sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

ESTUDOS DA LICAO 04 - A GLORIA DAS DUAS ALIANCAS

LIÇÃO 04 - A GLÓRIA DAS DUAS ALIANÇAS Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 1º TRIMESTRE DE 2010 2Coríntios - "Eu, de muito boa vontade, gastarei e me deixarei gastar pelas vossas almas". Comentários da revista da CPAD: Pr. Elienai Cabral Consultores Doutrinários e Teológicos da CPAD: Pr. Antonio Gilberto e Claudionor de Andrade Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev.. Luiz Henrique de Almeida Silva TEXTO ÁUREO "Porque, se o que era transitório foi para glória, muito mais é em glória o que permanece. (2 Co 3.11). VERDADE PRÁTICA A glória da Antiga Aliança desvaneceu ante a glória superior da Aliança revelada em CRISTO JESUS. LEITURA DIÁRIA Segunda Jr 31.33 Uma nova aliança com a casa de Israel Terça Mt 26.28 O sangue da nova aliança Quarta Hb 12.24 JESUS, o Mediador de uma nova aliança Quinta Is 55.3 Uma aliança perpétua Sexta Hb 13.20 Uma aliança de sangue Sábado Gl 4.24-26 Dois concertos LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - 2 CORÍNTIOS 3.1-11 1Porventura, começamos outra vez a louvar-nos a nós mesmos? Ou necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós ou de recomendação de vós? 2Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens, 3 porque já é manifesto que vós sois a carta de CRISTO, ministrada por nós e escrita não com tinta, mas com o ESPÍRITO do DEUS vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração. 4 E é por CRISTO que temos tal confiança em DEUS; 5 não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de DEUS, 6 o qual nos fez também capazes de ser ministros dum Novo Testamento, não da letra, mas do ESPÍRITO; porque a letra mata, e o ESPÍRITO vivifica. 7 E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, 8 como não será de maior glória o ministério do ESPÍRITO? 9 Porque, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais excederá em glória o ministério da justiça. 10 Porque também o que foi glorificado, nesta parte, não foi glorificado, por causa desta excelente glória. 11 Porque, se o que era transitório foi para glória, muito mais é em glória o que permanece. Palavra Chave: NOVA ALIANÇA - Providência divina pela qual DEUS estabeleceu um novo relacionamento de responsabilidade entre Si mesmo e o seu povo. Pra melhor compreensão desta lição e de muito mais sobre Aliança entre aqui e estude. Não se esqueça de assistir aos vídeos com mais subsídios à lição http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm As cartas eram largamente utilizadas desde os tempos da monarquia, segundo a bíblia. Os judeus constantemente as utilizava com o intuito de apresentar, recomendar autorizar e até mesmo condenar alguém. Na época de paulo os judeus utilizavam cartas de apresentação e recomendação para os visitantes em cidades distantes de Jerusalém, tanto apresentando um visitante em uma sinagoga, como pedindo estadia em casa de seus irmãos do judaísmo. Paulo mesmo era usuário de cartas de recomendação, antes de se converter e após se converter. Ele mesmo foi portador de uma das mais terríveis cartas de apresentação, a de prisão e até extermínio dos crentes, no início da Igreja. Atos 9:2 e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, se encontrasse alguns daquela seita, quer homens, quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém. Alguns tipos de carta que encontramos na Bíblia: Carta de condenação a morte: 2 Samuel 11:14 E sucedeu que, pela manhã, Davi escreveu uma carta a Joabe e mandou-lha por mão de Urias. 15 Escreveu na carta, dizendo: Ponde Urias na frente da maior força da peleja; e retirai-vos de detrás dele, para que seja ferido e morra. Carta de afronta: 2 Reis 19:14 Recebendo, pois, Ezequias as cartas das mãos dos mensageiros e lendo-as, subiu à Casa do SENHOR; e Ezequias as estendeu perante o SENHOR. 2 Crônicas 32:17 Escreveu também cartas, para blasfemar do SENHOR, Deus de Israel, e para falar contra ele, dizendo: Assim como os deuses das nações das terras não livraram o seu povo das minhas mãos, assim também o Deus de Ezequias não livrará o seu povo das minhas mãos. Carta de conversão: 2 Crônicas 30:6 Foram, pois, os correios com as cartas das mãos do rei e dos seus príncipes por todo o Israel e Judá e segundo o mandado do rei, dizendo: Filhos de Israel, convertei-vos ao SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, para que ele se volte para aqueles de vós que escaparam e escaparam das mãos dos reis da Assíria. Carta real: Esdras 7:11 Esta é, pois, a cópia da carta que o rei Artaxerxes deu ao sacerdote Esdras, o escriba das palavras, dos mandamentos do SENHOR e dos seus estatutos sobre Israel: Neemias 2:7 Disse mais ao rei: Se ao rei parece bem, dêem-se-me cartas para os governadores dalém do rio, para que me dêem passagem até que chegue a Judá; Carta de livramento: Ester8:13 E uma cópia da carta, que uma ordem se anunciaria em todas as províncias, foi enviada a todos os povos, para que os judeus estivessem preparados para aquele dia, para se vingarem dos seus inimigos. Carta de Desquite, Divórcio e de repúdio: Isaías 50:1 Assim diz o SENHOR: Onde está a carta de divórcio de vossa mãe, pela qual eu a repudiei? Ou quem é o meu credor, a quem eu vos tenha vendido? Eis que por vossas maldades fostes vendidos, e por vossas prevaricações vossa mãe foi repudiada. Mateus 5:31 Também foi dito: Qualquer que deixar sua mulher, que lhe dê carta de desquite. Mateus 19:7 Disseram-lhe eles: Então, por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio e repudiá-la? Marcos 10:4 E eles disseram: Moisés permitiu escrever carta de divórcio e repudiar. Cartas da Igreja: Atos 9:2 e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, se encontrasse alguns daquela seita, quer homens, quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém. Atos 15:30 Tendo-se eles, então, despedido, partiram para Antioquia e, ajuntando a multidão, entregaram a carta. Atos 22:5 como também o sumo sacerdote me é testemunha, e todo o conselho dos anciãos; e, recebendo destes cartas para os irmãos, fui a Damasco, para trazer manietados para Jerusalém aqueles que ali estivessem, a fim de que fossem castigados. Atos 23:33 os quais, logo que chegaram a Cesaréia e entregaram a carta ao governador, lhe apresentaram Paulo. Atos 23:34 E o governador, lida a carta, perguntou de que província era; e, sabendo que era da Cilícia, Atos 28:21 Então, eles lhe disseram: Nós não recebemos acerca de ti cartas algumas da Judéia, nem veio aqui algum dos irmãos que nos anunciasse ou dissesse de ti mal algum. Romanos 16:22 Eu, Tércio, que esta carta escrevi, vos saúdo no Senhor. 1 Coríntios 5:9 Já por carta vos tenho escrito que não vos associeis com os que se prostituem; 1 Coríntios 16:3 E, quando tiver chegado, mandarei os que, por cartas, aprovardes, para levar a vossa dádiva a Jerusalém. 2 Coríntios 3:1 Porventura, começamos outra vez a louvar-nos a nós mesmos? Ou necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós ou de recomendação de vós? 2 Coríntios 3:2 Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens, 2 Coríntios 3:3 porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós e escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração. 2 Coríntios 7:8 Porquanto, ainda que vos tenha contristado com a minha carta, não me arrependo, embora já me tivesse arrependido por ver que aquela carta vos contristou, ainda que por pouco tempo; 2 Coríntios 10:9 para que não pareça como se quisera intimidar-vos por cartas. 2 Coríntios 10:10 Porque as suas cartas, dizem, são graves e fortes, mas a presença do corpo é fraca, e a palavra, desprezível. 2 Coríntios 10:11 Pense o tal isto: quais somos na palavra por cartas, estando ausentes, tais seremos também por obra, estando presentes. 2 Tessalonicenses 3:14 Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe. 2 Pedro 3:1 Amados, escrevo-vos, agora, esta segunda carta, em ambas as quais desperto com exortação o vosso ânimo sincero, 3.3 ESCRITA... NAS TÁBUAS DE CARNE DO CORAÇÃO. Sob o novo concerto estabelecido pelo sangue de CRISTO (Mt 26.28), o ESPÍRITO SANTO escreve a lei de DEUS, não em tábuas de pedra, conforme ocorreu no Sinai (Êx 31.18), mas nas "tábuas do coração". Por isso, o crente tem a lei de DEUS no coração e, pelo poder do ESPÍRITO, consegue guardá-la (ver Jr 31.33; Ez 11.19). Essa lei interior consiste em amar a DEUS e ao próximo (cf. Mt 22.34-40; Rm 13.8-10) 3.6 A LETRA MATA. Não é a lei nem a Palavra de DEUS escrita, em si mesmas, que destroem. Trata-se, pelo contrário, das exigências da lei, que sem a vida e o poder do ESPÍRITO, trazem condenação (vv. 7.9; cf. Jr 31.33; Rm 3.31). Mediante a salvação em CRISTO, o ESPÍRITO SANTO concede vida e poder espiritual ao crente para que este faça a vontade de DEUS. Mediante o ESPÍRITO SANTO, a letra da lei já não mata. 3.8 O MINISTÉRIO DO ESPÍRITO. Aqui, Paulo chama o "novo testamento" ou o novo concerto "o ministério do ESPÍRITO", referindo-se à ministração do ESPÍRITO SANTO. Mediante a fé em CRISTO, recebemos o ESPÍRITO SANTO, nascemos de novo, e recebemos a promessa do batismo no ESPÍRITO (At 1.8; 2.4). Todos os benefícios redentores em CRISTO, vêm através do ESPÍRITO SANTO. É Ele quem nos transmite a presença de CRISTO e todas as suas bênçãos (v. 9) O ANTIGO E O NOVO CONCERTO Hb 8.6 “Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de um melhor concerto, que está confirmado em melhores promessas”. Os capítulos 8-10 descrevem numerosos aspectos do antigo concerto tais como o culto, as leis e o ritual dos sacrifícios no tabernáculo; descrevem os vários cômodos e móveis desse centro de adoração do AT. É duplo o propósito do autor: (1) contrastar o serviço do sumo sacerdote no santuário terrestre, segundo o antigo concerto, com o ministério de CRISTO como sumo sacerdote no santuário celestial segundo o novo concerto; e (2) demonstrar como esses vários aspectos do antigo concerto prenunciam ou tipificam o ministério de CRISTO que estabeleceu o novo concerto. O presente estudo sintetiza o relacionamento entre esses dois concertos. (1) Segundo o antigo concerto, a salvação e o relacionamento correto com DEUS provinham de um relacionamento com Ele à base da fé expressa pela obediência à sua lei e ao sistema sacrificial desta. Os sacrifícios do AT tinham três propósitos principais. (a) Ensinar ao povo de DEUS a gravidade do pecado. O pecado separava os pecadores de um DEUS santo, e somente através do derramamento de sangue poderiam reconciliar-se com DEUS e encontrar perdão (Êx 12.3-14; Lv 16; 17.11; Hb 9.22; ver Lv 1.2,3; 4.3; 9.8). (b) Prover um meio para Israel chegar-se a DEUS mediante a fé, a obediência e o amor (cf. 4.16; 7.25; 10.1). (c) Indicar de antemão ou prenunciar (8.5; 10.1) o sacrifício perfeito de CRISTO pelos pecados da raça humana (cf. Jo 1.29; 1Pe 1.18,19; Êx 12.3-14; Lv 16; Gl 3.19). (2) Jeremias profetizou que, num tempo futuro, DEUS faria um novo concerto, um melhor concerto, com o seu povo (ver Jr 31.31-34; cf. Hb 8.8-12). É melhor concerto do que o antigo (cf.Rm 7) porque perdoa totalmente os pecados dos que se arrependem (8.12), transforma-os em filhos de DEUS (Rm 8.15,16), dá-lhes novo coração e nova natureza para que possam, espontaneamente, amar e obedecer a DEUS (8.10; cf. Ez 11.19,20), os conduz a um estreito relacionamento pessoal com JESUS CRISTO e o Pai (8.11) e provê uma experiência maior em relação ao ESPÍRITO SANTO (Jl 2.28; At 1.5,8; 2.16,17, 33, 38,39; Rm 8.14,15,26). (3) JESUS é quem instituiu o novo concerto ou o novo testamento (ambas as idéias estão contidas na palavra grega diatheke — testamento), e seu ministério celestial é incomparavelmente superior ao dos sacerdotes terrenos do AT. O novo concerto é um acordo, promessa, última vontade e testamento, e uma declaração do propósito divino em outorgar graça e bênção àqueles que se chegam a DEUS mediante a fé obediente. De modo específico, trata-se de um concerto de promessa para aqueles que, por fé, aceitam a CRISTO como o Filho de DEUS, recebem suas promessas e se dedicam pessoalmente a Ele e aos preceitos do novo concerto. (a) O ofício de JESUS CRISTO como mediador do novo concerto (8.6; 9.15; 12.24) baseia-se na sua morte expiatória (Mt 26.28; Mc 14.24; Hb 9.14,15; 10.29; 12.24). As promessas e os preceitos desse novo concerto são expressos em todo o NT. Seu propósito é: (i) salvar da culpa e da condenação da lei todos que crêem em JESUS CRISTO e dedicam suas vidas às verdades e deveres do seu concerto (9.16,17; cf. Mc 14.24; 1Co 11.25); e (ii) fazê-lo um povo que seja a possessão de DEUS (8.10; cf. Ez 11.19,20; 1Pe 2.9). (b) O sacrifício de JESUS é melhor que os do antigo concerto por ser um sacrifício voluntário e obediente de uma pessoa justa (JESUS CRISTO), e não um sacrifício involuntário de um animal. O sacrifício de JESUS e o seu cumprimento da vontade de DEUS foram perfeitos, e, portanto, proveu um caminho para o pleno perdão, reconciliação com DEUS e santificação (10.10, 15-17; ver Lv 9.8). (c) O novo concerto pode ser chamado o novo concerto do ESPÍRITO, porque é o ESPÍRITO SANTO quem outorga a vida e o poder àqueles que aceitam o concerto de DEUS (2Co 3.1-6; ver Jo 17.3). (4) Todos os que pertencem ao novo cncerto por JESUS CRISTO recebem as bênçãos e a salvação oriundas desse concerto mediante sua perseverança na fé e na obediência (ver 3.6). Os infiéis são excluídos dessas bênçãos (ver 3.18,19). (5) Estabelecido o novo concerto em CRISTO, o antigo concerto se tornou obsoleto (8.13). Não obstante, o novo concerto não invalida a totalidade das Escrituras do AT, mas apenas as do pacto mosaico, pelo qual a salvação era obtida mediante a obediência à Lei e ao seu sistema de sacrifícios. O AT não está abolido; boa parte da sua revelação aponta para CRISTO, e por ser a inspirada Palavra de DEUS, é útil para ensinar, repreender, corrigir e instruir na retidão. INTERAÇÃO Professor, ao mencionar o título da lição, não se esqueça de destacar o fato de que a Antiga Aliança, ou Antigo Concerto é a Lei de Moisés. Já sabemos que a Lei governou o relacionamento entre os israelitas e o Senhor até a vinda de nosso Salvador JESUS CRISTO. Paulo nos ensina que a Lei nunca foi um caminho para a salvação, pois DEUS já havia predito um novo Concerto com Israel. Somente o Novo Concerto é capaz de oferecer perdão e um novo coração. O Novo Concerto não estaria registrado em pedras, mas gravado nos corações de judeus e gentios. Aproveite o tema desta lição para explorar as diferenças entre o Antigo Concerto e o Novo. OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: Conscientizar o aluno de que a glória da Antiga Aliança desvaneceu mediante a glória superior revelada em CRISTO JESUS. Distinguir as duas alianças. Compreender a superioridade da Nova Aliança sobre a Antiga. ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA Professor, como recurso didático para esta lição, sugerimos que os esquemas da página ao lado sejam reproduzidos no quadro-de-giz. Explique aos alunos que Paulo utilizou todos os meios disponíveis a fim de que os coríntios compreendessem que ele não precisava de carta de recomendação, pois foi DEUS que o escolheu e o preparou para ser ministro de um Novo Concerto. Enfatize a superioridade deste Novo Concerto revelado em CRISTO JESUS e as provisões da Nova Aliança. RESUMO DA LIÇÃO 04 - A GLÓRIA DAS DUAS ALIANÇAS A prova da aprovação apostólica de paulo era a própria existência da igreja coríntia (v.2). I. PAULO JUSTIFICA SUA AUTO-RECOMENDAÇÃO (3.1,2) 1. A recomendação requerida (3.1). 2. Paulo defende sua auto-recomendação (3.1). 3. A mútua e melhor recomendação (3.1). II. A CONFIANÇA DA NOVA ALIANÇA (3.4-11) 1. A suficiência que vem de DEUS. 2. A distinção entre as duas Alianças (3.6). III. A GLÓRIA DA NOVA ALIANÇA (3.7-18) 1. A superioridade da Nova Aliança sobre a Antiga Aliança (3.7-12). 2. A glória com rostos desvendados (3.13-16). 3. A liberdade do ESPÍRITO e a nossa permanente transformação (3.17,18). CONCLUSÃO Hoje, a glória que reflete em nossa vida é aquela glória interior, que reflete a transformação na semelhança de CRISTO. REFLEXÃO A lei moral aponta os nossos pecados, mas o perdão vem somente pela graça e misericórdia de CRISTO. SINOPSE DO TÓPICO (1) Paulo, mesmo não tendo sido um dos doze que estiveram com JESUS, recebera um chamado de CRISTO para ser apóstolo. Seu testemunho pessoal era a prova concreta de que não lhe era necessário nenhuma recomendação. REFLEXÃO "Ao unir-se com seus irmãos em CRISTO para perseguir um objetivo comum, você realiza muito mais do que faria sozinho". Evelyn Christenson SINOPSE DO TÓPICO (2) A Antiga Aliança era de condenação; a Nova é de justiça e salvação (v.9). A Antiga Aliança veio por Moisés; a Nova veio por CRISTO (At 20.28; Hb 9.12; 7.27; 12.24). SINOPSE DO TÓPICO (3) A glória da Primeira Aliança revelou o ministério da morte, porque condenava e amaldiçoava todo aquele que não cumpria a lei, mas a glória da Segunda Aliança revelou o ministério da vida e da graça de DEUS. Por isso, a glória do Evangelho é superior à da lei. REFLEXÃO Quanto mais de perto seguirmos a CRISTO, mais parecidos com Ele nos tornaremos. Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I - Subsídio Teológico "A Nova Aliança" A próxima aliança incondicional entre DEUS e Israel é a Nova Aliança. Esta aliança é nova porque substituiu a antiga, ou seja, a Aliança Mosaica. Uma vez que Israel foi incapaz de cumprir a aliança mosaica, DEUS, graciosamente, prometeu dar-lhes uma nova aliança e um novo coração para obedecerem a DEUS. Esta aliança está registrada em Jeremias 31.31-34 [...]. Primeiro, observe que DEUS firma esta aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá, expressão que claramente se refere à nação ética de Israel. Em segundo lugar, a frase não conforme o concerto que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito volta a restringir o concerto aos descendentes físicos de Abraão, Isaque e Jacó. Em terceiro lugar, esta aliança visa a uma futura restauração do povo não apenas como povo de DEUS, mas como um povo perdoado e regenerado, que serve ao Senhor. Quando foi crucificado, o Senhor JESUS CRISTO estabeleceu uma Nova Aliança.[...]. As alianças firmadas entre DEUS e Israel no Antigo Testamento garantiam que Israel teria um reino eterno na terra que DEUS prometera a Abraão. Embora DEUS repetidamente os alertasse de que seriam expulsos por causa da desobediência, Ele, ao mesmo tempo, prometia devolver-lhes a terra, onde serviriam como seu povo e sob o governo do Messias. (LAHAYE, Tim. Enciclopédia Popular de Profecia Bíblia. 1.ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2008, p.35). AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsídio Teológico "A Glória do Novo Concerto" (3.7-18) Nós somos imediatamente surpreendidos pelo uso constante que Paulo faz da palavra 'glória', que aparece 12 vezes nestes 11 versículos. O Antigo Concerto tinha glória própria, mas o Novo Concerto tem glória maior. Antes de examinar os contrastes que Paulo desenvolve entre o Antigo e o Novo Concerto, é útil entender o significado de 'glória'. Sobre este termo, o Zondervan Expository Dictionary of Biblie Words diz: 'No Antigo Testamento, a glória de DEUS está intimamente ligada à auto-revelação do Senhor. Há muitas imagens: esplendor fulgurante, e santidade flamejante que marcam sua presença (por exemplo, Êxodo 16.10; 40.34,35; 2 Crônicas 7.1,2). Mas, nenhum poder elementar ou santidade flamejante expressam a DEUS de maneira absolutamente adequada. Desta forma, o Êxodo relaciona a glória de DEUS com revelação de seu caráter amoroso. Quando Moisés implorou para que DEUS lhe mostrasse sua glória, a Bíblia relata: 'Ele disse: Eu farei passar toda a minha bondade por diante de ti e apregoarei o nome do Senhor diante de ti; e terei misericórdia e me compadecerei de quem me compadecer. E disse mais: Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá' (Êx 33.19,20). Com o mesmo sentido de revelação, DEUS diz: 'serei glorificado', no caso da recusa do Faraó em deixar que Israel saísse do Egito (Êx 14.4). O grande poder redentor de DEUS foi exibido no Êxodo (Nm 14.22), da mesma forma como seu poder criativo é exibido quando 'os céus manifestam' sua glória (Sl 19.1). Mas 'glória' implica em mais do que revelação de como DEUS é. Implica em invasão do universo material, expressão da presença ativa de DEUS entre seu povo. Assim, o Antigo Testamento conscientemente relaciona o termo 'glória' à presença de DEUS em Israel, em tabernáculos e templos (por exemplo, Êxodo 29.43.Ezequiel 43.4,5; Ageu 2.3). A glória objetiva de DEUS é revelada por sua vinda, para estar presente conosco ? e para se mostrar a cada um de nós por suas ações neste mundo' (pp. 310,311). Agora Paulo argumenta não que o Antigo Concerto não possuía 'glória', mas que a glória do Novo Concerto supera aquela do Antigo. Ao falar sobre isto, Paulo fixa nossa atenção em como a glória de DEUS é exibida em sua vinda para estar com seu povo sob o Antigo Concerto e sob o Novo. Ao fazer isto, ele também nos mostra como o cristão é verdadeiramente livre para adotar a abordagem de 'risco' ao ministério do Novo Concerto, que ele próprio, Paulo exibiu ao mostrar-se vulnerável no capítulo 1. [...] Esta é a essência do ministério do Novo Concerto: DEUS exibe sua glória por meio de sua presença dentro do crente. (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo testamento. 1.ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2008, p.35). BIBLIOGRAFIA SUGERIDA RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia. 1. ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2005. HORTON, Stanley M. I & II Coríntios: Os Problemas da Igreja e suas Soluções. 1. ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2003. SAIBA MAIS através da Revista Ensinador Cristão, CPAD, no 41, p. 38 QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 04 - A GLÓRIA DAS DUAS ALIANÇAS RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 4º TRIMESTRE DE 2009 Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas. TEXTO ÁUREO 1- Complete: "Porque, se o que era ______________________ foi para __________________________, muito mais é em glória o que _______________________________. (2 Co 3.11). VERDADE PRÁTICA 2- Complete: A glória da ___________________________ Aliança _________________________ ante a glória _______________________ da Aliança revelada em Cristo Jesus. INTRODUÇÃO 3- O que havia da parte dos coríntios acerca de Paulo, que substituía qualquer documento comprobatório de seu apostolado. ( ) Um conhecimento dele por parte da Igreja. ( ) Paulo fundara aquela igreja durante a primavera do ano 50 d.C. ( ) Paulo permaneceu na cidade, inicialmente, por 18 meses. ( ) Paulo tinha também um pergaminho contendo as conversas que teve com JESUS, em pessoa. ( ) Nessa época os irmãos reuniam-se em casas particulares como a de Tito Justo. ( ) Só então, começaram a surgir os primeiros líderes daquela igreja. 4- Com o fortalecimento da igreja coríntia, quais obreiros experientes, Paulo teve o cuidado de enviar-lhe? Qual o objetivo deles serem enviados? ( ) Timóteo, Barnabé e Apolo, a fim de a confirmarem doutrinariamente. ( ) Timóteo, Silas e Marcos, a fim de a confirmarem doutrinariamente. ( ) Timóteo, Silas e Apolo, a fim de a confirmarem doutrinariamente. 5- Por que não havia necessidade de qualquer carta de recomendação vinda de Jerusalém para apresentar Paulo aos Coríntios, como apóstolo? ( ) Porque Paulo era o pai espiritual da comunidade cristã de Corinto. ( ) O ministério que recebeu diretamente de Jesus Cristo e o modo como cumpria tal chamada. ( ) A prova de sua aprovação apostólica era a própria existência da igreja coríntia. ( ) Porque Paulo já havia sido apresentado por Pedro à Igreja de corinto. I. PAULO JUSTIFICA SUA AUTO-RECOMENDAÇÃO (3.1,2) 6- Por que havia recomendação requerida (3.1) para as autoridades cristãs naquela época? Por que Paulo precisava de uma? ( ) Porque era hábito dos judeus que viajavam com frequência, levarem cartas de recomendação para que, assim, ao chegar a lugares onde não eram conhecidos, pudessem ser hospedados durante o período em que ali estivessem. ( ) Porque esta carta precisava ser arquivada em Corinto para uma posterior averiguação por parte dos apóstolos de Jerusalém. ( ) Os opositores de Paulo queriam que até ele cumprisse essa exigência de ser portador de "cartas de recomendação", para provar a autenticidade do seu apostolado! 7- Como Paulo defende sua auto-recomendação (3.1), não portanto carta de recomendação de Jerusalém? ( ) Todos em Corinto sabiam que Paulo, mesmo não tendo sido um dos doze que estiveram com Jesus, recebera um chamado de Cristo para ser apóstolo. ( ) Seu testemunho pessoal era a prova concreta de que não lhe era necessário nenhuma recomendação. ( ) Seus sofrimentos por Cristo evidenciavam seu apostolado entre os gentios e, especialmente, em Corinto, dispensando, portanto, qualquer tipo de recomendação por escrito. ( ) Paulo não iria se rebaixar a pedir carta de apresentação dos apóstolos em Jerusalém, pois, sabia que era superior a eles em tudo. ( ) Em 2 Co 5.11, o apóstolo Paulo faz uma defesa de sua atitude dizendo que "o temor que se deve ao Senhor" lhe dava condições de se auto-recomendar, porque a sua vida e ministério eram manifestos na consciência de cada um daqueles crentes. ( ) A atitude paulina não tinha por objetivo ofender a ninguém, mas baseava-se na confiança do conhecimento que os coríntios tinham da sua pessoa e ministério. 8- Qual a finalidade do questionamento de Paulo ao escrever na parte "b" do versículo 1: "[...] necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós ou de recomendação de vós?" ( ) Paulo era conhecido e reconhecido por todos os coríntios e conhecia a todos pessoalmente. ( ) Tal questionamento é retórico, pois apela para uma reciprocidade que havia entre ele e a igreja, a qual dispensava a recomendação de Jerusalém requerida por alguns opositores do seu ministério, uma vez que ele o havia desenvolvido entre os coríntios. ( ) O apóstolo via-se como insignificante, mas os coríntios eram o seu verdadeiro louvor e glória. ( ) Nem os coríntios precisavam de recomendação escrita, porque, dizia: "vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens" (v.2). 9- Qual a maior e melhor recomendação que um servo de Cristo pode ter? ( ) É a evidência do seu ministério na cidade como apóstolo do Senhor Jesus. ( ) É a evidência do seu ministério no coração e na vida daqueles que foram por ele combatidos. ( ) É a evidência do seu ministério no coração e na vida daqueles que foram por ele alcançados para o Senhor Jesus. 10- Qual a preocupação de Paulo quando diz aos coríntios que sua carta de recomendação foi escrita no coração deles, pelo próprio Cristo, "não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo" (vv.2,3)? ( ) Sua preocupação maior era ofertar um verdadeiro culto apostólico na cidade de Corinto. ( ) Sua preocupação maior era referendar como verdadeiro o caráter do seu ministério apostólico. ( ) Sua preocupação maior era apresentar como verdadeira sua carta de apóstolo.. II. A CONFIANÇA DA NOVA ALIANÇA (3.4-11) 11- Qual figura metafórica, Paulo usa para comparar o pacto do Antigo Testamento com o pacto do Novo Testamento? ( ) O Antigo Testamento foi escrito pelo dedo de DEUS e o novo pelo sangue de JESUS. ( ) No Antigo Testamento a lei foi escrita em tábuas de pedra, pelo próprio Deus. ( ) No Novo Testamento, predito pelos profetas, Deus o escreveu no coração do seu povo e ainda continuará a escrever. 12- Os dois pactos são provenientes de Deus, mas, qual o melhor? ( ) O primeiro é superior, porque veio mediante Moisés que consumou todas as coisas do Antigo Pacto, em um único ato sacrificial. ( ) O segundo é superior, porque veio mediante Abraão, que consumou todas as coisas do Antigo Pacto, em um único ato sacrificial. ( ) O segundo é superior, porque veio mediante a pessoa de Jesus Cristo, que consumou todas as coisas do Antigo Pacto, em um único ato sacrificial. 13- A distinção entre as duas Alianças (3.6). Paulo mostra aos coríntios que a "velha lei" ou o "velho pacto" tinha em seu conteúdo a sentença de morte sobre o moralmente culpado. Complete: A Antiga Aliança era da "________________": gravado com letras em pedras (2 Co 3.7). A Nova Aliança é do "___________________", e ministrada por Ele (v.8), pois é um ministério da justiça (v.9), o qual vivifica (v.6) e é permanente (v.11), gravado no coração. A Antiga Aliança era de ____________________. A nova é de justiça e _____________________ (v.9). O Antigo Pacto veio por ________________. o novo veio por ________________ (At 20.28; Hb 9.12; 7.27; 12.24). No pacto da lei a "letra" __________ (3.6), ou seja, é morte para o transgressor. O espiritual, tem como propósito único ______________________ e absolver. III. A GLÓRIA DA NOVA ALIANÇA (3.7-18) 14- Qual a superioridade da Nova Aliança sobre a Antiga Aliança (3.7-12)? A glória do evangelho é superior à da lei? Complete: A Antiga Aliança era _______________________. A Nova Aliança é _______________________________. A lei condenava A graça liberta A glória do Antigo Pacto era passageira porque trazia à tona a _____________________ do pecado, sua maldição e condenação. O Novo Pacto demonstrou outra caraterística da glória de Deus, o seu poder ____________________________ para salvar e dar vida. A glória do Primeiro Concerto revelou o ministério da morte, porque condenava e amaldiçoava todo aquele que não _______________________ a lei. A glória do Segundo Concerto revelou o ministério da vida e da ____________________________ de Deus. 15- Quanto à glória com rostos desvendados (3.13-16), complete: Quando Paulo usa a figura da glória resplandecente da face de _________________________, ele reforça o fato de que tal glória teve que ser coberta com véu e que se desvaneceu com o tempo, portanto, era __transitória__. Porém, a glória da Nova Aliança manifestou-se descoberta, sem _________________________, porque Cristo a revelou no Calvário. Trata-se da liberdade que temos mediante a obra __________________________ de Cristo. 16- Quanto à liberdade do Espírito e a nossa permanente transformação (3.17,18), complete: A liberdade do Espírito livrou-nos das ______________________ das tradições religiosas, que nos impediam de um relacionamento ___________________________ com o Senhor. Tal relacionamento é fundamental para que possamos ser transformados e conformados à __________________________do homem perfeito e completo: Jesus Cristo (Rm 8.29; Ef 4.13 CONCLUSÃO 17- Complete: Hoje, a ______________________ que reflete em nossa vida não é a dos rostos, mas é aquela glória __________________________, que reflete a transformação na semelhança de Cristo, de forma gradual, de glória em glória, mediante a _____________________________ do Espírito de Cristo em cada um de nós. AJUDA CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal. VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD. Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/ Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com , http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.

Nenhum comentário: