quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Lição 8, A Bondade que Confere Vida, 5 partes, 1Tr17, Pr. Henrique, EBD NA TV - Escrita

Lição 8, A Bondade que Confere Vida
1º Trimestre de 2017 - Título:As Obras da Carne e o Fruto do ESPÍRITO - Como o crente pode vencer a verdadeira batalha espiritual travada diariamente.
Comentarista:Pr. Osiel Gomes da Silva (Pr Pres. Tirirical - São Luis -MA)
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos:Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
AQUI VOCÊ VÊ PONTOS DIFÍCEIS DA LIÇÃO - POLÊMICOS
http://ebdnatv.blogspot.com.br/2017/02/figuras-da-licao-8-bondade-que-confere.html  FIGURAS
http://ebdnatv.blogspot.com.br/2017/02/licao-8-bondade-que-confere-vida-5.html  VÍDEOS
 
 
 
TEXTO ÁUREO"Qualquer que aborrece a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem permanente nele a vida eterna." (1 Jo 3.15)
 

VERDADE PRÁTICAA vida é um dom de DEUS e ninguém tem o direito de tirá-la a não ser o próprio DEUS.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - 1 Sm 2.6 DEUS é o doador da vida, somente Ele pode tirá-la.
Terça - Êx 23.7 Não mate
Quarta - Mc 7.21 É do interior do coração que saem os homicídios
Quinta - 1 Pe 4.15 Que jamais venhamos padecer como homicidas
Sexta - Êx 20.13 DEUS proíbe o homicídio
Sábado - Ap 22.15 Os homicidas não herdarão a vida eterna

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Mateus 5.20-2620 - Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos céus. 21 - Ouvistes que foi dito aos antigos:Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo. 22 - Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão será réu de juízo, e qualquer que chamar a seu irmão de raca será réu do Sinédrio; e qualquer que lhe chamar de louco será réu do fogo do inferno. 23 - Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti,  24 - deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem, e apresenta a tua oferta. 25 - Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão. 26 - Em verdade te digo que, de maneira nenhuma, sairás dali, enquanto não pagares o último ceitil.
 
OBJETIVO GERALExplicar que a vida é um ato da bondade de DEUS e que ninguém tem o direito de tirá-la.
 
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Reconhecer que a bondade é o firme compromisso do crente para o benefício dos outros;
Mostrar que o homicídio é a destruição do próximo, por isso, DEUS condena tal atitude;
Explicar porquê precisamos ser bondosos e misericordiosos.
 
INTERAGINDO COM O PROFESSORVocê está gostando de estudar a respeito do fruto do ESPÍRITO? Se as lições estão contribuindo para edificar sua vida, certamente vão também edificar seus alunos. Vamos estudar mais um aspecto do fruto do ESPÍRITO, a bondade. Seu coração já foi transformado pelo Filho de DEUS? Então, já foi enxertada em seu interior a "semente" da benevolência. Vivemos em uma sociedade onde as pessoas acreditam, erroneamente, que ser bom é ser fraco. Mas, tal virtude revela um caráter maduro e forte, leal a DEUS e ao próximo. Como discípulos de JESUS, nosso exemplo maior de bondade, precisamos evidenciar nossa afabilidade por intermédio de ações e palavras. Não basta apenas dizer que é bondoso, as pessoas precisam ver esse aspecto do fruto do ESPÍRITO em suas palavras e ações, em seu dia a dia.
 
PONTO CENTRAL - A vida é um ato da bondade de DEUS e ninguém tem o direito de tirá-la.
 
Resumo da Lição 8, A Bondade que Confere Vida
I - BONDADE:O FIRME COMPROMISSO PARA O BENEFÍCIO DOS OUTROS
1. A bondade como fruto do ESPÍRITO.
2. A bondade de DEUS.
3. Um homem bondoso e uma mulher bondosa.
II - HOMICÍDIO, A DESTRUIÇÃO DO PRÓXIMO
1. Não matarás.
2. Aborto, a morte de um inocente indefeso.
3. O primeiro homicídio.
III - SEJAMOS BONDOSOS E MISERICORDIOSOS
1. Servindo ao outro com amor.
2. Ajudando o ferido.
3. Ajudando os irmãos.
 
SÍNTESE DO TÓPICO I - A bondade é o nosso firme compromisso com CRISTO para o benefício do próximo.
SÍNTESE DO TÓPICO II - O homicídio é a destruição da vida alheia.
SÍNTESE DO TÓPICO III - O crente cheio do ESPÍRITO SANTO é bondoso e misericordioso
 

PARA REFLETIR - A respeito da bondade que confere vida, responda:
De acordo com a lição, defina bondade.
Bondade é uma qualidade nobre, gerada por DEUS, nos corações daqueles que experimentaram o novo nascimento (Jo 3.3).
Como a bondade de DEUS é revelada a nós?
A bondade do Pai pode ser revelada na sua provisão, pois Ele faz com que o sol e a chuva se levante sobre os justos e injustos (Mt 5.45).
Cite um exemplo bíblico de bondade.
Jó e Dorcas.
Qual a ordenança de DEUS a respeito do homicídio?
A ordenança divina é bem clara, de forma que até uma criança pode compreender:"Não matarás" (Êx 20.13; Dt 5.17).
Qual o primeiro homicídio registrado nas Escrituras Sagradas depois da Queda?
Caim matou seu irmão Abel.
 
CONSULTE - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 69, p40
 
 
Resumo Rápido do Pr. Henrique
INTRODUÇÃO
20 “Porém Eu advirto a todos: - a menos que vocês tenham melhor caráter que os fariseus e outros líderes dos judeus, não poderão de maneira nenhuma entrar no Reino do Céus”. 21 “De acordo com as Leis de Moisés, a regra era: "Se você matar; deve morrer””. 22 “Porém Eu ampliei aquela regra, e digo que basta que vocês fiquem com raiva, mesmo que seja só em casa, para que corram já perigo de julgamento! Se vocês chamarem um amigo de idiota, correm o perigo de serem levados perante o tribunal. E se amaldiçoarem alguém, correm o perigo das chamas do inferno”. 23 “Portanto, se você estiver diante do altar no templo, oferecendo um sacrifício a Deus, e de repente se lembrar de que um amigo tem alguma coisa contra você”, 24 “deixe seu sacrifício ali, ao lado do altar, vá e peça desculpas, faça as pazes com ele, depois volte, e ofereça o seu sacrifício a Deus”. 25 “Chegue depressa a um acordo com o seu inimigo, antes que seja tarde demais, e ele arraste você ao tribunal, para que seja lançado na cadeia como devedor”. 26 “Porque você ficará ali até chegar o último centavo”.
Bíblia Viva
A justiça dos fariseus e outros líderes dos judeus era a justiça própria e por isso não valia de nada diante de DEUS. Nossa Justiça vem de DEUS mediante o sacrifício de JESUS por nós. Essa justiça não é nossa, não temos mérito algum nela. Por isso nossa justiça é superior à justiça dos fariseus e outros líderes dos judeus.
Nossa justiça foi conquistada por um ato de bondade de DEUS (enviou seu único filho para morrer por nós)
Já que nascemos de novo deveríamos ter somente bons pensamentos e boas intenções. Mas não é o que acontece na realidade. Muitas vezes vamos precisar de uma ação sobrenatural do ESPÍRITO SANTO para nos impulsionar a fazer aquilo que DEUS gostaria que fizéssemos. Nesta hora, neste momento, entra a ação do nosso espírito ligado ao ESPÍRITO SANTO que vai ouvir ou perceber uma ação do ESPÍRITO SANTO para que façamos alguma coisa boa. Que coloquemos em prática o amor de DEUS para com alguém. Isso é uma qualidade do fruto do ESPÍRITO tentando se manifestar através de nós. Acontece que nós temos o controle de permitir esta ação e a executarmos ou de não permitirmos esta ação e não a executarmos.
 
I - BONDADE: O FIRME COMPROMISSO PARA O BENEFÍCIO DOS OUTROS
1. A bondade como fruto do ESPÍRITO.
Benignidade e bondade se confundem muitas vezes, pois enquanto uma deseja fazer o bem a outra executa esta necessidade de se fazer o bem.
A palavra grega para bondade é agathosüne αγαθω συν η - Lê-se Ágatôsini, que significa bontade de DEUS, que é perfeito e completo (Mc 10.18).
Pessoas podem e devem ser bondosas, isso é agradável a DEUS (Mt 12.35; At 11.24; 1 Pe 2.18).
A bondade, como uma das qualidades do  fruto do ESPÍRITO, é uma qualidade nobre, gerada por DEUS, nos corações dos crentes que nasceram de novo (Jo 3.3). Somos, ou pelo menos, deveríamos ser inclinados sempre para fazer o bem às outras pessoas (2 Co 5.17). Na verdade, essa qualidade vem de DEUS e só pode ser vivenciada em sua plenitude quando direcionada pelo próprio DEUS.
 
αγαθω συν η αγαθω συν η - agathosune - Lê-se Ágatôsini  - Lê-se Ágatôsini
integridade ou retidão de coração e vida, bondade, gentileza
 
2. A bondade de DEUS.
A bondade de DEUS é perfeita e ativa. DEUS consegue ser bondoso até para com seus inimigos (Sl 145.9. DEUS foi tão bondoso para conosco que nos amou primeiro e ainda nos amou quando ainda éramos pecadores.
Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro. (1 João 4:19)
Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. (Romanos 5:8)
DEUS é bem diferente de nós quanto à bondade: Nós procuramos ser bons apenas para aqueles que nos são mais próximos, como familiares e amigos; DEUS se importa com todos.
DEUS dá chuva, sol, etc... a todos, independente de sua fé, condição social ou financeira ou racial: Ele faz com que o sol e a chuva se levante sobre os justos e injustos (Mt 5.45).
Enquanto queremos condenar, DEUS quer sempre salvar.
Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. João 3:17
A impossibilidade de sermos bons nos leva a uma sincera pergunta; Como um coração tão santo é obtido? Para fazer a pergunta os discípulos de JESUS um dia lhe perguntaram:"Então, quem pode ser salvo?" (Mat. 19:25). E a única resposta é a que JESUS deu naquela ocasião:"Aos homens é isso impossível, mas a DEUS tudo é possível" (v 26)..Portanto, esta bondade não é obtida por méritos humanos, mas só DEUS pode conceder através do ESPÍRITO SANTO que em nós habita.A bondade é uma qualidade do fruto do ESPÍRITO.
NO AT A BONDADE DE DEUS SE MANIFESTA PELA LEI E NO NO NT PELA GRAÇA.
 
