domingo, 11 de maio de 2008

LIÇÃO 7 - DÍZIMOS E OFERTAS - UMA DISCIPLINA ABENÇOADORA - 2º TRIMESTRE DE 2008

LIÇÃO 7 - DÍZIMOS E OFERTAS - UMA DISCIPLINA ABENÇOADORA AS DISCIPLINAS DA VIDA CRISTÃ Trabalhando em busca da perfeição Comentarista: Pr. Claudionor de Andrade Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antônio Gilberto Complementos e Ajuda para professores e alunos: Ev. Luiz Henrique. COM QUESTIONÁRIO TEXTO ÁUREO "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança." (Ml 3.10) VERDADE PRÁTICA Adorar a Deus com os nossos dízimos e ofertas é uma forma de expressar-lhe nosso amor por sua provisão. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Malaquias 3.7-12.  7 Desde os dias de vossos pais, vos desviastes dos meus estatutos e não os guardastes; tornai vós para mim, e eu tornarei para vós, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar? 8 Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. 9 Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a mim, vós, toda a nação. 10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança. 11 E, por causa de vós, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; e a vide no campo não vos será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos. 12 E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o SENHOR dos Exércitos. Palavra Chave: Contribuição: Em Romanos 12.8 é o ato pelo qual o crente compassivo contribui generosamente com sua renda, a fim de sustentar a igreja em suas necessidades materiais. DÍZIMOS E OFERTAS Ml 3.10 “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança.” DEFINIÇÃO DE DÍZIMOS E OFERTAS. A palavra hebraica para “dízimo” (ma’aser) significa literalmente “a décima parte”. (1) Na Lei de Deus, os israelitas tinham a obrigação de entregar a décima parte das crias dos animais domésticos, dos produtos da terra e de outras rendas como reconhecimento e gratidão pelas bênçãos divinas (ver Lv 27.30-32; Nm 18.21,26; Dt 14.22-29; ver Lv 27.30). O dízimo era usado primariamente para cobrir as despesas do culto e o sustento dos sacerdotes. Deus considerava o seu povo responsável pelo manejo dos recursos que Ele lhes dera na terra prometida (cf. Mt 25.15; Lc 19.13). (2) No âmago do dízimo, achava-se a idéia de que Deus é o dono de tudo (Êx 19.5; Sl 24.1; 50.10-12; Ag 2.8). Os seres humanos foram criados por Ele, e a Ele devem o fôlego de vida (Gn 1.26,27; At 17.28). Sendo assim, ninguém possui nada que não haja recebido originalmente do Senhor (Jó 1.21; Jo 3.27; 1Co 4.7). Nas leis sobre o dízimo, Deus estava simplesmente ordenando que os seus lhe devolvessem parte daquilo que Ele já lhes tinha dado. (3) Além dos dízimos, os israelitas eram instruídos a trazer numerosas oferendas ao Senhor, principalmente na forma de sacrifícios. Levítico descreve várias oferendas rituais: o holocausto (Lv 1; 6.8-13), a oferta de manjares (Lv 2; 6.14-23), a oferta pacífica (Lv 3; 7.11-21), a oferta pelo pecado (Lv 4.1—5.13; 6.24-30), e a oferta pela culpa (Lv 5.14—6.7; 7.1-10). (4) Além das ofertas prescritas, os israelitas podiam apresentar outras ofertas voluntárias ao Senhor. Algumas destas eram repetidas em tempos determinados (ver Lv 22.18-23; Nm 15.3; Dt 12.6,17), ao passo que outras eram ocasionais. Quando, por exemplo, os israelitas empreenderam a construção do Tabernáculo no monte Sinai, trouxeram liberalmente suas oferendas para a fabricação da tenda e de seus móveis (ver Êx 35.20-29). Ficaram tão entusiasmados com o empreendimento, que Moisés teve de ordenar-lhes que cessassem as oferendas (Êx 36.3-7). Nos tempos de Joás, o sumo sacerdote Joiada fez um cofre para os israelitas lançarem as ofertas voluntárias a fim de custear os consertos do templo, e todos contribuíram com generosidade (2Rs 12.9,10). Semelhantemente, nos tempos de Ezequias, o povo contribuiu generosamente às obras da reconstrução do templo (2Cr 31.5-19). (5) Houve ocasiões na história do AT em que o povo de Deus reteve egoisticamente o dinheiro, não repassando os dízimos e ofertas regulares ao Senhor. Durante a reconstrução do segundo templo, os judeus pareciam mais interessados na construção de suas propriedades, por causa dos lucros imediatos que lhes trariam, do que nos reparos da Casa de Deus que se achava em ruínas. Por causa disto, alertou-lhes Ageu, muitos deles estavam sofrendo reveses financeiros (Ag 1.3-6). Coisa semelhante acontecia nos tempos do profeta Malaquias e, mais uma vez, Deus castigou seu povo por se recusar a trazer-lhe o dízimo (Ml 3.9-12). A ADMINISTRAÇÃO DO NOSSO DINHEIRO. Os exemplos dos dízimos e ofertas no AT contêm princípios importantes a respeito da mordomia do dinheiro, que são válidos para os crentes do NT. (1) Devemos lembrar-nos que tudo quanto possuímos pertence a Deus, de modo que aquilo que temos não é nosso: é algo que nos confiou aos cuidados. Não temos nenhum domínio sobre as nossas posses. (2) Devemos decidir, pois, de todo o coração, servir a Deus, e não ao dinheiro (Mt 6.19-24; 2Co 8.5). A Bíblia deixa claro que a cobiça é uma forma de idolatria (Cl 3.5). (3) Nossas contribuições devem ser para a promoção do reino de Deus, especialmente para a obra da igreja local e a disseminação do evangelho pelo mundo (1Co 9.4-14; Fp 4.15-18; 1Tm 5.17,18), para ajudar aos necessitados (Pv 19.17; Gl 2.10; 2Co 8.14; 9.2), para acumular tesouros no céu (Mt 6.20; Lc 6.32-35) e para aprender a temer ao Senhor (Dt 14.22,23). (4) Nossas contribuições devem ser proporcionais à nossa renda. No AT, o dízimo era calculado em uma décima parte. Dar menos que isto era desobediência a Deus. Aliás equivalia a roubá-lo (Ml 3.8-10). Semelhantemente, o NT requer que as nossas contribuições sejam proporcionais àquilo que Deus nos tem dado (1Co 16.2; 2Co 8.3,12; ver 2Co 8.2). (5) Nossas contribuições devem ser voluntárias e generosas, pois assim é ensinado tanto no AT (ver Êx 25.1,2; 2Cr 24.8-11) quanto no NT (ver 2Co 8.1-5,11,12). Não devemos hesitar em contribuir de modo sacrificial (2Co 8:3), pois foi com tal espírito que o Senhor Jesus entregou-se por nós (ver 2Co 8.9). Para Deus, o sacrifício envolvido é muito mais importante do que o valor monetário da dádiva (ver Lc 21.1-4). (6) Nossas contribuições devem ser dadas com alegria (2Co 9.7). Tanto o exemplo dos israelitas no AT (Êx 35.21-29; 2Cr 24.10) quanto o dos cristãos macedônios do NT (2Co 8.1-5) servem-nos de modelos. (7) Deus tem prometido recompensar-nos de conformidade com o que lhe temos dado (ver Dt 15.4; Ml 3.10-12; Mt 19.21; 1Tm 6.19; ver 2Co 9.6). "PORQUE SOU DIZIMISTA" 1. Sou Dizimista porque o Dízimo é Santo. Lv 27.30 Também todos os dízimos da terra, quer dos cereais, quer do fruto das árvores, pertencem ao senhor; santos são ao Senhor. 31 Se alguém quiser remir uma parte dos seus dízimos, acrescentar-lhe-á a quinta parte. 32 Quanto a todo dízimo do gado e do rebanho, de tudo o que passar debaixo da vara, esse dízimo será santo ao Senhor. 2. Sou Dizimista porque quero ser participante das grandes bênçãos. Ml 3.11 Também por amor de vós reprovarei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; nem a vossa vide no campo lançará o seu fruto antes do tempo, diz o Senhor dos exércitos. 12 E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o Senhor dos exércitos. 3. Sou Dizimista porque amo a obra de Deus na face da Terra. Ml 3.10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança. 4. Sou Dizimista porque não quero ser amaldiçoado.  Ml 3.9 Vós sois amaldiçoados com a maldição; porque a mim me roubais, sim, vós, esta nação toda. 5. Sou Dizimista porque Deus é dono de tudo. Sl 24. 1 Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam. 6. Sou Dizimista porque eu mesmo vou gozá-lo na casa de Deus. Dt 14.23 E, perante o Senhor teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comerás os dízimos do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer ao Senhor teu Deus por todos os dias. 7. Sou Dizimista porque mais bem-aventurado é dar do que receber. At 20.35 Em tudo vos dei o exemplo de que assim trabalhando, é necessário socorrer os enfermos, recordando as palavras do Senhor Jesus, porquanto ele mesmo disse: Coisa mais bem-aventurada é dar do que receber. 8. Sou Dizimista porque Deus ama ao que dá com alegria. 2 Co 9.7 Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria. 9. Sou Dizimista porque tudo vem das Mãos de Deus. 1Cr 29.14 Mas quem sou eu, e quem é o meu povo, para que pudéssemos fazer ofertas tão voluntariamente? Porque tudo vem de ti, e do que é teu to damos. 10. Sou Dizimista porque não sou avarento. 1 Tm 6. 10 Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. 11. Sou Dizimista porque meu rico tesouro está no céus. Mt 6.19-21 19 Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; 20 Mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam. 21 Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração. 12. Sou Dizimista porque tudo que peço recebo. Mt 7.7-9. 7 Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á. 8 Pois todo o que pede, recebe; e quem busca, acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á. 9 Ou qual dentre vós é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? 13. Sou Dizimista porque obedeço a Deus. At 5.29 Respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Importa antes obedecer a Deus que aos homens. Pv 10. 22 A bênção do Senhor é que enriquece; e ele não a faz seguir de dor alguma. 14. Sou Dizimista porque a benção de Deus é que enriquece. Pv 10:22 A bênção do Senhor é que enriquece; e ele não a faz seguir de dor alguma. 15. Sou Dizimista porque para cada lei, Deus promete recompensa. Sl 19. 7 A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos simples. 16. Sou Dizimista porque receberei de Deus com a mesma medida. Lc 6. 33 E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que mérito há nisso? Também os pecadores fazem o mesmo. 17. Sou Dizimista porque os pensamentos de Deus são mais altos que os meus. Is 55. 9 Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos. 18. Sou Dizimista porque Deus me escolheu e me nomeou. Jo 15. 16 Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda. 19. Sou Dizimista porque Deus diz: "Fazei prova de Mim" . Ml 3. 10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança. 20. Sou Dizimista porque minha descendência não vai mendigar o pão. Sl 37. 25 Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua descendência a mendigar o pão. 21. Sou Dizimista porque meu salário não será posto em saco furado. Ag 1. 6 Tendes semeado muito, e recolhido pouco; comeis, mas não vos fartais; bebeis, mas não vos saciais; vestis-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o para o meter num saco furado. 22. Sou Dizimista porque é minha responsabilidade o sustento da igreja. Ml 3. 10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança. 23. Sou Dizimista porque quero ter a consciência tranqüila. 1Tm 1. 19 conservando a fé, e uma boa consciência, a qual alguns havendo rejeitado, naufragando no tocante à fé; 24. Sou Dizimista porque tudo o que o homem plantar, isso ceifará. Gl 6. 7 Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará. 25. Sou Dizimista porque Deus suprirá todas as minhas necessidades. Fl 4. 19 Meu Deus suprirá todas as vossas necessidades segundo as suas riquezas na glória em Cristo Jesus. Na verdade na nova aliança tudo o que é meu, não é meu, mas de DEUS, eu administro e aplico na obra.                                        RESUMO:    1-O que é Dízimo? Corresponde à décima parte do que se arrecada 2-Porque dar o Dízimo? Não sei se a palavra certa seria dar, ou pagar, ou entregar, mas basicamente quando alguém sente o desejo de ajudar a obra de DEUS, reconhecendo em seus líderes pessoas que estão vivendo exclusivamente pela causa do mestre JESUS; levam sua contribuição ao templo ou congregação para que haja mantimento e suficientes fundos para as despesas na obra de DEUS 3-Todos os membros biblicamente são obrigados a dar o Dízimo? Ninguém é obrigado a dar o dízimo. O dízimo é uma opção de ajuda na obra de DEUS, devendo o dizimista ter em mente de que é apenas um mordomo de DEUS aqui na terra, aplicando seus rendimentos provindos de DEUS, na obra do próprio DEUS e não se esquecendo que tudo o que temos ou possuímos devemos ao próprio DEUS e devemos não só dar o dízimo, mas também ofertas para que o trabalho do Senhor não seja prejudicado e sempre possa progredir na evangelização dos povos. " MAIS BEM-AVENTURADA COISA É DAR DO QUE RECEBER!" (JESUS) "Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam" (Sl 24.1). MORDOMIA CRISTÃ Há uma grande diferença entre POSSE e MORDOMIA: Deus é o possuidor de todas as coisas (Gn 14.19-22; Sl 24.1; 50.1-12; 68.19; 89.11; Ag 2.8). Enquanto Mordomia implica que não somos donos; somos apenas mordomos responsáveis que devem prestar contas (Mt 25.14-30;  Lc 19.11-26). Temos diferentes relações entre dono-mordomo:  a) Vida, o que recebemos (Gn 1.27-28; At 17.25; Tg 1.17).  b) Tempo, o que nos foi outorgado (Pv 24.30-34); Sl 90:12).  c) Talentos, o que nos foi dado para usar (Mt 25.14-30).  d) Possessões, o que nos é confiado (Mt 6.19-21; Co 3.1- 2).  e) Finanças, o que ganhamos com o nosso trabalho (I Co 16.1-2). Para sermos um bom mordomo são necessários os requisitos:  a) Fidelidade (I Co 4.1-2).  b) Disposição a receber ensino (Sl 27.11).  c) Desejo de servir as pessoas (Rm 12.10-13).  d) Um coração de servo (Gl 5.13).  e) Disposição para dar (Lc 6.38).  AS FINANÇAS  A questão financeira tem um tratamento bíblico bastante sério:  a) Os Evangelho contém mais advertências contra o dinheiro e seu mau uso do que contra qualquer outro assunto.  b) Um em cada seis versículos do N.T. faz alguma referência ao dinheiro.  c) Quase a metade das parábolas de Jesus tem alguma referência a dinheiro, especialmente advertência contra a cobiça.  d) Judas vendeu Cristo por dinheiro, que nunca chegou a usá-lo.  e) Satanás na cena da glória da igreja primitiva através do dinheiro, quando se vivia um ambiente de doação (At 5:1-10).  f) O pecado de "Simonia" refere-se a dinheiro e a tentar comprar os dons de Deus com ele (At 8:14-24).  g) Riqueza e tradição (Ap 13:16-18), são palavras ligadas ao poder de comprar e vender. Em si o dinheiro não é mau. É o amor ao dinheiro que é a raiz de todos os males (I Tm 6.7- 10).  DÍZIMOS E OFERTAS  As Escrituras dizem o seguinte sobre dízimos e ofertas:  a) Devemos trazer nossos dízimos e ofertas à tesouraria da casa de Deus (casa do tesouro, Ml 3.7- 12).  b) A casa de Deus é o lugar onde o povo de Deus é "alimentado".  O dízimo é para nossos dias? Sim, tanto no V.T. como no N.T. os participativos devem entregar o dízimo das suas rendas:  I ) O DÍZIMO ANTES DA LEI  a) Abraão (sob aliança, Gn 14:18-20).  b) Jacó (sob aliança, Gn 28:22).  II) O DÍZIMO SOB A LEI: Israel, aliança mosaica (Lv 27.30-33; Nm 18.20-24; 25-32).  III) O DÍZIMO SOB A GRAÇA: Jesus confirmou o dízimo. O dízimo não era da lei, mas antes da lei (Mt 23.33; Lc 11:42; 18.12; Hb 7.1-21).  "Roubará o homem a Deus? todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos: Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a mim, vós, toda a nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento n a minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança" (Ml 3.8-10).  PRINCÍPIOS DO DAR a) Dar-nos primeiramente ao Senhor (II Co 8.5).  b) Dar de boa vontade (II Co 8:3-12).  c) Dar com alegria (II Co 9:7).  d) Dar com generosidade, com liberalidade (II Co 8.2; 9.13).  e) Dar proporcionalmente (II Co 9.6; 8.14-15).  f) Dar regularmente (I Co 16.1-2).  g) Dar sistematicamente (II Co 9.7).  h)Dar com amor (II Co 8.24).  i) Dar com gratidão (II Co 9.11-12).  j) Dar como ministração ao Senhor e seus santos (II Co 9.12- 13).  DESTAQUE: O que dá pela LEI, dá por obrigação. O que dá por AMOR, dá por prazer. Louvado seja Deus.  CONCLUSÃO   Hoje alguns grupos, até evangélicos, vivem uma verdadeira exploração das pessoas bem intencionadas, em relação ao dinheiro. Há denominações que administram bem os seus dízimos e ofertas, à estas que o tempo já demonstrou responsabilidade e compromisso com o Reino de Deus, são dignas de receberem os dízimos e ofertas de seus membros, porque neste caso está administrando o trabalho e a dignidade de vida de cada um. Sejamos dizimistas.  INTERAÇÃO Professor, nesta lição você terá a oportunidade de ensinar a seus alunos que o dízimo e as ofertas não são apenas uma obrigação ou responsabilidade, mas, acima de tudo, um privilégio. ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA Para enriquecer o conhecimento de seus alunos acerca do dízimo, faça a seguinte atividade: Solicite à classe que leia as referências indicadas sobre o dízimo e descubra os propósitos, princípios e verdades relacionadas ao tema na Bíblia. Lv 27.30-32 - Os dízimos pertencem ao Senhor. O povo deveria dar os dízimos de todos os produtos da terra e dos rebanhos. Nm 18.21-32 - Um dos propósitos do dízimo era o sustento dos levitas em troca dos serviços prestados na tenda da congregação; por sua vez, os levitas davam os dízimos dos dízimos ao sacerdote. Dt 14.28,29 - Outro propósito era auxiliar aos necessitados. Dt 26.25; Ml 3.8,10 - Assim como Deus dera bênçãos a seu povo, os que as receberam deviam reparti-las com os menos favorecidos. Dar o dízimo, portanto, traria bênçãos divinas, retê-lo traria a maldição. De início, escreva no quadro de giz apenas as referências. Seus alunos deverão lê-las e interpretar o texto. É natural que tenham dificuldades. Porém, ajude-os com um breve comentário sobre cada texto. RESUMO DA LIÇÃO 7 DÍZIMOS E OFERTAS UMA DISCIPLINA ABENÇOADORA INTRODUÇÃO As ofertas e os dízimos não lhe pertencem, a Deus pertencem. I. O QUE SÃO OS DÍZIMOS E OFERTAS1. Definição. Devoção cristã. 2. Mordomia cristã. Administração. II. ADORANDO A DEUS COM NOSSOS HAVERES 1. Através das contribuições financeiras, honramos a Deus. 2. Por meio das ofertas e dízimos, mostramos a Deus nossa alegria. 3. Por intermédio do dar, expomos a Deus um coração voluntário. 4. Através do ofertar, revelamos o nosso desprendimento. III. A CONTRIBUIÇÃO NA BÍBLIA 1. Antigo Testamento. Adão e sacrifícios. a) Abel. Atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta" (Gn 4.4). b) Abraão. Primeiro herói da fé a trazer os dízimos ao Senhor. c) Israel. Obrigação dos filhos de Israel. 2. Novo Testamento. a) Jesus não foi contra os dízimos. b) Tipologicamente, Abraão entregou os dízimos a Cristo. c) A Igreja Primitiva contribuía regularmente no primeiro dia da semana. d) Na Igreja Primitiva o dízimo era o referencial mínimo. CONCLUSÃO Os dízimos e as ofertas, ato de ações de graças. O ofertar faz parte tanto do nosso culto público como individual. Palavra Chave: Contribuição: Em Romanos 12.8 é o ato pelo qual o crente compassivo contribui generosamente com sua renda, a fim de sustentar a igreja em suas necessidades materiais. SINOPSE DO TÓPICO (1): Os dízimos e as ofertas integram a mordomia cristã e são meios materiais pelos quais reconhecemos a soberania do Senhor sobre nossas finanças. SINOPSE DO TÓPICO (2): Agradar a Deus, sustentar a obra do Senhor e auxiliar os necessitados da igreja local são alguns dos motivos pelos quais é necessário o exercício da contribuição voluntária na obra do Senhor. SINOPSE DO TÓPICO (3): O ensino a respeito da contribuição financeira para sustento da Ceara do Mestre e minorar as necessidades dos crentes é confirmado no Antigo e Novo Testamento e pela prática da igreja cristã primitiva. QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 7 - DÍZIMOS E OFERTAS - UMA DISCIPLINA ABENÇOADORA RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 2º TRIMESTRE DE 2008 TEXTO ÁUREO 1- Complete: "Trazei todos os ____________________ à casa do tesouro, para que haja ____________________ na minha casa; e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma _______________________ tal, que dela vos advenha a maior abastança." (Ml 3.10) VERDADE PRÁTICA 2- Complete: Adorar a Deus com os nossos ___________________ e _____________________ é uma forma de expressar-lhe nosso ______________________ por sua provisão. I. O QUE SÃO OS DÍZIMOS E OFERTAS 3- Qual a definição de Dízimo? ( ) "Oferta entregue voluntariamente à Obra de Deus, constituindo-se da décima parte da renda do adorador (Ml 3.10). 4- Dentro da definição de dízimo, também é correto afirmar que: Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Os dízimos e ofertas, entregues a Deus com ações de graças, são um dos maiores atos da devoção cristã. ( ) Testemunham de que lhe reconhecemos o senhorio supremo e inquestionável sobre todas as coisas. ( ) Evidenciam que lhe aceitamos o império de sua vontade sobre todas as coisas que possuímos. ( ) O dízimo não tem valor mercantilista, nem pode ser visto como um investimento. ( ) É um ato de amor e de adoração que devotamos àquele que tudo nos concede. ( ) É uma aliança prática entre Deus e o homem. 5- O que haverá de usufruir aquela que é fiel no dízimo? ( ) De todas as bênçãos que o Senhor reservou-nos em sua suficiência. 6- O que é Mordomia cristã? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) É a entrega amorosa e voluntária do que possuímos a Deus. ( ) É a administração de quanto recebemos do Senhor. 7- O que nos cabe como mordomos de DEUS? ( ) Administrar, devocional e amorosamente, o que nos entregou Ele, visando o serviço de adoração, a expansão de seu Reino e o sustento dos mais necessitados. 8- O que se requer de cada mordomo, ou despenseiro? ( ) Que se mantenha fiel ao que Deus lhe confiou. II. ADORANDO A DEUS COM NOSSOS HAVERES 9- Por que os dízimos e ofertas são importantes? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) Através das contribuições financeiras, honramos a Deus. ( ) Por meio das ofertas e dízimos, mostramos a Deus nossa alegria. ( ) Por intermédio do dar, expomos a Deus um coração voluntário: ( ) Através do ofertar, revelamos o nosso desprendimento. III. A CONTRIBUIÇÃO NA BÍBLIA 10- Cite pelo menos 3 ofertantes de sacrifícios a DEUS, do Antigo Testamento: ( ) Adão, Abel e Abraão. 11- Quem foi o primeiro herói da fé, segundo o registro bíblico, a trazer os dízimos ao Senhor? ( ) Abrão. 12- Quais dentre os antigos, tinham por obrigação trazer os dízimos aos levitas, a fim de manter em perfeito funcionamento o serviço do santuário? ( ) Os filhos de Israel. 13- Os dízimos foram instituídos pela Lei de Moisés? Por que? ( ) Não, porque Abraão já o honrava com os seus dízimos. 14- Como a Igreja de Cristo comportava-se diante da mordomia que nos entregou o Senhor. Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda: Igreja Primitiva Não foi contra os dízimos, mas contra a hipocrisia dos que os traziam. Jesus Vendendo seu campo, trouxe o preço e o depositou aos pés dos apóstolos. Abraão Contribuía regularmente no primeiro dia da semana Barnabé Entregou os dízimos a Cristo, já que Melquisedeque era da mesma ordem sacerdotal que o Nazareno. CONCLUSÃO 15- Como devem ser trazidos a Deus os dízimos e as ofertas? ( ) Devem ser entregues como um ato de ações de graças. 16- Você é dizimista fiel? ( ) Sim. ( ) Não. ( ) Vou começar a ser a partir de hoje. AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO Subsídio Devocional "A verdadeira oferta no espírito da liberdade Daí, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos darão' (Lc 6.38a). Nessas palavras, Jesus - o Mestre - deu-nos um resumo do plano total de libertação de Deus. Ele transcende às questões de dinheiro, embora as inclua; entendê-lo é apropriar-se da Chave do Mestre. Significa aprender a ofertar no espírito divino. A compreensão genuína faz a diferença. Se você crescer no conhecimento do coração de Deus, irá cultivar a verdadeira oferta no espírito da liberdade. Isto o levará além dos programas de formulação humana, regulamentos, etc. É algo que conta com pleno respaldo bíblico. A oferta feita com alegria e louvor (nascida da oração e do Espírito ao invés de promoções e sistemas) dá lugar à verdadeira generosidade, e possibilita a libertação completa do espírito de mesquinhez. Crescer, conhecer, ver e ofertar, tudo deve estar em compasso com o coração de Jesus. Tais coisas afastar-nos-ão da tradição morta, de um lado; e de outro, do 'evangelismo-saúde-riqueza'. Por quê? Porque o contribuir torna-se arraigado no espírito das palavras de Jesus. Examine melhor o texto que lemos, e meditemos juntos em cada frase." (HAYFORD, Jack. A chave de tudo. Rio de Janeiro: CPAD, 1994, pp. 63-4.) BIBLIOGRAFIA SUGERIDA: HAYFORD, Jack. A chave de tudo. RJ: CPAD, 1994. LIMA, P.César. Dizimista, eu? RJ: CPAD, 1998. SILVA, S. da. O crente e a prosperidade. RJ: CPAD, 1992. SOUZA, B. de. As chaves do sucesso financeiro. RJ: CPAD, 2001. SAIBA MAIS na Revista Ensinador Cristão, CPAD, no 34, p.39. APLICAÇÃO PESSOAL A promessa dada por Deus através de Malaquias impõe uma condição: primeiro trazer os dízimos, depois fazer prova do Senhor, que garante derramar bênção tal, trazendo maior abastança. Porém, é preciso que fique claro: isto não anula as aflições da vida, onde podem aparecer os momentos de sequidão. Agora, com certeza garante vitória aos que, com fidelidade em tudo, atravessam estas horas mais difíceis, pois a Palavra de Deus jamais cai por terra. Fazer prova não é chantagear o Senhor, mas saber que Ele é recíproco para conosco, se cumprirmos a nossa parte. "Se vós estiverdes em mim", disse Ele, "e as minhas palavras estiverem em vós". 3.8 ROUBARÁ O HOMEM A DEUS? Os israelitas roubavam a Deus ao deixarem de lhe trazer os dízimos (a décima parte do que ganhavam). O dízimo era exigido pela Lei de Moisés (Lv 27.30). (1) Por isto, Deus ameaça com maldições os que, egoisticamente, recusam-se a contribuir (vv. 8,9), e promete abençoar os que sustentam a sua obra (vv. 10-12). (2) Os crentes do NT têm a obrigação de contribuir com os seus dízimos para manter a obra do Senhor tanto local quanto no campo missionário (ver 2 Co 8.2 ). 3.10 DERRAMAR SOBRE VÓS UMA BÊNÇÃO. Se o povo se arrependesse e se voltasse ao Senhor, e como sinal de seu arrependimento, passasse a sustentar a obra de Deus e os seus ministros com os dízimos e ofertas, o Senhor o abençoaria de forma abundante. Deus espera que demonstremos amor e devoção a Ele e à sua obra por meio dos dízimos e ofertas para que o seu reino seja promovido. As bênçãos que acompanham a fidelidade na contribuição financeira virão tanto nesta vida como na do porvir. Ajuda: CPAD - www.cpad.com.br - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal. www.escoladominical.com.br - www.ebdweb.com.br http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm (VÍDEOS da EBD na TV) BÍBLIA ILUMINA EM CD - Bíblia de Estudo NVI EM CD - Bíblia Thompson EM CD. Nosso novo endereço: http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/ http://www.geocities.com/Athens/Academy/3958/doutrinas/dizimo.htm www.estudosbiblicos.com  http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/dizimo.htm

Nenhum comentário: