sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

ESCRITA - Lição 2, Uma Salvação Grandiosa, 1Tr18, Pr. Henrique, EBD NA TV

Lição 2, Uma Salvação Grandiosa
1º Trimestre de 2018 - Título: A Supremacia de CRISTO - Fé, Esperança e Ânimo na Carta aos Hebreus
Comentarista: Pr. José Gonçalves, pastor presidente das Assembleias de DEUS em Água Branca, PI.
Complementos, Ilustrações e Vídeos: Pr. Luiz Henrique de Almeida Silva - 99-99152-0454.
Ajuda - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/hebreus.htm
SLIDES DA LIÇÃO 2
 
 
TEXTO ÁUREO
"Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos, depois, confirmada pelos que a ouviram." (Hb 2.3)
 

VERDADE PRÁTICA
A salvação não é algo dado ao crente compulsoriamente. O cristão é exortado a ser vigilante e não negligente em relação a essa dádiva recebida.
 

LEITURA DIÁRIA
Segunda - Jo 10.9 JESUS deu testemunho de uma tão grande salvação
Terça - Hb 2.3 A Igreja Primitiva deu testemunho da salvação
Quarta - Hb 2.7,9 A salvação do homem tornou necessária a humanização do Redentor
Quinta - Hb 2.14 A eficácia da salvação é demonstrada na vitória sobre o Diabo
Sexta - Hb 2.15 A eficácia da salvação é demonstrada no triunfo sobre a morte
Sábado - Hb 2.18 A eficácia da salvação é demonstrada na vitória sobre as tentações

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Hebreus 2.1-18 
1 - Portanto, convém-nos atentar, com mais diligência, para as coisas que já temos ouvido, para que, em tempo algum, nos desviemos delas.  2 - Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição, 3 - como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos, depois, confirmada pelos que a ouviram; 4 - testificando também DEUS com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas, e dons do ESPÍRITO SANTO, distribuídos por sua vontade? 5 - Porque não foi aos anjos que sujeitou o mundo futuro, de que falamos; 6 - mas, em certo lugar, testificou alguém, dizendo: Que é o homem, para que dele te lembres? Ou o filho do homem, para que o visites? 7 - Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos, de glória e de honra ocoroaste e o constituíste sobre as obras de tuas mãos.8 - Todas as coisas lhe sujeitaste debaixo dos pés. Ora, visto que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou que lhe não esteja sujeito. Mas, agora, ainda não vemos que todas as coisas lhe estejam sujeitas; 9 - vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele JESUS que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de DEUS, provasse a morte por todos. 10 - Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas e mediante quem tudo existe, trazendo muitos filhos à glória, consagrasse, pelas aflições, o Príncipe da salvação deles. 11 - Porque, assim o que santifica como os que são santificados, são todos de um; por cuja causa não se envergonha de lhes chamar irmãos, 12 - dizendo: Anunciarei o teu nome a meus irmãos, cantar-te-ei louvores no meio da congregação. 13 - E outra vez: Porei nele a minha confiança. E outra vez: Eis-me aqui a mim e aos filhos que DEUS me deu. 14 - E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo, 15 - e livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão. 16 - Porque, na verdade, ele não tomou os anjos, mas tomou a descendência de Abraão. 17 - Pelo que convinha que, em tudo, fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de DEUS, para expiar os pecados do povo. 18 - Porque, naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados.

OBJETIVO GERAL - Explicar que a salvação não é algo dado ao crente compulsoriamente, por isso, ele deve ser vigilante e não negligenciar a graça recebida.
 
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Mostrar a grandiosidade da salvação divina;
Discutir a necessidade da salvação;
Saber que a salvação pela fé em CRISTO é eficaz.
 
INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Prezado(a) professor(a), estudaremos a exortação do escritor de Hebreus a respeito da grandiosidade da salvação. Salvação essa que recebemos mediante a fé em JESUS CRISTO. Ela é resultado da graça divina, mas CRISTO pagou um alto preço. Por isso, no capítulo dois, o autor aos Hebreus faz uma séria advertência a respeito dos que negligenciam tão grande salvação. Para redimir a humanidade pecadora, CRISTO assumiu a forma humana a fim de se identificar conosco e nos outorgar a salvação. Ele morreu por nós, mas ao terceiro dia ressuscitou coroado de glória e honra. CRISTO também nos elevou a uma condição superior, a de filhos(as) de DEUS. JESUS é superior aos anjos e a todas as coisas, e a salvação que Ele oferece é o maior bem que o ser humano pode obter, por isso não devemos negligenciar tal graça.

PONTO CENTRAL - Precisamos ser vigilantes e não negligenciarmos a salvação divina.
 
 
 
Resumo Ráppido do Pr. Henrique da Lição 2, Uma Salvação Grandiosa
I - UMA SALVAÇÃO GRANDIOSA
1. Testemunhada pelo Senhor.
2. Proclamada pelos que a ouviram.
3. Confirmada pelo ESPÍRITO SANTO.
II - UMA SALVAÇÃO NECESSÁRIA
1. Por intermédio da humanização do Redentor.
2. Por meio do sofrimento do Redentor.
3. Por intermédio da glorificação do Redentor.
III - UMA SALVAÇÃO EFICAZ
1. Vitória sobre o Diabo.
2. Vitória sobre a morte.
3. Vitória sobre a tentação.
 
SÍNTESE DO TÓPICO I - Pela fé em JESUS CRISTO recebemos uma salvação grandiosa.
SÍNTESE DO TÓPICO II - Depois da Queda a salvação tornou-se necessária, por isso, por meio da cruz, JESUS veio restaurar a humanidade
SÍNTESE DO TÓPICO III - O sacrifício de CRISTO foi único, eficaz e nos garante a vitória sobre o Diabo, a morte e a tentação.
 
PARA REFLETIR - A respeito de Uma Salvação Grandiosa, responda:
Segundo o autor aos Hebreus, qual a única maneira de manter-se no rumo certo?
No pensamento do autor só havia uma maneira de manter-se no rumo certo: ancorando o barco no porto seguro, JESUS.
Enquanto a Antiga Aliança foi intermediada por anjos, a Nova Aliança foi mediada por quem?
Enquanto a Antiga Aliança foi intermediada por anjos, a Nova Aliança tinha JESUS, o Filho de DEUS, como seu mediador.
Como os homens tornaram-se livres?
Por meio do sofrimento de CRISTO. 
O que foi preciso ser feito para que a salvação se efetivasse?
Para que a salvação se efetivasse o Salvador precisava sofrer e morrer pelos homens.
Por que JESUS CRISTO, o verdadeiro Sumo Sacerdote, sabe o que é ser tentado e, por isso, está pronto a nos ajudar nas fraquezas?
Por ter assumido a natureza humana, e se identificado com os homens nos seus limites, Ele sabe o que é ser tentado e por essa razão está pronto a ajudá-los. 
 
CONSULTE - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 73, p. 37
 
SUGESTÃO DE LEITURA - Doutrinas Bíblicas: o Fundamento da nossa Fé; Ele Escolheu os Cravos; Feridas que Curam
 
Resumo Rápido do Pr. Henrique da Lição 2, Uma Salvação Grandiosa
 
INTRODUÇÃO
No capítulo 2 de Hebreus vamos estudar sobre a gloriosa salvação. É preciso que os crentes estejam mais atentos para a salvação que ganharam e valorizem mais sua vida cristã em santidade e coragem. Foi pago um alto preço por esta salvação, custou o sangue de DEUS (At 20.28 - JESUS deu a vida por nós na cruz). Aqui há exortação, há advertência para os que manquejam, há encorajamento para os que desejam lutar. Há repreensão para os que apostatam da fé. JESUS nasceu e viveu como homem mortal por um período de aproximadamente 33 anos e meio, levou sobre ele nossos pecados e deu sua vida por nós na cruz, no calvário. Ao terceiro dia foi justificado em espírito e declartado justo (1 Tm 3.16). Ressuscitou e recebeu um corpo glorioso, subiu ao céu e recebeu todo poder no céu e na terra (Mateus 28:18).
Se a palavra que foi entregue a Mioisés (a lei), o mediador da antiga aliança, por anjos, imagine a superioridade da Palavra falada por JESUS CRISTO, o filho de DEUS, na Nova Aliança que é superior a tudo. Se alguém deixar ou abandonar esta salvação será condenado à perdição eterna, no lago de fogo e enxofre. Esta Palavra foi pregada por JESUS, confirmada e repetida por seus apóstolos e depois pela igreja, tendo confirmação de DEUS através de sinais, prodígiods e maravilhas e dons do ESPÍRITO SANTO distribuidos aos pregadores, desde JESUIS até hoje, à igreja. JESUS se santificpou a si mesmo para nos santificar. Para o povo ser santo, primeiro seus líderes devem ser. Um dia seremos entregues ao PAI. JESUS nos conduziré e dirá: "Eis-me aqui a mim e aos filhos que DEUS me deu". Glkória a DEUS!
Quando JESUS morre e ressuscita vence o pecado e a morte - agora nós ressucitaremos se morrermos e se estivermos vivos seremos transformados e subiremos ao seu encontro nos ares e estaremos para sempre com, Ele. Glóriaa DEUS.
O que é que nos leva a pensar que podemos escapar, se formos indiferentes a essa grande salvação anunciada pelo próprio Senhor Jesus, e que nos foi transmitida por aqueles que O ouviram falar? (Bíblia Viva)
Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue. Atos 20:28.
Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. 1 Coríntios 15:52
 
I - UMA SALVAÇÃO GRANDIOSA
 
Irmãos, a Bíblia em Hebreus não está falando de apenas se desviar e depois voltar. 
Esses exemplos de Sansão, Davi, Salomão, etc... Não servem para a lição.
Em Hebreus fala da apostasia.
Veja que em Hebreus 6 fala que nunca mais voltarão ao cristianismo e nem à salvação aqueles que abandonarem sua fé.
Exemplos do Antigo Testamento não valem. Não eram cristãos. Hebreus 6:4 Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, 5 E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, 6 E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério.
A salvação é tão grande que se alguém a abandonar será lançado no lago de fogo e enxofre.
 
 
1. Testemunhada pelo Senhor.
O autor faz um contraste entre as alianças do Sinai e do Calvário. Enquanto a Antiga Aliança foi intermediada por anjos (v.2), a Nova Aliança tinha JESUS, o Filho de DEUS, como seu mediador. O autor, então, faz uma analogia entre as duas Alianças para que o contraste entre ambas fique bem definido. Foi JESUS, o Filho de DEUS, e não os anjos, que anunciou essa tão grande salvação. Por serem mediadores da Lei, os anjos despertavam grande estima e respeito dos judeus por eles. Se uma Aliança firmada na Lei, mediada por anjos, imperfeita e transitória, requeria obediência por parte dos crentes, muito mais a Nova Aliança que é perfeita e eterna. Se quem não observava os princípios do Antigo Pacto, quebrando os seus preceitos, era punido de forma dura, que castigo merecia quem ultrajava a Nova Aliança, que em tudo era superior?

 
Por quem foram mediadas a Antiga Aliança e a Nova Aliança? Quais provas atestavam a veracidade das alianças? Quais castigos receberam os que não obedeceram à Antiga Aliança? Quais castigos estão sujeitos os que não obedecerem à Nova Aliança?
A Antiga Aliança foi mediada por Moisés. DEUS confirmou esta Aliança com sinais, prodígios e maravilhas no Egito, através de Moisés. Quem transguedia a antiga aliança era punido severamente - veja Dt 28 (maldições). Exemplo: Deuteronômio 28:58 Se não tiveres cuidado de guardar todas as palavras desta lei, que estão escritas neste livro, para temeres este nome glorioso e temível, o SENHOR TEU DEUS, 59 Então o Senhor fará espantosas as tuas pragas, e as pragas de tua descendência, grandes e permanentes pragas, e enfermidades malignas e duradouras; 60 E fará tornar sobre ti todos os males do Egito, de que tu tiveste temor, e se apegarão a ti. 61 Também o Senhor fará vir sobre ti toda a enfermidade e toda a praga, que não está escrita no livro desta lei, até que sejas destruído. 62 E ficareis poucos em número, em lugar de haverem sido como as estrelas dos céus em multidão; porquanto não destes ouvidos à voz do Senhor teu DEUS.
Sinais de autenticidade da Antiga Aliança - E mostraste sinais e prodígios a Faraó, e a todos os seus servos, e a todo o povo da sua terra, porque soubeste que soberbamente os trataram; e assim adquiriste para ti nome, como hoje se vê. Neemias 9:10
 

Os Anjos mediaram também a Antiga Aliança?
Enquanto a Antiga Aliança foi intermediada por anjos, a Nova Aliança foi mediada por quem?
Enquanto a Antiga Aliança foi intermediada por anjos, a Nova Aliança tinha JESUS, o Filho de DEUS, como seu mediador.

Os judeus se gabavam disso. A antiga aliança teve a ajuda intermediária de
anjos. Anjo apareceu a Moisés na sarça e também lhe entregou a lei escrita por
DEUS e depois reescrita pelo mesmo Moisés.

completados quarenta anos, apareceu-lhe o anjo do Senhor no deserto do monte
Sinai, numa chama de fogo no meio de uma sarça. Atos 7:30

E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça; e
olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia. Êxodo 3:2

A este Moisés, ao qual haviam negado, dizendo: Quem te constituiu príncipe e
juiz? a este enviou DEUS como príncipe e libertador, pela mão do anjo que lhe
aparecera na sarça. Atos 7:35

Vós, que recebestes a lei por ordenação dos anjos, e não a guardastes. Atos 7:53
 
 
PALAVRA FALADA POR ANJOS? QUE QUER ISTO DIZER?
Hebreus 2:2 Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda a transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição, * Na verdade isto se refere a entrega da lei por um anjo na mão de Moisés.
2.2 — A palavra falada pelos anjos. Deus entregou a Lei a Moisés por intermédio de Seus anjos (Dt 33.2; At 7.38,53; Gl 3.19). A desobediência ou obediência à Lei era punida ou recompensada. Em Hebreus 12.5-11, tal disciplina é discutida detalhadamente (Dt 28; 29; 30). Se a pessoa transgredisse a Lei, sua punição não era a perda da justificação ou regeneração, mas sim das bênçãos temporais e ela era disciplinada. Compare Deuteronômio 28.1—30.20 com Hebreus 12.5-11.
Deuteronômio 33. 2 Disse pois: O Senhor veio de Sinai, e lhes subiu de Seir; resplandeceu desde o monte Parã, e veio com dez milhares de santos; à sua direita havia para eles o fogo da lei. 3 Na verdade ama os povos; todos os seus santos estão na sua mão; postos serão no meio, entre os teus pés, e cada um receberá das tuas palavras.
Atos 7.38 Este é o que esteve entre a congregação no deserto, com o anjo que lhe falava no monte Sinai, e com nossos pais, o qual recebeu as palavras de vida para no-las dar.
Atos 7.53 Vós, que recebestes a lei por ordenação dos anjos, e não a guardastes.
Gálatas 3.19 Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade a quem a promessa tinha sido feita; e foi posta pelos anjos na mão de um medianeiro.
 
Por que necessitamos tão urgente de uma tão grande salvação? Porque a Bíblia nos ensina que o homem sem Deus está perdido, e, por esse motivo, precisa ser resgatado (Mc 10.45; Lc 19.10). “Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (Lc 19.10).
 
2. Proclamada pelos que a ouviram.
A Nova Aliança é mediada por JESUS, o filho de DEUS. DEUS confirmou e comtinua confirmando esta Aliança com sinais, prodígios e maravilhas no ministério de JESUS e de seus seguidores, a igreja. 
Atos 2.22 Homens israelitas, escutai estas palavras: A Jesus Nazareno, homem aprovado por Deus entre vós com maravilhas, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis; Atos 2:22 
Pelo poder dos sinais e prodígios, e pela virtude do Espírito de Deus; de maneira que desde Jerusalém, e arredores, até ao Ilírico, tenho pregado o evangelho de Jesus Cristo. Romanos 15:19 
Os sinais do meu apostolado foram manifestados entre vós com toda a paciência, por sinais, prodígios e maravilhas. 2 Coríntios 12:12 
Detiveram-se, pois, muito tempo, falando ousadamente acerca do Senhor, o qual dava testemunho à palavra da sua graça, permitindo que por suas mãos se fizessem sinais e prodígios. Atos 14:3 
 
Para os que deixarem a Nova Aliança está reservado o castigo eterno - o juízo e DEUS. 
Hebreus 6:4 Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, 5 E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, 6 E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério. 7 Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de Deus; 8 Mas a que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada. Mas,…
 
 
3. Confirmada pelo ESPÍRITO SANTO.
Hebreus 2:3
# (LTT2015) - LITERAL 2015 Como nós escaparemos- para- fora, se uma tão grande salvação havendo negligenciado? A qual, um começo havendo recebido (ao ser anunciada através de o Senhor), depois, por aqueles a havendo ouvido, a nós foi confirmada;
# (RVP - Reina Valera) como escaparemos nós se descuidarmos de tão grande salvação? Esta, havendo começado a ser anunciada por meio do Senhor, foi-nos confirmada pelos que a ouviram,
ARCA_COMPLETA como escaparemos nós, se não tivermos cuidado de [uma] tão grande salvação? a qual, começando a ser publicada pelo Senhor, foi-nos confirmada pelos que [a ele] o tinham ouvido.
BAM Como, então, escaparemos nós se agora desprezarmos a mensagem da salvação, tão sublime, anunciada primeiramente pelo Senhor e depois confirmada pelos que a ouviram,
BJP como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? Esta começou a ser anunciada pelo Senhor. Depois, foi-nos fielmente transmitida pelos que a ouviram,
BLivre como nós escaparemos, se descuidarmos de tão grande salvação? Ela, que começou a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos confirmada pelos que ouviram.
BPT Como podemos nós escapar se ficarmos indiferentes a uma oportunidade tão grande de salvação? Foi o próprio Senhor que primeiro anunciou esta salvação. Depois, aqueles que a ouviram confirmaram o seu valor para nós.
JFA-RA(Br) como escaparemos nós, se descuidarmos de tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram:
LTT Como nós escaparemos- para fora, se uma tão grande salvação havendo negligenciado? A qual, um começo havendo recebido (ao ser anunciada através de o Senhor), depois, por aqueles a havendo ouvido, a nós foi confirmada;
NTLH Sendo assim, como é que nós escaparemos do castigo se desprezarmos uma salvação tão grande? Primeiro, o próprio Senhor Jesus anunciou essa salvação; e depois aqueles que a ouviram nos provaram que ela é verdadeira.
NVI como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? Esta salvação, primeiramente anunciada pelo Senhor, foi-nos confirmada pelos que a ouviram.
VIVA que é que nos leva a pensar que podemos escapar, se formos indiferentes a essa grande salvação anunciada pelo próprio Senhor Jesus, e que nos foi transmitida por aqueles que O ouviram falar?
 
Confirmação do evangelho, da veracidade da Palavra de DEUS e dos homens de DEUS:
Veja que DEUS confirmou e continua confirmando três coisas com sinais, profígios e maravilhas e dons do ESPÍRITO SANTO.
a- Sua Palavra -
Marcos 16.15 E disse-lhes: Ide por todo omundo, pregai o evangelho a toda criatura. 16 Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. 17 E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; 18 Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porãoas mãos sobre os enfermos, e os curarão. 19 Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu, e assentou-se à direita de DEUS. 20 E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém. Marcos 16.15
Hebreus 2:3  Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram; 4 Testificando também DEUS com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do ESPÍRITO SANTO, distribuídos por sua vontade? Hebreus 2:3
 
b- Seus ministros e seus ministérios -
Os sinais do meu apostolado foram manifestados entre vós com toda a paciência, por sinais, prodígios e maravilhas. 2 Coríntios 12:12
 
c- Seu evangelho e sua salvação -
E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia; Atos 8:6
E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou de contínuo com Filipe; e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito. Atos 8:13
Na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da justiça, à direita e à esquerda, 2 Coríntios 6:7
E, convocando os seus doze discípulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demônios, para curarem enfermidades. Lucas 9:1
Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém. 1 Pedro 4:11
Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder. 1 Coríntios 4:20
Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Romanos 1:16
 
 
Para os que deixarem a Nova Aliança está reservado o castigo eterno - o juízo de DEUS.
Hebreus 6:4 Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do ESPÍRITO SANTO, 5 E provaram a boa palavra de DEUS, e as virtudes do século futuro, 6 E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de DEUS, e o expõem ao vitupério. 7 Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de DEUS; 8 Mas a que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada.
Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte. Apocalipse 21:8
E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo. Apocalipse 20:15
Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus. Salmos 9:17
Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo; 2 Pedro 2:4
 
 
 
II - UMA SALVAÇÃO NECESSÁRIA
1. Por intermédio da humanização do Redentor.
Era preciso que JESUS se fizesse homem e que estivesse sujeito à morte para morrer por nós e nos salvar - Neste período de tempo, 33 anos e meio aproximadamente, esteve como homem, menor que os anjos na questão de imortalidade do corpo (embora nunca tenha deixado de ser DEUS).
Por intermédio da humanização do Redentor. A quem se refere Hb 2.6-8? A Cristo ou ao homem?
Hb 2.6-6 Mas em certo lugar testificou alguém, dizendo: Que é o homem, para que dele te lembres? Ou o filho do homem, para que o visites? 7 Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos, De glória e de honra o coroaste, E o constituíste sobre as obras de tuas mãos; 8 Todas as coisas lhe sujeitaste debaixo dos pés.Ora, visto que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou que lhe não esteja sujeito. Mas agora ainda não vemos que todas as coisas lhe estejam sujeitas. JESUS é o homem perfeito que é mencionado também no salmo 8:4-6 (4 Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites? 5 Pois pouco menor o fizeste do que os anjos, e de glória e de honra o coroaste. 6 Fazes com que ele tenha domínio sobre as obras das tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés... , de onde veio a citação de Hb 2:6-8.
O que significa dizer que Cristo fora feito, por um pouco, menor do que os anjos? Durante um período de tempo e por uma necessidade de humanização de CRISTO para que fosse efetuada a salvação, Ele foi feito um pouco menor do que os anjos, embora, como DEUS continuou sendo DEUS e criador dos anjos, portanto superior a eles.
 
2. Por meio do sofrimento do Redentor.
Isaías 53.7 Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca. Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido. E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca. 10 Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão. 11 Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniqüidades deles levará sobre si. 12 Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores.
Para efetivação da salvação JESUS passou por castigos e morte na cruz. Pelo seu preciosos e imaculado sangue vertido na cruz fomos lavados e purificados de nossos pecados. Também pelos seus sofrimentos na carne fomos sarados.
Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Isaías 53:4
 
3. Por intermédio da glorificação do Redentor.
Cristo sofreu para ser glorificado ou Ele foi glorificado porque sofreu? Nem a salvação, nem a exaltação e nem a glorificação são por merecimento. 
JESUS não fez nada para merecer ser exaltado ou para ser glorificado, mas fez por amor a todos nós. DEUS prova seu amor para conosco em CRISTO JESUS deu a vida por nós sendo nós ainda pecadores (Rm 5:8).  “Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho Unigênito […]” (Jo 3.16);  Jesus disse que “ninguém tem maior amor do que este” (Jo 15.13); 
DEUS, o Pai, o exaltou e o glorificou por ter executado esta tão grande salvação e sem reclamar ou murmurar.
E o lugar da Escritura que lia era este: Foi levado como a ovelha para o matadouro; e, como está mudo o cordeiro diante do que o tosquia, Assim não abriu a sua boca. Atos 8:32
Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca. Isaías 53:7
 
III - UMA SALVAÇÃO EFICAZ
1. Vitória sobre o Diabo.
E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo; Hebreus 2:14
Segundo o autor aos Hebreus, qual a única maneira de manter-se no rumo certo? No pensamento do autor só havia uma maneira de manter-se no rumo certo: ancorando o barco no porto seguro, JESUS.
Esta salvação nos proporcionou vitória sobre o Diabo, pois ele foi destronado, tornado inoperante, ou seja, ficou sem suas armas. O que ele usava era o pecado para nos derrotar. O pecado nos levava à morte, tanto espiritual como do corpo. Agora nascemos de novo, fomos perdoados, justificados, eleitos como filhos, estamos esperando JESUS vir nois buscar para, se estivermos vivos neste dia, nem provarmos a morte. Glória a DEUS.
 
2. Vitória sobre a morte.
E livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão. Hebreus 2:15
Como os homens tornaram-se livres? Por meio do sofrimento de CRISTO. 
O que foi preciso ser feito para que a salvação se efetivasse? Para que a salvação se efetivasse o Salvador precisava sofrer e morrer pelos homens.
Esta salvação nos deu Vitória sobre a morte que nos colocava com medo de morrer e perder a salvação. Sabemos que depois de morrermos vamos receber novos corpos gloriosos na vinda de JESUS para nos buscar.
 
JÁ NÃO TEMOS MEDO DA MORTE
13 Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.14 Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele.15 Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem.16 Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.17 Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.18 Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.
1 Tessalonicenses 4:13-18
 
3. Vitória sobre a tentação.
Por que JESUS CRISTO, o verdadeiro Sumo Sacerdote, sabe o que é ser tentado e, por isso, está pronto a nos ajudar nas fraquezas?
Por ter assumido a natureza humana, e se identificado com os homens nos seus limites, Ele sabe o que é ser tentado e por essa razão está pronto a ajudá-los. 
Esta salvação nos deu também vitória sobre a tentação, pois JESUS nos ajuda a vencer as tentações pelas quais ELE mesmo passou e venceu. Glória a DEUS por tão grande salvação.
 
CONCLUSÃO
UMA SALVAÇÃO GRANDIOSA
A salvação é grandiosa porque foi testemunhada pelo Senhor, tendo ELE mesmo pregado sobre ela. Esta salvação também foi proclamada pelos que a ouviram Dele e dos apóstolos. Esta salvação foi confirmada pelo ESPÍRITO SANTO com sinais, prodígios e maravilhas e dons do ESPÍRITO SANTO operando através dos pregadores.
UMA SALVAÇÃO NECESSÁRIA
Para que a salvação pudesse fazer seu efeito perdoador e reconciliador foi realizada por intermédio da humanização do Redentor, JESUS que deus sua vida por nós. Para que houvesse salvação foi preciso o sofrimento do Redentor JESUS que depois de realizar tão grande salvação foi glorificado e exaltado pelo PAI.
UMA SALVAÇÃO EFICAZ
Esta salvação nos proporcionou vitória sobre o Diabo, pois ele foi destronado, tornado inoperante, ou seja, ficou sem suas armas. Esta salvação nos deu Vitória sobre a morte que nos colocava com medo de morrer e perder a salvação. Sabemos que depois de morrermos vamos receber novos corpos gloriosos na vinda de JESUS para nos buscar. Esta salvação nos deu também vitória sobre a tentação, pois JESUS nos ajuda a vencer as tentações pelas quais ELE mesmo passou e venceu.
Glória a DEUS por tão grande salvação.
 
OBSERVAÇÃO PARA SUPERINTENDENTES OU DIRETORES DE EBD
REUNIÕES DA EBD NAS CONGREGAÇÕES - Creio que em todas as congregações do Brasil existe uma reunião da EBD no início do ano para programar a EBD do ano. É preciso apresentar os novos professores, comunicar a saída de alguns, apresentar o diretor ou superintendente novo ou a continuação do mesmo, sempre com a presença do pastor da congregação. Também a mesma coisa deve ser feita com o departamento infentil - O Ideal é ter um diretor da EBD para adultos, jovens, juvenis; e uma diretora para dapartamento infantil que abrange faixas etárias até adolescentes. é preciso marcar uma data para reciclagem e aprendizado dos professores com um palestrante convidado. É preciso marcar data de evnagelismo por parte da EBD e de vigília da EBD e as reuniões semanais e trimestrais da EBD, etc... Isso é só o esqueleto, mas tem muito mais para se fazer em prol da EBD. Vamos lá, as lições estão ótimas. Paz do Senhor - Pr. Henrique
 
Subsídios em revistas e livros - com algumas modificações do Pr. Henrique
 
Revista CPAD - 3º Trimestre de 2001 - Título: Hebreus — “... os quais ministram em figura e sombra das coisas celestes” - Comentarista: Elinaldo Renovato
Lição 2: CRISTO, superior aos anjos - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/hebreus.htm
 
MAIS EXCELENTE EM SUA NATUREZA E NO SEU NOME
1. Os anjos na Bíblia.
Os anjos tiveram papel muito importante entre o povo de DEUS no Antigo Testamento. Ver Gn 19.1,15; 28.12; Êx 3.2; 23.20; Sl 103.20. No Novo, não foi diferente. Um anjo apareceu a José, revelando o nascimento sobrenatural de JESUS (Mt 1.20); um anjo removeu a pedra do sepulcro de JESUS, após sua ressurreição (Mt 28.2). Hoje, há uma verdadeira idolatria em torno desses seres celestiais. A Bíblia adverte: “Ninguém vos domine a seu bel-prazer, com pretexto de humildade e culto dos anjos” (Cl 2.18). Outras referências demonstram claramente a ação dos anjos, não só em favor de Israel, mas de todos os
servos de DEUS, em todo o mundo (cf. Sl 34.7).
2. A natureza dos anjos (vv.7,14).
O texto bíblico nos revela alguns aspectos relativos à natureza dos anjos. No v.7, lemos que DEUS “de seus anjos faz ventos, e de seus ministros labaredas de fogo”. É uma citação de Salmos 104.4. Eles são ministros usados por DEUS segundo a sua vontade, submissos a cada convocação sua, portanto, ficam muito aquém da natureza e das funções do Filho de DEUS. Por maiores que sejam os anjos, em comparação com CRISTO são apenas bafos de ventos e fagulhas de fogo. Eles são criaturas. JESUS é Criador, inclusive dos anjos (ver Jo 1.3). No v. 14, os anjos são chamados “espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação”.

A SUPERIORIDADE DE JESUS EM RELAÇÃO AOS ANJOS
1. Declarado Filho de DEUS, gerado pelo Pai.
No v.5, o escritor indaga: “a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, e ele me será por Filho?” Estas perguntas trazem em seu bojo a afirmativa de que CRISTO é superior aos anjos, por ter sido gerado pelo Pai. Ver também Rm 1.4. O escritor sacro reporta-se a Salmos 7.2, que diz: “Recitarei o decreto: O SENHOR me disse: Tu és meu Filho; eu hoje te gerei”. Essa questão é realmente difícil de entender. Sendo DEUS, em que sentido JESUS poderia ser gerado? A resposta está no grandioso milagre e mistério da sua encarnação, incompreensível à mente humana, que só entende um pouco das coisas terrenas.
2. O Filho pela ressurreição.
O escritor Lucas, no Livro de Atos, declara: “E nós vos anunciamos que a promessa que foi feita aos pais, DEUS a cumpriu a nós, seus filhos, ressuscitando a JESUS, como também está escrito no Salmo segundo: Meu filho és tu; hoje te gerei” (At 13.32,33). Sem ter deixado jamais de ser DEUS, JESUS foi  apresentado ao mundo publicamente, como Filho de DEUS, na ressurreição. Veja o que Paulo diz: “Declarado Filho de DEUS em poder, segundo o ESPÍRITO de santificação, pela ressurreição dos mortos - JESUS CRISTO, nosso Senhor” (Rm 1.4). De fato, se JESUS tivesse feito milagres, mas não houvesse ressuscitado, ninguém poderia crer que fosse o divino Filho de DEUS (Ver Mt 3.17; 17.5; Rm 1.4). Seria como Buda, Maomé, Chrisna, etc.
3. O Filho deve ser adorado pelos anjos (v.6).
“E quando outra vez introduz no mundo o primogênito, diz: E todos os anjos de DEUS o adorem”; “...por isso lhe darei o lugar de primogênito; fá-lo-ei mais elevado do que os reis da terra” (Sl 89.26,27).
4. JESUS está à direita de DEUS (v.13).
Esta é a posição de honra, dada somente a CRISTO, e a ninguém mais: “E a qual dos anjos disse jamais: Assenta-te à minha destra até que ponha a teus inimigos por escabelo de teus pés?”. Estêvão, quando estava sendo martirizado, contemplou JESUS à direita de DEUS (cf. At 7.55).
5. JESUS é Rei, Messias e Criador.
No v.8, lemos: “Mas do Filho diz: ó DEUS, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos, cetro de eqüidade é o cetro do teu reino”. Aqui o Filho é chamado DEUS, como de fato Ele o é, além de ser também Rei, cujo cetro (símbolo da autoridade real) é de retidão. Os anjos não têm poder de reino ou soberania. Nos vv.9-12, vemos que JESUS é apresentado como o Ungido, o Messias, e, ao mesmo tempo, como aquEle de quem a terra e “os céus são obra” de suas mãos. O v.13 prossegue exaltando a superioridade de CRISTO como o vencedor, pondo seus inimigos debaixo de seus pés.
 
A GRANDE SALVAÇÃO EM JESUS
1. Advertência contra o desvio (v.1-3).
Depois de apresentar o quadro da superioridade de CRISTO em relação aos anjos, o escritor aos Hebreus é levado a advertir os destinatários da carta (e a nós, também), quanto “às coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas” (v.1). E explica que, se “a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda a transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição”, indaga solenemente: “Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação...?” (v.3). Esta salvação, trazida por JESUS CRISTO, não foi efetivada por meras palavras, e sim, autenticada por DEUS, por meio de “sinais e milagres, e várias maravilhas e dons do ESPÍRITO SANTO...” (v.4). Quem se desvia da sua fé em CRISTO, corre o risco de perder-se para sempre (v.3).
2. JESUS, homem, um pouco menor que os anjos (2.7-9).
Esse é um aparente paradoxo encontrado na carta aos Hebreus, relacionado à encarnação de CRISTO. “Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele JESUS que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de DEUS, provasse a morte por todos”. A dedução é simples. JESUS, feito homem, despojou-se voluntariamente de parte de seus atributos, e sujeitou-se a morrer, na cruz, para que “provasse a morte por todos”. Nessa condição, em sua natureza humana, tornou-se “um pouco menor que os anjos”. Se não fosse assim, a sua natureza divina não o permitiria morrer, pois DEUS não morre.

JESUS, O FIEL SUMO SACERDOTE (2.9-18)
1. Tudo existe em função dEle (v.10a).
Para JESUS são todas as coisas, visto que elas existem por Ele e para Ele (Cl 1.16). E assim é, para que Ele traga “os filhos à glória”, e, pelas aflições, se tornasse “o príncipe da salvação deles” (v.10b). Os filhos, ou seja, os que o receberam, deu-lhes o poder (o direito) de serem feitos “filhos de DEUS” (Jo 1.12), e são chamados por CRISTO de “irmãos” (v.11). É sublime a declaração de CRISTO, em relação aos que são salvos por Ele. No v.13, Ele diz: “Eis-me aqui a mim, e aos filhos que DEUS me deu”. Esses são livres do “império da morte, isto é, do Diabo” (v.14), e da servidão (v.15).
2. Em tudo, foi semelhante aos irmãos (v.17).
Para poder cumprir sua missão salvadora, JESUS, “em forma de DEUS, não teve por usurpação ser igual a DEUS, mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens, e, achado na forma de homem, humilhou-se até à morte, e morte de cruz” (Fp 2.6-8). Assim, “feito um pouco menor que os anjos”, entregou-se a DEUS para, como “fiel sumo sacerdote”, expiar os pecados do povo (v.17)
3. Em tudo foi tentado (v.18).
Em sua condição humana, JESUS, o Filho do Homem, suportou a tentação, “para socorrer aos que são tentados”. Esta é uma afirmação consoladora para nós, os crentes, que durante a caminhada na Terra, somos acossados e ameaçados por várias tentações. Nosso DEUS, JESUS, não foi em sua missão um deus alienado dos seus adoradores e fiéis, como prega o deísmo. Pelo contrário, Ele se colocou no meio dos pecadores e, como eles, foi tentado até à cruz para lhes dar vitória sobre as tentações. Na verdade, Ele, “como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado” (Hb 4.15). Glória a DEUS, por isso!
  
Hebreus - SÉRIE Comentário Bíblico - SEVERINO PEDRO DA SILVA - CPAD
1 Portanto, convém-nos atentar, com mais diligência, para as coisas que já temos ouvido, para que, em tempo algum, nos desviemos delas.
O escritor agora procura voltar a atenção para aquilo que acabou de ser dito no capítulo primeiro acerca da elevada dignidade de CRISTO e sobre seu poder de salvar. Ele chama a atenção dos santos para que atentem “com mais diligência” para o grande valor da salvação que tinham recebido por meio do Evangelho da graça de DEUS. As coisas que eles tinham visto e ouvido eram suficientes para lhes garantir a certeza de que JESUS era o CRISTO, o Filho de DEUS, e que seu sacrifício expiatório tinha selado um novo pacto, feito por meio do seu sangue. Desviar-se, portanto, destas coisas, era voltar as costas para o maior e melhor benefício de DEUS a eles concedido, que doravante eram justificados em CRISTO, sem o rigor da Lei (cf. Rm 10.4). “Desviar-se” é o inverso de “enviado”, e a vontade de DEUS no procedimento cristão é que cada crente seja um enviado. Assim falou o Senhor JESUS depois de sua ressurreição, quando dava instruções aos seus discípulos: “Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós” (Jo 20.21 ).
2 Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição,
A palavra proferida pelos anjos em ambos os Testamentos, anunciando castigos ou determinando bênçãos, foi pronunciada em várias ocasiões; mas a lei de Moisés, conforme depreendemos de textos e contextos sagrados, deve aqui estar em foco. Estêvão lembrou aos judeus, dizendo: “Vós que recebestes a lei por ordenação dos anjos e não a guardastes” (Atos 7.53). E em Gálatas 3.19, Paulo diz que a Lei “... foi posta pelos anjos na mão de um medianeiro”. Era crença comum entre os judeus dos últimos dias que a Lei fora mediada por meio dos anjos. Essa Lei era firme — era a Palavra de DEUS —, e sua violação produziria sofrimentos apropriados, como punição. Ainda que DEUS seja tardio em irar-se, contudo chega o momento em que Ele põe termo à sua misericórdia, para aplicar a sua correção reparadora. Em alguns casos isso envolve apenas um indivíduo em particular; mas em outros, envolve nações inteiras. Essas punições são justas, e não explosões arbitrárias de vingança, pois sua própria justiça vindicava a Lei.
3 como escaparemos nós; se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos, depois, confirmada pelos que a ouviram;
A palavra “salvação” encontra-se nas páginas do Novo Testamento com profundo significado e infinito alcance, e no texto em foco seu significado assume uma posição ainda mais elevada pelo expressivo termo “grande”. Isso se deu porque mui grande foi o nosso pecado (Salmos 19.13). A redenção em CRISTO, o perdão dos pecados, a transformação segundo a sua imagem através da santificação, a glorificação e toda a plenitude de DEUS, e a vida última alcançada em CRISTO, são razões que tornam a redenção em “grande salvação”, porque esta foi efetuada por um grande Salvador, JESUS CRISTO, o nosso Senhor. Por esta razão podemos dizer: “Bendito o Senhor, DEUS de Israel, porque visitou e remiu o seu povo! E nos levantou uma salvação poderosa...” (Lc 1.68,69). Assim, “... onde o pecado abundou, superabundou a graça; para que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por JESUS CRISTO, nosso Senhor” (Rm 5.20,21).
4 testificando também DEUS com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas, e dons do Espirito SANTO, distribuídos por sua vontade?
Aqui neste versículo está em foco a operação miraculosa do ESPÍRITO SANTO em ambos os Testamentos, mas a ênfase maior recai do Pentecostes ao período quando esta epístola estava sendo escrita, quando as manifestações dos dons espirituais eram evidentes em cada reunião. No entanto, as bênçãos materiais em plenitudes também são aqui adicionadas nas vidas cristãs e por extensão, nas vidas de outros povos. Paulo lembrou aos povos da Licaônia, dizendo: “... [DEUS] não se deixou a si mesmo sem testemunho, beneficiando-vos lá do céu, dando-vos chuvas e tempos frutíferos, enchendo de mantimento e de alegria o vosso coração” (Atos 14.17). E em Efésios 3.20, Paulo acrescenta: “Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a esse glória na igreja, por JESUS CRISTO...” (ênfase do autor). E ainda em Filipenses 4.19, o apóstolo reforça o mesmo significado do pensamento, quando diz: “O meu DEUS, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por CRISTO JESUS”.
5 Porque não foi aos anjos que sujeitou o mundo futuro,de que falamos;
Este mundo vindouro de que fala o texto será administrado pelo Filho de DEUS. Ele é quem será exaltado ali, e não os anjos ou outro personagem da esfera terrena ou celestial. O mundo futuro era concebido pelos judeus para indicar o reino messiânico de CRISTO; mas aqui indica algo que vai mais além: ele inclui também o estado eterno, quando tanto o Filho como o Pai serão “tudo em todos” (cf. I Co 15.28). Na esfera celestial, onde não existe disputa pelo poder, ganância por grandeza ou ostentação, tudo é tratado em sentido comum. Por esta razão, “há um só corpo e um só ESPÍRITO, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só DEUS e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos, e em todos” (Ef 4.4-6). Por isso nos é dito que aqueles que praticam o mal, não “... [têm] herança no Reino de CRISTO e de DEUS”. Assim, fica evidenciado que o Reino eterno, onde JESUS será o Soberano Dominador, pertence tanto a DEUS Pai como a seu Filho JESUS CRISTO (Ef 5.5).
6 mas, em certo lugar, testificou alguém: Que é o homem, para que dele te lembres? Ou o filho do homem, para que o visites?
Certa vez, alguém testificou, usando o trecho de Salmos 8.4-6, que diz: “Que é o homem mortal para que te lembres dele? E o filho do homem, para que o visites? Contudo, pouco menor o fizeste do que os anjos e de glória e de honra o coroas- te. Fazes com que ele tenha domínio sobre as obras das tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés”. Esta passagem fala de CRISTO em primeiro plano e também fala do homem. Porém, podemos ver a questão da ênfase aqui — o que é dito do princípio ao fim deve aplicar-se tanto a CRISTO como aos homens, pois Ele se tornou verdadeiro homem, compartilhando perfeitamente da posição humana. Era impossível que CRISTO morresse sendo apenas DEUS — porque DEUS não pode morrer (I Tm 6.16). Ele possui em sua natureza a imortalidade. Portanto, CRISTO se humanizou para poder morrer e assim, por meio de sua morte, poder salvar os homens.
7 Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos, de glória e de honra o coroaste e o constituíste sobre as obras de tuas mãos.
A linguagem aqui empregada dignifica tanto a pessoa de CRISTO como sua obra redentora em favor dos homens. CRISTO, por amor de nós, sendo DEUS — se fez homem; sendo Senhor se fez servo, sem queixar-se — se fez pobre, sendo divino — se fez humano, sendo Senhor dos anjos; por amor dos pecadores, se fez menor do que eles, quando “... aniquilou a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também DEUS o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo o nome” (Fp 2.7-9). Existem várias maneiras através das quais alguém pode conseguir alguma espécie de glória e honra. Uma delas pode ser técnica — preparada por alguém que dispõe dos meios e das circunstâncias. Pode ser também por usurpação — por alguém que, usando de meios ilícitos e esperteza, consegue atingir uma posição elevada aos olhos humanos. E pode ser, ainda, por merecimento — como aqui, no caso de CRISTO. Ele foi coroado de glória e de honra pelo Pai, porque é digno de toda a honra e de toda a glória!
8 Todas as coisas lhe sujeitaste debaixo dos pés. Ora, visto que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou que lhe não esteja sujeito. Mas agora, ainda não vemos que todas as coisas lhe estejam sujeitas;
O total domínio de CRISTO começará seu processo de aceleração no princípio de formação do reino milenial, quando a dispensação da plenitude dos tempos terá início, e quando DEUS “tornar a congregar em CRISTO todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra” (Ef 1.10 ). Já no Armagedom, a grande vitória de CRISTO sobre o Anticristo e suas hostes aponta para esse tempo do fim, quando todos os inimigos do Filho de DEUS entrarão num processo acelerado de enfraquecimento. CRISTO reinará. Todos os seus inimigos, sejam eles humanos ou angelicais, serão destruídos. “Depois, virá o fim, quando tiver entregado o Reino a DEUS, ao Pai, e quando houver aniquilado todo império e toda potestade e força” (I Co 15.24 ). Quando isso acontecer, “... então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que DEUS seja tudo em todos” (v. 28).
9 vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele JESUS que fora Jeito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de DEUS, provasse a morte por todos.
Estes seres celestiais já contam na presente era com a felicidade da vida última, isto é, são seres imortais. Esta capacidade lhes dá condição de serem superiores aos homens, que são seres mortais. Porém, quanto à pessoa de nosso Senhor JESUS CRISTO, são inferiores a Ele em cinco pontos. Ainda que por um pouco de tempo, “JESUS... fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte” (Hb 2.9 ).
a— Os anjos são “criaturas” de DEUS. Ainda que chamados “filhos de DEUS”, contudo, não têm em si a condição
original peculiar ao Senhor JESUS, que é chamado de “O unigênito Filho de DEUS”. Por este motivo, JESUS foi “feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles” (Hb 1.4).
b— Em razão da adoração, os anjos são inferiores a CRISTO; eles são adoradores, enquanto CRISTO é adorado!
c— Os anjos são ministros da salvação; JESUS é o Autor da salvação. Isso certamente o coloca acima de qualquer posição angelical.
4° — Os anjos foram criados; CRISTO é o Criador.
d— Os anjos são súditos; CRISTO é o Senhor. Ora, tanto no passado como no presente, e, mormente no futuro, os anjos foram, são e serão súditos do Reino de DEUS, porém CRISTO foi, é e sempre será o soberano Senhor (Hb 2.5-9 ).
10 Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas e mediante quem tudo existe, trazendo muitos filhos à glória, consagrasse, pelas aflições, o Príncipe da salvação deles.
O Filho de DEUS, quando se humanizou, despojou-se de toda a sua glória que tinha com o Pai. Por cuja razão Ele orou, dizendo: “... agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse”. Mais adiante, continuando sua Oração Sacerdotal, nosso Senhor diz ao Pai que repartiu com seus discípulos a glória que dEle havia recebido: “E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um” (Jo 17.5,22 ). Portanto, este privilégio de se apresentar ao Pai levando consigo “muitos filhos à glória” lhe pertence por direito e por resgate. Uma vez que a missão de CRISTO foi completada, Ele foi glorificado. Contudo, esta missão foi consumada por meio de suas aflições. “Porventura, não convinha que o CRISTO padecesse essas coisas e entrasse na sua glória?” — assim afirma o texto de Lucas e o contexto que temos aqui neste versículo (Lc 24.26 ).
11 Porque, assim o que santifica como os que são santificados, são todos de um; por cuja causa não se envergonha de lhes chamar irmãos,
O direito de filiação divina dar-se-á para aqueles que aceitam a JESUS como Salvador. A esses, JESUS “... deu-lhes o poder de serem feitos filhos de DEUS: aos que crêem no seu nome, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de DEUS” (Jo 1.12,13 ). A partir daí, dentro da comunidade cristã, o termo “irmão” é usado para indicar o amor mútuo, a compaixão e o respeito por aqueles que confiam em CRISTO e pertencem à mesma família espiritual. Os anjos não são chamados de nossos irmãos, porque pertencem a uma outra ordem elevada, isto é, uma ordem espiritual. Mas na esfera do trabalho para DEUS, eles são nossos conservos (Ap 22.9 ). Contudo, o mais importante neste contexto é que aquEle que nos santifica (JESUS) chama-nos de “meus irmãos” e de “meus amigos”
12 Anunciarei o teu nome a meus irmãos, cantar- te -ei louvores no meio da congregação.
O louvor, em si mesmo, é um sacrifício que agrada a DEUS (Hb 13.15 ). E CRISTO em tudo procurou fazer a vontade do Pai, e sempre lhe oferecia este tipo de sacrifício dos lábios, dando-nos assim o exemplo de que até o louvor que a DEUS oferecemos deve passar por Ele. E isso que depreendemos de Hebreus 13.15, que diz: “... ofereçamos sempre, por ele [JESUS], a DEUS sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome”. Muitos têm pensado que JESUS era uma pessoa extremamente sisuda. Contudo, pelo contrário, JESUS era bem-humorado. Seu porte era impressionante e sua presença sempre inspirava confiança e segurança naqueles que o seguiam. E tudo quanto Ele fazia, o fazia de coração e com toda a pureza e dignidade de sua alma e como forma de gratidão a DEUS.
13 E outra vez: Porei nele a minha confiança. E outra vez: Eis-rne aqui a mim e aos filhos que DEUS me deu.
Historicamente falando, parece que o pano de fundo desta primeira citação é a passagem de Salmos 18.2, enquanto na segunda pode estar em foco Gênesis 33.5; Isaías 8.18 e João 17.12. A primeira delas deve ser a citação de Gênesis que está em foco, e saiu dos lábios de Jacó, quando disse a seu irmão Esaú: “[estes são] Os filhos que DEUS graciosamente tem dado a teu servo”. E a segunda deve ser Isaías 8.18, que diz: “Eis- me aqui, com os filhos que me deu o Senhor...” No dia do arrebatamento, todos os filhos de DEUS comparecerão perante o Pai, conduzidos por JESUS, o seu primogênito — e ali Ele dirá aos anjos e também ao próprio Pai: “Eis-me aqui a mim e aos filhos que DEUS me deu”. Todos estes filhos eram filhos de DEUS, mas durante a dispensação da graça foram transferidos por direito e por resgate para nosso Senhor JESUS CRISTO. Ele mesmo afirmou que isso fora feito por um ato da própria vontade de DEUS, dizendo: “Manifestei o teu nome aos homens que do mundo me deste; eram teus, e tu mos deste, e guardaram a tua palavra” (Jo 17.6).
14 E, visto que os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo,
O Diabo é citado em 7 livros do Antigo Testamento e em 19 do Novo Testamento. Porém, a única ocorrência que temos do seu nome na Epístola aos Hebreus é aqui no versículo 14. A humanidade de JESUS, que o possibilitou de participar “... da carne e do sangue” (tornar-se humano), foi necessária para Ele e benéfica para a humanidade. Somente através deste caminho de humilhação Ele tornou-se capaz de ‘... aniquilar o que tinha o império da morte, isto é, o diabo”. Esse triunfo de CRISTO sobre o Diabo e seu império de terror é enfatizado por Paulo, quando diz: “Havendo [CRISTO] riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo” (Cl 2.14,15 ). A cédula que era contra nós era o “império da morte”. Com efeito, porém, este império foi por CRISTO aniquilado (Jo 5.24; Ap 2.11 ).
15 e livrasse todos os que com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão.
O pecado praticado pelo primeiro homem, Adão, furtou da humanidade a verdadeira vida de liberdade, impondo sobre cada criatura humana o silêncio da morte — assim a morte passou a todos os homens...” (Rm 5.12 ). Este estado de morte e servidão afetou toda a criação e esta passou a gemer. Por esta razão, há uma “... ardente expectação” de cada criatura, esperando a “manifestação dos filhos de DEUS”. Este gemido da criação é um gemido doloroso. No entanto, com a morte de CRISTO na cruz, se inicia uma nova era de libertação: primeiro para todo aquele que crê no seu nome e aceita seu plano redentor; segundo, numa era futura, que será o Milênio. DEUS, por meio de CRISTO, libertará sua criação da servidão que o pecado lhe impôs. E em lugar da servidão que coloca sua criação num estado triste e inativo, estabelecerá seu Reino eterno de poder e glória, que terá início no Milênio e continuará por toda a eternidade (cf. Rm 8.18-23; 2 Pe 3.13 ).
16 Porque, na verdade, ele não tomou os anjos, mas tomou a descendênàa de Abraão.
Ao ser questionado pela mulher samaritana diante do poço de Jacó a respeito do lugar ideal para adoração, JESUS lhe respondeu: “Mulher, crê-me que a hora vem em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus” (Jo 4.21,22 ). Alguns comentaristas opinam que o nome de Adão aqui fosse mais apropriado, para completar a frase: “a descendência de Adão”, pois todos os homens, judeus e gentios, são seus descendentes. Entretanto, o nome Abraão talvez seja mais abrangente, indicando todos aqueles que são seus descendentes espirituais, tornando-se assim no “Israel de DEUS” (Gl 6.16). E, em sentido direto, CRISTO é sua “posteridade”. Portanto, o período de preparação para que o plano da redenção se completasse foi confiado não aos anjos, mas à descendência (os judeus) de Abraão, através da qual viria o “descendente” — que é CRISTO — para consumar a redenção.
17 Pelo que convinha que, em tudo, fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de DEUS, para expiar os pecados do povo.
Na Epístola aos Hebreus, CRISTO é chamado por vários apelativos no que diz respeito à ordem sacerdotal. Isso demonstra sua superioridade em termos comparativos aos filhos de Arão, ou até mesmo a um outro sacerdote de uma ordem ou casta sacerdotal qualquer, terrena ou celestial. CRISTO é, portanto:
- Um sumo sacerdote (Hb 4.15; 5.6,10; 6.20);
- Um fiel sumo sacerdote (Hb 2.17 );
- Sumo sacerdote da nossa confissão (Hb 3.1 );
- Grande sumo sacerdote (Hb 4.14; 10.21 );
- Um outro sacerdote [quer dizer, especial: como nem mesmo Arão ou Melquisedeque o foram], mas o próprio Filho de DEUS (Hb 7.11,28);
- Sacerdote eterno (Hb 7.17,22 );
- Sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado (Hb 7.26 );
Sumo sacerdote tal — além de qualquer possibilidade que a mente humana possa compreender (Hb 8.1 );
- Sumo sacerdote dos bens futuros (Hb 9.11 ).
-Com respeito, porém, à sua humanidade, Ele se tornou: “semelhante aos irmãos”.
18 Porque naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados.
Aprendemos de vários textos sagrados que a tentação em si não é ainda o pecado, mas ela pode conduzir a pessoa ao pecado. Socorrer aqueles que estão sendo tentados faz parte da missão misericordiosa do Filho de DEUS. E esse pensamento que encontra-se encravado no texto em foco, quando diz: “... naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados”. Algumas tentações nos sobrevêm como verdadeiras flechas inflamadas do maligno, “... mas fiel é DEUS, que vos não deixará tentar acima [além] do que podeis; antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar” (I Co 10.13 ). Em outras ocasiões, elas são neutralizadas antes mesmo de atingir os salvos. E por esta razão que JESUS nos ensinou a orar e mandou também que orasse-mos, dizendo: “... não nos induzas à tentação” e acrescenta: “... vigiai e orai, para que não entreis em tentação” (Mt 6.13; 26.41 ). Este “escape”, providenciado por DEUS em meio à tentação, é que nos faz triunfar por meio de nosso Senhor JESUS CRISTO.
 

AJUDA BIBLIOGRÁFICA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.
O Novo Dicionário da Bíblia - J.D.DOUGLAS.
Revista Ensinador Cristão - CPAD.
Comentário Bíblico Beacon, v.5 - CPAD.
GARNER, Paul. Quem é quem na Bíblia Sagrada. VIDA
CHAMPLIN, R.N. O Novo e o Antigo Testamento Interpretado versículo por Versículo. 
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD.
AS GRANDES DEFESAS DO CRISTIANISMO - CPAD - Jéfferson Magno Costa
O NOVO DICIONÁRIO DA BÍBLIA – Edições Vida Nova – J. D. Douglas
Comentário Bíblico Expositivo - Novo Testamento - Volume I - Warren W. Wiersbe
http://www.gospelbook.net
www.ebdweb.com.br
http://www.escoladominical.net
http://www.portalebd.org.br/
Comentário Bíblico TT W. W. Wiersbe
Teologia Sistemática Pentecostal - A Doutrina da Salvação - Antonio Gilberto - CPAD
Bíblia The Word.
Teologia Sistemática - Conhecendo as Doutrinas da Bíblia - A Salvação - Myer Pearman - Editora Vida
CRISTOLOGIA - A doutrina de JESUS CRISTO - Esequias Soares - CPAD
Conhecendo as Doutrinas da Bíblia - Myer Pearman - Editora Vida
Dicionário Bíblico Wycliffe - CPAD
Teologia Sistemática de Charles Finney
A CARTA AOS HEBREUS - Introdução e Comentário por DONALD GUTHRIE - SOCIEDADE RELIGIOSA EDIÇÕES VIDA NOVA E ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA EDITORA MUNDO CRISTÃO
SÉRIE Comentário Bíblico - HEBREUS - As coisas novas e grandes que DEUS preparou para vocè - SEVERINO PEDRO DA SILVA