 
3. Um homem bondoso e uma mulher bondosa.
Em nossa jornada aqui na terra encontramos pessoas bondosas que nem crentes são e a bíblia registra pessoas bondosas que foram visitadas por DEUS devido à sua bondade.
Primeiro exemplo é Jó:
Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e era este homem íntegro, reto e temente a Deus e desviava-se do mal. Jó 1:1 
Sucedia, pois, que, decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram meus filhos, e amaldiçoaram a Deus no seu coração. Assim fazia Jó continuamente.
Todo o capítulo 31 de Jó fala de suas qualidades incomparáveis e quase impossíveis de serem imitadas por nós.
Fiz aliança com os meus olhos; como, pois, os fixaria numa virgem? Jó 31:1 
Se andei com falsidade, e se o meu pé se apressou para o engano. Se os meus passos se desviaram do caminho, e se o meu coração segue os meus olhos, e se às minhas mãos se apegou qualquer coisa, Jó 31:7
Se o meu coração se deixou seduzir por uma mulher, ou se eu armei traições à porta do meu próximo, Jó 31:9
Se desprezei o direito do meu servo ou da minha serva, quando eles contendiam comigo; Jó 31:13
Se retive o que os pobres desejavam, ou fiz desfalecer os olhos da viúva, Ou se, sozinho comi o meu bocado, e o órfão não comeu dele (Porque desde a minha mocidade cresceu comigo como com seu pai, e fui o guia da viúva desde o ventre de minha mãe), Se alguém vi perecer por falta de roupa, e ao necessitado por não ter coberta, Se os seus lombos não me abençoaram, se ele não se aquentava com as peles dos meus cordeiros, Se eu levantei a minha mão contra o órfão, porquanto na porta via a minha ajuda, Jó 31:16-21.
Jó era um homem notável em seu caráter e sua bondade era admirável. Faltava-lhe, porém conhecer de onde vinha esta bondade.
Então DEUS se revelou a ele. Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos.  42:5
 
 
Segundo exemplo é Dorcas:
Morava em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta mulher estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. Atos 9:36
Pedro, foi chamado para orar por Dorcas quando esta veio a falecer. Quando Pedro chegou no quarto alto onde estava o corpo de Dorcas,  todas as viúvas o rodearam, chorando e mostrando as túnicas e roupas que Dorcas fizera quando estava com elas. Atos 9:39
Parece que esta mulher era costureira e usava sua profissão para ajudar a todos na cidade de Jope. DEUS a ressuscitou para que continuasse suas boas obras de bondade.
Veja que tanto Jó como Dorcas demonstravam seu amor para com seus próximos na prática. O evangelho é prática de bondade.
Juridicamente chamadas de Excludentes de Ilicitude, são elas: a) Legítima defesa b) Estado de necessidade e, c) Estrito cumprimento do dever legal Há também as Excludentes de culpabilidade.
Marcos: 10. 17. Ora, ao sair para se pôr a caminho, correu para ele um homem, o qual se ajoelhou diante dele e lhe perguntou: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna? 18. Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? ninguém é bom, senão um que é Deus.
JESUS se comportava como homem e nenhum homem é bom por si mesmo. A bondade vem de DEUS
Esta bondade dá lição é qualidade do fruto do ESPÍRITO. É produzida pelo ESPÍRITO, vem de DEUS, não do homem.
É aquele desejo que vem em nosso coração de ajudar as pessoas. Quem se deixa dominar pelo ESPÍRITO vai e realiza esse.desejo do ESPÍRITO, quem está dominado pela carne não realiza e ainda crítica quem realiza.
Benignidade e Bondade são frutos gêmeos? São duas qualidades do fruto do ESPÍRITO muito parecidas. A benignidade vê o bem que deve ser feito e a bondade vai e faz.
Em sua Benignidade DEUS viu o homem condenado e em sua Bondade enviou JESUS para nos salvar.
 

 
II - HOMICÍDIO, A DESTRUIÇÃO DO PRÓXIMO
1. Não matarás.
Só DEUS tem o direito de matar. "Não matarás" (Êx 20.13Dt 5.17). S
DEUS providenciou leis acerca deste mandamento - Para os homicídios dolosos, ou seja, quando uma pessoa mata a outra intencionalmente (Dt 27.24,25) e culposos, quando não há intenção de matar (Dt 19.4-6). Existiam as cidades de refúgio para acontecerem ali os julgamentos de todos que matavam, com ou sem a intenção para isto.
 
Nosso código penal fala de alguns crimes que hoje podem ser justificáveis, ou melhor, que excluem a criminalidade. No artigo 23 do código penal está escrito: Não há crime quando o agente pratica o fato: I Em caso de necessidade;II em legítima defesa;III em estrito cumprimento de dever legal ou no exercício de direito. Primeiro, estado de necessidade que configura a ação de alguém que, em frente a uma grande necessidade, age devido a um grande perigo, que não foi provocado por sua própria vontade e que não lhe dá a outra opção.Exemplo: Duas pessoas estão em alto - mar , mas há apenas um salva-vidas no barco, de modo que um lutará para se salvar, condenado o outro à morte.Dr. Osiel Gomes. página 100.
Juridicamente  chamadas de Excludentes de Ilicitude,  são elas:
a)  Legítima defesa
b) Estado de necessidade e,
c) Estrito cumprimento do dever legal                       
Há também as Excludentes de culpabilidade.
 
CIDADE DE REFÚGIO - Tesouro de Conhecimentos Bíblicos – Emílio Conde - CPAD
A instituição legal que assegura um lugar de refúgio a um criminoso especialmente um assassino perseguido pela justiça e pelos vingadores da vítima. encontra-se em todas as partes e em todos os tempos.
Em Números 35.9-34, está registrada a ordem de Deus a Moisés para estabelecer cidades de refúgio na Palestina. Havia então uma organização judicial também.
Deus ordenou a Moisés que estabelecesse seis cidades de refúgio, logo que tomasse posse da terra de Canaã.“Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo: Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando * passardes o Jordão, à terra de Canaã, fazei com que vos estejam à mão cidades que sirvam de cidade de refúgio, para que ali se acolha o homicida que ferir alguma alma por erro. E estas cidades vos serão por refúgio do vingador do sangue, para que o homicida não morra, até que esteja perante a congregação no juízo. E das cidades que derdes haverá seis cidades de refúgio para vós. Três destas cidades dareis daquém do Jordão, e três destas cidades dareis na terra de Canaã; cidades de refúgio serão” (Nm 35.9-14).
Estas 6 cidades Serviam para acolher e guardar em segurança aqueles que, por erro ou por engano, matassem alguém, até que eles comparecessem perante o tribunal, para que fossem julgados.
Essa medida acauteladora era sábia e necessária, pois, naqueles dias, qualquer que derramasse sangue, com sangue pagaria o seu ato.
Chamamos a atenção dos leitores para este detalhe: os parentes do ferido ou do morto tinham o direito de vingar a morte do ente querido, matando o homicida onde quer que o encontrassem. Foi para evitar enganos ou injustiças na aplicação da lei que dava ao parente o direito de tirar a vida ao que a vida sacrificou do seu próximo, que se estabeleceram as cidades de refúgio.
Será útil e necessário saber-se como funcionavam as cidades de refúgio. Suas portas estavam abertas de dia e de noite, e havia anciãos em cada porta, prontos para receberem aqueles que procuravam abrigo. Havia, também, estradas largas, bem cuidadas, e com indicações para as cidades de refúgio. Garantia-se, assim, a integridade do homicida que ali se abrigasse; isso, porém, não evitava que ele comparecesse perante o tribunal para ser julgado.
As cidades de refúgio, portanto, segregando o culpado e entregando-o ao tribunal para ser julgado, contribuíam para abrandar o ódio entre os inimigos e fazia arrefecer o desejo de vingança, de modo que as contendas entre as famílias e tribos diminuíam e até se extinguiam.
Tratando-se de um assassinato premeditado, o réu era entregue aos vingadores da vítima. Segundo uma cláusula, provavelmente mais recente, por ocasião da morte do sumo sacerdote havia uma espécie de anistia a todos os foragidos, e eles podiam regressar às suas propriedades.
Para os cristãos, o verdadeiro refúgio, o perfeito abrigo, é Jesus Cristo, o Filho de Deus, no qual todas as almas, além do refúgio e segurança, encontram, também, orientação para a vida e remédio para a morte.
A instituição legal que assegura um lugar de refugio a um criminoso, encontra-se em toda a parte e em todos os tempos.
 
O Senhor JESUS advertiu-nos para a possibilidade de matar alguém apenas falando com ele ou falando mal dele (Mt 5.21, 22). Para quem aborrece o seu irmão é homicida (1 Jo 3.15). JESUS nos ensinou a amar e a perdoar e a abençoar até nossos inimigos.
μισεω miseo – Dicionário Strong em Português
1) odiar, detestar, perseguir com ódio
2) ser odiado, detestado
αγαπη ágape – Dicionário Strong em Português
1) amor fraterno, de irmão, afeição, boa vontade, amor, benevolência
2) banquetes de amor
Mt 5.43 “Há um ditado assim: Ame os seus amigos e odeie seus inimigos”. 44 “Porém Eu digo: Amem os seus inimigos! Orem por aqueles que perseguem vocês! ” 45 “Dessa forma vocês estarão agindo como verdadeiros filhos do seu Pai do Céu.
 
 
2. Aborto, a morte de um inocente indefeso.
ABORTO - Enciclopédia Ilúmina Gold
ABORTO - Expulsão do feto antes do tempo em que possa permanecer vivo fora do útero materno (Jó 3.16).
O QUE TEM DEUS A DIZER SOBRE A VIDA NO ÚTERO? Jeremias 1:1-5
VERSíCULO CHAVE: Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e antes que saísses da madre, te consagrei e te constitui profeta às nações. (Jeremias 1:5)
AS PESSOAS TÊM VALOR MESMO ANTES DE NASCEREM.
Deus lhe conheceu, como conheceu a Jeremias, muito antes de você nascer ou ser concebido. Ele lhe conheceu, pensou a seu respeito, fez planos para você. Quando você se sentir desencorajado ou inadequado, lembre-se que Deus sempre o considerou valioso e sempre teve um propósito para você.
Salmo 139: 1-24
Pois tu formaste o meu interior, tu me teceste no seio de minha mãe. Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste. (Salmo 139: 13-14)
DEUS OBRA NA VIDA DAS PESSOAS AINDA DENTRO DO ÚTERO
O caráter de Deus participa na criação de cada pessoa. Quando você se sente sem valor, ou começa a se odiar, lembre-se que o Espírito de Deus está pronto e disposto a obrar em você. Deus pensa em você constantemente (Salmo 139: 1-4). Devemos nos respeitar tanto quanto o Criador nos respeita.
O QUE ESTÁ POR TRÁS DO ABORTO HOJE?
2 Crônicas 28:1-8
 Tinha Acaz vinte anos de idade, quando começou a reinar,e reinou dezesseis anos em Jerusalém; e não fez o que era reto perante o Senhor, como Davi seu pai (2 Crônicas 28:1).
O ABORTO É UM PECADO CONTRA DEUS.
Tente imaginar a monstruosidade de uma religião que oferece criancinhas como sacrifícios. Deus permitiu que Judá sofresse pesados danos como conseqüência das maldades de Acaz. Esta prática perdura até os dias atuais. O sacrifício de crianças aos duros deuses da conveniência, economia e desejos fugazes continua em clínicas esterilizadas em quantidades que assombrariam ao próprio Acaz. Se queremos permitir que crianças se aproximem de Jesus, precisamos primeiro permitir que venham ao mundo.
No caso de Manoá e sua esposa, DEUS lha proibiu de beber bebida alcoólica antes mesmo de ficar grávida de Sansão, pois era estéril. Para DEUS Sansão já existia desde aquele momento que falou com a mulher que ela iria ficar grávida e ter um filho. A vida começa antes do útero para DEUS.
 
O aborto é considerado homicídio tanto na Bíblia quanto em nosso código penal. Se trata de um atentado contra a vida de um indefeso.
DEUS é o doador da vida (Is 45.12Mt 10.28).
Algumas mulheres, desprezando o ensinamento bíblico, acreditam que o aborto deve ser uma escolha da mulher, que dizem elas, serem possuidoras de seu próprio corpo.
DEUS não nos deu o direito de decidir sobre vida e morte. DEUS deu a vida e só Ele pode tirá-lá.
A Eutanásia é outro homicídio praticado por muitos, hoje em dia.
 
Dicionário Teológico - Claudionor Correia de Andrade - CPAD.
[Do lat. abortum ] Etimologicamente, o vocábulo aborto significa desaparecer na linha do horizonte; morrer, perecer. Este termo evoca a imagem do último entardecer, quando, apagando-se o sol, aparece a noite. Mostra-nos este quadro o que o aborto provoca a um ser que, fora bem recebido, muitas contribuições haveria de trazer à humanidade. A definição não se limita à poesia; é conclusivamente ética: o aborto é um crime; em nada difere de um homicídio.
Segundo a medicina, "é a expulsão do ovo antes da viabilidade, isto é, antes de o feto ser capaz de sobrevida ex- tra-uterina".
Há, como se sabe, o aborto provocado e o espontâneo. A interrupção da gravidez é tida como provocada quando resulta da interferência intencional da gestante, do médico ou de qualquer outra pessoa. É a suspensão criminosa da gravidez. Mas, acima de tudo, é o quebrantamento da santidade da vida, pois a ordenança divina é mais que explícita: "Não matarás" (Êx 20.13).
No Salmo 139, Davi revela com que desvelo acompanha o Senhor Deus a concepção do ser humano: "Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem; os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda" (Sl 139.14-16
).
Embora o aborto seja um tema que pertença mais à bioética e ao bio-direito, vem adquirindo grande importância teológica porque a sua prática fere um dos mais valiosos princípios da Palavra de Deus: a santidade da vida. 
 
 
 
3. O primeiro homicídio.
Em Gênesis já acontece o primeiro homicídio motivado por ciúmes e inveja. trata-se do assasinato de Abel por parte de Caim (Gn 4.8-11). Quando os dois filhos de Adão e Eva vão oferecer a DEUS um sacrifício, cada um oferece o que lhe apraz:
Abel quer oferecer uma adoração legítima e eterna - sua própria vida (que é substituída por um animal - sangue de uma animal em lugar de seu sangue). Prefigurando o sacrifício de JESUS por nós, assim como Abraão teve o substituto para seu filho, um animal, Abel teve um substituto para si, um animal. Porém, para JESUS não havia substituto e DEUS o ofereceu por nós e em nosso lugar, para nossa salvação. DEUS é BOM. O Senhor olhou com agrado para Abel e para sua oblação.
Caim oferece uma dádiva do próprio DEUS - Caim ofereceu frutos da terra em oblação ao Senhor. O Senhor não atentou para Caim, nem para os seus dons.
DEUS amaldiçoou Caim por isso (Gn 4.15). Homem algum pode zombar de DEUS, porque todo o pecado tem a sua recompensa (Gl 6.7).
 
CAIM - Enciclopédia Ilúmina Gold
Caim foi o primeiro filho de Adão e Eva. Ele era um fazendeiro enquanto seu irmão, Abel, era pastor. O assassinato de Caim sobre Abel tornou-se um exemplo de outra similar violência e pecado destrutivo (Judas 1:11). Cada um dos dois irmãos trouxeram um sacrifício a Deus (Genesis 4:3-4). De acordo com Hebreus 1:14, Abel agiu em fé trazendo um sacríficio mais aceitável do que Caim. Quando Caim ficou irado, ele se rebelou contra Deus. e por causa disso ele matou Abel (Genesis 4:5-8). Quando os Estudiosos da Palavra tentam entender o porque desta reação tão violenta de Caim, muitos deles simplismente dizem que Caim pertencia ao maligno (1 John3:12). Deus confrontou Caim com a sua culpa, julgando-o, amaldiçoando-o e levando-o para fora da terra de Node, a qual era ao oriente do Jardim do Éden (Genesis 4:9-16). Quando Caim reclamou que sua punição era maior do que ele podia aguentar e que alguém o acharia e o mataria, Deus fez uma marca em Caim e prometeu se vingar de qualquer pesoa que tentasse o matar.
Na terra de Node, Cain construiu uma cidade e a nomeou depois de seu filho Enoque (Genesis 4:17). Através de Enoque e seus descendentes, Caim se tormou o cabeça de uma família muito grande. Na maoir parte, as pessoas de sua família viviam em tendas. Eles viviam como pastores, músicos e artesãos que faziam objetos e ferramentas de metal (Genesis 4:18-22).
 
III - SEJAMOS BONDOSOS E MISERICORDIOSOS
1. Servindo ao outro com amor.
JESUS sempre é nosso ideal. Ao contrário do que nossos líderes pensam, JESUS veio para dar sua vida por nós e não para nos tirar alguma coisa. JESUS veio para servir. Mt 20.28).
Precisamos mostrar ao mundo nosso serviço e compaixão (Mt 5.13,14). Levarmos as cargas uns dos outros (Gl 6.2).
O amor de DEU derramado em nossos corações pelo ESPÍRITO SANTO nos impelirá a fazer o bem, a sermos sempre bondosos e misericordiosos. Deixemo-nos conduzir pelo ESPÍRITO SANTO e as qualidades do Fruto do ESPÍRITO aparecerão para nos auxiliar.
SERVO - Enciclopédia Ilúmina Gold
1) Empregado (Mt 25.14, NTLH).
2) ESCRAVO (Gn 9.25, NTLH).
3) Pessoa que presta culto e obedece a Deus (Dn 3.26Gl 1.10) ou a Jesus Cristo (Gl 1.10). No NT Jesus Cristo é chamado de “o Servo”, por sua vida de perfeita obediência ao Pai, em benefício da humanidade (Mt 12.18; RA: At 3.134.27).
 
 
2. Ajudando o ferido.
Nossa geração de cristãos tem demonstrado ser a pior dentre todas as outras. O egoísmo, o amor ao dinheiro e as distrações têm roubado o coração dos crentes. (2 Tm 3.1).
O amor está em baixa e cada qual cuida de si mesmo e mal de sua família.
Cristo dá o exemplo de um pobre judeu em apuros, socorrido por um bom samaritano. Este coitado caiu nas mãos de ladrões que o deixaram ferido e quase moribundo. Os que deveriam ser seus amigos o ignoraram, e foi atendido por um estrangeiro, um samaritano, da nação que os judeus mais desprezavam e detestavam, com os que não queriam ter tratos. É lamentável observar quanto domina o egoísmo nestes níveis; quantas escusas dão os homens para poupar-se problemas ou gastos em ajudar o próximo. O verdadeiro cristão tem escrita em seu coração a lei do amor. O Espírito de Cristo mora nele; a imagem de Cristo se renova em sua alma. A parábola é uma bela explicação da lei de amar ao próximo como a um mesmo, sem acepção de nação, partido nem outra distinção. Também estabelece a bondade e o amor de Deus nosso Salvador para com os miseráveis pecadores. Nós éramos como este coitado viajante em apuros. Satanás, nosso inimigo, nos roubou e nos feriu: tal é o mal que nos faz o pecado. o bendito Jesus se compadeceu de nós. O crente considera que Jesus o amou e deu sua vida por ele quando éramos inimigos e rebeldes; e tendo mostrado misericórdia, o exorta a ir a fazer o mesmo. é o nosso dever, em nosso trabalho e segundo a nossa capacidade, socorrer, ajudar e aliviar a todos os que estejam em apertos e necessitados.
 
Ensinamentos Públicos. lucas 10:25 (Comentário Bíblico Moody)
25. Um certo ... intérprete da lei. Na comunidade judaica o "doutor da lei" era um perito nos ensinamentos religiosos da lei mosaica e não propriamente um advogado jurídico. Pôr... em provas. O doutor estava experimentando Jesus para ver o que ele diria em resposta a uma pergunta ardilosa. Vida eterna era um assunto corrente nos debates religiosos (18:18).
26. Que está escrito na lei? O Salvador aceitava a autoridade do V.T. como a revelação de Deus. Sua pergunta dá a entender que o doutor da lei poderia encontrar a resposta para sua dúvida nas próprias Escrituras se ele realmente as estudasse.
27. A isto ele respondeu. A resposta do doutor da lei foi um composto de dois textos – Dt. 6:5 e Lv. 19:18. O primeiro fazia parte do Shema Judeu, ou credo, que costumava ser recitado nos cultos nas sinagogas.
Coração (gr. kardia) é a vida interior, não necessariamente apenas emoção. Alma (gr. psyché) é personalidade, o ser consciente. Forças (gr. ischuî) é a força física. Entendimento (gr. dianoia) é a capacidade de pensar.
29. Querendo justificar-se. Percebendo que fora apanhado por suas próprias palavras, uma vez que não guardara a Lei, o doutor começou a tergiversar sobre uma definição. Judeus estritos não reconheceriam que qualquer que não era judeu era o próximo.
30. Certo homem. Embora a história de Jesus seja chamada de parábola, pode muito bem ter sido a narrativa de um acontecimento real. Descia de Jerusalém. Literalmente verdadeiro, pois Jerusalém fica cerca de 800 m acima do nível do mar, e Jericó fica perto de cerca de 400 m abaixo do nível do mar. A estrada é cheia de curvas e estreita, serpenteando entre desfiladeiros rochosos, onde salteadores podiam facilmente se esconder.
32. Um levita. Os levitas serviam no Templo. Nem o sacerdote nem o levita tentaram ajudar o homem. Talvez pensassem que estivesse morto, e não quiseram se contaminar pelo contato com um cadáver.
33. Certo samaritano. Os samaritanos eram desprezados pelos judeus porque descendiam de gentios e porque seu tipo de culto era diferente do judaísmo ortodoxo. Eles adoravam no Monte Gerizim e não em Jerusalém, e mantinham um sacerdócio deles mesmos. Um pequeno grupo ainda sobrevive na aldeia de Nablus, perto do local da antiga Siquém.
34. Chegando-se. Se os salteadores ainda estivessem escondidos nas proximidades, o samaritano estava arriscando a sua vida. Jesus mostrou que o samaritano teve a atitude de amor que a Lei exigia.
35. Dois denários. O equivalente ao salário de dois dias. Ele estava pagando as despesas de um completo estranho, só por causa de sua boa vontade.
36. Qual ... ter sido o próximo? Esta pergunta envergonhou o doutor e obrigou-o a admitir que o verdadeiro próximo não foi nenhuma das autoridades sacerdotais do Judaísmo, mas o samaritano.
 
 
Imitemos o Bom Samaritano, sejamos como aquele que acolhe e ajuda ao ferido (Lc 10.25-37).
 
3. Ajudando os irmãos.
Duas esferas da beneficência cristã foram sugeridas – a todos e aos da família da fé. O último grupo é obrigação especial (principalmente) dos filhos de Deus. Se alguém negligenciar o cuidado dos seus (e os crentes são a família de Deus), ele é pior do que um incrédulo (I Tm. 5:8). (Comentários Moody)
 
Porque aprouve à Macedônia e à Acaia levantar uma coleta em benefício dos pobres dentre os santos que vivem em Jerusalém. Isto lhes pareceu bem, e mesmo lhes são devedores; porque, se os gentios têm sido participantes dos valores espirituais dos judeus, devem também servi-los com bens
Por isso, enquanto (ainda) tivermos oportunidade, façamos o bem a todos. O mesmo período que em Gl 1.4 ainda era chamado de “era perversa” (nvi), tem para a igreja cristã simultaneamente o valor de uma oportunidade propícia, a qual cumpre aproveitar. Isso seguramente acontece transmitindo-se a boa mensagem. Apenas que no presente contexto Paulo não nutre o alvo de dizer o bem, mas de fazer o bem. Cabe tornar compreensível para cada pessoa, por meio da bondade prática, que também temos algo de bom para dizer, que o evangelho é profundamente bom. Pois o próprio Deus faz acompanhar de bondade sua palavra à humanidade. Ele mantém o mundo caído, abençoa-o ano após ano com boas dádivas e suporta malfeitores com paciência. Seu povo está convocado para ser perfeito como ele é perfeito (Mt 5.48), e posicionar-se integralmente do seu lado. Neste contexto cabe também esse fazer o bem por parte dos cristãos. Deve-se notar que essa prática do bem não é exatamente coincidente com seus esforços evangelísticos, mas está muito antes relacionada a eles como uma peça complementar. Tem o mesmo grupo-alvo. Assim como o evangelho se dirige a todos, também as boas obras dos fiéis devem acontecer em relação a todos. Acrescenta-se ainda um adendo que parece restringir o universalismo cristão. A prática do bem vale, mas principalmente aos da família da fé. Ou seja, será que agora o amor de novo circula principalmente nas próprias fileiras? Isso o tornaria questionável. Mas será uma ajuda para compreender essa palavra tomarmos o termo “família” literalmente. Na maior parte, as igrejas existiam como igrejas domiciliares. Tudo se desenrolava em ambientes de moradia apertados e de fácil supervisão. Nessas circunstâncias, a superação espiritual dos problemas do convívio dentro da igreja tornava-se a prova dos noves para o amor em geral. Não fazia sentido pregar o amor universal a todos e aos mais distantes, mas negar literalmente o amor ao próximo na igreja domiciliar. A lógica situa-se bem na linha de 1Tm 5.8: “Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente”. (Comentário Esperança N.T)
 
Muitas vezes, ao lado de nossa casa tem alguém doente, desempregado, passando necessidades básicas no vestuário e na alimentação. Muitas vezes perdemos as almas de nossos vizinhos, enquanto corremos o mundo atrás das almas.Talvez dentro da igreja tenha irmãos passando por grandes necessidades sem ninguém saber.
É dever de a igreja organizar arrecadação de cestas básicas para ajudar aos pobres que vivem em seu derredor. Só assim teremos maior facilidade em ganhar as almas que estão perecendo sem DEUS, sem paz e sem salvação.
 
Não amemos apenas de palavras, mas também em ações, movidos pelo amor e bondade de DEUS.
 
CONCLUSÃOA bondade é o firme compromisso para o benefício dos outros, a bondade é mais uma qualidade do fruto do espírito. DEUS tem em Si a bondade. Temos vários exemplos de pessoas que demonstraram a bondade de DEUS em suas vidas, como por exemplo, Jó e Dorcas.
A bíblia, através de João nos revela que é homicídio e destruição do próximo o ódio. A ordem de DEUS é: “não matarás”. Só DEUS tem autoridade sobre a vida. O aborto é a morte de um inocente indefeso. Vemos o primeiro homicídio surgir por inveja e ciúmes na vida de Caim que matou seu irmão Abel. Sejamos bondosos e misericordiosos servindo ao nosso semelhante com amor, ajudando o ferido e ajudando os irmãos.
____________________________________________________
 
VÁRIOS COMENTÁRIOS DE LIVROS COM ALGUMA CORREÇÃO DO Pr. Luiz Henrique
 
Tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, dois elementos aparecem em particular: uma bondade que se baseia na misericórdia (hesed, chrestotes), e uma que se baseia na bondade moral de Deus (tob, agathosune). Desta maneira, em algumas ocasiões, a bondade de Deus é manifesta: “A terra está cheia da bondade do Senhor” (Sl 33.5; cf. Sl 52.1; 107.8); “Desprezas tu as riquezas da sua benignidade [bondade]... ignorando que a benignidade de Dens te leva ao arrependimento?” (Rm 2.4). Em outras ocasiões, a perfeição e a bondade de Deus vêm à tona (Nm 10.32; Sl 16.2; 23.6; Gl 5.22; 2 Ts 1.11). Uma das qualidades do fruto do Espírito é a bondade (agathosune) no sentido da santidade e da justiça cristã (Gl 5.22). Isto está de acordo com o objetivo da nossa vida cristã, que é o de sermos semelhantes ao nosso Pai Celestial, tanto em caráter quanto em atitudes, assim como Cristo nos ensinou no Sermão do Monte (Mt 5.48). Deixemos o ESPÍRITO SANTO nos guiar à bondade perfeita de DEUS. (Dicionário Wycliffe).
αγαθω συν η - agathosune - Lê-se Ágatôsini  - também pode ser usado χρηστοτης - chrestotes - Lê-se Cristotês
“Bondade” (gr. agathosune), i.e., zelo pela verdade e pela retidão, e repulsa ao mal; pode ser expressa em atos de bondade (Lc 7.37-50) ou na repreensão e na correção do mal (Mt 21.12,13). (BEP - CPAD)
 
Mateus 5.20-2620 - Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos céus. 21 - Ouvistes que foi dito aos antigos:Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo. 22 - Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão será réu de juízo, e qualquer que chamar a seu irmão de raca será réu do Sinédrio; e qualquer que lhe chamar de louco será réu do fogo do inferno. 23 - Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti,  24 - deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem, e apresenta a tua oferta. 25 - Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão. 26 - Em verdade te digo que, de maneira nenhuma, sairás dali, enquanto não pagares o último ceitil.
A verdade implícita de Mateus 05:20 é a seguinte:O propósito da lei de DEUS era mostrar que, para agradar a DEUS e ser digno da cidadania no seu reino, mais justiça é necessário que qualquer um pode, eventualmente, ter ou realizar em si mesmo. O objetivo da lei não era mostrar o que fazer, a fim de fazer-se aceitável, muito menos para mostrar o quão bom um já é, mas para mostrar quão pecadores e desamparados todos os homens são em si mesmos. (Esse é um dos temas de Paulo em Romanos e Gálatas.) Como o Senhor apontou para os judeus na primeira bem-aventurança, o passo inicial para a cidadania reino é pobreza de espírito, reconhecendo a sua própria miserabilidade total e inadequação diante de DEUS.
A identidade dos escribas e fariseus
Como Ezra (Esdras 7:12), o mais antigo grammateōn (escriba), foram encontrados transmissores da Bíblia somente entre os sacerdotes e levitas. Eles gravaram, estudaram, interpretaram, e muitas vezes ensinaram a lei judaica. Embora houvesse escribas entre os saduceus, a maioria estava associada com os fariseus. Israel tinha dois tipos de escribas, civis e eclesiásticos. Os escribas civis trabalhavam pouco como notários, e estavam envolvidos em várias funções governamentais. Sinsai (Esdras 4:8) foi um escriba. Os escribas eclesiásticos dedicaram seu tempo para estudar as Escrituras, e vieram a ser seus intérpretes primários e articuladores.
No entanto, como JESUS deixou claro, eles não conseguiram entender o que estudaram e ensinaram. Mesmo com sua dedicação à Palavra de DEUS, continuaram sendo superficiais em seu entendimento, eles perderam a sua profunda revelação espiritual.
Os influentes e rígidos fariseus eram particularmente confiantes em seu sistema de justiça. Os judeus tinham um ditado que dizia:"Se apenas duas pessoas vão para o céu, um será um escriba e o outro um fariseu." Aqueles homens estavam completamente convencidos de que DEUS era obrigado a honrar as suas obras dedicadas e exigentes. Em comparando-se com as normas que haviam estabelecido e, especialmente, em si mesmos, comparando com o judeu em média, para não mencionar Gentios, eles não podiam imaginar um DEUSque não estivesse impressionado com a sua bondade.
No entanto, como muitos estudiosos sérios e capazes em toda a história da igreja, os fariseus do judaísmo também estavam cegos para o significado das palavras que diligentemente estudavam e discutiam.
De muitas maneiras, os escribas e fariseus eram como os teólogos liberais de nossa própria época. Eles estudavam termos bíblicos e redefinia-os de acordo com suas próprias perspectivas humanas e filosofia. Eles mudavam ensinamentos bíblicos, comandos e padrões para conformá-los de acordo com seus próprios desejos e capacidades.
Como, por exemplo, "Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou santo" (Lev. 11:44) eles não interpretavam como uma chamada à pura atitude de coração, mas como uma exigência para realizar certos rituais. Eles sabiam que não podiam ser santos, da mesma forma que DEUS é santo, e não tinham nenhum desejo de ser assim. Então simplesmente mudaram o significado de santidade.
Paulo nos ensina que:Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; 2 Timóteo 4:3
 
A Retidão que DEUS precisa
justiça de DEUS exige de seus cidadãos do Reino que superem a justiça dos escribas e fariseus . O termo supera é usado de um rio que transborda dos seus leitos, enfatizando que é muito superior ao normal. O Senhor exige justiça genuína, verdadeira santidade que excede em muito qualquer coisa humana e que só existe no coração redimido. O salmista escreveu:"A filha do Rei está toda gloriosa por dentro, sua roupa está entrelaçada com o ouro" (Sl 45:13).. Quando o interior é bonito, beleza exterior é adequada; mas sem beleza interior, exterior é adorno e fingimento.
DEUS sempre se preocupou em primeiro lugar com a justiça interior. Quando Samuel estava pronto para ungir o filho mais velho de Jessé, Eliabe, para ser o sucessor de Saul, o Senhor disse:"Não olhe para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque DEUS não vê como vê o homem, O homem vê o exterior, porém o Senhor olha para o coração "(1 Sam. 16:7).
DEUS não só exige justiça interior, mas perfeita justiça. "Portanto, você deve ser perfeito, como o vosso Pai celeste é perfeito" (Mat. 5:48). Para ser qualificado para o reino de DEUS, devemos ser tão santos quanto o próprio Rei ou estarmos procurando e buscando por tal perfeição. Esse padrão é tão infinitamente grande que até mesmo a pessoa mais hipócrita não ousaria ter a pretensão de possuí-la ou ser capaz de alcançá-la.
A Retidão que DEUS Dá
Esta impossibilidade leva a pessoa sincera a se perguntar como um coração tão santo é obtido, para fazer a pergunta os discípulos de JESUS um dia lhe perguntaram:"Então, quem pode ser salvo?" (Mat. 19:25). E a única resposta é a que JESUS deu naquela ocasião:"Aos homens é isso impossível, mas a DEUS tudo é possível" (v 26)..
Aquele que exige justiça perfeita dá a perfeita justiça. Aquele que nos fala do caminho para o reino é mesmo assim. "Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim" (João 14:6), disse JESUS. O rei não só define o padrão da justiça perfeita, mas Ele mesmo vai trazer ninguém até que a norma que está disposta a entrar no reino em termos do Rei.
"Um homem não é justificado pelas obras da Lei, mas pela fé em CRISTO JESUS, ... desde que pelas obras da lei nenhuma carne será justificada" (Gl. 2:16). Para ser justificado, deve ser feito justo, e se tornarão justos por CRISTO que é o único caminho para se tornarem justos.
"Mas agora, sem lei, a justiça de DEUS se manifestou, tendo o testemunho da Lei e dos Profetas, justiça de DEUS mediante a fé em JESUS CRISTO para todos os que crêem" (Rom 3:21-22). A fé sempre foi o caminho de DEUS para a justiça, a verdade que os escribas e fariseus, os especialistas sobre o Antigo Testamento, deveriam ter aprendido e ensinado a todas as outras pessoas. Como Paulo lembrou aos seus leitores judeus em Roma, "Mas, o que diz a Escritura:Abraão creu em DEUS, e isso lhe foi imputado como justiça?" (Rom 4:3). Ele citou o livro de Gênesis (15:6), o primeiro livro do Antigo Testamento. O primeiro patriarca, o primeiro judeu, foi salvo pela fé, não pelas obras (Rom 4:2), nem pelo ato de circuncisão (10 v.). Abraão "recebeu o sinal da circuncisão, selo da justiça da fé que teve quando ainda incircunciso, que ele poderia ser o pai de todos os que crêem sem serem circuncidados, que a justiça pode ser concedida a eles" (v. 11).
O incircunciso inclui aqueles tanto antes como depois de Abraão. Ele era o pai dos fiéis, mas ele não foi o primeiro dos fiéis. "Pela fé, Abel ofereceu a DEUS um sacrifício melhor do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo" e "pela fé Enoque foi trasladado para que ele não visse a morte; e não foi achado, porque DEUS o levou para cima , pois ele obteve o testemunho de que antes de ele ser levado, era agradável (justo) a DEUS " (Hebreus 11:4-5.). Foi também apenas pela fé que Noé encontrou a salvação (v. 7). "Porque, se pela ofensa de um só [isto é, Adão], a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça reinarão em vida por um só, JESUS CRISTO" (Rm 5:17). "Assim como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, por JESUS CRISTO, nosso Senhor" (v. 21).
A justiça de DEUS exige, DEUS também dá. Ela não pode ser merecida, ganhou, sem merecimento, só acreditamos e aceitamos. Levando nosso pecado, CRISTO "condenou o pecado na carne, a fim de que a exigência da lei se cumprisse em nós" (Rom 8:4-5). DEUS deu o padrão impossível e, em seguida, mesmo providenciou o seu cumprimento. O pecado foi julgado e condenado e a justiça aplicada sobre ele. JESUS levou nossos pecados sobre Ele e morreu em nosso lugar.
O escritor de romanos tinha consideravelmente mais pretensão de justiça feita pelo homem do que a maioria dos escribas e fariseus a quem JESUS falou. "Se alguém pensa  confiar na carne, eu poderia muito mais", escreveu Paulo; "Circuncidado ao oitavo dia, da nação de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei, fariseu; quanto ao zelo, perseguidor da Igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível "(Fp. 3:4-6).
Mas quando o apóstolo foi confrontado pela justiça de CRISTO, ele também foi confrontado por seu próprio pecado. Quando viu o que DEUS tinha feito por ele, ele viu que o que ele tinha feito por DEUS era inútil, era nada, eram trapos de imundícia. "As coisas que para mim era lucro, essas coisas eu considerei perda por causa de CRISTO. Mais do que isso, considero tudo como perda, tendo em vista o valor de excelência do conhecimento de CRISTO JESUS, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas as coisas, e as considero como lixo, a fim de que eu possa ganhar a CRISTO, e pode ser encontrado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em CRISTO, a justiça que vem de DEUS com base na fé "(vv. 7-9).
"Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção" (1 Cor 1:30). Quando DEUS olha para imperfeitos, crentes pecadores, ele vê seu perfeito e inocente Filho. Nós nos tornamos "participantes da natureza divina" (2 Pe 1:4). Possuimos em nós mesmos a justiça do DEUS eterno e santo. É certo que, até a nossa carne também é redimida (Rom 8:23) porque a nossa justificação está em uma batalha contra o pecado. Mesmo assim, só somos justos em nossa posição diante de DEUS em CRISTO, e assim temos a nova capacidade de agir com retidão.
Aqueles que insistem em vir para DEUS em sua própria justiça e em seu próprio poder nunca irão alcançá-Lo; eles não entrarão no reino dos céus . Nenhuma igreja, nenhum ritual, nenhuma obra, nenhuma filosofia, nenhum sistema pode trazer uma pessoa a DEUS, nada disso pode justificá-la. Aqueles que, através de uma igreja, por meio de um culto, ou simplesmente através de seus próprios padrões pessoais, tentam alcansar o seu caminho para a graça de DEUS não sabem nada do que Sua graça é.
É trágico que muitas pessoas hoje, como os escribas e fariseus, tentam por alguma maneira se justificarem diante de DEUS, mas à sua maneira. Eles vão tentar pagar qualquer preço, mas não vão ser aceitos pelo preço que pagaram. Eles vão fazer qualquer trabalho que lhes for imposto para se justificarem, mas eles não serão aceitos, pois a obra necessária e única já foi consumada pelo Filho de DEUS por eles. Eles precisam só aceitar o presente de DEUS, o dom da Sua salvação gratuita. Tais pessoas são religiosas, mas não regeneradas, e eles, por seus esforços próprios, não entrarão no reino dos céus .
 
26 - A Atitude por Tras dos Atos (Uma Visão Geral de Mateus)
Desde o início do Sermão da Montanha JESUS se concentra no interior, sobre o que os homens são como em suas mentes e corações. Esse é o principal impulso de Mateus 5:21-48, como o Senhor enfatiza novamente os padrões divinos para viver em seu reino, os padrões divinos já dados na lei do Antigo Testamento, em contraste com a tradição judaica.
Ao contrário do que a justiça externa, superficial, e hipócrita que tipificou os escribas e fariseus, a justiça que DEUS requer é antes de tudo interno. Se ele não existir no coração, ela não existe em tudo. Apesar de ter sido esquecido ou negligenciado pela maioria dos judeus da época de JESUS, que a verdade foi apresentado a eles em todo o Antigo Testamento.
Salomão orou:"Ouve tu então nos céus, assento da tua habitação, e perdoa, e age, e dá a cada um conforme a todos os seus caminhos, e segundo vires o seu coração, porque só tu conheces o coração de todos os filhos dos homens." (1 Reis 8:39). Nas últimas palavras de Davi a Salomão, ele disse:"Quanto a você, meu filho Salomão, conhece o DEUS de teu pai, e servi-O de todo o coração e espírito voluntário; porque o Senhor esquadrinha todos os corações, e penetra todas intenções do pensamentos "(1 Crônicas 28:9.). Hanani, o vidente, lembrou o rei Asa, "Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é perfeito para com ele; nisto, pois, procedeste loucamente porque desde agora haverá guerras contra ti." (2 Crônicas 16:9.). "Todos os caminhos do homem são limpos aos seus olhos", nos é dito em Provérbios, "mas o Senhor pesa os motivos" (Prov. 16:2).
Que DEUS é, antes de tudo preocupado com o que os homens são como no interior é uma verdade central de ambos os Testamentos. Uma boa ação exterior é 'validado diante de DEUS só quando representa honestamente o que está no interior. "Eu, o Senhor, esquadrinho o coração, eu testo a mente, e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos, de acordo com os resultados de seus atos" (Jer. 17:10). No último livro da Bíblia, o Senhor adverte a igreja em Tiatira:"Eu sou aquele que sonda as mentes e os corações; e darei a cada um de vós segundo as suas obras" (Ap 2:23). Comportamento externo direito apenas agrada quando corresponde a atitudes internas certas e bem motivadas. "Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga é o Senhor. Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor. "(1 Cor 4:4-5.).
As boas ações presumidas dos escribas e fariseus orgulhosos auto-glorificantes não vieram de um coração puro nem de boas atitudes do coração. JESUS diz que são característicos de cidadãos do Reino:a pobreza de espírito (desejo conhecer mais a DEUS) morte para o pecado, a mansidão, a fome e sede de justiça, e assim por diante (vv. 3-12).
Porque JESUS sabia que seus ouvintes, especialmente os líderes religiosos hipócritas e de auto-satisfação, não poderiam entender o que ele estava dizendo, ele dedicou grande parte desse sermão para expor os princípios defeituosos e motivações do sistema legalista que tinha substituído o do próprio DEUS em sua Palavra revelada.
JESUS usou a frase "Vocês ouviram o que os antigos disseram"e para isso disse seis ilustrações corretivas nesta parte do seu sermão (ver vv. 21, 27, 31, 33, 38, 43). A frase faz referência à tradição rabínica, o ensino tradicional, e em cada ilustração JESUS contrasta o ensino humano com o ensino divino da Palavra de DEUS. Os exemplos mostram maneiras em que a justiça de DEUS supera a dos escribas e fariseus (cf. v 20).. Eles lidam com os temas específicos de assassinato, o pecado sexual, o divórcio, falando a verdade, retaliação, e amar os outros. No entanto, todos eles ilustram o mesmo princípio básico, o princípio JESUS diz que deve ser aplicado a todas as áreas da vida e:a justiça é uma questão do coração.
JESUS não está modificando a lei de Moisés, o ensinamento dos Salmos, os padrões dos profetas, ou qualquer outra parte da Escritura. A essência do que ele acabou de dizer nos versículos 17-20 é
(1) que o seu ensino está firmemente de acordo com toda a verdade, mesmo cada palavra, do Antigo Testamento" e
(2) que as tradições religiosas judaicas não conseguiu fazer isto corretamente.
Nas seis ilustrações encontradas nos versículos 21-48, JESUS primeiro refere-se a dois dos Dez Mandamentos, em seguida, a dois princípios mais gerais na lei de Moisés, e, finalmente, aos dois grandes princípios da misericórdia e amor. Assassinato e ofertas adultério com as questões fundamentais de preservação individual e social. Proteção da vida é a base do bem-estar individual e protecção do casamento é a base do bem-estar social. Divórcio e dizer a verdade envolve uma área mais ampla das relações sociais, e da misericórdia e do amor uma área maior ainda. As ilustrações passam da proteção de cada vida humana ao amor de toda a vida humana, incluindo os inimigos. Juntas, essas ilustrações afirmam que todas as áreas de nossas vidas devem ser caracterizadoas e medidas pelo padrão perfeito de DEUS da justiça interior.
Ambos os líderes judaicos e dentre o povo estavam espantados com a radical interpretação do conteúdo da Plavra de DEUS e o ensino que foi usado por JESUS: Se ele estava certo ou errado, era óbvio para eles que "Ele ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas" (Marcos 1:22).
Entre os ensinos mais incríveis de JESUS sobre as escrituras tradicionais era sua insistência de que tradição e Escritura estavam em conflito e que a justiça interior, e não a forma externa, é a característica central e necessária de um relacionamento correto com DEUS.
Cinco princípios básicos resumem a ideia central de Mt 5:21-48. 
O primeiro princípio é que o espírito da lei é mais importante do que a letra. A lei não foi dada como um conjunto mecânico de regras pelas quais os homens em seu próprio poder poderão reger a sua vida fora. Foi dado como um guia para o tipo de personalidade que DEUS requer.
O segundo princípio é que a lei é positiva, bem como negativa. Seu Proposito não é apenas para evitar o pecado interior e exterior, mas para promover a justiça de DEUS tanto interna quanto externa.
O terceiro princípio é que a lei não é um fim em si mesmo. Seu objetivo mais profundo vai além da purificaçaõ da vida do povo de DEUS. Seu Propósito supremo é glorificar a DEUS.
O quarto princípio é que só DEUS é qualificado para julgar os homens, porque só Ele pode julgar o coração dos homens. Somente o Criador tem o direito e a capacidade de julgar os mais profundos pensamentos e intensões internos de suas criaturas.
O quinto princípio é que cada ser humano é ordenado a viver de acordo com o padrão divino perfeito de acordo com a lei. Sabemos que esse mandamento é impossível para o homem cumprir, sendo assim, o próprio DEUS providenciou o cumprimento por meio de Seu Filho, JESUS CRISTO. O comandante da justiça também é o Doador da justiça; o Legislador também é o Redentor.
 
A Bondade Magnânima - αγαθω συν η - agathosune - Lê-se Ágatôsini  - também pode ser usado χρηστοτης - chrestotes - Lê-se Cristotês - Livro Obra da carne e fruto do ESPÍRITO - William Barclay
A dificuldade com a sexta virtude no fruto do ESPÍRITO é definir mais exatamente o que ela significa. Todas as demais, em número de oito, são explicitamente adornos do caráter cristão; mas em português bondade é um termo amplo e geral. A dificuldade com a palavra é que seu significado depende do contexto e da esfera em que se acha a excelência especifica que é descrita. Podemos dizer, por exemplo:“Aquele é um bom animal.” Se o animal for criado para o abate é usado como alimento, a bondade consiste na carne e gordura do corpo dele. Se o animal for conservado para a reprodução, seu valor estará no seu pedigree. Se o animal for para a corrida, sua bondade se achará nos seus músculos treinados e no fato de não ter carne excessiva. Geralmente dizemos que o homem é bom em alguma coisa; definimos a esfera em que a bondade opera. Alguém pode ser bom nos idiomas e ruim na matemática; pode ser bom nos esportes e ruim nos estudos acadêmicos; pode ser bom no seu trabalho e ruim como marido e pai. Pode ser bom de caráter, mas ruim de saúde.
“Bondade” , em si mesmo, é um termo bom geral, e devemos procurar definir mais de perto a esfera em que Paulo esta usando esta palavra. Começaremos citando duas sugestões quanto a linha geral do significado de bondade. A palavra é agathõsunè - e pode ser usada  χρηστοτης - chrestotes - Lê-se Cristotês.
As duas interpretações que citamos ligam chrèstotès (χρηστοτης - chrestotes - Lê-se Cristotês) e agathõsunè muito estreitamente. Lighfoot fez a distinção entre as duas, dizendo que há mais atividade em agathõsunè. Chrèstotès é uma qualidade do coração e emoção; agathõsunè é uma qualidade da conduta e ação. Uma indica intenção e outra ação de bondade. Elas se complementam. Nesta base poderíamos dizer que agathõsunè é chrèstotès em ação. É uma ideia atraente, mas computando-se os fatos não há nenhuma evidência explicita no sentido de as palavras serem assim diferenciadas no seu uso.
R. C. Trench segue a interpretação de Jerônimo. Segundo esta interpretação há uma qualidade de benignidade graciosa e atraente em chrèstotès, ao passo que em agathõsunè pode haver muito mais rigor e austeridade. Em chrèstotès, a benignidade é ressaltada; com agathõsunè o julgamento moral é enfatizado. Destarte, Trench diz que agathõsunè pode muito bem ser demonstrado no zelo pela bondade e verdade, na repreensão, correção e disciplina. JESUS demonstrou agathõsunè quando expulsou os compradores e os vendedores do Templo (Mt 21.13) e quando pronunciou suas ameaças e condenações contra os escribas e fariseus (Mt 23); mas demonstrou chrèstotès quando tratou com mansidão o arrependimento no coração da mulher que era pecadora e que ungiu os seus pês (Lc 7.37-50).
A dificuldade em definir o significado de agathõsunè é acentuada pelo fato de não ser uma palavra comum. Não ocorre nunca no grego secular.
Na LXX ocorre cerca de treze vezes, e no NT há somente três outras ocorrências da palavra.
Poderíamos ter procurado definir o significado deste substantivo examinando o adjetivo correspondente agathos, mas agora nos defrontamos com a dificuldade oposta. Agathos é uma das palavras mais comuns em grego. Na LXX ocorre quase 520 vezes e no NT 100 vezes; e seu alcance é bastante amplo. Pode descrever uma árvore (Mt 7.17); uma dádiva (Mt 7.11); um homem (Mt 12.35); um escravo (Mt 25.21); um mestre, sendo o próprio JESUS neste caso (Mt 10.17); terra fértil (Lc 8.8); a consciência de um homem (Ato 23.1); a vontade de DEUS (Rm 12.2); a esperança cristã (2 Ts 2.16); frutos e colheitas (Tg 3.17); palavras e ações (Ef 2.10; 2 Ts 2.17). A palavra agathos é tão ampla em seu significado a ponto de descrever aquilo que é excelente em qualquer esfera. A não ser que especifiquemos o seu sentido um pouco mais, ela não nos ajudaraá a definir agathõsunè. Examinemos, portanto, a pequena quantidade de material disponível. Examinemos a palavra na LXX.
i. Na LXX agathõsunè pode significar bondade em geral. O salmista escreve:“Amas o mal antes que o bem” , e o paralelo é:“Preferes mentir a falar retamente” (sal 52.3). Neste caso, agathõsunè e simplesmente um termo geral para “ bondade” em contraste com “maldade.”
ii. Na LXX pode significar prosperidade na vida.  “No dia da prosperidade,” diz o Pregador, “viva alegremente” (Ec 7.15). Não há vantagem numa vida bem-sucedida se o homem não recebe nenhuma alegria com a sua prosperidade (Ec 6.3). Com seu profundo pessimismo o Pregador diz que até mesmo se um homem vivesse dois mil anos, não gozaria o bem (Ec 6.6). “Boa e bela coisa é,” diz ele, “ comer e beber, e gozar cada um do bem de todo o seu trabalho” (Ec 5.17). Melhor é a sabedoria do que as armas de guerra, mas um só pecador desenfreado pode destruir muitas coisas boas, ou seja:pode desfazer muita prosperidade (Ec 9.18). Ec 5.10,11 é um versículo obscuro. A LXX diz: “Na multidão do bem são aumentados os que comem deste.” A ARA diz:“Onde os bens se multiplicam, também se multiplicam os que deles comem.” Moffatt ressalta melhor o significado:“Quanto mais o homem ganha, mais pessoas há para gastar.” Certamente na LXX agathõsunè significa prosperidade, mas isto não nos ajuda muito aqui.
iii. Na LXX pode ter a ideia de benefício. “Para quem trabalho eu,” diz o Pregador, “ se nego a minha alma os bens da vida?” (Ec 4.8). A ideia é: Por que me privo dos benefícios que poderia desfrutar? As palavras finais do livro de Neemias são:“ Lembra-te de mim, DEUS meu, para o meu bem” (Ne 13.31). Este também é um significado que não nos ajuda muito.
iv. Na LXX pode ter a ideia de generosidade. A acusação de Neemias contra o povo é: “Pois eles no seu reino, e na muita abundância de bens [lit. bondade] que lhes deste” (Ne 9.35). Diz a respeito das pessoas que entraram na Terra Prometida: “Comeram e se fartaram e engordaram, e viveram em delicias, pela tua grande bondade” (Ne 9.25). Regalavam-se, poderíamos dizer, na generosidade de DEUS. Agathõsunè, portanto, tem a ideia de generosidade, especificamente a generosidade de DEUS. As evidências neo-testamentárias desta palavra são escassas.
Nada mais podemos fazer a não ser registrar as três ocorrências dela fora desta passagem. Em 2 Ts 2.17 Paulo ora em prol do seu povo no sentido de que DEUS cumpra para com ele toda boa palavra [lit.]. Em Ef 5.9 Paulo diz que o fruto do ESPÍRITO consiste em toda a bondade, e justiça, e verdade. Em Rm 15.14, ele escreve a respeito dos cristãos de Roma:“E certo estou, meus irmãos, sim, eu mesmo, a vosso respeito, de que estais possuídos de bondade, cheios de todo o conhecimento, aptos para vos admoestardes uns aos outros.” Ainda temos pouca ajuda para estabelecer com exatidão o significado desta palavra. A melhor maneira de chegar ao significado desta palavra será comparando-a com duas outras; com uma delas forma um paralelo estreito, e da outra é a antítese. A palavra agathos frequentemente ocorre junto com a palavra dikaios, e agathõsunè varias vezes está em associação com a palavra dikaiosunè. Dikaios significa justo e dikaiosunê significa justiça. Os gregos definiam o justo como o homem que dá aos deuses e aos homens o que lhes é devido. Os escritores gregos, exatamente nesta base, definem, comparam e contrastam dikaiosunê e agathõsunè. A justiça, dizem eles, é a qualidade que dá ao homem o que lhe é devido; a benignidade é a qualidade que pretende fazer muito mais do que isto, e que deseja dar ao homem tudo quanto visa o seu beneficio e ajuda. O homem que é justo cumpre a sua obrigação segundo a letra; o homem que é benigno vai muito além. Neste ponto temos uma aplicação interessante. Os gnósticos diziam que o DEUS do AT é dikaios, justo, ao passo que o DEUS do NT é agathos, generoso e benigno. Falando de modo geral, no AT há o retrato de um DEUS que pôs em operação a lei moral, e de quem cada um recebe de acordo com os seus merecimentos. Falando de modo geral, no NT o retrato é de um DEUS que lida com os homens, não segundo a lei, mas segundo a graça, e que lhes dá, não aquilo que merecem, mas aquilo que Seu amor da gratuitamente, sem merecimento.
OU SEJA, NO AT A BONDADE DE DEUS SE MANIFESTA PELA LEI E NO NO NT PELA GRAÇA (Pr. Henrique).
 As Homílias Clementinas dizem que DEUS é tanto agathos quanto dikaios:agathos por perdoar o pecador arrependido, dikaios porque cada um recebe de acordo com suas ações depois de ter-se arrependido. A grande característica de agathõsunè é a generosidade que dá ao homem aquilo que nunca poderia ter merecido. Isto quer dizer que a ideia primaria de agathõsunè é a generosidade. Na justiça, não há espaço real para compaixão e misericórdia, porque elas simplesmente viriam interferir no decurso da justiça abstrata. Na benignidade estão presentes a compaixão e a misericórdia porque ela é a generosidade imerecida. A palavra com o significado oposto de agathos e ponêros. Ponèros é uma palavra bem geral para maligno ou mau. DEUS faz nascer Seu sol sobre maus {ponèros) e bons (agathos) (Mt 5.45). Os homens adquiriram o conhecimento do bem e do mal (Gn 2.9, 17). Ho Ponèros, o Maligno, é um dos títulos mais comuns para Satanás (Mt 6.13; Ef 6.16; 1 Jo 2.14). Mas ponèros tem um sentido especial. Ele é ressaltado especificamente na Parábola dos Trabalhadores na Vinha. No fim do dia, todos os trabalhadores receberam o mesmo pagamento, e aqueles que tinham cumprido um horário mais longo queixaram-se. O proprietário da vinha respondeu:“Porventura não me é licito fazer o que quero do que é meu? Ou são maus {ponèros) os teus olhos porque eu sou bom (agathos)!” (Mt 20.15). Moffatt traduz:“Estais com rancor porque eu sou generoso?” A BV traduz:“ Você se zanga porque eu sou bondoso?” Claramente naquela passagem ponèros significa avarento, mesquinho, rancoroso, e agathos significa magnânimo, generoso. É possível que ponèros tenha o mesmo significado em duas outras passagens do NT. Em Mt 6.23 JESUS diz:“ Se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas” , o que bem possivelmente significa:“ Se você for avarento, mesquinho e destituído de generosidade, sua vida inteira será sombras e escuridão” . JESUS alista entre os pecados do espirito o olhar maldoso, e mais uma vez pode significar um olhar mesquinho, ciumento, não-generoso:
Na LXX há alguns casos indiscutíveis de ponèros neste sentido. “Não comas o pão,” diz o Sábio, “ do mesquinho (ponèros) ” (Pv 23.6) “O homem avarento (ponèros) corre atrás das riquezas” (Pv 28.22). Há dois exemplos claros deste sentido em Deuteronômio. O homem mais mimoso e delicado na sua criação tem um olhar maldoso (ponèros) para com sua esposa, irmãos e amigos, ou seja:no seu desejo pelo luxo e mesquinho para com eles no tocante a tudo quanto precisa dar-lhes (Dt 28.54). Segundo os regulamentos em Deuteronômio, no Ano da Remissão, todo sétimo ano, todas as dividas eram canceladas e tudo voltava a “estaca zero” . Em tais circunstâncias era muito natural e até mesmo prudente que o homem mesquinho se recusasse a emprestar alguma coisa quando estava perto o Ano da Remissão, temendo nunca receber seu dinheiro de volta, pois as dívidas seriam canceladas. É estipulado, portanto, que o homem não deve ter um olhar maldoso (ponèros) contra seu irmão pobre, ao ponto de não lhe dar nada. Isto quer dizer que o homem não deve ser tão mesquinho ao ponto de não emprestar aos pobres em tal ocasião (Dt 15.9).
De modo claro, ponèros frequentemente significa avarento, mesquinho, ganancioso, e, portanto, agathos significara generoso, liberal, magnânimo. O homem agathos não é como o dikaios, que dá ao outro somente aquilo que ele merece; nem mais nem menos, ele é generoso para dar o que nunca foi merecido. O homem agathos não é como o ponèros que ressente-se por causa daquilo que deve dar; é generoso, de mãos e coração abertos. Agathõsunè é a generosidade que brota do coração benigno.
 
A Epístola aos Gálatas - χρηστοτης - chrestotes - Lê-se Cristotês (também pode ser usado αγαθω συν η - agathosune - Lê-se Ágatôsini)
A palavra “bondade” (chrestótes) tem seu uso comum tanto no grego bíblico, quanto no eclesiástico. Na LXX é o bem no sentido de bens terrenos (Ec 4.8; 5.10; 6.3) ou de felicidade (Ec 5.14), o bem que acontece a alguém (Ec 15.17; 6.6; 9.18). A bondade de DEUS é provada através dos bens que Ele concede na terra (2 Esd 19.25,35) ou guarda para o céu (2 Esd 23.31). É também o bem moral que se pratica (Jz 8.35; 9.16; 2 Cr 24.16; SI 51.5). Em Paulo, significa benignídade, gentileza. Refere-se a uma disposição gentil e bondosa para com os outros, é a característica de “ser bom”.
 
Comentário Bíblico - John Macarthur - NT - χρηστοτης - chrestotes - Lê-se Cristotês (também pode ser usado αγαθω συν η - agathosune - Lê-se Ágatôsini)
Bondade . chrestotes ( bondade ) refere-se a apresentação de propostas preocupação com os outros. Não tem nada a ver com fraqueza ou falta de convicção, mas é o desejo genuíno de um crente de tratar os outros com cuidado, assim como o Senhor o trata. Paulo lembrou aos Tessalonicenses: "E não buscamos glória dos homens, nem de vós, nem de outros, ainda que podíamos, como apóstolos de Cristo, ser-vos pesados; Antes fomos brandos entre vós, como a ama que cria seus filhos." (1 Tessalonicenses 2:6-7).
Bondade de JESUS é o exemplo do crente. Quando "algumas crianças foram levadas a Ele para que Ele colocasse as mãos sobre elas e orarasse, e os discípulos os repreendiam, ... JESUS disse: "Deixai os meninos, e não os estorveis de vir a mim; porque dos tais é o reino dos céus."(Mat. 19:13-14). Em outra ocasião Ele disse:"Vinde a mim, todos os que estais cansados ​​e sobrecarregados, e eu vos aliviarei Tomai o meu jugo, e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração;. E vós encontrareis descanso para as vossas almas "(Mateus 11:28-29.).
Assim como o seu Senhor é bondoso, Seus servos são ordenados a não "serem briguentos, mas [a] serem gentis com todos" (2 Tim. 2:24). E assim como ele faz com todas as outras manifestações de Sua divina bondade , o ESPÍRITO SANTO dá às crianças de DEUS bondade (2 Cor. 6:6).
 
Bondade  - χρηστοτης - chrestotes - Lê-se Cristotês  - (também pode ser usado αγαθω συν η - agathosune - Lê-se Ágatôsini) a derivação encontrada em Agathos ( bondade ) tem a ver com a excelência moral e espiritual que é conhecida por sua doçura e bondade ativa. Paulo ajudou a definir essa virtude, quando ele observou que "dificilmente haverá quem morra por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer" (Rm 5:7.). Um cristão pode ser moralmente correto, mas ainda não manifestar a graça de DEUS . Ele pode ser admirado e respeitado por seus elevados padrões morais e pode até ter um amigo que iria arriscar sua vida por ele. Mas a pessoa que também tem a bondade é muito mais provável de ter amigos abnegados.
José era um homem justo e bom. Quando soube que Maria estava grávida, sem ainda saber que era pelo ESPÍRITO SANTO ", sendo um homem justo", ele não poderia se casar com ela, supondo que ela tinha sido infiel. Mas, sendo também um bom homem, ele não podia suportar a idéia de desonrar sua amada Maria e, portanto, "desejou  deixá-la secretamente" (Mat. 1:19).
Davi tinha uma profunda compreensão da bondade de DEUS, como ele revela repetidamente em seus salmos. "Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor para sempre", alegrou-se (Sl. 23:6). Ele confessou que de fato, "Pereceria sem dúvida, se não cresse que veria a bondade do Senhor na terra dos viventes. " (Sl. 27:13).
Tal acontece com a graça que o ESPÍRITO proporciona, os crentes são ordenados para exemplificar a bondade . Mais tarde, na carta Paulo exorta:"Enquanto temos tempo, façamos o bem a todos os homens, e especialmente para aqueles que são da família da fé" (Gl. 6:10). "Para este fim, também oramos por vocês sempre", ele escreveu aos Tessalonicenses ", que o nosso DEUS vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo desejo de bondade e da palavra de fé com poder" (2 Ts 1:11).
 
Coleção Comentários Expositivos Hagnos - Hernandes Dias Lopes - χρηστοτης - chrestotes - Lê-se Cristotês (também pode ser usado αγαθω συν η - agathosune - Lê-se Ágatôsini)
Bondade. A palavra grega agathosyne, traduzida por “bondade”, refere-se à bondade ativa como um princípio energizante. A bondade pode reprovar, corrigir e disciplinar; mas a benignidade só pode ajudar. Trench diz que JESUS mostrou agathosyne quando purificou o templo e expulsou os que o transformaram em um mercado, mas manifestou crestotes quando foi amável com a mulher pecadora que lhe ungiu os pés.
 
Bondade é o amor que doa (Comentários de Moody)
 
Comentário Bíblico Wesleyano - χρηστοτης - chrestotes - Lê-se Cristotês (também pode ser usado αγαθω συν η - agathosune - Lê-se Ágatôsini)
A bondade não é necessariamente o único ativo ou unicamente passiva. Lightfoot a chama de neutro. É uma disposição gentil para com os vizinhos em quaisquer que sejam as circunstâncias. Ela pode expressar-se em qualquer um com a paciência ou longanimidade. Fácil de se conviver. A integridade e força lhe pertencem. Além da pacência e longanimidade a terceira qualidade desta tríade é a bondade. Este é um princípio mais ativo e enérgico. A palavra grega é encontrada somente em escritores bíblicos e eclesiásticos. A qualidade em toda a sua força foi aparentemente tão carente de observações pagãs que nem mesmo é conhecida por eles. Pagãos conhecem boas ações, mas uma qualidade consistente como a bondade vai muito além das obras da humanidade. Tinha que ser uma qualidade do fruto do ESPÍRITO. É retidão de coração e vida, bondade ativada, beneficência.
 
Dicionário Teológico - χρηστοτης - chrestotes - Lê-se Cristotês (também pode ser usado αγαθω συν η - agathosune - Lê-se Ágatôsini)
[Do lat. bonitate ] Qualidade e caráter do que é intrínseca e extrínsecamente bom. Benevolência, indulgência, benignidade. Um dos atributos morais e comunicáveis de DEUS. Sua bondade manifesta-se não somente em relação às suas perfeições, mas também no amor que manifesta às suas criaturas.
 
Strong Português - χρηστοτης - chrestotes - Lê-se Cristotês (também pode ser usado αγαθω συν η - agathosune - Lê-se Ágatôsini) 
1) bondade moral, integridade
2) benigdade, bondade
 
Strong Português - αγαθω συν η - agathosune - Lê-se Ágatôsini - integridade ou retidão de coração e vida, bondade, gentileza
αγαθο ς agathos
1) de boa constituição ou natureza.
2) útil, saudável
3) bom, agradável, amável, alegre, feliz
4) excelente, distinto
5) honesto, honrado
 
(Enciclopédia de Bíblia,Teologia e Filosofia)
Expressão que precisa ser compreendida de dois modos diversos:
1. Bondade expressa para com outrem, sem qualquer motivo egoísta ou expectativa de que o ato será recompensado. Trata-se, nesse caso, simplesmente do exercício da lei do amor (que vide).
2.Amor para com DEUS como o supremo objeto do amor, sem qualquer idéia de compensação. O mandamento que nos ordena amar ao próximo como a nós mesmos, dá a entender amar àquela pessoa pelo valdr que ela mesma tem, e não por causa de algo que se possa ganhar egoisticamente com isso. Usualmente, o ódio também é interesseiro. Em outras palavras, uma pessoa odeia a outrem por alguma razão egoísta. Ele meenganou! Ele medirigiu palavras ofensivas. Ele me defraudou. Por semelhante razão, o amor e a bondade por muitas vezes alicerçam-se sobre os auto-interesses. JESUS ordenou que amássemos os nossos inimigos (Mat. 5:43 ss), àqueles que poderíamos odiar por alguma causa justa e pessoal. Longe de termos um ódio interesseiro, cumpre-nos ter um amor desinteressado para com aqueles que nos prejudicam. O samaritano fornece-nos um bom exemplo de benevolência desinteressada (Luc. 10:33 ss). O próprio uso da palavra «samaritano», nesse relato de JESUS, significa que da parte dele não se esperava qualquer ajuda. Isso pode ser contrastado com o que sucede nas grandes cidades, hoje em dia. Publicamente, em plena luz do dia, pessoas indefesas são atacffdas, enquanto outras vêem tudo com indiferença, não querendo envolver-se.
Está em pauta a doutrina filosófico-teológica da ética que diz que a verdadeira virtude envolve os afetos e as paixões, devendo ser definida como amor altruísta. Cada ser vivo deve ser amado de acordo com sua posição na escala do ser. Por conseguinte, o amor a DEUS é o mais importante princípio moral, ao passo que o pecado consiste em auto-amor, sendo o pior de todos os vícios, sobretudo porque o auto-amor exlui ou prejudica ao próximo. A espiritualidade, uma vez renovada pelo ESPÍRITO de DEUS, manifesta-se através da prática da benevolência, que inclui a eliminação dos excessos do auto-serviço. Essa doutrina tem prpvido a base de muitas das atividades filantrópicas e missionárias.
 
MISERICÓRDIA (Almeida.dctx)
1) Bondade (Js 2.14, RA).
2) Bondade, AMOR e GRAÇA de DEUS para com o ser humano, manifestos no perdão, na proteção, no auxílio, no atendimento a súplicas (Êx 20.6; Nm 14.19, RA; Sl 4.1). Essa disposição de DEUS se manifestou desde a criação e acompanhará o seu povo até o final dos tempos (Sl 136, RA; Lc 1.50).
3) Virtude pela qual o cristão é bondoso para com os necessitados (Mt 5.7; Tg 2.13).
 
BOM, BONDADE (Enciclopédia de Bíblia,Teologia e Filosofia)
Nos diálogos de Platão, exceto em seu Banquete, a Forma ou Idéia do Bom é o mais elevado princípio moral e metafísico. Portanto, usando termos cristãos, a bondade é a principal característica de DEUS, da qual tudo o mais se originou, e na direção do que tudo se move. A vida inteira é uma inquirição ética, cujo desígnio é libertar a alma de seu cárcere do corpo mortal, devolvendo-a à liberdade do mundo das idéias (equivalente aos céus cristãos). Dali ela provém, e para ali ela está retornando. Porém, isso toma-se impossível sem a perfeição na bondade moral.
 
I. Idéias Filosóficas:
  1. No seu diálogo, Leb, Platão substituiu as idéias pelo termo DEUS, fazendo com que as idéias se tornassem atributos de DEUS. Portanto, a bondade seria o mais elevado atributo divino. Isso é paralelo à declaração cristã e bíblica de que DEUS é amor (ver I João 4:16). Ê interessante que a palavra anglo*saxôlli> ca para DEUS, God, seja a palavra por detrás da palavra bom, good. A verdadeira bondade é uma qualidade transcendental.
  2. Platão deu início à discussão sobre o que é intrinsecamente bom e sobre o que é instrumento do bem. Um bem intrínseco é aquilo que é bom em si mesmo. Um bem instrumental é aquilo que resulta no bem, mediante o seu uso.
  3. O que é intrinsecamente bom mescla-se com o conceito do bem maior, ou summum bonum (que vide), uma expressão empregada pelos filósofos para referir-se a DEUS, ou ao bem mais elevado possível.
  4. Aristóteles pensava que a eudaimonia (felicidade) é o maior bem, bem como o objeto de nossa inquirição ética. Isso tem paralelo, na teologia cristã, há idéia de que a finalidade do homem consiste em glorificar a DEUS e desfrutar de DEUS para sempre (Confissão de Westminster, que vide).
  5. Os filósofos epicureus faziam do prazer o bem mais elevado, embora usualmente o compreendessem como os prazeres intelectuais ou os prazeres moderados. Os hedonistas (ver sobre o hedonismo) pensavam que quanto maior fosse o prazer, tanto melhor; e isso, para eles, seria o maior bem.
  6. Os estóicos faziam da apatia ou indiferença o maior bem.
  7. O confucionismo (que vide) enfatiza o li (que vide), isto é a propriedade ou princípio do benefício, resultante do amor, como o maior bem.
  8. Alguns filósofos vêem a bondade como um conceito mais amplo do que o direito. O direito pode ser justo, mas a bondade aplica a misericórdia e o amor a todas as situações; pelo que a bondade é superior ao direito. Ver o contraste feito por Paulo entre o homem justo e o homem bom, em Romanos 5:7, e ver a exposição dessa idéia, no NTI.
  9. Helvécio (que vide) fazia a bondade ser equivalente ao prazer coletivo.
  10. Para Hegel (que vide) a bondade é a coincidência de uma vontade humana com a vontade universal, isto é, a vontade racional:a correção de vontade, e, por conseguinte, de ação, com base em princípios metafísicos.
  11. Para Westermarck (que vide) a bondade equivale à aprovação da sociedade a qualquer ato ou atitude.
  12. Os filósofos analíticos desistiram de definir tão importante e amplo vocábulo como é o adjetivo «bom».
  13. Berdyaev (que vide) identificava o bom com a criatividade e a espontaneidade.
  14. Para Blanshard (que vide) a bondade consistiria na combinação de satisfação e cumprimento.
II. Idéias Biblicas
  1. DEUS é amor, e, portanto, é o ser supremamente bom, bem como a origem de toda a bondade (I João 4:6). Através do amor, as boas obras visam o benefício do próximo. Quando DEUS amou o mundo de tal maneira (ver João 3:16), ele fez a missão de seu Filho revestir-se do proveito máximo. O bem mais alto é uma qualidade transcendental, relacionado ao ser divino. (Ver Sal. 34:3 ; 149:9).
  2. Os homens tornam-se bons quando a bondade divina passa a ser cultivada neles, pelo ESPÍRITO SANTO, pois a bondade é um dos aspectos do fruto do ESPÍRITO de DEUS (ver Gál. 5:22).
3- O homem bom é superior ao homem meramente justo, porquanto, além de ser alguém dotado de ética correta, ele é generoso, demonstrando amor em sua vida (ver Rom 5:7).
4. A criação de DEUS é boa, pois ali ele manifestou suas idéias e seus atos (Gên. 3:5).
5. A prosperidade é um bem provido aos homens por DEUS. Essa prosperidade pode ser material ou espiritual (ver Jos. 23:14 ss; I Reis 22:8 e Jó 2:10).
6. A lei de DEUS é boa, porquanto faz a alma prosperar. Ver Deu. 30:15 ss\ Pirke Aboth 6:3:«O que é bom é simplesmente a Torah». Ver Rom 7:12.
7. O Novo Testamento dá continuidade aos conceitos de bom exarados no Antigo Testamento. O homem é uma boa obra de DEUS, criado para praticar o que é bom (Efé. 2:10). As boas obras dos crentes glorificam a DEUS (Mat. 5:16).
8. A vontade predestinadora de DEUS faz todas as coisas contribuíremjuntamente para o bem do crente, e o propósito disso é levá-lo a compartilhar da imagem e natureza do Filho, afinei. Em outras palavras, a salvação (que vide) é o bom ato de DEUS, aplicado ao homem (Rom 8:29).
9. Todas as virtudes cristãs são boas e precisam ser cultivadas (Gál. 5:22,23; Filp. 4:8). Essas virtudes devem ser objetos constantes de nossos pensamentos, a fim de que elas se manifestem em nossas vidas. A alma é moralmente transformada por meio dessas boas qualidades, e a transformação moral nos conduz à perfeição (Mat. 5:48). E isso, finalmente, nos leva à transformação metafísica, de tal modo que os remidos compartilharão da própria natureza divina (II Cor. 3:18; II Ped. 1:4). Isso tem paralelo na idéia platônica de que o mais exaltado aspecto da inquirição ética é a transformação metafísica no mundo das idéias.
10. A bondade de DEUS garante tanto o poder quanto o cumprimento final de seus planos cosmoló- gicos, por meio dos quais ele chegará a restaurar todas as coisas (Efé. 1:10). O primeiro capítulo da epístola aos Efésios mostra-nos que essa bondade será reconhecida pela criação inteira, e o oitavo capítulo de Romanos contém a mesma idéia. E então o problema do mal (que vide) encontrará perfeita solução.
 
Comentario Biblico Moody
Bondade é uma probidade da alma que aborrece o mal, uma honestidade definida de motivações e conduta.
 
Teologia Sistemática Pentecostal
Bondade. A bondade de DEUS é um dos seus atributos morais. DEUS é bom em si mesmo e para as suas criaturas. Ê a perfeição dEle que o leva a tratá-las com benevolência. Essa bondade é para com todos:“O Senhor é bom para todos, e as suas misericórdias são sobre todas as suas obras” (Sm 145.9).
DEUS é a fonte de todo o bem. JESUS disse:“Não há bom, senão um, que é DEUS” (Mt 19.17). Nessa bondade estão envolvidos também o amor e a graça. São três conceitos distintos, mas o amor é a bondade divina exercida em favor de suas criaturas morais, em grau incomparável e perfeito:
Porque DEUS amor o mundo de tal maneira que deu seu o Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna Jo 3.16).
Mas DEUS prova o seu amor para conosco em que CRISTO morreu por nós, sendo nós ainda pecadores (Rm 5.8).
Misericórdia, graça e longanimidade. Estes três atributos são correlatos, porém distintos entre si; manifestam a bondade de DEUS. Misericórdia é o termo teológico para compaixão; trata-se da disposição de DEUS para socorrer os oprimidos e perdoar os culpados. A graça é o favor imerecido de DEUS para com o pecador; é a bondade para quem apenas merece o castigo. Já a longanimidade é a demonstração de paciência; é ser lento para irar-se; retardar a ira.
 
Passando, pois, o Senhor perante a sua face, clamou:JEOVA, o SENHOR, DEUS misericordioso e piedoso, tardio em iras e grande em beneficência e verdade; que guarda a beneficência em milhares; que perdoa a iniqüidade, e a transgressão, e o pecado; que ao culpado não tem por inocente; que visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até à terceira e quarta geração (Ex 34.6,1). Misericordioso e piedoso é o SENHOR; longânimo e grande em benignidade (Sl 103.8).
Mas, quando apareceu a benignidade e caridade de DEUS, nosso Salvador, para com os homens, não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas, segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do ESPÍRITO SANTO, que abundantemente ele derramou sobre nós por JESUS CRISTO, nosso Salvador (Et 3.4-6).
 
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
Referências Bibliográficas (outras estão acima)
Dicionário Bíblico Wycliffe. 4.ed. Rio de Janeiro:CPAD, 2009, Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal, Bíblia de Estudo Almeida. Revista e Atualizada. Barueri, SP:Sociedade Bíblica do Brasil, 2006, Bíblia de Estudo Palavras-Chave Hebraico e Grego. Texto bíblico Almeida Revista e Corrigida.
Bíblia de Estudo Pentecostal. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida, com referências e algumas variantes. Revista e Corrigida, Edição de 1995, Flórida- EUA:CPAD, 1999.
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  --  www.ebdweb.com.br - www.escoladominical.net - www.gospelbook.net - www.portalebd.org.br/  --
Dicionário Vine antigo e novo testamentos - CPAD, Manual Bíblico Entendendo a Bíblia, CPAD, Dicionário de Referências Bíblicas, CPAD, Hermenêutica Fácil e descomplicada, CPAD, Revistas antigas - CPAD
Tesouro de Conhecimentos Biblicos / Emilio Conde. - 2* ed. Rio de Janeiro:Casa Publicadora das Assembleias de DEUS, 1983
Wiesber, Comentário Bíblico. Editora Geográfica, 2008,
Champlin, Comentário Bíblico. Hagnos, 2001,
Concordância Exaustiva do Conhecimento Bíblico "The Treasury of Scripture Knowledge"
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
Bíblia The Word
Bíblia SWord
Dicionário Strong Hebraico e Grego
Dicioário teológico - Claudionor Correa de Andrade
Enciclopédia Ilúmina
Obra da Carne e o Fruto do ESPÍRITO - William Barclay
Bíblia da Liderança cristã - John C Maxwell
Comentário Bíblico Wesleyano
Comentario Biblico Moody
Comentário Bíblico - John Macarthur - NT
Coleção Comentários Expositivos Hagnos - Hernandes Dias Lopes
Série Cultura Bíblica - Vários autores - Vida Nova
 


 

Nenhum comentário: