quinta-feira, 29 de agosto de 2013

LIÇÃO 9, CONFRONTANDO OS INIMIGOS DA CRUZ DE CRISTO, 5ptes (playlist)






LIÇÃO 9 - CONFRONTANDO OS INIMIGOS DA CRUZ DE CRISTO
LIÇÕES BÍBLICAS - 3º Trimestre de 2013 - CPAD - Para jovens e adultos
Tema: Filipenses - A Humildade de CRISTO como exemplos para a Igreja.
Comentário: Pr. Elienai Cabral
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva

QUESTIONÁRIO

NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  
 
 
TEXTO ÁUREO
Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de CRISTO" (Fp 3.18).
 

VERDADE PRÁTICA
A cruz de CRISTO é o ponto central da fé cristã: sem ela não pode haver cristianismo.
 

LEITURA DIÁRIA
Segunda - Jo 12.32,33A "atração" da cruz
Terça - Mt 27.32-28.10À cruz segue-se a glória
Quarta - At 8.18-23Identificando o falso mestre
Quinta - Cl 2.4-8A vigilância quanto aos falsos mestres
Sexta - Gl 6.14 A glória do crente
Sábado - Fp 3.20A nossa pátria é o céu

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Filipenses 3.17-21
17 Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam. 18 Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de CRISTO. 19 O fim deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles é para confusão deles mesmos, que só pensam nas coisas terrenas. 20 Mas a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor JESUS CRISTO, 21 que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas.
 
3.18 INIMIGOS DA CRUZ DE CRISTO. Esses inimigos eram, segundo a melhor interpretação, crentes professos que estavam corrompendo o evangelho com suas vidas imorais e falsos ensinos. Uma das razões da grandeza de Paulo era que ele possuía convicções firmes, cujo coração ficava muito intranqüilo quando o evangelho era distorcido ou quando as pessoas a quem ele ministrava corriam perigo de deixar a fé (ver 3.2; Gl 1.9).
3.20 NOSSA CIDADE ESTÁ NOS CÉUS. O termo "cidade" aqui (gr. politeuma) significa "cidadania" ou "pátria". Paulo ressalta que os cristãos já não são cidadãos deste mundo: tornaram-se estranhos e peregrinos na terra (Rm 8.22-24; Gl 4.26; Hb 11.13; 12.22,23; 13.14; 1 Pe 1.17; 2.11).
(1) No que diz respeito ao nosso comportamento, valores e orientação na vida, o céu é agora a nossa cidade. Nascemos de novo (Jo 3.3); nossos nomes estão registrados nos livros do céu (4.3); nossa vida está orientada por padrões celestiais, e nossos direitos e herança estão reservados no céu.
(2) É para o céu que nossas orações sobem (2 Cr 6.21; 30.27) e para onde nossa esperança está voltada. Muitos dos nossos amigos e familiares já estão lá, e nós também estaremos ali dentro em breve. JESUS também está ali, preparando-nos um lugar. Ele prometeu voltar e nos levar para junto dEle (ver Jo 14.2,3; cf. Jo 3.3; 14.1-4; Rm 8.17; Ef 2.6; Cl 3.1-3; Hb 6.19,20; 12.22-24; 1 Pe 1.4,5; Ap 7.9-17). Por essas razões, desejamos profundamente uma cidade melhor, ou seja: a cidade celestial. Por isso, DEUS não se envergonha de ser chamado nosso DEUS, e Ele já nos preparou uma cidade eterna (Hb 11.16).
 
Filipenses - Epístolas Paulinas - E.P. myer pearlman - <http://pt.scribd.com/doc/146430796/E-P-Myer-Pearlman> 
- Uma Advertência Solene (Fp 3.17-19)
Nos versos 1-4, Paulo adverte seus leitores contra um erro do lado judaico, a saber, o legalismo, que é submeter a vida à escravidão das leis de Moisés. Nos versos 17-21, adverte-os contra o perigo do lado pagão, a saber: a frouxidão moral. “Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós” (cf. 1 Co 11.1; Rm 16.17). O que deviam imitar? Nos versos 7-13, lemos que Paulo não tinha confiança no seu eu-próprio, que estava disposto a sacrificar todas as coisas por CRISTO, que reconhecia a sua própria imperfeição e que estava grandemente desejoso para avançar rumo ao alvo - o Senhor. Sua advertência é necessária, porque há aqueles que tomam uma atitude diferente. São “inimigos da cruz de CRISTO”, não por causa de qualquer hostilidade da parte deles, mas por causa das vidas que vivem. Interessam-se mais em satisfazer os seus apetites do que servir a DEUS (“o deus deles é o ventre”) e jactam-se das liberdades que tomam na licenciosidade e vidas impuras (2 Pe 2.19). “Só pensam nas coisas terrenas” - alegam estar no caminho do Céu, mas amam as coisas mundanas; “o destino deles é a destruição”. Contraste com o verso 14.

- O Futuro Glorioso (Fp 3.20,21)
Aqueles homens vivem para as coisas da terra, mas “a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor JESUS CRISTO”. Alguém interpretou: “Mas a nossa cidade está nos céus”. Filipos era uma colônia romana, ou seja, uma cidade tendo os mesmos direitos que um território romano e cujos habitantes eram cidadãos romanos, com os nomes registrados em Roma. De semelhante maneira, a igreja em Filipos era uma colônia do Céu, vivendo a vida celestial e tendo os seus nomes registrados no Céu. A pátria dos cristãos é o Céu. Os imperadores romanos às vezes visitavam as províncias. Paulo aqui imagina os cristãos esperando que seu divino Imperador atravesse a expansão azul para visitá-los. “Donde também esperamos o Salvador, o Senhor JESUS CRISTO”. A palavra “esperar” dá a idéia de expectativa ansiosa; é como a sentinela nos muros de uma cidade sitiada, cujos olhos constantemente procuram o avanço do exército que trará alívio. Os falsos cristãos mencionados nos versos 18 e 19 provavelmente raciocinavam da seguinte maneira: este corpo, afinal, é da terra, fraco e perecível; quanto mais cedo nos vermos livre dele, melhor. Não importa o que fazemos com o corpo — os atos externos não afetam a alma (haviam seitas naqueles dias que realmente ensinavam assim).  A resposta de Paulo é que o Salvador vindouro “transformará o nosso corpo abatido [o corpo que é vinculado à nossa imperfeita existência terrestre], para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas”. Muito longe de ser desprezível, o corpo é o templo do ESPÍRITO SANTO (1 Co 6.19,20), e é tão precioso aos olhos de DEUS que será ressuscitado e glorificado (1 Co 6.14).
 
Alcançando o Prêmio - O Processo (Filipenses 3:17-21) - MacArthur, J. (2001). Philippians (309). Chicago: Moody Press.

Irmãos, sigam unidos o meu exemplo e observem os que vivem de acordo com o padrão que lhes apresentamos. 18 Pois, como já lhes disse repetidas vezes, e agora repito com lágrimas, há muitos que vivem como inimigos da cruz de CRISTO. 19 Quanto a estes, o seu destino é a perdição, o seu deus é o estômago e têm orgulho do que é vergonhoso; eles só pensam nas coisas terrenas. 20 A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente um Salvador, o Senhor JESUS CRISTO. 21 Pelo poder que o capacita a colocar todas as coisas debaixo do seu domínio, ele transformará os nossos corpos humilhados, para serem semelhantes ao seu corpo glorioso. (3:17–21). As pessoas que fazem um impacto no mundo, invariavelmente, têm um compromisso único de espírito para alcançar seus objetivos. Se esses objetivos são conquistar o mundo, ter sucesso nos negócios, ou ganhar um campeonato, eles estão dispostos a fazer renúncias que são necessárias para alcançá-los. Por outro lado, aqueles que são consumidos com as suas próprias necessidades e conforto raramente conseguirão muito mais. O mesmo acontece na vida cristã. Não há segredos escondidos, truques, ou atalhos para uma vida que faz um impacto sobre o mundo para a verdade de JESUS CRISTO. Essas vidas são o resultado direto de um esforço máximo para alcançar os objetivos espirituais da semelhança de CRISTO na vida e ministério. Muitos nobres servos de DEUS sofreram muito para atingir essas metas. Muitos ainda pagaram com suas vidas. Todos tinham uma coisa em comum: o seu próprio conforto era menos importante para eles do que ser como o Senhor JESUS CRISTO neste mundo. Eles deixaram sua marca na igreja através de sua devoção eterna com Ele e seus esforços incansáveis para o Seu evangelho. Infelizmente, poucos na Igreja hoje têm esse nível de compromisso com a causa de CRISTO. Há muitas razões para isso, não menos do que o devastador impacto que a psicologia humanista fez na igreja. Um dos pressupostos básicos da psicologia moderna é que as pessoas existem para sua própria satisfação. O principal objetivo da vida, então, é que as pessoas tenham todas as suas necessidades e desejos atendidos. Só então eles vão ser felizes, contentes e satisfeitos. Apresentações contemporâneas do evangelho muitas vezes refletem essa filosofia humanista. DEUS tornou-se uma espécie de gênio utilitarista, que existe para conceder às pessoas o que for preciso para torná-las felizes e realizadas. A Escritura apresenta JESUS CRISTO como soberano Senhor e Salvador, diante do qual todo joelho se dobre em absoluta submissão e obediência (Fp 2:10). As apresentações modernas do evangelho contemporâneo oferece um JESUS como a cura rápida para todos os problemas da vida, apesar da Sua própria advertência: "No mundo tereis aflições" (João 16:33; cf Atos 14:22;. 1 Tessalonicenses 3:4; 2. Tim. 3:12). O exemplo mais flagrante da abordagem centrada no homem atual é o evangelho da prosperidade, com a sua busca descarada das coisas do mundo. Essas atitudes de satisfação egoísta são o oposto da atitude da verdadeira espiritualidade, que é humilde, discreta consciência do pecado e profunda gratidão pela menor expressão da graça de DEUS. O narcisismo que permeia o cristianismo contemporâneo tem também corrompido a doutrina da santificação. JESUS ensinou: "Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me" (Lucas 9:23). Em contraste, a ênfase hoje está na satisfação das necessidades das pessoas e satisfação de seus desejos, argumentando que só assim eles poderão ser cristãos de testemunho eficaz. Este é o foco principal de muitas pregações, ensinos e literaturas hoje divulgadas. Comentando sobre este novo paradigma para a vida cristã, Tony Walter escreve: - Está na moda seguir a opinião de alguns psicólogos de que a auto-satisfação é uma necessidade humana que deve ser satisfeita. Muitos cristãos acompanham e dão seu aval a essas crenças....Uma marca do sucesso quase total desta nova moralidade é que a Igreja cristã, tradicionalmente interessada em mortificar os desejos da carne, em crucificar as  suas necessidades em busca da semelhança de CRISTO, adotaram avidamente essa linguagem com o passar dos anos. Nós agora ouvimos sempre nas pregações o mesmo jargão: "JESUS vai atender todas as suas necessidades", como se Ele fosse uma espécie de psiquiatra divino ou detergente divino, como se DEUS existisse simplesmente para nos atender em tudo o que necessitamos. A adoção por parte da igreja da psicologia humanista trouxe a mentalidade de uma teologia centrada no homem que substituiu a santificação pela satisfação pessoal . Para muitos, o objetivo da vida cristã está em ter suas necessidades atendidas, ser feliz a qualquer custo, ter uma boa auto-imagem, sem ter que enfrentar os problemas da vida. O foco está nas pessoas, e não em CRISTO. Mas esta "teologia da necessidade" é sub-cristã e é diametralmente oposta ao que a Bíblia ensina. A satisfação das necessidades humanas não é o objetivo da salvação ou da santificação. O objetivo da salvação é para que os crentes sejam conformes à imagem do Filho de DEUS (Romanos 8:29). Assim, a santificação cristã olha para fora, para CRISTO, não para dentro, para as necessidades que os crentes sentem. O objetivo da vida cristã não é a satisfação dos crentes, mas de DEUS. Na verdade, os crentes ficam fortes quando eles estão fracos (2 Coríntios. 12:9-10). Que os cristãos devem imitar a JESUS CRISTO é a verdade simples que tende a ser obscurecida pela multiplicidade de teologias, seminários, livros, fórmulas, e os vídeos que se propõem a desvendar o segredo do crescimento espiritual. É evidente que no meio disso tudo existem algumas coisas que podem ser úteis, mas, apenas naquilo que contribuem para que os crentes possam se tornar mais parecidos com JESUS CRISTO.
O comando repetido do Senhor JESUS CRISTO é: "
siga-me" (Mt 4:19;.8:22; 9:9; 16:24, 19:21), isso não foi substituído nem melhorado, pois é a obrigação mais básica de um crente.
Paulo expressou esta mesma verdade aos Gálatas: "Meus filhinhos, por quem sinto de novo as dores de parto até que CRISTO seja formado em vós" (Gl 4:19) e aos Coríntios: "Sede meus imitadores, como eu também sou de CRISTO "(1 Cor. 11:1). O apóstolo João ensinou que "aquele que diz que permanece nele, deve andar da mesma maneira como Ele andou" (1 João 2:6).
Quando Paulo disse aos filipenses: "Uma coisa faço" (3:13), ele reduziu a vida cristã nesse objetivo. Por exemplo, os cristãos existem para glorificar a DEUS, mas só poderão fazê-lo à medida em que eles se parecerem com JESUS CRISTO. Quando eles evangelizarem os perdidos, eles estão imitando o Senhor, que veio para "buscar e salvar os que estavam perdidos" (Lucas 19:10). Quando os crentes amadurecem espiritualmente eles "crescem na graça e no conhecimento de seu Senhor e Salvador JESUS CRISTO" (2 Pedro 3:18). Quando eles "morrerem para o pecado e vivem para a justiça" (1 Pedro 2:24) eles se tornam mais e mais parecidos com JESUS ", que não conheceu pecado" (2 Coríntios 5:21;.. Cf Hb 7:26; 1. Pedro 2:22, 1 João 3:5).
Há simultaneamente um objetivo e um recurso subjetivo, ou espiritual, para perseguir o prêmio de CRISTO. O recurso objetivo é a Palavra de DEUS. A Bíblia é a revelação de CRISTO ", no qual estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento de DEUS" (Cl 2:3). Quando Paulo escreveu que os crentes têm "a mente de CRISTO" (1 Cor. 2:16), ele estava se referindo à revelação da Escritura dada pelos apóstolos e escritores do Novo Testamento que lhes estão associados.
O poder subjetivo, ou espiritual, para se tornar mais parecido com JESUS CRISTO é a obra do ESPÍRITO SANTO. Ele usa o conhecimento de CRISTO adquirido a partir das Escrituras e as revelações sobrenaturais para mudar progressivamente os crentes à imagem de CRISTO (2 Cor. 3:18). O Novo Testamento nos mostra claramente os resultados do crescimento dos cristãos que estudaram as Escrituras e se submeteram ao ESPÍRITO SANTO.

Nesta passagem, Paulo dá três elementos práticos de buscar a semelhança de CRISTO: seguir-exemplos, fugindo dos inimigos, e centrado nas expectativas.

SEGUINDO BONS EXEMPLOS
Irmãos, sigam unidos o meu exemplo e observem os que vivem de acordo com o padrão que lhes apresentamos. (3:17)
Pela terceira vez neste capítulo Paulo carinhosamente trata dos Filipenses, como a irmãos (cf. vv.1,13). A frase juntar-se em seguir o meu exemplo literalmente lê no texto grego "ser imitadores e meus companheiros." Paulo exortou os Filipenses a imitar a maneira como ele viveu. Ele não estava se colocando em um pedestal de perfeição espiritual. Em vez disso, ele estava encorajando os filipenses a segui-lo, um pecador imperfeito, como ele perseguiu o objetivo de CRISTO. As falhas de Paulo estão registradas no Novo Testamento, bem como seus triunfos. Indignado com o tratamento abusivo nas mãos do sumo sacerdote, ele gritou: "Então Paulo lhe disse: DEUS te ferirá a ti, parede branqueada; tu estás aí sentado para julgar-me segundo a lei, e contra a lei mandas que eu seja ferido? "(Atos 23:3) - uma explosão que ele logo a seguir pediu desculpas (Atos 23:5). Por causa de sua luta com orgulho, o Senhor deu a Paulo um espinho na carne (2 Coríntios. 12:7). Três décadas depois de sua conversão, ele ainda pensava de si mesmo como o principal dos pecadores (1 Tm 1:15).
Se Paulo tivesse sido perfeito, não pderia ser um exemplo para os crentes seguirem. Precisamos seguir alguém que não é perfeito para que possamos ver como superar as nossas imperfeições, alguém que pode nos mostrar como lidar com as lutas da vida, suas decepções e seus ensaios, alguém que pode nos mostrar como lidar com o orgulho, a resistir às tentações, e resistir ao pecado. CRISTO é o  modelo e padrão perfeito para os crentes imitarem. Mas CRISTO nunca deixou de ser perfeito; Ele sempre foi perfeito. Paulo era um companheiro de viagem no caminho para a inatingível perfeição espiritual, e, portanto, um modelo para os fiéis seguirem. Ele foi modelo da virtude de moralidade, superando a carne, foi vitorioso sobre a tentação, foi modelo de adorador, de serviço a DEUS, de paciência no sofrimento, soube lidar com as posses (riquezase pobreza), e soube não se corromper diante das ofertas do mundo. Se esforçando por ser exemplo, Paulo ordenou aos filipenses para que também observassem aqueles que andassem de acordo com o padrão que eles viam nele e em seus seguidores. Skopeo (observar) é a forma verbal do substantivo traduzido como "meta" no versículo 14, e poderia ser traduzida como "fixar o olhar em." Paulo está com vigor, dizendo: "Concentre-se naqueles cuja caminhada (conduta diária) é de acordo com o padrão correto que vocês viram em mim e em meus companheiros. "Isso incluiria Timóteo e Epafrodito, a quem os filipenses conheciam, assim como os bispos e diáconos de Filipos (cf. 1:1). A palavra nós, no entanto, é mais provável como um plural literário, uma forma humilde de Paulo para se referir a si mesmo.
O exemplo de Paulo estava disponível para os Filipenses em impressão, assim como é para os crentes hoje. Mas eles também haviam observado a sua vida em primeira mão durante a sua estadia em Filipos. Os crentes têm sempre exemplos de vida piedosa necessários como padrões.
Esses exemplos são os pastores e presbíteros da igreja, que são para "serem, eles próprios, exemplos daqueles que crêem" (1 Tm 4:12). Pela humildade de se disporem para a obra de DEUS, serviço altruísta, disposição para sofrer, a devoção a CRISTO, coragem, e dedicação para o crescimento espiritual. Aqueles que ensinam e pregam a Palavra devem mais ainda serem exemplos. Isso é especialmente importante hoje, quando a correta interpretação das Escrituras tem sido irremediavelmente embaçada e, tolerado qualquer ponto de vista. Paulo exortou a Timóteo: "Procura apresentar-te diante de DEUS aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade." (2 Tm. 2:15). Mas o ensino para dar restemunho da verdade deve ser apoiado por uma vida piedosa.

FUGINDO DOS INIMIGOS
Pois, como já lhes disse repetidas vezes, e agora repito com lágrimas, há muitos que vivem como inimigos da cruz de CRISTO. Quanto a estes, o seu destino é a perdição, o seu deus é o estômago e têm orgulho do que é vergonhoso; eles só pensam nas coisas terrenas. (3:18–19).
O apóstolo advertiu que, na busca do prêmio espiritual da semelhança de CRISTO é preciso reconhecer que há muitos exemplos a serem evitados. Os inimigos dos quais Paulo advertiu não parecem ter sido abertamente hostis à fé cristã. Eram enganosos como seu mestre do mal, Satanás, que se disfarça como mensageiro de CRISTO, ou anjo de luz, e funcionário da justiça (2 Coríntios 11:13-15). Eles se tornaram parte da Igreja, possivelmente, poderiam até mesmo estarem ocupando cargos de liderança. Sua sutileza era excepcionalmente perigosa. O Novo Testamento constantemente alerta para o perigo representado por falsos mestres. No Sermão da Montanha, JESUS advertiu: "Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores" (Mateus 7:15). No Sermão do Monte Ele acrescentou: "Vede que ninguém engane vocês. Porque muitos virão em meu nome, dizendo: 'Eu sou o CRISTO', e enganarão a muitos "(Mateus 24:4-5).
Atos registra os falsos mestres Simão, o Mago (Atos 8:9-24) e Elimas (At 13:8-11), enquanto Paulo lidou com Himeneu e Alexandre, em Éfeso (1 Tm 1:20.). O apóstolo advertiu tanto Timóteo (1 Tm 1:4) quanto Tito (Tito 3:9) para evitar falsos mestres que se envolvem em mitos e genealogias. Tanto Pedro (2 Pedro) como Judas escreveram sobre o perigo dos falsos mestres. João também alertou seus leitores a terem cuidado com os falsos mestres:
"1 Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos vêm de DEUS; porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo.2 Nisto conheceis o ESPÍRITO de DEUS: todo espírito que confessa que JESUS CRISTO veio em carne é de DEUS;3 e todo espírito que não confessa a JESUS não é de DEUS; mas é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que havia de vir; e agora já está no mundo". (1 João 4:1-3). Na sua segunda epístola, ele acrescentou: "Porque já muitos enganadores saíram pelo mundo, os quais não confessam que JESUS CRISTO veio em carne. Tal é o enganador e o anticristo"(2 João 7). Infelizmente, por causa da apatia para a busca da verdade e conhecimento bíblico superficial, a igreja de hoje carece de discernimento. É surpreendente e preocupante ver as coisas que os cristãos acreditam e as pessoas que eles seguem atualmente. A falta de informações consistentes e exposição bíblica correta do púlpito em um longo prazo levou a igreja a uma falta de pensamento bíblico preciso e real discernimento. O resultado trágico é a vitimização generalizada da Igreja pelos inimigos da cruz de CRISTO. Ao contrário dos exemplos piedosos do verso 17, a caminhada (conduta diária) dos falsos mestres não é para ser imitada. Alguns vêem a frase de quem repetidas vezes vos disse como uma referência a 1:28. Mais provável, no entanto, refere-se às advertências que Paulo deu à Igreja de Filipos, quando ele estava com eles em pessoa. Ele deu um aviso semelhante aos anciãos da igreja de Éfeso: "28 Cuidai pois de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o ESPÍRITO SANTO vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de DEUS, que ele adquiriu com seu próprio sangue. 29 Eu sei que depois da minha partida entrarão no meio de vós lobos cruéis que não pouparão o rebanho, 30 e que dentre vós mesmos se levantarão homens, falando coisas perversas para atrair os discípulos após si. 31 Portanto vigiai, lembrando-vos de que por três anos não cessei noite e dia de admoestar com lágrimas a cada um de vós. (Atos 20:28-31). Paulo advertiu aos filipenses que os falsos mestres são inimigos da cruz de CRISTO. Mas fê-lo não com alegria, mas com choro. Este é o único lugar no Novo Testamento que Paulo fala de si próprio chorando. Ele era um homem sensível, apaixonado, e o sofrimento dos pecadores perdidos ou a ameaça a suas amadas congregações, muitas vezes o levaram às lágrimas (cf. Atos 20:19, 31; Rm 9:2; 2 Cor 2:4). Paulo estava de coração partido quando ele reconheceu a destruição que os falsos mestres poderiam causar à igreja de Filipos. Ele, também chorou, sem dúvida, sabendo do destino que estava reservado para os falsos mestres (cf. Rom. 9:2). A condenação dos inimigos da cruz, o seu impacto destrutivo sobre a igreja de CRISTO, e seu castigo final trouxeram a Paulo profunda tristeza.
Paulo descreveu os falsos mestres como inimigos da cruz de CRISTO. O termo "cruz" não se limita ao instrumento real de madeira para condenação à morte (1 Co 1:1718, 23; 2:2; Gl 3:1; 6:14; Ef 2:16; Col 1:20, 2:14, 1 Pedro 2:24), mas significa a morte expiatória de CRISTO em todos os seus aspectos. Os falsos mestres eram contra a salvação!
Paulo não rotulou os inimigos específicos da cruz de CRISTO que estavam incomodando os filipenses. Existem, no entanto, apenas duas opções: eram judeus ou gentios, ou ambos. Os falsos mestres judeus que se identificavam com a Igreja eram conhecidos como os judaizantes (cf. Atos 15). Eles argumentaram que o evangelho por si só era insuficiente para salvar; a circuncisão e guardar a Lei também eram necessáriaspara eles. Paulo vigorosamente os denunciou em 3:2 como "cães, ... trabalhadores do mal", e "falsa circuncisão". Embora eles pensassem de si mesmos, como ovelhas do pasto de DEUS, os judaizantes eram realmente cães sarnentos e ladrões mestiços. Seus descendentes espirituais são aqueles que continuam a igreja até hoje, fazendo a obra para a salvação, através da pregação do evangelho.
Uma vez que Paulo não identifica especificamente esses inimigos da cruz como judaizantes, eles podem ter sido gentios convertidos convertidos ao cristianianismo. Alguns gentios, falsos mestres, acreditavam na filosofia dualista predominante no pensamento grego contemporâneo. Esses hereges, precursores do perigoso gnosticismo do segundo século heresia conhecida como ensinando que o espírito era bom e a matéria era má; diziam que o corpo é feito de matéria, portanto, intrinsecamente mau. Salvação, para eles, em última análise, era a libertação do corpo. Assim, uma vez que o corpo é mal e incurável, não importa o que se faz com ele. Seus desejos, portanto, poderiam ser saciados, uma pessoa poderia ser um glutão, um bêbado, um homossexual, ou adúltero. Todas essas coisas, ensinou os hereges, eram inconseqüentes, uma vez que eles afetaram apenas o corpo, não o espírito. Esse mesmo espírito de libertinagem antinomiano vive hoje. Há aqueles na igreja contemporânea que ensinam que a fé salvadora não precisa resultar em uma vida de santidade. A morte de JESUS pagou pelos pecados dos crentes, argumentam eles, não importa como eles vivem. Alguns até mesmo ensinam que todos os que professam a fé em CRISTO são salvos, mesmo que mais tarde se tornem ateus.

Paulo deu quatro marcas dos inimigos da cruz no versículo 19.
O DESTINO QUE ELES IRAM ENFRENTAR
Quanto a estes, o seu destino é a perdição (3:19a)
Tendo rejeitado a única verdade da salvação, a cruz de CRISTO, todos os falsos mestres enfrentarão o mesmo destino. O seu fim (a palavra grega "telos" se refere aqui ao seu destino final) será a destruição eterna (castigo ou tormento), no inferno (Mt 25:46; 2 Tessalonicenses 1:9). Os judaizantes mereciam esse destino porque eles adicionaram obras humanas ao sacrifício de CRISTO na cruz. Acreditar na verdade sobre a real salvação, mas também acreditar que as obras humanas são necessárias para a salvação deve ser condenado para sempre. Os hereges gentios mereciam o seu destino, porque tiraram a cruz de CRISTO do seu poder de transformar vidas. O resultado é uma fé morta, incapaz de salvar (Tiago 2:14-26).

A DIVINDADE QUE SERVEM
o seu deus é o estômago (3:19b)
Appetite traduz koilia, que refere-se anatomicamente ao abdômen, particularmente ao estômago. Aqui ele é usado metaforicamente para se referir a todos, sem restrições quanto ao sexo, cor, raça ou crença (cf. 1 Cor 6:13).
Os falsos mestres foram condenados porque não adoraram a DEUS, mas por terem se inclinado aos seus impulsos sexuais. Poderia ser uma referência aos judaizantes que davam maior ênfase em manter as leis dietéticas judaicas. Os falsos mestres, tendo em vista que eram gentios, buscavam desenfreadamente os prazeres sensuais. Judas descreve tais pessoas como "homens ímpios, que transformam a graça de nosso DEUS em libertinagem e negam ao único Soberano e Senhor, JESUS CRISTO" (Judas 4).

A DESGRAÇA QUE ELES CARREGAM
e têm orgulho do que é vergonhoso; (3:19c)
Surpreendentemente, os falsos mestres ostentavam as mesmas coisas que eram vergonha para o legítimo evangelho. Esta é a forma mais extrema de maldade, quando a conduta mais miserável do pecador diante de DEUS é o seu ponto mais alto de auto-exaltação. Os judaizantes se vangloriavam de seu "lixo" (3:8), como o próprio Paulo havia feito antes, eles deveriam aprender a contar tudo isso como" perda por causa de CRISTO" (3:7). Os libertinos gentios também se orgulhavam de sua suposta liberdade para satisfazer seus desejos sensuais pecaminosos. Eles eram orgulhosos de suas piores perversões (cf. 1 Cor. 5:1-2).

A MOTIVAÇÃO QUE ELES TRANSMITEM
eles só pensam nas coisas terrenas. (3:19d)
Seu foco terreno oferece evidências de que os falsos mestres não foram salvos. Tiago perguntou: "Você não sabe que a amizade do mundo é inimizade contra DEUS? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de DEUS "(Tiago 4:4). "Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele" (1 João 2:15). Os judaizantes eram focados em cerimônias, festivais, festas, sacrifícios, lua nova "que são sombras das coisas vindouras; mas o corpo é de CRISTO" (Colossenses 2:17). Os libertinos eram focados nos prazeres sensuais passageiros do mundo. Os inimigos da cruz, próximos ou longe do legítimo evangelho devem ser evitados, nunca imitados.

MANTENDO NOSSAS EXPECTATIVAS
A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente um Salvador, o Senhor JESUS CRISTO. Pelo poder que o capacita a colocar todas as coisas debaixo do seu domínio, ele
transformará os nossos corpos humilhados, para serem semelhantes ao seu corpo glorioso. (3:20–21).
A motivação para ser semelhante a CRISTO é a esperança de seu retorno. Uma vez que CRISTO está no céu, aqueles que o amam devem estar preocupados com o céu, ansiando por CRISTO para voltar e levá-los para estar com Ele (1 Ts 4:17).
Paulo tinha pouco interesse nos confortos e prazeres deste mundo, como as seguintes passagens indicam: "
Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; Trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor JESUS no nosso corpo, para que a vida de JESUS se manifeste também nos nossos corpos;"  (2 Coríntios. 4:8-10). "Antes, como ministros de DEUS, tornando-nos recomendáveis em tudo; na muita paciência, nas aflições, nas necessidades, nas angústias, Nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns, Na pureza, na ciência, na longanimidade, na benignidade, no ESPÍRITO SANTO, no amor não fingido, Na palavra da verdade, no poder de DEUS, pelas armas da justiça, à direita e à esquerda, Por honra e por desonra, por infâmia e por boa fama; como enganadores, e sendo verdadeiros; Como desconhecidos, mas sendo bem conhecidos; como morrendo, e eis que vivemos; como castigados, e não mortos; Como contristados, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, e possuindo tudo." (2 Coríntios. 6:4-10). "São ministros de CRISTO? (falo como fora de mim) eu ainda mais: em trabalhos, muito mais; em açoites, mais do que eles; em prisões, muito mais; em perigo de morte, muitas vezes. Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um. Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo; Em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos; Em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez. Além das coisas exteriores, me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas. Quem enfraquece, que eu também não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu me não abrase?" (2 Coríntios. 11:23-29). Essa visão o levou a escrever e o levou à convicção de que : "Eu sou muito pressionado de ambos os sentidos, tendo desejo de partir e estar com CRISTO, por que é muito melhor" (1:23).
É consistente que os crentes tenham um foco celeste, porque a nossa pátria está nos céus. Politeuma (cidadania) aparece somente aqui no Novo Testamento, embora Paulo tenha usado o verbo relacionado em 1:27. Refere-se ao lugar onde se tem um estatuto oficial, a comunidade onde o próprio nome está gravado no registro dos cidadãos. Embora os crentes vivam neste mundo, eles são cidadãos do céu. Eles são membros do reino de CRISTO, que não é deste mundo (João 18:36). Seus nomes estão registrados no céu (Lucas 10:20;. Cf. Fl 4:3;.. Hb 12:23; Rev. 13:8; 21:27); seu Salvador está lá (Atos 1:11; 1 Ts. 4:16), os seus santos companheiros estão lá (Hb 12:23); sua herança está lá (1 Pedro 1:4); sua recompensa está lá (Mt 5:12), e seu tesouro está lá (Mt 6:20).
Embora eles ainda não vivam no céu, os crentes vivem no reino celestial (Ef 2:6); eles experimentam em algum grau a vida celeste aqui na terra. Eles têm a vida de DEUS dentro deles, estão sob o domínio do rei do céu, e vivem por causa do céu.
A referência de Paulo à cidadania pode ter sido especialmente significativa aos Filipenses, uma vez que Filipos era uma colônia romana. Os filipenses eram cidadãos romanos, embora obviamente vivendo fora de Roma, assim como os crentes são cidadãos do céu embora vivam na terra.
É do céu que aguardamos um Salvador, o Senhor JESUS CRISTO. Para os discípulos que viram a ascensão de CRISTO ao céu e que ouviram dos anjos: "Homens da Galileia, por que estais olhando para o céu? Esse JESUS, que foi levado de vocês para o céu, há de vir exatamente da mesma maneira como vocês O têm visto ir para o céu "(Atos 1:11). Em João 14:2-3 O próprio JESUS prometeu: "Na casa de meu Pai há muitas moradas, se assim não fosse, eu vos não teria dito, pois vou preparar-vos lugar. Quando eu for e preparar um lugar para vocês, eu voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde eu estiver, estejais vós também." Por causa dessas promessas, os crentes devem estar "aguardando a revelação de nosso Senhor JESUS CRISTO" (1 Cor. 1:7), e "para esperar o seu Filho do céu, a quem ele ressuscitou dentre os mortos, que é JESUS, que nos livra da ira vindoura "(1 Ts. 1:10). Até Ele voltar, os crentes "
...também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo." (Rom. 8:23b).
A esperança do retorno de CRISTO oferece aos crentes motivação, segurança e responsabilidade. Nessa promessa há ótima motivação para quem for encontrado fiel quando Ele voltar para recompensar os crentes, para que cada um preste contas a DEUS de suas obras:
E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha,(1 Coríntios 3:12). Há uma realidade negativa correspondente, como João escreveu: "Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que temos ganho, antes recebamos o inteiro galardão." (2 João 8). Finalmente, a promessa do retorno de CRISTO oferece segurança, já que JESUS prometeu: "E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia. Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia."(João 6:39-40).
Os crentes não devem esperar pela volta de CRISTO com atitudes de resignação passiva ou desinteresse entediado. Em vez disso, eles devem estar aguardando o Salvador, o Senhor JESUS CRISTO. Os crentes não estão esperando por um evento, mas uma Pessoa. Apekdechomai (aguardamos) é freqüentemente usada para falar de esperar pela segunda vinda de CRISTO (por exemplo, Rm 8:19, 23, 25; Gal 5:5; 1 Coríntios 1:7; Hb 9:28). Apekdechomai (aguardamos) descreve não só ansiedade, mas também paciência.
Como mencionado acima, o retorno de CRISTO marca o fim da perseguição dos crentes que estão lutando pelo prêmio da perfeição dos santos, porque é então que Ele transformará o nosso corpo de humilhação, para ser conforme Seu corpo da glória. É então que a redenção aguardada do corpo terá lugar (Rm 8:23). É "quando ele aparecer que nós seremos semelhantes a Ele, porque nós vamos vê-Lo como Ele é" (1 João 3:2). Até então, a nova criatura (2 Coríntios 5:17) está presa na humanidade não redimida ("o corpo desta morte", Rm 7:24) a partir do qual deseja ser libertada.
Para os crentes que morrerem antes do retorno de CRISTO, a morte significa a separação temporária do espírito do corpo. O corpo vai para a sepultura, enquanto o espírito vai imediatamente para o paraíso de DEUS (1:21, 23; 2 Coríntios 5:6, 8). O paraíso é atualmente ocupado pelos "os espíritos dos justos aperfeiçoados" (Hebreus 12:23). Os crentes que vivem desde o Pentecostes até o Arrebatamento terão seus espíritos ajuntados a seus corpos ressurretos no arrebatamento (1 Ts. 4:15-17). Os crentes do Antigo Testamento e os salvos durante a Grande Tribulação receberão seus corpos ressurretos na segunda vinda de CRISTO (Dan. 12:2; Rev. 20:4).
CRISTO vai transformar totalmente os corpos de todos os crentes, cada grupo a seu tempo determinado (cf. 1 Co 15:22-23), para torná-los aptos para o céu. Os corpos dos crentes terão um esquema novo, eles vão ser refeitos e redesenhados de terrenos para celestiais. CRISTO vai mudar o atual corpo de nossa humilhação, para ser conforme ao corpo da Sua glória. Como o corpo da ressurreição de CRISTO, os corpos dos crentes ressuscitados serão reconhecíveis. Eles serão capazes de comer, falar e andar, mas não terá as restrições físicas de nossos corpos atuais. Após sua ressurreição, CRISTO apareceu e desapareceu à vontade, até mesmo entrando em uma sala com as portas trancadas (João 20:19). Paulo dá a descrição mais detalhada dos corpos dos crentes da ressurreição em 1 Coríntios 15:35-49: "
Mas alguém dirá: Como ressuscitarão os mortos? E com que corpo virão? Insensato! o que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer. E, quando semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como de trigo, ou de outra qualquer semente. Mas DEUS dá-lhe o corpo como quer, e a cada semente o seu próprio corpo. Nem toda a carne é uma mesma carne, mas uma é a carne dos homens, e outra a carne dos animais, e outra a dos peixes e outra a das aves. E há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes e outra a dos terrestres. Uma é a glória do sol, e outra a glória da lua, e outra a glória das estrelas; porque uma estrela difere em glória de outra estrela. Assim também a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção. Semeia-se em ignomínia, ressuscitará em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscitará com vigor. Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual. Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante. Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual. O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu. Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial.
A combinação de um espírito redimido e um corpo glorificado permitirá que todos os crentes manifestem a glória de DEUS perfeitamente. O pecado, fraqueza, tristeza, dor, decepção, sofrimento, dúvida, tentação, medo, ódio e fracasso dará lugar a alegria perfeita (Mateus 25:21), prazer (Sl 16:11), conhecimento (1 Coríntios. 13:12), conforto (Lucas 16:25), e do amor (1 Coríntios. 13:13).
A salvação envolve muito mais do que mera libertação do inferno. O objetivo final de DEUS para no resgate dos crentes é transformar seus corpos em conformidade com o corpo de Sua glória. Eles vão "tornar-se conformados (summorphos); a mesma palavra traduzida como " conforme v. 21] a imagem de Seu Filho" (Rm 8:29;. Cf 1 Jo 3:2). "Assim como trouxemos a imagem do terreno, vamos trazer também a imagem do celestial" (1 Co 15:49). Seus corpos transformados permitirá aos crentes, finalmente, serem a criação perfeita pretendida por DEUS para que elas tenham a alegria da comunhão perfeita com Ele para sempre. Descrevendo o céu, João escreveu: "Eu ouvi uma voz vinda do trono, dizendo: 'Eis aqui o tabernáculo de DEUS com os homens, e Ele irá habitar no meio deles, e eles serão o seu povo, e o mesmo DEUS estará entre eles "(Ap 21:03; cf João 14:1-3; 1 Tessalonicenses 4:17).
Esses corpos também irão permitir que os crentes vejam DEUS. Nas bem-aventuranças JESUS disse: "Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a DEUS" (Mateus 5:8), enquanto que João escreveu que no céu "
E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; e nela estará o trono de DEUS e do Cordeiro, e os seus servos o servirão. E verão o seu rosto, e nas suas testas estará o seu nome." (Ap 22:3-4). Os corpos dos crentes na ressurreição também serão perfeitamente adequados para o serviço eterno que DEUS a eles irá dar (cf. Ap 7:15). Para não alimentar qualquer dúvida sobre CRISTO transformar os corpos dos crentes, Paulo diz que Ele irá realizá-lo pelo poder que Ele tem de sujeitar todas as coisas a si mesmo. Hupotasso (sujeito) significa "organizar por ordem de classificação", ou CRISTO tem o poder de governar o reino milenar (Ap 12:5, 19:15; cf Is 9:6; 32 "para gerenciar"...: 1; Zc 14:9).. Pelo Seu poder CRISTO também vai transformar a topografia da terra (Zacarias 14:4-8) e o reino natural (Is. 11:6-9). O ponto de Paulo é que, se CRISTO pode sujeitar o universo inteiro ao Seu controle soberano (cf. 1 Cor. 15:24-27), Ele tem o poder de transformar os corpos dos crentes à Sua imagem.
À medida que a corrida espiritual prossegue(Hb 12:1), os crentes devem olhar para exemplos piedosos de inspiração e instrução. Eles também devem olhar para esses inimigos da verdade que os levaria ao erro. Finalmente, devem concentrar-se na gloriosa esperança que é deles com o retorno de CRISTO, a transformação de seus corpos em conformidade com a Sua. Então, serão totalmente regenerados, em alma e corpo, que será adequado para a alegria santa e glória eterna.
 
INTERAÇÃO
No capítulo três da Carta aos Filipenses, Paulo faz uma severa advertência contra os judaizantes, denominados pelo apóstolo de "inimigos da cruz de CRISTO". Estes apregoavam o legalismo, a lei e os códigos de conduta, porém não conheciam a cruz de CRISTO. Todavia, Paulo chama a atenção não somente a respeito dos judaizantes, mas também quanto os irmãos que não viviam de acordo com o modelo de serviço e sacrifício de CRISTO. Paulo pede aos filipenses que lutem contra estes inimigos a fim de que não venham sucumbir na fé. Esta advertência de Paulo deve ser levada a sério pela igreja na atualidade, pois atualmente também muitos são os inimigos da cruz de CRISTO.

OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Conscientizar-se a respeito da necessidade de se manter firme em CRISTO.
Saber quais são os inimigos da cruz de CRISTO
Aprender a respeito do futuro glorioso daqueles que amam a cruz de CRISTO.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor, para a apresentação do tópico II da lição sugerimos que o quadro abaixo seja reproduzido de acordo com as suas possibilidades. Divida a turma em grupos e distribua cópias e canetas. Em seguida faça as seguintes indagações: "Quem são os inimigos da cruz de CRISTO?" "Como combater estes inimigos?" Ouça a todos com atenção e em seguida peça que em grupo preencham o quadro. Reúna novamente os grupos. Solicite que mostrem o quadro completo e discuta com os alunos as respostas. Conclua enfatizando que para identificarmos e combatermos os inimigos da cruz de CRISTO precisamos conhecer a Palavra de DEUS e perseverar na doutrina dos apóstolos
 

RESUMO DA
LIÇÃO 9 - CONFRONTANDO OS INIMIGOS DA CRUZ DE CRISTO

I. EXORTAÇÃO À FIRMEZA EM CRISTO (3.17)
1. Imitando o exemplo de Paulo (v.17a).
2. O exemplo de outros obreiros fiéis (v.17b).
3. Tendo outro estilo de vida.
II. OS INIMIGOS DA CRUZ DE CRISTO (3.18,19)
1. Os inimigos da cruz (v.18).
2. "O deus deles é o ventre" (3.19).
3. "A glória deles" (3.19).
III. - O FUTURO GLORIOSO DOS QUE AMAM A CRUZ DE CRISTO (3.20,21)
1. "Mas a nossa cidade está nos céus" (Fp 3.20).
2. "Que transformará o nosso corpo abatido" (Fp 3.21).
3. Vivendo em esperança.

SINOPSE DO TÓPICO (1) - Todo crente, obreiros ou não, tem livre acesso ao trono da Graça de DEUS por CRISTO JESUS.
SINOPSE DO TÓPICO (2) - Paulo conclamou a igreja a resistir os inimigos da cruz de CRISTO, mesmo que com lágrimas. Estes inimigos tinham como objetivo principal minar a fé dos irmãos.
SINOPSE DO TÓPICO (3) - À semelhança de Paulo precisamos ter a confiança de que o futuro daqueles que amam a cruz de CRISTO será glorioso.

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I - Subsídio Teológico
"Cidadania e unidade celestial.
A visão cósmica e apocalíptica de Paulo da realidade é enfatizada pelo conceito de cidadania celestial do crente (3.20). Em Filipenses 1, esse conceito vem à tona no verbo politeuesthe ('viver como cidadão'). Seu cognato, politeuma ('nação; comunidade'), aparece no capítulo 3 de Filipenses. O termo sugere relação com polis ('Cidade-estado'), isto é, a nova comunidade de CRISTO, cuja origem é o céu. Por isso, Paulo escreve: 'Nossa nação [cidadania] está no céu' (3.20). Paulo afirma que esta cidadania existe hoje; não é apenas uma esperança futura. O termo, como tal, expressa uma orientação e uma identidade fundamentais dos crentes.
[...] Filipenses 1.27-30 apresenta o ponto de que a vida do crente deve ser digna dessa origem; ela deve ser digna de sua relação com o evangelho de CRISTO. Isso quer dizer que se deve perseguir a união, enquanto a comunidade permanece unida 'num mesmo espírito' (v. 27) no evangelho. Na verdade não é mais necessário temer os oponentes, embora o chamado para essa nova comunidade seja para crer e para sofrer. Os filipenses, ao se entregar a esse chamado, compartilhariam a mesma luta (agõna) que Paulo empreende, e, por essa razão, eles teriam comunhão com ele e demonstrariam sua união com ele e com CRISTO em humilde serviço (1.29-2.11)". (ZUCK, Roy B (Ed.). Teologia do Novo Testamento. 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. p.362).

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsídio Teológico
"Uma advertência solene (Fp 3.17-19)
Nos versos 1-4, Paulo adverte seus leitores contra um erro do lado judaico, a saber, o legalismo, que é submeter a vida à escravidão das leis de Moisés. Nos versos 17-21, adverte-os contra o perigo do lado pagão, a saber: a frouxidão moral.
'Sede meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós' (cf. 1 Co 11.1. Rm 16.17). O que deviam imitar? Nos versos 7-13, lemos que Paulo não tinha confiança no seu eu - próprio, que estava disposto a sacrificar todas as coisas por CRISTO, que reconhecia a sua própria imperfeição e que estava grandemente desejoso para avançar com o Senhor. Sua advertência é necessária, porque há aqueles que tomam uma atitude diferente. São 'inimigos da cruz de CRISTO', não por causa de qualquer hostilidade da parte deles, mas por causa das vidas que vivem. Interessam-se mais em satisfazer os seus apetites do que servir a DEUS ('o deus deles é o ventre') e jactam-se das liberdades que tomam na licenciosidade e vidas impuras (2 Pe 2.19). 'Só pensam nas coisas terrenas' - alegam estar no caminho do Céu, mas amam as coisas mundanas; 'o destino deles é a destruição'. Contraste com o verso 14" (PEARLMAN, Myer. Epístolas Paulinas: Semeando as Doutrinas Cristãs. 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1998, pp.141-42).
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
ZUCK, Roy B. Teologia do Novo Testamento. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.
RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.

SAIBA MAIS - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 55, p.40.
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 9 - CONFRONTANDO OS INIMIGOS DA CRUZ DE CRISTO
Responda conforme a revista da CPAD do 3º Trimestre de 2013 - FILIPENSES
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas verdadeiras e com "F" as falsas
 

TEXTO ÁUREO
1- Complete:
Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse e agora também digo, _____________________________, que são ________________________ da ___________________ de CRISTO" (Fp 3.18).

VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
A _______________________ de CRISTO é o ponto ________________________ da fé cristã: sem ela não pode haver ____________________________.

I. EXORTAÇÃO À FIRMEZA EM CRISTO (3.17)
3- De que maneira devemos imitar o exemplo de Paulo (v.17a)?
(    ) Paulo pediu aos filipenses para que o imitassem, pois ele era um modelo de perfeição.
(    ) Quando Paulo pediu aos filipenses para que o imitassem, não estava sendo presunçoso.
(    ) Precisamos compreender a atitude do apóstolo não como falta de modéstia, ou falsa humildade, mas imbuída de uma coragem espiritual e moral de colocar-se, em CRISTO, como referência de vida e fé para aquela igreja.
(    ) Paulo mostrou que a verdadeira humildade acata serenamente a responsabilidade de vivermos uma vida digna de ser imitada.
(    ) Que saibamos refletir sobre isso num tempo em que estamos carentes de referências ministeriais.

4- Qual o exemplo de outros obreiros fiéis (v.17b)?
(    ) Paulo estava reconhecendo o valor testemunhal de outros como ele que se espelharam nele como modelo de perfeição.
(    ) O texto da ARA tem uma tradução melhor dessa passagem: "observai os que andam segundo o modelo que tendes em nós".
(    ) Paulo estava reconhecendo o valor da influência testemunhal de outros cristãos, entre os quais Timóteo e Epafrodito, que eram referências para as suas comunidades.
(    ) O apóstolo chama a atenção dos cristãos filipenses para observarem os fiéis e aprenderem uns com os outros objetivando a não se desviarem da fé.

5- Quem deve ter outro estilo de vida?
(    ) Somente obreiros têm livre acesso a CRISTO JESUS para serem usados em milagres.
(    ) Muitas vezes somos forçados a acreditar que somente os obreiros devem ter um estilo de vida separado exclusivamente a DEUS.
(    ) Essa dualidade entre "clero" e "leigos" remonta à velha prática eclesiástica estabelecida pela Igreja Romana, na Idade Média, onde uma elite (o clero) governa a igreja e esta (os leigos) se torna refém daquela.
(    ) É urgente resgatar o ideal da Reforma Protestante, ou seja, a "doutrina do sacerdócio de todos os crentes", ou "Sacerdócio Universal", reivindicada em 1 Pedro 2.9.
(    ) Todos nós, obreiros ou não, temos o livre acesso ao trono da Graça de DEUS por CRISTO JESUS.
(    ) Não tentemos costurar o véu que DEUS rasgou!

II. OS INIMIGOS DA CRUZ DE CRISTO (3.18,19)
6- Quem eram os inimigos da cruz (v.18)?
(    ) Paulo chama os filipenses de "inimigos da cruz de CRISTO".
(    ) Depois de identificar os inimigos da cruz de CRISTO, Paulo mostra que o ministério pastoral é regado com muitas lágrimas.
(    ) A maior luta do apóstolo era com as heresias dos falsos cristãos judeus.
(    ) Paulo chama os judaizantes de "inimigos da cruz de CRISTO".
(    ) O apóstolo conclamou a igreja a resistir tais inimigos, mesmo que com lágrimas, pois eles tinham como objetivo principal minar a sua autoridade pastoral.
(    ) O apóstolo já havia enfrentado inimigos semelhantes em Corinto.
(    ) Agora, em Filipos, havia outro grupo que adotava a doutrina gnóstica.
(    ) Este grupo de falsos crentes afirmava erroneamente que a matéria é ruim.
(    ) Logo, não há nenhum problema em pecar através da "carne", pois toda e qualquer coisa que fizermos com o corpo, e através dele, não afetará a nossa alma.
(    ) Essa idéia herética e diabólica é energicamente refutada pela Palavra de DEUS.

7- "O deus deles é o ventre" (3.19). O que significa "ventre" e onde Paulo derruba por terra esse equivocado pensamento?
(    ) O termo "ventre" aqui representa o estômago dos glutões.
(    ) O termo "ventre" aqui é figurado e representa os "apetites" carnais e sensuais.
(    ) Os inimigos da cruz viviam para satisfazer os prazeres da carne - glutonaria, bebedice, imoralidade sexual, etc. - satisfazendo todos os desejos lascivos, pois acreditavam que tais atitudes "meramente carnais" não afetariam a alma nem o espírito.
(    ) Porém, o ensino de Paulo aos gálatas derruba por terra esse equivocado pensamento.

8- Paulo sabia que aqueles falsos crentes não tinham qualquer escrúpulo nem vergonha. Qual a "glória" futura deles?
(    ) Ocuparão tronos durante o milênio.
(    ) Entregavam-se às degradações morais sem o menor pudor e, mesmo assim, queriam estar na igreja como se nada tivessem feito de errado.
(    ) O apóstolo os trata como inimigos da cruz de CRISTO, porque as atitudes deles invalidavam a obra expiatória do Senhor.
(    ) A declaração paulina é enfática acerca daqueles que negam a eficácia da cruz de CRISTO: a perdição eterna.
(    ) O castigo dos ímpios será inevitável e eterno.
(    ) Um dia, eles ressuscitarão para se apresentarem diante do Grande Trono Branco, no Juízo Final, e serão julgados e lançados na Geena (o lago de fogo), que é o estado final dos ímpios e dos demônios.

III. - O FUTURO GLORIOSO DOS QUE AMAM A CRUZ DE CRISTO (3.20,21)
9- Onde está nossa cidade, segundo Paulo?
(    ) Paulo lembra aos irmãos de Filipos que "a nossa cidade está nos céus".
(    ) Paulo lembra aos irmãos de Filipos que "a nossa cidade está no céu dos céus".
(    ) Quando o apóstolo escreveu tais palavras, ele tomou como exemplo a cidade de Filipos.
(    ) Segundo a Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal, "Filipos estava localizada na principal rota de transportes da Macedônia, uma extensão da Via Ápia, que unia a parte oriental do império à Itália".
(    ) O apóstolo faz questão de mostrar que aquilo que CRISTO tem preparado para os crentes é algo muito superior a Filipos.
(    ) O apóstolo mostra que o cidadão romano honrava a César, porém os crentes de Filipos deveriam honrar muito mais a JESUS CRISTO, o Rei da pátria celestial.
(    ) Em breve o Senhor virá sobre as nuvens do céu com poder e glória, para arrebatar a sua igreja levando-a para a cidade celeste, a Nova Jerusalém.

10- Qual o estado atual do nosso corpo e qual seu futuro?
(    ) O estado atual do nosso corpo é de vaso de honra, portanto não podemos nos sujeitar a enfermidades e à morte.
(    ) O estado atual do nosso corpo é de fraqueza, pois ainda estamos sujeitos às enfermidades e à morte.
(    ) Mas um dia receberemos um corpo glorificado e incorruptível.
 
11- O que ensinavam os gnósticos em relação ao corpo?
(    ) Os gnósticos ensinavam que o mal era inerente à alma.
(    ) Os gnósticos ensinavam que o mal era inerente ao corpo.
(    ) Diziam que só se deve servir a DEUS com o espírito.
(    ) Eles afirmavam ainda que de nada aproveita cuidar do corpo, pois este se perderá.
(    ) Erroneamente, acrescentavam que o interesse de CRISTO é salvar apenas o espírito.

12- Como a Palavra de DEUS refuta a falsa doutrina dos gnósticos?
(    ) Ainda que venhamos a sucumbir à morte, seremos um dia transformados.
(    ) Ainda que venhamos a sucumbir à morte, teremos um corpo glorioso igual ao de CRISTO glorificado.
(    ) Ainda que venhamos a sucumbir à morte, teremos um corpo glorioso semelhante ao de CRISTO glorificado.

13- Sobre Viver em esperança, complete:
Vivemos ____________________________ trabalhosos e difíceis (2 Tm 3.1-9). Quantas falsas __________________________ querem adentrar nossas igrejas. Infelizmente, não são poucos os que __________________________ na fé. Nós, contudo, à semelhança de Paulo, nutrimos uma gloriosa esperança (Rm 8.18). Haja o que houver, aconteça o que acontecer, o nosso _______________________________ estará seguro em DEUS e em sua promessa (Ap 7.17;21.4).

CONCLUSÃO
14- Complete:
Precisamos estar atentos, pois muitos são os __________________________ da cruz de CRISTO. Eles procuram introduzir, sorrateiramente, __________________________ contrárias e perniciosas à fé cristã. Muitos são os __________________________ do adversário para enganar os crentes e macular a Igreja do Senhor. Por isso, precisamos vigiar, orar e perseverar no "________________________ dos apóstolos" até a vinda de JESUS. Eis a promessa que gera a gloriosa ____________________________ em nosso coração.
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm 
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.
O Novo Dicionário da Bíblia - J.D.DOUGLAS.
Revista Ensinador Cristão - nº 55 - CPAD.
Comentário Bíblico Beacon, v.5 - CPAD.
GARNER, Paulo. Quem é quem na Bíblia Sagrada. VIDA
CHAMPLIN, R.N. O Novo e o Antigo Testamento Interpretado versículo por Versículo. 
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD
AS GRANDES DEFESAS DO CRISTIANISMO - CPAD - Jéfferson Magno Costa
O NOVO DICIONÁRIO DA BÍBLIA – Edições Vida Nova – J. D. Douglas
Comentário Bíblico Expositivo - Novo Testamento - Volume I - Warren W . Wiersbe
Dicionário Bíblico Wycliffe - Charles F. Pfeiffer, Howard F. Vos, João Rea - CPAD.
Dicionário Vine antigo e novo testamentos - CPAD.
25 Maneiras de Valorizar as Pessoas - Autores: João C. Maxwell & Les Parrott, PH. D. - Editora: SEXTANTE
Perdoando Para Viver - Autor: Wilson de Souza- Editora: MK Editora
Filipenses - A Humildade de CRISTO Como Exemplo Para a Igreja - Elienai Cabral - Livro tema do trimestre
Filipenses - Introdução e comentário - Ralph P. Martin - Série Cultura Bíblica - Editora Vida
Filipenses_Hendriksen (1)
João Macarthur - Comentáio Filipenses - http://www.editoraculturacrista.com.br
Novo Comentário Bíblico Contemporâneo - Filipenses - F. F. Bruce - Série Cultura Bíblica - SOCIEDADE RELIGIOSA EDIÇÕES VIDA NOVA - São Paulo - SP - 12ª edição 2002
http://www.gospelbook.net
www.ebdweb.com.br
http://www.escoladominical.net
http://www.portalebd.org.br/
Epistolas paulinas - http://pt.scribd.com/doc/146430796/E-P-Myer-Pearlman
 

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

LIÇÃO 8 – A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE



LIÇÃO 8 – A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE
LIÇÕES BÍBLICAS - 3º Trimestre de 2013 - CPAD - Para jovens e adultos
Tema: Filipenses - A Humildade de CRISTO como exemplos para a Igreja.
Comentário: Pr. Elienai Cabral
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
COM QUESTIONÁRIO 
NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  
 
 
TEXTO ÁUREO - "Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de DEUS em CRISTO JESUS" (Fp 3.14)
 

VERDADE PRÁTICA - A maior aspiração do crente deve ser a conquista do prêmio da soberana vocação em CRISTO JESUS.
 

LEITURA DIÁRIA
Segunda - Fp 3.12-14 - Prosseguindo para o alvo  Terça - Fp 3.17 - Um exemplo a ser seguido
Quarta - Os 6.1-6 - Prossigamos em conhecer ao Senhor   Quinta - Mt 5.48 - Sejamos perfeitos
Sexta - Jo 17.17 - A Palavra de DEUS leva à maturidade  Sábado - 1 Co 9.24-26 - O prêmio do verdadeiro crente

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Filipenses 3.12-17
12 Não que já a tenha alcançado ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por CRISTO JESUS. 13 Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim, 14 prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de DEUS em CRISTO JESUS.
15 Pelo que todos quantos já somos perfeitos sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa doutra maneira, também DEUS vo-lo revelará. 16 Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra e sintamos o mesmo. 17 Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam.
 
3.13 UMA COISA FAÇO. Paulo se acha qual um atleta numa corrida (cf. Hb 12.1 nota), esforçando-se e correndo o máximo, totalmente concentrado no que faz, a fim de não ficar aquém do alvo que CRISTO estabeleceu para a sua vida. Esse alvo era a perfeita união entre Paulo e CRISTO (vv. 8-10), sua salvação final e sua ressurreição dentre os mortos (v. 11).
(1) Era essa a motivação da vida de Paulo. Recebera um vislumbre da glória do céu (2 Co 12.4) e resolvera que sua vida inteira, pela graça de DEUS, estaria voltada para a resolução de avançar com toda determinação e finalmente chegar ao céu e ver CRISTO face a face (cf. 2 Tm 4.8; Ap 2.10; 22.4).
(2) Semelhante determinação é necessária a todos nós. No decurso da nossa vida, há todos os tipos de distrações e tentações, tais como os cuidados deste mundo, as riquezas e os desejos ímpios, que ameaçam sufocar nossa dedicação ao Senhor (cf. Mc 4.19; Lc 8.14).
Necessário é esquecer-se das "coisas que atrás ficam", i.e., o mundo iníquo e nossa velha vida de pecado (cf. Gn 19.17,26; Lc 17.32), e avançar para as coisas que estão adiante, a salvação completa e final em CRISTO.
 
Alcançando o Prêmio
Os pré-requisitos (Filipenses 3:12-16)
- MacArthur, J. (2001). Philippians (309). Chicago: Moody Press.

Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por CRISTO JESUS. Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de DEUS em CRISTO JESUS. Todos nós que alcançamos a maturidade devemos ver as coisas dessa forma, e se em algum aspecto vocês pensam de modo diferente, isso também DEUS lhes esclarecerá.
Tão-somente vivamos de acordo com o que já alcançamos.. (3:12–16)
A julgar pelo uso freqüente de metáforas esportivas em seus escritos, o apóstolo Paulo deve ter sido um fã de esportes. Falando de seu desejo de ser eficaz em sua vida cristã, Paulo escreveu: "Eu combato de tal forma, não como batendo no ar" (1 Cor. 9:26 b). Ele descreveu a vida cristã aos Efésios como uma luta "[um combate de MMA ou de BOXE] ... não é contra carne e sangue, mas contra os principados, contra as potestades, contra as forças deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais da maldade nas regiões celestes "(Efésios 6:12). No que pode ser considerado o seu epitáfio, Paulo declarou, triunfante, "Combati o bom combate" (2 Tm 4:7;... Cf 1 Tm 6:12). Em uma alusão aos Jogos Ístmicos (realizada em Corinto e em segundo em importância perdendo apenas para os Jogos Olímpicos), ele lembrou aos Coríntios: "Todos os que competem nos jogos têm auto-controle em todas as coisas e se exercitam freqüentemente. Eles o fazem para receber uma coroa corruptível, mas nós uma incorruptível "(1 Cor. 9:25). A metáfora atlética favorita de Paulo é o de uma corrida. Ele declarou aos anciãos de Éfeso: "Mas eu não considero a minha vida de qualquer forma como preciosa para mim, para que eu possa terminar minha carreira e o ministério que recebi do Senhor JESUS, para dar testemunho do evangelho da graça de DEUS "(Atos 20:24). Para os romanos, ele escreveu: "Assim, pois, não depende do que quer, ou do homem que corre, mas de DEUS que tenha misericórdia" (Rm 9:16). Lembrando aos Coríntios dos atletas dedicados que competiram nos Jogos Ístmicos, o apóstolo escreveu: "Não sabeis que aqueles que correm no estádio, todos correm, mas só um ganha o prêmio? Correi de tal maneira que você possa ganhar .... Por isso eu corro de tal forma, não como sem objetivo "(1 Cor. 9:24, 26). Em Gálatas 2:2 Paulo expressou seu "medo de que [ele] pudesse ser executado, ou tivesse corrido em vão", enquanto em Gálatas 5:7, lamentou aos Gálatas: "Vocês estavam correndo bem, quem vos impediu de obedecer a verdade? "No fim de sua vida, Paulo poderia declarar:" Eu terminei a carreira (ou corrida), eu guardei a fé "(2 Tm. 4:7). A metáfora da vida cristã é como uma corrida, "Eu prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de DEUS em CRISTO JESUS", que é o tema de Filipenses 3:12-21. A passagem revela o interesse apaixonado de Paulo pelo crescimento espiritual.
A passagem anterior (3:4-11) descreveu a transformação de Paulo quando ele encontrou CRISTO ressuscitado no caminho de Damasco e compreendeu o evangelho. Nessa passagem, poderosa e comovente, o apóstolo recitou suas impressionantes credenciais religiosas. Então, dramaticamente, ele declarou que, em comparação com o valor excelente do conhecimento de JESUS CRISTO, com suas outras realizações elas eram apenas lixo. Paulo queria trocar seus inúteis realizações humanas pelo conhecimento, poder, justiça, fraternidade, e a glória do Senhor JESUS CRISTO.
Alguns em Filipos poderiam imaginar erroneamente que, tendo ganhado tantos benefícios maravilhosos, Paulo havia atingido a perfeição espiritual. Os judaizantes também poderiam ter ensinado aos Filipenses que a perfeição espiritual deles era possível por que eles eram circuncidados e guardavam a lei. Havia também os hereges (precursores dos gnósticos do século II), que ensinavam que a perfeição espiritual aguardava aqueles que atingiram um certo nível de conhecimento. Para combater essas idéias falsas, Paulo rapidamente acrescenta essa passagem, que é uma declaração forte de perfeição espiritual. Embora fosse uma nova criatura (2 Coríntios 5:17.), Com um novo coração (Ez 36:26), uma nova disposição que ansiava pela santidade desejada (Rom 7:22, 2 Coríntios 4:16; Ef. 3:16), foi unido com CRISTO (Gl 2:20), possuía uma mente renovada (Rm 12:2;. Ef 4:23), tinha a mente de CRISTO (1 Co 2:16), tinha bom testemunho diante de DEUS (Rm 8:1), havia sido justificado (Rm 5:1), havia sido perdoado (Efésios 1:7), teve a justiça de CRISTO imputada a ele (2 Coríntios. 5:21), e foi habitado pelo ESPÍRITO SANTO (Rm 8:9,11, 1 Coríntios 3:16; 2 Tm 1:14), Paulo não era perfeito. Ele ainda estava sujeito à tentação, ainda possuía sua carne não redimida, e ainda era um pecador (cf. Rm 7:14-25; 1 Tim 1:15). Longe de ter obtido a perfeição, ele estava perseguindo-a com toda a força. Como Pedro, Paulo compreendeu que a vida cristã é um processo de crescimento ao longo da vida - "crescer [ndo] na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador JESUS CRISTO" (2 Pedro 3:18;. Cf 1 Pedro 2:1-2).
Esta passagem é um golpe devastador para a falsa doutrina do perfeccionismo que ainda prevalece em algumas denominações e igrejas.
Perfeccionismo é o ensinamento que os crentes podem chegar a um lugar de perfeição espiritual e moral nesta vida. Os perfeccionistas ensinam que em uma segunda obra da graça, os crentes podem instantaneamente viverem sem pecado. Alguns vão mesmo ao ponto de ensinar a erradicação da natureza pecaminosa. Mas o apóstolo Paulo, sem dúvida, o mais empenhado, dedicado, cristão espiritualmente maduro que já viveu, confessou que ele falhou em alcançar a perfeição espiritual apesar de seus trinta anos de conversão. Esta confissão era uma evidência clara de sua verdadeira e madura espiritualidade. Quem, então, poderia fazer uma reivindicação legítima de ter feito isso? Para manter a ficção de que eles tenham alcançado a perfeição sem pecado, os perfeccionistas são forçados a fazer uma distinção bíblica entre o pecado intencional e "erros." Mas a Escritura ensina que qualquer violação da lei de DEUS, qualquer que seja a intenção é pecado. Nenhum cristão nunca vai se tornar perfeito nesta vida, pois ele espera a redenção do corpo (Romanos 8:23).
A perfeição nesta vida será sempre uma meta, nunca uma conquista. Se dissermos que não pecamos, fazemos de DEUS um mentiroso, porque Ele diz o que fazemos (1 João 1:7-9).
Alguns podem questionar por que eles deveriam se preocupar em buscar o crescimento espiritual. Afinal, os crentes têm a promessa de "uma herança que é imperecível e imaculada que não vai desaparecer, reservada nos céus para [eles]" (1 Pedro 1:4). Mas essa questão é um ponto discutível. Filhos espirituais, como as crianças humanas, não podem deixar de crescer (cf. 1 Pedro 2:1-2), pois eles têm um desejo interno e tendência natural para o crescimento. Além disso, existem várias razões para que os cristãos devam crescer espiritualmente.
Primeiro, isto glorifica a DEUS. Em segundo lugar, fornece evidências de que sua salvação é genuína. Em terceiro lugar, adorna e é um testemunho visível de DEUS aos outros (cf. Tito 2:10). Em quarto lugar, ele traz a certeza da salvação. Em quinto lugar, ele preserva os crentes da tristeza e do sofrimento associado com imaturidade espiritual. Sexta, protege a causa de CRISTO de reprovação. Sétimo, que produz alegria na vida dos crentes. Em oitavo lugar, os prepara para exercer o ministério de auxiliar os outros no corpo de CRISTO. Finalmente, realça o seu testemunho ao mundo perdido. Na passagem seguinte (3:17-21), Paulo dá instruções específicas sobre como buscar o prêmio de perfeição espiritual, que é CRISTO. Mais tarde, em sua epístola, Paulo lembrou aos Filipenses que "a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos um Salvador, o Senhor JESUS CRISTO, que transformará o corpo da nossa humilhação, para ser conforme ao corpo da Sua glória, pelo exercício do poder que Ele tem de sujeitar todas as coisas a si mesmo "(Filipenses 3:20-21). O apóstolo João ecoou esse pensamento: "Amados, agora somos filhos de DEUS, e o que seremos, ainda isso não foi manifesto. Sabemos que quando ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele, porque nós vamos vê-Lo como Ele é "(1 João 3:2). 
Semelhança de CRISTO é o prêmio que deve ser perseguido, apesar de que o prêmio não será alcançado deste lado do céu. Antes de Paulo escrever sobre a perseguição, ele primeiro estabelece seis pré-requisitos necessários para a efetiva luta pelo prêmio de CRISTO. O esforço exige do crente uma consciência própria, um esforço máximo, uma concentração focada, uma motivação adequada, um reconhecimento adequado, e uma conformidade adequada.

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO É PRECISO TER UMA CONSCIÊNCIA JUSTA
Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado (3:12a)
Os crentes estão agora, em CRISTO e o desfrutar do céu eternamente é propósito da graça de DEUS para todos (cf. 1 Pedro 1:4). Essa realidade espiritual e esta promessa não podem ser melhoradas, mas a virtude dos crentes na vida presente pode e deve ser. Sabendo que não somos agora o que deveríamos ser, e aquilo que um dia seremos na glória, não deve produzir a apatia e a indolência, mas um zelo que se move na direção do prêmio. Isso é obra do ESPÍRITO em nós (2 Coríntios. 3:18) e o anseio da alma regenerada. A consciência da necessidade de melhorar a condição espiritual de uma pessoa é um pré-requisito necessário à prossecução (ato de
prosseguir) do prêmio de perfeição espiritual. Paulo tinha essa consciência, e expressou isso em duas palavras que começam o versículo 12. Ele ainda não tinha obtido (a partir de lambano; "para receber", "adquirir", ou "atingir") o prêmio que perseguia, ele ainda não tinha se tornado perfeito (de teleioo; "para atingir a perfeição", "alcançar um objetivo", ou "realizar"). A palavra repetida duas vezes já indica que Paulo era ainda imperfeito, quando ele escreveu esta epístola. Apesar de possuir a rica bênção de estar em CRISTO, o apóstolo sabia que ele não era perfeito. Seu conhecimento de CRISTO ainda estava incompleto (1 Cor 13:12). A justiça de CRISTO tinha sido imputada a ele (2 Coríntios 5:21), mas ele ainda precisava "limpar [-se] de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de DEUS" (2 Coríntios 7:1) . Paulo tinha o poder de CRISTO para trabalhar na obra de DEUS (1 Coríntios 15:10; Col. 1:29), mas este poder ainda funcionava e crescia somente em sua fraqueza (2 Coríntios 12:9). A rica comunhão com CRISTO que ele experimentou também era imperfeita, ele ainda não sabia como orar como deveria, e dependia do ESPÍRITO SANTO para interceder por ele (Rm 8:26-27). Enquanto seu corpo era o templo do ESPÍRITO SANTO que habitava gloriosamente nele (1 Coríntios. 6:19), Paulo ansiava pelo dia em que CRISTO "transformaria o corpo de sua humilhação, para ser conforme ao corpo da sua glória" (Filipenses 3:21). Obviamente, Paulo perseguia o prêmio da perfeição espiritual e se sentia insatisfeito com a sua atual condição espiritual. Aqueles que pensam que têm atingido a perfeição espiritual, não percebem a necessidade de buscar uma condição melhor. Por que eles deveriam perseguir algo que eles acreditam que já tem? Tais pessoas complacentes, satisfeitos estão em grave perigo de tornarem-se insensíveis a seu pecado e cegos para as suas fraquezas. Somente aqueles que são conscientes da sua miserável condição espiritual vêm a CRISTO para a salvação (Mt 5:6). E somente aqueles que continuam a reconhecer a necessidade de eliminar o pecado e cultivar a santidade que vão progredir na vida cristã. Essa busca pelo poder santificador do ESPÍRITO produz uma freqüente luta contra o pecado e uma busca cada vez maior pela santidade, o que torna cada vez mais odioso o pecado. O verdadeiramente maduro e piedoso crente tem a consciência mais sensível de seus pecados, e é humilde diante de DEUS por causa disso.

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO É PRECISO FAZER O MÁXIMO ESFORÇO
mas vou prosseguindo, para ver se poderei alcançar aquilo para o que fui também alcançado por CRISTO JESUS. (3:12b)
Os verdadeiros crentes não conseguirão o prêmio de perfeição espiritual até que eles reconheçam a necessidade de melhorar a sua condição, pois a consciência dessa necessidade não é suficiente, deve haver também uma busca diligente por parte de cada um. Prossigo "para executar", isso fala de um esforço agressivo, enérgico. Paulo perseguiu o prêmio espiritual com toda sua força, forçando cada músculo espiritual enquanto corria para vencer (1 Cor 9:24). O "deixar que DEUS faça" é uma mentalidade estranha para Paulo. Ele era totalmente dedicado ao esforço para alcançar sua vida em DEUS (2 Co 12:9;. Col 1:29). Ele também descreveu a vida cristã como "trabalho e esforço" (Col 1:29), e "luta pelo bem da fé" (1 Tm 6:12; Cf 2 Tm 4:7). Ele ensinou que "através de muitas tribulações nos importa entrar no reino de DEUS" (Atos 14:22), e reiterado a inevitabilidade do sofrimento na vida cristã (por exemplo, Rm 8:17; 1 Tessalonicenses 3:4; 2 . Tim 1:8; 3:12). A frase um tanto enigmática "para que eu possa lançar mão do que para o que também fui conquistado por CRISTO JESUS" declara o objetivo de árduos esforços de Paulo. O verbo traduzido "eu possa lançar mão de; fui conquistado" poderia ser traduzido como "para ultrapassar", "aproveitar", ou "pegar" Paulo estava correndo espiritualmente para pegar a coisa pela qual CRISTO JESUS veio depois dele. Em outras palavras, o objetivo de Paulo na vida era consistente com o objetivo de CRISTO em salvá-lo. Qual era o objetivo de CRISTO para salvar Paulo? O apóstolo afirmou em Romanos 8:29: "Porque os que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de Seu Filho, para que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos." DEUS escolheu Paulo para fazê-lo parecido com JESUS CRISTO em sua dedicação às almas. Esse propósito para o qual DEUS nos salvou também é o propósito para o qual vivemos. "Foi por isso que Ele te chamou pelo nosso evangelho", escreveu Paulo aos Tessalonicenses ", para que possa ganhar a glória de nosso Senhor JESUS CRISTO" (2 Ts 2:14). A vida cristã é uma perseguição ao alvo, CRISTO. A meta do Senhor era preparar e treinar Paulo para atingir esse objetivo.

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO É PRECISO TER FOCO
Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, (3:13). Um esforço máximo sem concentração focada é inútil. Todo atleta sabe que os corredores em uma corrida devem fixar os olhos na frente deles, aqueles que observam a multidão ou seus próprios pés tendem a tropeçar e cair. Para fazer um esforço máximo em qualquer esforço atlético requer que os participantes se concentrar em um ponto a frente.
Paulo se dirige aos Filipenses como gentis e afetuosos irmãos íntimos, com o objetivo de mover seus corações para longe dos judaizantes e em direção a ele. Pela terceira vez nesta passagem, Paulo acrescenta o aviso de que não havia alcançado sua meta ainda. A intenção do apóstolo é polêmica. Ele está dirigindo o seu argumento para aqueles que estavam ensinando o erro, e ele quer fazer que a verdade apareça. Apesar das reivindicações dos falsos professores sobre a perfeição nesta vida, pelo contrário essa vida espiritual perfeita não é possível nesta vida. Embora Paulo não tivesse alcançado a perfeição espiritual, ele perseguia a mesma e isso o motivou a persegui-la. Na verdade, ele havia colocado isso como meta de sua vida, como está expresso na frase, "mas uma coisa eu faço". "Eu" não está no texto grego, mas foi adicionado pelos tradutores, porque está implícito. No texto grego Paulo comunica a sua obstinação, uma maneira apaixonada quase abrupta. O foco do apóstolo em seu objetivo era total, o seu nível de concentração era agudo.
No atletismo em outras atividades da vida somente os focados em seus objetivos os realizam. Muitas pessoas se envolvem em muita coisa, mas não conquistam sucesso em nada. Apesar de toda a energia que gastam, realizam pouco. Tiago chamou de "vacilantes ... instáveis em todos os sentidos [deles]" (Tiago 1:8). Para evitar essa falta de foco o salmista orou: "Una meu coração ao temor do teu nome" (Sl 86:11), e Salomão aconselhou: "
Os teus olhos olhem para a frente, e as tuas pálpebras olhem direto diante de ti.
Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados!
Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal.
"(Provérbios 4:25-27). Quando os crentes têm uma compulsão de condução, para ser como CRISTO, eles vão se mover em direção à perfeição espiritual. Tal concentração possui tanto um aspecto negativo como um positivo. Negativamente, Paulo manteve seu foco, esquecendo o que ficou para trás. Um corredor que olha para trás, corre o risco de ser ultrapassado. O desempenho de um corredor em corridas passadas não garante o sucesso ou o fracasso nas corridas atuais ou futuras. O passado não é relevante, o que importa é fazer o máximo esforço no presente, de modo a sustentar o momento no futuro. Os perfeccionistas e legalistas olham para as realizações do passado para validarem seu atual status supostamente espiritual. Os judaizantes procuravam iludir os Gálatas, no passado, o que levou Paulo a escrever: "Mas agora, conhecendo a Deus, ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? "(Gal. 4:9).
Paulo fez uma ruptura com tudo em seu passado, bom e mau. Realizações religiosas, atos virtuosos, grandes sucessos do ministério, bem como pecados, oportunidades perdidas e desastres devem todos serem esquecidos. Eles não controlam o presente ou o futuro. Os crentes não podem viver de vitórias passadas, nem devem ser derrotados pela culpa dos pecados passados. Igrejas estão cheias de aleijados espirituais, paralisados pelo rancor, amargura, pecados e tragédias do passado. Outros tentam sobreviver no presente por reviver sucessos do passado. Eles devem romper com esse passado para que possam buscar o prêmio espiritual. DEUS está interessado no que os crentes fazem agora e no futuro. "Ninguém", declarou JESUS, "depois de colocar a mão no arado e olha para trás é apto para o reino de DEUS" (Lucas 9:62). A visão mais clara pertence àqueles que esquecem o passado. Positivamente, Paulo manteve seu foco, avançando para o futuro. Avançando traduz uma forma de particípio do verbo epekteino, um verbo composto de duas preposições adicionadas ao verbo ("esticar"). Ele descreve um estiramento muscular em seu limite, e imagens de um corredor forçando cada músculo para alcançar a linha de chegada. Como já mencionado, o objetivo no qual os crentes devem concentrar-se é ser como JESUS CRISTO. Foi também a meta do ministério de Paulo para "apresentar todo homem perfeito em CRISTO" (Colossenses 1:28). Ele também expressou essa meta aos Efésios:
E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. (Ef 4:11-14). Aos Gálatas escreveu que estava "em trabalho de parto até que CRISTO seja formado em vós" (Gl 4:19). Ele exortou os coríntios a "serem completos" (2 Coríntios. 13:11), ao seu colega de trabalho Epafras, orou para que os Colossenses ficassem "firmes, perfeitos e plenamente seguros em toda a vontade de DEUS" (Colossenses 4:12). Prosseguir para a semelhança de CRISTO aqui e agora, até que sejam feitos como Ele em glória, define o progresso da vida cristã e a meta do ministério de cada crente.

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO E PRECISO TER MOTIVAÇÃO ADEQUADA
prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de DEUS em CRISTO JESUS. (3:14)
Como observado anteriormente, este versículo é o coração da passagem. O verbo no tempo presente é traduzido por "prossigo num esforço contínuo" que Paulo denota para perseguir o "sonho impossível" e derrotar o "inimigo." O significado da raiz da preposição kata (direção) é "para baixo". Paulo expressou novamente seu foco
com um só objetivo, dizendo: "Eu sempre me esforço para superar a meta (skopos;"uma marca para fixar os olhos").
Esse prêmio foi o que o motivou a correr para vencer (1 Cor 9:24). Os crentes não receberão o prêmio (a semelhança de CRISTO, com todos os seus benefícios eternos), até a chamada (lit. "acima", denotando tanto a origem da chamada como para onde ela leva) para cima, para DEUS em CRISTO JESUS para desfrutar de sua gloriosa presença no céu. Como mencionado acima, a perfeição não é atingível nesta vida. A linha de chegada é o limiar do céu, onde as recompensas serão entregues (cf. Mt 5:12;. Lucas 6:23;. 1 Coríntios 3:12-15).
Como um corredor triunfante bombeamento seu punho no ar, como ele se aproxima da linha de chegada, Paulo declarou, no final de sua vida, "Combati o bom combate, terminei a carreira, eu guardei a fé;, no futuro, é reservada para mim a coroa da justiça que o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia "(2 Tm. 4:7-8). Apenas "no futuro" no céu que Paulo receberá "a coroa da justiça" (a justiça de CRISTO para os aperfeiçoados Nele), e somente então ele iria receber o prêmio que ele tão diligentemente havia perseguido.

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO É PRECISO TER UM CONHECIMENTO CORRETO
Todos nós que alcançamos a maturidade devemos ver as coisas dessa forma, e se em algum aspecto vocês pensam de modo diferente, isso também DEUS lhes esclarecerá. (3:15).
Paulo não estava na corrida espiritual sozinho, que inclui todos os cristãos, descritos aqui pela frase quantos são perfeitos (cf. Hb 10:14). O apóstolo não está falando de perfeição prática, que estaria em contradição com o que ele disse no início da passagem. Perfeição prática não virá até que os crentes sejam glorificados. Pelo contrário, em um jogo de palavras, ele descreve os crentes como aqueles que estão posicionalmente perfeitos porque estão em CRISTO. Uma vez que esta é uma passagem polêmica dirigida contra aqueles que ensinavam que a perfeição é inatingível nesta vida, o uso de Paulo da perfeição pode ser uma espada de dois gumes, com um tom de sarcasmo. Esses falsos mestres não eram perfeitos, na prática, e também não eram perfeitos na posição.
Todo verdadeiro cristão deve ter a mesma atitude que Paulo tinha. Phroneo (ter esta atitude) significa literalmente "a pensar assim", "estar atento a isso", ou "definir o pensamento sobre este assunto." Ela pode ser traduzida como "continuamente pensar assim." Como Paulo, os crentes devem ser totalmente focados em fazer o máximo esforço para buscar o prêmio de CRISTO.
Sabemos como CRISTO pensa, porque a Escritura nos revela seu modo de pensar (1 Cor. 2:16). Quando estudarmos a bíblia, passamos a entender os pensamentos divinos, sob o ponto de vista do Senhor, assim nossos próprios pensamentos vão moldar nosso comportamento para se tornar semelhante ao seu (cf. Col. 3:16).
Mas Paulo era um pastor experiente e sabia que nem todos os crentes iriam compartilhar a força e a implacabilidade de seu foco na busca do prêmio. Para eles, Paulo diz que, se em qualquer coisa que você tiver uma atitude diferente, DEUS irá revelar qual sua perfeita vontade. Aqueles que se recusam a ouvir a mensagem de Paulo vão ouvir a mesma mensagem de DEUS. Ele vai corrigi-los através da Sua Palavra, do Seu ESPÍRITO, ou através de correção. DEUS fará o que for preciso para fazer os crentes reconhecem sua necessidade de prosseguir em busca do prêmio de CRISTO. Ele também irá fornecer os recursos necessários para se fazer isso (2 Pedro 1:3).

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO E PRECISO TER UMA VIDA JUSTA
Tão-somente vivamos de acordo com o que já alcançamos.. (3:16)
Plen (no entanto) também poderia ser traduzida como "mais uma coisa." Ele é freqüentemente usado para expressar um pensamento final. Este último pré-requisito para a prossecução do prêmio também pode ser descrito como a consistência. Tendo desenvolvido uma consciência própria, esforço, foco, motivação e reconhecimento, os crentes devem sempre continuar a viver por esse mesmo padrão a que tenham alcançado. Stoicheo (continuar a viver) significa "alinhar", ou "a seguir na linha." Os crentes devem manter o caminho espiritual que eles têm vindo a seguir. Para usar a metáfora de uma corrida, eles devem continuar a correr na sua pista.
Quatro recursos divinamente fornecidos ajuda os crentes a sempre buscar o prêmio de CRISTO.
A primeira é a Palavra de DEUS. Pedro escreveu: "Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo;" (1 Pedro 2:2). A Segunda é a oração. Paulo orou para que o Coríntios fossem completos "ser completo" (2 Coríntios. 13:9).
Em terceiro lugar seguirem um exemplo piedoso. Paulo exortou os coríntios: "Sede meus imitadores" (1 Cor 4:16; Cf 11:1; Fp 3:17;. 1 Tessalonicenses 1:6; 2 Tessalonicenses 3:7, 9; 1 Tm. 4:12;. Hb 13:7; 1 Pedro 5:3).
Finalmente, DEUS usa o sofrimento para moldar crentes à imagem de JESUS CRISTO: "Depois de ter sofrido um pouco, o DEUS de toda graça, que vos chamou à sua eterna glória em CRISTO, Ele mesmo irá aperfeiçoar, confirmar, fortalecer e estabelecer vocês "(1 Pedro 5:10; cf Tiago 1:2-4).
Ao pé de um dos Alpes suíços existe uma lápide que foi feita para honrar um homem que caiu lá de cima para a morte ao tentar a subida. Na lápide está escrito seu nome e este epitáfio breve: "Ele morreu de escalada." O epitáfio de cada cristão deve ser que eles morreram escalando o caminho ascendente em direção ao prêmio de CRISTO.
 
Filipenses - Epístolas Paulinas - E.P. myer pearlman - <http://pt.scribd.com/doc/146430796/E-P-Myer-Pearlman> 
- Uma Advertência Solene (Fp 3.17-19)
Nos versos 1-4, Paulo adverte seus leitores contra um erro do lado judaico, a saber, o legalismo, que é submeter a vida à escravidão das leis de Moisés. Nos versos 17-21, adverte-os contra o perigo do lado pagão, a saber: a frouxidão moral. “Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós” (cf. 1 Co 11.1; Rm 16.17). O que deviam imitar? Nos versos 7-13, lemos que Paulo não tinha confiança no seu eu-próprio, que estava disposto a sacrificar todas as coisas por Cristo, que reconhecia a sua própria imperfeição e que estava grandemente desejoso para avançar rumo ao alvo - o Senhor. Sua advertência é necessária, porque há aqueles que tomam uma atitude diferente. São “inimigos da cruz de Cristo”, não por causa de qualquer hostilidade da parte deles, mas por causa das vidas que vivem. Interessam-se mais em satisfazer os seus apetites do que servir a Deus (“o deus deles é o ventre”) e jactam-se das liberdades que tomam na licenciosidade e vidas impuras (2 Pe 2.19). “Só pensam nas coisas terrenas” - alegam estar no caminho do Céu, mas amam as coisas mundanas; “o destino deles é a destruição”. Contraste com o verso 14.
 
- Ensinamentos Práticos
1. Perda e ganho. “Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo”. A verdadeira religião nos faz transbordar de entusiasmo, mas ao mesmo tempo a sua verdade pode suportar o exame mais severo e calmo. O Senhor disse àqueles que queriam ser discípulos que contassem o custo. Não queria que as pessoas o seguissem por algum impulso, para então deixá-lo quando o caminho se tornasse duro. Paulo nos diz que, depois da sua experiência na estrada de Damasco, calculou o custo. Fez uma lista dos seus privilégios e vantagens, e declarou o resultado desse cálculo nas seguintes palavras: “Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo”. Quando escreveu essa carta aos filipenses, já haviam se passado vinte anos de seu encontro com CRISTO. Ele ainda pensa que vale a pena ser cristão. Responde: “E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus meu Senhor”. Está ainda mais convicto de que conhecer a Cristo é a melhor coisa no Universo. Quando recebemos a Cristo, Ele valia mais do que tudo para nós, e a salvação da nossa alma valia mais do que ganhar o mundo inteiro. Ainda encaramos assim o assunto?
2. “Para conhecê-lo. Paulo fala, não do conhecimento biográfico, mas do conhecimento pessoal, baseado na experiência. Assim como alguém conhece a felicidade do amor nupcial ao experimentá-la, e a beleza da música ao ouvi-la, e o brilho do dia ao vê-lo, assim também conhecemos a Cristo ao ganhá-lo para nós. Fatos espirituais devem ser possuídos antes de serem realmente conhecidos. A salvação é realmente conhecida quando submetida à prova. O que foi dito acerca do nome misterioso (Ap 2.17) também pode ser dito acerca do Doador: “o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe”.
3. “A comunhão dos seus sofrimentos.  Sofrer para Cristo é sofrer com Cristo, e neste pensamento podemos achar forças para suportar qualquer tristeza que possa nos atacar por sermos cristãos. E, se fazemos com que os sofrimentos dEle sejam os nossos sofrimentos, Ele fará com que os nossos sofrimentos sejam os sofrimentos dEle. Quando Paulo estava perseguindo a Igreja, ficou sabendo que Cristo sofre juntamente com aqueles que sofrem por Ele (At 9.4). Não somente podemos ter a certeza da sua simpatia, mas também “se sofrermos, também com ele reinaremos” (2 Tm 2.12).
Aqueles que carregam a sua cruz terão uma coroa.
4. Avançando com o Senhor (v. 12). “Sei que o Senhor colocou a sua mão sobre mim”; essa expressão é um modo expressivo de descrever como Cristo trata com a alma na conversão.
O Senhor coloca a sua mão sobre uma pessoa para o seu propósito, mas esse propósito não pode ser realizado na vida, a não ser que a pessoa estenda a mão para segurá-lo.
O Senhor Jesus oferece a vida eterna, e a nós cabe “tomar posse da vida eterna” (1 Tm 6.12). Paulo, tendo recebido a salvação, vai prosseguindo com Ele.
Qual declaração se aplica a nós: “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” (Pv 4.18), ou: “Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus” (Hb 5.12)? Estamos cumprindo o propósito para o qual Cristo nos salvou? 
5. “Mas uma coisa faço ”. Se queremos furar um buraco, fazemos um aponta aguda. Da mesma forma, se queremos avançar na vida cristã, precisamos ter uma ponta aguda em nossas vidas, feita por meio de concentrar as nossas energias numa única tarefa suprema. A diferença entre um amador e um profissional é que o amador se dedica ao assunto como passatempo, enquanto o profissional faz do assunto o seu negócio. O cristão vitorioso é aquele que faz do Cristianismo a sua vida total. Somos amadores ou verdadeiros artistas na vida espiritual?
6. Lembre-se e esqueça-se. “Esquecendo-me das coisas que atrás ficam”. Qual deve ser a nossa atitude para com os fracassos do passado? Em primeiro lugar, vamos nos lembrar deles, a fim de evitar que pratiquemos o mesmo erro ou cometamos o mesmo pecado. Se o diabo colocou uma emboscada para nós em certo caminho, lembremo-nos do local para evitá-lo!
Por outro lado, devemos nos esquecer dos nossos fracassos no sentido de recusar-nos a deixar que a lembrança nos leve ao desânimo. Os fracassos do passado não devem paralisar os sucessos do futuro. Se somos tentados a desistir por causa de fracassos repetidos, lembremo-nos das palavras de Paulo: “Esquecendo-me das coisas que atrás ficam”.
É boa idéia esquecer-nos dos nossos sucessos e virtudes também, para evitar que fiquemos orgulhosos e cheios de confiança em nós mesmos.
7. Vivendo à altura daquilo que cremos. “Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra e sintamos o mesmo”. Assim como um trem precisa de trilhos sobre os quais avança, assim também o homem precisa de crenças específicas para dirigi-lo para o seu destino eterno. Essas crenças se acham nas Escrituras. Estão ali, no entanto, não apenas para que adquiramos conhecimento, mas a fim de que façamos a vontade de Deus. Devemos andar na luz daqueles conhecimentos que já atingimos. A melhor maneira de testar a utilidade de uma ferramenta é fazer uso dela. A melhor maneira de testar a veracidade das doutrinas das Escrituras é agir de acordo com elas. “Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina, conhecerá se ela é de Deus” (Jo 7.17). Se alguém tiver dúvidas honestas com respeito à Bíblia, mas aceitar experimentar a prática de tudo aquilo que a Bíblia recomenda, logo descobrirá que o Evangelho funciona. E aqueles que já estão no caminho cristão fariam bem se meditassem as seguintes palavras: “Viva o seu credo, e descobrirá e acreditará nele muito mais do que antes”. As verdades espirituais se nos tornam reais à medida que agimos à altura deles.

OBJETIVOS - Após a aula, o aluno deverá estar apto a:
Compreender qual era a verdadeira aspiração do apóstolo Paulo.
Analisar a maturidade espiritual dos filipenses.
Conscientizar-se a respeito da verdadeira aspiração cristã.
 
RESUMO DA LIÇÃO  8 – A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE
I. A ASPIRAÇÃO PAULINA
1. "Prossigo para o alvo".
2. O sentimento de incompletude de Paulo.
3. O engano da presunção espiritual.
II. A MATURIDADE ESPIRITUAL DOS FILIPENSES (3.15,16)
1. Somos perfeitos (3.15)?
2. O cristão deve andar conforme a maturidade alcançada (3.16).
3. Exemplo a ser imitado (3.17).
III. A ASPIRAÇÃO CRISTÃ HOJE
1. A atualidade do desejo paulino.
2. O cristão deve almejar a maturidade espiritual.
3. Rejeitando a fantasia da falsa vida cristã. 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
PEARLMAN, Myer. Epístolas Paulinas: Semeando as Doutrinas Cristãs. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1998.

SAIBA MAIS - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 55, p.40.
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO  8 – A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE
Responda conforme a revista da CPAD do 3º Trimestre de 2013 - FILIPENSES
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas verdadeiras e com "F" as falsas
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"Prossigo para o _______________________, pelo ________________________ da soberana ____________________________ de DEUS em CRISTO JESUS" (Fp 3.14)

VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
A maior ________________________________ do crente deve ser a conquista do ___________________________ da soberana _______________________________ em CRISTO JESUS.
 
COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO
3- Qual era o alvo da vida do apóstolo Paulo?
(    ) Conquistar a excelência do conhecimento de JESUS CRISTO.
(    ) Semelhante a um herói, o apóstolo se esforçava para alcançar este objetivo
(    ) Semelhante a um atleta, o apóstolo se esforçava para alcançar este objetivo

I. A ASPIRAÇÃO PAULINA
4- O que significa "Prossigo para o alvo"? Complete:
Para participar de uma ____________________________, o atleta tem de treinar muito. É preciso esforço, dedicação e trabalho para alcançar o _______________________ final. Paulo utiliza neste texto a analogia do _____________________________, a fim de mostrar aos filipenses que o crente em sua caminhada também precisa se esforçar para conhecer mais a CRISTO, deixando de lado os embaraços dessa vida e o ____________________________, mantendo o foco em JESUS. Quando o crente deixa de olhar firmemente para o "__________________________", corre o risco de tropeçar e cair, podendo até abandonar a fé. Vigiemos, pois, em todo o tempo, na __________________________________ do Senhor.

5- Como era o sentimento de incompletude de Paulo?
(    ) Paulo sabia que havia muita coisa ainda a ser conhecida.
(    ) Por isso, nunca corria sem meta.
(    ) Mesmo estando no cárcere, o apóstolo declara estar disposto a avançar para as coisas que estavam diante dele.
(    ) Paulo era um homem que confiava em DEUS.
(    ) E, assim, seguia confiante, pois no Senhor ainda teria grandes desafios em seu ministério.
(    ) Sua força estava em DEUS.
(    ) Eis porque venceu grandes lutas e foi fiel até o fim.
(    ) Para vencer, temos que igualmente olhar para frente e "nos lembrando das coisas que atrás ficam".
(    ) Para vencer, temos que igualmente olhar para frente e "esquecer das coisas que atrás ficam".

6- Como é o engano da presunção espiritual?
(    ) Paulo não se deixou enganar pela falsa idéia de ter alcançado a perfeição.
(    ) Os mestres do judaísmo afirmavam ter alcançado tal posição e, assim, reivindicavam ser iluminados e não terem mais nada a aprender ou que desenvolver.
(    ) Os mestres do gnosticismo afirmavam ter alcançado tal posição e, assim, reivindicavam ser iluminados e não terem mais nada a aprender ou que desenvolver.
(    ) Paulo, contudo, refutou esse pensamento equivocado, demonstrando que a conquista da perfeição será para aquele que terminar a carreira e ganhar a vida eterna, pois o prêmio está no final da jornada e não em seu início ou meio.

II. A MATURIDADE ESPIRITUAL DOS FILIPENSES (3.15,16)
7- O que significa a expressão: "somos perfeitos" (3.15)?
(    ) O vocábulo "perfeito", empregado por Paulo neste texto, tem um sentido especial, pois se refere à "final de carreira".
(    ) O vocábulo "perfeito", empregado por Paulo neste texto, tem um sentido especial, pois se refere à "maturidade espiritual".
(    ) Em termos de recebimento do benefício da obra perfeita de CRISTO no Calvário, todos nós já alcançamos tal "perfeição".
(    ) Neste sentido, a nossa salvação é perfeita e completa.
(    ) Comentário Bíblico Beacon diz: "perfeitos", neste versículo, apresenta-os servindo a DEUS no ESPÍRITO, isto é, não confiando na carne.

8- O que significa a expressão: "andar conforme a maturidade alcançada" (3.16)?
(    ) Não significa caminhar segundo os regulamentos da lei mosaica, tão requerida pelos judeus convertidos a CRISTO.
(    ) Significa caminhar segundo os regulamentos da lei mosaica, requerida pelos judeus e confirmada por CRISTO.
(    ) Trata-se de andar conforme a doutrina de CRISTO, segundo aquilo que já recebemos do Senhor.
(    ) Denota modo de viver, atitudes, ações, obras, e comportamentos em geral, semelhantes aos do Senhor JESUS, que o crente deve seguir.
(    ) Aprendemos com Paulo que não basta "corrermos", pois se realmente desejamos progredir em nossa vida cristã, devemos conhecer e obedecer aos preceitos da Palavra de DEUS até o Dia de JESUS CRISTO.

9- Por que Paulo é um exemplo a ser imitado (3.17)?
(    ) Paulo exortou os filipenses a que o imitassem, pois ele já havia alcançado a perfeição.
(    ) Paulo procurou em tudo imitar o Mestre, servindo apenas aos interesses da Igreja de CRISTO.
(    ) Paulo exortou os filipenses a que o imitassem assim como ele imitava ao Senhor.
(    ) Como obreiro de DEUS, Paulo tinha um caráter ilibado e os filipenses deveriam tê-lo como um exemplo a seguir.
(    ) Se quisermos servir ao Senhor com inteireza de coração, precisamos seguir os passos de JESUS - o nosso modelo de homem perfeito.

III. A ASPIRAÇÃO CRISTÃ HOJE 
10- Qual a atualidade do desejo paulino? Complete:
O propósito de Paulo em relação a si e aos filipenses deve servir-nos de _____________________________, pois as dificuldades, tentações e demais obstáculos que serviam de empecilhos à vida de __________________________________ naquela época continuam atuais e bem maiores. Mais do que nunca, devemos nos esforçar para vivermos uma vida de íntima ___________________________ com DEUS.

11- Por que o cristão deve almejar a maturidade espiritual?
(    ) Porque sem ela nunca seremos salvos.
(    ) Seguindo o exemplo de Paulo, reconheçamos que ainda precisamos alcançar a perfeição.
(    ) Sejamos sóbrios e vigilantes, reconhecendo também o quanto carecemos de maturidade espiritual e de um maior conhecimento acerca da pessoa de Nosso Senhor JESUS CRISTO.

12- Por que devemos rejeitar a fantasia da falsa vida cristã?
(    ) Paulo era um sofredor consciente, um homem que sabia o quanto é difícil ser fiel a DEUS.
(    ) Podemos viver assim nos dias atuais, sem precisa padecer as mesmas angústias.
(    ) Ele, porém, suportava tudo por causa da obra de DEUS.
(    ) Quem quiser viver assim nos dias atuais, precisa reconhecer que padecerá as mesmas angústias.
(    ) Semelhante ao apóstolo Paulo, podemos ter certeza de que receberemos o "prêmio da soberana vocação de DEUS em CRISTO JESUS".

CONCLUSÃO
13- Complete:
Toda a vida de Paulo era ______________________________ na pessoa de JESUS CRISTO. Ele tudo fazia para agradá-lo. Sua grande aspiração era conhecer mais do __________________________ da Galileia. Por isso, o apóstolo podia declarar: "Já estou crucificado com CRISTO; e vivo, não mais eu, mas _______________________________ vive em mim; e a vida que agora vivo na carne vivo-a na ___________________________ do Filho de DEUS, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim".
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm 
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.
O Novo Dicionário da Bíblia - J.D.DOUGLAS.
Revista Ensinador Cristão - nº 55 - CPAD.
Dicionário Bíblico Wycliffe - Charles F. Pfeiffer, Howard F. Vos, John Rea - CPAD.
Dicionário Vine antigo e novo testamentos - CPAD.
25 Maneiras de Valorizar as Pessoas - Autores: John C. Maxwell & Les Parrott, PH. D. - Editora: SEXTANTE
Perdoando Para Viver - Autor: Wilson de Souza- Editora: MK Editora
Filipenses - A Humildade de CRISTO Como Exemplo Para a Igreja - Elienai Cabral - Livro tema do trimestre
Filipenses - Introdução e comentário - Ralph P. Martin - Série Cultura Bíblica - Editora Vida
Filipenses_Hendriksen (1)
John Macarthur - Comentáio Filipenses - http://www.editoraculturacrista.com.br
Novo Comentário Bíblico Contemporâneo - Filipenses - F. F. Bruce - Série Cultura Bíblica - SOCIEDADE RELIGIOSA EDIÇÕES VIDA NOVA - São Paulo - SP - 12ª edição 2002
http://www.gospelbook.net
www.ebdweb.com.br
http://www.escoladominical.net
http://www.portalebd.org.br/
Epistolas paulinas - http://pt.scribd.com/doc/146430796/E-P-Myer-Pearlman