quarta-feira, 21 de agosto de 2013

LIÇÃO 8 – A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE



LIÇÃO 8 – A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE
LIÇÕES BÍBLICAS - 3º Trimestre de 2013 - CPAD - Para jovens e adultos
Tema: Filipenses - A Humildade de CRISTO como exemplos para a Igreja.
Comentário: Pr. Elienai Cabral
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
COM QUESTIONÁRIO 
NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  
 
 
TEXTO ÁUREO - "Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de DEUS em CRISTO JESUS" (Fp 3.14)
 

VERDADE PRÁTICA - A maior aspiração do crente deve ser a conquista do prêmio da soberana vocação em CRISTO JESUS.
 

LEITURA DIÁRIA
Segunda - Fp 3.12-14 - Prosseguindo para o alvo  Terça - Fp 3.17 - Um exemplo a ser seguido
Quarta - Os 6.1-6 - Prossigamos em conhecer ao Senhor   Quinta - Mt 5.48 - Sejamos perfeitos
Sexta - Jo 17.17 - A Palavra de DEUS leva à maturidade  Sábado - 1 Co 9.24-26 - O prêmio do verdadeiro crente

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Filipenses 3.12-17
12 Não que já a tenha alcançado ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por CRISTO JESUS. 13 Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim, 14 prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de DEUS em CRISTO JESUS.
15 Pelo que todos quantos já somos perfeitos sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa doutra maneira, também DEUS vo-lo revelará. 16 Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra e sintamos o mesmo. 17 Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam.
 
3.13 UMA COISA FAÇO. Paulo se acha qual um atleta numa corrida (cf. Hb 12.1 nota), esforçando-se e correndo o máximo, totalmente concentrado no que faz, a fim de não ficar aquém do alvo que CRISTO estabeleceu para a sua vida. Esse alvo era a perfeita união entre Paulo e CRISTO (vv. 8-10), sua salvação final e sua ressurreição dentre os mortos (v. 11).
(1) Era essa a motivação da vida de Paulo. Recebera um vislumbre da glória do céu (2 Co 12.4) e resolvera que sua vida inteira, pela graça de DEUS, estaria voltada para a resolução de avançar com toda determinação e finalmente chegar ao céu e ver CRISTO face a face (cf. 2 Tm 4.8; Ap 2.10; 22.4).
(2) Semelhante determinação é necessária a todos nós. No decurso da nossa vida, há todos os tipos de distrações e tentações, tais como os cuidados deste mundo, as riquezas e os desejos ímpios, que ameaçam sufocar nossa dedicação ao Senhor (cf. Mc 4.19; Lc 8.14).
Necessário é esquecer-se das "coisas que atrás ficam", i.e., o mundo iníquo e nossa velha vida de pecado (cf. Gn 19.17,26; Lc 17.32), e avançar para as coisas que estão adiante, a salvação completa e final em CRISTO.
 
Alcançando o Prêmio
Os pré-requisitos (Filipenses 3:12-16)
- MacArthur, J. (2001). Philippians (309). Chicago: Moody Press.

Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por CRISTO JESUS. Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de DEUS em CRISTO JESUS. Todos nós que alcançamos a maturidade devemos ver as coisas dessa forma, e se em algum aspecto vocês pensam de modo diferente, isso também DEUS lhes esclarecerá.
Tão-somente vivamos de acordo com o que já alcançamos.. (3:12–16)
A julgar pelo uso freqüente de metáforas esportivas em seus escritos, o apóstolo Paulo deve ter sido um fã de esportes. Falando de seu desejo de ser eficaz em sua vida cristã, Paulo escreveu: "Eu combato de tal forma, não como batendo no ar" (1 Cor. 9:26 b). Ele descreveu a vida cristã aos Efésios como uma luta "[um combate de MMA ou de BOXE] ... não é contra carne e sangue, mas contra os principados, contra as potestades, contra as forças deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais da maldade nas regiões celestes "(Efésios 6:12). No que pode ser considerado o seu epitáfio, Paulo declarou, triunfante, "Combati o bom combate" (2 Tm 4:7;... Cf 1 Tm 6:12). Em uma alusão aos Jogos Ístmicos (realizada em Corinto e em segundo em importância perdendo apenas para os Jogos Olímpicos), ele lembrou aos Coríntios: "Todos os que competem nos jogos têm auto-controle em todas as coisas e se exercitam freqüentemente. Eles o fazem para receber uma coroa corruptível, mas nós uma incorruptível "(1 Cor. 9:25). A metáfora atlética favorita de Paulo é o de uma corrida. Ele declarou aos anciãos de Éfeso: "Mas eu não considero a minha vida de qualquer forma como preciosa para mim, para que eu possa terminar minha carreira e o ministério que recebi do Senhor JESUS, para dar testemunho do evangelho da graça de DEUS "(Atos 20:24). Para os romanos, ele escreveu: "Assim, pois, não depende do que quer, ou do homem que corre, mas de DEUS que tenha misericórdia" (Rm 9:16). Lembrando aos Coríntios dos atletas dedicados que competiram nos Jogos Ístmicos, o apóstolo escreveu: "Não sabeis que aqueles que correm no estádio, todos correm, mas só um ganha o prêmio? Correi de tal maneira que você possa ganhar .... Por isso eu corro de tal forma, não como sem objetivo "(1 Cor. 9:24, 26). Em Gálatas 2:2 Paulo expressou seu "medo de que [ele] pudesse ser executado, ou tivesse corrido em vão", enquanto em Gálatas 5:7, lamentou aos Gálatas: "Vocês estavam correndo bem, quem vos impediu de obedecer a verdade? "No fim de sua vida, Paulo poderia declarar:" Eu terminei a carreira (ou corrida), eu guardei a fé "(2 Tm. 4:7). A metáfora da vida cristã é como uma corrida, "Eu prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de DEUS em CRISTO JESUS", que é o tema de Filipenses 3:12-21. A passagem revela o interesse apaixonado de Paulo pelo crescimento espiritual.
A passagem anterior (3:4-11) descreveu a transformação de Paulo quando ele encontrou CRISTO ressuscitado no caminho de Damasco e compreendeu o evangelho. Nessa passagem, poderosa e comovente, o apóstolo recitou suas impressionantes credenciais religiosas. Então, dramaticamente, ele declarou que, em comparação com o valor excelente do conhecimento de JESUS CRISTO, com suas outras realizações elas eram apenas lixo. Paulo queria trocar seus inúteis realizações humanas pelo conhecimento, poder, justiça, fraternidade, e a glória do Senhor JESUS CRISTO.
Alguns em Filipos poderiam imaginar erroneamente que, tendo ganhado tantos benefícios maravilhosos, Paulo havia atingido a perfeição espiritual. Os judaizantes também poderiam ter ensinado aos Filipenses que a perfeição espiritual deles era possível por que eles eram circuncidados e guardavam a lei. Havia também os hereges (precursores dos gnósticos do século II), que ensinavam que a perfeição espiritual aguardava aqueles que atingiram um certo nível de conhecimento. Para combater essas idéias falsas, Paulo rapidamente acrescenta essa passagem, que é uma declaração forte de perfeição espiritual. Embora fosse uma nova criatura (2 Coríntios 5:17.), Com um novo coração (Ez 36:26), uma nova disposição que ansiava pela santidade desejada (Rom 7:22, 2 Coríntios 4:16; Ef. 3:16), foi unido com CRISTO (Gl 2:20), possuía uma mente renovada (Rm 12:2;. Ef 4:23), tinha a mente de CRISTO (1 Co 2:16), tinha bom testemunho diante de DEUS (Rm 8:1), havia sido justificado (Rm 5:1), havia sido perdoado (Efésios 1:7), teve a justiça de CRISTO imputada a ele (2 Coríntios. 5:21), e foi habitado pelo ESPÍRITO SANTO (Rm 8:9,11, 1 Coríntios 3:16; 2 Tm 1:14), Paulo não era perfeito. Ele ainda estava sujeito à tentação, ainda possuía sua carne não redimida, e ainda era um pecador (cf. Rm 7:14-25; 1 Tim 1:15). Longe de ter obtido a perfeição, ele estava perseguindo-a com toda a força. Como Pedro, Paulo compreendeu que a vida cristã é um processo de crescimento ao longo da vida - "crescer [ndo] na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador JESUS CRISTO" (2 Pedro 3:18;. Cf 1 Pedro 2:1-2).
Esta passagem é um golpe devastador para a falsa doutrina do perfeccionismo que ainda prevalece em algumas denominações e igrejas.
Perfeccionismo é o ensinamento que os crentes podem chegar a um lugar de perfeição espiritual e moral nesta vida. Os perfeccionistas ensinam que em uma segunda obra da graça, os crentes podem instantaneamente viverem sem pecado. Alguns vão mesmo ao ponto de ensinar a erradicação da natureza pecaminosa. Mas o apóstolo Paulo, sem dúvida, o mais empenhado, dedicado, cristão espiritualmente maduro que já viveu, confessou que ele falhou em alcançar a perfeição espiritual apesar de seus trinta anos de conversão. Esta confissão era uma evidência clara de sua verdadeira e madura espiritualidade. Quem, então, poderia fazer uma reivindicação legítima de ter feito isso? Para manter a ficção de que eles tenham alcançado a perfeição sem pecado, os perfeccionistas são forçados a fazer uma distinção bíblica entre o pecado intencional e "erros." Mas a Escritura ensina que qualquer violação da lei de DEUS, qualquer que seja a intenção é pecado. Nenhum cristão nunca vai se tornar perfeito nesta vida, pois ele espera a redenção do corpo (Romanos 8:23).
A perfeição nesta vida será sempre uma meta, nunca uma conquista. Se dissermos que não pecamos, fazemos de DEUS um mentiroso, porque Ele diz o que fazemos (1 João 1:7-9).
Alguns podem questionar por que eles deveriam se preocupar em buscar o crescimento espiritual. Afinal, os crentes têm a promessa de "uma herança que é imperecível e imaculada que não vai desaparecer, reservada nos céus para [eles]" (1 Pedro 1:4). Mas essa questão é um ponto discutível. Filhos espirituais, como as crianças humanas, não podem deixar de crescer (cf. 1 Pedro 2:1-2), pois eles têm um desejo interno e tendência natural para o crescimento. Além disso, existem várias razões para que os cristãos devam crescer espiritualmente.
Primeiro, isto glorifica a DEUS. Em segundo lugar, fornece evidências de que sua salvação é genuína. Em terceiro lugar, adorna e é um testemunho visível de DEUS aos outros (cf. Tito 2:10). Em quarto lugar, ele traz a certeza da salvação. Em quinto lugar, ele preserva os crentes da tristeza e do sofrimento associado com imaturidade espiritual. Sexta, protege a causa de CRISTO de reprovação. Sétimo, que produz alegria na vida dos crentes. Em oitavo lugar, os prepara para exercer o ministério de auxiliar os outros no corpo de CRISTO. Finalmente, realça o seu testemunho ao mundo perdido. Na passagem seguinte (3:17-21), Paulo dá instruções específicas sobre como buscar o prêmio de perfeição espiritual, que é CRISTO. Mais tarde, em sua epístola, Paulo lembrou aos Filipenses que "a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos um Salvador, o Senhor JESUS CRISTO, que transformará o corpo da nossa humilhação, para ser conforme ao corpo da Sua glória, pelo exercício do poder que Ele tem de sujeitar todas as coisas a si mesmo "(Filipenses 3:20-21). O apóstolo João ecoou esse pensamento: "Amados, agora somos filhos de DEUS, e o que seremos, ainda isso não foi manifesto. Sabemos que quando ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele, porque nós vamos vê-Lo como Ele é "(1 João 3:2). 
Semelhança de CRISTO é o prêmio que deve ser perseguido, apesar de que o prêmio não será alcançado deste lado do céu. Antes de Paulo escrever sobre a perseguição, ele primeiro estabelece seis pré-requisitos necessários para a efetiva luta pelo prêmio de CRISTO. O esforço exige do crente uma consciência própria, um esforço máximo, uma concentração focada, uma motivação adequada, um reconhecimento adequado, e uma conformidade adequada.

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO É PRECISO TER UMA CONSCIÊNCIA JUSTA
Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado (3:12a)
Os crentes estão agora, em CRISTO e o desfrutar do céu eternamente é propósito da graça de DEUS para todos (cf. 1 Pedro 1:4). Essa realidade espiritual e esta promessa não podem ser melhoradas, mas a virtude dos crentes na vida presente pode e deve ser. Sabendo que não somos agora o que deveríamos ser, e aquilo que um dia seremos na glória, não deve produzir a apatia e a indolência, mas um zelo que se move na direção do prêmio. Isso é obra do ESPÍRITO em nós (2 Coríntios. 3:18) e o anseio da alma regenerada. A consciência da necessidade de melhorar a condição espiritual de uma pessoa é um pré-requisito necessário à prossecução (ato de
prosseguir) do prêmio de perfeição espiritual. Paulo tinha essa consciência, e expressou isso em duas palavras que começam o versículo 12. Ele ainda não tinha obtido (a partir de lambano; "para receber", "adquirir", ou "atingir") o prêmio que perseguia, ele ainda não tinha se tornado perfeito (de teleioo; "para atingir a perfeição", "alcançar um objetivo", ou "realizar"). A palavra repetida duas vezes já indica que Paulo era ainda imperfeito, quando ele escreveu esta epístola. Apesar de possuir a rica bênção de estar em CRISTO, o apóstolo sabia que ele não era perfeito. Seu conhecimento de CRISTO ainda estava incompleto (1 Cor 13:12). A justiça de CRISTO tinha sido imputada a ele (2 Coríntios 5:21), mas ele ainda precisava "limpar [-se] de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de DEUS" (2 Coríntios 7:1) . Paulo tinha o poder de CRISTO para trabalhar na obra de DEUS (1 Coríntios 15:10; Col. 1:29), mas este poder ainda funcionava e crescia somente em sua fraqueza (2 Coríntios 12:9). A rica comunhão com CRISTO que ele experimentou também era imperfeita, ele ainda não sabia como orar como deveria, e dependia do ESPÍRITO SANTO para interceder por ele (Rm 8:26-27). Enquanto seu corpo era o templo do ESPÍRITO SANTO que habitava gloriosamente nele (1 Coríntios. 6:19), Paulo ansiava pelo dia em que CRISTO "transformaria o corpo de sua humilhação, para ser conforme ao corpo da sua glória" (Filipenses 3:21). Obviamente, Paulo perseguia o prêmio da perfeição espiritual e se sentia insatisfeito com a sua atual condição espiritual. Aqueles que pensam que têm atingido a perfeição espiritual, não percebem a necessidade de buscar uma condição melhor. Por que eles deveriam perseguir algo que eles acreditam que já tem? Tais pessoas complacentes, satisfeitos estão em grave perigo de tornarem-se insensíveis a seu pecado e cegos para as suas fraquezas. Somente aqueles que são conscientes da sua miserável condição espiritual vêm a CRISTO para a salvação (Mt 5:6). E somente aqueles que continuam a reconhecer a necessidade de eliminar o pecado e cultivar a santidade que vão progredir na vida cristã. Essa busca pelo poder santificador do ESPÍRITO produz uma freqüente luta contra o pecado e uma busca cada vez maior pela santidade, o que torna cada vez mais odioso o pecado. O verdadeiramente maduro e piedoso crente tem a consciência mais sensível de seus pecados, e é humilde diante de DEUS por causa disso.

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO É PRECISO FAZER O MÁXIMO ESFORÇO
mas vou prosseguindo, para ver se poderei alcançar aquilo para o que fui também alcançado por CRISTO JESUS. (3:12b)
Os verdadeiros crentes não conseguirão o prêmio de perfeição espiritual até que eles reconheçam a necessidade de melhorar a sua condição, pois a consciência dessa necessidade não é suficiente, deve haver também uma busca diligente por parte de cada um. Prossigo "para executar", isso fala de um esforço agressivo, enérgico. Paulo perseguiu o prêmio espiritual com toda sua força, forçando cada músculo espiritual enquanto corria para vencer (1 Cor 9:24). O "deixar que DEUS faça" é uma mentalidade estranha para Paulo. Ele era totalmente dedicado ao esforço para alcançar sua vida em DEUS (2 Co 12:9;. Col 1:29). Ele também descreveu a vida cristã como "trabalho e esforço" (Col 1:29), e "luta pelo bem da fé" (1 Tm 6:12; Cf 2 Tm 4:7). Ele ensinou que "através de muitas tribulações nos importa entrar no reino de DEUS" (Atos 14:22), e reiterado a inevitabilidade do sofrimento na vida cristã (por exemplo, Rm 8:17; 1 Tessalonicenses 3:4; 2 . Tim 1:8; 3:12). A frase um tanto enigmática "para que eu possa lançar mão do que para o que também fui conquistado por CRISTO JESUS" declara o objetivo de árduos esforços de Paulo. O verbo traduzido "eu possa lançar mão de; fui conquistado" poderia ser traduzido como "para ultrapassar", "aproveitar", ou "pegar" Paulo estava correndo espiritualmente para pegar a coisa pela qual CRISTO JESUS veio depois dele. Em outras palavras, o objetivo de Paulo na vida era consistente com o objetivo de CRISTO em salvá-lo. Qual era o objetivo de CRISTO para salvar Paulo? O apóstolo afirmou em Romanos 8:29: "Porque os que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de Seu Filho, para que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos." DEUS escolheu Paulo para fazê-lo parecido com JESUS CRISTO em sua dedicação às almas. Esse propósito para o qual DEUS nos salvou também é o propósito para o qual vivemos. "Foi por isso que Ele te chamou pelo nosso evangelho", escreveu Paulo aos Tessalonicenses ", para que possa ganhar a glória de nosso Senhor JESUS CRISTO" (2 Ts 2:14). A vida cristã é uma perseguição ao alvo, CRISTO. A meta do Senhor era preparar e treinar Paulo para atingir esse objetivo.

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO É PRECISO TER FOCO
Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, (3:13). Um esforço máximo sem concentração focada é inútil. Todo atleta sabe que os corredores em uma corrida devem fixar os olhos na frente deles, aqueles que observam a multidão ou seus próprios pés tendem a tropeçar e cair. Para fazer um esforço máximo em qualquer esforço atlético requer que os participantes se concentrar em um ponto a frente.
Paulo se dirige aos Filipenses como gentis e afetuosos irmãos íntimos, com o objetivo de mover seus corações para longe dos judaizantes e em direção a ele. Pela terceira vez nesta passagem, Paulo acrescenta o aviso de que não havia alcançado sua meta ainda. A intenção do apóstolo é polêmica. Ele está dirigindo o seu argumento para aqueles que estavam ensinando o erro, e ele quer fazer que a verdade apareça. Apesar das reivindicações dos falsos professores sobre a perfeição nesta vida, pelo contrário essa vida espiritual perfeita não é possível nesta vida. Embora Paulo não tivesse alcançado a perfeição espiritual, ele perseguia a mesma e isso o motivou a persegui-la. Na verdade, ele havia colocado isso como meta de sua vida, como está expresso na frase, "mas uma coisa eu faço". "Eu" não está no texto grego, mas foi adicionado pelos tradutores, porque está implícito. No texto grego Paulo comunica a sua obstinação, uma maneira apaixonada quase abrupta. O foco do apóstolo em seu objetivo era total, o seu nível de concentração era agudo.
No atletismo em outras atividades da vida somente os focados em seus objetivos os realizam. Muitas pessoas se envolvem em muita coisa, mas não conquistam sucesso em nada. Apesar de toda a energia que gastam, realizam pouco. Tiago chamou de "vacilantes ... instáveis em todos os sentidos [deles]" (Tiago 1:8). Para evitar essa falta de foco o salmista orou: "Una meu coração ao temor do teu nome" (Sl 86:11), e Salomão aconselhou: "
Os teus olhos olhem para a frente, e as tuas pálpebras olhem direto diante de ti.
Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados!
Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal.
"(Provérbios 4:25-27). Quando os crentes têm uma compulsão de condução, para ser como CRISTO, eles vão se mover em direção à perfeição espiritual. Tal concentração possui tanto um aspecto negativo como um positivo. Negativamente, Paulo manteve seu foco, esquecendo o que ficou para trás. Um corredor que olha para trás, corre o risco de ser ultrapassado. O desempenho de um corredor em corridas passadas não garante o sucesso ou o fracasso nas corridas atuais ou futuras. O passado não é relevante, o que importa é fazer o máximo esforço no presente, de modo a sustentar o momento no futuro. Os perfeccionistas e legalistas olham para as realizações do passado para validarem seu atual status supostamente espiritual. Os judaizantes procuravam iludir os Gálatas, no passado, o que levou Paulo a escrever: "Mas agora, conhecendo a Deus, ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? "(Gal. 4:9).
Paulo fez uma ruptura com tudo em seu passado, bom e mau. Realizações religiosas, atos virtuosos, grandes sucessos do ministério, bem como pecados, oportunidades perdidas e desastres devem todos serem esquecidos. Eles não controlam o presente ou o futuro. Os crentes não podem viver de vitórias passadas, nem devem ser derrotados pela culpa dos pecados passados. Igrejas estão cheias de aleijados espirituais, paralisados pelo rancor, amargura, pecados e tragédias do passado. Outros tentam sobreviver no presente por reviver sucessos do passado. Eles devem romper com esse passado para que possam buscar o prêmio espiritual. DEUS está interessado no que os crentes fazem agora e no futuro. "Ninguém", declarou JESUS, "depois de colocar a mão no arado e olha para trás é apto para o reino de DEUS" (Lucas 9:62). A visão mais clara pertence àqueles que esquecem o passado. Positivamente, Paulo manteve seu foco, avançando para o futuro. Avançando traduz uma forma de particípio do verbo epekteino, um verbo composto de duas preposições adicionadas ao verbo ("esticar"). Ele descreve um estiramento muscular em seu limite, e imagens de um corredor forçando cada músculo para alcançar a linha de chegada. Como já mencionado, o objetivo no qual os crentes devem concentrar-se é ser como JESUS CRISTO. Foi também a meta do ministério de Paulo para "apresentar todo homem perfeito em CRISTO" (Colossenses 1:28). Ele também expressou essa meta aos Efésios:
E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. (Ef 4:11-14). Aos Gálatas escreveu que estava "em trabalho de parto até que CRISTO seja formado em vós" (Gl 4:19). Ele exortou os coríntios a "serem completos" (2 Coríntios. 13:11), ao seu colega de trabalho Epafras, orou para que os Colossenses ficassem "firmes, perfeitos e plenamente seguros em toda a vontade de DEUS" (Colossenses 4:12). Prosseguir para a semelhança de CRISTO aqui e agora, até que sejam feitos como Ele em glória, define o progresso da vida cristã e a meta do ministério de cada crente.

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO E PRECISO TER MOTIVAÇÃO ADEQUADA
prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de DEUS em CRISTO JESUS. (3:14)
Como observado anteriormente, este versículo é o coração da passagem. O verbo no tempo presente é traduzido por "prossigo num esforço contínuo" que Paulo denota para perseguir o "sonho impossível" e derrotar o "inimigo." O significado da raiz da preposição kata (direção) é "para baixo". Paulo expressou novamente seu foco
com um só objetivo, dizendo: "Eu sempre me esforço para superar a meta (skopos;"uma marca para fixar os olhos").
Esse prêmio foi o que o motivou a correr para vencer (1 Cor 9:24). Os crentes não receberão o prêmio (a semelhança de CRISTO, com todos os seus benefícios eternos), até a chamada (lit. "acima", denotando tanto a origem da chamada como para onde ela leva) para cima, para DEUS em CRISTO JESUS para desfrutar de sua gloriosa presença no céu. Como mencionado acima, a perfeição não é atingível nesta vida. A linha de chegada é o limiar do céu, onde as recompensas serão entregues (cf. Mt 5:12;. Lucas 6:23;. 1 Coríntios 3:12-15).
Como um corredor triunfante bombeamento seu punho no ar, como ele se aproxima da linha de chegada, Paulo declarou, no final de sua vida, "Combati o bom combate, terminei a carreira, eu guardei a fé;, no futuro, é reservada para mim a coroa da justiça que o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia "(2 Tm. 4:7-8). Apenas "no futuro" no céu que Paulo receberá "a coroa da justiça" (a justiça de CRISTO para os aperfeiçoados Nele), e somente então ele iria receber o prêmio que ele tão diligentemente havia perseguido.

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO É PRECISO TER UM CONHECIMENTO CORRETO
Todos nós que alcançamos a maturidade devemos ver as coisas dessa forma, e se em algum aspecto vocês pensam de modo diferente, isso também DEUS lhes esclarecerá. (3:15).
Paulo não estava na corrida espiritual sozinho, que inclui todos os cristãos, descritos aqui pela frase quantos são perfeitos (cf. Hb 10:14). O apóstolo não está falando de perfeição prática, que estaria em contradição com o que ele disse no início da passagem. Perfeição prática não virá até que os crentes sejam glorificados. Pelo contrário, em um jogo de palavras, ele descreve os crentes como aqueles que estão posicionalmente perfeitos porque estão em CRISTO. Uma vez que esta é uma passagem polêmica dirigida contra aqueles que ensinavam que a perfeição é inatingível nesta vida, o uso de Paulo da perfeição pode ser uma espada de dois gumes, com um tom de sarcasmo. Esses falsos mestres não eram perfeitos, na prática, e também não eram perfeitos na posição.
Todo verdadeiro cristão deve ter a mesma atitude que Paulo tinha. Phroneo (ter esta atitude) significa literalmente "a pensar assim", "estar atento a isso", ou "definir o pensamento sobre este assunto." Ela pode ser traduzida como "continuamente pensar assim." Como Paulo, os crentes devem ser totalmente focados em fazer o máximo esforço para buscar o prêmio de CRISTO.
Sabemos como CRISTO pensa, porque a Escritura nos revela seu modo de pensar (1 Cor. 2:16). Quando estudarmos a bíblia, passamos a entender os pensamentos divinos, sob o ponto de vista do Senhor, assim nossos próprios pensamentos vão moldar nosso comportamento para se tornar semelhante ao seu (cf. Col. 3:16).
Mas Paulo era um pastor experiente e sabia que nem todos os crentes iriam compartilhar a força e a implacabilidade de seu foco na busca do prêmio. Para eles, Paulo diz que, se em qualquer coisa que você tiver uma atitude diferente, DEUS irá revelar qual sua perfeita vontade. Aqueles que se recusam a ouvir a mensagem de Paulo vão ouvir a mesma mensagem de DEUS. Ele vai corrigi-los através da Sua Palavra, do Seu ESPÍRITO, ou através de correção. DEUS fará o que for preciso para fazer os crentes reconhecem sua necessidade de prosseguir em busca do prêmio de CRISTO. Ele também irá fornecer os recursos necessários para se fazer isso (2 Pedro 1:3).

PARA ALCANÇAR O PRÊMIO E PRECISO TER UMA VIDA JUSTA
Tão-somente vivamos de acordo com o que já alcançamos.. (3:16)
Plen (no entanto) também poderia ser traduzida como "mais uma coisa." Ele é freqüentemente usado para expressar um pensamento final. Este último pré-requisito para a prossecução do prêmio também pode ser descrito como a consistência. Tendo desenvolvido uma consciência própria, esforço, foco, motivação e reconhecimento, os crentes devem sempre continuar a viver por esse mesmo padrão a que tenham alcançado. Stoicheo (continuar a viver) significa "alinhar", ou "a seguir na linha." Os crentes devem manter o caminho espiritual que eles têm vindo a seguir. Para usar a metáfora de uma corrida, eles devem continuar a correr na sua pista.
Quatro recursos divinamente fornecidos ajuda os crentes a sempre buscar o prêmio de CRISTO.
A primeira é a Palavra de DEUS. Pedro escreveu: "Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo;" (1 Pedro 2:2). A Segunda é a oração. Paulo orou para que o Coríntios fossem completos "ser completo" (2 Coríntios. 13:9).
Em terceiro lugar seguirem um exemplo piedoso. Paulo exortou os coríntios: "Sede meus imitadores" (1 Cor 4:16; Cf 11:1; Fp 3:17;. 1 Tessalonicenses 1:6; 2 Tessalonicenses 3:7, 9; 1 Tm. 4:12;. Hb 13:7; 1 Pedro 5:3).
Finalmente, DEUS usa o sofrimento para moldar crentes à imagem de JESUS CRISTO: "Depois de ter sofrido um pouco, o DEUS de toda graça, que vos chamou à sua eterna glória em CRISTO, Ele mesmo irá aperfeiçoar, confirmar, fortalecer e estabelecer vocês "(1 Pedro 5:10; cf Tiago 1:2-4).
Ao pé de um dos Alpes suíços existe uma lápide que foi feita para honrar um homem que caiu lá de cima para a morte ao tentar a subida. Na lápide está escrito seu nome e este epitáfio breve: "Ele morreu de escalada." O epitáfio de cada cristão deve ser que eles morreram escalando o caminho ascendente em direção ao prêmio de CRISTO.
 
Filipenses - Epístolas Paulinas - E.P. myer pearlman - <http://pt.scribd.com/doc/146430796/E-P-Myer-Pearlman> 
- Uma Advertência Solene (Fp 3.17-19)
Nos versos 1-4, Paulo adverte seus leitores contra um erro do lado judaico, a saber, o legalismo, que é submeter a vida à escravidão das leis de Moisés. Nos versos 17-21, adverte-os contra o perigo do lado pagão, a saber: a frouxidão moral. “Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós” (cf. 1 Co 11.1; Rm 16.17). O que deviam imitar? Nos versos 7-13, lemos que Paulo não tinha confiança no seu eu-próprio, que estava disposto a sacrificar todas as coisas por Cristo, que reconhecia a sua própria imperfeição e que estava grandemente desejoso para avançar rumo ao alvo - o Senhor. Sua advertência é necessária, porque há aqueles que tomam uma atitude diferente. São “inimigos da cruz de Cristo”, não por causa de qualquer hostilidade da parte deles, mas por causa das vidas que vivem. Interessam-se mais em satisfazer os seus apetites do que servir a Deus (“o deus deles é o ventre”) e jactam-se das liberdades que tomam na licenciosidade e vidas impuras (2 Pe 2.19). “Só pensam nas coisas terrenas” - alegam estar no caminho do Céu, mas amam as coisas mundanas; “o destino deles é a destruição”. Contraste com o verso 14.
 
- Ensinamentos Práticos
1. Perda e ganho. “Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo”. A verdadeira religião nos faz transbordar de entusiasmo, mas ao mesmo tempo a sua verdade pode suportar o exame mais severo e calmo. O Senhor disse àqueles que queriam ser discípulos que contassem o custo. Não queria que as pessoas o seguissem por algum impulso, para então deixá-lo quando o caminho se tornasse duro. Paulo nos diz que, depois da sua experiência na estrada de Damasco, calculou o custo. Fez uma lista dos seus privilégios e vantagens, e declarou o resultado desse cálculo nas seguintes palavras: “Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo”. Quando escreveu essa carta aos filipenses, já haviam se passado vinte anos de seu encontro com CRISTO. Ele ainda pensa que vale a pena ser cristão. Responde: “E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus meu Senhor”. Está ainda mais convicto de que conhecer a Cristo é a melhor coisa no Universo. Quando recebemos a Cristo, Ele valia mais do que tudo para nós, e a salvação da nossa alma valia mais do que ganhar o mundo inteiro. Ainda encaramos assim o assunto?
2. “Para conhecê-lo. Paulo fala, não do conhecimento biográfico, mas do conhecimento pessoal, baseado na experiência. Assim como alguém conhece a felicidade do amor nupcial ao experimentá-la, e a beleza da música ao ouvi-la, e o brilho do dia ao vê-lo, assim também conhecemos a Cristo ao ganhá-lo para nós. Fatos espirituais devem ser possuídos antes de serem realmente conhecidos. A salvação é realmente conhecida quando submetida à prova. O que foi dito acerca do nome misterioso (Ap 2.17) também pode ser dito acerca do Doador: “o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe”.
3. “A comunhão dos seus sofrimentos.  Sofrer para Cristo é sofrer com Cristo, e neste pensamento podemos achar forças para suportar qualquer tristeza que possa nos atacar por sermos cristãos. E, se fazemos com que os sofrimentos dEle sejam os nossos sofrimentos, Ele fará com que os nossos sofrimentos sejam os sofrimentos dEle. Quando Paulo estava perseguindo a Igreja, ficou sabendo que Cristo sofre juntamente com aqueles que sofrem por Ele (At 9.4). Não somente podemos ter a certeza da sua simpatia, mas também “se sofrermos, também com ele reinaremos” (2 Tm 2.12).
Aqueles que carregam a sua cruz terão uma coroa.
4. Avançando com o Senhor (v. 12). “Sei que o Senhor colocou a sua mão sobre mim”; essa expressão é um modo expressivo de descrever como Cristo trata com a alma na conversão.
O Senhor coloca a sua mão sobre uma pessoa para o seu propósito, mas esse propósito não pode ser realizado na vida, a não ser que a pessoa estenda a mão para segurá-lo.
O Senhor Jesus oferece a vida eterna, e a nós cabe “tomar posse da vida eterna” (1 Tm 6.12). Paulo, tendo recebido a salvação, vai prosseguindo com Ele.
Qual declaração se aplica a nós: “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” (Pv 4.18), ou: “Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus” (Hb 5.12)? Estamos cumprindo o propósito para o qual Cristo nos salvou? 
5. “Mas uma coisa faço ”. Se queremos furar um buraco, fazemos um aponta aguda. Da mesma forma, se queremos avançar na vida cristã, precisamos ter uma ponta aguda em nossas vidas, feita por meio de concentrar as nossas energias numa única tarefa suprema. A diferença entre um amador e um profissional é que o amador se dedica ao assunto como passatempo, enquanto o profissional faz do assunto o seu negócio. O cristão vitorioso é aquele que faz do Cristianismo a sua vida total. Somos amadores ou verdadeiros artistas na vida espiritual?
6. Lembre-se e esqueça-se. “Esquecendo-me das coisas que atrás ficam”. Qual deve ser a nossa atitude para com os fracassos do passado? Em primeiro lugar, vamos nos lembrar deles, a fim de evitar que pratiquemos o mesmo erro ou cometamos o mesmo pecado. Se o diabo colocou uma emboscada para nós em certo caminho, lembremo-nos do local para evitá-lo!
Por outro lado, devemos nos esquecer dos nossos fracassos no sentido de recusar-nos a deixar que a lembrança nos leve ao desânimo. Os fracassos do passado não devem paralisar os sucessos do futuro. Se somos tentados a desistir por causa de fracassos repetidos, lembremo-nos das palavras de Paulo: “Esquecendo-me das coisas que atrás ficam”.
É boa idéia esquecer-nos dos nossos sucessos e virtudes também, para evitar que fiquemos orgulhosos e cheios de confiança em nós mesmos.
7. Vivendo à altura daquilo que cremos. “Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra e sintamos o mesmo”. Assim como um trem precisa de trilhos sobre os quais avança, assim também o homem precisa de crenças específicas para dirigi-lo para o seu destino eterno. Essas crenças se acham nas Escrituras. Estão ali, no entanto, não apenas para que adquiramos conhecimento, mas a fim de que façamos a vontade de Deus. Devemos andar na luz daqueles conhecimentos que já atingimos. A melhor maneira de testar a utilidade de uma ferramenta é fazer uso dela. A melhor maneira de testar a veracidade das doutrinas das Escrituras é agir de acordo com elas. “Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina, conhecerá se ela é de Deus” (Jo 7.17). Se alguém tiver dúvidas honestas com respeito à Bíblia, mas aceitar experimentar a prática de tudo aquilo que a Bíblia recomenda, logo descobrirá que o Evangelho funciona. E aqueles que já estão no caminho cristão fariam bem se meditassem as seguintes palavras: “Viva o seu credo, e descobrirá e acreditará nele muito mais do que antes”. As verdades espirituais se nos tornam reais à medida que agimos à altura deles.

OBJETIVOS - Após a aula, o aluno deverá estar apto a:
Compreender qual era a verdadeira aspiração do apóstolo Paulo.
Analisar a maturidade espiritual dos filipenses.
Conscientizar-se a respeito da verdadeira aspiração cristã.
 
RESUMO DA LIÇÃO  8 – A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE
I. A ASPIRAÇÃO PAULINA
1. "Prossigo para o alvo".
2. O sentimento de incompletude de Paulo.
3. O engano da presunção espiritual.
II. A MATURIDADE ESPIRITUAL DOS FILIPENSES (3.15,16)
1. Somos perfeitos (3.15)?
2. O cristão deve andar conforme a maturidade alcançada (3.16).
3. Exemplo a ser imitado (3.17).
III. A ASPIRAÇÃO CRISTÃ HOJE
1. A atualidade do desejo paulino.
2. O cristão deve almejar a maturidade espiritual.
3. Rejeitando a fantasia da falsa vida cristã. 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
PEARLMAN, Myer. Epístolas Paulinas: Semeando as Doutrinas Cristãs. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1998.

SAIBA MAIS - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 55, p.40.
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO  8 – A SUPREMA ASPIRAÇÃO DO CRENTE
Responda conforme a revista da CPAD do 3º Trimestre de 2013 - FILIPENSES
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas verdadeiras e com "F" as falsas
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"Prossigo para o _______________________, pelo ________________________ da soberana ____________________________ de DEUS em CRISTO JESUS" (Fp 3.14)

VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
A maior ________________________________ do crente deve ser a conquista do ___________________________ da soberana _______________________________ em CRISTO JESUS.
 
COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO
3- Qual era o alvo da vida do apóstolo Paulo?
(    ) Conquistar a excelência do conhecimento de JESUS CRISTO.
(    ) Semelhante a um herói, o apóstolo se esforçava para alcançar este objetivo
(    ) Semelhante a um atleta, o apóstolo se esforçava para alcançar este objetivo

I. A ASPIRAÇÃO PAULINA
4- O que significa "Prossigo para o alvo"? Complete:
Para participar de uma ____________________________, o atleta tem de treinar muito. É preciso esforço, dedicação e trabalho para alcançar o _______________________ final. Paulo utiliza neste texto a analogia do _____________________________, a fim de mostrar aos filipenses que o crente em sua caminhada também precisa se esforçar para conhecer mais a CRISTO, deixando de lado os embaraços dessa vida e o ____________________________, mantendo o foco em JESUS. Quando o crente deixa de olhar firmemente para o "__________________________", corre o risco de tropeçar e cair, podendo até abandonar a fé. Vigiemos, pois, em todo o tempo, na __________________________________ do Senhor.

5- Como era o sentimento de incompletude de Paulo?
(    ) Paulo sabia que havia muita coisa ainda a ser conhecida.
(    ) Por isso, nunca corria sem meta.
(    ) Mesmo estando no cárcere, o apóstolo declara estar disposto a avançar para as coisas que estavam diante dele.
(    ) Paulo era um homem que confiava em DEUS.
(    ) E, assim, seguia confiante, pois no Senhor ainda teria grandes desafios em seu ministério.
(    ) Sua força estava em DEUS.
(    ) Eis porque venceu grandes lutas e foi fiel até o fim.
(    ) Para vencer, temos que igualmente olhar para frente e "nos lembrando das coisas que atrás ficam".
(    ) Para vencer, temos que igualmente olhar para frente e "esquecer das coisas que atrás ficam".

6- Como é o engano da presunção espiritual?
(    ) Paulo não se deixou enganar pela falsa idéia de ter alcançado a perfeição.
(    ) Os mestres do judaísmo afirmavam ter alcançado tal posição e, assim, reivindicavam ser iluminados e não terem mais nada a aprender ou que desenvolver.
(    ) Os mestres do gnosticismo afirmavam ter alcançado tal posição e, assim, reivindicavam ser iluminados e não terem mais nada a aprender ou que desenvolver.
(    ) Paulo, contudo, refutou esse pensamento equivocado, demonstrando que a conquista da perfeição será para aquele que terminar a carreira e ganhar a vida eterna, pois o prêmio está no final da jornada e não em seu início ou meio.

II. A MATURIDADE ESPIRITUAL DOS FILIPENSES (3.15,16)
7- O que significa a expressão: "somos perfeitos" (3.15)?
(    ) O vocábulo "perfeito", empregado por Paulo neste texto, tem um sentido especial, pois se refere à "final de carreira".
(    ) O vocábulo "perfeito", empregado por Paulo neste texto, tem um sentido especial, pois se refere à "maturidade espiritual".
(    ) Em termos de recebimento do benefício da obra perfeita de CRISTO no Calvário, todos nós já alcançamos tal "perfeição".
(    ) Neste sentido, a nossa salvação é perfeita e completa.
(    ) Comentário Bíblico Beacon diz: "perfeitos", neste versículo, apresenta-os servindo a DEUS no ESPÍRITO, isto é, não confiando na carne.

8- O que significa a expressão: "andar conforme a maturidade alcançada" (3.16)?
(    ) Não significa caminhar segundo os regulamentos da lei mosaica, tão requerida pelos judeus convertidos a CRISTO.
(    ) Significa caminhar segundo os regulamentos da lei mosaica, requerida pelos judeus e confirmada por CRISTO.
(    ) Trata-se de andar conforme a doutrina de CRISTO, segundo aquilo que já recebemos do Senhor.
(    ) Denota modo de viver, atitudes, ações, obras, e comportamentos em geral, semelhantes aos do Senhor JESUS, que o crente deve seguir.
(    ) Aprendemos com Paulo que não basta "corrermos", pois se realmente desejamos progredir em nossa vida cristã, devemos conhecer e obedecer aos preceitos da Palavra de DEUS até o Dia de JESUS CRISTO.

9- Por que Paulo é um exemplo a ser imitado (3.17)?
(    ) Paulo exortou os filipenses a que o imitassem, pois ele já havia alcançado a perfeição.
(    ) Paulo procurou em tudo imitar o Mestre, servindo apenas aos interesses da Igreja de CRISTO.
(    ) Paulo exortou os filipenses a que o imitassem assim como ele imitava ao Senhor.
(    ) Como obreiro de DEUS, Paulo tinha um caráter ilibado e os filipenses deveriam tê-lo como um exemplo a seguir.
(    ) Se quisermos servir ao Senhor com inteireza de coração, precisamos seguir os passos de JESUS - o nosso modelo de homem perfeito.

III. A ASPIRAÇÃO CRISTÃ HOJE 
10- Qual a atualidade do desejo paulino? Complete:
O propósito de Paulo em relação a si e aos filipenses deve servir-nos de _____________________________, pois as dificuldades, tentações e demais obstáculos que serviam de empecilhos à vida de __________________________________ naquela época continuam atuais e bem maiores. Mais do que nunca, devemos nos esforçar para vivermos uma vida de íntima ___________________________ com DEUS.

11- Por que o cristão deve almejar a maturidade espiritual?
(    ) Porque sem ela nunca seremos salvos.
(    ) Seguindo o exemplo de Paulo, reconheçamos que ainda precisamos alcançar a perfeição.
(    ) Sejamos sóbrios e vigilantes, reconhecendo também o quanto carecemos de maturidade espiritual e de um maior conhecimento acerca da pessoa de Nosso Senhor JESUS CRISTO.

12- Por que devemos rejeitar a fantasia da falsa vida cristã?
(    ) Paulo era um sofredor consciente, um homem que sabia o quanto é difícil ser fiel a DEUS.
(    ) Podemos viver assim nos dias atuais, sem precisa padecer as mesmas angústias.
(    ) Ele, porém, suportava tudo por causa da obra de DEUS.
(    ) Quem quiser viver assim nos dias atuais, precisa reconhecer que padecerá as mesmas angústias.
(    ) Semelhante ao apóstolo Paulo, podemos ter certeza de que receberemos o "prêmio da soberana vocação de DEUS em CRISTO JESUS".

CONCLUSÃO
13- Complete:
Toda a vida de Paulo era ______________________________ na pessoa de JESUS CRISTO. Ele tudo fazia para agradá-lo. Sua grande aspiração era conhecer mais do __________________________ da Galileia. Por isso, o apóstolo podia declarar: "Já estou crucificado com CRISTO; e vivo, não mais eu, mas _______________________________ vive em mim; e a vida que agora vivo na carne vivo-a na ___________________________ do Filho de DEUS, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim".
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm 
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.
O Novo Dicionário da Bíblia - J.D.DOUGLAS.
Revista Ensinador Cristão - nº 55 - CPAD.
Dicionário Bíblico Wycliffe - Charles F. Pfeiffer, Howard F. Vos, John Rea - CPAD.
Dicionário Vine antigo e novo testamentos - CPAD.
25 Maneiras de Valorizar as Pessoas - Autores: John C. Maxwell & Les Parrott, PH. D. - Editora: SEXTANTE
Perdoando Para Viver - Autor: Wilson de Souza- Editora: MK Editora
Filipenses - A Humildade de CRISTO Como Exemplo Para a Igreja - Elienai Cabral - Livro tema do trimestre
Filipenses - Introdução e comentário - Ralph P. Martin - Série Cultura Bíblica - Editora Vida
Filipenses_Hendriksen (1)
John Macarthur - Comentáio Filipenses - http://www.editoraculturacrista.com.br
Novo Comentário Bíblico Contemporâneo - Filipenses - F. F. Bruce - Série Cultura Bíblica - SOCIEDADE RELIGIOSA EDIÇÕES VIDA NOVA - São Paulo - SP - 12ª edição 2002
http://www.gospelbook.net
www.ebdweb.com.br
http://www.escoladominical.net
http://www.portalebd.org.br/
Epistolas paulinas - http://pt.scribd.com/doc/146430796/E-P-Myer-Pearlman