sexta-feira, 20 de novembro de 2009

ESTUDOS DA LIÇÃO 08, O PECADO DE DAVI E SUAS CONSEQUÊNCIAS

LIÇÃO 08 - O PECADO DE DAVI E SUAS CONSEQUÊNCIAS Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 4º TRIMESTRE DE 2009 Davi - As vitórias e as derrotas de um homem de DEUS Comentários do Pr. José Gonçalves Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antonio Gilberto Complementos, questionários e videos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva TEXTO ÁUREO "E aconteceu que, tendo decorrido um ano, no tempo em que os reis saem para a guerra, enviou Davi a Joabe, e a seus servos com ele, e a todo o Israel, para que destruíssem os filhos de Amom e cercassem Rabá; porém Davi ficou em Jerusalém" (2 Sm 11.1). VERDADE PRÁTICA A resposta à tentação para pecar não é ignorá-la ou ser-lhe indiferente, mas invocar as promessas bíblicas pela fé em CRISTO. LEITURA DIÁRIA Segunda 1 Co 10.13 A tentação sobrevém a todos Terça 1 Pe 5.8 É preciso vigiar Quarta 2 Tm 2.22 Fuja da tentação Quinta Tg 1.12-15 A tentação vem de maus desejos interiores Sexta 1 Cr 21.1 Satanás, o tentador Sábado Tg 4.7 Resistindo ao tentador LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - 2 Samuel 11.2,4,5,14-17 2 E aconteceu, à hora da tarde, que Davi se levantou do seu leito, e andava passeando no terraço da casa real, e viu do terraço a uma mulher que se estava lavando; e era esta mulher mui formosa à vista. 4 Então, enviou Davi mensageiros e a mandou trazer; e, entrando ela a ele, se deitou com ela (e já ela se tinha purificado da sua imundície); então, voltou ela para sua casa. 5 E a mulher concebeu, e enviou, e fê-lo saber a Davi, e disse: Pejada estou. 14 E sucedeu que, pela manhã, Davi escreveu uma carta a Joabe e mandou-lha por mão de Urias. 15 Escreveu na carta, dizendo: Ponde Urias na frente da maior força da peleja; e retirai-vos de detrás dele, para que seja ferido e morra. 16 Aconteceu, pois, que, tendo Joabe observado bem a cidade, pôs a Urias no lugar onde sabia que havia homens valentes. 17 E, saindo os homens da cidade e pelejando com Joabe, caíram alguns do povo, dos servos de Davi; e morreu também Urias, o heteu. 11.1 DAVI FICOU EM JERUSALÉM. O capítulo 11 registra o pecado e queda trágicos de Davi. Ao invés de ir adiante do seu exército na batalha, conforme fizera antes, Davi ficou em Jerusalém. Foi tomado de uma indolência que não demorou a levá-lo ao colapso moral e espiritual. Sua vida de conforto e luxo como rei desenvolveu nele a autoconfiança e a imoderação. Nesse tempo, ele deixou de ser um homem segundo o coração de DEUS (1 Sm 13.14). Davi, deste modo, caindo da graça (cf. Gl 5.4), é uma advertência a todos os crentes: "Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia" (1 Co 10.12). 11.2 VIU... A UMA MULHER. Os capítulos 11-24 registram as graves falhas espirituais de Davi e os castigos subseqüentes da parte de DEUS, sobre ele, pelo resto da sua vida. (1) Esse relato dos pecados de Davi e as tragédias que se seguiram na sua vida pessoal e doméstica serve como exemplo de grave advertência, não somente para Israel, como também para o crente do NT. Concernente a eventos semelhantes na época do êxodo, o ESPÍRITO SANTO salienta, através do apóstolo Paulo: "tudo isso lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos" (1 Co 10.11). Por isso, devemos tomar todas as precauções para não desejarmos coisas iníquas, nem agir com imoralidade, nem tentar ao Senhor (cf. 1 Co 10.6-9). (2) O pecado de Davi demonstra até onde pode cair uma pessoa que se desvia de DEUS e da orientação do ESPÍRITO SANTO. Quando DEUS inicialmente chamou Davi para ser rei, este era um homem segundo o próprio coração de DEUS (1 Sm 13.14; At 13.22); ao mandar eliminar Urias e tomar a sua esposa, Davi estava desprezando a DEUS e à sua Palavra (12.9,10; cf. 1 Co 10.12). (3) Embora Davi tenha se arrependido dos seus pecados e recebido o perdão da parte de DEUS, as conseqüências disso não foram eliminadas por DEUS. Semelhantemente, um crente que venha a cometer pecados terríveis, pode receber, através da tristeza segundo DEUS e o arrependimento sincero, a graça e perdão da parte de DEUS. Mesmo assim, a restauração do nosso relacionamento com DEUS não significa que escaparemos do castigo temporal, nem que ficaremos isentos das conseqüências dos pecados específicos (vv.10,11,14). (4) DEUS não deixou passar, nem desculpou os pecados de Davi, sob o pretexto de ele ser um mero ser humano; que seus pecados eram simples fraquezas ou falhas humanas, ou que ele, como rei, teria o direito natural de recorrer à injustiça e à crueldade. Davi não era obrigado a fazer o que fez. Mesmo na redenção imperfeita do antigo concerto, pessoas, como o profeta Samuel, continuavam leais e fiéis diante de DEUS, através da graça que lhes era concedida (1 Sm 12.1-5,23; ver 1 Sm 25.1). O escritor deste livro claramente condena as grandes transgressões de Davi, sem procurar desculpá-las. (5) A maneira correta de lidarmos com nosso pecado é nos arrependermos dele e, com toda a sinceridade, buscarmos em DEUS o perdão, a graça e a misericórdia (Sl 51; Hb 4.16; 7.25), e nos dispormos a aceitar, sem amargura nem rebelião, o castigo divino pelo nosso pecado. Davi tanto reconheceu quanto confessou seus pecados terríveis, voltou-se para DEUS, e aceitou a repreensão de DEUS com humildade (12.9-13,20; 16.5-12; 24.10-25; Sl 51). 11.11 A ARCA, E ISRAEL. Urias revelou-se um homem melhor do que Davi. Seus atos eram fruto da sua dedicação a DEUS e da sua lealdade fraterna aos que lutavam na batalha do Senhor. Pagou com a vida o preço da sua dedicação. 11.14,15 PARA QUE SEJA FERIDO E MORRA. Ao invés de confessar seu pecado, Davi resolveu matar Urias, para então tomar a esposa deste. As palavras que o apóstolo João aplicou a Caim e a todos os demais homicidas (cf. 1 Jo 3.12-15) também se aplicam a Davi nessa ocasião: "Qualquer que aborrecer a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem permanente nele a vida eterna" (1 Jo 3.15). Davi poderia ser restaurado somente através do arrependimento sincero, de todo o coração, diante de DEUS (ver cap. 12; Sl 51). 11.27 ESSA COISA... PARECEU MAL AOS OLHOS DO SENHOR. Os pecados que Davi cometera: adultério, homicídio a sangue frio e o encobrimento hipócrita de tudo, eram um mal horrendo aos olhos de DEUS. Davi se tornara réu da quebra do sexto, sétimo, oitavo, nono e décimo mandamentos (Êx 20.13-17). Seus pecados eram ainda mais graves, porque ele era pastor do povo de DEUS (5.2) e responsável pela administração da justiça e da retidão em Israel (8.15). Tiago 1.12-18 12 Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. 13 Ninguém, sendo tentado, diga: De DEUS sou tentado; porque DEUS não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta. 14 Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. 15 Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte. 16 Não erreis, meus amados irmãos. 17 Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra de variação.18Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas. Tentação: Atração para fazer o mal por esperança de obter prazer ou lucro. Pode vir do Tentador (Gn 3) ou de dentro do ser humano (Tg 1.14-15), ou de DEUS (provação). Ninguém é tentado acima das suas forças (1Co 10.13). JESUS foi tentado e venceu (Mt 4.1-11), podendo, por isso, socorrer os que são tentados (Hb 2.18; 4.15). Devemos vigiar e orar para não cedermos à tentação (Mt 6.13; 26.41). E também é nosso dever socorrer os que caem (Gl 6.1). Na provação somos abençoados por passar por ela com fé em DEUS. INTRODUÇÃO Palavra Chave: Tentação (ruim): É o estímulo ou indução, externa ou interna, que impulsiona o ser humano à prática do pecado. TENTAÇÃO E QUEDA DO HOMEM A doutrina da queda do homem é precedida pela tentação, ou seja, por sua provação. Certo autor escreveu que "a causa última do mal não se encontra nem em DEUS, que é absolutamente SANTO, ou seja, a mais perfeita negação do mal, nem no mundo, criado bom em DEUS e para DEUS" (Tg l . l 3). A- A PROPENSÃO PARA O PECADO 1. Propenso, mas não destinado. Como ser racional, o homem, em seu primeiro estado de inocência , desconhecia o pecado. A possibilidade para o pecado surgiu com a tentação. De fato, ele não havia ainda desenvolvido o seu caráter moral. Esta propensão para a transgressão não significa que o homem, inevitavelmente, estivesse destinado a pecar. Esta tendência baseava-se unicamente em seu Livre-arbítrio. Ele poderia, conscientemente, manter-se fiel aos limites do conhecimento que o Criador lhe deu, ou, então, rebelar-se contra esta lei, e partir para o outro lado. 2. O teste da tentação de Adão e Eva (Gn 2.9;16,17). a) Surge o agente da tentação (Gn 3.1). O teste moral de Adão e Eva começou, por permissão de DEUS, com uma criatura feita pelo Criador, mas que, por rebelião tornou-se o maior opositor do Senhor e de toda a sua obra. Este ser foi criado como ESPÍRITO dependente do Criador, como os demais membros do mundo angelical. Esta criatura é Satanás ou Diabo; que não é igual a DEUS, mas surge diante de Adão e Eva, incorporado em inocente serpente que estava no jardim plantado por DEUS. b) A trama satânica para engodar a Adão e Eva. Satanás sabia que não seria tão fácil convencer o casal a desobedecer a DEUS. Ele investiu, então, sobre a mulher, porque entendia que ela, como um ser mais frágil que o homem, facilmente cederia as suas provocações. B- A QUEDA DO HOMEM, ATRAVÉS DO PECADO 1. O relato bíblico da queda do homem (Gn 3.1-12). A queda de Adão e Eva é apresentada, literalmente, na Bíblia, de modo explícito. Não foi um relato teórico ou figurativo, mas um histórico da queda humana, Por isso, entendemos que o pecado de nossos primeiros pais foi um ato involuntário de sua própria vontade e determinação. É claro que a tentação veio de fora, da parte de Satanás, que os instigou a desobedecer à ordem de DEUS. Concluímos , pois, que a essência do primeiro pecado está na desobediência do homem à vontade divina e na realização de sua própria vontade. O seu pecado foi uma transgressão deliberada ao limite que DEUS lhe havia colocado. 2. As três Áreas do auto-engano que levaram à queda (Gn 3,6). A primeira área do auto-engano de Eva foi a fome instintiva, provocada pela palavra de satanás. A segunda área de auto-engano de Eva e Adão foi o desejo de grandeza, incitado por satanás, com a idéia de obter o entendimento do bem e do mal. A terceira área do auto-engano de Eva e Adão foi a satisfação através dos olhos, porque aquela Árvore "era agradável aos olhos". Como vencer as Tentações? Todos nós, sem exceção, somos tentados. Até JESUS foi tentado no deserto. Tiago 1.12-18 l\lesta lição Tiago enfoca a tentação, no sentido de perseguição e aflição, como o principal elemento estimulador da fé perseverante. Pois, segundo seus ensinos, a fé se torna madura quando enfrenta dificuldades. Outro ponto importante tratado pelo apóstolo, é a distinção entre a tentação, cuja origem está nos desejos carnais, e a provação, que em DEUS tem o objetivo de testar nossa sinceridade e reconhecer a nossa dedicação à Sua pessoa. Em suma, DEUS nos prova para fortalecer nossa fé, e não para conduzir-nos ao pecado. Desde o princípio, o Senhor tem permitido a seus servos serem provados para que, como vencedores, sejam aprovados diante dos homens, dos Anjos e do Diabo. É bem-aventurado quem, sendo tentado, permanece fiel a DEUS, tomando-se, assim, digno de receber a coroa da vida. I- O QUE É A TENTAÇÃO 1. Conceito. Tentação é "ato ou efeito de tentar; disposição de ânimo para a prática de coisas diferentes ou censuráveis" (Dicionário Aurélio). Biblicamente, podemos dizer que é o convite ao pecado. 2. O significado na epístola: Em Tiago, tentações têm o significado de perseguições, lutas e provações pelas quais o crente pode passar. II- ORIGEM DA TENTAÇÃO A tentação tem três origens ou fontes: 1. Da parte da carne. a) Tentação humana. A Bíblia nos diz que "não veio sobre vós tentação, senão humana" (1 Co 10.13). Neste texto, podemos entender que "tentação humana" quer dizer a que é própria da natureza carnal do homem (ver Rm 7.5-8; GI 5.13,19). Ela tem seu aspecto mal, pernicioso, incitador ao pecado. b) O significado da carne. A carne, é o "centro dos desejos pecaminosos" (Rm 13.14;GI5.16,24). Dela vem o pecado e suas paixões (Rm 7.5; GI5.17-21). Na carne não habita coisa boa (Rm 7.18). Devemos salientar que o termo carne, aqui, não se refere ao corpo, que não tem nada de mal em si mesmo, mas à natureza carnal, herdada de nossos pais. O corpo do crente é templo do ESPÍRITO SANTO ( 1 Co-6.19.20). 2) Da parte do mundo. O mundo como fonte de tentação, não é o mundo físico, criado por DEUS. O Dicionário da Bíblia, de Davis, diz que "a palavra mundo emprega-se freqüentemente para designar os seus habitantes", como em Sl 9.8, Is 13.11 e Jo 3.16. O Dicionário Teológico (CPAD), referindo-se ao mundo, diz que "No campo da teologia, porém, é o sistema que se opõe de forma persistente e sistemática ao Reino de DEUS". João exorta a que não amemos "o mundo, nem o que no mundo há". "Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo" (1 Jo 2.15,16). Tudo isso é fonte de tentação. 3) Da parte do Diabo. É a fonte mais cruel da tentação. Seu caráter é sempre destrutivo. a) JESUS foi tentado. É a fonte mais terrível e avassaladora da tentação. Dela, não escapou nem mesmo nosso Senhor JESUS CRISTO. Após o batismo em água, Ele foi conduzido "pelo ESPÍRITO para ser tentado pelo diabo" (Mt 4.1; Mc 1.13; Lc 4.2). Foi o único que não caiu em pecado (Hb 4.15). b) Homens de DEUS foram tentados. Homens de DEUS, do porte de Abraão, Sansão, Davi, e tantos outros, foram tentados pelo Adversário (Satanás) a fazerem o que não era da vontade de DEUS, com sérios prejuízos para suas vidas. c) Os homens comuns são tentados. Os homens são tentados a praticar toda espécie de males, crimes, violência, estupros, brigas,ciúmes, guerras, mentiras, calúnias, roubos, etc... d) Os crentes são tentados. Até os crentes em JESUS são vítimas da ação do maligno, quando causam prejuízos a Igreja do Senhor, com escândalos, calúnias, invejas, divisões, rebeliões, busca pelo poder, politicagem religiosa e tantas outras coisas ruins. III- O PROCESSO DA TENTAÇÃO A tentação se constitui num processo que tem os seguintes passos: 1. Atração do desejo (v.14a). "Mas cada um é tentado, quando atraído..." Primeiro, vem a atração pelos sentidos: visão (1 Jo 2.16); audição (I Co 15.33); olfato; gosto ou paladar, e tato (Pv6.17). 2. Engodo (isca). A pessoa é atraída, seduzida e "engodada pela própria concupiscência" (desejo carnal) (v.14b). 3. Concepção do desejo (da concupiscência). Na mente, nos pensamentos (cf. Mc 7.21-23), o desejo é concebido. Só se faz o que se pensa (v.15a). Nesse ponto,ainda se pode evitar o pecado. 4. O pecado é gerado. "Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado" (v.15). Ainda na mente, já nasce o pecado. Alguém pode adulterar só na mente (Mt 5.27,28). 5. A consumação do pecado.(v.15b). "...e o pecado, sendo consumado, gera a morte."A morte, aqui, é espiritual. Nesse ponto, só há solução se houver arrependimento, ainda. em vida. É importante entendermos esse terrível processo a fim de que nos resguardemos dele. Alguém já disse que ninguém pode impedir que um pássaro voe sobre sua cabeça, mas pode impedi-lo de fazer um ninho nela. Isso ilustra o processo da tentação. Esta, em si, não é pecado. Pecado é praticar o que a tentação sugere. IV. DIFERENÇA ENTRE TENTAÇÃO E PROVAÇÃO A Tentação, conforme estudamos, é sempre uma indução ao mal, ao pecado. A provação, no entanto, não tem esse sentido. Quando a Bíblia diz que DEUS tentou alguém, devemos entender que DEUS o provou, e isso tem objetivos muito elevados, conforme descrevemos a seguir. Tiago nos diz que "Ninguém, sendo tentado, diga: De DEUS sou tentado; porque DEUS não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta" (v.13). Quando a Bíblia diz que alguém foi tentado por DEUS, isso pode ser entendido como provação. Abraão só foi considerado o pai de todos os que crêem, porque creu e foi "tentado", ou seja, "provado" por DEUS (ver Gn 22.1-18). A prova da fé é essencial para ""louvor, honra e glória na revelação de JESUS CRISTO" (1 Pe 1.7). Tiago exorta os crentes a terem "grande gozo", quando caírem em "várias tentações", sabendo que "a prova da vossa fé produz a paciência" (vv.2,3). Ele considera uma bem-aventurança o crente sofrer a tentação, porque, quando for provado, receberá a coroa da vida (v.12). V. SETE PASSOS PARA A VITÓRIA NA TENTAÇÃO 1. Saber utilizar a Palavra de DEUS: Nosso Senhor JESUS CRISTO, quando foi tentado, não deu chance ao Diabo para conversar muito com Ele. A cada insinuação do maligno, ele usava a "espada do ESPÍRITO, que é a Palavra de DEUS" (Ef 6.17b), dizendo: "Está escrito..." (Mt 4.4b, 7a, 10b). Por isso, é preciso ler a Bíblia, para usar a Palavra na hora certa. 2. Através da oração. JESUS nos mandou orar sem cessar para não cairmos em tentação (Lc 22.40; 1Ts 5.17). A maioria dos crentes, hoje, não ora. Certo pregador disse: "O Diabo ri da nossa sabedoria, zomba das nossas pregações, mas treme diante de nossas orações". 3. Através da vigilância. JESUS enfatizou a importância da vigilância para não cairmos em tentação (cf. Mt 26.41a). 4. Através da disciplina pessoal. Falando sobre o "atleta cristão", Paulo diz que "aquele que luta, de tudo se abstém" (I Co 9.25a). Em seguida, afirma: "Antes, subjugo meu corpo e o reduzo à servidão para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado" (I Co 9.27). Muitos caem. por exemplo, na tentação do sexo, porque não sabem controlar seus instintos. 5. Resistindo ao Diabo. O inimigo sabe qual é o ponto fraco de cada crente (Tendão de Aquiles), Mas, com determinação e resistência, no ESPÍRITO, é possível ser vitorioso (cf. I Pe 5.8,9; Tg 5.17). José, jovem hebreu, mesmo pagando terrível preço, não se deixou vencer pelo pecado do adultério. Foi vencedor e exaltado por DEUS. 6. Buscando a santificação. É preciso que o crente viva a separação (santificação) integral para DEUS (Hb 12.14; I Pe 1.15). 7. Ocupando a mente com as coisas espirituais. Isso se consegue através da oração, jejum, estudo da Bíblia e leitura de bons livros; servindo, evangelizando, louvando, participando da obra do Senhor, santificando a mente, a vida e o corpo (ver 1 Ts 4.3-7). O próprio JESUS foi tentado, mas não cedeu à tentação do Diabo. Como JESUS Venceu a Tentação Na luta do cristão contra o diabo, o principal campo de batalha é a tentação. O discípulo precisa vencer o inimigo superando as tentações. Não estamos sós, contudo. JESUS tornou-se um homem, foi tentado como somos, obteve a vitória, assim mostrando como nós podemos triunfar sobre Satanás (note Hebreus 2:17-18; 4:15). É essencial, portanto, que analisemos cuidadosamente de que forma JESUS venceu. Embora JESUS fora tentado várias vezes, ele enfrentou um teste especialmente severo logo depois que foi batizado. Lucas recorda este evento (Lucas 4:1-13), mas seguiremos a história conforme Mateus a conta: "A seguir, foi JESUS levado pelo ESPÍRITO ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome" (Mateus 4:1-2). Pelo fato que foi o ESPÍRITO que levou JESUS para o deserto mostra que DEUS pretendia que JESUS fosse totalmente humano e sofresse tentação. Note estas três tentativas de Satanás para seduzir JESUS: Primeira Tentação A afirmação do diabo: "Se és o Filho de DEUS, manda que estas pedras se transformem em pães" (4:3). O diabo é um mestre das coisas aparentemente lógicas. JESUS estava faminto; ele tinha poder para transformar as pedras em pão. O diabo simplesmente sugeriu que ele tirasse vantagem de seu privilégio especial para prover sua necessidade imediata. As questões: Era verdade que JESUS necessitava de alimento para sobreviver. Mas a questão era como ele o obteria. Lembre-se de que foi DEUS quem o conduziu a um deserto sem alimento. O diabo aconselhou JESUS a agir independentemente e encontrar seus próprios meios para suprir sua necessidade. Confiará ele em DEUS ou se alimentará a seu próprio modo? Há aqui, também, uma questão mais básica: Como JESUS usará suas aptidões? O grande poder que JESUS tinha seria usado como uma lâmpada de Aladim, para gratificar seus desejos pessoais? A tentação era ressaltar demais os privilégios de sua divindade e minimizar as responsabilidades de sua humanidade. E isto era crucial, porque o plano de DEUS era que JESUS enfrentasse a tentação na área de sua humanidade, usando somente os recursos que todos nós temos a nossa disposição. A resposta de JESUS: "Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de DEUS" (4:4). Em cada teste, JESUS se voltava para as Escrituras, usando um meio que nós também podemos empregar para superar a tentação. A passagem que ele citou foi a mais adequada naquela situação. No contexto, os israelitas tinham aprendido durante seus 40 anos no deserto que eles deveriam esperar e confiar no Senhor para conseguir alimento, e não tentar conceber seus próprios esquemas para se sustentarem. Lições: 1. O diabo ataca as nossas fraquezas. Ele não se acanha em provar nossas áreas mais vulneráveis. Depois de jejuar 40 dias, JESUS estava faminto. Daí, a tentação de fazer alimento de uma maneira não autorizada. Satanás escolhe justamente aquela tentação à qual somos mais vulneráveis, no momento. De fato, as tentações são freqüentemente ligadas a sofrimento ou desejos físicos. 2. A tentação parece razoável. O errado freqüentemente parece certo. Um homem "tem que comer" . Muitas pessoas sentem que necessidades pessoais as isentam da responsabilidade de obedecer às leis de DEUS. 3. Precisamos confiar em DEUS. JESUS precisava de alimento, sim. Porém, mais do que isso, precisava fazer a vontade do Pai. É sempre certo fazer o certo e sempre errado fazer o errado. DEUS proverá o que ele achar melhor; meu dever é obedecer-lhe. É melhor morrer de fome do que desagradar ao Senhor. Segunda Tentação A afirmação do diabo: "Então, o diabo o levou à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo e lhe disse: Se és filho de DEUS, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra" (4:5-6). JESUS tinha replicado à tentação anterior dizendo que confiava em cada palavra do Senhor. Aqui Satanás está dizendo: "Bem, se confia tanto em DEUS, então experimenta-o. Verifica o sistema e vê se ele realmente cuidará de ti." E ele confirmou a tentação com um trecho das Escrituras. As questões: A questão é: JESUS confiará sem experimentar? Desde que DEUS prometeu preservá-lo do perigo, é certo criar um perigo, só para ver se DEUS realmente fará como disse? A resposta de JESUS: "Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu DEUS" (4:7). A confiança verdadeira aceita a palavra de DEUS e não necessita testá-la. Lições: 1. O diabo cita a Escritura; ele põe como isca no seu anzol os versículos da Bíblia. Pessoas freqüentemente aceitam qualquer ensinamento, se está acompanhado por um bocado de versículos. Mas cuidado! O mesmo diabo que pode disfarçar-se como um anjo celestial (2 Coríntios 11:13-15) pode, certamente, deturpar as Escrituras para seus próprios propósitos. O diabo fez três enganos: Primeiro, não tomou todas as Escrituras. JESUS replicou com: "Também está escrito". A verdade é a soma de tudo o que DEUS diz; por isso precisamos estudar todos os ensinamentos das Escrituras a respeito de um determinado assunto para conhecer verdadeiramente a vontade de DEUS. Segundo, ele tomou a passagem fora do contexto. O Salmo 91, no contexto, conforta o homem que confia e depende do Senhor; ao homem que sente necessidade de testar o Senhor nada é prometido aqui. Terceiro, Satanás usou uma passagem figurada literalmente. No contexto, o ponto não era uma proteção física, mas uma espiritual. 2. Satanás é versátil. JESUS venceu em uma área, então o diabo se mudou para outra. Temos que estar sempre em guarda (1 Pedro 5:8). 3. A confiança não experimenta, não continua pondo condições ao nosso serviço a DEUS, e não continua exigindo mais prova. Em vista da abundante evidência que DEUS apresentou, é perverso pedir a DEUS para fazer algo mais para dar prova de si. Terceira Tentação A afirmação do diabo: "Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares" (4:8-9). Que tentação! O diabo deslumbrava com a torturante possibilidade de reinar sobre todos os reinos do mundo. As questões: A questão aqui não era tanto a de JESUS tornar-se um rei (DEUS já lhe tinha prometido isso Salmo 2:7-9; Gênesis 49:10), mas de como e quando. O Senhor prometeu o reinado ao Filho depois de seu sofrimento (Hebreus 2:9). O diabo ofereceu um atalho: a coroa sem a cruz. Era um compromisso. Ele poderia governar todos os reinos do mundo e entregá-los ao Pai. Mas, no processo, o reino se tornaria impuro. Então as questões são: Como JESUS se tornaria rei? Você pode usar um meio errado e, no fim, conseguir fazer o bem? A resposta de JESUS: "Retira-te Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu DEUS, adorarás e só a ele darás culto"(4:10). Nada é bom se é errado, se viola as Escrituras. Lições: 1. Satanás paga o que for necessário. O diabo ofereceu tudo para "comprar" JESUS. Se houver um preço pelo qual você desobedecerá a DEUS, pode esperar que o diabo virá pagá-lo. (Leia Mateus 16:26). 2. O diabo oferece atalhos. Ele oferece o mais fácil, o mais decisivo caminho ao poder e à vitória. JESUS recusou o atalho; Ele ganharia os reinos pelo modo que o Pai tinha determinado. Hoje Satanás tenta as igrejas a usar atalhos para ganhar poder e converter pessoas. O caminho de DEUS é converter ensinando o evangelho (Romanos 1:16). Exatamente como ele tentou JESUS para corromper sua missão e ganhar poder através de meios carnais, assim ele tenta nestes dias. 3. O diabo oferece compromissos por bons propósitos. Ele testa a profundeza de nossa pureza. Ele nos tenta a usar erradamente as Escrituras para apoiar um bom ponto ou dizer uma mentira. Os Cristãos São Socorridos Sobrenaturalmente Em Suas Horas de Tentação. “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é DEUS, que vos não deixará tentar acima do que podeis; antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar” (I Coríntios 10:13). Esta é a mais poderosa e encorajadora promessa de todas as que estão na Bíblia para os cristãos que enfrentam tentações. DEUS mostra, de forma bem clara que nenhum de Seus filhos é deixado sozinho na batalha contra a cobiça, a paixão, ou qualquer tipo de mal habitual. O socorro sobrenatural necessário é fornecido. Cristãos de todas as partes do mundo estão se tornando fracos contra as tentações, e se rendendo à carne em número crescente. É como se alguns cristãos pensassem que a tentação é um tipo de doença incurável que não larga enquanto não destrói a vítima. Se curvam de medo quando a tentação chega, pensando: "Ó não – aqui vou eu de novo. Me pegou em suas garras, e só sei que vou me entregar. Não tenho força de vontade; sou muito fraco para resistir." Este é o pensamento de derrota dos cristãos que não sabem reivindicar seus direitos de auxílio. O que é este direito prometido para todos os cristãos? É o direito ao auxílio sobrenatural durante as tentações. Estaria eu dizendo através disto que CRISTO não só liberta o cristão do poder do pecado, como também o ajuda guardando-o de voltar a praticá-lo? Isto é exatamente o que a Bíblia diz. Quando a tentação chega em sua vida como uma enchente, CRISTO exercita o Seu senhorio e faz algo sobrenatural para combatê-la. Ele "cria um caminho de escape," de modo que estes crentes possam sobreviver a prova ou, em outras palavras, "suportá-la." A tentação é um teste do livre arbítrio do homem; logo, DEUS não pode eliminar essa Sua alternativa para se pecar, sem destruir este mesmo livre arbítrio. Então DEUS faz algo assim eficaz para aqueles que nEle confiam. Faz algo em relação ao objeto de cobiça. Ele age externamente a nós, exatamente na fonte da tentação. Isto é melhor ilustrado por uma mãe que age em relação à tentação que seus filhos têm de roubar bolachas do pote. Ela não pode remover de repente a tentação deles – então ela simplesmente pega o pote, e o coloca longe de seu alcance. Além disso, pode ser ilustrado por um pai que muda a sua família de um bairro infestado com tráfico de drogas, para evitar que seus filhos sejam seduzidos por usuários e vendedores de narcóticos. Muitos pais têm se mudado para um novo continente afim de manter um filho ou uma filha longe de amigos maus e influências corruptoras. Todos estes pais agiram em amor, esperando que a sua temporária intervenção viesse a permitir algum tempo para que seus filhos aprendessem a obedecer do fundo do coração. Embora deva chegar o tempo em que os filhos decidam seus negócios por si mesmos, um pai amoroso não pode ficar parado, permitindo que uma criança imatura possa ser dominada por alguma influência maligna. Um pai preocupado irá levar o seu filho para longe da tentação, ou de alguma forma colocá-la fora de seu alcance. A Bíblia ilustra como DEUS pode colocar objetos de tentação fora do alcance de Seus filhos. Por exemplo: os filhos de Israel começaram a murmurar contra Moisés por tê-los levado para fora do Egito. Eles queriam retornar ao seu velho estilo de vida. A liberdade parecia ser muito cara. Então DEUS planejou abrir o Mar Vermelho, permitiu que o exército egípcio perseguisse o seu povo em terra seca, e então fechou o mar – bloqueando qualquer chance de retorno. DEUS fez aquilo apenas em resposta às ferventes orações de Moisés e outros israelitas que desejavam a liberdade. Assim como JESUS, os cristãos devem resistir as tentações com a palavra de DEUS. A maioria das tentações podem ser neutralizadas simplesmente concentrando o raio da verdade sobre elas. Porém existem outras tentações que estão tão enraizadas, são tão furiosas e tenazes que não podem ser resistidas sem que haja uma intervenção sobrenatural. As tentações mais graves são geralmente o resultado de um ataque direto e pessoal de poderes demoníacos. Paulo fala de "por fora combates, temores por dentro" (2 Cor. 7:5) . Satanás, na verdade, declara guerra a certos convertidos que abandonaram seu exército, por terem sido uma vez os melhores exemplos de seus poderes de possessão. Em seu acesso de raiva por haver perdido alguém tão especial, ele luta contra eles pelo lado de fora esmurrando-os repetidamente com uma tentação dura após a outra, peneirando-os como o trigo. JESUS disse a Pedro, "eis que Satanás vos pediu para peneirar como trigo"( Lucas 22:31). " Você é um cristão que tem sido esmurrado por uma tentação repetitiva que parece estar além de sua forças resistir? Homossexuais, alcoólatras, viciados, amantes secretos ilícitos, são particularmente assolados por tentações esmagadoras. Freqüentemente, se rendem, e logo são engolido pelo remorso, pela culpa, e sentimentos de impotência. Como cristãos, não duvidam que CRISTO os tenha libertado de todos os compromissos de obediência às suas cobiças carnais. E, em muitas áreas de suas vidas, têm visto progressos e vitórias. Ainda assim, permanece um insistente pecado – uma tentação sufocante para se entregar à certa luxúria. Graças a DEUS, há um caminho de escape! DEUS é um "interventor miraculoso." Foi preciso uma tempestade, uma baleia e várias intervenções sobrenaturais para tirar Jonas dos problemas. DEUS tem sido conhecido por ter tornado as águas "amargas" e levado o maná a "cheirar mal", com o intuito de tornar a obediência menos difícil. DEUS, em resposta a uma fervente oração, pode fazer com que a fonte da sua cobiça se transforme em um abominável fedor para você, e pode fazer com que a entrega ao pecado se torne tão amarga, que você hesitará em se entregar novamente. Ele pode lhe desviar das tentações; remover pessoas de sua vida; pode fazer com que a fonte de sua cobiça se vire contra você; pode jogar todos os tipos de bloqueios necessários; pode até colocar uma "parede de concreto" como proteção; Ele pode simplesmente levá-lo, sem que você nem ao menos resista, para dentro do local secreto de oração; ou então enviar alguém, para avisá-lo e corrigi-lo, mas por um jeito sobrenatural ou outro, DEUS irá responder a oração e intervir na situação, tornando possível para os cristãos obterem a vitória sobre suas mais violentas tentações. Cristãos que, bem lá no fundo, não querem desistir de suas cobiças e que secretamente esperam continuar condescendendo com seus pecados, nunca poderão receber esta miraculosa intervenção quando são tentados. DEUS se move para fazer um caminho de escape apenas quando o coração está totalmente compromissado com uma vida de separação e pureza. Se não houver este tipo de compromisso, não funcionará. DEUS não é obrigado a intervir em uma situação quando uma pessoa não deseja realmente a libertação. Flertadores com pecados secretos são deixados para enfrentar as tentações com suas próprias forças. E então quando se rendem ao pecado, culpam a DEUS por "não os terem livrado". Eles dizem: "Eu esperei por DEUS, mas Ele simplesmente me deixou ir em frente cometer o erro." Porém os cristãos que honestamente querem ser libertados da escravidão do pecado podem estar seguros que seu Pai amoroso vê a sua batalha e irá usar todo o poder do céu para ajudá-los. Quando for fortemente tentado, peça a DEUS pela sua intervenção sobrenatural, e peça com fé, crendo que Ele fará. DEUS prometeu "nos livrar de todo o mal." Aqui está uma prova da ajuda de DEUS em tempos de tentação: “Vós, que amais ao SENHOR, detestai o mal; ele guarda as almas dos seus santos, livra-os das mãos dos ímpios” (Salmo 97:10). “A nossa alma escapou, como um pássaro do laço dos passarinheiros; o laço quebrou-se, e nós escapamos” (Salmo 124:7). “Os meus olhos estão continuamente no SENHOR, pois ele tirará os meus pés da rede” (Salmo 25:15). “Então temerão o nome do SENHOR desde o poente, e a sua glória desde o nascente do sol; vindo o inimigo como uma corrente de águas, o ESPÍRITO do SENHOR arvorará contra ele a sua bandeira” (Isaías 59:19). Não preciso mais temer retrocessos ou fracassos. Ele vai me guardar, me amar, e me levar à glória, pelo Seu poder. “Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória”(Judas 24). Encorajamento aos que são tentados 1Co 10:13; Hb 2:18; Tg 1:2; Tg 1:3; Tg 1:12; 2Pe 2:9; Ap 3:10 Promessas aos tentados Poder para pisar forças malignas Lc 10:19; Segurança por meio da intercessão de CRISTO Lc 22:31; Lc 22:32; Poder para esmagar Satanás Rm 16:20; Provisão de um meio de escape 1Co 10:13; Ajuda na hora da prova Hb 2:18; Vitória final Tg 4:7; 1Jo 4:4; Ap 3:10; Entronização com CRISTO Ap 3:21 CONCLUSÃO A tentação, no seu sentido mais, comum, é um processo terrível, da parte do homem, do mundo e do Diabo, cuja finalidade é destruir a fé, a santidade, a comunhão com DEUS, levando o crente a pecar. Para vencer, é preciso fazer como JESUS, que, usou a "Espada do ESPÍRITO" - a Palavra de DEUS. É preciso usar as armas que DEUS colocou à disposição de Seus, servos. Em CRISTO, "somos mais que vencedores" (Rm 8.37), A arma mais poderosa que temos é o nome de JESUS, use-o com fé e coragem. Quando sentimos os impulsos da natureza, podemos também estar certos de que temos um maravilhoso aliado na pessoa do ESPÍRITO SANTO. Por este divino ser poderoso podemos ser vitoriosos. Enquanto a natureza decaída tenta equilibrar-se e impedir a obra do ESPÍRITO em nossas vidas, o ESPÍRITO SANTO também reage e dá ao crente o sincero desejo de vencer e dominar as obras da carne. O fruto do ESPÍRITO é representado por nove virtudes que correspondem ao caráter divino e representam essencialmente o amor de CRISTO. Contra essas qualidades espirituais não há lei ou condenação (Gl 5.22). Do exposto você pode concluir que a resposta à necessidade de santificação consiste em darmos oportunidade ao ESPÍRITO SANTO para derrotar a velha natureza em sua pretensão de retomar ao controle de nossa vontade. Precisamos permitir que o ESPÍRITO desenvolva em nós a imagem de CRISTO que é perfeitamente SANTO. "Certos de que o ESPÍRITO SANTO tem uma natureza santa como indica o seu nome, facilmente concluímos que estarmos ou permanecermos cheios do ESPÍRITO (Ef 5.18) é o meio mais seguro para obtermos a santificação que tem caráter instantâneo e progressivo, ou seja, é produzida em nós instantaneamente pelo ESPÍRITO SANTO e por Ele conservada durante os anos da nossa peregrinação nesta vida." (Nos Domínios do ESPÍRITO, CPAD). CONSEQÜÊNCIAS DO PECADO DE DAVI (Estudos Bíblico) 1 SM 12.1-15 - Pr. José Antônio Corrêa "1 O SENHOR enviou Natã a Davi. Chegando Natã a Davi, disse-lhe: Havia numa cidade dois homens, um rico e outro pobre. 2 Tinha o rico ovelhas e gado em grande número; 3 mas o pobre não tinha coisa nenhuma, senão uma cordeirinha que comprara e criara, e que em sua casa crescera, junto com seus filhos; comia do seu bocado e do seu copo bebia; dormia nos seus braços, e a tinha como filha.4 Vindo um viajante ao homem rico, não quis este tomar das suas ovelhas e do gado para dar de comer ao viajante que viera a ele; mas tomou a cordeirinha do homem pobre e a preparou para o homem que lhe havia chegado. 5 Então, o furor de Davi se acendeu sobremaneira contra aquele homem, e disse a Natã: Tão certo como vive o SENHOR, o homem que fez isso deve ser morto. 6 E pela cordeirinha restituirá quatro vezes, porque fez tal coisa e porque não se compadeceu. 7 Então, disse Natã a Davi: Tu és o homem. Assim diz o SENHOR, DEUS de Israel: Eu te ungi rei sobre Israel e eu te livrei das mãos de Saul; 8 dei-te a casa de teu senhor e as mulheres de teu senhor em teus braços e também te dei a casa de Israel e de Judá; e, se isto fora pouco, eu teria acrescentado tais e tais coisas. 9 Por que, pois, desprezaste a palavra do SENHOR, fazendo o que era mal perante ele? A Urias, o heteu, feriste à espada; e a sua mulher tomaste por mulher, depois de o matar com a espada dos filhos de Amom. 10 Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para ser tua mulher. 11 Assim diz o SENHOR: Eis que da tua própria casa suscitarei o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres à tua própria vista, e as darei a teu próximo, o qual se deitará com elas, em plena luz deste sol. 12 Porque tu o fizeste em oculto, mas eu farei isto perante todo o Israel e perante o sol. 13 Então, disse Davi a Natã: Pequei contra o SENHOR. Disse Natã a Davi: Também o SENHOR te perdoou o teu pecado; não morrerás. 14 Mas, posto que com isto deste motivo a que blasfemassem os inimigos do SENHOR, também o filho que te nasceu morrerá". INTRODUÇÃO: A ociosidade de Davi o levou a cometer sérios pecados manchando sua comunhão com DEUS. Um momento de prazer pode significar anos e mais anos de intenso sofrimento. Se Davi soubesse o que lhe aguardava, teria sido mais prudente. 2. "Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso DEUS; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça", Is 59.2. 3. Como o pecado afetou a vida de Davi, e como ele sofreu amargamente? "AS CONSEQÜÊNCIAS DO PECADO NA VIDA DE DAVI E COMO ESTAS CONSEQÜÊNCIAS SE APLICAM A CADA UM DE NÓS" I – VERGONHA 1. O primeiro momento de vergonha para Davi, foi quando ele foi confrontado pelo profeta pelo Natã. "...pois nada há encoberto, que não venha a ser revelado; nem oculto, que não venha a ser conhecido", Mt 10.26. 2. Foi também uma grande vergonha para Davi quando tomou conhecimento do incesto de seu filho com sua filha e de que seu filho Absalom se prostituía com as suas mulheres publicamente, 2 Sm 16.21-22. 3. Quando mantemos qualquer tipo de pecado e rebelião contra DEUS, certamente a vergonha virá sobre nós: a) Jr 7.19, "Acaso, é a mim que eles provocam à ira, diz o SENHOR, e não, antes, a si mesmos, para a sua própria vergonha?" b) Jr 23.40, "Porei sobre vós perpétuo opróbrio e eterna vergonha, que jamais será esquecida". 4. A pior vergonha que poderemos enfrentar acontecerá na segunda vinda do Senhor, se não nos mantermos firmes nele, Jo 2.28, "Filhinhos, agora, pois, permanecei nele, para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança e dele não nos afastemos envergonhados na sua vinda". 5. Ao invés de sermos envergonhados em razão de nossos pecados contra DEUS, que sintamos vergonha por causa de nossos pecados, Jr 6.15, "Serão envergonhados, porque cometem abominação sem sentir por isso vergonha; nem sabem que coisa é envergonhar-se. Portanto, cairão com os que caem; quando eu os castigar, tropeçarão, diz o SENHOR". II – MAL TESTEMUNHO "...deste motivo a que blasfemem os inimigos do Senhor", Vs. 14. 1. Com seu procedimento, Davi tinha vulgarizado o nome do Senhor perante seus inimigos. 2. Quando não vivemos a vida cristã de uma forma correta, seremos motivo de escândalo no meio do povo de DEUS. a) Rm 14.13, "Não nos julguemos mais uns aos outros; pelo contrário, tomai o propósito de não pordes tropeço ou escândalo ao vosso irmão". . b) 2 Co 6.3, "não dando nós nenhum motivo de escândalo em coisa alguma, para que o ministério não seja censurado". . 3. Seremos duramente cobrados pelo Senhor, se provocarmos escândalo e prejudicarmos os irmãos mais fracos: "6 Qualquer, porém, que fizer tropeçar a um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar. 7 Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é inevitável que venham escândalos, mas ai do homem pelo qual vem o escândalo!", Mt 18.6-7. III – DESORDEM FAMILIAR "Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa...", Vs. 10. 1. Morte do filho com Bate-Seba, "15 Então, Natã foi para sua casa. E o SENHOR feriu a criança que a mulher de Urias dera à luz a Davi; e a criança adoeceu gravemente. 16 Buscou Davi a DEUS pela criança; jejuou Davi e, vindo, passou a noite prostrado em terra. 17 Então, os anciãos da sua casa se achegaram a ele, para o levantar da terra; porém ele não quis e não comeu com eles. 18 Ao sétimo dia, morreu a criança; e temiam os servos de Davi informá-lo de que a criança era morta,...2 Sm 12.15-23. 2. Incesto de Amnon com Tamar, Amnom, filho do rei, sentiu-se atraído pela própria irmã Tamar, deitando-se com ela, 2 Sm 13.1-14. 3. Morte de Amnon, pelas mão de Absalom, para vingar o incesto com sua irmã Tamar," 2 Sm 13.23-29. 4. Morte de Absalom, pelas mãos de Joabe, para conter a rebelião, "15 Cercaram-no dez jovens, que levavam as armas de Joabe, e feriram a Absalão, e o mataram", 2 Sm 18.9-15 5. Quando não vivemos uma vida digna do DEUS a quem servimos, certamente a primeira a ser atingida é a nossa própria família. Pais rebeldes e desobedientes ao Senhor, criará também filhos rebeldes e desobedientes ao Senhor! Nossos filhos acabam sendo uma extensão de nós mesmos. Seremos para os nossos filhos exemplos ou para a prática do bem, ou para a prática do mal. Certamente colheremos através de nossos filhos aquilo que plantamos! CONCLUSÃO: Nossos pecados não ficarão para sempre escondidos; Colheremos o resultado de nossa maldade, ainda que mais tarde nos arrependamos. Por estas razões, vamos viver uma vida digna do DEUS a quem servimos! Vamos praticar o verdadeiro arrependimento, que implica numa mudança completa de vida. Como dizia Lewis W. Dillwyn: "Arrependimento sem mudança de vida é como ficar bombeando sem consertar o vazamento". INTERAÇÃO A lição de hoje trata do pecado de Davi com Bate-Seba. O pecado, uma vez concebido, fez com que o "homem segundo o coração de DEUS" passasse da vitória para o tormento. Aproveite esta aula para, mediante a experiência deste rei, demonstrar aos alunos a importância de andarmos em ESPÍRITO para que não venhamos satisfazer os desejos da carne. OBJETIVOS Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: Conscientizar-se de que a tentação é uma realidade para qualquer crente. Apontar as três fontes básicas da tentação: o Diabo, o mundo e carne. Refletir a respeito das consequências que o pecado traz para quem o comete. ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA Divida a classe em 5 grupos. Depois que já estiverem formados, entregue a cada grupo uma das questões abaixo. Cada grupo terá, no máximo, três minutos para discutir seu tema e dois minutos para expor sua opinião à classe. 1. Podemos considerar o pecado de Davi como uma simples fraqueza ou imperfeição? 2. O que devemos fazer diante da tentação? 3. O fato de ser um servo fiel a DEUS nos isenta do pecado? 4. O que faz com que optemos por ficar em determinado local, onde claramente estamos expostos e vulneráveis à tentação? 5. Se acaso estivéssemos em outro local, será que teríamos cometido o que cometemos? Conclua o debate explicando que, embora vivamos em uma sociedade que tem se tornado complacente com o pecado, este é fatal. Por isso, deve ser erradicado de nossas vidas. Palavra Chave: Pecado - Transgressão deliberada e consciente das leis estabelecidas por DEUS. RESUMO DA LIÇÃO 08 - 4º TRIMESTRE DE 2009 - CPAD O PECADO DE DAVI E SUAS CONSEQUÊNCIAS I. DAVI E A TENTAÇÃO ANTES DO PECADO 1. A realidade da tentação. 2. As fontes da tentação. II. DAVI E O SEU PECADO 1. O pecado camuflado. Davi estava tentando esconder e incubar o seu pecado: Davi ordenou que Urias viesse da guerra para dar-lhe notícias Ofereceu-lhe um presente e deu-lhe licença para ir a sua própria casa (2 Sm 11.6-8). Davi insistiu que Urias permanecesse em casa, noutras palavras reincidiu no mal (v.10). Davi ofereceu um banquete a Urias com vinho embriagante (vv.12,13). Davi enviou uma carta real ao comandante Joabe, através de Urias, onde estava contida a sentença de morte do próprio portador (vv.14,15)! 2. O pecado descoberto e exposto. III. DAVI E AS CONSEQÜÊNCIAS DO PECADO 1. Consequências emocionais. 2. Consequências espirituais e físicas. CONCLUSÃO Devemos atentar bastante para que também não venhamos a incidir no mesmo erro de Davi. SINOPSE DO TÓPICO (1) A tentação é uma realidade na vida do crente e possui três fontes básicas: o Diabo, o mundo e carne. SINOPSE DO TÓPICO (2) Ao tentar esconder seu pecado, Davi o agravou ainda mais, levando DEUS a expô-lo por meio do profeta Natã. SINOPSE DO TÓPICO (3) O pecado de Davi trouxe consequências emocionais, espirituais e físicas para ele e sua família. AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO Subsídio Teológico "O profeta Natã foi enviado pelo Senhor para confrontar Davi com seu pecado. Dramaticamente usou uma parábola simples, mas admirável para revelar a verdade à consciência do rei. A sabedoria desta abordagem faz um paralelo com o discurso de Paulo aos atenienses no Areópago (At 17.22-31). Cada elemento da parábola é planejado para estimular a solidariedade do rei e ultrajar o senso de justiça: um homem pobre com apenas uma cordeira, a qual ele amava com grande estima; um homem rico com uma riqueza abundante em rebanhos e gado; a cruel desconsideração pelos sentimentos e direitos de seu pobre vizinho ao tomar-lhe a única cordeira e matá-la para os seus convidados (1-4). A reação de Davi foi imediata e correta. A sua ira foi provocada, e ele declarou: 'Digno de morte é o homem que fez isso'. Natã revelou com habilidade o ponto-chave da parábola: 'Tu és este homem'. [...] Davi tinha desprezado o mandamento de DEUS, e tinha feito o mal diante de seus olhos com o pecado duplo de adultério e assassinato. O terrível resultado do pecado começa agora a se desdobrar. O juízo seria duplamente severo porque viria não de estrangeiros e inimigos de fora, mas da sua própria casa" (PURKISER, W.T. Comentário Bíblico Beacon. Vol. 2. RJ: CPAD, 2005, p.246). BIBLIOGRAFIA SUGERIDA PURKISER, W.T. Comentário Bíblico Beacon. Vol. 2. Rio de Janeiro: CPAD, 2005. WOOD, George O. Um salmo em seu coração. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. SAIBA MAIS na revista Ensinador Cristão, CPAD, nº 40, p.39. APLICAÇÃO PESSOAL Bate-Seba era o vínculo entre os dois reis mais famosos de Israel - Davi e Salomão. Seu adultério com Davi quase pôs fim a família através da qual DEUS planejou entrar fisicamente no mundo. Em meio às cinzas daquele pecado, porém, o Senhor trouxe o bem. JESUS CRISTO, o Redentor da humanidade, nasceu de um descendente de Davi e Bate-Seba. A história de Davi e Bate-Seba mostra que pequenas decisões erradas freqüentemente levam a grandes erros. [...] Bate-Seba provavelmente sentiu-se arrasada pela cadeia de eventos. [...] Davi a confortou (2 Sm 12.24), e ela viveu para ver outro filho, Salomão, sentar-se no trono. Por meio de sua vida, vemos que as pequenas escolhas que fazemos em nosso dia-a-dia são muito importantes. Elas nos preparam para realizar coisas esplêndidas, quando temos que tomar grandes decisões. A sabedoria para fazer as escolhas certas em diversos assuntos é um dom de DEUS (Adaptado de Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, p.461). AJUDA CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal. VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD. Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/ Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com , http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube. http://falandoseriotv.spaceblog.com.br/291758/CONSEQUENCIAS-DO-PECADO-DE-DAVI/ Como JESUS Venceu a Tentação - Gary Fisher - 2007

Nenhum comentário: