quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

VIDEOS DA LICAO 1 - A DEFESA DO APOSTOLADO DE PAULO

FOTOS DA LIÇÃO 1 - A DEFESA DO APOSTOLADO DE PAULO

LICAO 01 - DEFESA DO APOSTOLADO DE PAULO

LIÇÃO 1 - A DEFESA DO APOSTOLADO DE PAULO Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 1º TRIMESTRE DE 2010 2Coríntios - "Eu, de muito boa vontade, gastarei e me deixarei gastar pelas vossas almas". Comentários da revista da CPAD: Pr. Elienai Cabral Consultores Doutrinários e Teológicos da CPAD: Pr. Antonio Gilberto e Claudionor de Andrade Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva QUESTIONÁRIO Lições Bíblicas Mestre Jovens e Adultos - 1º Trimestre de 2010 A cada trimestre, um reforço espiritual para aqueles que desejam edificar suas vidas na Palavra de Deus. Estaremos estudando o tema 2ª Coríntios - “Eu, de muito boa vontade, gastarei e me deixarei gastar pelas vossas almas.” Comentarista: Pastor Elienai Cabral 1- A Defesa do apostolado de Paulo 2- O Consolo de Deus em meio à aflição 3- A Glória do ministério Cristão 4- A Glória das duas alianças 5- Tesouro em vasos de barro 6- O Ministério da reconciliação 7- Paulo, um modelo de líder servidor 8- Exortação à santificação 9- O Princípio bíblico da generosidade 10- A Defesa da autoridade apostólica de Paulo 11- Caraterísticas de um autêntico líder 12- Visões e revelações do Senhor 13- Solenes advertências pastorais TEXTO ÁUREO "Porque, como as aflições de CRISTO são abundantes em nós, assim também a nossa consolação sobeja por meio de CRISTO" (2 Co 1.5). VERDADE PRÁTICA Apesar dos dissabores e angústias de nossa jornada cristã, jamais nos faltará a consoladora presença do ESPÍRITO SANTO. LEITURA DIÁRIA Segunda - SI 59.9 - DEUS é a nossa alta defesa Terça - Fp 1.16 - Paulo, levantado por DEUS para a defesa do evangelho Quarta - Fp 1.27 - O combate do cristão em defesa da fé Quinta - Tt 1.1 3 - Em defesa de uma fé saudável Sexta - 2 Co 1.9,10 - O livramento divino de um defensor da fé Sábado - 1 Co 1. 18 - Em defesa da palavra da cruz LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - 2 Coríntio 1.12-14; 10.4,5 2 Coríntios 1 12 - Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que, com simplicidade e sinceridade de DEUS, não com sabedoria carnal, mas na graça de DEUS, temos vivido no mundo e maiormente convosco. 13 - Porque nenhumas outras coisas vos escrevemos, senão as que já sabeis ou também reconheceis; e espero que também até ao fim as reconhecereis, 14 - como também já em parte reconhecestes em nós, que somos a vossa glória, como também vós sereis a nossa no Dia do Senhor JESUS. 1.12 NOSSA GLÓRIA É ESTA. A base de Paulo para alegrar-se e gloriar-se era a sinceridade e a integridade do seu comportamento. Ele tomara a resolução de que, por toda sua vida cristã, permaneceria fiel ao seu Senhor; recusar-se-ia a conformar-se com o mundo, que crucificou seu Salvador, e perseveraria na santidade, até DEUS levá-lo para o lar celestial (Rm 12.1,2). Na vida eterna futura, nossa maior alegria será a consciência de termos vivido a nossa vida "com simplicidade e sinceridade de DEUS", por CRISTO nosso Salvador. 2 Coríntios 10 4 - Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em DEUS, para destruição das fortalezas; 5 - destruindo os conselhos e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de DEUS, e levando cativo todo entendimento à obediência de CRISTO. 10.4 AS ARMAS DA NOSSA MILÍCIA. Nossa luta é contra as hostes espirituais da maldade (Ef 6.12). Por isso, as armas carnais e humanas, tais como argúcia, habilidade, riqueza, capacidade organizacional, eloqüência, persuasão, influência e personalidade são, em si mesmas, inadequadas para destruir as fortalezas de Satanás. As únicas armas adequadas para desmantelar os arraiais de Satanás, a injustiça e os falsos ensinos são as que DEUS nos dá. (1) Essas armas são poderosas porque são espirituais e provêm de DEUS. Noutros trechos, Paulo alista algumas dessas armas a dedicação à verdade, uma vida de retidão, a proclamação do evangelho, a fé, o amor, a certeza da salvação, a Palavra de DEUS e a oração perseverante (Ef 6.11-19; 1 Ts 5.8). Mediante o emprego dessas armas contra o inimigo, a igreja sairá vitoriosa. Isto é: a presença e o reino de DEUS se manifestarão poderosamente para salvar os pecadores, expulsar demônios, santificar os crentes, batizá-los no ESPÍRITO SANTO e curar os enfermos. (2) A igreja de nossos dias é freqüentemente tentada a enfrentar o desafio do mundo por meios carnais e com as armas mundanas, i.e., sabedoria, filosofia e psicologia humanistas, atrações emocionantes, atividades nas igrejas centradas em passatempo, etc. Com muita freqüência, essas coisas servem, hoje, como substitutas das práticas básicas do NT: a oração fervente, a fidelidade incondicional à Palavra de DEUS e a proclamação fervorosa do evangelho, com poder. Tais armas, porém, não trarão um reavivamento no ESPÍRITO SANTO, porque não têm nenhuma possibilidade de destruir as fortalezas do pecado, livrar-nos do poder de Satanás e desfazer as paixões malignas que grassam no mundo de hoje. Se usarmos as armas do mundo, apenas secularizaremos a igreja e a privaremos das armas da fé, da justiça e do poder do ESPÍRITO SANTO. Tragicamente, isso resultará em a igreja ser vencida pelos poderes das trevas e suas famílias serem dominadas e manipuladas pelas forças do mal, que agem no mundo. 10.5 LEVANDO CATIVO TODO ENTENDIMENTO. A nossa guerra contra o mal inclui o alinhamento de todos os nossos pensamentos com a vontade de CRISTO. Deixar permanecer em nossa mente pensamentos contrários à santidade de DEUS nos levará ao pecado e à morte espiritual (Rm 6.16,23; 8.13). Siga os quatro passos abaixo para sujeitar todos os seus pensamentos ao senhorio de CRISTO: (1) Saiba que DEUS conhece todos os seus pensamentos, e de que nada jamais se oculta dEle (Sl 94.11; 139.2,4,23,24). Somos tão responsáveis diante de DEUS pelos nossos pensamentos, quanto somos pelas nossas palavras e ações (5.10; Ec 12.14; Mt 12.35-37; Rm 14.12). (2) Saiba que a mente é um campo de batalha. Alguns pensamentos têm sua origem em nós mesmos, enquanto outros provêm diretamente do inimigo. Levar cativo todo o pensamento à obediência de CRISTO demanda uma guerra espiritual contra a natureza humana pecaminosa e as forças satânicas (Ef 6.12,13; cf. Mt 4.3-11). Quando você for atacado com pensamentos maus ou imundos, resista-os e rejeite-os firmemente em nome do Senhor JESUS CRISTO. Permita que a paz de DEUS guarde o seu coração e mente, em CRISTO JESUS (Fp 4.7). Nas lutas espirituais lembre-se de que nós, crentes, vencemos nosso adversário pelo sangue do Cordeiro, pela palavra do nosso testemunho e por dizer um "NÃO" persistente ao diabo, à tentação e ao pecado (Tt 2.11,12; Tg 4.7; Ap 12.11; cf. Mt 4.3-11). (3) Seja resoluto ao concentrar a sua mente em CRISTO e nas coisas celestiais, e não nas coisas terrenas (Fp 3.19; Cl 3.2). Compreenda que a mente firmada no ESPÍRITO é vida e paz, ao passo que a mente firmada na carne é morte (Rm 8.6,7). Encha sua mente da Palavra de DEUS (Sl 1.1-3; 19.7-14; 119) e com aquilo que é verdadeiro, justo e de boa fama (Fp 4.8). (4) Tenha cuidado com aquilo que seus olhos vêem e seus ouvidos ouvem. Recuse-se terminantemente: (a) a deixar seus olhos serem um instrumento de concupiscência (Jó 31.1; 1 Jo 2.16) e (b) a colocar diante dos seus olhos qualquer coisa má ou vil, quer livros, revistas, quadros, televisão/vídeo/filmes ou cenas da vida real (Sl 101.3; Is 33.14,15; Rm 13.14). Esboço de 2ª Coríntios (BEP - CPAD) Introdução (1.1-11) I. Defesa de Paulo em Prol da Maioria Leal (1.12—7.16) A. Contestação de que Ele Era Inconstante (1.12-22) B. Explicação da Mudança nos Seus Planos de Viagem (1.23—2.17) C. Esclarecimento Sobre a Natureza do Seu Ministério (3.1—6.10) 1. A Serviço de um Novo Concerto (3.1-18) 2. Às Claras e Verdadeiro (4.1-6) 3. Com Sofrimento Pessoal (4.7—5.10) 4. Com Dedicação e Ternura (5.11—6.10) D. Apelo Pessoal aos Coríntios e Consideração Afetuosa por Eles (6.11—7.16) II. A. Coleta para os Cristãos Necessitados de Jerusalém (8.1—9.15) A. A Graça da Liberalidade Cristã (8.1-15) B. Tito e Suas Providências Para a Oferta (8.16-24) C. Um Apelo Por uma Oferta Imediata (9.1-5) D. Um Apelo Por uma Oferta Generosa (9.6-15) III. A Resposta de Paulo à Minoria Descontente (10.1—13.10) A. Resposta às Acusações de Covardia e Fraqueza (10.1-18) B. Relutante Auto Defesa do Apostolado de Paulo (11.1—12.18) 1. Justificativa do Tom Jactancioso (11.1-15) 2. Declaração de Não Ser Inferior aos Judaizantes (11.16—12.10) 3. Prerrogativas Legítimas do Apostolado de Paulo (12.11-18) C. A Advertência de uma Terceira Visita Iminente (12.19—13.10) 1. Preocupação Pelos Coríntios (12.19-21) 2. Exortação à Firmeza (13.1-10) Conclusão (13.11-14) Autor: Paulo Tema: Glória Através do Sofrimento Data: 55/56 d.C. Considerações Preliminares Paulo escreveu esta epístola à igreja de Corinto e aos crentes de toda a Acaia (1.1), identificando-se duas vezes pelo nome (1.1; 10.1). Tendo Paulo fundado a igreja em Corinto, durante sua segunda viagem missionária, manteve contato freqüente com os coríntios a partir de então, por causa dos problemas daquela igreja (ver a introdução a 1 Coríntios).A seqüência desses contatos e o contexto em que 2 Coríntios foi escrito são os seguintes: (1) Depois de alguns contatos e correspondência inicial entre Paulo e a igreja (e.g. 1 Co 1.1; 5.9; 7.1), ele escreveu 1 Coríntios, de Éfeso, (primavera de 55 ou 56 d.C.). (2) Em seguida, ele fez uma viagem a Corinto, cruzando o mar Egeu, para tratar de problemas surgidos na igreja. Essa visita, no período entre 1 e 2 Coríntios (cf. 13.1,2), foi espinhosa para Paulo e para a congregação (2.1,2). (3) Depois dessa visita afonosa, informes chegaram a Paulo em Éfeso de que seus adversários estavam atacando a sua autoridade apostólica em Corinto, tentando persuadir uma parte da igreja a rejeitá-lo. (4) Respondendo, Paulo escreveu 2 Coríntios, na Macedônia (outono de 55 ou 56 d.C.). (5) Pouco depois, Paulo viajou outra vez a Corinto (13.1), permanecendo ali cerca de três meses (cf. At 20.1-3a). Foi ali que escreveu a Epístola aos Romanos. Propósito Paulo escreveu esta epístola a três classes de pessoas em Corinto. (1) Primeiro, escreveu para encorajar a maioria da igreja que lhe era fiel, como seu pai espiritual. (2) Escreveu para contestar e desmascarar os falsos apóstolos que continuavam a difamá-lo, para, assim, enfraquecer a sua autoridade e o seu apostolado, e distorcer a sua mensagem. (3) Escreveu, também, para repreender a minoria na igreja influenciada por seus oponentes e que não acatavam a sua autoridade e correção. Paulo reafirmou sua integridade e sua autoridade apostólica em relação a eles, esclareceu os seus motivos e os advertiu contra novas rebeliões. 2 Coríntios visou a preparar a igreja como um todo, para sua visita iminente. Visão Panorâmica 2 Coríntios tem três divisões principais. (1) Na primeira (1—7), Paulo começa dando graças a DEUS pela sua consolação em meio aos sofrimentos em prol do evangelho, elogia os coríntios por disciplinarem um grande transgressor e defende a sua integridade ao alterar seus planos de viagem. Em 3.1—6.10, Paulo apresenta o mais extenso ensino do NT sobre o verdadeiro caráter do ministério. Ressalta a importância da separação do mundo (6.11—7.1) e expressa sua alegria ao saber, através de Tito, do arrependimento de muitos na igreja de Corinto, que antes desacatavam a sua autoridade apostólica (7). (2) Nos caps. 8 e 9, Paulo exorta os coríntios a demonstrar a mesma generosidade cristã e sincera dos macedônios, ao contribuírem na campanha por ele dirigida, a favor dos crentes pobres de Jerusalém. (3) O estilo da epístola muda nos caps. 10—13. Agora, Paulo defende o seu apostolado, discorrendo sobre a sua chamada, qualificações e sofrimentos como um verdadeiro apóstolo. Com isso, Paulo espera que os coríntios reconheçam os falsos apóstolos entre eles, o que os poupará de futura disciplina quando ele lá chegar. Paulo termina 2 Coríntios com a única bênção trinitária no NT (13.14). Características Especiais Quatro fatos principais caracterizam esta epístola. (1) É a mais autobiográfica das epístolas de Paulo. Suas muitas referências pessoais são feitas com humildade, desculpas e até mesmo constrangimento, mas foi necessário, tendo em vista a situação em Corinto. (2) Ultrapassa todas as demais epístolas paulinas no que tange à revelação da intensidade e profundidade do amor e cuidado de Paulo por seus filhos espirituais. (3) Contém a mais completa teologia do NT sobre o sofrimento do crente (1.3-11; 4.7-18; 6.3-10; 11.23-30; 12.1-10), e de igual modo, sobre a contribuição cristã (8—9). (4) Termos-chaves, tais como fraqueza, aflição, lágrimas, perigos, tribulação, sofrimento, consolação, jactância, verdade, ministério e glória, destacam o conteúdo incomparável desta carta. ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA Professor, para esta primeira aula, sugerimos que seja feito um esboço geral da epístola. Reproduza o esquema abaixo no quadro-de-giz ou tire cópias para os alunos. Explique à classe que Paulo tentou de todas as maneiras ajudar os irmãos coríntios a resolverem os problemas existentes na Igreja. Todavia, alguns falsos obreiros começaram a negar a autoridade apostólica de Paulo e a caluniá-Io. Portanto, ele foi obrigado a escrever a Segunda Epístola aos Coríntios para defender sua autoridade apostólica, afirmar seu ministério e refutar os falsos mestres daquela igreja. RESUMO DA REVISTA DA CPAD 1° TRIMESTRE DE 2010 LIÇÃO 1 - A DEFESA DO APOSTOLADO DE PAULO INTRODUÇÃO A Segunda Epístola de Paulo aos Coríntios foi uma resposta ao antagonismo que havia se levantado contra a sua autoridade apostólica, pois o seu modo incisivo de doutrinar havia chocado alguns conceitos dos cristãos de Corinto. I. A CIDADE DE CORINTO 1. Uma metrópole estratégica do século I d.C. 2. Uma cidade histórica e libertina. 3. Local da carta. II- OBJETIVO DA CARTA 1. Autoria e características da carta. 2. A carta tem um caráter pessoal. 3. A exposição do ministério e apostolado paulinos e a coleta para os necessitados. É evidente que o apóstolo tratou de outros assuntos (6.14-18 é apenas um desses), entretanto, de certa forma, esses objetivos também oferecem uma estrutura para o estudo de 2 Coríntios: a) A exposição do ministério paulino (capítulos 1-7). b) A coleta para os necessitados (capítulos 8-9). c) A defesa do apostolado paulino (capítulos 10-13). III- AS LIÇÕES QUE APRENDEMOS COM PAULO 1 . Amar sem ser conivente com o erro. 2. Ser obreiro é estar disposto a sofrer perseguições internas. 3. Paulo não tomou todos por alguns. CONCLUSÃO Além de todos os aspectos históricos e geográficos que contribuem para que entendamos que DEUS conduz a história na realização da sua soberana vontade, é preciso não perder de vista a vocação que cada um de nós recebeu da parte do Senhor. SINOPSE DO TÓPICO (1) A Segunda Carta de Paulo aos Coríntios foi uma resposta ao antagonismo que havia se levantado contra a autoridade apostólica do doutor dos gentios. SINOPSE DO TÓPICO (2) O objetivo da Segunda epístola é promover a unidade e o crescimento da igreja, com vistas ao amor fraternal. SINOPSE DO TÓPICO (3) Apesar dos males diversos causados ao apóstolo, ele não desistiu daquelas ovelhas, e como pastor espiritual daquele rebanho, estava pronto a defender os fiéis e repelir os lobos predadores. AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I Subsídio Geográfico Corinto - "Uma cidade muito antiga. Os primeiros colonizadores chegaram à Corinto no quinto ou sexto milênio a.C. Mas a Corinto do período clássico foi realmente estabelecida com a invasão dos dórios. Por volta de 1000 a.C., esse povo grego se estabeleceu no sopé da acrópole de Corinto. Ocupando um lugar de segurança, eles também controlavam a principal rota comercial por terra entre o Peloponeso e a Grécia central, como também a rota Istmiana. Chegando logo a um alto grau de prosperidade, a cidade colonizou Siracusa na Sicília e a ilha de Corcira (a atual Corfu) e alcançou um pico de prosperidade através do desenvolvimento comercial e industrial. A cerâmica e o bronze de Corinto foram largamente exportados pelo Mediterrâneo. Corinto entrou em conflito com Roma durante o século 11 a.C., foi finalmente destruída pelos romanos em 146 a.C., e permaneceu virtualmente desabitada até que Júlio César fundou-a novamente em 44 a.C. O crescimento de Corinto foi rápido e, na época de Paulo, ou logo depois, a cidade se tornou o maior e mais próspero centro no sul da Grécia. A prostituição religiosa era comumente praticada em conexão com os templos da cidade. A partir da mobilidade social e dos males das práticas religiosas ali, surgiu uma corrupção geral da sociedade. A péssima 'moral de Corinto' se tornou um provérbio pejorativo até mesmo no mundo, romano pagão" (Dicionário Bíblico Wycliffe. 1. ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2006, pp.460-62). . AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II O Relacionamento de Paulo com a Igreja "1 Coríntios, enviada provavelmente por intermédio de Timóteo (1 Co 4.17), não produziu os resultados desejados. O relatório que [Paulo] recebeu informava que as condições da igreja estavam se tornando piores. Portanto, Paulo deixou seu trabalho em Éfeso e fez algo que classificou como uma visita dolorosa a Corinto (2 Co 2.1). Parece que alguma pessoa em particular, algum chefe dos revoltosos, havia se levantado em um arrogante desafio a Paulo (2 Co 2.5-8; 7.12). A igreja ficou do lado deste, e Paulo foi obrigado a fugir às pressas. 2 Coríntios é uma prova de que a polêmica contra o apóstolo havia aumentado e eram muitas as acusações e as críticas contra a sua pessoa. Questionavam a integridade dos seus motivos, do seu comportamento e até do seu ministério apostólico (1.13; 3.1). Até sua coragem (10.1,10) e sua capacidade foram atacadas (10.11; 11.6). Parece que as críticas a Paulo vieram de uma minoria (2.6) e estavam centralizadas em alguns judeus cristãos (2.6), que haviam conseguido penetrar na congregação através de recomendações e da sua própria indicação (3.1; 10.12,18). De acordo com Kuemmel, eles não eram 'judaizantes', mas opositores palestinos da missão de Paulo e da dignidade apostólica que haviam se juntado a um grupo divergente, e aparentemente gnóstico, do ministério de Paulo e que já era evidente em 1 Coríntios. Ao retomar a Éfeso dessa 'dolorosa visita', Paulo escreveu uma 'carta triste' (2.3,4) e enviou Tito (7.6) para entregá-Ia em Corinto e tentar recuperar a igreja para ele. Depois da partida de Tito, esta preocupação de Paulo iria impedi-Io de continuar seu trabalho, portanto ele partiu para Trôade e depois para a Macedônia (2.12,13), a fim de aguardar o retorno de Tito. Quando este chegou trazendo a informação de que a igreja havia cuidado do ofensor e que havia novamente se submetido à autoridade do apóstolo, Paulo sentiu-se reconfortado. Portanto, depois de um ano na Macedônia (8.10) e depois de ter escrito 1 Coríntios, Paulo escreveu à igreja de DEUS em Corinto. Ele incluiu 'todos os santos que estão em toda a Acaia' e Ihes pediu para preparar o caminho para sua terceira visita. Nessa carta ele expressa seu alívio com o sucesso da missão reconciliadora de Tito e responde às aviltantes acusações dos seus críticos. Em toda essa carta, mas especialmente nos capítulos 10-13, ele entendeu ser necessário defender a legitimidade do seu apostolado. Embora as relações entre o apóstolo e a igreja como um todo tivessem sido restauradas, ainda permanecia alguma oposição a Paulo em Corinto. (Comentário Bíblico Beacon. Vol. 8: Romanos a 1 e 2 Coríntios. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p. 400, 401). QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 1 - A DEFESA DO APOSTOLADO DE PAULO TEXTO ÁUREO 1- Complete: "Porque, como as ________________________ de CRISTO são ______________________________ em nós, assim também a nossa consolação ______________________________ por meio de CRISTO" (2 Co 1.5). VERDADE PRÁTICA 2- Complete: Apesar dos ________________________________ e angústias de nossa _____________________________ cristã, jamais nos faltará a consoladora __________________________________ do ESPÍRITO SANTO. Introdução 3- A Segunda Epístola de Paulo aos Coríntios foi uma resposta a que? ( ) A uma carta apostólica vinda de Jerusalém, pois o seu modo incisivo de doutrinar havia chocado alguns conceitos dos cristãos de lá. ( ) Ao antagonismo que havia se levantado contra a sua autoridade apostólica, pois o seu modo incisivo de doutrinar havia chocado alguns conceitos dos cristãos de Corinto. ( ) Ao cristianismo apostólico, pois o seu modo incisivo de doutrinar havia chocado alguns conceitos dos cristãos de Corinto. 4- O que fez Paulo em face dessa oposição? ( ) Paulo fez uma defesa do seu pastorado, refutando falsos cristãos que, embora se auto­denominassem profetas, contradiziam os ensinos genuínos do evangelho de CRISTO que Paulo pregava. ( ) Paulo fez uma defesa do seu apostolado, refutando falsos cristãos que, embora se auto­denominassem apóstolos, contradiziam os ensinos genuínos do evangelho de CRISTO que Paulo pregava.. ( ) Paulo fez uma defesa do seu apostolado, refutando falsos ensinos que, embora saíssem de apóstolos, contradiziam os ensinos genuínos do evangelho de CRISTO que Paulo pregava. 5- Esta carta pode ser identificada sob quais divisões? ( ) Os capítulos 1 a 3 consistem numa exposição do chamado pastoral de Paulo. ( ) Os capítulos 4 a 7 consistem numa exposição do ministério apostólico de Paulo. ( ) Os capítulos 1 a 7 consistem numa exposição do ministério apostólico de Paulo. ( ) Nos capítulos 8 e 9, Paulo defende a causa das ofertas enviadas aos cristãos pobres de Jerusalém. ( ) Os capítulos 10 a 13, mais uma vez, de forma incisiva e enérgica, são uma defesa da autoridade apostólica de Paulo. I. A CIDADE DE CORINTO 6- Como era a metrópole de Corinto estrategicamente no século I d.C e qual sua localização e população? ( ) Corinto achava-se localizada estrategicamente numa região que facilitava as viagens dos povos mediterrâneos dedicados ao comércio. ( ) A cidade era muito antiga e fora construída sobre uma estreita faixa de terra, que unia o norte e o sul da Grécia. ( ) O bronze, a cerâmica e outros produtos eram escoados através de seu território. ( ) A cidade unia também Roma à Grécia, Corinto era, em sua maioria cristã e com uma população estimada em 50 mil habitantes. ( ) Entre 51 a 55 d.e, sua população era estimada entre 100 a 500 mil habitantes; cifras que, para os padrões da época, significavam grandeza e orgulho. ( ) Capital da província romana da Acaia, era uma cidade altamente influenciada pela filosofia grega. 7- A cidade de Corinto era uma cidade próspera, histórica e libertina, apesar disso foi destruída e também repreendida por Paulo em sua nova existência; por que? ( ) No século 11 a.C., Corinto havia chegado a um alto grau de prosperidade. ( ) Por causa de seu conflito com Roma, foi destruída em 146 a.C. ( ) Reconstruída pelo imperador Júlio César, em 44 a.C., logo floresceu, tornando-se o mais próspero centro do sul da Grécia. ( ) Nos dias de Paulo, a cidade era um "pólo" terrível e vergonhoso de idolatria. ( ) Por apoiar o governo romano e adorar a César foi duramente criticada por Paulo. ( ) A mensagem do evangelho confrontava e condenava esse estado de coisas. ( ) A atitude correta e firme de Paulo acabou por gerar uma oposição ao seu ministério por parte de alguns crentes daquela localidade. 8- Em qual localidade foi escrita a segunda carta de Paulo aos Coríntios? ( ) Paulo estava na província da Macedônia, possivelmente em Tessalônica, quando escreveu esta Carta. ( ) Tessalônica, onde foi escrita esta carta, foi a primeira igreja fundada na Macedônia pelo apóstolo Paulo, na qual ele desfrutava de boa aceitação e carinho. ( ) Paulo estava na província da Macedônia, possivelmente em Filipos, quando escreveu esta Carta. ( ) Filipos, onde foi escrita esta carta, foi a primeira igreja fundada na Europa pelo apóstolo Paulo, na qual ele desfrutava de boa aceitação e carinho. II- OBJETIVO DA CARTA 9- De quem é a autoria e características da segunda carta aos Coríntios? ( ) A carta começa com a forma típica do tratamento e endereçamento do primeiro século, com o apóstolo, literalmente, identificando-se: "Paulo, apóstolo de JESUS CRISTO". ( ) Nesta saudação, temos a evidência da autenticidade da carta. ( ) O estilo e a linguagem indubitáveis de Paulo indicam ter sido ele quem a escreveu. ( ) O estilo e a linguagem indubitáveis indicam ter sido escrita por Paulo e Silas, com a participação de Timóteo. 10- Qual o caráter pessoal dessa Segunda Epístola aos Coríntios? ( ) É a mais autobiográfica das cartas do apóstolo Paulo e, portanto, possui uma marca bastante pessoal. ( ) Por causa dos constantes ataques que sofreu da parte dos coríntios (e dos "superapóstolos", que se infiltraram na igreja), ela é denominada "a carta contristada" ou a "carta dolorosa". ( ) A influência negativa do estilo de vida extremamente pecaminoso da cidade, marcado pela degradação moral e orgulho intelectual, afetou muitos cristãos chegando até mesmo a dominá-Ios. ( ) Foi escrita em um ótimo momento de crescimento da igreja coríntia. ( ) Isso fez com que Paulo reagisse com firmeza, condenando suas práticas imorais e, ao mesmo tempo, obrigando-o a se expor muito mais do que em qualquer outro de seus escritos. 11- Cite, novamente, os três objetivos pelos quais Paulo escreveu esta Segunda Epístola aos Coríntios: ( ) A exposição do ministério paulino. ( ) A divisão da igreja entre os de CRISTO e a dos falsos mestres. ( ) A coleta para os necessitados.. ( ) A defesa do apostolado paulino. 12- Complete as frases seguintes: Os pseudocrístãos, que viviam e se movimentavam no seio da igreja, levantaram dúvidas acerca do ______________________________ de Paulo, suscitando contenda e rejeição ao apóstolo por parte do povo (Ver 2 Co 11 .26b; GI 2.4). Esses falsos irmãos promoveram um mal-estar na comunidade de fé coríntia, de tal forma, que trouxe muita aflição de ________________________________ a Paulo. A despeito de tudo, o apóstolo amava essa igreja. Corinto foi a igreja que mais ___________________________________ causou ao doutor dos gentios. 13- É evidente que o apóstolo tratou de outros assuntos (6.14-1 8 é apenas um desses), entretanto, de certa forma, esses objetivos também oferecem uma estrutura para o estudo de 2 Coríntios: ligue a primeira coluna de acordo com a segunda: A exposição do ministério paulino (capítulos 7-7). Estes dois capítulos, se bem estudados, podem oferecer uma ampla visão do que significa filantropia e oferta como louvor e gratidão a DEUS. A coleta para os necessitados (capítulos 8-9). Nos capítulos finais, Paulo retoma o assunto e, de maneira ainda mais contundente, defende o seu apostolado como um ministério recebido de DEUS. Ele se vê "obri­gado" a expor algumas de suas credenciais para contrastar com o perfil dos falsos apóstolos e "superapóstolos". A defesa do apostolado paulino (capítulos 10-13). Foi grande o problema enfrentado por Paulo ante a crítica severa à integridade do seu ministério. Na realidade, a defesa do ministério paulino contém lições preciosas para todos nós sobre como agir e reagir diante de ataques gratuitos e de circunstâncias negativas. Por isso, o objetivo dessa carta (à parte da defesa do apostolado paulino), mesmo tendo sido escrita em "tribulação e angústia do coração", por causa dos "falsos apóstolos" (2 Co 11.13), é promover a unidade e o crescimento da igreja, com vistas ao amor fraternal. 14- Cite duas defesas de Paulo ante a crítica severa à integridade do seu ministério: ( ) Paulo citava sua ótima situação financeira como prova de sua comunhão com DEUS. ( ) A apresentação de sua vida ao exame público (algo que o tranqüilizava, pois era irrepreensível diante de todos). ( ) O próprio fato de ele padecer por estar realizando a obra de DEUS (algo que, longe de o desqualificar, era na verdade uma das provas de que ele era realmente chamado por DEUS. III- AS LIÇÕES QUE APRENDEMOS COM PAULO 15- Quais as principais lições de vida cristã que aprendemos de Paulo, em sua Segunda Epístola aos Coríntios? ( ) Amar sem ser conivente com o erro. ( ) Ser obreiro é estar disposto a sofrer perseguições internas. ( ) Nunca se preocupar com os falsos mestres e seus ensinos. ( ) Paulo não tomou todos por alguns. 16- Com amar sem ser conivente com o erro? Complete: Paulo amava a igreja, que gerara em CRISTO, e muito zelava pelo seu _____________________________ com aqueles irmãos. Por isso, não podia, em sã consciência e segundo as Escrituras, compactuar, nem permitir o mau e escandaloso _______________________________ de alguns de seus membros (l Co 5-6; 8). A comunhão com tais pessoas causaria ________________________________ espiritual à igreja. 17- Ser obreiro é estar disposto a sofrer perseguições internas? Complete: Aprendemos com esta carta de 2 Coríntios, e com Paulo, que não estamos livres de enfrentar ______________________________ na vida cristã e no trabalho do Senhor. Ninguém está livre de passar por tristezas, angústias e ______________________________________. DEUS não nos abandonará se tivermos sempre em vista o ______________________________ da sua chamada em nossa vida. 18- Paulo não tomou todos por alguns, como fez então? Complete: Apesar de tudo, o apóstolo Paulo sabia que havia crentes ________________________ em Corinto, que não tinham entrado pelo caminho da murmuração e da ________________________________. Apesar dos males diversos causados ao apóstolo, ele não desistiu daquelas ___________________________; como pastor espiritual daquele rebanho, estava pronto a _________________________________ os fiéis. CONCLUSÃO 19- Complete: Além de todos os aspectos históricos e geográficos que contribuem para que entendamos que DEUS conduz a história na realização da sua soberana vontade, é preciso não perder de vista a ___________________________ que cada um de nós recebeu da parte do Senhor. Na realidade, é preciso ir além: Que saibamos, assim como o apóstolo Paulo, ______________________________ por amor a CRISTO, a fim de cumprir o __________________________ dEle em nossa vida (2 Co 1.5-7; 6.4; CI 1.24; 2 Tm 1.8; 2.3; 3.11; 4.5. AJUDA CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal. VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD. Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/ Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com , http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

RESUMO DO 4° TRIMESTRE DE 2009 - CPAD - FIGURAS

VIDEOS DA LIÇÃO 13 - DAVI, UM HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS

ESTUDOS DA LIÇÃO 13, DAVI, UM HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS

LIÇÃO 13 - DAVI, UM HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 4º TRIMESTRE DE 2009 Davi - As vitórias e as derrotas de um homem de DEUS Comentários do Pr. José Gonçalves Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antonio Gilberto Complementos, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva QUESTIONÁRIO RESUMO DO 4° TRIMESTRE DE 2009 - CPAD

TEXTO ÁUREO "E, quando este foi retirado, lhes levantou como rei a Davi, ao qual também deu testemunho e disse: Achei a Davi, filho de Jessé, varão conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade" (At 13.22). VERDADE PRÁTICA Fazer a vontade de DEUS é o segredo de todo projeto bem-sucedido. LEITURA DIÁRIA Segunda Rt 4.22; 1 Sm 17.12; Mt 1.6; Lc 3.31,32 A genealogia de Davi Terça 1 Sm 17.13-15 O filho caçula Quarta 1 Sm 16.12,13 Davi, o ungido de DEUS Quinta 1 Sm 17.45 Davi, um homem que confiava em DEUS Sexta 2 Sm 8.1-5 Davi, um homem de conquistas Sábado 1 Rs 2.10,11 O fim de um reinado próspero LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - 1 Samuel 13.13,14; 16.11,12; Salmos 89.20 13 Então, disse Samuel a Saul: Agiste nesciamente e não guardaste o mandamento que o SENHOR, teu DEUS, te ordenou; porque, agora, o SENHOR teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre. 14 Porém, agora, não subsistirá o teu reino; já tem buscado o SENHOR para si um homem segundo o seu coração e já lhe tem ordenado o SENHOR que seja chefe sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o SENHOR te ordenou. 1 Samuel 13.13,14 13.13 NÃO GUARDASTE O MANDAMENTO QUE O SENHOR, TEU DEUS, TE ORDENOU. O Senhor tinha ordenado diretamente a Saul que esperasse em Gilgal até que chegasse Samuel, o qual ofereceria sacrifícios e lhe daria instruções (10.8). DEUS testou a obediência de Saul mediante a demora deliberada de Samuel, além dos sete dias combinados. Em desespero (v. 8) e presunção (v. 9), o próprio Saul resolveu oferecer um sacrifício, de modo contrário à Palavra de DEUS. Por Saul não ter cumprido o mandamento do Senhor, Samuel lhe disse que DEUS lhe tiraria o reino (vv. 13,14). Embora Saul tenha permanecido como rei pelo resto da sua vida, seu filho Jônatas não o sucedeu no trono.13.14 UM HOMEM SEGUNDO O SEU CORAÇÃO. Davi é esse homem. (1) Davi era um homem segundo o coração de DEUS, pelas seguintes razões: (a) cria em DEUS desde a sua juventude (17.34,37); (b) buscava diligente e continuamente a face de DEUS e o seu conselho, dependendo inteiramente dEle (23.2,4; 30.8; 2 Sm 2.1; 5.19,23); (c) adorava a DEUS com a totalidade do seu ser e instruía a nação inteira de Israel a fazer o mesmo (1 Cr 15;16); (d) reconhecia humildemente que DEUS era o verdadeiro Rei de Israel e que ele mesmo não passava de um representante dEle (2 Sm 5.12); e (e) na sua conduta pública obedecia ao Senhor e cumpria a sua vontade de modo geral (cf. At 13.22). (2) Em época posterior da sua vida, no entanto, Davi causou profundo desgosto a DEUS em várias ocasiões, deixando de ser um homem segundo o seu coração. Ele desprezou a DEUS e à sua Palavra ao cometer os pecados de adultério e de homicídio (2 Sm 12.7-14), e ao numerar Israel contra a vontade de DEUS (1 Cr 21.1-17). 1 Samuel 16.11,12 11 Disse mais Samuel a Jessé: Acabaram-se os jovens? E disse: Ainda falta o menor, e eis que apascenta as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Envia e manda-o chamar, porquanto não nos assentaremos em roda da mesa até que ele venha aqui.12 Então, mandou em busca dele e o trouxe (e era ruivo, e formoso de semblante, e de boa presença). E disse o SENHOR: Levanta-te e unge-o, porque este mesmo é. 16.12 LEVANTA-TE E UNGE-O. Já em tenra idade, Davi cultivava um coração voltado para DEUS como seu pastor espiritual (ver Sl 23). O fiel coração de Davi diante de DEUS (v. 7) foi a razão da sua escolha, por DEUS, para ser o próximo rei de Israel. Salmos 89.20 20 Achei a Davi, meu servo; com o meu santo óleo o ungi;Este salmo é uma oração concernente a destruição de Jerusalém e a queda da dinastia de Davi, e a promessa de DEUS de que a linhagem de Davi permaneceria para sempre (vv. 29,34-37; cf. 2 Sm 7.8-16). O autor indaga se DEUS descumpriu sua promessa. Ora, para que DEUS restaure o seu povo e o trono de Davi, e remova de Israel a sua ira (vv. 46-52). O que o salmista não sabia era que, apesar de DEUS ter castigado Israel por seus pecados, cumpriria sua promessa na pessoa de JESUS CRISTO, da linhagem de Davi, e cujo reino não terá fim (Lc 1.31-33).A promessa, segundo o concerto de DEUS com Davi, foi que a sua descendência reinaria no trono para sempre (ver também vv. 29,36,37). (1) É óbvio que a promessa de DEUS não abrangia todos os descendentes de Davi. Quando os reis davídicos desobedeciam a DEUS, Ele os removia, assim como entregou o Reino do Norte aos seus inimigos, e depois ao cativeiro, quando o povo persistiu na apostasia (ver vv. 38-51). (2) O NT vê o cumprimento deste versículo no Senhor JESUS CRISTO. O apóstolo Paulo declara: Da descendência deste [Davi], conforme a promessa, levantou DEUS a JESUS para Salvador de Israel (At 13.23). E o anjo Gabriel revelou a Maria: e o Senhor DEUS lhe dará [a JESUS] o trono de Davi, seu pai... e o seu Reino não terá fim (Lc 1.32,33; cf. 1.69).O salmista relembra a DEUS que Ele elegeu a linhagem de Davi para reinar sobre Israel e que Ele prometeu que a dinastia de Davi duraria para sempre (vv. 27-29), apesar da infidelidade de Israel.As promessas de DEUS nos versículos 30-37 não dão qualquer garantia de que os descendentes de Davi reinariam para sempre, nem tratam do assunto da salvação pessoal desses reis. Pelo contrário, as promessas foram feitas a Davi para assegurar-lhe que a infidelidade de Israel e dos seus reis não invalidaria o propósito divino de estabelecer um dos seus descendentes (i.e., JESUS) num trono eterno (vv. 36,37). Palavra Chave: Servo - Aquele que não tem direitos, ou não dispõe de sua pessoa e bens. INTERAÇÃO Professor, com a graça de DEUS, chegamos ao final de mais um trimestre. Durante os encontros dominicais, você e seus alunos com certeza foram edificados, exortados e consolados através do exemplo de vida do "homem segundo o coração de DEUS". Davi começou bem a sua carreira, teve alguns tropeços, no entanto, buscou a DEUS, colocou-se de pé novamente e terminou os seus dias bem, na presença do Pai. Aprendemos com isso que fazer a vontade de DEUS é o segredo para se ter uma vida bem-sucedida. A Palavra de DEUS diz que "Davi dormiu com seus pais e foi sepultado na Cidade de Davi" (1 Rs 2.10). Que cada um de nós saiba também reconhecer os erros, arrepender-se deles e confessá-los, pois somente assim teremos cumprido nossa missão existencial. OBJETIVOS Após esta aula, seu aluno deverá estar apto a: Conscientizar-se que fazer a vontade de DEUS é o segredo de todo projeto bem-sucedido. Compreender que Davi foi um homem segundo o coração de DEUS, mas isso não significa que fosse isento de falhas. Descrever as características de Davi que tanto agradaram ao Senhor. ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA Para a finalização do trimestre, reproduza o quadro abaixo. Utilize-o ao concluir a lição. Mostre aos seus alunos os principais acontecimentos da vida do "homem segundo o coração de DEUS". Conclua perguntando à classe o que aprenderam de mais significativo durante o trimestre e que gostariam de relatar à turma. INTRODUÇÃO O que tornou Davi um homem segundo o coração de DEUS? I. UM HOMEM PRONTO PARA SERVIR (AT 13.36) 1. Davi serviu voluntariamente a sua geração. 2. Davi serviu a DEUS com propósito. II. UM HOMEM PRONTO PARA CRER 1. O menor na casa de Jessé se tornou o maior em Israel. 2. O pequeno pastor que realizou proezas com o poder da fé. III. UM HOMEM PRONTO A SE HUMILHAR 1. Quando buscou reconciliação com o Senhor. 2. Quando buscou reconciliação com o próximo. CONCLUSÃO Davi foi o homem segundo o coração de DEUS, no entanto, como aprendemos, isso não significa que fosse isento de falhas ou imune ao pecado. SINOPSE DO TÓPICO (1) Davi viveu para o Eterno e, conseqüentemente, viveu também para os outros. SINOPSE DO TÓPICO (2) A fé de Davi estava por trás de cada uma das suas ações e a transformou em um grande homem. SINOPSE DO TÓPICO (3) Davi era um homem de diálogo e pronto tanto para perdoar como para se humilhar. AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO Subsídio Histórico "Os motivos de Davi O mais significativo em toda a narrativa do censo e suas conseqüências é que Davi pôde perceber que a eira de Araúna, o jebuseu, deveria ser o local do templo de Yahweh (1 Cr 21.28-22.1). Obtendo esta percepção, passou a reunir os materiais e a mão-de-obra especializada para dar início às preparações da edificação que seu filho Salomão veria terminada. O desejo de Davi de edificar um templo para Yahweh começou após Hirão, rei de Tiro, ter-lhe construído um palácio real, e a arca da Aliança ter sido trazida para Jerusalém. Por várias razões, incluindo talvez a rebelião de Absalão, a obra não pôde ser executada naquele período. Agora, cerca de quatro ou cinco anos depois, o momento parecia propício, especialmente porque a eira de Araúna havia sido comprada e designada para esse propósito. O motivo da intenção de Davi construir um templo é claro: ele vivia em um suntuoso palácio de cedro, enquanto Yahweh habitava em uma simples tenda (2 Sm 7.1,2; 1 Cr 17.1). É importante entender que, no antigo Oriente Médio, a soberania de um monarca não era totalmente reconhecida até que tivesse construído uma apropriada habitação. Se isto era verdade sobre os reis humanos, quanto mais o seria sobre os deuses, que, afinal, eram os verdadeiros reis sob os quais os governadores serviam! (MERRILL, Eugene H. História de Israel no Antigo Testamento. 7 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.pp. 290-291). (BERGSTÉN, Eurico. Teologia Sistemática. RJ: CPAD, 2004, pp.243-245). BIBLIOGRAFIA SUGERIDA MERRILL, Eugene H. História de Israel no Antigo Testamento. Ed. 7. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. DEVER, Mark. A Mensagem do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. SAIBA MAIS na Revista Ensinador Cristão CPAD, nº 40, p.42. APLICAÇÃO PESSOAL Você deseja que DEUS faça em sua vida o mesmo que fez com Davi? Se a sua resposta for afirmativa, coloque-se no altar do ESPÍRITO SANTO; apresente sua vida àquEle que a todos transforma segundo a imagem de CRISTO. Davi, o homem segundo o coração de DEUS, não era perfeito. Já é do seu conhecimento que este personagem, como servo de DEUS, soldado, pai e rei, teve muitas falhas e erros, mas colocou sua vida inteiramente nas mãos de DEUS. Ele não usou máscaras ou disfarces. Você tem se colocado por inteiro no altar do Senhor? Davi conhecia ao Senhor e sabia que Ele era poderoso para livrar e transformar o homem pecador. Davi conhecia ao Senhor de modo pessoal, pois andava em sua presença. Conhecia ao Senhor por experiência própria e não porque ouviu falar dEle. Você conhece ao Senhor pessoalmente? Mantém um relacionamento diário com Ele? O fato de conhecer ao Senhor pessoalmente fez a diferença na vida do filho de Jessé. Para ser um homem ou mulher segundo o coração de DEUS, se faz necessário conhecê-Lo e viver inteiramente com Ele, obedecendo-Lhe em tudo. Que o Altíssimo continue a derramar ricas bênçãos sobre sua vida e família. Confie nEle e viva para a glória do DEUS Pai, Aquele que também o ungiu para uma grande obra. QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 13 - DAVI, UM HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 4º TRIMESTRE DE 2009 Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas. TEXTO ÁUREO 1- Complete: "E, quando este foi retirado, lhes levantou como rei a ____________________, ao qual também deu testemunho e disse: Achei a _____________________, filho de Jessé, varão conforme o meu ______________________, que executará toda a minha vontade" (At 13.22). VERDADE PRÁTICA 2- Complete: Fazer a _____________________ de DEUS é o ______________________ de todo _______________________________ bem-sucedido. I. UM HOMEM PRONTO PARA SERVIR (AT 13.36) 3- Por que podemos afirmar que Davi serviu voluntariamente a sua geração? ( ) Porque o texto de Atos 13.36 na versão atualizada traz a seguinte redação: "Porque, na verdade, tendo Davi servido à sua própria geração, conforme o desígnio de DEUS, adormeceu, foi para junto de seus pais e viu corrupção". ( ) Porque Davi era um homem superior aos outros,um semi-deus. ( ) Nessa declaração observamos o segundo monarca de Israel sendo um ajudador do povo, e não o contrário. ( ) Servir foi a missão do filho de DEUS (Mt 20.28) e também a de seu ancestral humano, Davi. 4- Por que podemos afirmar que Davi serviu a DEUS com propósito? ( ) Em Atos 13.22 diz: "Achei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que fará toda a minha vontade". ( ) É o próprio DEUS que dá testemunho de Davi. ( ) DEUS declara que encontrou Davi e que este fará toda a sua vontade. ( ) Porque Davi nunca se desviou dos caminhos do Senhor, sendo-lhe fiel a vida toda. ( ) Este rei serviu a sua geração, no entanto, o seu servir foi segundo a vontade de DEUS. ( ) Davi viveu para o Eterno e, conseqüentemente, viveu também para os outros. ( ) A vontade de DEUS aparece aqui como "o que se tem determinado e que será feito". ( ) Este homem, com seu coração de servo, realizou aquilo que o Senhor esperava, exceto em seus erros. ( ) Ele serviu à sua geração e, assim, pagou a dívida moral e política que tinha com esta. 5- Complete: Todos nós, de alguma forma, somos ______________________ à _______________________ que pertencemos. Por isso, é importante discernirmos o que o Senhor está _____________________ de nós. II. UM HOMEM PRONTO PARA CRER 6- Como o menor na casa de Jessé se tornou o maior em Israel? ( ) Segundo os melhores intérpretes, Davi deveria ter entre 15 a 20 anos na época em que foi ungido por Samuel como o futuro sucessor de Saul. ( ) Nessa ocasião, ele por certo não sabia da grandeza de que agora desfrutava como rei. ( ) Samuel foi até a família de Jessé com a missão de escolher pra ser rei o mais bonito, maior e sábio de seus filhos. ( ) Sem dúvida isso mostra a grande fé que Davi demonstrou no Senhor e nas suas promessas. ( ) Do ponto de vista humano, o futuro era distante e incerto, já que DEUS não lhe antecipara os detalhes da sua unção. 7- Como o pequeno pastor realizou proezas com o poder da fé? ( ) A fé de Davi evitou que ele cometesse qualquer deslise em sua vida real. ( ) A fé de Davi o transformou em um grande homem. ( ) De fato, é a fé que está por trás de cada uma das suas ações. ( ) Uma das primeiras demonstrações públicas dessa confiança é quando ele enfrenta o gigante filisteu. ( ) A cena mais impressionante do combate é quando a Bíblia afirma que, "levantando-se o filisteu e indo encontrar-se com Davi, apressou-se Davi e correu ao combate, a encontrar-se com o filisteu". ( ) Apesar de já termos visto em detalhes esse duelo, vale a pena relembrar que aos olhos naturais isso parecia uma corrida rumo ao suicídio, porém, na perspectiva de fé do jovem pastor, era a corrida da vitória. III. UM HOMEM PRONTO A SE HUMILHAR 8- Como era o caráter de Davi? ( ) Davi era um homem de diálogo e pronto tanto para perdoar como para se humilhar. ( ) Sem dúvida essa era uma de suas maiores virtudes. ( ) Davi era um homem de temperamento forte, mas também de coração quebrantado. ( ) Davi era um excelente rei, pai e esposo. 9- Como podemos demonstrar que Davi buscou a reconciliação com o Senhor? O caso ocorrido com Bate-Seba, esposa de Urias (2 Sm 11-12), e o incidente do censo (1 Cr 21), demonstram isso: Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda: O caso ocorrido com Bate-Seba, esposa de Urias (2 Sm 11-12) Somente um homem realmente arrependido e com um coração quebrantado faz uma oração tão pura e sincera como a descrita naquele texto. Ah! SENHOR, meu DEUS, seja a tua mão contra mim e contra a casa de meu pai e não para castigo de teu povo" (1 Cr 21.17). Davi reconhece o seu erro, obtendo como resposta do profeta a garantia do perdão de DEUS. E eu mesmo sou o que pequei e fiz muito mal; mas estas ovelhas que fizeram? O incidente do censo (1 Cr 21) "pareceu mal aos olhos de DEUS" (1 Cr 21.7). Tão logo se deu conta do mal causado, Davi quebranta-se mais uma vez diante do Senhor: Sendo cabeça do povo, o ato de Davi trouxe conseqüências terríveis para a nação, provocando a morte de milhares de pessoas por meio de uma praga enviada por DEUS. No Salmo 51, toda a sua interioridade é derramada diante de DEUS. 10- Davi demonstrou estar pronto a se humilhar quando buscou reconciliação com o próximo. Dê exemplos disso, quando Davi demonstra ser um homem disposto a construir relacionamentos: ( ) O ódio e fúria de Saul em relação a Davi não tinha apenas uma origem humana, mas também diabólica. ( ) Davi perdoou a Saul quando este o perseguia para matá-lo. ( ) Davi perdoou imediatamente seu filho Absalão, quando este matou seu irmão Amnom. ( ) Quando foi procurado no deserto por Abigail, esposa de Nabal, o carmelita (1 Sm 25), Davi estava disposto a cometer uma chacina. ( ) Davi recebe Abigail, mulher de Nabal, que, por meio do diálogo, o convence de não executá-lo. CONCLUSÃO 11- Complete as frase seguintes: Davi foi o homem segundo o ______________________ de DEUS, no entanto, como aprendemos, isso não significa que fosse _______________________ de falhas ou imune ao pecado. Davi teve seus _____________________, mas também seus __erros__. Os aspectos do ______________________ de Davi revelados nas Escrituras tornaram-no muito mais que um _________________. Eles o transformaram em um líder-___________________________, um homem segundo o coração de DEUS, que até hoje ilustra as histórias _______________________ para as crianças, inspira vocações e serve de _________________________ para nós, adultos. 12- Lendo os títulos da lição, o que tornou Davi um homem segundo o coração de DEUS? ( ) Era um homem pronto para a guerra. ( ) Era um homem pronto para servir. ( ) Era um homem pronto para crer. ( ) Era um homem pronto a se humilhar. RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

AJUDA CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal. VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD. Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/ Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com , http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

VIDEOS DA LICAO 12, DAVI E O SEU SUCESSOR

ESTUDOS DA LICAO 12, DAVI E O SEU SUCESSOR

LICAO 12 - DAVI E O SEU SUCESSOR Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 4º TRIMESTRE DE 2009 Davi - As vitórias e as derrotas de um homem de DEUS Comentários do Pr. José Gonçalves Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antonio Gilberto Complementos, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva TEXTO ÁUREO "Eis que o filho que te nascer será homem de repouso; porque repouso lhe hei de dar de todos os seus inimigos em redor; portanto, Salomão será o seu nome, e paz e descanso darei a Israel nos seus dias" (1 Cr 22.9). VERDADE PRÁTICA Formar sucessores é, sem dúvida, uma das maiores virtudes dos grandes líderes. LEITURA DIÁRIA Segunda 1 Cr 22.9 O sucessor escolhido pelo Senhor Terça 1 Rs 1.5,9,10 Planos enganosos para tomar o reino Quarta 1 Rs 2.1-4 Conselhos ao sucessor Quinta 1 Rs 3.12 Um sucessor sábio Sexta 1 Rs 1.52,53 Lidando com a oposição Sábado 1 Rs 10.23 A prosperidade do reino LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - 1 Crônicas 28.4-8 4 E o SENHOR, DEUS de Israel, escolheu-me de toda a casa de meu pai, para que eternamente fosse rei sobre Israel; porque a Judá escolheu por príncipe, e a casa de meu pai, na casa de Judá; e entre os filhos de meu pai se agradou de mim para me fazer rei sobre todo o Israel. 5 E, de todos os meus filhos (porque muitos filhos me deu o SENHOR), escolheu ele o meu filho Salomão para se assentar no trono do reino do SENHOR sobre Israel.6E me disse: Teu filho Salomão, ele edificará a minha casa e os meus átrios, porque o escolhi para filho e eu lhe serei por pai. 7 E estabelecerei o seu reino para sempre, se perseverar em cumprir os meus mandamentos e os meus juízos, como até ao dia de hoje. 8 Agora, pois, perante os olhos de todo o Israel, a congregação do SENHOR, e perante os ouvidos do nosso DEUS, guardai e buscai todos os mandamentos do SENHOR, vosso DEUS, para que possuais esta boa terra e a façais herdar a vossos filhos depois de vós, para sempre. 28.8 GUARDAI E BUSCAI TODOS OS MANDAMENTOS DO SENHOR. A condição prévia, para que o reino de Salomão fosse estabelecido, era ele (Salomão) viver em obediência e fidelidade a DEUS. Salomão, no início, seguiu os conselhos do seu pai, mas posteriormente afastou-se de DEUS (ver 1 Rs 2.4; 11.1). O encargo que Davi deu a Salomão foi que conhecesse a DEUS, servisse a Ele e o buscasse "com um coração perfeito e com uma alma voluntária". (1) Conhecer a DEUS significa ter conhecimento prático da sua pessoa e dos seus caminhos e permanecer em profunda comunhão com Ele e com sua Palavra (ver Jo 17.3; cf. 15.4). (2) Buscar a DEUS significa desejar a sua graça, o poder do seu reino e a retidão de tal maneira, que oramos continuamente, pedindo sua presença ativa em nossa vida e buscando diligentemente fazer a sua vontade (ver Mt 5.6). Davi tinha aprendido, mediante árdua experiência e disciplina, que o sucesso e a bênção de DEUS dependiam da firmeza nos caminhos e na verdade de DEUS. Por isso, Davi estava muito empenhado no sentido de que Salomão vivesse em obediência e lealdade a DEUS. Mesmo assim, Salomão e seus filhos acabaram ignorando as admoestações de Davi, e se desviaram de DEUS e do seu concerto (2 Cr 7.17-22). O resultado foi o juízo divino contra Salomão (11.1-13), a divisão do reino (12.1-33), e, finalmente, a destruição, tanto do Reino do Norte, quanto do Reino do Sul. O pleno cumprimento das promessas de DEUS a Davi realizou-se somente em JESUS CRISTO (At 15.16-18). O precursor do templo foi o Tabernáculo, a tenda construída pelos israelitas enquanto acampados no deserto, junto ao monte Sinai (Êx 25—27; 30; 36—38; 39.32—40.33). Após entrarem na terra prometida de Canaã, conservaram esse santuário móvel até os tempos do rei Salomão. Durante os primeiros anos do reinado deste, ele contratou milhares de pessoas para trabalharem na construção do templo do Senhor (1Rs 5.13-18). No quarto ano do seu reinado, foram postos os alicerces; sete anos mais tarde, o templo foi terminado (1Rs 6.37,38). O culto ao Senhor, e, especialmente, os sacrifícios oferecidos a Ele, tinham agora um lugar preciso na cidade de Jerusalém. A ORAÇÃO DE SALOMÃO A TEU SERVO, POIS, DÁ UM CORAÇÃO ENTENDIDO. Salomão começou seu reinado com fé no Senhor e amor a Ele (v. 3). Orou pedindo sabedoria e um coração entendido (vv. 5-9). DEUS se agradou do seu pedido (v. 10) e atendeu sua oração (vv. 11-14). A sabedoria que DEUS deu a Salomão, porém, não era uma garantia de que ele sempre andaria em retidão. Por essa razão, DEUS acentuou que a vida longa de Salomão dependeria de "andares nos meus caminhos" (v. 14). A infidelidade de Salomão posteriormente, impediu a realização integral da vontade de DEUS na sua vida (11.1-8). ESTA PALAVRA PARECEU BOA AOS OLHOS DO SENHOR. DEUS se agrada quando os crentes buscam em oração sincera a sabedoria divina e um coração entendido. "E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a DEUS, que a todos dá liberalmente e não o lança em rosto; e ser-lhe-á dada" (Tg 1.5; cf. Pv 2.2-6; 3.15; Lc 12.31; Ef 5.17; Tg 3.17). Palavra Chave: Sucessão - Do latim sucessionis, passagem, transmissão de direitos. Na lição significa a continuidade da monarquia davídica. Ninguém é insubstituível, podem acontecerem imprevistos, também pode a idade chegar ou o tempo de DEUS para a função exercida findar. DEUS é soberano, portanto, nosso tempo em determinada função depende , em tudo, de seu querer. Eu mesmo já fui professor de EBD, pregador, dirigente de culto de campanhas (na rua), líder de família, líder de grupo de louvor e adoração, líder de círculo de oração masculino, líder de Missão nos Lares, superintendente geral de EBD, Líder geral de evangelismo, diácono, presbítero, evangelista, pastor e missionário. Como se vê, DEUS é quem chama, prepara e capacita a cada um para sua obra e dá o tempo de ministério para cada função que seu servo deve exercer o ministério a ele entregue. Devemos sempre cuidar em escolher e ensinar alguém que possa nos substituir em caso de nossa substituição pelo SENHOR. Um dos maiores exemplos de preparação de um substituto, na bíblia, se dá com Moisés e Josué. Números 27.18-23; Josué 1.1,2. Números 27 18 - Então, disse o SENHOR a Moisés: Toma para ti a Josué, filho de Num, homem em quem há o ESPÍRITO, e põe a tua mão sobre ele. 9 - E apresenta-o perante Eleazar, o sacerdote, e perante toda a congregação, e dá-lhe mandamentos aos olhos deles, 20 - e põe sobre ele da tua glória, para que lhe obedeça toda a congregação dos filhos de Israel. 21 - E se porá perante Eleazar, o sacerdote, o qual por ele consultará, segundo o juízo de Urim, perante o SENHOR; confor­me o seu dito, sairão, e confor­me o seu dito, entrarão, ele, e todos os filhos de Israel com ele, e toda a congregação. 22 - E fez Moisés como o SENHOR lhe ordenara; porque tomou a Josué e apresentou-o perante Eleazar, o sacerdote, e perante toda a congregação; 23 - e sobre ele pôs as mãos e lhe deu mandamentos, como o SENHOR ordenara pela mão de Moisés. Josué 1 1 - E sucedeu, depois da morte de Moisés, servo do SENHOR, que o SENHOR falou a Josué, filho de Num, servo de Moisés, dizendo: 2 - Moisés, meu servo, é morto; levanta-te, pois, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel. JOSUÉ, FILHO DE NUM. Josué tinha sido um auxiliar achegado e amigo fiel de Moisés durante os quarenta anos da peregrinação de Israel no deserto (Êx 17.8-13; 24.13; 32.17-19; Nm 13.8-16). Homem cheio do ESPÍRITO SANTO, já designado sucessor de Moisés (Nm 27.18-24; Dt 34.9). DEUS agora o mandava conduzir o povo dEle para a terra da promessa (ver Gn 12.6,7; 15.18-21). O nome Josué significa "o Senhor é salvação". A forma grega desse nome é "JESUS" (ver Mt 1.21). Josué é um tipo (ou figura) de JESUS CRISTO, pelo fato de introduzir o povo de DEUS na terra prometida e conduzi-lo à vitória sobre seus inimigos (Hb 4.1,6-8). A conquista de Canaã (Palestina) começou cerca de 1405 a.C., e a liderança de Josué sobre Israel durou cerca de vinte e cinco anos JOSUÉ era um líder escolhido por DEUS, do começo ao fim do livro. Os antecedentes pessoais de Josué muito contribuíram para que se tornasse o líder da conquista. Josué viveu próximo ao fim da opressão de Israel pelo Egito, e testemunhou as dez pragas que DEUS enviou a esse país como castigo, a primeira Páscoa, a travessia milagrosa do mar Vermelho e os sinais (e juízos) sobrenaturais durante as peregrinações de Israel no deserto. Serviu a Moisés como comandante militar na batalha contra os amalequitas, pouco depois da saída do Egito (Êx 17.8-16). Somente ele acompanhou Moisés na subida ao monte Sinai, quando DEUS deu a Israel os dez mandamentos (Êx 24.12-18). Como auxiliar de Moisés, Josué demonstrava intensa devoção e amor a DEUS, e muitas vezes permaneceu na presença do Senhor por um longo período (Êx 33.11). Era um homem que se deleitava na santa presença de DEUS. Por certo, aprendeu muito com Moisés, seu conselheiro e guia de confiança, a respeito dos caminhos de DEUS e das dificuldades na condução do povo. Em Cades-Barnéia, Josué serviu a Moisés como um dos doze espias que observaram a terra de Canaã. Ele, juntamente com Calebe, rejeitou energicamente o relatório da maioria, que retratava a incredulidade do povo (Nm 14). Muitos anos antes de substituir Moisés como líder de Israel, Josué demonstrou ser um homem de fé, visão, coragem, lealdade, obediência inconteste, oração e dedicação a DEUS e à sua palavra. Quando foi escolhido para substituir Moisés, já era um homem “em que há o ESPÍRITO” (Nm 27.18; Dt 34.9). Josué, Um Líder Chamado Por DEUS Qual o segredo do sucesso ministerial de Josué? Em primeiro lugar, era um homem convicto da missão que lhe confiara o Senhor. O bravo filho de Num, desde que fora convocado para comandar os exércitos israelitas, mostrou em todas as coisas ser um homem de DEUS. Sabia que estava a serviço do Altíssimo. Por isso não poderia distrair-se com os negócios desta vida. Era seu dever agradar ao que lhe convocara. Se também quisermos ter sucesso na vida ministerial, haveremos de estar convictos quanto a nossa chamada. Doutra forma, naufragaremos na fé. Josué é um tipo (ou figura) de JESUS CRISTO, pelo fato de introduzir o povo de DEUS na terra prometida e conduzi-lo à vitória sobre seus inimigos (Hb 4.1,6-8). "Não que sejamos capazes por nós de pensar alguma coisa como de nós mesmos, mas a nossa capacidade vem de DEUS, o qual nos fez também capazes de ser ministro dum novo testamento. não da letra, mas do espírito ..." (2 Co 3.5,6). É comum em nossos dias ver-se pessoas exercendo certas funções sem a devida capacidade. Estas pessoas são dignas, mas não são capazes. Uma coisa é ser digna, a outra é ser capaz. O sábio conselho de Jetro, sogro de Moisés foi: "Tu dentre o povo procura homens capazes ..." (Ex 18.21-25). Este padrão não mudou e não deve mudar. (Gn 41.38,39; I Sm 16.16-19; Dn 1.3,4; At 6.3). Durante os 40 anos passados no ermo, ele foi íntimo colaborador de Moisés. Tem sido “ministro de Moisés desde a sua idade viril”, o que mostra sua aptidão como líder espiritual e líder militar. (Núm. 11:28; Êxo. 24:13; 33:11; Js. 1:1) Quando Israel saiu do Egito, Josué era capitão dos exércitos de Israel, quando este derrotou os amalequitas. (Êx. 17:9-14) Na qualidade de companheiro leal de Moisés e valente comandante do exército, era a escolha lógica para representar a tribo de Efraim, quando se escolheu um homem de cada tribo para a perigosa missão de espiar Canaã. A coragem e fidelidade que demonstrou nessa ocasião lhe asseguraram a entrada na Terra Prometida. (Nm. 13:8; 4:6-9, 30, 38) Sim, este Josué, filho de Num, é um “homem em quem há espírito”; um homem que ‘seguiu a DEUS integralmente’, um homem “cheio do ESPÍRITO de sabedoria”. Não é de admirar que “Israel continuou a servir a DEUS todos os dias de Josué”. — Nm. 27:18; 32:12; Dt. 34:9; Js. 24:31. Josué não é personagem lendário, mas um servo de DEUS, que realmente existiu. Seu nome é mencionado nas Escrituras Gregas Cristãs. (Atos 7:45; Hb. 4:8) É lógico dizer que, assim como Moisés foi usado para escrever sobre os eventos dos seus dias, seu sucessor, Josué, seria usado para escrever os acontecimentos que ele próprio presenciou. Que o livro foi escrito por alguém que presenciou os eventos, demonstra-se em Josué 6:25. A tradição judaica atribui a escrita a Josué, e o próprio livro declara: “Então escreveu Josué estas palavras no livro da lei de DEUS.” — Js. 24:26. Na ocasião da destruição de Jericó, Josué proferiu uma maldição profética sobre os que reconstruíssem a cidade, que teve cumprimento notável uns 500 anos mais tarde, nos dias de Acabe, rei de Israel. (Jos. 6:26; 1 Reis 16:33, 34) Além do mais, a autenticidade do livro de Josué é confirmada pelas muitas referências que posteriores escritores da Bíblia fazem aos eventos relatados nele. Vez após vez, os salmistas se referem a estes (Sal. 44:1-3; 78:54, 55; 105:42-45; 135:10-12; 136:17-22), assim como Neemias (Ne 9:22-25), Isaías (Isa.28:21), o apóstolo Paulo (Atos 13:19; Hb.11:30, 31) e o discípulo Tiago (Tia. 2:25). O livro de Josué abrange um período de mais de 20 anos, desde a entrada em Canaã até provavelmente ao ano em que Josué morreu. O próprio nome Josué (em hebraico: Yehoh·shú·a`), que significa “DEUS É Salvação”, é perfeitamente adequado, em vista do papel que Josué como líder visível em Israel desempenhou durante a conquista do país. Ele atribuiu toda a glória a DEUS, o Libertador. Na Septuaginta, o livro é chamado I·e·soús (o equivalente grego de Yehoh·shú·a`), e é desta palavra que se deriva o nome JESUS. Pelas suas excelentes qualidades de coragem, obediência e integridade, Josué foi realmente um maravilhoso tipo profético de “nosso Senhor JESUS CRISTO”. — Rom. 5:1. Davi procura deixar para seu filho Salomão um reino bem equilibrado e organizado para que o mesmo possa realizar a principal obra de sua vida, a construção da "casa do SENHOR". Com seu filho Salomão que Davi declara seu sucessor. À luz da rebelião do Adonias, Davi chama Bate-Seba e jura para ela que Salomão será seu sucessor. Depois chama o sacerdote Zadoque, o profeta Natã e Benaia, responsável pelos guardas do palácio, instruindo-os em que fazer. Então eles “fizeram Salomão montar a mula do rei Davi” e o levavam para ser coroado. Nisso tudo, Salomão não é companheiro de seu pai, não tem voz, não é incluído nos planos e decisões. Ele parece ser apenas um objeto colocado no lugar certo para cumprir os propósitos do Davi (1 Re 1.28-40). LIÇÕES DA VIDA DE SALOMÃO (Review and Herald, 17/08/1895) Fui instruída pelo Senhor a chamar a atenção do nosso povo para a história de Salomão. Da história de seu reinado podemos aprender muitas lições proveitosas a fim de evitarmos o caminho que levou Israel à ruína. Promissores foram os primeiros anos da vida de Salomão. Ao fazer ele da sabedoria de DEUS a sua escolha, a glória do seu reino encheu o mundo de assombro. Ele poderia ter ido de força em força, de glória em glória, aproximando-se cada vez mais da semelhança com o caráter divino. O Reino de Israel no Tempo de Salomão No reinado de Davi e de Salomão, Israel atingiu o auge de sua grandeza. Salomão foi ungido e proclamado rei nos derradeiros anos de seu pai Davi, que abdicara em seu favor. Depois da morte do pai, "foi Salomão rei sobre todo o Israel." Por essa época, "eram os filhos de Judá e Israel tão numerosos quanto a areia que está à beira do mar." 1 Reis 4:1, 20. A Extensão do Reino "Dominava Salomão sobre todos os reinos desde o rio [Eufrates] até a terra dos filisteus e até ao termo do Egito. Estes reinos pagavam tributo, e serviram a Salomão todos os dias de sua vida. ... Dominava ... sobre todos os reis daquém do rio [Eufrates], desde Tifsa até Gaza, e tinha paz por todos os lados em redor. "Judá e Israel habitavam seguros, cada um debaixo da sua videira, e debaixo da sua figueira, desde Dã até Berseba, todos os dias de Salomão." 1 Reis 4:21-25. "Quando Hirão, rei de Tiro, ouviu que haviam ungido a Salomão rei em lugar de seu pai, enviou os seus servos a Salomão, porque Hirão sempre fora muito amigo de Davi." 1 Reis 5:1. "Salomão, filho de Davi, fortaleceu-se no seu reino, pois o Senhor seu DEUS era com ele, e muito o engrandeceu." 2 Crônicas 1:1. Cumprira-se a promessa feita a Abraão e confirmada por meio de Moisés: "Se diligentemente guardardes todos estes mandamentos que vos prescrevo, amando o Senhor vosso DEUS, andando em todos os seus caminhos, e achegando-vos a Ele, também o Senhor de diante de vós expulsará todas estas nações, e despojareis nações maiores e mais poderosas do que vós. Todo o lugar que pisar a planta do vosso pé será vosso; o vosso termo se estenderá do deserto ao Líbano, e do rio Eufrates ao mar ocidental. Ninguém subsistirá diante de vós." Deuteronômio 11:22-25. A Oportunidade de Salomão A última grande obra de Davi, em sua posição oficial, foi chamar mais uma vez a atenção do povo para a solene relação que tinham para com DEUS como súditos de Seu governo teocrático. Convocando os príncipes de Israel e representantes de todas as partes do reino, conferiu, na presença destes, um inspirado encargo ao filho, investindo-o da autoridade real e ordenando que cumprisse fielmente os deveres que lhe haviam sido impostos. "Conhece o DEUS de teu pai", exortou o encanecido monarca, "serve-o com um coração íntegro e alma voluntária, pois o Senhor esquadrinha todos os corações, e penetra todos os desígnios e pensamentos. Se o buscares, será achado de ti; mas se O deixares, rejeitar-te-á para sempre. Olha, agora, pois o Senhor te escolheu para edificares uma casa para o santuário. Esforça-te, e faze a obra." 1 Crônicas 28:9, 10. Através da obediência, os israelitas poderiam ter permanecido como cabeça das nações da Terra. DEUS faria com que fossem exaltados "em louvor, em nome e em glória sobre todas as nações que criou, para que sejas povo santo ao Senhor teu DEUS, como tem dito." Deuteronômio 26:1. "Todos os povos da Terra", disse Moisés, "verão que és chamado pelo nome do Senhor, e terão temor de ti." Deuteronômio 28:10. "Os povos que ouvirem todos estes estatutos, dirão: Este grande povo é realmente sábio e entendido." Deuteronômio 4:6. Ninguém entendeu essas promessas melhor que Davi. O rei de Israel aprendeu por experiência própria quão duro é o caminho daquele que se afasta de DEUS. Sentira a condenação da lei violada e colhera os frutos da transgressão; e toda a sua alma se agitava em solicitude para que os líderes de Israel fossem fiéis ao Senhor e para que Salomão obedecesse à lei de DEUS, desviando-se dos pecados que enfraqueceram a autoridade de seu pai, amarguraram-lhe a vida e desonraram ao Senhor. Davi sabia que, para resistir às tentações que certamente assaltariam Salomão em sua elevada posição, seria preciso humildade de coração, constante confiança em DEUS e incessante vigilância; pois as pessoas influentes são as que mais Satanás procura atingir com suas setas. Ao sentir Davi que a morte se aproximava, o peso que lhe esmagava o coração ainda era por Salomão e pelo reino de Israel, cuja prosperidade dependia em tão grande parte depender da fidelidade de seu rei. "Deu ele ordem a Salomão, dizendo: "Eu vou pelo caminho de toda carne. Esforça-te, pois, e sê homem. Guarda as ordenanças do Senhor teu DEUS, para andares nos seus caminhos, para guardares os seus estatutos e os seus mandamentos, os seus juízos e os seus testemunhos... para que prosperes em tudo o que fizeres e por onde quer que fores, e que o Senhor confirme a palavra que falou de mim, dizendo: Se teus filhos guardarem o seu caminho, para andarem perante a minha face fielmente, de todo o seu coração e de toda a sua alma, nunca te faltará sucessor ao trono de Israel." 1 Reis 2:1-4. Oh! que oportunidade teve Salomão! Não devia ser apenas um guerreiro, um estadista, um soberano, mas um homem forte e bom, um exemplo de fidelidade, um mestre de justiça. Com terna solicitude Davi exortou Salomão a ser varonil e nobre, a mostrar misericórdia e magnanimidade para com seus súditos. As inúmeras experiências probantes e notáveis pelas quais Davi passara durante o curso de sua vida haviam-lhe ensinado o valor das mais nobres virtudes, levando-o a exclamar: "Quando um justo governa sobre os homens, quando governa no temor de DEUS, é como a luz da manhã ao sair do sol de uma manhã sem nuvens, como o esplendor depois da chuva que faz brotar da terra a erva." 2 Samuel 23:2, 3. Tivesse Salomão seguido a instrução divinamente inspirada de seu idoso pai, e seu reino teria sido um reino de justiça, tal qual aquele magnificamente descrito no Salmo 72. Um Reino de Justiça Ó DEUS, dá ao rei a tua justiça, E a tua retidão ao filho do rei. Ele julgará o teu povo com retidão, E os teus pobres com justiça. Os montes trarão prosperidade ao povo, e os outeiros o fruto da retidão. Defenderá os aflitos do povo, Salvará os filhos do necessitado, E quebrantará o opressor. Ele permanecerá enquanto durar o sol e a lua, De geração em geração. Ele será como a chuva sobre a erva ceifada, Como os aguaceiros que umedecem a terra. Nos seus dias florescerá o justo; Abundância de paz haverá enquanto durar a lua. Dominará de mar a mar, E desde o Rio até as extremidades da terra. Aqueles que habitam no deserto Se inclinarão ante ele, E os seus inimigos lamberão o pó.Os reis de Társis e das ilhas trarão tributo; Os reis de Sabá e de Seba oferecerão presentes. Todos os reis se prostrarão perante ele, E todas as nações o servirão. Pois ele livrará o necessitado que clamar, Como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude. Compadecer-se-á do pobre e do aflito, E salvará as almas dos necessitados. Libertará as suas almas do engano e da violência,Pois precioso é o seu sangue aos olhos dele. Tenha ele longa vida! E se lhe dê do ouro de Sabá. Continuamente se faça por ele oração, E todos os dias o bendigam. Haja abundância de cereal na terra; Ondule sobre os cumes dos montes. Como o Líbano, floresça o seu fruto; Floresça como a erva do campo. Permaneça o seu nome eternamente; Que ele continue enquanto o Sol durar. Todas as nações serão abençoadas nele, E lhe chamarão bem-aventurado. Bendito seja o Senhor DEUS, o DEUS de Israel, O único que faz maravilhas. Bendito para sempre seja o Seu glorioso nome; Encha-se toda a Terra da Sua glória. Amém e amém. A Apostasia Toda a história de Salomão poderia ter sido de acordo com esta inspirada profecia. Exaltado a uma posição de sagrada confiança, ele por algum tempo deu ouvidos aos sábios conselhos de Davi e trouxe glória para o nome do DEUS de Israel. Os últimos anos de seu reinado, porém, foram deslustrados pelo orgulho, auto-suficiência e exaltação própria. O desejo de poderio político e engrandecimento pessoal levou-o a formar alianças com nações gentílicas. A prata de Társis e o ouro de Ofir eram procurados a elevado custo, mesmo com sacrifício da integridade e atraiçoamento de santos legados. A associação com idólatras corrompeu-lhe a fé. Um passo em falso levou a outro, até que foram derribadas as barreiras que DEUS erigira para a segurança de Seu povo. Gradual mas seguramente a vida de Salomão corrompeu-se pela conformidade com os costumes mundanos. Ao tomar em consideração a norma de justiça seguida pelas nações pagãs, começou a perder de vista o padrão da lei de DEUS. Unindo-se em matrimônio com mulheres adoradoras de falsos deuses, entregou-se por fim à idolatria. O caráter que tinha sido puro e elevado deslustrou-se e degradou-se. A mente que, consagrada a DEUS, fora uma vez inspirada a escrever as preciosas palavras de sabedoria encontradas no livro de Provérbios – aquela mente nobre – através das más associações e constante condescendência, tornou-se fraca em força moral. Salomão desonrou a si mesmo, a Israel e a DEUS. Por mais deplorável que possa parecer, o relato da apostasia de Salomão retrata o resultado da separação de DEUS. Um passo em falso prepara o caminho para um segundo e um terceiro, de sorte que cada passo adicional é mais fácil de ser dado que o anterior. É nosso privilégio dar ouvidos à advertência de DEUS na vida de Salomão. Como seguidores de CRISTO, cumpre-nos honrar nosso Mestre pelo estudo de Seus ensinos e obediência a eles. Devemos manifestar nosso amor e temor a DEUS pela recusa em conformar-nos à norma de direito prevalecente no mundo. Cuidemos para não nos afastarmos da simplicidade de nossa fé. A norma do direito que aos cristãos cumpre seguir deve ser sempre a norma apresentada nas Sagradas Escrituras. Devemos estar sempre precavidos contra toda influência mundana capaz de enfraquecer nossa força moral. O que fez Salomão em seu tempo de reinado? Ele aperfeiçoa o sistema administrativo do pai Davi,ampliando o território do seu reino que tinha organizado em 12 distritos administrativos, deixando, porém a cada distrito o nome das12 tribos. Salomão aperfeiçoou os distritos mas mudando o nome.O que não agradou o povo. Incentivou a cultura e se apresentou como um rei sábio. Estabeleceu relações diplomáticas com outros Países. Aumentou o comércio,especialmente via mar ( Os navios de Tarsis), trazendo muita riqueza, em ouro e outros metais preciosos. Foi um grande construtor,aumentando e aperfeiçoando a infra-estrutura do País. Introduziu cavalos e carros de guerra no exército. Construiu o templo Transformou a confederação das 12 tribos em um verdadeiro império. Não respeitou as autonomias locais, mudando até de nome os distritos que seu pai lhe tinha deixado. Começou a cobrar pesados impostos, usando os distritos como meio de arrecadação. Aumentou muito os trabalhos forçados (corvéia). Enriqueceu enormemente às custas do povo e favoreceu funcionários da sua tribo (nepotismo). Teve muitas mulheres estrangeiras, favorecendo o sincretismo religioso. Centralizou o culto no Templo, desconhecendo os santuários locais. Os sacerdotes se tornaram meros funcionários de corte. Javé se tornou o DEUS da dinastia davídica. Se ainda em vida,Salomão mantinha o respeito do povo,não foi assim com seu filho Roboão. Ele não soube escutar as queixas do povo que queria ser aliviado do jugo,que afetava de forma especial as tribos do Norte... INTERAÇÃO Prezado professor, nesta lição, estudaremos a respeito da transição do reino de Davi para Salomão, seu filho com Bate-Seba. Não podemos esquecer que o reino de Israel pertencia ao Senhor, não a Davi. Os líderes de DEUS, levantados na atualidade, também precisam estar conscientes deste princípio bíblico: a obra pertence ao Senhor. Ele é o único dono. Não somos proprietários de nada, somos mordomos. Um dia teremos de prestar conta ao nosso Senhor. Não podemos nos esquecer que "formar sucessores é, sem dúvida, uma das maiores virtudes dos grandes líderes". Davi, no momento certo, passa o cetro para o seu sucessor que, com certeza, já estava sendo preparado para esse momento. Salomão não era o filho mais velho de Davi, no entanto, isso não importava para o Senhor, pois o filho de Jessé também era o menor dentre seus irmãos. O Senhor havia escolhido a Salomão. DEUS escolhe e usa quem quer. OBJETIVOS Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: Saber que uma das responsabilidades do líder é formar sucessores. Compreender que Salomão foi indicado por Davi, mas escolhido por DEUS. Descrever as características de Salomão, as quais agradaram a DEUS. ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA Professor, reproduza no quadro-de-giz a tabela abaixo . Utilize-a ao concluir o tópico três da lição. Mostre aos seus alunos os pontos fortes e fracos de Salomão. Explique que, enquanto Salomão buscou ao Senhor e procurou viver em santidade, obteve êxito, mas, ao deixar se levar pelos enganos do mundo, acabou errando o alvo e se desviando dos propósitos de DEUS para sua vida. RESUMO DA LIÇÃO 12 - DAVI E O SEU SUCESSOR Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 4º TRIMESTRE DE 2009 - CPAD INTRODUÇÃO - Duração do governo monárquico de Davi, cerca de 40 anos. O velho monarca conseguia ainda ouvir a DEUS e, por isso, foi capaz de preparar um sucessor. I. UM SUCESSOR INDICADO POR DAVI, MAS ESCOLHIDO POR DEUS 1. As insubmissas escolhas humanas. A transmissão do reino a Salomão não aconteceu de forma tão amistosa e pacífica. 2. A escolha divina. Salomão não chegou ao trono por uma simples indicação de Davi, mas por uma escolha divina (1 Cr 22.9). II. UM SUCESSOR DE POUCA EXPERIÊNCIA, MAS QUE HERDOU UM GRANDE LEGADO 1. O legado político institucional. Fortalecimento das instituições. Davi foi hábil na organização até mesmo das minúcias do reino (1 Cr 27.25-31). 2. O legado religioso. O maior legado deixado por Davi ao seu filho Salomão foi o espiritual. A chave para um reinado bem-sucedido estava no conhecimento e cumprimento das leis imutáveis de DEUS. III. UM SUCESSOR JOVEM, MAS DE GRANDE PIEDADE 1. Na vida privada.Salomão ora a DEUS e, por meio de suas palavras e intenções, ele revela traços de seu caráter piedoso (1 Rs 3.3-15). a) Ele reconheceu os atributos divinos. b) Ele demonstrou humildade. c) Ele demonstrou um grande senso de justiça e não foi egoísta. 2. Na vida pública. A chamada rainha do Sul admirou-se da sabedoria de Salomão, da casa que edificara, de seus criados e dos sacrifícios oferecidos ao Eterno. CONCLUSÃO A liderança de Davi foi bem-sucedida porque ele não viveu para si, mas para DEUS e para o próximo. SINOPSE DO TÓPICO (1) Salomão chegou ao trono por indicação divina. SINOPSE DO TÓPICO (2) A chave para um reinado bem-sucedido estava no cumprimento das leis imutáveis de DEUS. SINOPSE DO TÓPICO (3) A decisão divina não anula nossas responsabilidades diante do Senhor. RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO NOS VÍDEOS http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO Subsídio Bibliológico "O reino de Davi veio, completo, para as mãos de Salomão. Era uma área estimada em 128.000 quilômetros quadrados [...]. Sob o domínio de Davi, as condições domésticas em Israel permaneciam primitivas e patriarcais. Davi fez nascer a nação israelita; Salomão produziu o estado israelita. O seu governo era uma monarquia absoluta. Os membros do seu gabinete ampliado eram chamados de príncipes. [...] Ignorando as antigas divisões tribais, Salomão dividiu o país inteiro em 12 distritos administrativos, nove a oeste do Jordão e três a leste. Em cada distrito havia um oficial comissionado cuja responsabilidade era a de fornecer à corte provisões para um mês a cada ano. [...] Porém, várias políticas de Salomão não eram boas: (1) o trabalho forçado desorganizava a vida familiar do seu povo; (2) o comércio internacional trouxe deuses estrangeiros e encorajou a idolatria; (3) seu excessivo programa de construções superou os seus recursos; (4) sua corte esplendorosa cobrava excessivas taxas do seu povo, sobrecarregando a todos; (5) sua imensa poligamia chegava a ser uma tolice [...]. Embora indignado com Salomão, o Senhor, por sua graça, não lhe tirou o reino; mas tirou de seu filho . Mas o Senhor levantou 'adversários' a Salomão. O primeiro foi Hadade, o edomita, que tinha fugido para o Egito durante o reinado de Davi. [...] Mesmo com todas as fraquezas, Salomão [...] foi o responsável pelo estabelecimento do Templo como o santuário religioso central da nação" (Dicionário Bíblico Wycliffe. RJ: CPAD, 2006. pp1740-42). BIBLIOGRAFIA SUGERIDA RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2005. DEVER, Mark. A Mensagem do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. SAIBA MAIS através da revista Ensinador Cristão CPAD, nº 40, p.42. APLICAÇÃO PESSOAL "Adonias queria realmente ser rei de Israel. Afinal, ele era o filho mais velho de Davi vivo. Era bonito, talvez nobre na aparência - tanto assim que dois dos conselheiros de Davi (Joabe e Abiatar) deram-lhe apoio. Mas Davi já havia prometido seu trono a Salomão. Os sonhos e planos de Adonias foram em vão. Isso não impediu Adonias. Desesperadamente aprisionado em seu próprio mundo, ele contratou um bando de homens da corte e carruagens para 'provar' que ele era o rei. Até realizou os sacrifícios oficiais esperados de um rei recém-coroado e enviou convites para sua própria coroação. Seu jogo quase funcionou, mas sua obstinação finalmente levou à sua morte. Ele não conseguia reconhecer e nem trabalhar dentro de limites. Por qualquer motivo, estava indisposto a respeitar os desejos dos outros ou aceitar a vontade de DEUS quando essa contradizia a sua própria. Seu egocentrismo levou-o a desafiar seu pai, negar a soberania de DEUS e, eventualmente, morrer de forma precoce. Siga seus planos dentro da vontade de DEUS, e não em vez de ou apesar dela. Os limites que Ele colocou sobre você só fará seus planos florescerem. Nossos desejos encaixam-se melhor dentro da vontade de DEUS" (KENDRICK, Michael. Dary, Lucas. 365 lições de vida extraídas de personagens da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 1999. p.148). AJUDA CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal. VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD. Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/ Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com , http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.

QUESTIONARIO DA LICAO 12, DAVI E O SEU SUCESSOR

QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 12 - DAVI E O SEU SUCESSOR RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 4º TRIMESTRE DE 2009 Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas. TEXTO ÁUREO 1- Complete: "Eis que o filho que te nascer será homem de ________________________; porque repouso lhe hei de dar de todos os seus inimigos em redor; portanto, __________________________ será o seu nome, e __________________ e descanso darei a Israel nos seus dias" (1 Cr 22.9). VERDADE PRÁTICA 2- Complete: Formar ________________________________ é, sem dúvida, uma das maiores ________________________ dos grandes ______________________________. INTRODUÇÃO 3- Qual a duração do governo monárquico de Davi: ( ) Cerca de 40 anos. ( ) Cerca de 50 anos. ( ) Cerca de 60 anos. 4- Complete: O velho monarca conseguia ainda ___________________________ a DEUS e, por isso, foi capaz de _____________________________ um ___________________________________. I. UM SUCESSOR INDICADO POR DAVI, MAS ESCOLHIDO POR DEUS 5- Como foi a transmissão do reino a Salomão? ( ) Não aconteceu de forma tão amistosa e pacífica. ( ) Davi teve que administrar alguns conflitos internos que provaram ser extremamente danosos. ( ) De forma pacífica, aceita por todos seus filhos. ( ) Os levantes contra a autoridade real, isto é, as tentativas de golpe de estado, não vieram, por exemplo, dos militares, mas de seus próprios filhos: Absalão (2 Sm 15.4) e Adonias. ( ) Absalão (2 Sm 15.4) e Adonias (1 Rs 1.5) eram homens ávidos pelo poder e que desejavam sentar-se no trono a qualquer custo. ( ) A escolha de Absalão ou Adonias seria projeto meramente humano para uma nação que tinha, de DEUS, um desígnio divino a cumprir. 6- Como foi a escolha divina de Salomão? Complete: Quando Davi ainda fazia seu projeto para a construção do Templo, DEUS _________________________ ao profeta Natã que um de seus filhos, e não ele, seria o escolhido de DEUS para construir o Santuário (1 Cr 17.11-15). A profecia do texto de 1 Crônicas 17.11-15, refere-se primeiramente a Salomão, o _________________________________ carnal de Davi, que levantaria posteriormente o Templo. Salomão, portanto, não chegou ao trono por uma simples indicação de Davi, mas por uma escolha ________________________________________ (1 Cr 22.9), pois, mesmo antes de apresentá-lo ao povo, Davi já sabia dessa revelação divina. 7- Para o que aponta a profecia do texto de 1 Crônicas 17.11-15, no futuro? ( ) Prediz o reino eterno do Messias, JESUS CRISTO, o filho de Abraão. ( ) Prediz o reino eterno de Davi, JESUS CRISTO, o filho de José. ( ) Prediz o reino eterno do Messias, JESUS CRISTO, o filho de Davi. II. UM SUCESSOR DE POUCA EXPERIÊNCIA, MAS QUE HERDOU UM GRANDE LEGADO 8- Como foi o legado político institucional de Israel, deixado por Davi, a seu filho Salomão? ( ) Sem dúvida um dos grandes legados que Davi deixou para seu filho Salomão foi o fortalecimento das instituições. ( ) Israel, até os dias de Samuel, era apenas um aglomerado de tribos. ( ) Com Saul, a monarquia foi instaurada, todavia, por causa de seu governo desobediente a DEUS, não foi possível consolidá-la. ( ) No final do reinado de Davi encontramos as instituições de Israel bastante consolidadas. ( ) Observamos nos dias de Davi um exército bem montado, capaz de vencer grandes batalhas e uma guarda real bem aparelhada. ( ) Outro fator que deve ser levado em conta é o sistema judiciário daqueles dias. ( ) Davi deixou a seu filho, além de todas as suas mulheres, uma guerra por vencer contra os filisteus. ( ) O rei agia como o juiz do povo. ( ) O rei nomeara oficiais e juízes para cuidar da política externa e dos negócios da coroa real. ( ) Davi foi hábil na organização até mesmo das minúcias do reino . 9- Qual o legado religioso que Davi deixou a Salomão? ( ) O maior legado deixado por Davi ao seu filho Salomão foi o espiritual. ( ) Davi demonstrou por diversas vezes que era dependente da orientação divina (1 Sm 23.2; 30.8; 2 Sm 2.1), e sabia, portanto, que o reinado do filho só teria êxito se Salomão agisse da mesma forma. ( ) A chave para um reinado bem-sucedido estava no conhecimento e cumprimento das leis imutáveis de DEUS. ( ) Deixou um exemplo de pai amoroso e de um marido fiel. ( ) Davi apela ao filho para que não se esqueça, durante o seu governo, de ser um homem apegado à Palavra de DEUS. ( ) O aviso fora dado e cabia ao seu filho, juntamente com seus súditos, observar esse importante legado. III. UM SUCESSOR JOVEM, MAS DE GRANDE PIEDADE 10- Dê provas da piedade na vida privada de Salomão: ( ) No início do seu reinado, Salomão respondeu bem à vocação divina e proferiu uma das mais belas orações da Bíblia; uma oração que agradou a DEUS. ( ) Após ser visitado pelo Senhor durante um sonho, Salomão ora a DEUS e, por meio de suas palavras e intenções, ele revela traços de seu caráter piedoso. ( ) Salomão permaneceu fiel ao Senhor por toda a sua vida. 11- O que havia na oração do sucessor de Davi que tanto agradou ao Senhor? Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda: Ele reconheceu os atributos divinos. Em sua oração, Salomão reconheceu que não passava de uma criança e que não sabia como se conduzir (v.7). Ele demonstrou humildade Salomão reconheceu a benevolência de DEUS (v.6), e deu graças ao Senhor, pois era consciente de que estava no trono pela bondade do Altíssimo e não por causa de seus méritos. Ele demonstrou um grande senso de justiça e não foi egoísta. Salomão orou ao Senhor pedindo um coração sábio, a fim de que soubesse discernir o bem do mal (v.9). 12- Por que Salomão se distancia das pessoas comuns? ( ) Porque não desejou aquilo que parece ser o alvo de todos os homens: longevidade, posses, vingança. ( ) Porque foi um homem segundo o coração de DEUS, como seu pai Davi. ( ) Na oração de Salomão percebemos que ser próspero e abençoado é algo que transcende a tudo isso. 13- Dê provas da piedade na vida pública de Salomão: ( ) Salomão reduziu os impostos do povo para que os pobres melhorassem de situação financeira. ( ) Algo que marcou o reinado de Salomão foi sua forma de administrar. ( ) Tal capacidade chamou a atenção da rainha de Sabá, que constatou esse fato ao visitar a Israel. ( ) A chamada rainha do Sul admirou-se da sabedoria de Salomão, da casa que edificara, de seus criados e dos sacrifícios oferecidos ao Eterno. ( ) O mais importante de tudo é que o êxito do reinado não foi atribuído unicamente a Salomão, mas ao seu DEUS, que foi glorificado na boca de alguém que não o servia. CONCLUSÃO 14- Complete: Davi cumpriu a sua ________________________, mas antes de morrer foi sábio e preparou um _____________________. A liderança de Davi foi bem-sucedida porque ele não viveu para si, mas para __________________ e para o próximo. RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO NOS VÍDEOS http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm