escrita naquele livro, mas escrita em meu coração. Em três meses li toda a bíblia, dada a minha fome. Hoje (18anos depois) já a li toda pelo menos 12 vezes para a honra e glória do Senhor JESUS. Que comida maravilhosa!!!!!!!!!!! Em minha casa, junto de minha família só almoçamos depois de lermos um capítulo da maravilhosa Palavra de DEUS. Experimente também desse Pão do céu. Assim você poderá ler a bíblia toda junto com sua família. Além disso não deixe de ler pelo menos um capítulo todo dia devocionalmente, ou seja, comendo do Maná ai armazenado. Leitura devocional é uma forma disciplinada de devoção e não mais um método de estudo bíblico, é uma “exegese contemplativa”. A leitura devocional: é leitura, meditação, oração e contemplação.A Bíblia, quando lida de maneira devocional, é um diálogo entre nós e DEUS, falamos a DEUS e ELE nos responde pela sua Palavra. As revelações vão saltando de encontro a nosso espírito e adquirimos uma intimidade com DEUS jamais imaginada. PARTE 1 O Pão da Vida Jo 6.35- E JESUS lhes disse: “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede”. DEUS na sua infinita sabedoria tem se revelado detalhista em seu plano de redenção, a ponto de trazer seu filho ao mundo através de uma virgem (Is 7.14), na cidade de Belém (Mq 5.2), cumprindo sua palavra nos mínimos detalhes, um exemplo disso é: Belém na língua hebraica é Bet-Léhem, que significa lugar onde se faz pão ou em nosso linguajar normal “padaria”; se nós pegarmos agora o versículo acima veremos o filho de DEUS, que nasceu num lugar chamado padaria dizendo: “Eu sou o pão da vida, aquele que vem a mim não terá fome...” Aleluia! Como nosso DEUS é maravilhoso!                          É importante notarmos também que em Ex 16.4 DEUS manda ao seu povo, no deserto, o maná (Mân no hebraico), para alimento do povo por quarenta anos (Jo 6.31); DEUS fez chover do céu, não nasceu da terra como alguns incrédulos dizem, mas a Bíblia enfatiza que desceu do céu comprovando que sua origem é divina, assim como o verdadeiro alimento espiritual veio do céu para saciar e sedentar a alma do homem, JESUS CRISTO a palavra que saiu da boca de DEUS (Mt 4.4); também lembramos de Nm 11.7,8 que orienta o povo a moer, cozer, amassar, triturar e fazer bolos, depois comer o maná; significa para nós que esta palavra é para ser lida, estudada, ouvida, entendida e absorvida por aquele que se aproxima de DEUS querendo aprender Dele e conhecê-lo melhor. Isto é como ruminar [o que o boi faz com o alimento, engole e depois volta para o “livro” (parte do estômago dos animais) para ser digerida toda vitamina, bem devagar]. É importante frisarmos ainda que o maná deveria ser recolhido todos os dias, menos no sábado que era o dia de descanso; assim também nós devemos nos alimentar da palavra de DEUS todos os dias de nossas vidas até que venha o descanso, ou seja, o arrebatamento e conseqüente encontro com o Senhor JESUS CRISTO, que é nosso descanso (Mt 11.28,29). O MANÁ João 6:32 Respondeu-lhes JESUS: Em verdade, em verdade vos digo: Não foi Moisés que vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu.1. Vinha do Céu. 2. Não havia outro alimento. Atos 4:12 3. Só veio naquele tempo. Hebreus 9:28 4. Foi provido por DEUS. Efésios 2:8 5. Era gratuito. Isaias 55:1 6. Era para todos. João 1:12 7. Era preciso a cooperação pessoal. João 1:39 8. Sustentava a vida. João 6:35 9. Era presente. Só podia ser encontrado no tempo marcado por DEUS. Isaias 55:6 10. Nunca falhava. Hebreus 7:25 11. Se alguém perecesse, era por sua própria culpa. João 5:40   Maná – JESUS – Palavra de DEUSÊx 16.31 O povo de Israel chamou maná àquele pão. Era branco como semente de coentro e tinha gosto de bolo de mel.  Nm 11.7 O maná era como semente de coentro e tinha aparência de resina Branco como nos tornamos ao sermos lavados no sangue de JESUS. Na primeira vez que o comemos a palavra de DEUS achamos gostoso como mel.   Êx 16.32 Disse Moisés: “O SENHOR ordenou-lhes que recolham um jarro de maná e que o guardem para as futuras gerações, para que vejam o pão que lhes dei no deserto, quando os tirei do Egito”.Recolher significa ler e guardar no coração, na mente, a Palavra de DEUS. Guardar para futuras gerações, significa que a família deve possuir uma bíblia para que todos tenham acesso à palavra de DEUS.   Êx 16.33 Então Moisés disse a Arão: “Ponha numa vasilha a medida de um jarro de maná, e coloque-a diante do SENHOR, para que seja conservado para as futuras gerações”.Significa que a Palavra de DEUS é para ser usada no julgamento de cada um e é eterna na presença de DEUS.   Êx 16.34 Em obediência ao que o SENHOR tinha ordenado a Moisés, Arão colocou o maná junto às tábuas da aliança, para ali ser guardado. Junto às tábuas da Aliança faz lembrar que a nova aliança em CRISTO é perpétua. Aliança esta feita na Palavra de DEUS.   Ex 16.35 Os israelitas comeram maná durante quarenta anos, até chegarem a uma terra habitável; comeram maná até chegarem às fronteiras de Canaã. Nos lembra de que para chegarmos à Canaã celestial temos que nos alimentar diariamente do maná celeste, a Palavra de DEUS – JESUS.  Nm 11.6 Mas agora perdemos o apetite; nunca vemos nada, a não ser este “maná”!Isso fala da falta de interesse em ler que vem depois de um período de satisfação na leitura, enquanto tudo era novidade.   Nm 11.8 O povo saía recolhendo o maná nas redondezas, e o moía num moinho manual ou socava-o num pilão; depois cozinhava o maná e com ele fazia bolos. Tinha gosto de bolo amassado com azeite de oliva. Recolhendo é igual a lendo, Moía é igual a estudar, Cozinhava é igual a meditar, Fazer bolos precisa de ingredientes; Significa procurar livros, dicionários, enciclopédias, tudo o que for possível para melhor assimilar a Palavra de DEUS.   Dt 8.3 Assim, ele os humilhou e os deixou passar fome. Mas depois os sustentou com maná, que nem vocês nem os seus antepassados conheciam, para mostrar-lhes que nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca do SENHOR. Maná é relacionado ao pão espiritual, Palavra que sai da boca de DEUS.   Sl 78.24 fez chover maná para que o povo comesse, deu-lhe o pão a dos céus. Jo 6.31 Os nossos antepassados comeram o maná no deserto; como está escrito: ‘Ele lhes deu a comer pãodos céus”.Novamente Maná relacionado com pão do céu, desceu do céu.   Jo 6.49 Os seus antepassados comeram o maná no deserto, mas morreram. Apesar de comerem do Maná vindo do céu, este Maná era material, comida material, não foram agradecidos, não se arrependeram de seus pecados, por isso morreram pelo deserto.   Jo 6.51 Este é o pão que desceu dos céus. Os antepassados de vocês comeram o maná e morreram, mas aquele que se alimenta deste pão viverá para sempre”.Este pão que agora é apresentado, é JESUS, o Pão Espiritual, alimento eterno, pão que dá vida, a Palavra viva de DEUS, o verbo divino.   Jo 6.51 Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Se alguém comer deste pão, viverá para sempre. Este pão é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo”.JESUS é o pão vivo, pão que dá vida eterna, este que por nós foi moído, foi triturado, sofreu e morreu na cruz pelos nossos pecados.   Ap 2.17 “Aquele que tem ouvidos ouça o que o ESPÍRITO diz às igrejas. Ao vencedor darei do maná escondido.Também lhe darei uma pedra branca com um novo nome nela inscrito, conhecido apenas por aquele que o recebe. A promessa para quem lê, ouve, ensina esta Palavra é o maná escondido dos pecadores, mas revelado aos salvos, é JESUS mesmo.    Maná - O Pão da Vida - JESUS                    JESUS como ‘O Verbo”  Jo 1.1- “No princípio era o verbo, e o verbo estava com DEUS, e o verbo era DEUS”.  Para compreender porque JESUS CRISTO é chamado de verbo, precisamos saber que uma frase para ser construída é necessário que haja um sujeito, um verbo e um complemento. DEUS é um ser triuno, ou seja, é PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO (Jo 3.13-17). Vamos aprender mais se construirmos uma frase, vejamos então:                                     DEUS salva o homem   D E U S S A L V A O H O M E M Sujeito verbo complemento O que ordena o que faz o resultado Idealizador realizador revelador PAI FILHO ESPÍRITO SANTO  Conclusão: DEUS PAI planejou a salvação do homem, DEUS FILHO morreu por nós na cruz do calvário, executando o plano de DEUS, DEUS ESPÍRITO SANTO revelou-nos esta salvação, convencendo-nos do pecado, da justiça e do juízo. Outra demonstração para fácil assimilação da trindade de DEUS é tomarmos como exemplo o sol: O sol em si representando o PAI, a ordem para fazer; A luz do sol representando o FILHO, o cumprimento da ordem; O calor do sol representando o ESPÍRITO SANTO, a revelação, o poder como resultado.  Palavra Chave: Leitura: Ato, efeito ou processo de compreender textos. PARTE 2 A PALAVRA DE DEUS Is 55.10,11 “Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia; antes, fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.” A NATUREZA DA PALAVRA DE DEUS.A expressão “a palavra de DEUS” (também “a palavra do Senhor”, ou simplesmente “a palavra”) possui várias aplicações na Bíblia.(1) Obviamente, refere-se, em primeiro lugar, a tudo quanto DEUS tem falado diretamente. Quando DEUS falou a Adão e Eva (e.g., Gn 2.16,17; Gn 3.9-19), o que Ele lhes disse era, de fato, a palavra de DEUS. De modo semelhante, Ele se dirigiu a Abraão (e.g., Gn 12.1-3), a Isaque (e.g., Gn 26.1-5), a Jacó (e.g., Gn 28.13-15) e a Moisés (e.g., Êx 3–4). DEUS também falou à totalidade da nação de Israel, no monte Sinai, ao proclamar-lhe os dez mandamentos (ver Êx 20.1-19). As palavras que os israelitas ouviram eram palavras de DEUS.(2) Além da fala direta, DEUS ainda falou através dos profetas. Quando eles se dirigiam ao povo de DEUS, assim introduziam as suas declarações: “Assim diz o Senhor”, ou “Veio a mim a palavra do Senhor”. Quando, portanto, os israelitas ouviam as palavras do profeta, ouviam, na verdade, a palavra de DEUS. (3) A mesma coisa pode ser dita a respeito do que os apóstolos falaram no NT. Embora não introduzissem suas palavras com a expressão “assim diz o Senhor”, o que falavam e proclamavam era, verdadeiramente, a palavra de DEUS. O sermão de Paulo ao povo de Antioquia da Pisídia (At 13.14-41), por exemplo, criou tamanha comoção que, “no sábado seguinte, ajuntou-se quase toda a cidade a ouvir a palavra de DEUS” (At 13.44). O próprio Paulo assegurou aos tessalonicenses que, “havendo recebido de nós a palavra da pregação de DEUS, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo é, na verdade) como palavra de DEUS” (1Ts 2.13; cf. At 8.25).(4) Além disso, tudo quanto JESUS falava era palavra de DEUS, pois Ele, antes de tudo, é DEUS (Jo 1.1,18; 10.30; 1Jo 5.20). Lucas, escritor do terceiro evangelho, declara explicitamente que, quando as pessoas ouviam a JESUS, ouviam na verdade a palavra de DEUS (Lc 5.1). Note como, em contraste com os profetas do AT, JESUS introduzia seus ditos: Eu “vos digo...” (e.g., Mt 5.18,20,22,23,32,39; 11.22,24; Mc 9.1; 10.15; Lc 10.12; 12.4; Jo 5.19; 6.26; 8.34). Noutras palavras, Ele tinha dentro de si mesmo a autoridade divina para falar a palavra de DEUS. É tão importante ouvir as palavras de JESUS, pois “quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em condenação” (Jo 5.24). JESUS, na realidade, está tão estreitamente identificado com a palavra de DEUS que é chamado “o Verbo” [“a Palavra”] (Jo 1.1,14; 1Jo 1.1; Ap 19.13-16; ver Jo 1.1).(5) A palavra de DEUS é o registro do que os profetas, apóstolos e JESUS falaram, i.e., a própria Bíblia. No NT, quer um escritor usasse a expressão “Moisés disse”, “Davi disse”, “o ESPÍRITO SANTO diz”, ou “DEUS diz”, nenhuma diferença fazia (ver At 3.22; Rm 10.5,19; Hb 3.7; 4.7); pois o que estava escrito na Bíblia era, sem dúvida alguma, a palavra de DEUS.(6) Mesmo não estando no mesmo nível das Escrituras, a proclamação feita pelos autênticos pregadores ou profetas, na igreja de hoje, pode ser chamada a palavra de DEUS. (a) Pedro indicou que, a palavra que seus leitores recebiam mediante a pregação, era palavra de DEUS (1Pe 1.25), e Paulo mandou Timóteo “pregar a Palavra” (2Tm 4.2). A pregação, porém, não pode existir independentemente da Palavra de DEUS. Na realidade, o teste para se determinar se a palavra de DEUS está sendo proclamada num sermão, ou mensagem, é se ela corresponde exatamente à Palavra de DEUS escrita.(b) O que se diz de uma pessoa que recebe uma profecia, ou revelação, no âmbito do culto de adoração (1Co 14.26-32)? Ela está recebendo, ou não, a palavra de DEUS? A resposta é um “sim”. Paulo assevera que semelhantes mensagens estão sujeitas à avaliação por outros profetas. Todavia, há a possibilidade de tais profecias não serem palavra de DEUS (ver 1Co 14.29). É somente em sentido secundário que os profetas, hoje, falam sob a inspiração do ESPÍRITO SANTO; sua revelação jamais deve ser elevada à categoria da inerrância (ver 1Co 14.31). O PODER DA PALAVRA DE DEUS.A palavra de DEUS permanece firme nos céus (Sl 119.89; Is 40.8; 1Pe 1.24,25). Não é, porém, estática; é dinâmica e poderosa (cf. Hb 4.12), pois realiza grandes coisas (55.11). (1) A palavra de DEUS é criadora. Segundo a narrativa da criação, as coisas vieram a existir à medida que DEUS falava a sua palavra (e.g., Gn 1.3,4,6,7,9). Tal fato é resumido pelo salmista: “Pela palavra do SENHOR foram feitos os céus” (Sl 33.6, 9); e pelo escritor aos Hebreus: “Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de DEUS, foram criados” (Hb 11.3; cf. 2Pe 3.5). De conformidade com João, a Palavra que DEUS usou para criar todas as coisas foi JESUS CRISTO (Jo 1.1-3).(2) A palavra de DEUS sustenta a criação. Nas palavras do escritor aos Hebreus, DEUS sustenta “todas as coisas pela palavra do seu poder” (Hb 1.3; ver também Sl 147.15-18). Assim como a palavra criadora, essa palavra relaciona-se com JESUS CRISTO segundo Paulo insiste: “todas as coisas subsistem por ele [JESUS]” (Cl 1.17).(3) A palavra de DEUS tem o poder de outorgar vida nova. Pedro testifica que nascemos de novo “pela palavra de DEUS, viva e que permanece para sempre” (1Pe 1.23; cf. 2 Tm 3.15; Tg 1.18). É por essa razão que o próprio JESUS é chamado o Verbo da vida (1Jo 1.1).(4) A palavra de DEUS também libera graça, poder e revelação, por meio dos quais os crentes crescem na fé e na sua dedicação a JESUS CRISTO. Isaías emprega um expressivo quadro verbal: assim como a água proveniente do céu faz as coisas crescerem, assim a palavra que sai da boca de DEUS nos leva a crescer espiritualmente (55.10,11). Pedro ecoa o mesmo pensamento ao escrever que, ao bebermos do leite puro da palavra de DEUS, crescemos em nossa salvação (1Pe 2.2). (5) A palavra de DEUS é a arma que o Senhor nos proveu para lutarmos contra Satanás (Ef 6.17; cf.Ap 19.13-15). JESUS derrotou Satanás, pois fazia uso da Palavra de DEUS: “Está escrito” (i.e., “consta como a Palavra infalível de DEUS”; cf. Lc 4.1-11; ver Mt 4.1-11).(6) Finalmente, a palavra de DEUS tem o poder de nos julgar. Os profetas do AT e os apóstolos do NT freqüentemente pronunciavam palavras de juízo recebidas do Senhor. O próprio JESUS assegurou que a sua palavra condenará os que o rejeitarem (Jo 12.48). E o autor aos Hebreus escreve que a poderosa palavra de DEUS julga “os pensamentos e intenções do coração” (ver Hb 4.12). Noutras palavras: os que optam por desconsiderar a palavra de DEUS, acabarão por experimentá-la como palavra de condenação. NOSSA ATITUDE ANTE A PALAVRA DE DEUS.A Bíblia descreve, em linguagem clara e inconfundível, como devemos proceder quanto a palavra de DEUS em suas diferentes expressões: (A) Devemos ansiar por ouvi-la (1.10; Jr 7.1,2; At 17.11) (B) Procurar compreendê-la (Mt 13.23). (C) Louvar, no Senhor, a palavra de DEUS (Sl 56.4,10), (D) Amá-la (Sl 119.47,113), (E) Dela fazer a nossa alegria e deleite (Sl 119.16,47). (F) Aceitar o que a palavra de DEUS diz (Mc 4.20; At 2.41; 1Ts 2.13), (G) Ocultá-la nas profundezas de nosso coração (Sl 119.11), (H) Confiar nela (Sl 119.42), (I) Colocar a nossa esperança em suas promessas (Sl 119.74,81,114; 130.5). (J) Obedecer ao que ela ordena (Sl 119.17,67; Tg 1.22-24) (K) Viver de acordo com seus ditames (Sl 119.9). DEUS conclama os que ministram a palavra (cf. 1Tm 5.17) a: (A) Manejá-la corretamente (2Tm 2.15), (B) Pregá-la fielmente (2Tm 4.2). Todos os crentes são convocados a proclamarem a palavra de DEUS por onde quer que forem (At 8.4). PARTE 3 Formação da Bíblia: "Cânon" - "kanon" Quando os escritores do Novo Testamento se referem "às Escrituras" entendem, quase sem exceção, as Escrituras Hebraicas. A única exceção que conheço é 2Pedro 3,15s., onde o escritor implica que "as escrituras" incluem as cartas de Paulo. O processo que culminou no reconhecimento oficial duma coleção de escritos sagrados cristãos a serem honrados ao longo das Escrituras Hebraicas era prolongado, durando mais que 300 anos. Esse processo está muitas vezes descrito como a formação do "Cânon do Novo Testamento". Entre os significados listados em dicionários do grego antigo para a palavra grega kanon encontramos os seguintes: uma vara reta, uma regra, régua, metaforicamente, uma regra, padrão. O processo de "canonizar" ou aceitar, como regra de fé, certos escritos cristãos foi estimulado por eventos tanto internos como de fora da Igreja. Segue abaixo numa leitura sugestiva da Bíblia toda, os nomes dos livros que formam a bíblia e seu tipo de revelação. Temos os livros Históricos, Poéticos, Proféticos e também o Novo Testamento com os evangelhos, as cartas e o Apocalipse (revelação). A Bíblia contém 66 livros escritos ao longo de 16 séculos, por cerca de 40 diferentes autores, nas mais diferentes condições e épocas. Ela é formada de dois testamentos: Antigo e Novo. O Antigo Testamento contém 39 livros assim classificados: Lei, História, Poesia e Profecia. O Novo Testamento contém 27 livros. Classificados em Biografia, História, Doutrina e Profecia. A Bíblia toda contém 1.189 capítulos, 929 no Antigo Testamento e 260 no Novo. A divisão da Bíblia em capítulos foi feita em 1250 d.c., por Hugo de Sanoto-Caro, abade dominicano e estudioso das escrituras. Estes capítulos estão divididos em 31.173 versículos, sendo que 23.214 estão no Antigo Testamento e 7.959 no novo. A divisão do Antigo Testamento em versículos foi feita em 1.445 Pelo rabi Mardoqueu Natã, e a do Novo Testamento em 1551 por Robert Stevens, um impressor de Paris. Os 66 livros da Bíblia não se acham agrupados pela ordem cronológica, e sim de acordo com o assunto a que pertencem. Segundo a tradição, Jó é o livro mais antigo da Bíblia, tendo a sua autoria atribuída a Moisés. O maior capítulo da Bíblia é o Salmo 119, e o menor, o Salmo 117. O maior versículo: Ester 8:9; o menor: Êxodo 20:13 (isto nas edições em português, exceto na chamada “Tradução Brasileira”). Os livros de Ester e Cantares não contêm a palavra “Deus”. Há na Bíblia 8 mil vezes a Palavra “Senhor”. O capítulo 19 de 2 Reis é idêntico ao 37 de Isaías. O primeiro livro a ser impresso o mundo foi a Bíblia, isto ocorreu em 1452, Em Mainz, Alemanha, por Guttemberg. As Bíblias de Edição católica-romana têm 73 livros,7 a mais que a Bíblia usada pelos evangélicos. Estes livros são chamados “Apócrifos”, que significa: “Espúrios”. São eles: Tobias,Sabedoria de Salomão, Eclesiástico, Baruque, 1 Macabeus, e 2 Macabeus e Judite. Sua aprovação pela igreja Romana de deu no Concílio de Trento em 1546.   PARTE 4 A BÍBLIA NO CULTO DOMÉSTICOO culto doméstico tem a vantagem, dentre outras, de dar à Bíblia a primazia que ela merece dentro da família. Deste modo ela vem a tornar-se num canal de bênçãos para todos os membros da família.l. Guia para o pai. O pai de família, de acordo com a Bíblia, é também sacerdote e profeta em benefício da sua casa. Como sacerdote e profeta, ele tem o dever de conduzir os seus filhos a uma perfeita e maior comunhão com Deus. Deve dar aos filhos a visão adequada da pessoa do Deus da Bíblia. Deve interceder sempre em benefício de to- dos eles, a fim de que sejam conservados irrepreensíveis, e o Senhor lhes perdoe pecados por acaso co- metidos. Jó foi um especial exemplo neste particular, e a forma como agia nestas circunstâncias, se constitui num modelo para o pai de família hoje (Jó 1.4,5). Para encontrar na Bíblia a orientação necessária à sua família, o pai deve cultivar o hábito da leitura e meditação diárias na Palavra de Deus. Só assim ele terá como conduzir a sua família em segurança.2. Instrução para os fílhos (Pv 22.6). Paulo atribui a fé não fingida de Timóteo à ação piedosa da sua avó Lóide e de sua mãe Eunice, que lhe ensinaram, desde a infância, "as sagradas letras" capazes de fazê-lo "sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus" (2 Tm 1.5;3.15). Quando o meu filho caçula completou seis anos, ele teve a iniciativa de me pedir de presente uma bola de futebol. Perguntei-lhe: "Meu filho, do que mais o Brasil está precisando: de jogadores de futebol ou de pregadores do Evangelho?" Ele respondeu: "De pregadores". - "Então eu vou lhe dar um Novo Testamento." Adquiri um Novo Testamento e lhe dei de presente. 3. Conforto para a mãe. Nenhum trabalho de rotina é levado a efeito ao longo de tanto tempo, quanto aquele que envolve as responsabilidades domésticas duma mãe de família. Na verdade, se não fosse o obstinado amor que ela demonstra ao executá-las, se tornaria uma carga demasiadamente enfadonha para conduzir. A esposa e mãe cristã, leva grande vantagem sobre as demais mulheres, pela compreensão que tem acerca da vontade de Deus para com a sua vi- da. Esta compreensão decorre, evidentemente, da sua comunhão com a Palavra de Deus. É na leitura e meditação diárias da Bíblia que ela encontra força para vencer as lutas, e conforto para superar as frustrações dos sonhos não realizados na sua vida como mulher, esposa e mãe. Se permitirmos que a Palavra de Deus molde a nossa família, sem dúvida poderemos partilhar da felicidade de Josué, e assim como ele dizer: "...eu e a minha casa serviremos ao Senhor" (Js 24.15). PARTE 5 COMO ESTUDAR A BÍBLIA Como a divina e inspirada Palavra de DEUS, a Bíblia é um livro singular, do qual maior proveito tirará aquele que melhor souber estudá-lo. E é exatamente com o propósito de ajudá-lo a tirar o máximo de provei- to do estudo da Bíblia que lhe da- mos os cinco passos seguintes a serem seguidos: l1. Leia a Bíblia conhecendo o seu Autor. Isto é de suprema importância. É a melhor maneira de estudar a Bíblia. Ela é o único livro cujo Autor está presente quando o lemos. O autor de um livro pode explicá-lo como ninguém. A Bíblia é um livro fácil e ao mesmo tempo difícil; simples e ao mesmo tempo complexo. Não basta ler suas palavras e analisar detidamente suas declarações. É preciso conhecer e amar a DEUS, o seu Autor. 2. Leia a Bíblia diariamente (Dt 17.19). Esta regra é excelente. É estimado que 90% dos crentes não lêem a Bíblia diariamente; portanto não é de admirar haver tantos deles frios e infrutíferos no testemunho e no serviço cristão. Mais do que isto: são anãos, raquíticos, mundanos, carnais e indiferentes, nervosos e iracundos. Não basta assistir aos cultos, ou- vir sermões e testemunhos, assistir estudos bíblicos, e ler boas obras de literatura cristã. É preciso ler a Bíblia individualmente. Há crentes que só comem espiritualmente quando lhe dão comida na boca. É a colher do pastor, do professor da Es- cola Dominical, etc. Se ninguém lhe der comida, ele morrerá de inanição espiritual. 3. Leia a Bíblia com a melhor atitude. Ler a Bíblia com a melhor atitude mental e espiritual é de capital importância para o êxito no es- tudo bíblico. A atitude correia é a seguinte: a. Estudar a Bíblia como a Palavra de DEUS, e não como uma obra literária qualquer. b. Estudar a Bíblia com o coração e em atitude devocional, e não apenas com o intelecto. 4. Leia a Bíblia meditando. As- sim têm feito os servos de DEUS no passado, a exemplo de Davi (SI 119.15,16), Daniel (Dn 9.2-4). O caminho ainda é o mesmo. Na presença do Senhor, em oração, as coisas incompreensíveis são esclarecidas (SI 73.16,17). A meditação aprofunda o sentido. Muitos lêem a Bíblia para estabelecer recorde de leitura somente. Ao leres a Bíblia, aplica-a primeiro a ti próprio, senão não ha- verá virtude nenhuma. 5. Leia a Bíblia toda. Há uma riqueza insondável nisso! É a única maneira de conhecermos a verdade completa dos assuntos tratados na Bíblia, visto que a revelação de DEUS mediante ela é progressiva. Como o irmão pensa compreender um livro que nem sequer leu ainda? Podemos ler a Bíblia toda, porém jamais a compreenderemos toda. Sendo a Palavra de DEUS ela é infinita. Mesmo as mentes mais férteis do mundo são incapazes de abarcá-la completamente. Não há no mundo ninguém capaz de. esgotar ou dissecar a Bíblia. RESUMO DA LIÇÃO 4 A LEITURA DEVOCIONAL DA BÍBLIA Palavra Chave: Leitura: Ato, efeito ou processo de compreender textos. I. O QUE É A BÍBLIA 1. Definição. 2. A posição liberal. 3. A posição neo-ortodoxa. 4. A posição ortodoxa. II. AS GRANDES REIVINDICAÇÕES DA BÍBLIA 1. A inspiração da Bíblia. 2. A inerrância da Bíblia. 3. A infalibilidade da Bíblia. 4. A soberania da Bíblia. 5. Completude da Bíblia. III. COMO LER A BÍBLIA 1. Amar a Bíblia. 2. Ter fome da Bíblia. 3. Guardar a Bíblia no coração. 4. Falar continuamente das grandezas singulares da Bíblia. IV. OS EFEITOS DA BÍBLIA EM NOSSA VIDA Quanto mais lermos a Bíblia, mais sábios nos tornaremos. 1. A Bíblia dá-nos sabedoria. 2. A Bíblia dá-nos a orientação segura. 3. A Bíblia dá-nos o necessário consolo. 4. A Bíblia dá-nos a provisão de salvação. 5. A Bíblia leva-nos ao lar celeste. CONCLUSÃO Tem você lido regularmente a Bíblia? ------------------------------------------------------- QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 4 - A LEITURA DEVOCIONAL DA BÍBLIA RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 2º TRIMESTRE DE 2008 TEXTO ÁUREO: 1- Complete: "Toda Escritura divinamente ________________________ é proveitosa para ________________________, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de DEUS seja perfeito e perfeitamente instruído para toda ______________________ obra" (2 Tm 3.16,17). VERDADE PRÁTICA: 2- Complete: A leitura da Bíblia é o nosso ______________________ cotidiano; não podemos passar sem ________________________ e _____________________ na Palavra de DEUS. I. O QUE É A BÍBLIA 3- O que é a Bíblia? Coloque "X" na resposta Correta: ( ) É a expirada e inerrante Palavra de DEUS. ( ) É a inspirada e errante Palavra de DEUS. ( ) É a inspirada e inerrante Palavra de DEUS. 4- Qual a posição liberal sobre a Bíblia? Coloque V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) A Bíblia apenas contém palavras de DEUS, mas não é a Palavra de DEUS.( ) A Bíblia não é nem contém a Palavra de DEUS; não passa de um livro qualquer. ( ) A Bíblia torna-se a Palavra de DEUS à medida que, alguém, ao lê-la, tem um encontro experimental com o Senhor JESUS. 5- Qual a posição neo-ortodoxa sobre a Bíblia? Coloque V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) A Bíblia torna-se a Palavra de DEUS à medida que, alguém, ao lê-la, tem um encontro experimental com o Senhor JESUS.( ) Quer o leitor da Bíblia curve-se quer não se curve ante os arcanos divinos, continuará a Bíblia a ser a Palavra de DEUS. ( ) A Bíblia apenas contém palavras de DEUS, mas não é a Palavra de DEUS. 6- Qual a posição ortodoxa sobre a Bíblia? Coloque V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) A Bíblia torna-se a Palavra de DEUS à medida que, alguém, ao lê-la, tem um encontro experimental com o Senhor JESUS.( ) A Bíblia é, de fato, a Palavra de DEUS. ( ) É a Palavra de DEUS. ( ) Ela é e sempre será a Palavra de DEUS. II. AS GRANDES REIVINDICAÇÕES DA BÍBLIA 7- Quais as grandes reivindicações da Bíblia Sagrada? Coloque "X" na resposta Correta: ( ) Sua verbalização, inerrância, infalibilidade, soberania e completitude. ( ) Sua proclamação, inerrância, falibilidade, soberania e completude. ( ) Sua inspiração, inerrância, infalibilidade, soberania e completude. 8- Como é a inspiração da Bíblia? Coloque V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Tanto é comum como vulgar. ( ) É singular e única. ( ) Inspirada pelo ESPÍRITO SANTO. ( ) Inspirada pelo homem. ( ) As Escrituras mesmas reconhecem sua divina inspiração. ( ) Não é comum nem vulgar. 9- Como é a inerrância da Bíblia? Coloque V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) A Bíblia acha-se em termos absolutos e infinitos. ( ) A Bíblia acha-se isenta de erros. ( ) Contém pequenos erros, sem importância. ( ) Nela, não encontramos a mínima inexatidão quer histórica, quer geográfica, seja teológica seja doutrinária. ( ) A Bíblia acha-se em termos absurdos e finitos. 10- Como é a infalibilidade da Bíblia? Coloque V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Tudo o que o Senhor prometeu-nos, em sua Palavra, cumpre-se absolutamente. ( ) Acha-se falível desde que os homens a traduziram. ( ) A infalibilidade da Bíblia são incontestáveis (Dt 18.22; 1 Sm 3.19; Mc 13.31; At 1.3). 11- Como é a soberania da Bíblia? Coloque V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Como a Bíblia só as constituições se comparam a seu poder e soberania. ( ) Confessamos ser a Bíblia a autoridade suprema em matéria de fé e prática. ( ) A Bíblia encontra-se acima das tradições e primados humanos. ( ) Somente as constituições dos países estão acima da bíblia. ( ) A Bíblia é a inquestionável e absoluta Palavra de DEUS. 12- Como é a Completude da Bíblia? Coloque V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) O Apocalipse encerrou, definitiva e irrecorrivelmente, o cânon da Bíblia Sagrada. ( ) Somente algumas raras profecias atuais podem ser incluídas na Bíblia sem nenhuma perda. ( ) Nenhuma subtração, ou adição, está autorizada à Palavra de DEUS (Ap 22.18-21). ( ) Não se admite quaisquer escrituras, profecias, sonhos ou visões que, arrogando-se palavra de DEUS, reivindique autoridade semelhante ou superior a Bíblia. ( ) Poderíamos acrescentar algumas práticas e doutrinas da igreja neo-pentecostal a ela, sem qualquer prejuízo. III. COMO LER A BÍBLIA 13- Complete: Afirmou com muita precisão o teólogo __________________________ Anstey: "A qualificação mais importante exigida do leitor da Bíblia não é a __________________________, mas sim a rendição; não a ____________________________, mas a disposição de ser guiado pelo ESPÍRITO de DEUS". 14- Complete segundo o Amar a Bíblia: Nossa primeira atitude em relação à Bíblia é amá-la como a _________________________ Palavra de DEUS. Declara o salmista todo o seu amor às Escrituras: "Oh! Quanto ____________________ a tua lei! É a minha meditação em todo o _______________________" (Sl 119.97). 15- Complete segundo o Ter fome da Bíblia: Se tivermos ____________________ pela Bíblia, haveremos de ________________________ todos os dias. Se é penoso passar sem o pão de cada dia, como privar-se do alimento que nos vem diretamente do ESPÍRITO de DEUS - as Sagradas Escrituras? O profeta Ezequiel, tão logo encontra a Palavra de DEUS, ______________________________(Ez 3.3). 16- Complete segundo o Guardar a Bíblia no coração: "Escondi a tua _______________________ no meu ________________________, para eu não ______________________ contra ti" (Sl 119.11). 17- Complete segundo o Falar continuamente das grandezas singulares da Bíblia: "Estas ______________________________ que hoje te ordeno estarão no teu coração; e as intimarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te. Também as atarás por ______________________ na tua mão, e te serão por testeiras entre os teus olhos. E as _____________________________ nos umbrais de tua casa e nas tuas portas" (Dt 6.6-9). IV. OS EFEITOS DA BÍBLIA EM NOSSA VIDA 18- O que acontecerá conosco à medida que mais e mais lermos a Bíblia? Coloque V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Mais sábios nos tornaremos. ( ) Seremos orientados em todos os nossos caminhos. ( ) Poderemos nos confundir e adotar doutrinas estranhas à Igreja moderna. ( ) Seremos consolados quando nenhum consolo humano seja possível. ( ) Será nos mostrado a estrada do Calvário. ( ) Não há necessidade de lermos muito, apenas de lermos um pouco a cada dia. ( ) Seremos Levados ao lar celestial. 19- Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda: A Bíblia dá-nos o necessário consolo. "Desfalece-me a alma, aguardando a tua salvação; porém espero na tua palavra" (Sl 119.81 - ARA). A Bíblia leva-nos ao lar celeste. "Isto é a minha consolação na minha angústia, porque a tua palavra me vivificou" (Sl 119.50). A Bíblia dá-nos a orientação segura No encerramento do cânon sagrado, somos revigorados com a viva esperança de, um dia, virmos a tomar posse da Cidade Santa (Ap 22.18-20). A Bíblia dá-nos a provisão de salvação. "Os teus mandamentos me fazem mais sábio que os meus inimigos; porque, aqueles, eu os tenho sempre comigo" (Sl 119.98 - ARA). A Bíblia dá-nos sabedoria. "Tu és a minha rocha e a minha fortaleza; [...] guia-me e encaminha-me" (Sl 31.3). CONCLUSÃO 20- Tem você lido regularmente a Bíblia? ( ) Sim. ( ) Não. ( ) Vou começar hoje mesmo. ------------------------------------------------------------------------------------- SINOPSE DO TÓPICO (1): A posição ortodoxa sustenta ser a Bíblia a inspirada e inerrante Palavra de DEUS, conforme 2 Tm 3.16. Porém, os liberais afirmam que ela apenas contém, e os neo-ortodoxos que se torna a Palavra de DEUS. SINOPSE DO TÓPICO (2): A inspiração, inerrância, infalibilidade, soberania e completude são as principais reivindicações da Bíblia a respeito de sua singularidade e procedência divina. SINOPSE DO TÓPICO (3): O cristão piedoso deve ler a Bíblia com amor, apetite, disposição para guardá-la e interesse em comunicar suas singulares grandezas. SINOPSE DO TÓPICO (4): A leitura diária da Bíblia proporciona ao crente: sabedoria, orientação, consolo, provisão de salvação e o conduz ao lar celeste. AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO Subsídio Devocional "O que é a meditação bíblica? O verdadeiro objetivo da meditação bíblica não é ajudar ninguém a fugir da angústia de um divórcio, ou do dissabor de uma doença grave, escondendo-se em um mundo fantasioso. Pelo contrário, a verdadeira meditação nos ajuda a aplicar a verdade bíblica a circunstâncias difíceis ou estressantes. Algumas palavras descrevem a meditação cristã da Escritura: refletir, ponderar e até ruminar. Assim como a vaca primeiro engole a comida para mais tarde regurgitá-la e mastigá-la outra vez; também o crente, em seu momento de reflexão, alimenta a memória com a Palavra de DEUS e depois a traz de volta a seu consciente, quantas vezes forem necessárias. Cada nova 'mastigação' produz ainda mais nutrientes para o sustento da vida espiritual. A meditação, portanto, nada mais é que o processo de revolver a verdade bíblica na mente sem parar, de forma a obtermos maior revelação do seu significado e certificarmo-nos de que a aplicamos a nossas vidas diárias. J.I.Packer certa vez disse que "meditar é despertar a mente, repensar e demorar-se sobre um assunto, aplicar a si próprio tudo que se sabe sobre a obra, os caminhos, os propósitos e as promessas de DEUS'." (HODGE, Kimball. A mente renovada por DEUS. Rio de Janeiro: CPAD, 2002, pp. 85-6.) BIBLIOGRAFIA SUGERIDA BENTHO, Esdras C. Hermenêutica fácil e descomplicada. 6.ed., RJ: CPAD, 2007. HODGE, Kimball. A mente renovada por DEUS. RJ: CPAD, 2002. OLIVEIRA, R. de. Como ler e interpretar a Bíblia. 12.ed., RJ: CPAD, 2006. SAIBA MAIS Revista Ensinador Cristão, CPAD, no 34, p.38.   LEITURA DIÁRIA DA BÍBLIA Leia toda a Bíblia em 3 meses "Examinai as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim" (Jo 5:39) Programe-se, separe um tempo todos os dias (manhã, tarde ou noite). Marque os capítulos já lidos para uma rápida identificação. Se a leitura for abandonada por um ou mais dias, não abandone o plano de leitura, procure recuperar nos próximos dias. O objetivo é conhecer a Palavra Viva e a CRISTO, O Senhor. "Toda a Escritura é inspirada por DEUS e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim  de que o homem de DEUS seja perfeito e perfeitamente habilitado  para toda boa obra" (2 Tm 3:16-17)   Ajuda: CPAD - www.cpad.com.br - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.www.escoladominical.com.br - www.ebdweb.com.br http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm (VÍDEOS da EBD na TV)BÍBLIA ILUMINA EM CD - Bíblia de Estudo NVI EM CD - Bíblia Thompson EM CD.Nosso novo endereço: http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/Figuras dos filmes "Os Dez Mandamentos", "História das Religiões - Judaísmo", "O Evangelho de João" e CD da CPAD (Lições 2º Trim.2008) http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/arvore%20do%20conhecimento%20-%20biblia.htm http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/bibliaconstituicaodivina.htm

LIÇÃO 3 - ORAÇÃO - O DIÁLOGO DA ALMA COM DEUS

LIÇÃO 3 - ORAÇÃO - O DIÁLOGO DA ALMA COM DEUS AS DISCIPLINAS DA VIDA CRISTÃ Trabalhando em busca da perfeição Comentarista: Pr. Claudionor de Andrade Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antônio Gilberto Complementos e Ajuda para professores e alunos: Ev. Luiz Henrique. TEXTO ÁUREO: "Orando em todo tempo com toda oração e súplica no ESPÍRITO e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos" (Ef 6.18). VERDADE PRÁTICA A oração move o coração de DEUS de tal forma, que O leva a operar o impossível na vida do crente. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Mateus 6.9-18. 9 Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome.10 Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu.11 O pão nosso de cada dia dá-nos hoje.12 Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores.13 E não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal; porque teu é o Reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém! 14 Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós.15 Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.16 E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas, porque desfiguram o rosto, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.17 Porém tu, quando jejuares, unge a cabeça e lava o rosto,18 para não pareceres aos homens que jejuas, mas sim a teu Pai, que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te recompensará. Observação importante: Como o único mediador entre DEUS e os homens é JESUS, a única oração válida para DEUS é aquela que passa por JESUS. Qualquer oração dedicada ou intermediada por outra pessoa ou criatura que não seja JESUS, deixa de ser oração e passa a ser invocação de demônios. 1Tm 2.5 Porque há um só DEUS, e um só Mediador entre DEUS e os homens, CRISTO JESUS , homem. 6.6 TU, QUANDO ORAIS. Todo filho de DEUS deve ter um lugar para estar a sós com DEUS a fim de buscá-lo. Sem isto, a oração secreta não terá a duração desejada ou será algo casual. JESUS tinha seus lugares -secretos para orar (14.23; Mc 1.35; Lc 4.42; 5.16; 6.12). Nós, também, devemos disciplinar nossa vida a fim de mantermos nossa comunhão com DEUS e demonstrar nosso amor por Ele. A oração secreta é especialmente importante: (1) de manhã cedo, para dedicarmos a DEUS o nosso dia; (2) no fim da tarde, para render-lhe graças por suas misericórdias; e (3) nos momentos em que o ESPÍRITO nos impulsiona a orar. A promessa é que nosso Pai nos recompensará abertamente com a resposta à -nossa oração, com sua presença íntima, e com honra -genuína por toda a eternidade (ver 6.9).6.9 ORAREIS ASSIM. Com esta oração modelo, CRISTO indicou áreas de interesse que devem constar da oração do cristão. Esta oração contém seis petições: três dizem respeito à santidade e à vontade de DEUS e três dizem respeito às nossas necessidades pessoais. A brevidade desta oração não significa que devemos ser breves quando oramos. Às vezes, CRISTO orava a noite inteira (Lc 6.12). 6.9 PAI NOSSO... NOS CÉUS. A oração envolve a adoração ao Pai celestial. (1) Como Pai, DEUS nos ama, cuida de nós e anela comunhão e intimidade conosco. Em CRISTO, temos acesso ao Pai, em todo tempo, para adorá-lo e expressar-lhe as nossas necessidades (vv. 25-34). (2) DEUS, como nosso Pai, não significa que Ele seja como um pai terrestre, que tolera o mal nos filhos ou que deixa de discipliná-los corretamente. DEUS é um Pai santo, que se opõe terminantemente ao pecado. Ele não tolera a iniqüidade, mesmo naqueles que o chamam de Pai. Seu nome deve ser santificado (v. 9). (3) Logo, como Pai celeste, Ele pode castigar, tanto quanto abençoar; reter, tanto quanto dar; agir com justiça e também com misericórdia. Sua maneira de atender seus filhos depende da nossa fé e obediência para com Ele.6.9 SANTIFICADO SEJA O TEU NOME. O maior empenho em nossas orações e na nossa vida deve concentrar-se na santificação do nome de DEUS. É da máxima importância que o próprio DEUS seja reverenciado, honrado, glorificado e exaltado (cf. Sl 34.3). Em nossas orações e em nosso viver diário, devemos ter o máximo zelo com a reputação de DEUS, da sua igreja, do seu evangelho e do seu reino. Fazer algo que cause escândalo para o nome e o caráter do Senhor é um pecado horrível que o expõe à vergonha pública.6.10 VENHA O TEU REINO. A oração deve ocupar-se com o reino de DEUS na terra agora e com seu pleno cumprimento no futuro. (1) Devemos orar pela volta de CRISTO e pelo estabelecimento do reino eterno de DEUS no novo céu e na nova terra (Ap 21.1; cf. 2 Pe 3.10-12; Ap 20.11; 22.20). (2) Devemos orar pela presença e manifestação espiritual do reino de DEUS agora. Isso inclui a operação do poder de DEUS entre o seu povo para destruir as obras de Satanás, curar os enfermos, salvar os perdidos, promover a justiça e derramar o ESPÍRITO SANTO sobre seu povo.6.10 SEJA FEITA A TUA VONTADE. Orar seja feita a tua vontade significa que anelamos sinceramente que a vontade e o propósito de DEUS sejam cumpridos em nossa vida e na vida dos nossos familiares, segundo seu plano eterno. Podemos conhecer a vontade de DEUS, primeiramente através da Bíblia, que é a sua vontade revelada, e através da direção do ESPÍRITO SANTO em nosso coração (cf. Rm 8.4-14). A vontade de DEUS é cumprida quando oramos para que o reino de DEUS e a sua justiça prevaleçam entre nós (v. 33.)6.11 O PÃO NOSSO DE CADA DIA. A oração deve conter petições concernentes às nossas necessidades diárias (Fp 4.19; ver Lc 11.3).6.12 PERDOA... ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS. Na oração devemos tratar dos nossos pecados e também estar dispostos a perdoar aqueles que nos fizeram mal (vv. 14,15; Hb 9.14; 1 Jo 1.9).6.13 LIVRA-NOS DO MAL. Todos os crentes são objeto especial da hostilidade e dos maus propósitos de Satanás. Por essa razão nunca devemos esquecer de orar para que DEUS nos livre do poderio e das tramas do inimigo (ver Lc 11.26; 18.1; 22.31; Jo 17.15; 2 Co 2.11)6.15 SE, PORÉM... PERDOARDES AOS HOMENS. Esta declaração de JESUS salienta o fato de que o crente deve estar pronto e disposto a perdoar as ofensas sofridas da parte dos outros. Caso ele não perdoe seu ofensor arrependido, DEUS não o perdoará e suas orações não terão resposta. Aqui está um princípio essencial para obtermos o perdão de DEUS (18.35; Mc 11.26; Lc 11.4).6.16 QUANDO JEJUARDES. Na Bíblia, jejuar refere-se a abstenção de alimento por motivos espirituais. Embora o jejum apareça freqüentemente vinculado à oração, ele por si só deve ser considerado uma prática de proveito espiritual. Na realidade, o jejum bíblico pode ser chamado de oração sem palavras . (1) Há três formas principais de jejum, vistas na Bíblia: (a) Jejum normal a abstenção de todos os alimentos, sólidos ou líquidos, mas não de água (ver 4.2); (b) jejum absoluto a abstenção tanto de alimentos como de água (Et 4.16; At 9.9). Normalmente este tipo de jejum não deve ir além de três dias, pois a partir daí o organismo se desidrata, o que é muito nocivo à saúde. Moisés e Elias fizeram jejum absoluto por 40 dias, mas sob condições sobrenaturais (Dt 9.9,18; Êx 34.28; 1 Rs 19.8); (c) o jejum parcial uma restrição alimentar, e não uma abstenção total dos alimentos (Dn 10.3). (2) O próprio CRISTO praticava a disciplina do jejum e ensinava que a mesma devia fazer parte da vida consagrada do cristão (6.16), além de ser um ato de preparação para a sua volta (ver 9.15). A igreja do NT praticava o jejum (At 13.2,3; 14.23; 27.33). (3) O propósito do jejum com oração: (a) um ato para DEUS, visando à sua honra (6.16-18; Zc 7.5; Lc 2.37; At 13.2); (b) o crente humilhar-se diante de DEUS (Sl 69.10; Ed 8.21; Is 58.3), para receber mais graça (1 Pe 5.5) e desfrutar da presença íntima de DEUS (Is 57.15); (c) expressar pesar por causa de pecados e fracassos pessoais cometidos (1 Sm 7.6; Ne 9.1,2); (d) pesar por causa dos pecados da igreja, da nação e do mundo (1 Sm 7.6, Ne 9.1,2); (e) buscar graça divina para novas tarefas e reafirmar nossa consagração a DEUS (4.2); (f) como um meio de buscar a DEUS, aproximar-nos dEle e prevalecer em oração contra as forças espirituais do mal que lutam contra nós (Ed 8.21,23,31; Jl 2.12; Jz 20.26; At 9.9); (g) como um meio de libertar almas da escravidão do mal (Is 58.6-9; Mt 17.14-21); (h) demonstrar arrependimento e assim preparar o caminho para DEUS mudar seus propósitos declarados de julgamento (Jn 3.5,10; 1 Rs 21.27-29; 2 Sm 12.16,22; Jl 2.12-14 ); (i) obter revelação, sabedoria e entendimento no tocante à vontade de DEUS (Dn 9.3,21,22; Is 58.6,11; At 13.2,3); e (j) abrir caminho para o derramamento do ESPÍRITO e para a volta de CRISTO à terra para buscar o seu povo (ver 9.15). PRIMEIRA PARTE EM NOME DE JESUS (Jo 16:23-26) CONSIDERAÇÕES SOBRE ORAÇÃO: A- PRIMEIRA ORAÇÃO NA BÍBLIA: Gn 4:26 B- DEUS OUVE AS ORAÇÕES: Sl 65:2 C- TEMOS A AJUDA DO ESPÍRITO SANTO: Rm 8:26 D- TEMOS A AJUDA DE JESUS: Rm 8:34 E- AS NOSSAS ORAÇÕES CHEGAM AO CÉU: Ap 5:8 F- SOBEM PARA DEUS COM O INCENSO: Ap 8:34 G- FOI-NOS DADO ORDEM PARA ORARMOS: 1 Cr 16:11; Mc 13:33 H- QUANDO ORAR? TODO O TEMPO: Ef 6:18; 1 Ts 5:17 I- COM QUAL TIPO DE ORAÇÃO DEVEMOS ORAR? TODA: Ef 6:18 J- RESPOSTA PROMETIDA: Is 58:9; Lc 11:9 K- UMA FORMA DE ORAÇÃO: PÚBLICA, OU EM FAMÍLIA (ORAÇÃO DE CONCORDÂNCIA): Mt 18:19; At 1:14; At 4:24,37 L- CONDIÇÃO DE QUEM ORA: *CONTRIÇÃO: 2Cr 7:14 *SINCERIDADE: Jr 29:13 *FÉ: Mc 11:24 *JUSTIÇA: Tg 5:16 *OBEDIÊNCIA:1Jo3.22 M- BREVIDADE NA ORAÇÃO: Ec 5:2; Mt 6:7 N- POSTURA OU POSIÇÃO NA ORAÇÃO *EM PÉ: 1 RS 8:22; Lc 18:11 *ASSENTADO:At2:2 *AJOELHADO:Dn6:10;Lc22:41 *DEITADO:Is38:2;Sl4:4;Sl6:6 *PROSTRADO:Mt26:39;Js5:14 *INCLINADO:Ex4:31;Ex12:27;Ex34:8;1Rs18:42 O- OUTRA FORMA DE ORAÇÃO: SECRETA: Mt 6:6 P- ORAÇÃO PELA MANHÃ: Mc 1:35; Dn 6:10; Sl 55:17 Q- ORAÇÃO À TARDE: Dn 6:10; At 3:1; Sl 55:17 R- ORAÇÃO À NOITE: Lc 6:12; Dn 6:10; Sl 55:17 S- ORAÇÃO PÚBLICA DE JESUS: Lc 3:21 T- ORAÇÃO PERDOADORA: Mt 6: 14,15 U- TIPOS DE ORAÇÃO: U.1- ARREPENDIMENTO: (CONFISSÃO, CONTRIÇÃO) 2 Cr 6:27; 1 Jo 1:9; At 11:18; Jó 42:6; Ez 18:32; Mt 4:17; Lc 13:3,15:7 U.2- AGRADECIMENTO: (AÇÃO DE GRAÇAS) Cl 3:15, 4:2; 1 Tm 2:1,2, 4:3,4; Ef 5:20; Fp 4:6; 2 Ts 1:3; Ap 7:12 U.3- LOUVOR: (PELO QUE DEUS FEZ, FAZ E FARÁ) Sl 100:4; Sl 150:2,6; Sl 67:3; Hb 13:15; At 2:47; Ap 5:12, 19:5 U.4- ADORAÇÃO: (PELO QUE DEUS É ) Sl 29:2; Ap 7:11,12; Jo 4:24; Sl 89:9; Sl 93 Todo. VEJA ADORAÇÃO U.5- PETIÇÃO: (PEDIDO POR SI MESMO, COM SÚPLICA) Tg 4:3; 1 Tm 2:1; Lc 11:9; Jo 15:7; Fp 4:6 VONTADE DEUS 1 Jo 5:14 U.6- ENTREGA: (LANÇAMENTO, TRANSFERÊNCIA DE PROBLEMAS) Lc 23:46; At 4:34; 1 Pe 5:7 U.7- CONSAGRAÇÃO: (A VONTADE DE DEUS É PERFEITA) Lc 22:42; At 4:29; 13:2 U.8- INTERCESSÃO: (ORANDO PELOS OUTROS, COLOCANDO-SE NO LUGAR DE OUTREM, INDO A DEUS A FAVOR DE E RESISTINDO A SATANÁS QUE ESTÁ CONTRA). É UM ENCONTRO COM DEUS E UM CONFRONTO COM SATANÁS. A intercessão é tão importante que DEUS quando vai fazer algo que influencie o quotidiano humano, ELE primeiro fala aos seus servos na terra para que estes intercedam para que aconteça, caso seja bom, ou intercedam para que não aconteça, caso seja mau. (2 Rs 24.2; Jr 25.4; Jn ) Amós 3.7 = Certamente o Senhor JEOVÁ não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas.Exemplo: Quando DEUS quis destruir Sodoma e Gomorra primeiro falou com Abraão (Gn 18.17), quando DEUS quis destruir o povo hebreu, primeiro falou com Moisés (Ex 32.9,10), Quando quis enviar libertação do cativeiro primeiro falou com Daniel (Dn 9.2), quando quis castigar o povo de Israel primeiro falou com seus profetas (Jr 7.25; 11.7; Jr 25.4; 26.5; 29.19; 35.15; 44.4). Quando quis mandar o salvador, primeiro falou com os profetas (Dt 18.15; At 28.25; Hb 1.1). Note que ao pensar em destruir Sodoma e Gomorra, DEUS não se lembrou de Ló e sua família, mas de Abraão, porque Abraão era um Intercessor (Gn 19.29). Quando nosso filho, ou filha, ou mãe, ou pai, ou marido, ou esposa, ou parente, ou amigo, ou conhecido, ou desconhecido, qualquer pessoa estiver em perigo, DEUS recorrerá a nós para orarmos intercedendo, isso se nós estivermos ali na brecha (Ez 22.30), para interceder, ou seja estivermos prontos para orar costumeiramente todos os dias em favor daqueles que precisam de nossas orações. VEJA Lc 13.1-9 = É por isso que às vezes cai um avião, ou outra catástrofe acontece e escapa uma pessoa só, ela tinha um intercessor orando por ela e os outro não. Ez 22.30 E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei. Is 53:12; Jo 17:9; Rm 8:34; Hb 7:25; 1 Tm 2:1; 1 Sm 19:4, 25:24; Fm 10; Jó 9:32-35; Is 62:6, 59:16; Ez 22:30,31: SE NÃO TIVER INTERCESSOR A IGREJA FECHA EXEMPLO DE ABRAHÃO: Gn 18:17, 19:29 – DE MOISÉS: Gn 32:10-14; 32:32, 33:18 OBS.: VEJA ESTUDO SOBRE DONS (DOM DE LÍNGUAS, QUEM ORA EM LÍNGUAS EDIFICA-SE A SI MESMO E PODE CHEGAR A SER USADO PELO ESPÍRITO SANTO NA ORAÇÃO INTERCESSÓRIA COM GEMIDOS INEXPRIMÍVEIS. JESUS É INTERCESSOR COMO HOMEM E COMO DEUS. DEUS ESTÁ NA TERRA, DENTRO DE NÓS (ESPÍRITO SANTO); O HOMEM ESTÁ NO CÉU NUM CORPO DE HOMEM (GLORIFICADO. EM JESUS CRISTO, NOSSO INTERCESSOR) SEGUNDA PARTE Oração Pai-Nosso (Lc 11.1-4 E Mt 6.7-15 ) NA VERDADE JESUS NÃO NOS ENSINOU “O QUE ORAR”, E SIM “COMO ORAR”; PROIBINDO-NOS DE FICAR REPETINDO SEMPRE A MESMA ORAÇÃO. (NOS EVANGELHOS AS ORAÇÕES PAI-NOSSO SÃO DIFERENTES, mostrando-nos que não é uma reza para ser repetida toda vez que formos orar). LUCAS 11.1-4 1 Estava JESUS em certo lugar orando e, quando acabou, disse-lhe um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos. 2 Ao que ele lhes disse: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; 3 dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano; 4 e perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo aquele que nos deve; e não nos deixes entrar em tentação, (mas livra-nos do mal.) MATEUS 6.7-15 7 E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos.8 Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes. 9 Portanto, orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; 10 venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; 11 o pão nosso de cada dia nos dá hoje; 12 e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores; 13 e não nos deixes entrar em tentação; mas livra-nos do mal. Porque teu é o reino e o poder, e a glória, para sempre, Amém. 14 Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; 15 se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas. Devemos orar a Palavra de DEUS, vamos ver alguns exemplos de oração, seguindo o padrão bíblico da oração que JESUS nos ensinou: Filiação Divina Pai nosso que estás nos céus Ó DEUS, eu Te chamo Pai, Tu és meu pai. Mas agora, ó Senhor, Tu és meu Pai; eu sou o barro, e Tu o meu oleiro; O ESPÍRITO mesmo testifica com meu espírito que sou Teu filho, ó DEUS; Recebi a JESUS , crendo no seu nome, pelo que me foi dado o poder de ser chamado filho de DEUS; Graças Te dou, ó pai, porque enviaste JESUS para me resgatar a fim de que eu recebesse a adoção de filho. Pai justo, Pai santo, meu pai, dirijo-me a ti que estás nos céus, em teu trono de glória, entronizado entre os querubins. Referências bíblicas: Is. 63:16; 64:8; Gl 4:4-7; Hb. 12:8,10; Dt. 32:6; Jo. 16:27; Tg. 1:17; Rm. 8:15-17,14; 2 Co 1:3,4; Ef. 1:3; 1 Jo 3:1,2; 2 Co 11:31; Fp 4:20. Exaltação ao nome de DEUS Santificado seja o Teu nome Bendito seja o Teu glorioso nome, que está exaltado sobre toda bênção e louvor. Bendito seja o Teu Nome, desde agora e para sempre. Desde o teu nascimento de sol até a seu ocaso, há de ser louvado o Teu Nome. Seja Bendito o Teu Nome, ó DEUS, para todo o sempre, porque são tuas a sabedoria e a força. Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao teu nome dá glória, por amor da tua benignidade e a tua verdade. O teu nome, ó senhor, subsiste para sempre; e a tua memória, ó Senhor por todas as gerações. E tudo o que há em mim, bendiz o teu santo nome. Referências Bíblicas Ne 9:5b; Gn 1:1,26; Sl 71:22; Sl 113:2,3; Rm 8:29; Ex 3:14; Pv 18:10; Gn 49:24,25; Jr 3:10 ; Dt 28:58; Gn 15:1,2,8; Dt 10:17; Dn 2:2; Hb 13:8; 1 Cr 29:10; Sl 8:1; 72:17; Lv 20:7,8; Sl 138:2; Sl 75:1; 115:1; Sl 91:1; Jo 1:14; Sl 103:2; Dt 33:27 Estabelecimento do Reino de DEUS Venha o Teu Reino Venha o Teu reino, Tua soberania domínio e senhorio em todas as áreas da minha vida. Venha o Teu reino sobre minha família, minha cidade, meu Estado, meu País. Venha hoje o Teu reino na igreja e na vida de todos os homens. Porque o domínio pertence a Ti e reinas sobre as nações. Teu Reino, Senhor, não consiste no comer e no beber, mas na justiça, na paz, e na alegria no ESPÍRITO SANTO. Não consiste em palavras, mas em poder e este é o caminho que quero seguir. Pai, aguardo o dia quando unirei minha voz à de miríades, proclamando: O reino do mundo passou a ser do Senhor nosso e do Seu CRISTO, e Ele reinará pelos séculos dos séculos. Referências Bíblicas Sl 145:11-13; Mt 6:33; Hb 12:28; Mt 6:10; Lc 17:21,22; 1 Jo 3:2,3 Amp.; Sl 22:28; Mt 5:3-11; Tt 2:11-13; Sl 103:19; Rm 14:17; Zc 14:5,9 ;Is 9:6,7; 1 Co 4:20; Ap. 11:16,17; Mt 4:17; Cl 1:12-14; 1Cr 29:11 Submissão Seja feita a Tua vontade, assim na terra como é no céu. Pai, oro para que Tua vontade seja feita na minha vida, de um modo tão perfeito como ela é feita no Céu. Deleito-me em fazer tua vontade, ó DEUS meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração. Ensina-me a fazer a tua vontade, pois tu és o meu DEUS; guie-me o Teu bom ESPÍRITO por terreno plano. Oro como JESUS : “Não se faça a minha vontade, mas a tua”, não importa qual seja, pois ela é sempre o melhor para minha vida. A minha comida é fazer a Tua vontade e realizar a obra que me confiaste. Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma; porque não procuro a minha vontade, mas a Tua. Pois esta é a Tua vontade, que eu seja consagrado (separado e colocado á parte para uma vida pura e santa): que eu me abstenha de todo vicio sexual; que eu saiba como possuir (controlar dirigir) meu próprio corpo em consagração (pureza, separado das coisas profanas) e honra, não (para ser usado) em paixão e lascívia como os pagãos, que são ignorantes do verdadeiro DEUS e não têm conhecimento da Sua Vontade. Referências Bíblicas Mt 6:10; At 13:22; 1 Jo 2:17; Ef 1:4,5 Amp.; Sl 40:8; 143:10; Rm 8:26,27; 12:2; Cl 1:9 Amp; Lc 22:42; 1 Ts 4:3-5 Amp.; Fp 2:13; Jo 4:34; 5:30; Sl 1:3,4 Amp.; Hb 13:20,21. Provisão “O pão nosso de cada dia nos dá hoje” Pai, tu és meu DEUS Provedor, Jeová Jiré, pelo que supres liberalmente cada uma das minhas necessidades, de acordo com Tuas riquezas em glória em CRISTO JESUS . Sou Teu amado e me dás o pão enquanto durmo. Dás mantimento aos que Te temem; Confesso que não ando ansioso quanto à minha vida, pelo que hei de comer, ou pelo que hei de beber; nem quanto ao meu corpo, pelo que hei de vestir. Olho para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajudam em celeiros; e Tu, meu Pai celeste, as alimenta. Não valho eu muito mais do que elas? Portanto não me inquieto, dizendo: Que hei de comer? Ou: Que hei de Beber? Ou: Com que hei de vestir? Porque Tu, meu pai celeste, sabes que preciso de Tudo isso. Meu Pão de cada dia me dás hoje. Referências Bíblicas Fp 4:19; Ex 23:25; Mt 6:25,26,31,32; Sl 127:2; 111:5; 2 Co 9:10; Sl 34:10; Sl 145:15,16; Sl 146:5,7; Dt 28:1,4,8,12; Sl 37:25; Pv 10:3; Dt 8:3. Perdão Pessoal “E perdoa-nos as nossas dívidas” Pai, tenho experimentado Teu perdão em minha vida.Confesso-te meus pecados e Tu és fiel e justo para me perdoares os pecados e me purificares de toda a injustiça. Tu, Senhor, perdoas todas as minhas iniquidades e saras todas as minhas enfermidades. Pois me perdoaste a iniqüidades e não Te lembraras mais dos meus pecados. Referências Bíblicas Mt 6:12; Sl 139:23,24; Rm 4:7,8; 1 Jo 1:9; Sl 86:4,5; 103:1,3; 1 Jo 2:12; Sl 32:5; 19:12; Jr 31:34; Cl 1:14. Perdão a Outros (geral) “Assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores” Pai de amor, tenho provado o Teu ilimitado perdão. Lançaste meus pecados nas profundezas do mar e deles não Te lembras mais. Tratas-me como se eu nunca tivesse pecado. De Ti recebo o espírito perdoador e libero o meu perdão a todos quanto me ofendem. De todo o coração perdôo o que peca contra mim. Recebo Tua palavra: “Antes sede bondosos para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros (pronta e livremente), como também DEUS vos perdoou em CRISTO. “ Suporto o meu irmão e o perdôo, assim como JESUS me perdoou. Amo meu próximo como a mim mesmo, e porque o amo, o perdôo, sabendo que o amor cobre uma multidão de pecados. Referências Bíblicas Mt 6:12; Cl 3:13; Mc 12:31; Is 43:25; Mt 6:14,15 Amp.; 1 P 4:8; Mt 18:35; Mc 11:25,26; Mt 5:44,45,48; Ef 4:32; Mt 18:22; Nm 6:24-26 Proteção “Não nos deixes cair em tentação” Pai reconheço que não me sobrevêm nenhum tentação, que não seja humana, mas Tu és fiel, e não deixarás que eu seja tentado acima do que possa resistir, antes com a tentação darme-ás também o escape, para que a possa suportar. Tu me sustentas, meu DEUS. Andarei seguro pelo meu caminho, e não tropeçará o meu pé. Quando me deitar, não temerei: sim, deitar-me-ei e o meu sono será suave. Não temo o pavor repentino, nem a assolação dos ímpios quando vier. Porque Tu, Senhor, serás a minha confiança, e guardarás os meus pés de serem presos. Não me deixarás cair em tentação. Referências Bíblicas 1 Co 10:13; Tg. 1:12 Amp.; 1 Sm 2:9; Pv 4:11,12; Mt 26:41 Amp.; Pv 3:23-26; Tg 1:2-4,13; Sl 116:8; Ap. 3:10; Libertação “Livra-nos do mal” Nenhum mal; me sucederá, nem praga alguma chegará à minha tenda, porque aos Teus anjos darás ordem a meu respeito, para me guardarem em todos os meus caminhos. Eles me sustentarão nas suas mãos, para que eu não tropece em alguma pedra. Teu anjo, Senhor, acampa-se ao redor, pois temo a Ti, e me livras. Senhor, Tu me Livrarás também de toda a obra maligna, e me levarás salvo para o Teu reino celestial. A ti, glória pelos séculos dos séculos. Amém. Referências Bíblicas Gl 1:4,5; Sl 18:2; 2 Tm 4:18; Sl 91:3,10,12; Sl 34:7,17; 1 Ts 1:10; Sl 91:14,15; Sl 56:13 Exaltação “Porque Teu é o reino e o poder, e a glória, para sempre. Amem” Sê exaltado, ó DEUS, acima dos céus; e em toda a terra esplenda a Tua glória. A ti, o único DEUS, nosso Salvador, por JESUS CRISTO Nosso Senhor, glória, majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, e agora, e para todo o sempre . Amem. Referências Bíblicas Sl 57:5; 34:3; Sl 63:2; Sl 113:4; Sl 148:13; 1 Cr 29:10-13; 1 Cr 16:36; Sl 29:9; Is 25:1; Sl 72:18,19; Sl 92:2; Dn 2:20-22; Jd 25 TERCEIRA PARTE QUE ACONTECE QUANDO A IGREJA ORA? I. EXISTEM TRÊS TIPOS BÁSICOS DE ORAÇÃO 1. A oração individual, At 9.112. A oração em grupo, At 16.263. A oração coletiva, At 2.42 II. AS GRANDES VANTAGENS DA ORAÇÃO COLETIVA 1. Ela fortalece a união do povo de DEUS2. Ela multiplica a nossa fé3. Ela tem garantias de pronta resposta, Mt 21.22 III. TIPOS DE oração QUE A IGREJA NUNCA DEVERIA FAZER 1. A oração sem fé - ela invalida a Palavra de DEUS. Tg 1.62. A oração sem humildade - oração de revolta. oração ou afronta?2.1 ela despreza a vontade de DEUS, Mt 6.102.2 ela insulta a DEUS2.3 ela cega a mente do crente, impedindo de discernir a vontade de DEUS,Rm 8.283. A oração sem reverencia - ela afasta a presença de DEUS4. A oração sem temor e unção do ESPÍRITO. IV. VOCÊ SABIA QUE DEIXAR DE ORAR É UM PECADO? 1. Leia I Samuel 12.232. Deixar de orar é pecado de desobediência, I Ts 5.17; Lc 18.13. Deixar de orar é um pecado de desprezo da alma para com DEUS4. Deixar de orar é um convite a viver em incredulidade5. Deixar de orar é perder a chave que a abre o Celeiro de DEUS6. Deixar de orar é a maneira mais perfeita de afastar-se de DEUS7. Deixar de orar significa deixar de abastecer a alma com o gozo do Céu V. QUE ACONTECE QUANDO A IGREJA DEIXA DE ORAR? 1. O povo de DEUS começa a experimentar escassez, Mt 6.112. Muitos dentre o povo de DEUS morrem prematuramente, II Cr 16.12,133. Muitos que estão prestes a morrer alcançam sua cura, Is 38.14. A Obra de DEUS sofre e se debilita, II Cr 7.145. A salvação de almas pode ser reduzida6. Se a Igreja deixa de orar, suas prioridades mudam (passatempos/piadas/tv/lazer) VI. QUE ACONTECEU QUANDO A IGREJA PRIMITIVA OROU? 1. Aconteceu um grande Movimento, At 4.31 1.a na casa: Moveu-se o lugar em que estavam reunidos1.b nos corações dos crentes: Todos foram cheios do espírito SANTO1.c na Cidade: Anunciavam com ousadia a palavra de DEUS 2. Aconteceu um grande livramento, At 12.5-17 2.a Essa oração atraiu os anjos2.b Essa oração cegou e imobilizou os guardas da prisão2.c Essa oração abriu as portas do cárcere 3. Aconteceu um avivamento missionário 3.a Eles serviam, jejuavam e oravam3.b O Senhor levantou os primeiros missionários3c. A Obra missionária nunca mais terminou. QUARTA PARTE A PRÁTICA NA ORAÇÃO: 1. Definição A prática da oração é a arte de entrar no SANTO dos Santos e de se colocar na presença do próprio DEUS em espírito, por meio da fé, valendo-se do sacrifício de CRISTO, e falar com DEUS com toda liberdade por meio da palavra audível ou silenciosa. Conforme esta definição, qual o pré-requisito para orar? 2. Resultados da oração A oração é um instrumento pelo qual confessamos duas coisas ao mesmo tempo: a estreiteza de nossos recursos e a extrema largueza dos recursos de poder e do amor de DEUS. A prática da oração é um dos mais extraordinários meios de graça de que o homem pode dispor. Descubra nos textos três efeitos distintos da oração em nossa vida. Tome nota. Fp 4.6-7 Mt 7.7-8 e Tg 5.16bTg 4.2-3, 1 Pe 3.7 e Pv 28.9 Podemos verificar que a oração produz resultados psicológicos (paz de espírito, tranqüilidade), espirituais (maior sentido de vida) e concretos (atendimento real do pedido feito). 3. Elementos da oração A maior parte de nossas orações são de súplica. Não deveria ser assim. No contexto bíblico, a oração tem pelo menos seis elementos. Eles não precisam estar presentes numa única prece, mas devem ser lembrados sempre. Descubra quais são esses elementos, verificando os textos indicados. 2 Cr 7.3 Sl 103.2Sl 51.1-9 1 Sm 1.15Tg 5.16 e Mt 5.44 Jr 33.3 e Mt 7.7 4. O sim e o não DEUS diz sim a muitas de nossas orações. É animador listar os sins de DEUS nas orações contidas na história bíblica. Veja alguns exemplos. Escreva os nomes dos personagens e seus pedidos, de acordo com as referências. Gn 25.21 Êx 2.23-25Jz 13.8-9 2 Rs 20.5Lc 1.13 At 10.4 Mas DEUS diz não também a não poucas orações, mesmo que elas sejam proferidas por pessoas de caráter e de fé. Leia estes textos e anote da mesma maneira. Dt 3.23-27 2 Sm 12.15-202 Co 12.7-9 5. Oração e ação Lutero dizia: “É preciso orar como se todo trabalho fosse inútil e trabalhar como se todo orar fosse em vão”. É o que acontece do início ao fim do livro de Neemias. Você ficará impressionado ao procurar as passagens que descrevem como ele conciliava oração e ação (Ne 1.4; 2.4-5; 4.4-6; 4.9; 6.9 e assim por diante). Sublinhe o que encontrar em sua própria Bíblia e tire suas conclusões. 6. Freqüência da oração Pense por um momento: Você ora todos os dias? Quantas vezes? Na hora de levantar e de deitar ou às refeições? Somente em caso de doença ou morte? Leia as passagens abaixo e anote os períodos de oração que elas sugerem. Sl 55.17 e Dn 6.10 Lc 6.12Ne 2.4 e Lc 22.44 1 Ts 5.17 Porque a oração é de grande importância e porque o homem é naturalmente indisciplinado, é bom que haja algum horário fixo de oração. O que não dispensa o “orai sem cessar”, que é a manutenção do espírito de oração em todos os momentos e circunstâncias, que caracteriza a nossa total dependência de DEUS. 7. Sugestões 1) Antes de orar, pare e pense um pouco em DEUS e seus atributos. Com certeza, você iniciará sua oração da maneira correta: com uma palavra de adoração que partirá do fundo da alma. 2) Lembre-se de que a oração não substitui a leitura da Bíblia. As duas práticas são essenciais para o seu crescimento na vida cristã. Sem a Bíblia, as orações podem tornar-se sem conteúdo, egoístas e até mesmo erradas (Tg 4.3). 3) Tente “balancear” suas orações com adoração, ações de graça, confissão, extravasamento, intercessão e súplica. 4) Peça sem constrangimento. Não é necessário substituir a súplica pelo louvor. É DEUS quem abre a porta da oração e diz: “Pede-me”. Mas não peça apenas saúde, cura física, sucesso, prosperidade, felicidade. Ore por virtudes e valores espirituais. Insista até obter resposta. 5) Reserve horários especiais no dia para oração, sem deixar de aplicar o “orai sem cessar”. 8. Oração Senhor DEUS, obrigado por ter acesso a ti pela oração. Ensina-me a orar. Ajuda-me a orar mais. Amém. RESUMO DA LIÇÃO 03 - 2º TRIMESTRE DE 2008 ORAÇÃO - O DIÁLOGO DA ALMA COM DEUS Palavra Chave: Oração - É o ato reverente e piedoso por meio do qual o crente adora e aproxima-se de DEUS. I. O QUE É A ORAÇÃO - Prática da Igreja. 1. Definição. Aproxima-se de DEUS. 2. Fundamentos da oração. a) Nos ensinos - b) buscar a DEUS - c) Na experiência - d) Convicção. II. OBJETIVOS DA ORAÇÃO - Mathew Henry 1. Buscar a presença de DEUS. Warren W. Wiersbe 2. Agradecê-lo pelos imerecidos favores. Tem você agradecido a DEUS? 3. Interceder pelo avanço do Reino de DEUS. John Knox 4. Apresentar a DEUS nossas necessidades. Jó 5. Confessar a DEUS nossos pecados e faltas (Dn 9.3-6). Daniel III. CULTIVANDO O HÁBITO DA ORAÇÃO - John Bunyan 1. Orar cotidianamente. 2. Sem interferências. Daniel - Senhor JESUS CONCLUSÃO É chegado o momento. Busquemos a presença de DEUS (Is 55.6). -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 3 - ORAÇÃO, UM DIÁLOGO DA ALMA COM DEUS RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD - 2º TRIMESTRE DE 2008 TEXTO ÁUREO: 1- Complete: "Orando em todo tempo com toda oração e _____________________ no ESPÍRITO e ___________________ nisso com toda perseverança e súplica por ___________________ os santos" (Ef 6.18). VERDADE PRÁTICA 2- Complete: A oração move o ______________________ de DEUS de tal forma, que O leva a ___________________o impossível na _____________do crente. COMENTÁRIO: INTRODUÇÃO 3- O que o pai da Reforma Protestante, Martinho Lutero, declarou certa vez, quanto ao seu tempo ocupado? ( ) Não esteja ocupado, mais se dedique a falar com o Salvador. ( ) Quanto mais ocupado, mais se dedicava a falar com o Salvador. ( ) Quanto menos ocupado, mais se dedicava a falar com o Salvador. I. O QUE É A ORAÇÃO 4- O que distingue os discípulos do Nazareno como a mais singular e excelente comunidade de clamor da história? ( ) A oração. ( ) A capacidade de divulgar a Palavra de DEUS, na evangelização. ( ) O Jejum coletivo. 5- Defina "Oração", completando a frase a seguir: Oração é o ________________ pelo qual o crente, através da fé em CRISTO JESUS e mediante a ___________________ intercessora do ESPÍRITO SANTO, aproxima-se de DEUS com o propósito de adorá-lo, render-lhe ações de graça, interceder pelos salvos e pelos não-salvos, e apresentar-lhe as petições de acordo com a sua suprema e inquestionável ___________________ (Jo 15.16; Rm 8.26; 1 Ts 5.18; 1 Jo 5.14; 1 Sm 12.23). 6- Onde estão os fundamentos da oração? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Nos ensinos da Bíblia; ( ) Na independência humana. ( ) Na necessidade de o homem buscar a DEUS; ( ) Na experiência dos homens e mulheres que porfiaram em desejar a presença de DEUS; ( ) E na convicção de que DEUS é bom para nos atender as petições. ( ) No império romano. II. OBJETIVOS DA ORAÇÃO 7- O que disse o pastor e erudito inglês, Mathew Henry, sobre um dos objetivos da oração? ( ) "Quando DEUS pretende dispensar grandes misericórdias a seu povo, a primeira coisa que faz é inspirá-lo a orar". ( ) "Quando DEUS pretende dispensar grandes milagres a seu povo, a primeira coisa que faz é inspirá-lo a orar". ( ) "Quando DEUS pretende dispensar grandes provações a seu povo, a primeira coisa que faz é inspirá-lo a orar". 8- Dentre os muitos objetivos da oração, cite 5: Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Buscar a presença de DEUS. ( ) Fazer uma troca de favores com DEUS. ( ) Agradecer a DEUS pelos imerecidos favores. ( ) Interceder pelo avanço do Reino de DEUS. ( ) Decretar o que DEUS deve fazer. ( ) Apresentar a DEUS nossas necessidades. ( ) Exigir de DEUS uma solução para nossos problemas. ( ) Confessar a DEUS nossos pecados e faltas. 9- Diante da sede pelo Eterno, que ia na alma de Davi, o que disse o pastor norte-americano Warren W. Wiersbe? ( ) "Não se limite a buscar a ajuda de DEUS. Almeje a sua ajuda. O sorriso de DEUS é tudo o que você precisa para vencer as ciladas humanas". ( ) "Não se limite a buscar a ajuda de DEUS. Almeje a sua face. O sorriso de DEUS é tudo o que você precisa para vencer as ciladas humanas". ( ) "Não se limite a buscar a ajuda de DEUS. Almeje a sua misericórdia. O sorriso de DEUS é tudo o que você precisa para vencer as ciladas humanas". 10- Qual a resposta do salmista à sua própria pergunta? "Que darei eu ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito? ( ) Tomarei o cálice da salvação e invocarei o nome do Senhor. Pagarei os meus votos ao Senhor, agora, na presença de todo o seu povo". ( ) Tomarei o álamo da salvação e invocarei o nome do Senhor. Pagarei os meus votos ao Senhor, agora, na presença de todo o seu povo". ( ) Tomarei a coroa da salvação e invocarei o nome do Senhor. Pagarei os meus votos ao Senhor, agora, na presença de todo o seu povo". 11- Diante da miséria de sua gente, o que rogou John Knox? Qual foi o resultado de sua oração? ( ) "CRISTO, dá-me a América se não morrerei". Um avivamento varreu aquele país, levando milhares de impenitentes ao pé da cruz (a CRISTO). ( ) "CRISTO, dá-me a Alemanha se não morrerei". Um avivamento varreu aquele país, levando milhares de impenitentes ao pé da cruz (a CRISTO). ( ) "CRISTO, dá-me a Escócia se não morrerei". Um avivamento varreu aquele país, levando milhares de impenitentes ao pé da cruz (a CRISTO). 12- O que se deu com o patriarca Jó, enquanto orava por seus amigos? ( ) "E o Senhor virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o Senhor acrescentou a Jó outro tanto em dobro a tudo quanto dantes possuía" ( ) "E o Senhor virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o Senhor acrescentou a Jó outro tanto em triplo a tudo quanto dantes possuía" ( ) "E o Senhor virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o Senhor acrescentou a Jó outro tanto em riquezas quanto dantes possuía" 13- Complete: Não se limitava Daniel a confessar os pecados de seu povo; nessa confissão, sentida e repassada por um pranto incontido, também se _________________. Se lermos o capítulo nove do livro que lhe leva o nome, ver-nos-emos constrangidos a confessar cada uma de nossas ________________________. Alguém disse, certa vez, que Daniel não confessou os pecados de seu povo por atacado; ____________________ cada um deles. III. CULTIVANDO O HÁBITO DA ORAÇÃO 14- Qual observação John Bunyan, autor de O Peregrino, nos faz sobre o hábito da oração? ( ) "Jamais serás um pastor, se não fores uma pessoa de oração". ( ) "Jamais serás um missionário, se não fores uma pessoa de oração". ( ) "Jamais serás um cristão, se não fores uma pessoa de oração". 15- Quais as duas maiores providências devemos tomar para mantermos o hábito da oração? ( ) Orar diariamente e Orar o Pai-nosso. ( ) Orar insistentemente e Orar para não haver interferências. ( ) Orar cotidianamente e Orar sem interferências. 16- O que é "Orar cotidianamente"? Dê um exemplo de alguém que orava 3 vezes ao dia: ( ) "Orar continuamente". Daniel. ( ) "Orar continuamente". Davi. ( ) "Orar continuamente". Demétrio. 17- Complete: Procurava Daniel ______________ com o Senhor livremente, longe do atribulado cotidiano de Babilônia: "Daniel, pois, quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa (ora, havia no seu quarto janelas abertas da banda de Jerusalém), e ___________________ vezes no dia se punha de ______________________, e orava, e dava graças, diante do seu DEUS, como também antes costumava fazer" (Dn 6.10). 18- Qual a recomendação que nos faz o Senhor JESUS quanto à oração sem interferência? Complete: "Mas tu, quando _______________________, entra no teu _________________________e, fechando a tua porta, ora a teu Pai, que vê o que está _______________________; e teu Pai, que vê o que está oculto, te recompensará" (Mt 6.6). 19- Tem você um lugar e uma hora para a oração? ( ) Sim. ( ) Não. ( ) Vou ter a partir de hoje. CONCLUSÃO 20- Complete: Sem ____________________, jamais haveremos de mover a mão de DEUS para que haja sobrenaturalmente, no ___________________, por intermédio de seu povo. É chegado o momento de buscarmos, ainda mais, a _____________________de DEUS (Is 55.6). Palavra Chave: Oração - É o ato reverente e piedoso por meio do qual o crente adora e aproxima-se de DEUS. SINOPSE DO TÓPICO (1) - Oração é o ato reverente e piedoso através do qual o crente adora e se aproxima de DEUS, mediante a intercessão de nosso Senhor JESUS CRISTO. SINOPSE DO TÓPICO (2) - Os principais objetivos da oração: buscar a DEUS e agradecê-lo pelos imerecidos favores, interceder pelo avanço do Reino de DEUS, confessar os nossos pecados e apresentar a DEUS as necessidades pessoais. SINOPSE DO TÓPICO (3) - O cultivo da prática da oração se manifesta através da oração perseverante, cotidiana e bíblica, conforme Mateus 6.6. REFLEXÃO - "Se os que são chamados para a liderança e o ministério não forem cautelosos, acabarão tão rapidamente envolvidos com os negócios alheios, que o ato de esperar em oração no Senhor será menosprezado." (Robert L. Brandt) Ajuda: CPAD - www.cpad.com.br - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal. www.escoladominical.com.br - www.ebdweb.com.br http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm (VÍDEOS da EBD na TV) BÍBLIA ILUMINA EM CD - Bíblia de Estudo NVI EM CD - Bíblia Thompson EM CD. Nosso novo endereço: http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/ (http://www1.uol.com.br/biblia/shema/viver.htm) insejec@uol.com.br Revista Ultimato 269 QUE ACONTECE QUANDO A IGREJA ORA? (Pastor Geziel Gomes)