quarta-feira, 9 de abril de 2008

LIÇÃO 2 A MINHA ALMA TE AMA, Ó SENHOR

LIÇÃO 2 A MINHA ALMA TE AMA, Ó SENHOR AS DISCIPLINAS DA VIDA CRISTÃ Trabalhando em busca da perfeição Comentarista: Pr. Claudionor de Andrade Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antônio Gilberto Complementos e Ajuda para professores e alunos: Ev. Luiz Henrique. QUESTIONÁRIO TEXTO ÁUREO "A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?" (Sl 42.2). VERDADE PRÁTICA O verdadeiro crente ama a Deus acima de tudo, porque Deus o amou com um amor eterno, concedendo-lhe a graça divina em seu Filho. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Salmos 42.1-5. 1 Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus!2 A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?3 As minhas lágrimas servem-me de mantimento de dia e de noite, porquanto me dizem constantemente: Onde está o teu Deus?4 Quando me lembro disto, dentro de mim derramo a minha alma; pois eu havia ido com a multidão; fui com eles à Casa de Deus, com voz de alegria e louvor, com a multidão que festejava.5 Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei na salvação da sua presença. Dicionário (http://www.priberam.pt/dlpo/dlpo.aspx): Cervo - mamífero ruminante da família dos cervídeos, caracterizados por possuírem cornos ramificados, anualmente caducos. Alma - do Lat. anima s. f., parte incorpórea, imaterial do ser humano; princípio da vida; conjunto das faculdades intelectuais e morais do homem; Alguns entendem como espírito; pessoa; a vida; a existência; motor principal; agente; entusiasmo; paixão; animação; caráter; índole; consciência; sentimento; coração; generosidade. Alma = Centro da vontade, desejos, sentimentos. O ser humano possui uma alma, mora em um corpo e é espiritual, quando crente. A alma é quem comanda o ser humano, ou para DEUS ou para Satanás. ("A alma que pecar esta morrerá") Só DEUS pode criar a alma. Alma tem sede de DEUS porque veio de DEUS. Só podemos amar se a alma permitir, só podemos amar a DEUS se alma estiver em harmonia com o espírito. Amar - do Lat. amare v. tr., ter amor a;gostar muito de; desejar; escolher; apreciar; preferir; estar apaixonado. Como seria possível ao homem viver sem Ti! Homem que é imagem de Deus, que traz dentro de si o sopro da Divindade, e que por isso mesmo sente falta de Seu Criador, que é Seu Senhor, Rei e Deus. O salmista expressa isso de forma muito vívida para os orientais, quando diz: "Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira minha alma por Ti, ó Deus!" Em sua caminhada pelo mundo, o homem, tem dito sempre novamente que precisa de Deus, ainda que não explicitamente, mas ele sempre o diz. Mesmo o homem que continua afastado de Deus por não o reconhecer em sua vida, ainda esse diz que precisa de Deus. Poetas, cantores, atores, e homens em geral expressam de formas diferentes a sua dependência do Criador e acabam enquadrando-se na palavra do salmista, pois eles também, assim como o cervo (a corça) procura ansiosamente um riacho para saciar sua sede, tal acontece com o homem, que em suas andanças pelo deserto árido do mundo procura pela fonte das águas, a única verdadeiramente capaz de saciar completamente e definitivamente sua sede, por isso ele homem procura e deseja Deus...O desejo leva à procura, e na procura percorremos muitos caminhos até que O encontremos de fato. Isto nos mostra a impossibilidade do homem viver sem aquele que o criou, a fonte original de sua vida. Por isso o homem busca, às vezes com lágrimas à Deus, onde quer que seja, pois tem em seu interior existe uma necessidade tão grande de Deus que se pergunta: "Onde estará Deus?" A procura pela resposta é incessante; castiga a alma, o corpo e o espírito do homem, pois dessa resposta depende a sua vida. Andando por tantos lugares chamados de "casa de Deus" frustra-se, pois ainda não o encontra, mesmo que percorra tantos lugares onde dizem estar Deus. A perturbação aumenta, os problemas se avolumam, mas de repente, Deus se mostra ao homem dizendo: "Aqui estou!" Finalmente a longa jornada em busca do Criador termina, e como a corça sedenta pela água pura e cristalina que sacie sua sede, o homem agora pode ter sua sede saciada por Deus em um encontro que transforma a vida do homem, tornando-o assim feliz e seguro, pois agora encontrou Aquele que tanto procurava.Não, não é possível viver sem Ti, Senhor Deus! Minha sede por Ti é tão imensa que quero penetrar profundamente nos abismos da pessoa do Criador para Te descobrir! Sei que jamais chegarei a Te conhecer plenamente, mas também sei que quanto mais perto de Ti estiver eu, mais saciada estará minh’alma da Tua presença. E assim, como a corça que chegou às águas e teve sua sede saciada, estarei eu ó Deus da minha vida, quando estiver plenamente imerso em Ti!Não permitas Tu que, agora que estou tão perto de Ti eu não desfrute da Tua presença e do prazer de dizer-Te: "Tu és o meu Senhor e Rei da minha vida", porque está escrito que nada poderá nos separar do amor de Deus... A MINHA ALMA TEM SEDE DE DEUS. Assim como a água é essencial à vida física, assim também Deus e a sua presença são essenciais à satisfação e à normalidade da vida. O verdadeiro crente terá fome e sede de Deus e da sua graça, bênção e operação sobrenatural na sua vida. (1) Sem sede de Deus a pessoa morre espiritualmente. Não devemos, pois, permitir que coisa alguma faça diminuir nosso anelo pelas coisas de Deus. Acautele-se dos cuidados deste mundo, da busca das coisas terrenas e dos prazeres que tiram a fome e sede de Deus, e o desejo de buscar a sua face em oração (Mc 4.19). (2) Devemos orar para que aumente o nosso anseio pela presença de Deus, que nosso desejo pela plena manifestação do Espírito Santo cresça, e que se aprofunde a nossa paixão pela plenitude do reino de Cristo e sua justiça, até clamarmos por Ele de dia e de noite, com sede sincera, assim como o cervo brama pelas correntes das águas em tempos de seca (v. 1; ver Mt 5.6; 6.33). Ó MEU DEUS... A MINHA ALMA ESTÁ ABATIDA. Aqueles que têm sede de Deus e anseiam por uma manifestação maior da sua presença podem vir a experimentar certa demora. Mesmo assim, o crente fiel continuará tendo sede de Deus e buscando a sua presença. O Senhor tem prometido que abençoará os que têm fome e sede de justiça, os quais não se contentam com menos do que a plenitude da bênção divina (Mt 5.6). Em meio ao silêncio de Deus, devemos persistir em conhecê-lo e experimentar uma manifestação maior do Espírito Santo (cf. Os 6.1-3; At 2.38,39; 4.11-13). Não devemos desanimar, mas, sim, pôr nossa esperança em Deus e confiar no seu imutável amor (vv. 8-11). Sede Espiritual Parte 1 – Três Tipos de Sede Espiritual Embora não seja perceptível em todos os momentos, em um sentido existe uma sede em todas as pessoas. Deus não nos criou para estarmos contentes com nossa condição natural. Ou de uma forma ou de outra, em um grau ou outro, todos querem mais do que têm no presente momento. A diferença entre as pessoas é o tipo de anseio que possuem no fundo de sua alma. Em se tratando de sede espiritual, podemos dizer que há pelo menos três tipos. 1. Sede da alma vazia A pessoa não convertida possui uma alma vazia. Destituída de Deus, busca contínua e freneticamente algo para preencher seu vazio. Os objetivos desta corrida desvairada podem incluir dinheiro, sexo, poder, casas, propriedades, esportes, hobbies, entretenimento, misticismo, realização, reconhecimento e estudo; em qualquer desses, porém, está essencialmente “fazendo a vontade da carne e dos pensamentos”(Ef 2.3). Como Agostinho afirmou: “Tu nos criaste para ti mesmo e nossos corações vivem inquietos enquanto não acharem repouso em ti“. Sempre buscando, nunca satisfeita, a alma vazia vai de um objetivo a outro, sempre incapaz de achar algo que consiga preencher o vácuo do tamanho de Deus que existe no seu coração. A ironia da alma vazia é que, embora seja perpetuamente insatisfeita em tantas áreas de sua vida, ela se satisfaz com tanta facilidade em relação à busca de Deus. Sua atitude para com assuntos espirituais é como o homem que disse à sua alma complacente em Lucas 12.19: “Tens em depósito muitos bens para muitos anos: descansa, come e bebe, e regala-te”. Sejam quais forem os desejos da alma vazia nesta vida, estes nada têm em comum com o que o pastor e teólogo do século dezoito, Jonathan Edwards, chamava de “desejo santo, exercitado por meio de anseios, fome e sede de Deus e de santidade”, que caracteriza o verdadeiro cristão. 2. Sede da alma árida A diferença entre a alma vazia e a alma árida é que a primeira nunca experimentou os “rios de água viva” (Jo 7.38), enquanto que a segunda já os conhece e sabe do que está sentindo falta. Isto não significa que a alma árida tenha perdido a habitação interior do Espírito Santo; de fato, como Jesus disse, “a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna“ (Jo 4.14, ênfase acrescentada). Como é, então, que a alma do verdadeiro crente em Cristo se torna árida, quando Jesus prometeu que “aquele que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede, para sempre” (Jo 4.14)? A alma do cristão pode se tornar árida em uma de três maneiras. A mais comum é quando se bebe demais das fontes dessecantes do mundo e se esquece dos “ribeiros de Deus” (Sl 65.9). Talvez o salmista tivesse bebido demais das águas espiritualmente salgadas e insalubres do mundo, pois escreveu duas vezes no mesmo capítulo sobre ansiar por Deus com todo o coração e, ao mesmo tempo, sobre sua firme resolução de não se afastar da Palavra do Senhor (ver Sl 119.10). Excessiva atenção a um determinado pecado ou pecados e falta de atenção à comunhão com Deus (duas coisas que freqüentemente ocorrem em conjunto) inevitavelmente definharão a vida espiritual do cristão. Uma segunda causa de aridez na vida de um filho de Deus é o que os puritanos chamavam das deserções de Deus. Por razões nem sempre claras para nós, o Senhor às vezes retira a nossa consciência de sua proximidade. O melhor e mais conciso conselho que posso oferecer a cristãos que lutam com este tipo de aridez espiritual vem de William Gurnall: “O cristão precisa aprender a confiar num Deus que pode se afastar”. Quando o sol se esconde atrás de uma nuvem, não está menos próximo do que quando seus raios podem ser sentidos. Em terceiro lugar, prolongada fadiga física ou mental pode causar aridez espiritual. Tanto a causa como a cura geralmente são bastante óbvias. A pessoa pode não perceber crescimento espiritual quando passa por fadiga ou esgotamento, entretanto é possível que tenha aprendido muitas lições na batalha que causou a fadiga, as quais serão vistas como significativos marcos espirituais na sua vida quando o sol voltar a brilhar. Indiferente da causa, a aridez na vida do cristão o faz sentir como o salmista que suspirava por Deus “como a corça pelas correntes das águas”(Sl 42.1). Quando você estiver nesta condição, nada mais além da água viva do próprio Deus o satisfará. Outras coisas podem tê-lo distraído, mas agora a única coisa que importa é voltar a ter a consciência da presença do Pai. 3. Sede da alma saciada Pode parecer uma contradição, mas em contraste com a alma árida, a alma saciada tem sede de Deus precisamente por ter sido saciada por ele. “Oh! Provai, e vede que o Senhor é bom” (Sl 34.8). Ao provar que o Senhor realmente é bom, o sabor foi tão singularmente satisfatório que gerou um anseio por muito mais. O apóstolo Paulo demonstrou isto na sua famosa exclamação: “para o conhecer” (com a idéia: “oh, que eu o pudesse conhecer!” - Fp 3.10). Nas linhas anteriores, ele havia se exultado no relacionamento e conhecimento de Jesus que já tinha, dizendo que considerava tudo como refugo e perda diante da sublimidade desta experiência (vv. 7,8). No entanto, logo em seguida clama: “para o conhecer”. A alma de Paulo estava saciada com Jesus Cristo e, ao mesmo tempo, ainda sedenta por ele. Conhecer bem a Cristo satisfaz tanto a sede espiritual porque nenhuma pessoa, possessão ou experiência pode produzir nada semelhante ao prazer espiritual que temos nele. Comunhão com Cristo é algo incomparável porque não há desapontamento algum com o que se descobre nele. Além disso, a gratificação espiritual que se recebe através de conhecê-lo inicialmente nunca acaba. E por cima de tudo isso, o Senhor em quem se encontra toda essa satisfação é um universo infinito de vida e realização, no qual se pode imergir para explorar e desfrutar sem limites. Portanto, não há nenhuma falta de satisfação em conhecer a Cristo; contudo, Deus não nos fez de tal forma que uma só experiência pudesse saciar todo futuro desejo por ele. Jonathan Edwards descreveu a relação entre o bem espiritual desfrutado na comunhão com Cristo e a sede por mais que isto produz da seguinte forma: “O bem espiritual é realmente capaz de nos satisfazer; quem dele provar sentirá mais sede por ele… e quanto mais experimentar, quanto mais conhecer de fato esta excelente, inigualável, e excelsa doçura e a satisfação que traz, com mais intensa fome e sede a buscará”. Que Deus faça com que esta oração de A. W. Tozer seja uma expressão verdadeira das nossas próprias aspirações: Ó Deus, tenho provado da tua bondade, e isto tanto me tem saciado como tem aumentado minha sede. Tenho dolorosa consciência da minha necessidade por graça ainda maior. Envergonho-me da minha falta de desejo. Ó Deus, Deus Triúno, quero desejar a ti; anseio estar cheio de anseios: tenho sede de ficar com mais sede ainda. Parte 2 – A Bênção da Sede Espiritual “Bem-aventurados todos os que nele esperam” (ou “os que por ele anseiam”, no original), declarou o profeta Isaías (Is 30.18). “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça”, reiterou Jesus (Mt 5.6). Um intenso desejo pelo Senhor e pela sua justiça é uma bênção. Como assim? 1. Deus inicia a sede espiritual A razão de alguém ter sede por Deus é que o Espírito Santo está agindo dentro dele. Se você é um cristão, duas pessoas vivem no seu corpo: você e o Espírito Santo. Como o apóstolo Paulo explicou: “Acaso não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1 Co 6.19). E o Espírito Santo não está passivo no seu interior. Por exemplo, assim como você pode escolher pensamentos para colocar na sua mente, ele também pode – e de fato coloca. Você pode decidir que vai pensar por alguns instantes sobre o que deve fazer esta noite; da mesma forma, ele pode plantar pensamentos sobre Deus e as coisas de Deus. Esta ação faz parte do processo que ele usa para levar um cristão a se “inclinar para o Espírito” (Rm 8.5). Outra parte da ação dele é levar você a ter sede de Deus e anseios (como “Aba, Pai”, ver Romanos 8.15), assim como outros sinais de vitalidade espiritual. Charles Spurgeon, o singular pregador batista britânico do século XIX, descreveu assim a bênção da sede: Quando alguém suspira por Deus, é fruto de uma vida secreta no seu interior: ele não suspiraria muito tempo por Deus por sua própria natureza. Ninguém tem sede por Deus enquanto ainda estiver no seu estado carnal (ou seja, não convertido). A pessoa não regenerada suspira por qualquer coisa antes de suspirar por Deus. É prova da natureza renovada ter um anseio por Deus; é uma obra de graça na sua alma e você deve ser profundamente agradecido por isso. 2. Deus coloca sede espiritual a fim de poder saciá-la Deus não acende o fogo do desejo por ele a fim de nos frustrar ou para zombar de nós. Ele mesmo declarou: “Não disse à descendência de Jacó: Buscai-me em vão” (Is 45.19). O que se aplica à linhagem natural de Jacó (Israel) é válido também para seus descendentes espirituais – aqueles que crêem no Messias de Israel, Jesus. Deus gera sede no homem por ele a fim de poder saciá-la com sua própria vida. “Pois dessedentou a alma sequiosa” é a promessa de Salmo 107.9, “e fartou de bens a alma faminta”. Jesus garante que são “bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos” (Mt 5.6, ênfase acrescentada). Jonathan Edwards argumentava que, de acordo com as Escrituras, “os tementes a Deus são destinados a experimentar felicidade inconcebível e além do conhecimento humano”. E acrescentava: “Sem dúvida, Deus alcançará seu objetivo em gloriosa perfeição”. Se Deus, de fato, nos criou para fruirmos de inimaginável plenitude de alegria, e plantou em nós o anseio para a alcançarmos, então certamente também “fez o homem capaz de experimentar este imensurável e sublime êxtase espiritual… Deduzimos que o homem foi designado para uma maravilhosa bem-aventurança, já que Deus o criou com anseios e desejos que não podem ser satisfeitos com nada menos que uma felicidade muito grande… Um desejo que não pudesse ser satisfeito seria um eterno tormento.” Edwards defendia, obviamente, que estes “anseios e desejos” eram evidências de sede por Deus, um anseio que só pode ser completa e finalmente saciado no desfrutar eterno e ilimitado de comunhão face a face com o próprio Senhor na vida celestial. Ao contemplar sua glória, os regenerados testificarão que estão abundantemente saciados com a plenitude da casa do Senhor e que da “torrente das suas delícias” ele lhes dá de beber (Sl 36.8). Você tem sede de Deus? Sede é uma parte do plano de Deus que nos conduz em direção ao seu magnífico e inconcebível alvo eterno! Parte 3 – Passos Práticos Para Ter Sede de Deus Se você possui verdadeira sede por Deus, seu anseio sem dúvida é ter mais anseio ainda. Como insistia Jonathan Edwards: “Verdadeiros e graciosos anseios por santidade não são meros desejos inúteis ou infrutíferos”. 1. Medite na Palavra de Deus Observe que devemos “meditar” e não meramente ler. Muitas pessoas que estão desfalecendo espiritualmente são leitores assíduos da Bíblia. Sem o auxílio da meditação, advertia o grande homem de fé e oração, George Müller, a simples leitura da Palavra de Deus pode tornar-se informação que apenas “passa pelas nossas mentes, tal qual água que passa por um encanamento”. Pense no fluxo incessante de informação que passa pela sua mente diariamente – todas as coisas que vê, lê e ouve. A maioria das pessoas luta com “sobrecarga de informação”, sem conseguir acompanhar a entrada fenomenal de dados em suas mentes. Se não tomarmos cuidado, as palavras da Bíblia podem se transformar em mais uma corrente de dados no rio cada vez mais volumoso que passa pelos nossos pensamentos. Assim que acabam de passar, empurradas pela pressão do fluxo de outras informações, logo passamos a focalizar o que está agora diante de nós. Tantas coisas passam pelos nossos cérebros que, se não absorvermos algumas delas, não seremos afetados por nenhuma. Certamente, se devemos absorver alguma coisa de tudo aquilo que passa por nossas mentes, devem ser as palavras inspiradas do céu. Se não absorvermos a água da Palavra de Deus, não teremos como matar nossa sede espiritual. Meditação é o meio de absorção. Gaste 25 a 50 por cento do seu tempo de leitura meditando em algum versículo, frase ou palavra daquela passagem. Faça perguntas a respeito. Ore sobre o assunto. Pegue a caneta e rabisque seus pensamentos num bloco de papel. Procure pelo menos uma maneira de aplicar ou viver aquilo. Demore um pouco ali. Sature sua alma lentamente na água da Palavra e descobrirá que isso não só trará refrigério, mas também estimulará sede por muito mais. 2. Ore através das Escrituras Depois de ter lido uma passagem da Bíblia, ore usando uma parte do mesmo trecho. Quer tenha lido apenas um capítulo ou vários, escolha depois uma parte da sua leitura e, versículo por versículo, permita que as palavras de Deus se tornem as asas das suas palavras a ele. Embora seja possível orar usando qualquer trecho das Escrituras, recomendo especialmente que, indiferente de onde tenha feito sua leitura, você depois vire para os Salmos e use um deles para orientar sua oração. O livro de Salmos era o divinamente inspirado hinário de Israel. Além disso, duas vezes no Novo Testamento (ver Ef 5.19 e Cl 3.16) recomenda-se aos cristãos que cantem salmos. De forma diferente de todo o restante da Bíblia, os Salmos foram inspirados por Deus para o explícito propósito de serem refletidos para Deus. Suponhamos que você tenha escolhido o Salmo 63 para sua oração hoje. O primeiro versículo diz: “Ó Deus, tu és o meu Deus forte, eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti; meu corpo te almeja, numa terra árida, exausta, sem água”. Você poderia entrar na oração confessando que o Senhor é o seu Deus, agradecendo-o graciosamente por isto e depois simplesmente exultando em Deus pelo fato dele ser Deus. Em seguida, poderia expressar os anseios e suspiros que sente por ele, reconhecendo que é uma bênção divina ter uma sede de Deus plantada no seu coração pelo próprio Deus. Talvez depois sinta desejo de pedir ao Senhor que plante esta sede divina nos seus filhos ou em alguém com quem tenha falado do evangelho. E assim poderia caminhar pelo salmo, orando a respeito do texto e daquilo que lhe ocorre enquanto lê. Se nada lhe vier à mente enquanto está meditando sobre um versículo ou trecho do capítulo, passe adiante. Os elementos poéticos, entranhados e espiritualmente transparentes dos Salmos freqüentemente combinam de formas que elevam a alma e acendem uma paixão por Deus. Tratam de forma realista com toda a gama das emoções humanas e podem tomá-lo de qualquer situação espiritual onde estiver e elevá-lo em direção ao céu. Nada consegue renovar tão infalivelmente meus anseios por Deus e atirar-me como foguete ao nível experimental de comunhão com ele do que orar com as palavras dos Salmos. 3. Leia livros de autores que geram sede Depois das palavras sopradas por Deus que temos na própria Bíblia, leia obras confirmadas através dos séculos de autores cristãos que escreviam com canetas que geravam sede. Clássicos como O Peregrino, autores antigos como Jonathan Edwards, Charles Spurgeon, etc... INTERAÇÃO (CPAD) Professor, a comunhão cristã possui dois lados: com os nossos irmãos e com a Trindade (1 Jo 1.3; 4.20). Todavia, devemos dar a Deus a primazia em nossos relacionamentos. A comunhão com Deus deve estar acima de tudo e de todos. Portanto, seja disciplinado e devote sua vida primeiramente a Deus. Incentive os seus alunos para que façam o mesmo (Lc 10.27). Excelente aula! ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA (CPAD) Professor, o vocábulo comunhão, do grego koinonia, não significa apenas "associação" ou "fraternidade", mas "relacionamento íntimo". Na Primeira Epístola de João encontramos a expressão "a nossa comunhão (koinonia) é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo" (1.3). É preciso observar que o termo koinonia não é usado no Evangelho de João, no entanto, o apóstolo prefere a palavra grega ginosko, isto é, "conhecer". Porém, o sentido não se refere ao conhecimento por vias intelectuais, mas à intimidade com a coisa conhecida, refletindo o sentido de koinonia (Jo 15.15;17.26). A comunhão com o Pai, o Filho e o Espírito Santo é o supremo bem que anela a alma do crente regenerado. Use o gráfico da página seguinte para ilustrar essa verdade. COMUNHÃO CRISTÃ COM DEUS (1 Jo 1.3) MEIOS DE COMUNHÃO COM A TRINDADE Pai (1 Jo 1.6) Filho (1 Co 1.9) Espírito Santo (2 Co 13.13; Fp 2.1) A Escritura (Sl 119.33-35) Adoração (At 16.25,26) Oração (Mt 6.9-13) RESUMO DA LIÇÃO 02 - CPAD LIÇÃO 2 - A MINHA ALMA TE AMA, Ó SENHOR COMENTÁRIO INTRODUÇÃO Palavra Chave: Anelo: Aspiração ardente da alma pela presença benfazeja do Senhor. "A comunhão com Deus é o princípio do céu". (William Bates, escritor puritano do século XVII) I. O QUE É A COMUNHÃO COM DEUS 1. Definição. Intimidade. 2. A comunhão com Deus é uma disciplina consoladora. II. A ALMA HUMANA ANSEIA PELOS ÁTRIOS DE DEUS 1. O vazio humano. 2. A plenitude da comunhão divina. III. O DEUS DE NOSSA COMUNHÃO 1. O Deus onipotente. 2. O Deus onisciente. 3. O Deus de amor. 4. O Deus soberano. CONCLUSÃO Amar a Deus: essência de nossa vida devocional. --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 2 - A MINHA ALMA TE AMA, Ó SENHOR RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD - 2º TRIMESTRE DE 2008 TEXTO ÁUREO 1- Complete: "A minha _________________ tem sede de Deus, do Deus ______________________; quando entrarei e me apresentarei ante a ____________________ de Deus?" (Sl 42.2). VERDADE PRÁTICA 2- Complete: O verdadeiro ___________________________ ama a Deus acima de tudo, porque Deus o amou com um amor _________________, concedendo-lhe a graça ________________________ em seu Filho. COMENTÁRIO INTRODUÇÃO 3-Complete segundo Norman Snaith, comentando o Salmo 42: "O homem que já experimentou a alegria da __________________________ com Deus, não estará apático quanto às oportunidades de renovar, com Ele, a sua ___________________________, quer em suas devoções particulares, quer nas _________________________. Esse homem simplesmente não consegue ficar longe de Deus. Sua alma sedenta haverá de o impelir sempre à presença do Pai Celeste". 4- O que diria William Bates, escritor puritano do século XVII, ao discorrer sobre a intimidade entre a nossa alma e o Supremo Ser, com a alegria que lhe ia na alma: ( ) "A comunhão com Deus é o princípio do céu". I. O QUE É A COMUNHÃO COM DEUS 5- Qual a definição de comunhão com Deus? ( ) É a intimidade que o crente, mediante a obra redentora de Cristo e por intermédio da ação do Espírito Santo, desfruta com o Pai Celeste, e que o leva a usufruir de uma vida espiritual plena e abundante (Rm 5.1; 2 Co 13.13). 6- O que é andar com Deus? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso: ( ) É o mais perfeito sinônimo de comunhão com o Pai Celeste. ( ) Comunhão com Deus é ser chamado de amigo pelo próprio Deus ( ) É ser como Enoque que o Senhor, um dia, o tomou para si. ( ) É ter uma vida como a de Eliseu que, por onde quer que fosse, era de imediato reconhecido como homem de Deus. 7- Apesar de seus grandes e lancinantes sofrimentos, quem sempre refugiava-se na comunhão com o seu Deus (Jó 19.25). Suas perdas eram grandes; aos olhos humanos, irreparáveis. Todavia, confiava ele nas providências de um Deus de quem era íntimo? ( ) Jó 8- Complete segundo Willard Cantelon: "Posso ____________________________ a perda de todas as coisas, ____________________ do ____________________ de Deus na minha vida". II. A ALMA HUMANA ANSEIA PELOS ÁTRIOS DE DEUS 9- Se o ser humano não é o resultado de um processo evolutivo, o que é então? ( ) É a plenitude de um ato criativo de Deus. 10- O que acontece se nos alongarmos do Criador? ( ) O vazio passa a ser a única realidade de nosso ser. 11- O que um reitor de uma universidade norte-americana respondeu a Billy Graham, certa vez, quando visitava esta universidade e lhe perguntou: "Qual o maior problema que o senhor enfrenta com os seus alunos"? ( ) "Vazio. Há um vazio muito grande de Deus em seus corações". 12- O que o homem faz buscando preencher o vazio de sua alma? ( ) Vagueia pelo álcool, transita pelas drogas e erra pelos devaneios da carne. 13- Complete: "Por que estás _______________________, ó minha alma? E por que te perturbas ______________________ de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei. Ele é a _____________________ da minha face e Deus meu" (Sl 43.5). 14- Quem, em O Peregrino, descreve a angústia da alma em sua jornada à Jerusalém Celeste. Quanto mais caminha, mais falta do Senhor vai sentindo até que, ao longe, avista a ditosa cidade, onde se encontra o amante de sua alma - Jesus Cristo? ( ) John Bunyan. III. O DEUS DE NOSSA COMUNHÃO 15- Por qual Deus deve ansiar a nossa alma? ( ) Pelo Deus único e verdadeiro que se revelou a si mesmo por intermédio de nosso Senhor JESUS CRISTO. 16- O que ensinam um grupo de teólogos modernos que menosprezam as Sagradas Escrituras? ( ) Que Deus na verdade é poderoso, mas não pode ser considerado Todo-Poderoso. ( ) "Fora Ele realmente poderoso e tudo soubesse, certamente evitaria as tragédias que tanto infelicitam a humanidade". 17- Pelo que os atos de DEUS são movidos? ( ) Pelo mais puro, elevado e sublime amor. 18- O que Lecionam alguns dos sectários do Teísmo Aberto? ( ) Que "Deus, às vezes, é incapaz de penetrar nos recônditos de nosso livre-arbítrio, por ser-lhe este um mistério". 19- Complete: Não será nenhuma "liberdade ______________" que haverá de _______________o nosso Deus de _______________ as mentes e corações (Ap 2.23). Salmos 139:1 SENHOR, tu me sondaste e me conheces. Salmos 139:23 Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos. Provérbios 21:2 Todo caminho do homem é reto aos seus olhos, mas o SENHOR sonda os corações. 20- Se Deus é amor, por que nos sobrevêm aflições, dores e perdas? ( ) Somente um Deus que é amor, poderia enviar o seu Unigênito para redimir-nos de nossos pecados (Jo 3.16; 1 Jo 4.8). ( ) Disse JESUS: "Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me" (Lc 9.23). 21- Complete: "Bem sei eu que tudo _______________, e nenhum dos teus ____________________________ pode ser _________________________________" (Jó 42.2). 22- Complete: Cristo jamais foi ___________________________ a negociar com ______________________; sua missão é clara. Veio Ele para _____________ as obras do Maligno, e foi exatamente isso que fez na cruz do Calvário (1 Jo 3.8). Nada devemos ao Adversário. Adoremos, pois a Cristo. Mantenhamos com Ele a mais doce e meiga das comunhões. Por esse Deus maravilhoso, anseia a nossa alma. CONCLUSÃO Em suas Confissões, demonstra ____________________________ um profundo e incontido anseio por Deus, o que diz, abrindo o coração e suspirando?: "Quem me dera descansar em ti! Quem me dera viesses ao meu coração e que o _________________________, para que eu me esqueça de minhas maldades e me _________________________ contigo, meu único bem". ------------------------------------------------------------------------------------------------------- AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO (Subsídio Devocional - CPAD)) "Princípios para uma espiritualidade sadia Além da necessidade de termos uma vida de oração, estudarmos a Palavra de Deus e reservarmos todos os dias um tempo para buscar ao Senhor e adorá-lo em espírito e em verdade, acredito ser indispensável observarmos os seguintes pontos para a implementação do equilíbrio espiritual. 1) Espiritualidade sadia só é possível se somos guiados pelo Espírito Santo (Rm 8.1,14). 2) Não há espiritualidade sadia dissociada da Palavra de Deus. Ela é a nossa única regra de fé e prática. Por isso, o discurso pode arrepiar você, provocar frenesi, fazer chover, etc, mas se os princípios de vida espiritual chocam-se com a Palavra de Deus, sua espiritualidade é qualquer coisa, menos sadia (Sl1; 119.107; Mt 7. 24-27; Jo 17.17). 3) Uma espiritualidade sadia se apóia em Cristo, nosso Alvo, Autor e Consumador da nossa fé (Fp 3.12-16; Hb 12.1-3) não em ícones humanos. Grandes homens só são exemplos enquanto seguirem a Cristo (1 Co 11.1; Gl 1.8,9). 4) Espiritualidade sadia não é definida por estatísticas grandiosas. Se fosse assim, o islamismo, que cresce avassaladoramente em todo o mundo, seria padrão de espiritualidade sadia. A verdadeira espiritualidade é caracterizada pelo fruto do Espírito, obras de justiça, segundo o Evangelho de Cristo (Mt 7.21-23) [...]" (DANIEL, Silas. Como vencer a frustração espiritual. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p.175.) BIBLIOGRAFIA SUGERIDA (CPAD) DANIEL, Silas. Como vencer a frustração espiritual. RJ: CPAD, 2006. WILKERSON, David. Faminto por mais de Jesus. 4.ed., RJ: CPAD, 1997. WHITE, James E. Abraçando o Deus misterioso. RJ: CPAD, 2007.SAIBA MAIS em Revista Ensinador Cristão, CPAD, no 34, p. 37. APLICAÇÃO PESSOAL (CPAD) "A minha alma está anelante e desfalece pelos átrios do SENHOR; o meu coração e a minha carne clamam pelo Deus vivo" (Sl 84.2). O verdadeiro anelo da alma do crente regenerado é Deus! O Senhor é o supremo bem pelo qual anseia o cristão. O intelecto do cientista deseja o conhecimento (Ec 1.2,18), mas o espírito a Deus (Sl 111.10). A natureza pecaminosa do hedonista aspira o prazer (Ec 2.1), porém sua alma clama pelo Deus Vivo (Sl 84.2). A engenhosidade dos construtores almeja novas invenções (Ec 2.4), todavia, seu espírito anseia por ser coluna no templo de Deus (Ap 3.12). Enfim, não há proveito nas grandes conquistas e realizações humanas, tudo é "vaidade e aflição de espírito" (Ec 4.16). O fim último é: "Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque este é o dever de todo homem" (Ec 12.13). Portanto, amemos ao Senhor de todo nosso entendimento e alma. SINOPSE DO TÓPICO (1) A comunhão com Deus é a intimidade que o crente possui com o Pai, mediante a obra redentora de Cristo e da ação do Espírito Santo. SINOPSE DO TÓPICO (2) Somente a presença de Deus no coração dos homens poderá preencher o vazio da alma humana. SINOPSE DO TÓPICO (3) O único e verdadeiro Deus pelo qual o ser do crente anela é o Senhor onisciente, onipresente, de amor e soberano. REFLEXÃO: "Certo é que não podes fruir duas alegrias: deleitar-te neste mundo e depois reinar com Cristo. Logo, tudo é vaidade, exceto amar a Deus e só a Ele servir." Ajuda: CPAD - www.cpad.com.br - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. www.escoladominical.com.br - www.ebdweb.com.br http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm (VÍDEOS da EBD na TV) BÍBLIA ILUMINA EM CD - Bíblia de Estudo NVI EM CD - Bíblia Thompson EM CD. Nosso novo endereço: http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/ (http://www1.uol.com.br/biblia/shema/viver.htm)

Assista mais em http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm

Nenhum comentário: