quinta-feira, 26 de março de 2009

LIÇÃO 13 - A DESPEDIDA DE UM LÍDER

RESUMO DAS LIÇÕES DO 1º TRIMESTRE DE 2009 EM FIGURAS ILUSTRATIVAS
LIÇÃO 13 - A DESPEDIDA DE UM LÍDER Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 1º TRIMESTRE DE 2009 Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antônio Gilberto Complementos e questionários: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva TEXTO ÁUREO "Eu e a minha casa serviremos ao Senhor" (Js 24.15)
VERDADE PRÁTICA DEUS usa homens obedientes à sua vontade e que estejam dispostos a servi-Lo com fidelidade e humildade.
Leitura Bíblica em Classe: Js 24.14-18 14 Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com sinceridade e com verdade, e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais dalém do rio e no Egito, e servi ao SENHOR. 15 Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, rescolhei hoje a quem sirvais: se os deuses a quem serviram vossos pais, que estavam dalém do rio, ou os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR. 16 Então, respondeu o povo e disse: Nunca nos aconteça que deixemos o SENHOR para servirmos a outros deuses; 17 porque o SENHOR é o nosso DEUS; ele é o que nos fez subir, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da servidão, e o que tem feito estes grandes sinais aos nossos olhos, e nos guardou por todo o caminho que andamos e entre todos os povos pelo meio dos quais passamos.18 E o SENHOR expeliu de diante de nós a todas estas gentes, até ao amorreu, morador da terra; também nós serviremos ao SENHOR, porquanto é nosso DEUS. JOSUÉ, FILHO DE NUM. Josué tinha sido um auxiliar achegado e amigo fiel de Moisés durante os quarenta anos da peregrinação de Israel no deserto (Êx 17.8-13; 24.13; 32.17-19; Nm 13.8-16). Homem cheio do ESPÍRITO SANTO, já designado sucessor de Moisés (Nm 27.18-24; Dt 34.9). DEUS agora o mandava conduzir o povo dEle para a terra da promessa (ver Gn 12.6,7; 15.18-21). O nome Josué significa "o Senhor é salvação". A forma grega desse nome é "JESUS" (ver Mt 1.21). Josué é um tipo (ou figura) de JESUS CRISTO, pelo fato de introduzir o povo de DEUS na terra prometida e conduzi-lo à vitória sobre seus inimigos (Hb 4.1,6-8). A conquista de Canaã (Palestina) começou cerca de 1405 a.C., e a liderança de Josué sobre Israel durou cerca de vinte e cinco anos AJUNTOU JOSUÉ TODAS AS TRIBOS. Josué, no ocaso da sua vida, conclamou todo o povo para uma última reunião com Israel a fim de levá-lo a uma renovação do concerto, em que se comprometeram a servir ao Senhor com fidelidade e dedicação. Josué não destacou a sua atuação como líder; pelo contrário, concentrou sua atenção na bondade de DEUS e seu cuidado para com Israel no passado (vv. 2-13), e repetidas vezes os admoestou a permanecerem leais ao Senhor (vv. 14-28). Os autênticos dirigentes do povo de DEUS precisam ter o mesmo zelo que Josué teve pelo nome de DEUS. Devem exortar os fiéis a amarem ao Senhor, a servirem somente a Ele e se separarem das práticas e do viver do mundo. 24.15 EU E A MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR. No processo da salvação por DEUS concedida, está o assunto da escolha individual. Depende de cada um decidir a quem servir continuamente.Como no caso de Josué e dos israelitas, permanecer em DEUS não é um ato isolado no tempo e ocorrido uma única vez (cf. 1.16-18; Dt 30.19,20); precisamos vez por outra reafirmar nossa decisão feita de permanecer na fé e em obediência. A reafirmação de decisões justas, feitas pelo crente, inclui temor ao Senhor, lealdade à verdade, a obediência sincera e renúncia ao pecado e todos os prazeres a ele associados (vv. 14-16). Deixar de servir e amar ao Senhor resultará depois em julgamento e destruição (v. 20; 23.11-13). 24.16 NUNCA NOS ACONTEÇA QUE DEIXEMOS O SENHOR. A promessa do povo, de servir somente o Senhor, foi cumprida, mas somente enquanto Josué viveu, juntamente com os anciãos daqueles dias. Pouco tempo depois da morte de Josué, o povo deixou o Senhor e começou a servir a outros deuses (Jz 2.11-19). 24.25 ASSIM, FEZ JOSUÉ CONCERTO... COM O POVO. A renovação do concerto entre o Senhor e Israel importou num duplo compromisso. (1) DEUS prometeu cuidar do seu povo, e (2) Os israelitas comprometeram-se a servir unicamente ao Senhor DEUS. Foi um pacto permanente e mútuo entre Israel e DEUS. Segundo o novo concerto mediante a morte de CRISTO, o crente também se compromete a seguir a CRISTO através do arrependimento, fé e obediência. Ele, por sua vez, comprometeu-se a ser nosso Senhor e Salvador e a nos conduzir ao lar celestial, à presença do Pai. Assim como aconteceu a Israel no AT, primeiramente DEUS veio até nós com misericórdia e graça e estabeleceu as condições do novo concerto. Nós, como Israel dos tempos antigos, devemos viver segundo os princípios do concerto. Palavra chave: Despedida - Últimas palavras ou atos que encerram uma atividade. Deu-lhes também uma palavra de advertência: se eles se desviassem, apegando-se ao restante dos povos cananeus, misturando-se com eles, o SENHOR não expulsaria esses povos, e eles se tornariam uma praga para os israelitas, que viriam então a perecer ali. O povo já havia enfrentado com sucesso o maior perigo de invadir a terra e conquistar o suficiente dela para se estabelecer, e isto o tinha mantido coeso e fiel. Josué estava percebendo que, ao entrar no descanso e gozar de abundância e prosperidade, eles seriam tentados a se afastar de DEUS. É a velha história da natureza humana, repetida vez após vez! O que Josué temia, aconteceu, como o revela o livro dos Juízes. No capítulo 24 Josué fala a todo o povo. Usando as palavras que lhe foram dadas pelo SENHOR, ele lembrou aos israelitas como foram abençoados a partir de Abraão, recebendo sem esforço a sua herança, pois fora o SENHOR quem derrotara os seus inimigos. Josué conclamou-os a temer ao SENHOR e servi-lo com integridade e fidelidade. Para isso era necessário que tomassem uma decisão definitiva: ou servir ao SENHOR ou servir aos falsos deuses da região. Era impossível servir ao SENHOR e também aos outros deuses! Ele próprio já tinha decidido: ele e a sua casa serviriam ao SENHOR. O povo respondeu que, em vista do que o SENHOR havia feito por eles, eles O serviriam também. Mas Josué ponderou que, se tomassem essa decisão, corriam o risco de ser consumidos pelo SENHOR se mais tarde eles O deixassem para servir a deuses estranhos. Ele é um DEUS santo e zeloso que não perdoaria a sua transgressão nem os seus pecados. Mas o povo confirmou a sua decisão, e Josué mandou que jogassem fora os deuses estranhos que havia entre eles e se dedicassem ao SENHOR DEUS de Israel. Tudo isto foi então escrito e juntado aos cinco livros de Moisés. Josué faleceu aos cento e dez anos, sendo sepultado na sua própria herança. Também foram sepultados os ossos de José, que haviam sido trazidos do Egito, na herança de seus filhos. Faleceu também o sacerdote Eleazar, filho de Arão e foi sepultado na herança de seu filho Finéias. Epílogo: testamento de Josué (Dt 28,1-68; 1 Sm 12,1-25; 1 Rs 2,1-9) – 1Havia muito tempo que o Senhor tinha dado tranqüilidade a Israel, livrando-o de todos os seus inimigos vizinhos. Josué era já velho, avançado em anos. 2Convocou, então, todo o Israel, os seus anciãos, os seus chefes, os seus juízes e os seus oficiais, e disse-lhes: «Estou velho, de idade avançada. 3Vós presenciastes tudo o que o Senhor vosso DEUS fez, tirando todos estes povos da vossa frente; é que foi o Senhor, vosso DEUS, quem combateu por vós. 4Vede! Eu distribuí, por sortes, para as vossas tribos, todas essas nações que restam, e também aquelas que exterminei desde o Jordão até ao Mar Grande, a ocidente. 5O Senhor as expulsará e despojará diante de vós, e vos há de dar em posse a sua terra, como Ele mesmo vos prometeu, o Senhor, vosso DEUS. 6Esforçai-vos, pois, por cumprir fielmente tudo quan­to está escrito no livro da Lei de Moisés, sem vos des­viardes nem para a direita, nem para a esquerda.» Procedimento com os pagãos – 7«Não vos mistureis com esses povos que ficaram a habitar no meio de vós, não invoqueis o nome dos seus deuses, nem jureis pelo seu nome, nem lhes presteis culto. 8Pelo contrário, permanecei unidos ao Senhor vosso DEUS, conforme tendes feito até agora. 9O Senhor despojou em vosso favor grandes e poderosas nações; ninguém até hoje vos pôde resistir. 10Um só de entre vós punha em fuga mil inimigos, porque o Senhor vosso DEUS combatia por vós, como Ele vos havia prometido. 11Tende, pois, grande cuidado em amar o Senhor, vosso DEUS. 12Pois se vos desviardes e vos unir­des ao que resta destas nações que habitam entre vós, misturando-vos com elas e contraindo com elas matrimônio, 13ficai a saber que o Senhor vosso DEUS não as ex­terminará diante de vós. Pelo con­trá­rio, elas hão de converter-se para vós em laços e ciladas, azorrague sobre as vossas costas e espinhos nos vossos olhos, até desaparecer­des desta terra fértil que vos deu o Se­nhor vosso DEUS. 14Eis que me vou hoje pelo caminho de todos. Reconhecei, de todo o vosso coração e de toda a vossa alma, que, de quantas pro­mes­sas vos fez o Senhor vosso DEUS, nem uma só ficou sem efeito: todas se cumpriram, sem falhar nenhuma. 15Assim como, pois, se realizaram todas as promessas que vos fez o Senhor vosso DEUS, assim também Ele há de cumprir contra vós todas as palavras com que vos ameaçou, até fazer-vos desaparecer desta terra fértil, que vos deu o Senhor, vosso DEUS. 16Se violardes a aliança que o Senhor, vosso DEUS, fez convosco, servindo a outros deuses e prostrando-vos diante deles, a cólera do Senhor se há de inflamar contra vós e, em breve, desaparecereis desta terra excelente que Ele vos deu.» Discurso em Siquém – 1Josué reuniu todas as tribos de Israel em Siquém, e convocou os seus anciãos, chefes, juízes e oficiais; todos se apresentaram diante de DEUS. 2Então, Josué disse a todo o povo: «Eis o que diz o Senhor, DEUS de Israel: ‘Vossos pais, Terá, pai de Abraão e de Naor, habitavam ao princípio do outro lado do rio e serviam outros deuses. 3Tomei o vosso pai Abraão do outro lado do Jordão, e conduzi-o à terra de Canaã. Multipliquei a sua posteridade, dando-lhe Isaque. 4A Isaque dei Jacó e Esaú e dei a Esaú a montanha de Seir; Jacó, porém, e os seus filhos foram para o Egito. 5Depois, enviei Moisés e Aarão e feri o Egito com tudo o que fiz no meio dele; por fim, tirei-vos de lá. 6Tirei os vossos pais do Egito e chegastes ao mar. Os egípcios perseguiram os vossos pais com carros e cavaleiros até ao Mar dos Juncos. 7Eles, porém, clamaram ao Senhor, e o Senhor pôs trevas entre vós e os egípcios e fez avançar o mar sobre eles, cobrindo-os. Os vossos olhos viram o que fiz aos egípcios e, depois disto, passastes largo tempo no deserto. 8Levei-vos, em seguida, para a terra dos amorreus que habitavam do outro lado do Jordão. Eles combateram contra vós, mas Eu entreguei-os nas vossas mãos. Tomastes posse da sua terra, e Eu exterminei-os na vossa frente. 9Balac, filho de Zipor, rei de Moab, levantou-se para lutar contra Israel e mandou chamar Balaão, filho de Peor, para vos amaldiçoar. 10Eu, porém, não quis ouvir Balaão, e ele teve de vos abençoar repetidas vezes, e assim vos tirei das mãos de Balac. 11Atravessastes o Jordão e che­gastes a Jericó. Combateram contra vós os homens de Jericó, os amorreus, os perizeus, os cananeus, os hititas, os girgaseus, os heveus e os jebuseus; mas Eu entreguei-os nas vossas mãos. 12Mandei diante de vós insetos venenosos que expulsaram os dois reis dos amorreus. Não foi com a vossa espada, nem com o vosso arco. 13Dei-vos, pois, uma terra que não lavrastes, cidades que não edificastes e que agora habitais, vinhas e oliveiras que não plantastes e de cujos frutos vos alimentais’. 14Temei, portanto, o Senhor, e servi-o com toda a retidão e verdade. Afastai esses deuses a quem os vossos pais serviram do outro lado do rio e no Egito, e servi o Senhor. 15E se vos desagrada servi-lo, então escolhei hoje aquele a quem quereis servir: os deuses a quem vossos pais serviram, do outro lado do rio, ou os deuses dos amorreus cuja terra ocupastes, porque eu e a minha casa serviremos o Senhor.» Renovação da aliança – 16O povo respondeu, dizendo: «Longe de nós abandonarmos o Senhor para servir outros deuses! 17Pois o Senhor nosso DEUS é que nos fez subir, juntamente com nossos pais, da terra do Egito, da casa da escravidão, e realizou aqueles maravilhosos prodí­gios aos nossos olhos; Ele guardou-nos ao longo de todo o caminho que tivemos de percorrer, e entre todos os povos pelos quais passamos. 18O Senhor expulsou diante de nós todas as nações e os amorreus que habitavam na terra: também nós serviremos o Senhor, porque Ele é o nosso DEUS.» 19Josué disse, então, ao povo: «Vós não sereis capazes de servir o Senhor, porque Ele é um DEUS santo, um DEUS zeloso que não perdoará as vossas transgressões nem os vossos pecados. 20Quando abandonardes o Senhor para servir a deuses estranhos, Ele voltar-se-á contra vós e farvos-á mal; há de destruir-vos, após ter-vos feito bem.» 21O povo respondeu: «Não. É ao Senhor que queremos servir.» 22Josué disse-lhes então: «Sois testemunhas contra vós mesmos de que escolhestes o Senhor para o servir.» E eles responderam: «Somos testemunhas!» 23«Tirai, pois, os deuses estranhos que estão no meio de vós, e inclinai os vossos corações para o Senhor, DEUS de Israel.» 24O povo respondeu a Josué: «Nós serviremos o Senhor nosso DEUS, e obedeceremos à sua voz.» 25Naquele dia, Josué fez uma aliança com o povo e deu-lhe, em Siquém, leis e prescrições. 26 Josué escreveu estas palavras no livro da Lei de DEUS e, tomando uma grande pedra, erigiu-a ali como um monumento, sob o carvalho que se encontrava no santuário do Senhor. 27Disse a todo o povo: «Esta pedra servirá de testemunho entre nós, pois ela ouviu todas as palavras que o Senhor nos disse; ela servirá de testemunho contra vós, para que não renegueis o vosso DEUS.» 28Então Josué despediu o povo, indo cada um para a sua herança. ***BHÊRITE (ALIANÇA EM HEBRAICO - Velha Aliança) = A ALIANÇA É FEITA EM BASE DE IGUALDADE, É UMA TROCA, UM ACORDO EM QUE DEUS ME DÁ E EU TENHO QUE DAR PARA DEUS O MESMO. DEUS aparecia esporadicamente na Tenda da Congregação (Tabernáculo), numa nuvem ou numa coluna de fogo. ***DIATEKE (ALIANÇA EM GREGO) = A NOVA ALIANÇA É DIFERENTE, É SUPERIOR, POIS DEUS ME DÁ TUDO O QUE PRECISO NÃO EXIGINDO NADA EM TROCA, A NÃO SER FÉ. EU NÃO TINHA NADA DE BOM A OFERECER, SÓ DE RUIM: PECADO E INIQÜIDADE; MESMO ASSIM, DEUS ME RECEBE COMO CABEÇA DE ALIANÇA E ME DÁ A SALVAÇÃO E TODAS AS BÊNÇÃOS PROVINDAS DAÍ : BATISMO COM ESPÍRITO SANTO, DONS DO ESPÍRITO SANTO, PARTICIPAÇÃO NO MINISTÉRIO, ETC... ***DEUS CONOSCO EM CRISTO, Hb 8.9, 1 Co 1.30 E Gl 3.16 = MAIOR SINAL. Agora DEUS mora em nós e conosco. Morte e sepultura de Josué (Gn 50,22-26; Jz 2,6-10) – 29Depois disto, Josué, filho de Num, servo do Senhor, morreu com a idade de cento e dez anos. 30Sepultaram-no na terra que lhe tocou em herança, em Timnat-Sera, na montanha de Efraim, a norte do monte Gaás. 31Israel serviu ao Senhor durante toda a vida de Josué e dos anciãos que lhe sobreviveram, e conheciam tudo quanto o Senhor fizera em favor de Israel. 32Sepultaram também em Siquém os ossos de José, que os filhos de Israel tinham trazido do Egito, na porção de terra que Jacó comprara aos filhos de Hamor, pai de Siquém, por cem peças de prata, e que se tornou propriedade dos filhos de José. 33Eleázar, filho de Aarão, morreu, também, e foi sepultado em Gibeá de Finéias, seu filho, a qual lhe tinha sido dada na montanha de Efraim.
RESUMO DA REVISTA DA CPAD DO 1º TRIMESTRE DE 2009 INTRODUÇÃO Estariam dispostos a servir ao Senhor com fidelidade? I- JOSUÉ FAZ O POVO RECORDAR A FIDELIDADE DE DEUS 1- Uma retrospectiva histórica (vv. 1-13). O Senhor está presente em todos os momentos da nossa caminhada. 2- A fidelidade de DEUS (vv. 6-10). Foi o Senhor que os livrara de seus inimigos (v. 11). II- A RENOVAÇÃO DO CONCERTO 1- "Escolhei hoje" (vv. 14,15) Obedecer ao Senhor do universo ou adorar os ídolos locais feitos por mãos humanas. 2- Um compromisso solene. "Nunca nos aconteça que deixemos o Senhor para servirmos a outros deuses" 3- DEUS nos libertou. Os israelitas reconheceram que fora o Senhor quem realizara maravilhas em seu favor. III- UM MEMORIAL LEVANTADO 1- A pedra do testemunho. Esta pedra nos será por testemunho" (v.27). 2- A despedida de um líder (vv.29,30). Ele iniciou seu ministério com "servo de Moisés" (1.1) e concluiu sua obra como "servo de DEUS" (v.29). CONCLUSÃO Combateu o bom combate. guardou a fé, e, aos 110 anos, encerrou seu abençoado ministério. QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 13 - A DESPEDIDA DE UM LIDER RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 1º TRIMESTRE DE 2009 TEXTO ÁUREO 1- Complete: "Eu _________________a minha _____________________ serviremos ao _______________________" (Js 24.15) VERDADE PRÁTICA 2- Complete: DEUS usa _________________________ obedientes à sua _________________ e que estejam dispostos a servi-Lo com _______________________ e humildade. I- JOSUÉ FAZ O POVO RECORDAR A FIDELIDADE DE DEUS 3- Para que Josué mais uma vez reuniu o povo em Siquém? Coloque "X" na alternativa correta: ( ) Para fazer uma retrospectiva da história da nação israelita. ( ) Para fazer uma festa de despedida. ( ) Para fazer um culto de despedida. 4- O que o Todo-Poderoso planejou estabelecer, a partir de Abraão? Coloque "X" na alternativa correta: ( ) A circuncisão para que todos os povos também os imitasse. ( ) Uma nação que fosse o modelo de sua justiça e santidade. ( ) Um tipo de tenda móvel, padrão para todos os povos. 5- O Eterno participava ativamente da vida do seu povo. Em quais momentos DEUS estava presente na vida de Israel? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Ele esteve presente nos momentos mais difíceis, quando os Israelitas foram derrotados diante de seus inimigos. ( ) Ele esteve presente nas ocasiões alegres, quando obtiveram vitória. ( ) Só não estava presente no deserto. 6- O que a nação israelita precisava fazer para seguir avante, prosperar e obter mais vitórias? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Treinar e se esmerar nas artes da guerra. ( ) Eles tinham de reconhecer a fidelidade de DEUS para com seu povo ( ) Continuar confiando em DEUS. II- A RENOVAÇÃO DO CONCERTO 7- Qual a decisão que os Israelitas precisavam tomar agora? Coloque "X" na alternativa correta: ( ) Obedecer ao Senhor do universo ou voltarem para o Egito. ( ) Obedecer ao Senhor do universo ou adorar os ídolos locais feitos por mãos humanas. ( ) Obedecer ao Senhor do universo ou construir um altar para Ele. 8- Qual a decisão, ou escolha, que Josué e sua família tomaram? Coloque "X" na alternativa correta: ( ) "Eu e a minha casa iremos ao Senhor". ( ) "Eu e a minha casa buscaremos ao Senhor". ( ) "Eu e a minha casa serviremos ao Senhor". 9- Em que resultaria deixar de servir e amar ao Senhor? Coloque "X" na alternativa correta: ( ) Resultaria em abandono do Senhor. ( ) Resultaria em perdão do Senhor. ( ) Resultaria em julgamento e destruição. 10- Complete: Diante do desafio de Josué o povo respondeu: "Nunca nos aconteça que _____________________ o Senhor para servirmos a outros deuses" (v.16). Os israelitas fizeram uma pública "profissão de ________________________". Como crentes também temos a necessidade de fazer a nossa confissão (Hb 3.1; 4.14; 10.23). A reafirmação de decisões justas, feitas pelo crente, inclui temer ao Senhor, ser leal à verdade, obedecer com sinceridade e renunciar ao pecado e todos os ____________________ a ele associados (vv.14-16). 11- O que reconheceram os israelitas? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Reconheceram que fora o Senhor quem realizara maravilhas em seu favor. ( ) Reconheceram que fora DEUS que os incitara à idolatria. ( ) Reconheceram que fora DEUS que os havia libertado da servidão do Egito. 12- Em seu discurso, Josué fez duas sérias advertências aos filhos de Israel, quais são? Coloque "X" na alternativa correta: ( ) Deveriam lançar fora os deuses estranhos e não poderiam quebrar, em momento algum, o pacto feito com o Senhor. ( ) Deveriam lançar fora as armas e não poderiam voltar a lutar contra os povos que ali moravam. ( ) Deveriam lançar fora os deuses estranhos e não poderiam quebrar, em momento algum, o pacto feito com o Senhor. 13- O que aconteceria aos israelitas se quebrassem o pacto com o Senhor? Coloque "X" na alternativa correta: ( ) As conseqüências seriam desastrosas: "Se deixardes o Senhor, e servirdes a deuses estranhos, então se tornará, e vós fará mal"..." ( ) As conseqüências seriam amenas: "Se deixardes o Senhor, e servirdes a deuses estranhos, então se irará"..." ( ) As conseqüências seriam amargas: "Se deixardes o Senhor, e servirdes a deuses estranhos, então os abandonará"..." III- UM MEMORIAL LEVANTADO 14- O que fez Josué para que aquela reunião pública se tornasse uma ocasião solene? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Ele "pôs por estatuto e direito... ( ) Escreveu estas palavras no livro dos justos e perdidos. ( ) Escreveu estas palavras no livro da Lei de DEUS. ( ) Tomou uma grande pedra e a erigiu ali" (vv.25,26). 15- Qual era a intenção de Josué ao realizar aquela reunião pública? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Sua intenção era fazer com que o povo jamais se esquecesse do pacto firmado com o Senhor. ( ) Assustar o povo para que o respeitassem como líder escolhido por DEUS. ( ) Ele não queria que nenhuma só palavra caísse no esquecimento. ( ) Era a hora de desfrutarem da herança que DEUS lhes prometera. 16- Como Josué iniciou e terminou seu ministério? Coloque "X" na alternativa correta: ( ) Iniciou como "amigo de Moisés" e concluiu sua obra como "servo de DEUS". ( ) Iniciou como "servo de Moisés" e concluiu sua obra como "servo de DEUS". ( ) Iniciou como "servo de Moisés" e concluiu sua obra como "servo do povo". 17- Como obter sucesso na obra de DEUS, baseando-se na vida de Josué? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Não se preocupe em consultar a DEUS, siga seu instinto. ( ) Seja primeiramente servo. ( ) Não precisa se preocupara em fazer um substituto, pois DEUS o preparará. ( ) Esteja atento e pronto para realizar qualquer trabalho que DEUS tenha para você. ( ) Faça a obra de DEUS com humildade, compromisso e alegria. CONCLUSÃO 18- Complete: Josué foi ______________________ ao chamado de DEUS. Ajudou os israelitas a tomarem posse da Terra Prometida, orientando-os pacientemente à _________________________ e ao cumprimento de todos os desígnios divinos. Esse leal servo do Senhor combateu o ________________________ combate. guardou a fé, e, aos ________________________ anos, encerrou seu abençoado ministério. RESPOSTAS NOS VÍDEOS DO PROGRAMA EBD NA TV http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm RESUMO DO 1º TRIMESTRE DE 2009 - 13 LIÇÕES (EM FIGURAS ILUSTRATIVAS) REVISTA CPAD - O LIVRO DE JOSUÉ Autor:Josué Tema:A Conquista de Canaã Data:Século XIV a.C. Considerações Preliminares O livro de Josué é a continuação do Pentateuco. Relata a travessia do Jordão por Israel, depois da morte de Moisés, para a entrada em Canaã, bem como a conquista e o povoamento de Canaã pelas doze tribos sob a liderança de Josué. A data bíblica aproximada da invasão de Canaã por Israel é 1405 a.C. O livro abrange os 25-30 anos consecutivos da história de Israel, e conta como DEUS “deu... a Israel toda a terra que jurara dar a seus pais” (21.43). Apropriadamente, o livro recebe o nome do seu personagem principal, que se destaca como o líder escolhido por DEUS, do começo ao fim do livro. Os antecedentes pessoais de Josué muito contribuíram para que se tornasse o líder da conquista. Josué viveu próximo ao fim da opressão de Israel pelo Egito, e testemunhou as dez pragas que DEUS enviou a esse país como castigo, a primeira Páscoa, a travessia milagrosa do mar Vermelho e os sinais (e juízos) sobrenaturais durante as peregrinações de Israel no deserto. Serviu a Moisés como comandante militar na batalha contra os amalequitas, pouco depois da saída do Egito (Êx 17.8-16). Somente ele acompanhou Moisés na subida ao monte Sinai, quando DEUS deu a Israel os dez mandamentos (Êx 24.12-18). Como auxiliar de Moisés, Josué demonstrava intensa devoção e amor a DEUS, e muitas vezes permaneceu na presença do Senhor por um longo período (Êx 33.11). Era um homem que se deleitava na santa presença de DEUS. Por certo, aprendeu muito com Moisés, seu conselheiro e guia de confiança, a respeito dos caminhos de DEUS e das dificuldades na condução do povo. Em Cades-Barnéia, Josué serviu a Moisés como um dos doze espias que observaram a terra de Canaã. Ele, juntamente com Calebe, rejeitou energicamente o relatório da maioria, que retratava a incredulidade do povo (Nm 14). Muitos anos antes de substituir Moisés como líder de Israel, Josué demonstrou ser um homem de fé, visão, coragem, lealdade, obediência inconteste, oração e dedicação a DEUS e à sua palavra. Quando foi escolhido para substituir Moisés, já era um homem “em que há o ESPÍRITO” (Nm 27.18; Dt 34.9). A tradição judaica, no Talmude, atribui a Josué a autoria literária do livro. Duas vezes o livro menciona o ato de escrever em conexão com Josué (18.9; 24.26). As evidências internas do livro indicam enfaticamente que o seu autor foi testemunha ocular da conquista (cf. “nos” em 5.6; note-se que Raabe ainda vivia quando o autor escreveu, 6.25). As partes do livro acrescentadas depois da morte de Josué — e.g., 15.13-17 (cf. Jz 1.9-13); 24.29-33 — foram talvez escritas por um dos “anciãos que ainda viveram muito depois de Josué” (24.31). Josué morreu cerca de 1375 a.C., aos 110 anos de idade (24.29). Propósito O livro de Josué foi escrito como um registro da fidelidade de DEUS, no cumprimento de suas promessas pactuais a Israel, concernentes à terra de Canaã (23.14; cf. Gn 12.6-7). As vitórias da conquista aparecem como os atos libertadores da parte de DEUS pró Israel sobre uma decadente cultura cananéia (Dt 9.4). A violência neste livro deve ser enquadrada nesta perspectiva. A arqueologia confirma que o povo cananeu era caracterizado por extrema depravação e crueldade quando Israel ocupou a terra. Visão Panorâmica Josué começa onde Deuteronômio termina. Israel estava acampado nas planícies de Moabe (Dt 34.1), diretamente a leste de Jericó e rio Jordão. O livro divide-se em três seções. (1) Seção I (1.1—5.15). Descreve a designação de Josué por DEUS, como sucessor de Moisés, e os preparativos de Israel para entrar em Canaã (1.1—3.13), sua travessia do Jordão (3.14—4.24), e suas primeiras atividades na terra consoante o concerto (cap. 5). DEUS prometeu a Josué: “Todo lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado” (1.3). (2) Seção II (6.1—13.7). Descreve como Israel avançou obedientemente contra cidades-estados bem armadas e com muros fortificados. DEUS deu ao seu povo vitórias decisivas no centro de Canaã (6—8), no sul (9; 10) e no norte (11; 12), e assim Israel obteve o controle das terras montanhosas (de norte ao sul) e do Neguebe. A maneira altamente singular da conquista de Jericó demonstrou claramente a Israel quem era o Príncipe da sua salvação (cap. 6). A derrota de Israel em Ai revela a imparcialidade do livro e a obediência devotada que DEUS requeria da parte de Israel (cap. 7). (3) Seção III (13.8—22.34). Descreve a repartição da terra, por Josué, entre as doze tribos; a herança de Calebe; as seis cidades de refúgio; e as quarenta e oito cidades levíticas dentre as tribos. O livro termina com duas mensagens de despedida por Josué (23.1—24.28) e um tributo post-mortem a Josué e Eleazar (24.29-33). Características Especiais Sete características principais sobressaem neste livro. (1) É o primeiro dos livros históricos do AT a descrever a história de Israel como nação na Palestina. (2) Oferece muitos aspectos da admirável vida de Josué como o escolhido de DEUS para completar a missão de Moisés: estabelecer Israel como o povo do concerto na terra prometida. (3) O livro registra vários milagres divinos em favor de Israel, sendo que os dois mais notáveis são a queda de Jericó (cap. 6) e o prolongamento das horas da luz do dia, na batalha em Gibeão (cap. 10). (4) É o principal dos livros do AT a descrever o conceito da “guerra santa” como missão específica e limitada, prescrita por DEUS e inclusa no contexto mais amplo da história da salvação. (5) O livro ressalta três grandes verdades no tocante ao relacionamento entre DEUS e o seu povo do pacto: (a) sua fidelidade; (b) sua santidade; e (c) a sua salvação. (6) O livro ressalta a importância de manter viva a memória dos atos redentores de DEUS em favor do seu povo, e de perpetuar esse legado de geração em geração. (7) O relato prolongado que o livro registra da transgressão de Acã e do seu subseqüente castigo (cap. 7), juntamente com outras admoestações, advertências e castigos, enfatiza a importância do temor do Senhor no coração do seu povo. O Livro de Josué e Seu Cumprimento no NT O nome Josué (hb. Yehoshua’ ou Yeshua’) é o equivalente hebraico do nome “JESUS” no NT, em grego (ver 1.1). Josué, no seu encargo de introduzir Israel na terra prometida, é um tipo ou prefiguração no AT, de JESUS, cuja obra foi levar “muitos filhos à glória” (Hb 2.10; 4.1-13; 2 Co 2.14). Além disso, assim como o primeiro Josué usou a espada do terrível juízo divino na conquista, assim também o segundo Josué a usará na conquista das nações no fim da história (Ap 19.11-16). Ajuda: CPAD - www.cpad.com.br - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal. http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm (VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE) BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD. Nosso novo endereço:http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com , www.ebdweb.com.br, em http://www.idbpa.net/joomla/index, www.sovitoria.com.br - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.

quarta-feira, 18 de março de 2009

LIÇÃO 12 - PRESERVANDO A PALAVRA DO SENHOR

LIÇÃO 12 - PRESERVANDO A PALAVRA DO SENHOR Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 1º TRIMESTRE DE 2009 Livro de Josué - As Conquistas e as Promessas do Povo de DEUS Comentários: Elienai Cabral Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antônio Gilberto Complementos, questionários e videos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva TEXTO ÁUREO" Agora, pois, temei ao SENHOR, e serví-o com sinceridade e com verdade ... "(Js 24.14). VERDADE PRÁTICA A obediência aos preceitos divinos nos conduz em triunfo até a Canaã Celeste. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Josué 23.1-6. 1- E sucedeu que, muitos dias depois que o SENHOR dera repouso a Israel de todos os seus inimigos em redor, e Josué á fosse velho e entrado em dias, 2- chamou Josué a todo o Israel, aos seus anciãos, e aos seus cabeças, e aos seus juízes, e aos seus oficiais e disse-Ihes: Eu já sou velho e entrado em dias; 3- e vós já tendes visto tudo quanto o SENHOR, vosso DEUS, fez a todas estas nações por causa de vós, porque o SENHOR, vosso DEUS, é o que pelejou por vós. 4 - Vedes aqui que vos fiz cair em sorte às vossas tribos estas nações que ficam desde o Jordão, com todas as nações que tenho destruído, até ao mar Grande para o pôr-do-sol. 5- E o SENHOR, vosso DEUS, as impelirá de diante de vós e as expelirá de diante de vós; e vós possuireis a sua terra, como o SENHOR, vosso DEUS, vos tem dito. 6- Esforçai-vos, pois, muito para guardardes e para fazer­des tudo quanto está escrito no livro da Lei de Moisés, para que dela não vos aparteis, nem para a direita nem para a esquerda. ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA Professor, comente com os alunos que os dois últimos capítulos do livro de Josué (23;24) são discursos de despedida. No primeiro, Josué se despede dos líderes e do povo (23). No segundo, o líder descreve a fidelidade de DEUS (24.1-13), e exorta o povo a renovar o pacto com o Senhor (vv.]4-25). Antes de "dormir no Senhor", Josué edifica mais um memorial para ratificar a aliança (vv.26-28). PALAVRA CHAVE Exortação - Animar, estimular, admoestar e aconselhar. 40.8 Seca-se a erva, e caem as flores, mas a palavra de nosso DEUS subsiste eternamente. Os homens passam, mas a Palavra de DEUS jamais passará. 2 Pedro 3:7 Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro e se guardam para o fogo, até o Dia do Juízo e da perdição dos homens ímpios. Marcos 13.31 Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão. Josué não tinha, como Abraão, Isaque e Moisés, alguém indicado por DEUS para lhe substituir. Sua preocupação principal era com a preservação da Aliança entre Israel e DEUS, através da guarda e obediência à Palavra de DEUS. Aquele povo, apesar de numeroso, não sobreviveria sem uma estreita relação de amor, temor e obediência a DEUS. Quão triste o líder que não possui um substituto! É uma grande falha no ensinador não preparar pelo menos um substituto, um verdadeiro líder tem que ser um discipulador, a ordem de JESUS foi: "Ide e fazei discípulos". O grande problema da Igreja de hoje é a preocupação com o número de membros em detrimento do número de discípulos. JESUS disse: "Aprendei de mim" e deixou 12 apóstolos discípulos para continuarem a Igreja. Paulo disse "Sejam meus imitadores como eu sou de CRISTO" e deixou vários discípulos como Timóteo, Silas, etc... Josué estava velho, DEUS não havia indicado um substituto. Josué sentia que sua hora de ser recolhido estava chegando. Josué era um líder que se preocupava com o dia de amanhã, se preocupava com seu povo, se preocupava com o futuro de seu povo. Hoje vivemos dias onde os líderes só se preocupa com o hoje, são imediatistas nas riquezas, nas glórias, nos banquetes, porém, se esquecem de que o povo de DEUS precisa mesmo é de alimento, primeiro o leite e depois o sólido. Infelizmente a grande maioria ainda não pode provar do sólido, são como crianças de colo, levadas a roda por toda sorte de doutrinas. Falta ensino, falta discipulado, assumamos esta tão importante tarefa professores. Josué reúne seu amigos e líderes para lhes transmitir seus principais aprendizados e para exortá-los a continuarem firmes na fé e obediência a DEUS e à sua Palavra, principalmente sua obediência à Lei, isto lhes manteria diferentes dos povos em volta e em comunhão com DEUS. Amar a DEUS sobre tudo e todos deveria ser a meta principal a seguir. Josué lembra aos principais líderes de Israel que as vitórias de Israel sobre os povos até então conquistados, não foram resultado de sua brilhante estratégia e nem do número de soldados utilizados nas batalhas e nem de sua ótima capacidade de liderar suas tropas, muito menos devido à sua coragem, mas tudo provinha da mão poderosa de DEUS, dos milagres de DEUS. Devemos guardar nossa alma de pecar contra o Senhor. O que é ALMA? A parte não-material e imortal do ser humano (Mt 10.28), sede da consciência própria, da razão, dos sentimentos e das emoções (Gn 42.21). Os dicotomistas entendem que o ser humano é corpo e alma, sendo espírito sinônimo de alma. Os tricotomistas acreditam que o ser humano é corpo, alma e espírito. “Alma vivente” quer dizer “ser vivo” (Gn 2.7). Na Bíblia muitas vezes a palavra “alma” é empregada em lugar do pronome pessoal: “Livra a minha alma da espada” quer dizer “salva-me da espada” (Sl 22.20, NTLH). Outras vezes “alma” em hebraico, quer dizer “pessoa” em português (Nm 9.13). Ef 5.23 O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Hb 4.12 Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração. Ez 18.20 A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai, a iniqüidade do filho; a justiça do justo ficará sobre ele, e a perversidade do perverso cairá sobre este. A DESPEDIDA DE JOSUÉ Josué capítulos 20 a 24 Uma grande parte da terra prometida ainda estava para ser ocupada, mas DEUS havia prometido que toda a terra onde eles pusessem os pés seria deles. A que eles agora possuíam estava livre dos inimigos e nela podiam descansar. Mas enquanto não expulsassem o inimigo do restante da terra (e eles nunca chegaram a fazê-lo completamente, por causa da sua incredulidade) não teriam tranqüilidade. Nosso descanso é o descanso da redenção, a paz que CRISTO veio nos trazer, e também nele entramos pela fé (Hebreus 4:1-12). Os rubenitas, os gaditas e a meia tribo de Manassés haviam recebido as suas heranças, a seu próprio pedido, de Moisés, ao oriente do rio Jordão mas com a condição de cederem seus combatentes às demais tribos até que a terra de Canaã fosse conquistada. Terminada agora a guerra de conquista, e tendo eles cumprido fielmente a sua obrigação, Josué permitiu que voltassem para suas terras além do Jordão. Em seu discurso de despedida, Josué recordou sua obediência em tudo o que lhes fora ordenado, o amparo contínuo que deram aos demais israelitas, e o seu cuidado em guardar o mandamento do SENHOR DEUS. Admoestou-os a continuar diligentes em sua obediência ao mandamento e à lei que Moisés havia ordenado, abençoou-os e os despediu permitindo que levassem consigo uma parte do rico despojo dos inimigos, para repartir com os que haviam ficado em seu território. Ao voltar ao rio Jordão, e antes de atravessá-lo, eles construíram um altar grande e vistoso, ou seja, visível de longe. Uns estudiosos procuraram este altar do outro lado do rio, porque não prestaram atenção a este detalhe e, é claro, não acharam nada. Mais recentemente um arqueólogo tornou a procurá-lo, mas desta vez do lado ocidental do rio, e ali ele encontrou suas ruínas, num lugar de proeminência, aparentando ter sido um altar de grandes proporções. Era um monumento construído para memorial. Quando as demais tribos souberam, ficaram apreensivas pensando que o altar tinha sido construído em honra de Baal, e se lembraram de como haviam sido castigadas pelo SENHOR quando se deixaram tentar pelas moabitas e juntaram-se a elas em idolatria. Elas se prepararam para batalhar contra as duas tribos e meia, mas primeiro mandaram representantes para exortá-las a se arrependerem em obediência à lei (Deuteronômio 13:12-19). Mas as duas tribos e meia deram uma explicação satisfatória: não era um altar para sacrifícios, mas apenas para lembrar aos seus filhos e aos das outras nove e meia tribos, e sua posteridade, que pertenciam ainda à nação de Israel, e que o SENHOR era o seu DEUS. Os israelitas haviam sido vigilantes e obedientes à lei de DEUS, pois deram oportunidade aos outros para se explicar e assim evitaram um grande mal. É uma lição para nós: não reagir antes de verificar todos os fatos. Às vezes falamos e agimos prematuramente e depois descobrimos que cometemos uma injustiça. Altar perto do Jordão Tendo chegado às regiões do Jordão pertencentes à terra de Canaã, os filhos de Rúben, de Gade da meia tribo de Manassés levantaram um grande altar junto ao Jordão. Os filhos de Israel ouviram dizer: «Eis que os filhos de Rúben, de Gade da meia tribo de Manassés levantaram um altar em frente da terra de Canaã, na região do Jordão, do outro lado dos filhos de Israel.» Quando os filhos de Israel ouviram isto, reuniu-se toda a assembléia de Israel em Silo, para irem combater contra eles. Parecia uma boa idéia construir este altar. Mas no Tabernáculo estava o altar de sacrifícios e não podia haver outro (Deuteronômio 12:27). Todos os outros altares, existentes na terra, tinham que ser destruídos (Êxodo 34:13). Houve apenas uma exceção, o altar que o SENHOR mandou o povo construir de doze pedras tiradas do rio Jordão, quando o povo o atravessou a seco (Deuteronômio 27:4-8). O altar do Tabernáculo, uma figura do trabalho de redenção de CRISTO, o seu sacrifício na cruz, era um lugar de unidade, assim como há uma unidade orgânica daqueles que estão em CRISTO (João 17:20-21). Podemos comparar o altar das duas e meia tribos aos que dividem os crentes com uma teologia liberal que não leva a sério muito do que a Bíblia ensina. Enquanto chamam de "separatistas" os que são fiéis à Palavra, são eles que se afastam da mensagem da cruz a fim de se ajuntarem em um ecumenismo vago. Como não gostam de um altar com sangue, fazem ofertas num altar alto e vistoso, um CRISTO "sem sangue", que nunca viveu, sem divindade, sem capacidade para salvar a humanidade. Mas, pelos seus frutos os conheceremos (Mateus 7:16). No capítulo 23 Josué instruiu aos líderes do povo para que: tivessem coragem e tomassem posse da terra, se esforçassem para guardar e cumprir tudo o que estava escrito no livro da lei de Moisés, se mantivessem separados das nações que ficaram entre eles e continuassem no apego ao SENHOR seu DEUS. Deu-lhes também uma palavra de advertência: se eles se desviassem, apegando-se ao restante dos povos cananeus, misturando-se com eles, o SENHOR não expulsaria esses povos, e eles se tornariam uma praga para os israelitas, que viriam então a perecer ali. O povo já havia enfrentado com sucesso o maior perigo de invadir a terra e conquistar o suficiente dela para se estabelecer, e isto o tinha mantido coeso e fiel. Josué estava percebendo que, ao entrar no descanso e gozar de abundância e prosperidade, eles seriam tentados a se afastar de DEUS. É a velha história da natureza humana, repetida vez após vez! O que Josué temia, aconteceu, como o revela o livro dos Juízes. No capítulo 24 Josué fala a todo o povo. Usando as palavras que lhe foram dadas pelo SENHOR, ele lembrou aos israelitas como foram abençoados a partir de Abraão, recebendo sem esforço a sua herança, pois fora o SENHOR quem derrotara os seus inimigos. Josué conclamou-os a temer ao SENHOR e servi-lo com integridade e fidelidade. Para isso era necessário que tomassem uma decisão definitiva: ou servir ao SENHOR ou servir aos falsos deuses da região. Era impossível servir ao SENHOR e também aos outros deuses! Ele próprio já tinha decidido: ele e a sua casa serviriam ao SENHOR. O povo respondeu que, em vista do que o SENHOR havia feito por eles, eles O serviriam também. Mas Josué ponderou que, se tomassem essa decisão, corriam o risco de ser consumidos pelo SENHOR se mais tarde eles O deixassem para servir a deuses estranhos. Ele é um DEUS santo e zeloso que não perdoaria a sua transgressão nem os seus pecados. Mas o povo confirmou a sua decisão, e Josué mandou que jogassem fora os deuses estranhos que havia entre eles e se dedicassem ao SENHOR DEUS de Israel. Tudo isto foi então escrito e juntado aos cinco livros de Moisés. Josué faleceu aos cento e dez anos, sendo sepultado na sua própria herança. Também foram sepultados os ossos de José, que haviam sido trazidos do Egito, na herança de seus filhos. Faleceu também o sacerdote Eleazar, filho de Arão e foi sepultado na herança de seu filho Finéias. Epílogo: testamento de Josué (Dt 28,1-68; 1 Sm 12,1-25; 1 Rs 2,1-9) – 1Havia muito tempo que o Senhor tinha dado tranqüilidade a Israel, livrando-o de todos os seus inimigos vizinhos. Josué era já velho, avançado em anos. 2Convocou, então, todo o Israel, os seus anciãos, os seus chefes, os seus juízes e os seus oficiais, e disse-lhes: «Estou velho, de idade avançada. 3Vós presenciastes tudo o que o Senhor vosso DEUS fez, tirando todos estes povos da vossa frente; é que foi o Senhor, vosso DEUS, quem combateu por vós. 4Vede! Eu distribuí, por sortes, para as vossas tribos, todas essas nações que restam, e também aquelas que exterminei desde o Jordão até ao Mar Grande, a ocidente. 5O Senhor as expulsará e despojará diante de vós, e vos há de dar em posse a sua terra, como Ele mesmo vos prometeu, o Senhor, vosso DEUS. 6Esforçai-vos, pois, por cumprir fielmente tudo quan­to está escrito no livro da Lei de Moisés, sem vos des­viardes nem para a direita, nem para a esquerda.» Procedimento com os pagãos – 7«Não vos mistureis com esses povos que ficaram a habitar no meio de vós, não invoqueis o nome dos seus deuses, nem jureis pelo seu nome, nem lhes presteis culto. 8Pelo contrário, permanecei unidos ao Senhor vosso DEUS, conforme tendes feito até agora. 9O Senhor despojou em vosso favor grandes e poderosas nações; ninguém até hoje vos pôde resistir. 10Um só de entre vós punha em fuga mil inimigos, porque o Senhor vosso DEUS combatia por vós, como Ele vos havia prometido. 11Tende, pois, grande cuidado em amar o Senhor, vosso DEUS. 12Pois se vos desviardes e vos unir­des ao que resta destas nações que habitam entre vós, misturando-vos com elas e contraindo com elas matrimônio, 13ficai a saber que o Senhor vosso DEUS não as ex­terminará diante de vós. Pelo con­trá­rio, elas hão de converter-se para vós em laços e ciladas, azorrague sobre as vossas costas e espinhos nos vossos olhos, até desaparecer­des desta terra fértil que vos deu o Se­nhor vosso DEUS. 14Eis que me vou hoje pelo caminho de todos. Reconhecei, de todo o vosso coração e de toda a vossa alma, que, de quantas pro­mes­sas vos fez o Senhor vosso DEUS, nem uma só ficou sem efeito: todas se cumpriram, sem falhar nenhuma. 15Assim como, pois, se realizaram todas as promessas que vos fez o Senhor vosso DEUS, assim também Ele há de cumprir contra vós todas as palavras com que vos ameaçou, até fazer-vos desaparecer desta terra fértil, que vos deu o Senhor, vosso DEUS. 16Se violardes a aliança que o Senhor, vosso DEUS, fez convosco, servindo a outros deuses e prostrando-vos diante deles, a cólera do Senhor se há de inflamar contra vós e, em breve, desaparecereis desta terra excelente que Ele vos deu.» Discurso em Siquém – 1Josué reuniu todas as tribos de Israel em Siquém, e convocou os seus anciãos, chefes, juízes e oficiais; todos se apresentaram diante de DEUS. 2Então, Josué disse a todo o povo: «Eis o que diz o Senhor, DEUS de Israel: ‘Vossos pais, Terá, pai de Abraão e de Naor, habitavam ao princípio do outro lado do rio e serviam outros deuses. 3Tomei o vosso pai Abraão do outro lado do Jordão, e conduzi-o à terra de Canaã. Multipliquei a sua posteridade, dando-lhe Isaque. 4A Isaque dei Jacó e Esaú e dei a Esaú a montanha de Seir; Jacó, porém, e os seus filhos foram para o Egito. 5Depois, enviei Moisés e Aarão e feri o Egito com tudo o que fiz no meio dele; por fim, tirei-vos de lá. 6Tirei os vossos pais do Egito e che­gas­tes ao mar. Os egípcios perseguiram os vossos pais com carros e cavaleiros até ao Mar dos Juncos. 7Eles, porém, clamaram ao Senhor, e o Senhor pôs trevas entre vós e os egípcios e fez avançar o mar sobre eles, cobrindo-os. Os vossos olhos viram o que fiz aos egípcios e, depois disto, passastes largo tempo no deserto. 8Levei-vos, em seguida, para a terra dos amorreus que habitavam do outro lado do Jordão. Eles combateram contra vós, mas Eu entreguei-os nas vossas mãos. Tomastes posse da sua terra, e Eu exterminei-os na vossa frente. 9Balac, filho de Zipor, rei de Moab, levantou-se para lutar contra Israel e mandou chamar Balaão, filho de Peor, para vos amaldiçoar. 10Eu, porém, não quis ouvir Balaão, e ele teve de vos abençoar repetidas vezes, e assim vos tirei das mãos de Balac. 11Atravessastes o Jordão e che­gastes a Jericó. Combateram contra vós os homens de Jericó, os amorreus, os perizeus, os cananeus, os hititas, os girgaseus, os heveus e os jebuseus; mas Eu entreguei-os nas vossas mãos. 12Mandei diante de vós insetos venenosos que expulsaram os dois reis dos amorreus. Não foi com a vossa espada, nem com o vosso arco. 13Dei-vos, pois, uma terra que não lavrastes, cidades que não edificastes e que agora habitais, vinhas e oliveiras que não plantas­tes e de cujos frutos vos alimentais’. 14Temei, portanto, o Senhor, e servi-o com toda a retidão e verdade. Afastai esses deuses a quem os vossos pais serviram do outro lado do rio e no Egito, e servi o Senhor. 15E se vos desagrada servi-lo, então escolhei hoje aquele a quem quereis servir: os deuses a quem vossos pais serviram, do outro lado do rio, ou os deuses dos amorreus cuja terra ocupas­tes, porque eu e a minha casa serviremos o Senhor.» Renovação da aliança – 16O povo respondeu, dizendo: «Longe de nós abandonarmos o Senhor para servir outros deuses! 17Pois o Senhor nosso DEUS é que nos fez subir, juntamente com nossos pais, da terra do Egito, da casa da escravidão, e realizou aqueles maravilhosos prodí­gios aos nossos olhos; Ele guardou-nos ao longo de todo o caminho que tivemos de percorrer, e entre todos os povos pelos quais passamos. 18O Senhor expulsou diante de nós todas as nações e os amorreus que habitavam na terra: também nós serviremos o Senhor, porque Ele é o nosso DEUS.» 19Josué disse, então, ao povo: «Vós não sereis capazes de servir o Senhor, porque Ele é um DEUS santo, um DEUS zeloso que não perdoará as vossas transgressões nem os vossos pecados. 20Quando abandonardes o Senhor para servir a deuses estranhos, Ele voltar-se-á contra vós e farvos-á mal; há de destruir-vos, após ter-vos feito bem.» 21O povo respondeu: «Não. É ao Senhor que queremos servir.» 22Josué disse-lhes então: «Sois testemunhas contra vós mesmos de que escolhestes o Senhor para o servir.» E eles responderam: «Somos testemunhas!» 23«Tirai, pois, os deuses estranhos que estão no meio de vós, e inclinai os vossos corações para o Senhor, DEUS de Israel.» 24O povo respondeu a Josué: «Nós serviremos o Senhor nosso DEUS, e obedeceremos à sua voz.» 25Naquele dia, Josué fez uma aliança com o povo e deu-lhe, em Siquém, leis e prescrições. 26 Josué escreveu estas palavras no livro da Lei de DEUS e, tomando uma grande pedra, erigiu-a ali como um monumento, sob o carvalho que se encontrava no santuário do Senhor. 27Disse a todo o povo: «Esta pedra servirá de testemunho entre nós, pois ela ouviu todas as palavras que o Senhor nos disse; ela servirá de testemunho contra vós, para que não renegueis o vosso DEUS.» 28Então Josué despediu o povo, indo cada um para a sua herança. Morte e sepultura de Josué (Gn 50,22-26; Jz 2,6-10) – 29Depois disto, Josué, filho de Num, servo do Senhor, morreu com a idade de cento e dez anos. 30Sepultaram-no na terra que lhe tocou em herança, em Timnat-Sera, na montanha de Efraim, a norte do monte Gaás. 31Israel serviu ao Senhor durante toda a vida de Josué e dos anciãos que lhe sobreviveram, e conheciam tudo quanto o Senhor fizera em favor de Israel. 32Sepultaram também em Siquém os ossos de José, que os filhos de Israel tinham trazido do Egito, na porção de terra que Jacó comprara aos filhos de Hamor, pai de Siquém, por cem peças de prata, e que se tornou propriedade dos filhos de José. 33Eleázar, filho de Aarão, morreu, também, e foi sepultado em Gibeá de Finéias, seu filho, a qual lhe tinha sido dada na montanha de Efraim. Estudaremos na próxima lição mais detalhes sobre a despedida de Josué, se DEUS assim o permitir. Preservando a Palavra do Senhor Ontem à noite eu parei à porta de um ferreiro, E ouvi a bigorna a tocar o repique vespertino; Então, olhando para dentro, eu vi no assoalho Martelos velhos, gastos pelas batidas dos anos. "Quantas bigornas você já teve," eu disse, "Para assim desgastar todos esses martelos?" "Apenas uma," ele disse e, com um piscar de olhos: "É a bigorna que acaba com os martelos, você sabe." E assim, pensei na bigorna da Palavra de DEUS: Por séculos os golpes dos céticos têm batido nela; Mas, embora o ruído dos golpes fossem ouvidos, A bigorna continua, sem danos, e os martelos se foram. John Clifford Martelos quebrados! Essas duas palavras sumariam toda a história dos ataques dos homens à Palavra de DEUS. A bigorna da Palavra de DEUS por séculos sofreu ataques incontáveis do martelo de seus inimigos, contudo não mostra um risco profundo ou arranhão superficial, em toda a sua superfície! Eu vejo inscritos nos martelos quebrados os nomes dos que os brandiram! Eu vejo o nome de Senaqueribe. O nome de Jeoiaquim está lá (Jer. 36). Diocleciano, Voltaire, Paine, Hegel, Hume, Griesbach, Semler, Lachman, Strauss, Baur, Ingersoll, Fosdick e mil outros brandiram seus argumentos infiéis contra a Palavra de DEUS, no entanto ela resiste incólume. O assoalho da história está cheio de martelos quebrados dos críticos, mas a bigorna não foi danificada! A Santa Escritura nos diz em 2Pe 3:7, “Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios.” (2Pe 3:7 ACF). Duas palavras [gregas] separadas são usadas aqui para descrever a preservação do cosmos por DEUS para o dia do julgamento. “se reservam como tesouro” vem do grego “thesaurus”. Ela traz o significado de algo que está sendo guardado como um tesouro. “se guardam” vem da palavra “teereo” e significa manter, preservar, ou firmemente defender. Este versículo concorda com Cl 1:17: “E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.” (Cl 1:17 ACF). DEUS está sempre ativamente preservando e mantendo e reunindo os céus e a terra. Ele tem um plano para eles e não permitirá que sejam destruídos até que Seu plano esteja terminado. Por milhares de anos, DEUS tem preservado a nação de Israel. Certamente as palavras de DEUS a Jacó em Gen. 28:15 “E eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, ...” (Gn 28:15 ACF) não eram só para Jacó, mas para toda a sua semente. Várias vezes DEUS prometeu a Israel que Ele os preservaria. Em Ex 23:20 se lê: “Eis que eu envio um anjo diante de ti, para que te guarde pelo caminho, e te leve ao lugar que te tenho preparado.” (Ex 23:20 ACF) E os judeus foram ensinados a abençoar uns aos outros com as palavras de Nm 6:24: “O SENHOR te abençoe e te guarde;” (Nm 6:24 ACF). A história é testemunho solene da manutenção do poder de DEUS. Ele preservou o povo de Sua aliança em face do inimigo amargo, e ainda os levará à fé em Seu Filho. DEUS tem um plano para Israel e não permitirá que os Adolph Hitler's do passado, presente ou futuro os destruam. DEUS guarda seus próprios filhos para que eles nunca se percam. Judas dirigiu sua epístola “... aos chamados, santificados em DEUS Pai, e conservados por JESUS CRISTO” (Jd 1:1 ACF) Somos preservados e mantidos e firmemente defendidos. Oh, irmão, se você é lavado no sangue do Cordeiro, ainda que você balançe sobre o abismo do inferno num pé de milho podre cantando [o conhecido hino] Maravilhosa Graça, DEUS lhe ajudará a nunca cair nele! Rm 8:38,39 nos garante que nenhuma coisa criada ou circunstância pode nos “separar do amor de DEUS que está em CRISTO JESUS.” Meu querido Salvador deu a esta pobre ovelhinha toda a garantia que ela poderia precisar hoje e durante os séculos sem fim, quando Ele diz: “28 E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. 29 Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai.” (Jo 10:28-29 ACF). Em Ef 4:30 lemos que “estamos selados com o ESPÍRITO SANTO.” O que poderia ser mais claro que o fato de que cada membro da Trindade está envolvido em nos guardar! DEUS tem um plano e nos guardará em todo o caminho para o Céu. Estamos preservados! DEUS usa a palavra “preservar” na Bíblia, ou “preservada” (como em I Ts 5:23 e em Judas 1)? É a palavra “teereo”. Está traduzida por “preservada” duas vezes, “reservada” oito vezes, “sustentada”, uma, “mantida”, uma, “atenta”, duas, “observada”, quatro, “aprisionada”, uma e “manter, mantenedores, mantida, mantém e mantendo”, quase sessenta vezes. A definição geral que percebemos através dos usos pelo ESPÍRITO SANTO da palavra “teereo” é de alguém exercendo um cuidado protetor, de custódia, vigilantemente cuidando de alguém ou de algo. O ESPÍRITO usou esta palavra para descrever os soldados vigiando JESUS na cruz (Mt. 27:36, 54). Ela é usada para descrever os que vigiavam a tumba de nosso Senhor (Mt. 28:4). O mordomo na festa acusou o noivo em Jo 2:10 de manter guardado o melhor vinho para o fim da festa. Em At 12:5, 6 e 16:23, Pedro e Paulo foram mantidos na prisão. Em I Co7:37 e I Tm 5.22 diz-se que um homem deve manter seu corpo livre da imoralidade. A igreja de Éfeso foi exortada a manter a unidade do ESPÍRITO (Ef 4:3). Paulo enfrenta a morte em II Tm 4:7 com a confiança de ter mantido a fé. Tiago escreve que temos que nos manter sem manchas no mundo. A verdade da preservação é muito claramente ensinada em todos esses versículos. Em cada caso alguém ou algo está sendo vigiado de forma protetora. Se acreditarmos que “cada palavra de DEUS é pura” (Pv 30:5), se acreditamos na Inspiração Verbal das Escrituras, então acreditamos que DEUS, muito cuidadosamente, escolheu esta palavra para nos transmitir o fato de que os homens normalmente exercem uma vigilância cuidadosa e por custódia sobre as coisas que têm valor e importância. Então o que esta palavra tem a ver com a preservação da Palavra de DEUS? Simplesmente isso: a palavra “teereo” é usada 28 vezes no Novo Testamento para descrever os homens “guardando” os ditos de CRISTO, Seus mandamentos, Suas palavras e a lei de DEUS. Veja, por exemplo, João 8:51: “... conheço-o e guardo a sua palavra.” Jo 14:15 é o mais conhecido desses versículos: “Se me amais, guardai os meus mandamentos.” Os versículos 21, 23 e 24 enfatizam a mesma verdade: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; ...” e “... Se alguém me ama, guardará a minha palavra ...” e “Quem não me ama não guarda as minhas palavras ...” I Jo 2:3,4,5 acrescentam essas palavras: “3 ¶ E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. 4 Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade. 5 Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de DEUS está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele.” Lemos esses versículos entendendo que eles apenas descrevem a obediência à Palavra de DEUS, mas não é só isso que está nessa palavra “guardar” (deve-se enfatizar que há três palavras básicas para “obedecer” no Novo Testamento grego, mas esta palavra “teereo” nunca foi traduzida para “obedecer”). O uso consistente do ESPÍRITO SANTO para a palavra “teereo” no Novo Testamento mostra que ela significa exercer um cuidado protetor, atencioso, custodial da coisa guardada. Esse e o significado básico da palavra. Os versículos que usam a palavra “teereo” em referência a guardar os mandamentos de nosso Senhor nos ensinam que DEUS usaria seus filhos para preservar Sua Palavra. Assim, todos nós estivemos errados ao supor que devemos obedecer às palavras de CRISTO? Eu não acho. DEUS queria que nós exercêssemos um cuidado protetor sobre Suas Palavras e assim fazendo, obedecer-lhas. Se o povo de DEUS tivessem a compreensão da importância de montar guarda sobre a pureza da Palavra de DEUS e tendo uma amorosa atenção à Bíblia, ele também a “guardará obedecendo-lhe". A obediência à Bíblia e a Preservação da Bíblia são inseparáveis. Quando o Senhor JESUS disse a Seus discípulos em Jo 14:15: “Se me amais, guardai os meus mandamentos.” Ele os estava instruindo a preservar amorosamente Seus mandamentos da corrupção, obedecendo-lhes sem alteração. Eu preservarei a Palavra de DEUS, assim posso obedecer-lhe cuidadosamente e a obedecerei cuidadosamente de modo a preserva-la inalterada para a próxima geração dos filhos de DEUS. Se me torno descuidado em obedecer-lha, me descuidarei de preservá-la. Diga, você já notou que aqueles que se opõem à doutrina da preservação da Palavra de EUS também se tornam cada vez mais descuidados em obedecer a Bíblia? E aqueles que são mais expressivos em seu apoio à preservação da Bíblia tendem a se preocupar mais sobre a simples obediência a ela? É racional que a falta de cuidado na preservação da Palavra de DEUS anda junto com a falta de cuidado em obedecer-lha, e a diligência em preservá-la anda junto com a diligência em obedecer-lha. DEUS preservou Sua Palavra desde o tempo dos apóstolos, através de igrejas locais, montando guarda sobre ela. Leia a história da igreja primitiva em cada terra. Eles preservaram a Palavra de DEUS sem a ajuda de ninguém além de DEUS. Imperadores romanos e papas romanos tentaram tudo para tirar a Bíblia das igrejas, mas os crentes fiéis não desistiriam de protegê-la e guardá-la. Muitos outros tentaram destruí-la, mas sempre DEUS levantou seu povo para protegê-la. A Grande Comissão de CRISTO para Seus discípulos contém as palavras: “Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado ...” (Mt 28:20 ACF) “Todas as coisas” ensinam preservação. “Guardar” ensina obediência. A preservação e a obediência estão para sempre reunidas. Quando o ESPÍRITO de DEUS falou através do apóstolo Paulo, ele descreveu a igreja local como sendo “a coluna e firmeza da verdade.” (I Tm 3:15). Uma igreja que treme diante da Palavra e teme a DEUS (Is 66:2,5) a preservará em seu mais completo sentido, obedecendo-lhe amorosamente. DEUS nos deu as mais simples instruções para preservar Suas Palavras. Ele nos diz várias e várias vezes para não acrescentar ou retirar nada dela. Isto é preservação em toda a sua simplicidade. Dt 4:2 é o primeiro texto que nos adverte a não acrescentar nem retirar nada da Palavra de DEUS. “Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis nada dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR vosso DEUS, que eu vos mando.” (Dt 4:2 ACF) (Observe como a preservação e a obediência se reúnem neste e no próximo texto de Dt 12:32 onde se coloca novamente esta verdade: “Tudo o que eu te ordeno, observarás para fazer; nada lhe acrescentarás nem diminuirás.” (Dt 12:32 ACF) O homem sábio de Pv 30:6 adverte: “Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso.” (Pv 30:6 ACF) A comissão de DEUS para Jeremias no capítulo 26:2 é: “... dize ... todas as palavras que te mandei que lhes dissesses; não omitas nenhuma palavra.” (Jr 26:2 ACF). Apocalipse 22:18,19 são provavelmente os mais conhecidos versos sobre a preservação da Bíblia. Eles vêm no fechamento do cânon e solenemente advertem aos homens para não acrescentar ou retirar nada das palavras deste livro. 18 Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; 19 e, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, que estão escritas neste livro. O que não é normalmente conhecido é que também o capítulo 22 contém dois versículos que falam da parte que nos cabe na preservação. O versículo 7 promete “Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro.” E o versículo 9 identifica o anjo que falou com João como sendo o companheiro “dos que guardam as palavras deste livro” A palavra novamente é “teereo”. Há uma benção sobre o homem que preserva a Palavra de DEUS e evita toda a alteração a Bíblia. E uma maldição àquele que acrescentar ou retirar algo dela. Assim DEUS nos diz como Sua Palavra é preservada. É guardada por aqueles que a amam e a obedecem. Ao longo dos séculos Ele tem guardado Sua Palavra através de Seu povo. Onde quer que encontremos uma igreja, grande ou pequena, que esteja comprometida a andar à luz da Bíblia, encontraremos uma igreja que administra seriamente a Palavra de DEUS. E perceberemos que elas medem tudo, inclusive o Cristicismo Textual Moderno, pela Palavra de DEUS. Uma das estatísticas mais tristes de nossa geração é que cada vez mais os institutos e os seminários bíblicos se tornaram fábricas de martelos para céticos. Mas somos enormemente encorajados por saber que há cada vez mais igrejas fiéis que acreditam na preservação de DEUS para Sua Palavra. Muitos bons livros sobre preservação têm sido escritos e sermões têm sido pregados e pesquisas têm sido feitas; assim sendo há um sempre crescente corpo de evidências Escriturais que provam claramente que DEUS está guardando Sua Palavra através de Seu povo. Ouço um novo som no mundo hoje. É o som dos martelos batendo, enquanto se quebram em pedaços contra a Palavra de DEUS. Isto soa como música para nossos ouvidos. Mas não são os martelos que fazem a música. É a bigorna. DEUS está preservando Sua Palavra. Por Buddy Smith - Traduzido por Jeanne Borgerth Duarte Rangel RESUMO DA LIÇÃO 12 PRESERVANDO A PALAVRA DO SENHOR INTRODUÇÃO Era o discurso de despedida de um líder que fora fiel ao seu DEUS e à sua nação (Js 23.1-16). I - AS RECOMENDAÇÕES DE UM HOMEM DE DEUS 1. Josué convoca o povo. 2. O temor ao Senhor. 3. Preceitos essenciais. II - EXORTAÇÕES À PERSEVERANÇA 1. Guardar tudo quanto está escrito. 2. Guardar a alma e amar a DEUS. III- EVITANDO PROBLEMAS FUTUROS 1. A advertência de um líder. 2. Um instrumento nas mãos de DEUS. CONCLUSÃO Josué exortou o povo à fidelidade a DEUS. O Senhor nos libertou da servidão do pecado, Do jugo de Satanás e da condenação eterna (Ef 1.7; 2.1,2). QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 12 - PRESERVANDO A PALAVRA DO SENHOR RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 1º TRIMESTRE DE 2009 TEXTO ÁUREO 1- Complete: "Agora, pois, temei ao ______________________, e serví-o com ____________________________ e com _______________________________ ... "(Js 24.14). VERDADE PRÁTICA 2- Complete: A _____________________ aos preceitos divinos nos conduz em __________________________ até a ___________________________ Celeste. INTRODUÇÃO 3- Por que Josué reuniu-se com os israelitas para dar­Ihes as orientações que iriam ajudá-Ios a prosseguirem vitoriosos na conquista do restante da terra? ( ) Porque Israel era zeloso em seguir tudo o que estava escrito no livro da Lei de Moisés.e queria continuar sendo-Lhe fiel. ( ) Porque Israel não era zeloso, mas queriam se voltar para DEUS e ser-Lhe fiel. ( ) Porque Israel não era zeloso em seguir tudo o que estava escrito no livro da Lei de Moisés. I - AS RECOMENDAÇÕES DE UM HOMEM DE DEUS 4- Por que Josué convoca o povo? ( ) Porque estava próximo de ir para sua parte da herança. ( ) Porque estava próximo da morte. ( ) Porque estava próximo do monte Gerizim. 5- Quais palavras finais Josué pronunciou ao povo de Israel para encorajamento e instrução? ( ) Lembrou-os de que aquelas vitórias alcançadas ao longo de suas jornadas, eram resultados de seus esforços e competência, pois eram muitos e valentes. ( ) Lembrou-os de que aquelas vitórias alcançadas ao longo de suas jornadas, não eram resultados de seus esforços e competência, mas, sim, da abundante graça e misericórdia do Senhor. "o porque o SENHOR, vosso DEUS, é o que pelejou por vós" (v.3). ( ) Lembrou-os de que aquelas poucas vitórias alcançadas ao longo de suas jornadas, não eram resultados de seus esforços e competência, mas, sim, da sua fé em DEUS. 6- Josué conhecia os pontos fortes e fracos do povo que liderava. Sabia do desleixo dos israelitas em guardar toda a Lei do Senhor, pois ainda faltava-Ihes mais temor de DEUS, que nos faz cumprir os mandamentos divinos. Dê algumas vantagens para aqueles que temem a DEUS: Coloque "V" para Verdadeiro e "F" pra Falso: ( ) Quem teme e obedece a DEUS não erra, porque aborrece o mal. ( ) É através do temor que somos santificados e aperfeiçoados. ( ) Nunca terão aflições os que temem a DEUS. ( ) DEUS promete uma vida feliz aos que o temem. 7- Josué instruiu aos israelitas sobre o que deveriam evitar para não se afastarem do Senhor: O que é? ( ) Não deveriam associar-se às nações idólatras que estavam ao seu redor, e muito menos servirem aos seus deuses.). ( ) Não deveriam associar-se às outras tribos que estavam ao seu redor, e muito menos servirem ao seu DEUS. ( ) Deveriam associar-se às nações vizinhas e participar de suas festas e banquetes. 8- Como nação escolhida, qual a responsabilidade de Israel? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" pra Falso: ( ) Deveriam viver de modo a agradar aos povos a sua volta em todos os sentidos. ( ) A responsabilidade de fazer com que todos os povos da terra conhecessem ao Todo-Poderoso. ( ) Eles foram chamados para serem santos, ou seja, separados do mundo e dedicados a DEUS. ( ) Deveriam viver de modo a agradar ao Senhor em todos os sentidos. II - EXORTAÇÕES À PERSEVERANÇA 9- O que deveriam os Israelitas fazer se quisessem continuar recebendo as bênçãos de DEUS? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" pra Falso: ( ) Deveriam observar e guardar tudo aquilo que DEUS Ihes revelara acerca da maneira correta de viver. ( ) Deveriam ser leais ao Altíssimo. ( ) Participarem da religiosidade de seus vizinhos cananeus. ( ) O contínuo progresso da nação israelita dependia, fundamentalmente, da observância dos mandamentos divinos. 10- Complete: "Esforçai-vos, pois, para ____________________________ e para fazerdes tudo quanto está ____________________ no livro da Lei de ________________ ...•. (v.6). 11- Precisamos "andar" nos caminhos do Senhor, a fim de agradar-lhe em todo o nosso agir. O que significa esse "andar"? ( ) Denota modo de viver, atitudes, ações, obras, e comportamento em geral. ( ) Denota o costume de andar para o templo todos os dias. ( ) Denota religiosidade, costumes e diversão do povo em geral. 12- "Portanto, guardai muito a vossa alma, para amardes ao SENHOR, vosso DEUS" (v. 11). O que é a alma? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" pra Falso: ( ) A alma é a sede das emoções, dos sentimentos. ( ) A alma é a casa terrestre do cristão. ( ) Podemos dizer que é o centro da personalidade humana. ( ) Ela representa a nossa vida pessoal, moral e espiritual. 13- O que significa guardar a alma? ( ) Significa guardá-Ia dentro da Igreja, de casa. Não permitir que a alma veja ou tenha contato com o mundo. ( ) Significa protegê-Ia de toda forma de corrupção moral que pode torná-la doente. ( ) Significa afastá-la de toda forma de louvor ou adoração a DEUS. 14- Como podemos guardar a nossa alma de modo que permaneça sempre saudável? ( ) Através da leitura diária da Palavra de DEUS, da oração, e sendo cheio do ESPÍRITO SANTO. ( ) Através da meditação transcendental, Yoga, levitação ou jejum. ( ) Através da leitura diária de livros poéticos ou de romances. 15- Complete: As concupiscências da carne combatem constantemente contra a nossa _________________, buscando impedir nossa ______________________________ com o Senhor (1 Pe 2.11). A alma humana é um bem precioso que necessita ser preservado dos pecados que mutilam e destroem a possibilidade de vida ____________________ com DEUS. 16- O que nos é exigido para que mantenhamos nosso relacionamento com DEUS? ( ) É preciso amá­Lo com todas as forças, isto é, de todo o coração (Mt 22.37) e isso exige esforço espiritual, pessoal, emocional, e, muitas vezes, até físico, voltado para a adoração a DEUS. ( ) É preciso amá­Lo com todas as forças, isto é, de todo o coração (Mt 22.37) e isso não exige muito esforço, é prazeroso e simples de se viver. ( ) É preciso apenas descansarmos em nossa fé em DEUS, sem nenhum esforço. III- EVITANDO PROBLEMAS FUTUROS 17- Josué advertiu aos israelitas sobre o que Ihes aconteceria caso deixassem a lealdade a DEUS e mantivessem um relacionamento íntimo com aquelas nações. Como foi esta advertência? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" pra Falso: ( ) A ira do Senhor sobre eles se acenderia, e logo pereceriam de sobre a boa terra que DEUS os havia dado. ( ) O Senhor os perdoaria sempre, mas deveriam evitar pecar. ( ) O Senhor certamente não mais os ajudaria em suas pelejas. ( ) As conseqüências seriam drásticas para eles, pois aqueles povos tornar-se-iam em laço, rede e açoites. 18- Como foi o ministério de Josué durante o tempo que esteve junto aos israelitas? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" pra Falso: ( ) Cheio de altos baixos devido a sua inconstante fé. ( ) Josué foi um instrumento utilizado por DEUS para orientar o povo a viver e servir somente ao Senhor. ( ) Teve inúmeras e extraordinárias vitórias, pois era fiel ao seu supremo Senhor. 19- Complete: DEUS requer __________________________ dos seus servos. Portanto, devemos ser-Lhe fiéis porque Ele é fiel e _______________________ em todos seus _____________________________ (Dt 32.4) CONCLUSÃO 20- Complete: Os israelitas jamais poderiam se esquecer de que foi o Senhor quem os havia livrado da ________________________ do Egito. Nós também precisamos reconhecer que foi o Senhor quem nos ________________________ da servidão do pecado, do jugo de Satanás e da ________________________ eterna (Ef 1.7; 2.1,2). As respostas do questionários estão nos vídeos em http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm Subsídio Bibliológico "O discurso de Josué" O livro de Josué termina com dois discursos de despedida. No primeiro, uma palavra de despedida aos líderes, é no último o testemu­nho de Josué sobre a fidelidade de DEUS. Mas, é também uma terrível advertência dos perigos em aban­donar a DEUS (23). O Todo-Poderoso foi, é, e será fiel à Sua promessa, e expulsará os cananeus remanescen­tes - se Israel obedecer (23.1-11). Porém, DEUS será também fiel às Suas palavras de advertência. Se Israel voltar-se para outros deuses, Senhor trará sobre Seu povo todo mal com que o ameaçou (vv.12­16). Como Deuteronômio 28, Josué 23 apresenta uma teologia da história do Antigo Testamento, na qual todos os eventos estão unidos à resposta de Israel para DEUS e Sua Lei." (RICHARDS, L.O. Guia do lei­tor da Bíblia. Rio de janeiro: CPAD, 2005, p. 156.) APLICAÇÃO PESSOAL "E guardarás os seus estatutos e os seus mandamentos, que te ordeno hoje, para que bem te vá a ti e a teus filhos depois de ti e para que prolongues os dias na terra que o SENHOR, teu DEUS, te dá para todo o sempre" (Dt 4.39,40). Essa inaudita promessa é estendida a todos os que amam a Palavra de DEUS. Longevidade, conforto, segurança, prosperidade, saúde e paz traduzem os frutos do temor e obediência ao Senhor. Faça, hoje mesmo, uma aliança com DEUS! Obedeça aos mandamentos divinos e "A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos, como plantas de oliveira, à roda da tua mesa. Eis que assim será 'abençoado o homem que teme ao SENHOR" (SI 128.2-4). SINOPSE DO TÓPICO (1) Josué exortou o povo a temer e amar a DEUS como também a se afastar da idolatria. SINOPSE DO TÓPICO (2) Josué exortou o povo a guardar tudo quanto está escrito na Lei. guardar a alma e amar a DEUS. SINOPSE DO TÓPICO (3) O Senhor requer fidelidade dos seus servos. RESPOSTA NOS VÍDEOS EM http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm ou em outros sites diversos de vídeos, afins. Ajuda: CPAD - http://www.cpad.com.br - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal. http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm (VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE) BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD. Nosso novo endereço:http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos Veja vídeos em http://www.ebdweb.com.br, em http://www.idbpa.net/joomla/index - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube. Revista CPAD- 1992 - Severino Pedro da Silva http://www.bible-facts.info/comentarios/vt/josue/AdespedidadeJosueCapitulos20a24.htm R David Jones http://www.solascriptura-tt.org/Bibliologia-PreservacaoTT/ComoDeusPreservaSuaPalavra-Smith.htm

terça-feira, 10 de março de 2009

LICAO 11 - AS CIDADES DE REFUGIO Ev Henrique

LIÇÃO 11 - AS CIDADES DE REFÚGIO Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 1º TRIMESTRE DE 2009 Livro de Josué - As Conquistas e as Promessas do Povo de DEUS Comentários: Elienai Cabral Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antônio Gilberto Complementos, questionários e videos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva TEXTO ÁUREO "DEUS é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia" (Sl 46.1). VERDADE PRÁTICA Assim como as cidades de refúgio de Israel, JESUS é a nossa segurança: abrigo e socorro em todas as circunstâncias da vida. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Josué 20.1-6. 1 - Falou mais o SENHOR a Josué, dizendo: 2 - Fala aos filhos de Israel, dizendo: Apartai para vós as cidades de refúgio, de que vos falei pelo ministério de Moisés; 3 - para que fuja para ali o homicida que matar alguma pessoa por erro e não com intento; para que vos sejam refúgio do vingador do sangue. 4 - E, fugindo para alguma daquelas cidades, por-se-á à porta da cidade e proporá as suas palavras perante os ouvidos dos anciãos de tal cidade; então, tomarão consigo na cidade e lhe darão lugar, para que habite com eles. 5 - E, se o vingador do sangue o seguir, não entregarão na sua mão o homicida; porquanto não feriu a seu próximo com intento e o não aborrecia dantes. 6 - E habitará na mesma cidade, até que se ponha ajuízo perante a congregação, até que morra o sumo-sacerdote que houver naqueles dias; então, o homicida voltará e virá à sua cidade e à sua casa, à cidade de onde fugiu. INTERAÇÃO Professor, precisamos avançar no estudo do livro de Josué. Na lição de hoje vamos estudar o capítulo 20. Todavia, você poderá informar aos alunos que os capítulos 74 e 75 descrevem a distribuição das terras do sul para Judá e Calebe. Os capítulos 76 e 77 explicam a repartição das terras centrais para os filhos de José, enquanto a seção 78 - 79 trata da divisão do restante das terras. O capítulo 20 apresenta a localização e o estabelecimento das seis cidades de refúgio dentre as 48 cidades dos levitas, capítulo 27. Transmita essas informações aos seus alunos e boa aula! ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA Professor, use o mapa da lição anterior para mostrar aos alunos as seis cidades de refúgio. Note que em cada lado do rio Jordão havia três cidades de refúgio. Três do lado leste do Jordão: Bezer (para a tribo de Rubens), Ramote (em Gileade) e Golã (para a meia tribo de Manassés). Outras três ficavam na parte oeste do Jordão: Quedes (na montanha de Naftali), Siquém (na montanha de Efraim) e Hebrom (na montanha de Judá). Essas cidades estavam convenientemente situadas nas regiões norte, central e sul de Canaã. COMENTÁRIOS Revista CPAD - 1º Trimestre de 1992 - Severino Pedro da Silva INTRODUÇÃO Assim como Israel tinha as suas cidades de refúgio, de igual modo a Igreja. Ainda que perseguida e incompreendida, pode contar com a pronta intervenção de CRISTO. Aliás, o Senhor JESUS é descrito, não somente como o nosso refúgio, mas também como o nosso eterno e seguro repouso. Ele, pois, é o nosso refúgio. Sem a ajuda do Filho de DEUS, não conseguiríamos atravessar por tantas lutas e dificuldades. Corramos, pois. à cidade de refúgio. Lá, o mal nunca nos alcançará. As cidades de refúgio instituídas por expressa ordem de DEUS, representavam para o homicida perseguido e fugitivo, segurança e descanso ao mesmo tempo. Tomando-se assim, uma figura expressiva de CRISTO nosso Salvador. I. AS SEIS CIDADES DE REFÚGIO 1. Três cidades ... no meio da terra" (v.2). A princípio DEUS ordenou à Moisés apenas a escolha de "três cidades de refúgio" e não seis conforme ficou instituído depois (Dt 40.41; Js 20.6). Posteriormente com a dilatação da terra prometida, este número foi elevado para seis. "Três destas cidades (disse DEUS) dareis daquém do Jordão, e três destas cidades dareis na terra de Canaã; cidades de refúgio serão" (Nm 35.14; Dt 19.2,7­9). Estas cidades passaram a funcionar como uma espécie de "salvo-conduto", transformando a pena do culpado não intencional numa prisão domiciliar. Alguns crimes, mesmo cometidos aci­dentalmente, eram reputados como "homicidas" e qualificados como "erro" (vo4). Os tipos de crimes que dariam direito à segurança nas cidades de refúgio vêm descritos em (Nm 35.15-23; Dt 1904-6),etc. (SCR e SB) 2. A situação geográfica das cidades de refúgio (vv.8 ,9). Das quarenta e oito cidades destinadas aos levitas, seis foram nomeadas como "cidades de refúgio" , três pelo lado ocidental e três pelo lado oriental do Jordão, da seguinte maneira: a) cidades ocidentais: • "Quedes em Galiléia, na montanha de Naftali" (v.7a); • "Siquém na montanha de Efraim " (v.7b); • Quiriate-Arba, esta é Hebrom, na montanha de Judá" (v.7c); b) cidades orientais: • "Bezer, no deserto, na campina da tribo de Rúben" (v.8a); • "Ramote em Gileade da tribo de Gade" (v.8b); • "Golã em Basã da tribo de Manassés" (v.8c). 3. "Para que fuja para ali o homicida" (Js 20.3). A terra de Canaã era mais que a Terra Prometida, geograficamente falando: era terra santa, santificada pela presença de DEUS que vive no meio do seu povo (Êx 19. 5,6). Portanto, é de maior importância manter pura essa terra, especialmente da contaminação mais terrível do derramamento de sangue. Assim, o homicida não-intencional, fugia para uma das cidades de refúgio mais próxima, afim de que os anciãos daquela cidade, julgassem sua causa (v. 4). Ali, com efeito, ele estaria protegido do "vingador do sangue". II. NOSSO REFÚGIO SUPREMO 1. "DEUS é o nosso refúgio" (SI L16.1). Não somente este salmo, em foco, fala de DEUS corno sendo "nosso refúgio", mas outros textos da Bíblia falam a mesma coisa (2 Sm 22.3; SI 9.9; 14.6; 18.2; 59.16; 61.3; 62.8 e ss; Jr 17.17; n 3.16; Hb 6.18). Neste sentido DEUS é apresentado metaforicamente corno sendo um "lugar de proteção" e "esconderijo". DEUS é o "nosso refúgio" porque sua "perfeição" e poder incluem todos os atributos, até os mais excelentes: *Ela "exclui" toda a dependência, toda a existência, toda a composição, corrupção, mortalidade, contingência, ignorância, injustiça, fraqueza, miséria, finalrnente todas as imperfeições. *Mas ela "inclui" a necessidade da vida, independência, unidade perfeita, simplicidade, imensidade, eternidade, imortalidade. Finalrnente, tudo que significa proteção e segurança em grau supremo! 2. Em JESUS CRISTO encontramos refúgio. Os judeus tinham uma tradição mediante a qual o Messias, quando viesse, adicionaria mais "três cidades de refúgio" às já existentes, das quais uma seria a cidade de Sião, ou Jerusalém (cf. Is 14.6), pelo que o Messias era associado a idéia de "descanso" para os oprimidos e de segurança para os perseguidos (Hb 6.18). De acordo com os preceitos do Antigo Testamento, quem tivesse morto o próximo por acidente, tinha a permissão de fugir para qualquer uma dentre as seis cidades de refúgio, localizadas em pontos estratégicos da Palestina, e que envolvia uma geografia bastante ampla, para conveniência daqueles que tivessem de fugir (Nm35.9-32: Dt 19.1-13). Essa prática, portanto, tomou-se "tipo simbólico" do refúgio e segurança que os pecadores encontram em CRISTO. III- A NOSSA CIDADE DE REFÚGIO 1. Algumas igrejas e ministérios são verdadeiras cidades de refúgio. Atualmente, em alguns lugares no mundo, igrejas e ministérios santos, tem servido de "verdadeiras cidades de refúgio" para os crentes e obreiros oprimidos ­ vítimas da inveja daqueles que já perderam a visão espiritual. A inveja tem sido uma "arma sombria" que Satanás tem usado no campo da destruição. As habilidades e talentos sempre despertam invejas naqueles que não se sentem seguros. Isaque, Jacó, José, Moisés, Davi, Daniel, e outros vultos do Antigo Testamento. foram odiados por seus circunstantes, somente porque eram abençoados por DEUS (Gn 26.12-16; 31.5-9; 37.4,8; Nm 12.1-8; 1Sm 18.7-9; Dn 6.1-6; At 5.17ss). JESUS previu isso e recomendou dizendo: "Quando, pois, vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra" (Mt 10.23a). Pedro diz que: "As mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo" (1Pe 5.9). Então meu irmão: é tempo de fugir. "Escapa­te para ali..." (Gn 19.22a). Escapa-te para um lugar onde o amor e o temor a DEUS estão em primeiro lugar. "Fugi, salvai a vossa vida (espiritual e ministerial)" (Jr 48.6a). 2. DEUS sempre prepara um lugar de refúgio. O cuidado de DEUS pelo seu povo sempre esteve em evidência. E, necessariamente, na caminhada da Igreja desde o seu princípio de formação e através dos séculos, este cuidado continuará presente (cf. Fp 1.6; 2 Tm 4.18; Ap 3.10). Dois grandes acontecimentos, um passado outro ainda futuro, mostram como o cuidado do DEUS e de seu Filho JESUS CRISTO está em evidência: 1°) No ano 70 d.C., quando 08 exércitos romanos sob o comando do general Flávio Tito, Vespasiano invadiu Jerusalém, nenhum cristão pereceu. JESUS revelou-se três dias antes, e eles fugiram a tempo para a cidade de Pella, na Peréia, uma das cidades de Decápolis como "cidade de refúgio", e ali os escaparam da destruição (Mt 24.15-20). 2°) Durante a Grande Tribulação. Durante o período sombrio da Grande Tribulação, DEUS já preparou um lugar de refúgio" para os remanescentes de Israel. Sugerem-se que este lugar de "refúgio" seja Petra, no monte Seir, na terra de Edom e Moabe. Sela ou Petra, a cidade da rocha é uma das maravilhas do mundo (localizada ao sudeste do Mar Morto), como possível esconderijo. Este lugar de isolamento é denominado por vários nomes, a saber: "refúgio" (ls 16.4); "quartos" (ls 26.20); "deserto" (Ap 12.6,14). Diz-se que é um "lugar preparado por DEUS". Geograficamente, refere-se a Edom e Moabe, e as primícias dos filho de Amom (Dn 11.41). São esses os únicos países a escaparem da influência do Anticristo. Seja como for, o cuidado de DEUS é assegurado ao seu povo. DEUS é o nosso refúgio". Confiemos NELE. Amém. (SD). C- SUBSÍDIOS PARA O PROFESSOR SUBSÍDIO CRONOLÓGICO As cidades de refúgio foram instituídas por volta de 1423 a.C. SUBSÍDIO BÍBLICO. O comentário a seguir foi feito pelo pastor Antônio Neves de Mesquita: "O principio visado por estas cidades de refúgio era evitar que um criminoso involuntário sofresse as conseqüências do seu ato. Poderia acontecer que um homem matasse outro, ou mesmo o ferisse involuntariamente. Muito naturalmente, a família do morto ou ferido se vingaria imediatamente, sem haver tempo de se fazer luz sobre os motivos do crime. Era o crime punido pelo populacho, crime sempre agravado por outros crimes. Não era esta a melhor maneira de sanear a sociedade de um possível elemento mau. As multidões são cegas e cometem atos apenas motivados pelo contágio psicológico gerado em tais tumultos. Os linchamentos são atos desvairados de uma multidão inconsciente que nem tempo teve para refletir sobre se o criminoso teria cometido o crime em legitima defesa ou devido a circunstâncias que só em processo regular pode ser apurado. "Para evitar crimes sobre crime, DEUS proveu no pais seis cidades de refúgio, três do lado oriental e três do lado ocidental do Jordão. Todo criminoso involuntário se refugiaria ali até ser julgado, e, no caso de ser inocente, lá ficaria até que morresse o sumo sacerdote, quando então podia sair sem ser molestado. Além das seis cidades de refúgio, havia ainda o santuário, no qual um criminoso poderia se refugiar agarrando-se aos chifres do altar. Quando Adonias soube que Salomão havia sido escolhido para rei em lugar de seu pai Davi, temendo a Saio mão, foi agarrar-se com os chifres do altar e lá ficou até que Salomão prometeu poupar-lhe a vida (1Reis 1.50­53). Eram modos de poupar a vida de possíveis inocentes. Alguns juristas têm visto nessa instituição uma espécie de "Habeas-corpus", medida jurídica que visa a garantir a vida de quem esteja inocentemente ameaçado, e, como o instituído é de origem inglesa, é bem possível que os ingleses se hajam baseado na Bíblia, para instituir esta medida salvadora dos inocentes. Numa palavra, DEUS é DEUS de Justiça, e não pode compadecer-se com qualquer forma de injustiça. "As condições eram: (1) Não aborrecer a pessoa ferida. Deveria ser averiguado se o ferido ou morto não era inimigo do criminoso, de modo a dar­se o crime. (2) O crime podia ocorrer mesmo no meio do trabalho, como o cortar de uma árvore, em que o machado se soltasse do cabo e ferisse o companheiro. (3) Evitar que o parente do criminoso, com o "o sangue esquentado", tentasse vingar a morte do parente morto ou ferido. (4) Evitar os crimes de irresponsabilidade, como os cometido por multidões açuladas. (5) No caso de ficar provado que houve intenção dolosa, o criminoso seria retirado da cidade e julgado de acordo com a Lei, que era a de Talião, "dente por dente e olho por olho", lei esta que JESUS modificou, aplicando-lhe a lei do amor, naquilo em que o mesmo amor coubesse. Israel deveria ser uma nação justa, porque justo é seu DEUS; não deveria ser nação sanguinária, violenta e eivada de paixões. Deveria ser povo modelo. Nada mais, nada menos, o que CRISTO, séculos depois, veio ensinar, quando estabeleceu os fundamentos de uma sociedade modelar baseada no respeito e no amor. SUBSÍDIO DOUTRINÁRIO Acerca da simplicidade dos processos que se davam nas cidades de refúgio, escreve o autor acima citado: "O homicida involuntário seria levado aos juízes postados à porta da cidade. Estes o examinariam e verificariam se antes do crime não havia Inimizade entre o morto e o assassino. Então ficaria recolhido à cidade, até que morresse o sumo sacerdote, quando expiraria a pena e voltaria à sua cidade ou vila (Nm 35.28). "As cidades seriam distribuídas pelo território de maneira a atender a todos os crimes. Em casos especiais, também o criminoso que se agarrasse aos chifres do altar estaria a salvo do "vingador do sangue'" até que se apurasse a culpa. Ninguém poderia tocar nele (1Rs 1:50). Nem Salomão pode tocar em Adonias, seu irmão, que pretendia o trono. "Como se vê, tudo muito simples, mas muito significativo. O que DEUS desejava era evitar derramamento de sangue indevidamente. Enquanto para o criminoso involuntário havia todas as possibilidades de segurança, para o criminoso voluntário a pena era de morte (Nm 35.16-21). "Nós temos de admirar o procedimento em Israel. Numa sociedade incipiente, com organização judiciária quase ausente, a vida era cercada de todas as garantias possíveis. Pelo sentido do verso 4 do capitulo 20, havia uma espécie de tribunal popular semelhante ao que ocorria em todas as grandes cidades daqueles tempos. Os juízes ficavam nas portas ou na porta das cidades, onde eram apreciadas as causas civis e criminais. Foi o caso de Ló, que era juiz em Sodoma (Gn 19.1 e Rt 4.1). Os homens mais qualificados ficavam na porta das cidades, onde atendiam aos casos mais simples; quanto aos mais graves, parece que havia uma congregação de eleitos para decisões. Seja como for, Josué, Números e Deuteronômio nos ensinam corno se procedia há 3.400 anos." CIDADE DE REFÚGIO Cada frase, cada palavra incrustada na Bíblia, mesmo esquecida, entre outras que completam as páginas das Escrituras representa filões de ouro espiritual que aguardam quem possua olhos ungidos para canalizá-los e colocá-los em circulação, para enriquecer o nosso espírito. Convém, pois, não cessar a pesquisa, não parar de extrair preciosidades desse campo inesgotável de riqueza que é a Bíblia e, além disso, não cessar também de incentivar outros a garimpar nos campos férteis e promissores, até encontrarem a gema, isto usando a expressão comum dos garimpeiros, até conseguir alcançar a preciosidade que procura. Focalizamos um tema que à primeira vista, pode parecer negativo, inexpressivo e sem conteúdo. Que significa essa expressão "cidade de refúgio"? A instituição legal que assegura um lugar de refúgio a um criminoso, especialmente um assassino perseguido pela justiça e pelos vingadores da vítima, encontra-se em todas as partes e em todos os tempos. Entre os hititas havia cidades de asilo, administradas por sacerdotes. Perto de Antioquia havia o santuário de Dafne, consagrado a ApoIo, no qual Onias se refugiou, e de onde a autoridade pública somente o pôde arrancar, valendo-se da traição (fato ocorrido no período dos Macabeus). Em Números 35.9-34, está registrada a ordem de DEUS a Moisés para estabelecer cidades de refúgio na Palestina. A partir de então, essa ordem foi várias vezes repetida, e essas repetições estão registradas na Bíblia. A organização que DEUS traçou para o povo de Israel, através das ordens dadas a Moisés, era modelar, perfeita e completa até nos mínimos detalhes. Nem mesmo a organização judicial foi esquecida. DEUS ordenou a Moisés que estabelecesse seis cidades de refúgio, logo que tomasse posse da terra de Canaã. Vamos ver quais as finalidades dessas cidades e como funcionavam: "Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo: Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando passardes o Jordão, à terra de Canaã, fazei com que vos estejam à mão cidades que sirvam de cidade de refúgio, para que ali se acolha o homicida que ferir alguma alma por erro. E estas cidades vos serão por refúgio do vingador do sangue, para que o homicida não morra, até que esteja perante a congregação no juízo. E das cidades que derdes haverá seis cidades de refúgio para vós. Três destas cidades dareis daquém do Jordão, e três destas cidades dareis na terra de Canaã; cidades de refúgio serão" (Nm 35.9-14). Como se vê, as cidades eram em número de seis. Serviam para acolher e guardar em segurança aqueles que, por erro ou por engano, matassem alguém, até que eles comparecessem perante o tribunal, para que fossem julgados. Essa medida acauteladora era sábia e necessária, pois, naqueles dias, qualquer que derramasse sangue, com sangue pagaria o seu ato. Chamamos a atenção dos leitores para este detalhe: os parentes do ferido ou do morto tinham o direito de vingar a morte do ente querido, matando o homicida onde quer que o encontrassem. Foi para evitar enganos ou injustiças na aplicação da lei que dava ao parente o direito de tirar a vida ao que a vida sacrificou do seu próximo, que se estabeleceram as cidades de refúgio. O homicida somente estava garantido dentro da cidade de refúgio. Se por quaisquer circunstâncias ele se afastasse dela, o vingador de sangue podia feri-Io de morte onde o encontrasse. Será útil e necessário saber-se como funcionavam as cidades de refúgio. Suas portas estavam abertas de dia e de noite, e havia anciãos em cada porta, prontos para receberem aqueles que procuravam abrigo. Havia, também, estradas largas, bem cuidadas, e com indicações para as cidades de refúgio. Garantia-se, assim, a integridade do homicida que ali se abrigasse; isso, porém, não evitava que ele comparecesse perante o tribunal para ser julgado. Já comentamos vários aspectos das cidades de refúgio. Agora mencionaremos os seus nomes: Cades é o nome da primeira cidade. Siquém vem em segundo lugar. Em terceiro, a cidade de Hebrom. Essas três primeiras estavam situadas do lado ocidental do Jordão. O nome da quarta era Bezer, cujo significado lembra minas de ouro. A quinta era Ramote. O nome da sexta, Golam. As três últimas estavam situada do lado oriental do Jordão. Várias medidas sábias foram dadas por DEUS a Moisés para segurança da família e estabilidade do povo. O estabelecimento de cidades de refúgio, além de evitar enganos, vinganças e injustiças, também contribuía para a segurança das famílias e das tribos. Como se sabe, entre os povos nômades ou não, na antiguidade, as rivalidades entre famílias e tribos provocavam choques, ódios e mortes. Cada morte verificada numa tribo ou família exigia a morte de dois membros da família ou tribo agressora. Quase sempre a vingança recaía sobre a pessoa mais importante da família ou da tribo, isto é, sobre o chefe. Ora, é claro que quanto mais elevada a posição da vítima, tanto maior seria o ódio e o desejo de vingança de seus parentes. Em certos casos, tribos e famílias odiavam-se e guerreavam entre si durante gerações sucessivas. As cidades de refúgio, portanto, segregando o culpado e entregando-o ao tribunal para ser julgado, contribuíam para abrandar o ódio entre os inimigos e fazia arrefecer o desejo de vingança, de modo que as contendas entre as famílias e tribos diminuíam e até se extinguiam. Na lei israelita é característico e sinal de maior sensibilidade moral o fato de assegurar o direito de asilo somente aos assassinos involuntários. Joabe, por exemplo, não se achava nessas condições, por ter sido o assassino de Abner e Amasa, apesar de se agarrar às pontas do altar (1 Rs 2.28,29). Tratando-se de um assassinato premeditado, o réu era entregue aos vingadores da vítima. Segundo uma cláusula, provavelmente mais recente, por ocasião da morte do sumo sacerdote havia uma espécie de anistia a todos os foragidos, e eles podiam regressar às suas propriedades. Para finalizar, conheçamos o significado da palavra refúgio e a aplicação que o salmista lhe dava: "Pois [DEUS] tens sido o meu refúgio e uma torre forte contra inimigo" (Sl 61.3). A palavra refúgio, para o povo cristão, tem um sentido mais objetivo do que as cidades que protegiam aquele que as procuravam. Para os cristãos, o verdadeiro refúgio, o perfeito abrigo, é JESUS CRISTO, o filho de DEUS, no qual todas as almas, além de refúgio e segurança, encontram também, orientação para a vida e remédio para a morte. (Tesouro de conhecimentos bíblicos - Conde, Emílio, 1901-1971, CPAD, Rio de Janeiro - RJ) SENTIDO FIGURADO DAS CIDADES DE REFÚGIO (Js 20.7,8). 1. Quedes: santificação para o impuro (Js 20.7). 2. Siquém: lugar para o cansado (Js 20.7). 3. Hebrom: lugar de comunhão (Js 20.7). 4. Bezer: lugar de refúgio para o fraco (Js 20.8). 5. Ramote: lugar de refúgio para os humilhados (Js 20.8). 6. Golã: lugar de refúgio para os tristes (Js 20.8). Assim como o fugitivo poderia ficar livre quando o sumo-sacerdote da cidade de refúgio morresse, assim também nosso sumo-sacerdote JESUS CRISTO morreu para nos libertar de nossa condenação eterna. (Nm 35). O sangue caído na Terra a contaminava e exigia juízo, assim JESUS derramou seu próprio sangue, levando sobre ELE o juízo que era para nós. RESUMO DA REVISTA CPAD - 1º TRIMESTRE DE 2009 LIÇÃO 11 - AS CIDADES DE REFÚGIO INTRODUÇÃO As "cidades de refúgio" foram estabelecidas por DEUS para abrigar as pessoas que cometessem homicídio involuntário (Nm 35.11). I- AS CIDADES DE REFÚGIO E SEUS PROPÓSITOS (Js 20.2-6) 1. As cidades dos levitas (Nm 35.1-5). 2. O sistema judiciário da Lei (Js 20.2-6; Nm 35.6-34). 3. A profanação da Terra Prometida (Nm 35.33,34). II- O SENTIDO FIGURADO DAS CIDADES DE REFÚGIO (Js 20.7,8). 1. Quedes: santificação para o impuro (Js 20.7). 2. Siquém: lugar para o cansado (Js 20.7). 3. Hebrom: lugar de comunhão (Js 20.7). 4. Bezer: lugar de refúgio para o fraco (Js 20.8). 5. Ramote: lugar de refúgio para os humilhados (Js 20.8). 6. Golã: lugar de refúgio para os tristes (Js 20.8). A CONCLUSÃO A principal lição que aprendemos neste estudo é que o Senhor JESUS CRISTO é o perfeito refúgio para o necessitado, oprimido e triste. SINOPSE DO TÓPICO I Quarenta e oito cidades pertenciam aos levitas e seis delas eram cidades de refúgio. Foram criadas para impedir a vingança contra o homicida culposo. SINOPSE DO TÓPICO II Três cidades de refúgio ficavam no lado leste do Jordão: Bezer, Ramote e Golã, e três no lado oeste: Quedes, Siquém e Hebrom. Subsídio Bibliológico "Cidades de Refúgio". A importância de um tema bíblico é freqüentemente demonstrada por sua repetição. Esse princípio marca as cidades de refúgio como de grande importância, porque extensas instruções sobre elas são encontradas em Êxodo 21, Números 35, Deuteronômio 4, 19 e, em Josué 20. Princípios legítimos, que resguardavam a fuga para uma cidade de refúgio, expõem com precisão elementos que deveriam caracterizar totalmente o sistema legal de Israel. O acesso ao sistema legal de proteção deveria ser rápido, como ilustrado pela colocação das cidades, e pelo fato de que as estradas deveriam ser construídas para elas. Havia cuidadosa investigação da culpa, ou inocência, debaixo de regras estritas de evidência. Motivo, ou falta dele, deveriam ser considerados. E, múltiplos testemunhos eram requeridos para condenação." (RICHARDS, L.O. Guia do leitor da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p. 154.) APLICAÇÃO PESSOAL "Não se turbe o vosso coração; credes em DEUS, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também" (Jo 74.7 - 3). Há muitas moradas no lugar que JESUS preparou para receber os seus santos filhos. As mansões celestes são reais, pois o proprietário assim o disse. Essa mensagem traz alento e consolo para o peregrino cristão. Você está caminhando em direção ao seu lar eterno, às mansões celestes, à morada do Altíssimo. Mesmo que o caminho seja íngreme, não desista! QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 11 - AS CIDADES DE REFÚGIO RESPONDA SEGUNDO A REVISTA DA CPAD DO 1º TRIMESTRE DE 2009 TEXTO ÁUREO 1- Complete: "DEUS é o nosso ____________________ e fortaleza, _________________ bem presente na _______________________" (Sl 46.1). VERDADE PRÁTICA 2- Complete: Assim como as cidades de _____________________ de Israel, _______________ á a nossa segurança: abrigo e socorro em todas as __________________________ da vida. INTRODUÇÃO 3- Para que as "cidades de refúgio" foram estabelecidas por DEUS? Coloque "X" na resposta correta: ( ) Para abrigar as pessoas que cometessem homicídio involuntário. ( ) Para abrigar as pessoas que cometessem homicídio voluntário. ( ) Para abrigar as pessoas que cometessem algum pecado involuntário. 4- O que acontecia às portas das cidades de refúgio? Coloque "X" na resposta correta: ( ) O acusado apresentava-se perante uma corte de velhos a fim de justificar-se, e provar que teve a intenção de matar seu inimigo. ( ) O acusado apresentava-se perante uma corte de anciãos a fim de defender-se, e provar que não matou seu semelhante. ( ) O acusado apresentava-se perante uma corte de anciãos a fim de justificar-se, e provar que não teve a intenção de matar seu semelhante. 5- O que ilustram as cidades de refúgio, como providência divina? Coloque "X" na resposta correta: ( ) A verdadeira esperança que só encontramos na pessoa bendita de nosso Senhor JESUS CRISTO. ( ) A verdadeira segurança que só encontramos na pessoa bendita de nosso Senhor JESUS CRISTO. ( ) A verdadeira vida santa que só encontramos na pessoa bendita de nosso Senhor JESUS CRISTO. I- AS CIDADES DE REFÚGIO E SEUS PROPÓSITOS (Js 20.2-6) 6- De que maneira herdaram os levitas, tribo de sacerdotes (Nm 35.1-5 e Js 18.20-24)? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Os levitas receberam, por ordem divina, apenas 28 cidades dentre as tribos dos filhos de Israel. ( ) O sustento dos filhos de Levi provinha dos dizimas de todo o Israel (v.21), uma vez que se ocupavam apenas do sacerdócio. ( ) Os levitas receberam, por ordem divina, apenas 48 cidades dentre as tribos dos filhos de Israel. ( ) Herdariam como qualquer outra tribo de Israel, pois eram irmãos. ( ) Seis foram separadas como "cidades de refúgio" para abrigar o homicida involuntário. 7- Onde foram distribuídas as cidades de Refúgio e qual era o procedimento para com elas? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Qualquer israelita ou estrangeiro que cometesse um assassinato proposital poderia abrigar-se ali até o sua absolvição. ( ) Três ficavam ao leste do Jordão (Bezer, Ramote, Golã) ( ) Três ao oeste (Hebrom, Siquém, Quedes). ( ) Três ao ocidental (Hebrom, Siquém, Quedes). ( ) Esses locais eram considerados sagrados, e administrados pelos sacerdotes. ( ) Qualquer israelita ou estrangeiro que cometesse um assassinato não proposital poderia abrigar-se ali até o seu julgamento. ( ) Se o refugiado saísse dos "termos da cidade" poderia ser morto pelo "vingador do sangue". ( ) O acusado deveria, obrigatoriamente, permanecer na cidade até a morte do sumo sacerdote. 8- Qual lição espiritual, muito preciosa, retiramos das cidades de refúgio? Coloque "X" na resposta correta: ( ) DEUS elegeu a JESUS CRISTO como o sumo sacerdote que apaga a culpa e livra o pecador de seus pensamentos. ( ) DEUS elegeu o pastor como o sumo sacerdote que remove a culpa e livra o pecador de seus pecados. ( ) DEUS elegeu a JESUS CRISTO como o sumo sacerdote que remove a culpa e livra o pecador de seus pecados. 9- Como funcionava o sistema judiciário da Lei (Êx 21.24; Lv 24.20 Nm 35.6-34; Dt 19.21; Js 20.2-6)? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) As cidades de refúgio foram criadas com o objetivo de aplicar a vingança contra alguém que praticasse um homicídio premeditado. ( ) "olho por olho, dente por dente, cão por cão, morte por morte". ( ) "olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé". ( ) Havia leis para diversos tipos de crimes: os de natureza religiosa (Êx 20.3-5), material (Êx 22.1-15), moral (Êx 22.16-31; Lv 18.1-29) e pessoal (Êx 21.12-36). ( ) As cidades de refúgio foram criadas com o intuito de impedir a vingança contra alguém que praticasse um homicídio culposo. ( ) O desejo de vingança da família da vítima nem sempre era justo, razão pela qual a lei concedia ao homicida a oportunidade de se refugiar e obter um justo julgamento. 10- Complete: "Não profaneis a terra em que estais ... " (v. 3 3). A Terra Prometida era santa, e jamais poderia ser __________________________ visto que o próprio DEUS habitava no meio dos filhos de Israel (v.34). Permitir que o assassino de uma vida inocente não pagasse por seu crime era o mesmo que corromper ou profanar a terra. Segundo Gênesis 4.10,11 o sangue absorvido pela terra clamava contra a vida daquele que o derramou. Esse princípio baseia-se no fato de que o sangue é ___________________, e, sendo vida, a terra contaminada exigia a morte do assassino: vida por vida, sangue por sangue (v.34; Lv 17.11). Isto ilustra o ________________________________ cruento de nosso Senhor JESUS CRISTO. Somente a morte expiatória de JESUS é capaz de eliminar a culpa do pecado e libertar o pecador da maldição e condenação da lei (Hb 9.11-14; Ef2.13). II- O SENTIDO FIGURADO DAS CIDADES DE REFÚGIO (Js 20.7,8). 11- DEUS muito se utilizou de linguagem figurada para ensinar ao seu povo. Nas cidades de refúgio encontramos diversas figuras que são aplicadas a CRISTO e à vida cristã. Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda: Quedes lugar de refúgio para os humilhados (Js 20.8) Siquém lugar de comunhão (Js 20.7) Hebrom lugar de refúgio para o fraco (Js 20.8) Bezer lugar de refúgio para os tristes (Js 20.8) Ramote santificação para o impuro (Js 20.7) Golã lugar para o cansado (Js 20.7) II- O SENTIDO FIGURADO DAS CIDADES DE REFÚGIO (Js 20.7,8). 12- O que significa, no original, o termo "Quedes"? Coloque "X" na resposta correta: ( ) Significa "santo" ou "santuário". ( ) Significa "perfeito" ou "morto". ( ) Significa "puro" ou "mortuário". 13- O que significa, no original, o termo "Siquém"? Coloque "X" na resposta correta: ( ) Significa "lombo" ou "sombra". ( ) Significa "escombro" ou "pedras". ( ) Significa "ombro" ou "costas". 14- O que significa, no original, o termo "Hebrom"? Coloque "X" na resposta correta: ( ) Significa "lugar de excomunhão" (Js 20.7). ( ) Significa "lugar de comunhão" (Js 20.7). ( ) Significa "lugar de reunião" (Js 20.7). 15- O que significa, no original, o termo "Bezer"? Coloque "X" na resposta correta: ( ) Significa "fortaleza". ( ) Significa "realeza". ( ) Significa "esperteza". 16- O que significa, no original, o termo "Ramote"? Coloque "X" na resposta correta: ( ) Significa "exaltação", "elevação". ( ) Significa "exatidão", "correção". ( ) Significa "exclamação", "adoração". 17- O que significa, no original, o termo "Golã"? Coloque "X" na resposta correta: ( ) Significa "Beleza". ( ) Significa "impureza". ( ) Significa "tristeza". CONCLUSÃO 18- Complete: A principal lição que aprendemos neste estudo é que o Senhor JESUS CRISTO é o perfeito ____________________________ para o necessitado. oprimido e triste. JESUS "foi feito por DEUS sabedoria. e justiça, e santificação, e redenção" (1 Co 1.30). Ele é o nosso ____________________________. Nele temos paz, descanso, segurança, alegria e __________________________________ nas lutas de cada dia. RESPOSTA NOS VÍDEOS EM http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm ou em outros sites diversos de vídeos, afins. Ajuda: CPAD - www.cpad.com.br - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal. http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm (VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE) BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD. Nosso novo endereço:http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos Veja vídeos em www.ebdweb.com.br, em http://www.idbpa.net/joomla/index - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube. Revista CPAD- 1992 - Severino Pedro da Silva Veja http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/cidadesderefugio