sexta-feira, 24 de julho de 2009

ESTUDOS DA LIÇÃO 04, JESUS, REDENTOR E PERDOADOR

LIÇÃO 04 - JESUS, O REDENTOR E PERDOADOR Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 3º TRIMESTRE DE 2009 1 João - Os Fundamentos Da Fé Cristã Comentários do Pr. Eliezer de Lira e Silva Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antonio Gilberto Complementos, questionários e videos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
TEXTO ÁUREO"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (1 Jo 1.9). VERDADE PRÁTICACRISTO, na cruz, tornou possível a todos os que nEle crêem o perdão do pecado que afasta o homem de DEUS.
LEITURA DIÁRIASegunda Ef 2.2 Éramos por natureza filhos da iraTerça 1 Co 15.3 JESUS morreu por nossos pecadosQuarta Hb 2.17 CRISTO é o Cordeiro e o Sumo Sacerdote que expiou os nossos pecadosQuinta Ef 2.13-16 CRISTO, pela sua morte na cruz, nos reconciliou com DEUSSexta 1 Jo 1.7 O sangue de JESUS nos purifica de todo pecadoSábado Hb 9.15 A morte de JESUS proporcionou-nos a promessa da herança eterna LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - 1 João 2.1,2; Efésios 1.6,7; Apocalipse 5.8-10. 1 João 2.1,2 - 1 Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, JESUS CRISTO, o Justo. 2 E ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.2.1 PARA QUE NÃO PEQUEIS. Vemos aqui que o cristão nascido de novo ainda pode pecar. Vemos também que o cristão não tem de pecar, pelo contrário, ele não deve viver pecando (cf. Rm 6.15; 1 Ts 2.10). Para aqueles que caem no mesmo pecado, o remédio é confessar e abandonar esse pecado (ver 1.9). A garantia do perdão está no sangue de JESUS CRISTO (1.7; 2.2) e no seu ministério celestial como nosso "advogado". Advogado (gr. parakletos) significa, nesse contexto, que JESUS intercede diante de DEUS em nosso favor, à base da sua morte expiatória, do nosso arrependimento do pecado e da nossa fé nEle (cf. Rm 8.34; Hb 7.25; ver também 1 João 3.15)2.2 PROPICIAÇÃO. JESUS como nossa "propiciação" significa que Ele tomou sobre si o castigo dos nossos pecados e satisfez o justo juízo de DEUS contra o pecado. O perdão agora é oferecido a todos, no mundo inteiro, e é recebido pelos que vêm a CRISTO, com arrependimento e fé (4.9,14; Jo 1.29; 3.16; 5.24) Efésios 1.6,7 - 6 para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado. 7 Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça,
EM QUEM TEMOS A REDENÇÃO PELO SEU SANGUE, A REMISSÃO DAS OFENSAS, SEGUNDO AS RIQUEZAS DA SUA GRAÇA - Fomos comprados com o sangue de JESUS, as ofensas mereciam um castigo, morte de cruz, então JESUS levou nossa culpa e nossa morte, em nosso lugar, morrendo na cruz, tudo isso sem qualquer merecimento por parte de nós. Apocalipse 5.8-10 - 8 E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos. 9 E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para DEUS homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação; 10 e para o nosso DEUS os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra.5.8 AS ORAÇÕES DOS SANTOS. Refere-se à intercessão dos santos em favor da vinda do reino, quando, então, reinarão sobre a terra (vv. 9,10). A oração deles é: "Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu" (Mt 6.10; ver 6.6; 2 Pe 3.12; cf. Sl 141.2). Cada um de nós custou o sangue de JESUS CRISTO derramado naquela cruz. Alto preço foi pago,portanto somos preciosos aos olhos de nosso proprietário (Já pensou nisso?). Salmos 49:8 (pois a redenção da sua alma é caríssima, e seus recursos se esgotariam antes); Não há dinheiro no mundo que possa pagar uma só alma. 1 Coríntios 1:30 Mas vós sois dele, em JESUS CRISTO, o qual para nós foi feito por DEUS sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção; Pertencemos a CRISTO, Fomos comprados. Colossenses 1:14 em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados; O sangue de JESUS nos lavou, nos purificou de todo e qualquer pecado. 1 Timóteo 2:6 o qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo. O preço foi o próprio sangue, foi Sua vida por nossa vida. REDENÇÃO Libertação (Sl 111.9). 1) No AT, DEUS, o REDENTOR, liberta o povo de situações de cativeiro (Is 43.14), sofrimentos (Jr 14.8), morte (Jó 19.25), pecado (Is 44.22; 59.20). 2) No NT, DEUS, por meio do pagamento de um preço, isto é, da morte de CRISTO na cruz, compra para uma vida de nova liberdade a pessoa que era escrava do pecado e da LEI. 2) (Mc 10.45; Rm 3.24; Gl 4.5; Ef 1.7). Essa redenção será completada no final dos tempos (Rm 8.21-23). A Morte de CRISTO foi para Redenção dos Pecados A redenção é um aspecto da morte de CRISTO sobre a cruz, que é ligado ao pecado e restrito em seu significado. Como substituição tem o sentido de assumir a culpa, a redenção tem sentido de pagar essa culpa assumida. Ou seja, a redenção é aplicada no que diz respeito ao pecado e o débito que ele causa, que pode apenas ser pago com sangue (Hb.9.22 cf. Lv.17.11). Logo, para que o preço de pecado pudesse ser pago, era necessário derramamento de sangue de um Cordeiro sem mácula. Essa era exigência colocada na história da redenção, que tem seu significado completo em CRISTO (Jo.1.29; cf. Is.53.9; 1Pe.2.21-22). No Antigo Testamento podemos perceber que o sentido de redenção é aplicado, não somente a pessoas, mas também a posses, como terras e animais (Lv.25.25, 47, 48). A idéia expressa nesse contexto é de prover liberdade através do pagamento de um resgate. Um ponto interessante no VT é que existe a idéia de um Redentor-Parente, como no caso de Boás, que foi o redentor parente da Família de Noemi em benefício de Rute (Rt.3.9; cf. Os.3.15; Is.43.3, 10-14). É possível que isso tenha implicações com a Obra de CRISTO, como se Ele, como homem que é, fosse o Redentor da Raça humana. Segundo Chafer, esse aspecto “é uma exigência básica que o Filho de DEUS trouxe do céu para a terra e tornou necessária a encarnação para Ele pudesse ser um perfeito Redentor-parente“. Em Ex.21-1-6 (cf. Dt.15.15-17), podemos perceber que no VT um escravo tinha vida de serviço de 6 anos, sendo que no sétimo ele deveria ser solto. Contudo, se este entrasse solteiro para servir seu senhor, e este lhe desse uma esposa, quando ele saísse deveria deixar a esposa e os filhos que tivesse com ela. Contudo, se ele amasse sua esposa, seus filhos e seu senhor, ele voluntariamente aceitaria servi-lo até sua morte. Ou seja: Um escravo liberto por seu senhor era totalmente livre; mas ele podia voluntariamente permanecer com seu senhor, a quem ele amava. Alguns textos que testemunham as verdades acima anunciadas: [Ex.13.12; 21.28; 30.12; Nm.18.15-17; Sl.130.8; Is.59.20] No NT podemos ressaltar três vocábulos que auxiliam a compreensão dessa verdade: avgora,xw( lutro,w e peripoioumai: avgora,xw: A idéia expressa por esse vocábulo é de comprar (Mt.13.44, 46; 14.15; Mc.6.36; Lc.9.13; cf. LXX Gn.41.57, 42.5, 7; Dt.2.6) Este vocábulo é aplicado à soteriologia neotestamentária de maneira interessante. Observe o texto de 1Co.6.20: “Por que fostes comprados por preço” (cf. 1Co.7.23). A idéia presente neste texto aponta para uma compra de alto valor. Assim, podemos concluir que essa compra implicou no pagamento de um preço alto (2Pe.2.1), que é o sangue do próprio Messias (Ap.5.9, 10) e deságua diretamente no serviço daquele que foi comprado em benefício do comprador (1Co.6.19, 20; 7.22, 23). Neste ponto ainda, é importante ressaltar um uso distinto do vocábulo em questão. Por vezes, encontra-se tal vocábulo precedido pela preposição “evx”, formando o vocábulo “evxavgora,xw”. Em Gl.3.13 nota-se claramente a idéia de resgatar. Ou seja, o termo preposicionado por “evx” traz um sentido de ser comprado para nunca mais retornar à condição anterior a compra. lutro,w: É um termo muito utilizado no NT e significa basicamente que o redimido é desatado e liberto. Mas isso ocorre apenas quando é recebido o pagamento do preço do resgate. Assim, por meio do pagamento, o redimido é desatado e está livre. Mt.20.28 testemunha esse fato: “tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (cf. LXX: Ex.30.11-16; Lv.25.31, 32; Nm.2.46-51; NT: Lc.1.68; 2.38; 24.21; Tt.2.14; Hb.9.12; 1Pe.1.18,19). Neste caso, como com “avgora,xw”, é possível encontrar o termo preposicionado: “avpolutrw,sij”. Seu significado é basicamente redenção, seguindo mesmo rumo do verbo em pauta (Lc.21.28; Rm.8.23; Ef.4.30 – prisma escatológico; Rm.3.24; Ef.1.7, 14; Cl.1.14; Hb.9.14 – prisma de libertação de incrédulos; 1Co.1.30 – sentido geral). peripoioumai: Esse vocábulo ocorre apenas uma vez, e é aplicado ao Sacrifício de CRISTO: At.20.28. Portanto, deve ser observado que a doutrina da redenção mostrada pelo NT é um cumprimento completo da verdade mostrada em sombras no AT, de que há um sentido em que o preço é pago, mas o escravo não é necessariamente liberto (que é o estado de todos por quem CRISTO morreu que ainda não são salvos) e que, por uma realização mais profunda e abundante da redenção, o escravo pode ser solto e liberto (que é o estado de todos que são salvos). A relação dos não salvos com a verdade de que, pela sua morte, CRISTO pagou o preço do resgate, é crer no que está declarado como verdadeiro. A relação dos salvos com a verdade de que, por sua morte, CRISTO liberta, é reconhecer essa liberdade maravilhosa e, então, pela rendição de si mesmo, tornarem-se escravos voluntários do redentor. Se CRISTO deu sua vida por mim, o mínimo que posso fazer é dar a minha a ele. http://marceloberti.wordpress.com/2009/02/11/significados-da-obra-de-cristo/
O Tabernáculo tipifica a obra redentora de CRISTO de levar os pecadores a DEUS; o significado dentre outros, espiritual e tipológico do Tabernáculo de apoiar-se no que a bíblia diz a respeito. O Tabernáculo era um santuário ( Ex 25:8),um lugar separado para o Senhor habitar entre o seu povo e encontrar-se com os seus ( v.22;29.45,46; Nm 5.3; Ez 43;7 e 9).Era chamado o “Tabernáculo do testemunho” (Ex 38:21) porque continha os Dez Mandamentos, os quais lembravam sempre ao povo , da santidade de DEUS e das suas leis sobre o viver do seu povo escolhido.Era o lugar do perdão, mediante um sacrifício vicário (29.10 – 14) tipificam o perfeito sacrifício de CRISTO na cruz pelos pecados da raça humana.Falava do céu, isto é, do tabernáculo espiritual onde CRISTO, nosso Sumo sacerdote eterno, vive eternamente a interceder por nós (Hb 9:11,12,24 – 28).Falava da redenção final, o Tabernáculo de DEUS com os homens (Apoc 21:03). REDENÇÃO. O significado original de “redenção” (gr. apolutrosis) é resgatar mediante o pagamento de um preço. A expressão denota o meio pelo qual a salvação é obtida, a saber: pagamento de um resgate. A doutrina da redenção pode ser resumida da seguinte forma:(1) O estado do pecado, do qual precisamos ser redimidos. O NT mostra que o ser humano está alienado de DEUS (3.10-18), sob o domínio de Satanás (At 10.38; 26.18), escravizado pelo pecado (6.6; 7.14) e necessitando de livramento da culpa, da condenação e do poder do pecado (At 26.18; Rm 1.18; 6.1-18, 23; Ef 5.8; Cl 1.13; 1Pe 2.9).(2) O preço pago para nos libertar dessa escravidão: CRISTO pagou esse resgate ao derramar o seu sangue e dar sua vida (Mt 20.28; Mc 10.45; 1Co 6.20; Ef 1.7; Tt 2.14; Hb 9.12; 1Pe 1.18,19).(3) O estado presente dos redimidos: Os crentes redimidos por CRISTO estão agora livres do domínio de Satanás e da culpa e do poder do pecado (At 26.18; Rm 6.7,12,14,18; Cl 1.13). Essa libertação do pecado, no entanto, não nos deixa livres para fazer o que queremos, pois somos propriedade de DEUS. A nossa libertação do pecado por DEUS nos torna em servos voluntários seus (At 26.18; Rm 6.18-22; 1Co 6.19,20; 7.22,23).(4) A doutrina de redenção no NT já estava prefigurada nos casos de redenção registrados no AT. O grande evento redentor do AT foi o êxodo de Israel (ver Êx 6.7; 12.26). Também, no sistema sacrificial levítico, o sangue de animais era o preço pago para expiar o pecado (ver Lv 9.8 ). A REDENÇÃO
A Bíblia também emprega a metáfora do resgate ou da redenção para descrever a obra salvífica de CRISTO. O tema aparece muito mais freqüentemente no Antigo Tes­tamento que no Novo. O tema aparece muitas vezes no Antigo Testamento, referindo-se aos ritos da "redenção" no tocante às pessoas ou aos bens (cf. Lv 25; Rt 3 e 4, que empregam a palavra hebraica ga'al). O "parente redentor" funciona como um go'el. O próprio Javé é o Redentor (heb. go'el) do seu povo (Is 41.14; 43.14), e eles são redimidos (heb. ge'ulim, Is 35.9; 62.12). O Senhor tomou medidas para redimir (heb. padhah) os primogênitos (Êx 13.13~15). Ele redimiu Israel do Egito (Êx 6.6; Dt 7.8;13.5) e também os remirá do exílio (Jr 31.11). As vezes DEUS redime um indivíduo (SI 49.15; 71.23); ou um indivíduo ora, pedindo a redenção divina (SI 26.11; 69.1 8), Mas a obra divina na redenção é primariamente moral no seu escopo. Em alguns textos bíblicos, a redenção claramente diz respeito aos assuntos morais. Salmos 130.8 diz: "Ele remirá Israel de todos as suas iniqüidades". Isaías diz que somente os "remidos", os "resgatados", andarão pelo chamado "O caminho SANTO" (Is 35.8,10). Diz ainda que a "filha de Sião" será chamada "povo santo, os remidos do Senhor" (62.11,12).No Novo Testamento, JESUS é tanto o "Resgatador" quanto o "resgate"; os pecadores perdidos são os "resgatados". Ele declara que veio "para dar a sua vida em resgate [gr. lutron] de muitos" (Mt 20.28; Mc 10.45). Era um "livramento [gr. apolutrõsis] efetivado mediante a morte de CRISTO, que libertou da ira retributiva de DEUS e da penalidade merecida do pecado". Paulo liga nossa justificação e o perdão dos pecados à redenção que há em CRISTO (Rm 3.24; Cl1.14, apolutrõsis nestes dois textos). Diz que CRISTO "para nós foi feito por DEUS sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção" (1 Co 1.30). Diz também que CRISTO "se deu a si mesmo em preço de redenção [gr. antilutron] por todos" (1 Tm 2.6). O Novo Testamento demonstra claramente que Ele proporcionou a redenção mediante o seu sangue (Ef 1.7; Hb 9.12; 1 Pe 1.18,19; Ap 5.9), pois era impossível que o sangue dos touros e dos bodes tirasse os pecados (Hb 10.4). CRISTO nos comprou (1 Co 6.20; 7.23, gr. agorazõ) de volta para DEUS, e o preço foi o seu sangue (Ap 5.9).Sendo que as palavras subentendem o livramento de um estado de escravidão mediante o pagamento de um preço, então, de que fomos libertos? A contemplação dessas coisas é motivo de grande alegria! CRISTO nos livrou do justo juízo de DEUS que realmente merecíamos, por causa dos nossos pecados (Rm 3.24,25). Ele nos livrou das conseqüências inevitáveis de se quebrar a lei de DEUS, que nos sujeitava à ira divina. Embora não façamos tudo quanto a Lei requer, já não estamos debaixo de uma maldição. CRISTO tomou sobre si essa maldição (Gl 3.10,13). A sua redenção conseguiu para nós o perdão dos pecados (Ef 1.7) e nos libertou deles (Hb 9.15). Ele, ao entregar,se por nós, remiu-nos "de toda iniqüidade [gr. anomia]" (Tt 2.14), mas não para usar a "liberdade para dar ocasião à carne" (Gl 5.13) ou como "cobertura da malícia" (1 Pe 2.16). (Anomin é a mesma palavra que Paulo usa em 2 Tessalonicenses 2.3, ao referir-se ao "homem do pecado"). O propósito de CRISTO ao redimir-nos é "purificar para si um povo se especial, zeloso de boas obras" (Tt 2.14).Pedro diz que "fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais" (1 Pe 1.18). Não podemos ter certeza de quem são os "pais". Seriam pagãos, judeus, ou ambos? Ambos, provavelmente, pois o Novo Testamento considera fúteis os modos pagãos (At 14.15; Rm 1.21; Ef 4.17) e também vê certa futilidade nas práticas externas da religião judaica (At 15.10; 12.16; 5.1; Hb 9.10,25,26; 10.3,4). Haverá, também, uma redenção final dos gemidos e dores da era presente quando acontecer a ressurreição, e veremos o resultado de termos sido adotados como filhos de DEUS mediante a obra de CRISTO na nossa redenção (Rm 8.22,23).Os evangélicos crêem que o Novo Testamento ensina haver CRISTO pago o preço pleno do resgate para nos libertar. Sua é a obra objetiva da expiação, cujos benefícios, quando aplicados a nós, não deixam nada a ser completado por nós. É uma obra definitiva, não poderá ser repetida. Uma obra incomparável, que jamais será imitada ou compartilhada por outros. (Teologia Sistemática - Stanley M. Horton - CPAD pags. 356-358). O quanto o homem percebe que é escravo pode ser visto no fato de que nada é mais desejado pelos povos da terra do que a liberdade. Por exemplo, quantas GUERRAS foram travadas com o propósito de “LIBERDADE”, quantas revoluções e lutas sociais têm agitado o mundo com a meta de mais liberdade material.O homem natural gosta de escolher livremente a vida que ele deseja viver, e pensa que está capacitado a fazer essa escolha.O homem já foi livre, quando teve à sua disposição todas as boas coisas no jardim do Éden, quando ouvia livremente a voz amorosa de DEUS, mas, após ter comido o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, seduzido por Satã e em desobediência a DEUS, tornou-se escravo de Satanás, e toda a raça humana compartilha esta sujeição ao poder das trevas, a tirania do deus deste mundo.A aparente liberdade do homem em certos países, que o faz pensar que pode fazer o que bem entender, não é liberdade real, porque todos os homens estão sob a servidão a Satanás e sob a escravidão ao pecado, de uma ou outra forma.A liberdade verdadeira, a liberdade cristã, é a condição daqueles que têm escapado do poder de Satanás, e que estão habilitados pelo poder de DEUS a viverem de acordo com os desejos de uma nova e celestial natureza, a qual encontra seu prazer em fazer a boa, agradável e perfeita vontade de DEUS.“Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; quem perder a vida por minha causa, esse a salvará”. Lucas 9:24. - Pr. Imanuel Brepohl OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:Compreender que a certeza do perdão não é um incentivo ao pecado, mas justamente o contrário.Considerar que, mesmo que a salvação nada custou para nós, não podemos esquecer que JESUS pagou um alto preço por ela. Mostrar em atitudes que realmente conhece a DEUS.ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICATendo em vista a necessidade de explicar aos alunos a relação tipológica entre o sacrifício de CRISTO e os rituais do judaísmo no Antigo Testamento, e que estes eram apenas a sombra daquele, reproduza em uma cartolina ou quadro-de-giz a ilustração abaixo, e introduza o assunto a partir do tópico três. Altar de Sacrifício = JESUS na cruz é o perfeito sacrifício O Lavatório = JESUS é o cordeiro de DEUS que tira o pecado do mundo. Purifica-nos de todo pecado. A Mesa dos Pães = JESUS é o pão da vida - Nele nos alimentamos da Palavra de DEUS. O Candelabro = JESUS é o ungido de DEUS - O Messias - Enviado para nossa salvação. O Altar de Incenso = JESUS é nosso sumo-sacerdote que intercede por nós junto ao pai. A Arca da Aliança = Em JESUS DEUS fez aliança conosco - Dentro da arca tem maná - O próprio JESUS DEUS que nos recebe por filhos, ELE recebe seu próprio sangue como remissão (do JESUS que se fez homem). ELE é DEUS. Palavra Chave: Propiciação - Satisfação da justiça divina através do sacrifício de JESUS CRISTO. RESUMO DA LIÇÃO 04 - JESUS, O REDENTOR E PERDOADOR REVISTA DA CPAD - 3º TRIMESTRE DE 2009I. A REALIDADE DO PECADO1. A responsabilidade humana. 2. O ideal cristão (2.1). 3. E se pecarmos? II. O PERDÃO AO NOSSO ALCANCE1. "Temos um Advogado" (2.1). 2. Porque JESUS pode perdoar. III. A SATISFAÇÃO DA JUSTIÇA DIVINA1. Como e por que CRISTO se tornou propiciação? 2. A abrangência da propiciação. IV. LIVRES DO PECADO1. Guardando os mandamentos. 2. Vivenciando a Palavra. CONCLUSÃOTemos um Advogado, perante o Pai e a sua santa lei. RESUMO RÁPIDO (Henrique)DEUS que é SANTO e estava separado dos pecadores, pois, o pecado faz divisão entre nós e DEUS, porém, pela Sua infinita misericórdia e amor ELE providenciou um meio pelo qual pode ter um relacionamento com seu ser criado. DEUS providenciou seu próprio filho para intermediar essa comunicação. JESUS, levando sobre ELE nosso pecado e morrendo, ou seja, levando o juízo de DEUS sobre ELE, tornou possível essa comunicação. Nós só precisamos crer nisso e aceitarmos o fato de que somos pecadores e nos arrependermos disso (Rm 3.26), daí então somos salvos e totalmente perdoados. daí em diante teremos comunhão com ELE através de JESUS. É impossível pensar num cristianismo autêntico Sem a cruz, Sem o sacrifício vicário de JESUS, Sem a quitação da dívida humana com DEUS através de seu Filho. I. A REALIDADE DO PECADO É uma chocante realidade, muitas vezes escondida: O crente também peca. Embora nascido de novo e sem direito a pecar, pois a semente do pecado não mais mora em si, mesmo assim o crente descuidado peca por não vigiar e nem manter íntima comunhão com o ESPÍRITO SANTO que nele habita. Temos a natureza divina (ou seja, somos filhos de DEUS, habitação do ESPÍRITO SANTO), mas se não tomarmos cuidado, acabamos de novo nas garras de Satanás. II. O PERDÃO AO NOSSO ALCANCE O crente não pode e nem deve pecar, pois não pertence ao reino das trevas e sim da luz, não é filho da ira, mas de DEUS. O crente deve ir até ao sangue para não pecar, mas se pecar, deve imediatamente pedir perdão a DEUS (se o pecado for oculto) e pedir perdão à igreja (se o pecado for Publico). Deve o crente acreditar no perdão de DEUS por causa da intercessão de nosso advogado que é JESUS. Assim procedendo o pecado não terá domínio sobre nós. A bíblia diz: "Não deis lugar ao Diabo" e também: "Resisti ao Diabo ele fugirá de vós".A santidade de DEUS não comunga com o pecado, pelo contrário, o castiga e exerce juízo sobre ele, decretando a morte ao pecador e morte de cruz. Quando JESUS morreu na cruz, estava morrendo nossa morte, em nosso lugar, era uma substituição, um castigo em nosso lugar. A ira de DEUS foi aplacada por esse sacrifício de JESUS, por isso temos paz com DEUS e somos aceitos por ELE. III. A SATISFAÇÃO DA JUSTIÇA DIVINA O advogado defende seu cliente e o livra do juízo, ou do castigo, mesmo que este seja realmente merecedor desse castigo. Quando o nosso justo Juiz, que é DEUS, nos julgou, decretou a pena de morte, mas, nosso advogado, mesmo sabendo que merecíamos esse juízo, decidiu morrer em nosso lugar, levou a nossa pena sobre ele. Por isso somos declarados justos, santos. Sendo assim, JESUS foi a propiciação nossa junto a DEUS, ou seja, nosso substituto na pena de morte e morte de cruz que DEUS nos condenou devido a nosso pecado. JESUS não morreu por alguns poucos privilegiados da predestinação tão discutida e tão confundida, mas fez um único sacrifício, de uma vez por todas, por todos os pecados, de todos os seres humanos que já nasceram nessa terra. IV. LIVRES DO PECADOComo temos um dono, que é DEUS, devemos viver para agradar-lhe e não para agradar-nos a nós mesmos. Agradamos a DEUS vivendo sua Palavra e não apenas a ensinando ou pregando-a como fazem os hipócritas que não vivem o que pregam, mas, ao contrário: quando pregam ou ensinam, pregam e ensinam para si mesmos, pois, vivem em transgressões, em pecados diversos. Guardemos os mandamentos de DEUS em nosso coração e os coloquemos em prática em nossa vida quotidiana e não em tábuas ou livros, com a desculpa de que não sabíamos ou com a desculpa de que somos fracos. Esforça-te e tem bom ânimo, pois o dia do arrebatamento está mais perto do que imaginamos. CONCLUSÃOTemos um Advogado, perante o Pai e a sua santa lei. Nosso propósito amoroso deve ser o de viver para agradá-lo. Demonstremos a DEUS o nosso amor, sejamos filhos dignos de elogios do PAI e não de seu juízo. QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 04 - JESUS, O REDENTOR E PERDOADOR RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 3º TRIMESTRE DE 2009 Complete as frases para completar e coloque "V" nas respostas Verdadeiras e "F" nas Falsas. TEXTO ÁUREO1- Complete: "Se confessarmos os nossos _____________________, ele é fiel e justo para nos ____________________ os pecados e nos ________________________ de toda injustiça" (1 Jo 1.9). VERDADE PRÁTICA2- Complete: CRISTO, na ____________________, tornou possível a todos os que nEle crêem o __________________ do pecado que __________________ o homem de DEUS.COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO3- Qual meio o Senhor providenciou para se relacionar com os pecadores? ( ) O próprio homem que se justifica a si mesmo. ( ) JESUS CRISTO, que justifica a todos os que aceitam seu sacrifício. ( ) O ESPÍRITO SANTO, que justifica a todos os que aceitam seu sacrifício. 4- Sem o que, é impossível pensar num cristianismo autêntico? ( ) Sem a auto-justificação. ( ) Sem a cruz. ( ) Sem o sacrifício vicário de JESUS. ( ) Sem a quitação da dívida humana com DEUS através de seu Filho. 5- Em que consiste a autêntica liberdade? ( ) Em vencer o pecado através do sacrifício de Nosso Senhor JESUS CRISTO, e por meio do ESPÍRITO SANTO que em nós habita.( ) Em não pecar nunca e viver em comunhão com o ESPÍRITO SANTO.( ) Em vencer o pecado através de nosso sacrifício e por meio de nossa própria força.I. A REALIDADE DO PECADO6- Como os escritores da Bíblia estavam cientes da realidade do pecado e da força que ele exerce sobre o homem? ( ) Os homens sempre lutaram contra o pecado. ( ) Paulo colocou de forma clara e didática esta luta diária do cristão contra o pecado, quando escreveu aos gálatas. ( ) Alguns homens nunca pecaram. ( ) Embora salvos, nascidos de novo, participantes da natureza divina, estamos no mundo e num corpo humano rendido ao pecado. ( ) Como filhos de DEUS, queremos fazer sua vontade; como humanos, podemos falhar neste propósito. 7- O que se espera de quem se converteu a CRISTO e que deixou de ser escravo do pecado, tornando-se servo do Senhor JESUS (Rm 6.1-23)? ( ) DEUS nos deu o livre-arbítrio para podermos viver da maneira que quisermos. ( ) O livre-arbítrio não nos foi dado por DEUS para escolhermos o mal, mas o bem. ( ) Compartilhando suas experiências, Paulo, pela graça de DEUS teve uma vida moral exemplar e foi fiel ao Senhor até o fim. ( ) O nosso alvo é a perfeição. ( ) Manter-se fiel a CRISTO até o fim deve ser a decisão de todos os que experimentaram o novo nascimento, mediante o qual tornaram-se participantes da natureza divina. 8- Qual o alerta de João aos irmãos? ( ) João os alerta a não pecarem, mostrando-lhes que evitar a transgressão deve ser o propósito de todo crente. ( ) João adverte-nos contra os males do pecado, com a expressão: "não pequeis". ( ) João nos apóia quando pecamos quando diz: "Se pecarmos..." 9- Embora o nascido de novo tenha recebido uma nova natureza que aspira à santidade e repele o pecado, está sujeito a dar lugar à carne, isto é, à natureza velha, da qual surge o desejo pecaminoso (Rm 7.5; Gl 5.17-21). O apóstolo do amor fala da possibilidade de pecarmos quando diz, mas "se alguém pecar" (2.1. Por que isso acontece? ( ) Porque todo crente é proibido de pecar, e nunca pecará durante sua vida cristã.( ) Porque todo crente é passível de pecar, bastando para isso, não vigiar e negligenciar o hábito de orar.( ) Porque todo crente é passível de pecar, bastando para isso, não vigiar e negligenciar o hábito de orar. II. O PERDÃO AO NOSSO ALCANCE10- O que deve fazer aquele que pecar? ( ) Nada, pois, já está salvo e lavado pelo sangue de JESUS, livre de qualquer condenação. ( ) Quem pecar deve buscar imediatamente a CRISTO JESUS que se compadece das nossas fraquezas e aceita-nos no trono da graça, desde que estejamos arrependidos e dispostos a confessar nossos pecados. ( ) O crente está predestinado após aceitar a JESUS, portanto não deve se preocupar com isso. 11- Qual o resultado de termos um Advogado junto ao PAI (2.1)? ( ) Temos direito a pecar e não sofrer mais o juízo de DEUS. ( ) Todo crente que, pecando, arrepender-se de seus pecados de coração, tem um Advogado junto a DEUS que é fiel, justo e o conhece completamente - JESUS CRISTO, Filho de DEUS. ( ) O crente que por fraqueza, falta de vigilância e desobediência, cometeu algum pecado, não pode e nem deve duvidar do amor de DEUS e do poder restaurador do Evangelho por meio de JESUS CRISTO. 12- O que requer a santidade de DEUS, para o pecado? ( ) Uma punição. ( ) Uma absolvição dos pecadores. ( ) Uma demonstração de amor e perdão para os que estão em pecado. 13- Como JESUS agiu para satisfazer toda exigência da lei divina quanto ao culpado e assim punir o pecado da humanidade? ( ) Em parte foi satisfeita na cruz por JESUS. ( ) Foi satisfeita plenamente na cruz quando JESUS efetuou a nossa redenção pelo seu sangue.. ( ) Por esse ato de amor de CRISTO, obtivemos o perdão dos pecados; assim, fomos salvos da perdição eterna.III. A SATISFAÇÃO DA JUSTIÇA DIVINA14- Além de Advogado, o que mais o apóstolo do amor afirma sobre JESUS? ( ) Que é também a "propiciação" pelos nossos pecados. ( ) Que é também a manifestação humana com defeitos e problemas como qualquer um de nós, sujeito ao pecado. 15- O que é Propiciar? ( ) É proporcionar a salvação. ( ) É satisfazer a lei divina violada pelo transgressor. ( ) JESUS, como a nossa propiciação, cumpriu a pena do pecado em nosso lugar e abriu o caminho para a nossa justificação. 16- Como e por que CRISTO se tornou propiciação? ( ) Se tornando homem como nós e se sujeitando aos mesmos pecados. ( ) Propiciação era uma palavra utilizada para identificar o sacrifício vicário e expiador com derramamento de sangue, aplacando a ira da divindade. ( ) Como o Cordeiro escolhido por DEUS desde a fundação do mundo para morrer em nosso lugar (Ap 13.8), JESUS se fez oferta sacrifical por nós. ( ) Isto realça o propósito do Senhor para garantir o nosso perdão. 17- Qual a abrangência da propiciação. ( ) Abrange a todos os salvos, que naturalmente já haviam sido predestinados para essa salvação. ( ) Da mesma maneira, como o pecado abrange o universo, somente DEUS pode alcançar todos os homens de todas as gerações, culturas e circunstâncias. ( ) O sacrifício de JESUS foi único e por todos, indistintamente.. IV. LIVRES DO PECADO18- Como deve o crente honrar a DEUS e ser-lhe sempre grato pela grandiosa dádiva da salvação? ( ) Guardando os seus mandamentos. ( ) Vivenciando sua Palavra. ( ) Sendo liberto de toda culpa e vivendo para agradar-se a si mesmo. 19- O que é para o apóstolo João, "guardar os seus mandamentos"? ( ) É seguir à risca os dez mandamentos, para justificação diante de DEUS. ( ) É uma demonstração de que estamos nEle e igualmente Ele em nós. ( ) Para João, guardar os mandamentos não significa escondê-los em algum lugar da memória, mas, sim, vivê-los e fazer com que façam parte do nosso cotidiano, até que chegue o dia em que se possa dizer: "vivo, não mais eu, mas CRISTO vive em mim". 20- O que João, o apóstolo do amor, de modo enfático e claro, afirma a respeito daquele que alega que conhece a DEUS, e não guarda (coloca em prática) os mandamentos do Senhor? ( ) Ele diz que é um fraco, mas que será salvo assim mesmo. ( ) Ele diz que é mentiroso esse tal. ( ) Quem diz que conhece a DEUS, deve deixar claro, no seu viver e no seu agir, que guarda os seus mandamentos e anda de acordo com eles. ( ) É nisto mesmo que certificamo-nos de que estamos nEle (1Jo 2.5). CONCLUSÃO21- Complete: CRISTO morreu pelos nossos pecados, para salvar-nos, santificar- nos e fazer-nos _________________________ a DEUS. Enquanto estivermos no mundo, estamos sujeitos a ______________________________. Se isso acontecer, temos um _____________________________, perante o Pai e a sua santa lei. Daí, nosso propósito ________________________________ deve ser o de viver para agradá-lo. Isto é, uma vida pautada pelo querer de DEUS, segundo os mandamentos divinos para um ___________________________ viver (1Pe 1.16). RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO NOS VÍDEOS: http://www.apazdosenhor.org.br/prof/videosebdnatv.htm AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO - Subsídio Teológico"PropiciaçãoNo AT, o propiciatório era o lugar onde o DEUS santo encontrava-se com os homens pecadores; ali o sangue era aspergido. No NT, a cruz tornou-se o lugar onde DEUS irá encontrar o homem através do sangue de CRISTO. Dessa forma, João pôde dizer que CRISTO é a propiciação, a expiação pelos pecados dos crentes e também pelos pecados dos não crentes (1 Jo 2.2). A doutrina da propiciação ensina claramente que a morte de CRISTO na cruz representava uma substituição por causa do pecado. Sua morte satisfazia as justas exigências de DEUS Pai, provocadas pelo pecado do homem. Como resultado dessa propiciação, DEUS ficou satisfeito e o relacionamento do mundo todo com Ele foi alterado. O sacrifício da propiciação de CRISTO foi a base para a reconciliação do mundo com o próprio DEUS (2 Co 5.19). A reconciliação estava ligada ao fato do mundo ter mudado a relação a DEUS através da morte de CRISTO. A propiciação está relacionada com a reparação apresentada a DEUS como resultado da morte de CRISTO. DEUS foi ofendido pelo pecado do homem, e é Ele quem precisa ser satisfeito através do pagamento por esse pecado".(PFEIFFER, C. F., REA, J., VOS, H. F. Dicionário Bíblico Wycliffe. RJ: CPAD, 2006, p.1612).BIBLIOGRAFIA SUGERIDAALMEIDA, A. O Tabernáculo e a Igreja. RJ: CPAD, 2004.PFEIFFER, C. F., REA, J., VOS, H. F. Dicionário Bíblico Wycliffe. RJ: CPAD, 2006, p.1612SAIBA MAIS em Revista Ensinador Cristão, CPAD, no 39, p. 38. APLICAÇÃO PESSOALO propiciatório era uma peça feita de ouro, que representava o trono de DEUS (Is 6.1). Era um trono de misericórdia, pois a palavra propiciatório significa "onde DEUS nos é propício", "nos é favorável". O propiciatório era guardado pelos querubins, símbolo do poder de DEUS. Nos querubins resplandecia o fogo da glória de DEUS, fazendo sombra sobre o propiciatório. Ora, se os querubins faziam sombra sobre o Propiciatório é porque estava sobre eles o Shekinah, ou fogo terrível, fogo de DEUS, que neles resplandecia. Depois de haver engrandecido e honrado a lei de Moisés em sua vida terrena, JESUS, ao morrer como justo em lugar do culpado, tornou-se a propiciação ou propiciatório para todo aquele que crê. É no propiciatório que o DEUS justo e o ser humano pecador se encontram como amigos e mantêm mútua e plena comunhão, porque o sangue ali salpicado solucionou tudo para sempre. Tendo a justiça de DEUS representada pelo conteúdo da arca, e a misericórdia de DEUS representada pelo sangue aspergido no propiciatório, DEUS pode ser perfeitamente glorificado, e o pecador pode ser perfeitamente salvo! (ALMEIDA, A.de, O Tabernáculo e a Igreja, RJ: CPAD, pp.59,60). AJUDA CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal. http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm (VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE) BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD. Nosso novo endereço:http://www.apazdosenhor.org.br/prof/ Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com/ http://www.ebdweb.com.br/, em http://www.sovitoria.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.

Nenhum comentário: