sexta-feira, 28 de maio de 2010

ESTUDOS DA LICAO 9 - ESPERANDO CONTRA A ESPERANCA

Licao 9 - Esperando CONTRA A ESPERAN�A
Licoes Biblicas Aluno - Jovens e Adultos - 2 � Trimestre de 2010
Jeremias - Esperanca em tempos de crise
COMENTARIOS da revista da CPAD: Pr. Claudionor de Andrade
Consultor Doutrin�rio e Teol�gico da CPAD: Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustra��es, videos e question�rios: Ev .. Luiz Henrique de Almeida Silva
TEXTO �ureo
"Porque H� Esperan�a Para a �rvore, que, se para Cortada, ainda se renovar�, E n�o cessar�o OS SEUS renovos" (J� 14.7).
VERDADE PR�TICA
Confia em O Que DEUS jamais Ser� subvertido Pelo Desespero, como em Meio crises, brotar� uma esperan�a.
LEITURA diaria
Segunda
J� 31,24
A Esperan�a do crente N�o Est� no ouro
Ter�a
Sl 39,7
A Esperan�a do crente em DEUS EST�
Quarta
Sl 65,5
DEUS � A Esperan�a De toda uma terra
Quinta
Pv 23,18
A Esperan�a do crente N�o Ser� frustrada
Sexta
Jr 14,8
DEUS � A Esperan�a n�o da ang�stia tempo
S�bado
Lm 3,26
� Bom ter Esperan�a
LEITURA EM CLASSE B�blica - Jeremias 30,7-11
7 Ah! Porqu� Aquele dia e grande Tao, Que N�o houve Outro Semelhante! E � tempo de ang�stia par�grafo Jac�; Ele, por�m, Ser� salvo dela.8 Porqu� Ser� Naquele dia, Diz o Senhor dos Ex�rcitos, eu quebrarei Que o Seu jugo de Pesco�o Sobre o TEU e quebrarei como ataduras Tuas, e Nunca Mais se servir�o Estranhos DELE OS, 9 Mas servir�o AO Senhor, Seu DEUS, tamb�m Como um Davi, Seu rei, Que lhes levantarei.10 N�o temas, pois, tu, Jac� servo meu, Diz o Senhor, te espantes nem, � Israel, eis PORQUE que te livrarei das terras de Longe, EA Tua descend�ncia, da terra do Seu cativeiro; e Jac� tornar�, e descansar�, e Ficara em Sossego, e Quem N�o haver� o atemorize.11 Porqu� eu sou contigo, Diz o Senhor, te salvar n. , porquanto FIM Darei como uma Todas Entre as Na��es Quais te espalhei; um ti, por�m, nao FIM Darei, Mas castigar-te-ei com Medida e, de todo, nao te Terei Por inocente.
COMENT�RIO - INTRODU��O
Palavra Chave: Esperan�a
Uma das virtudes da f� Crist� Fundamentos de, Atrav�s da Qual, o crente � motivado uma CRER EA Imposs�vel n�o vislumbrar um Inten��o divina nsa momentos Cr�ticos MAIS.
Reflex�o
"Esfor�ai-vos, e Ele fortalecer� o vosso Cora��o, TODOS OS vos esperais Que n�o senhor." Salmos 31,24
A terra de Jud� Achava-se uma Prestes subvertida ser. Desta vez, N�o se limitariam OS caldeus um LeVar OS juda�tas em cativeiro. Haveriam de DESTRU�R Tudo; Mais singela da Cidade � imponente Jerusal�m, terra Por tudo deitariam. At� o Santo Templo, Onde se Achava uma arca sagrada, pereceria. Como tribula��es dos Filhos de Abra�o terminariam a� n�o; Seu Futuro Apertos de s�ria e estreitezas. Nenhum final dos tempos, OS Seriam provados "judeus" de tal forma, Que o profeta chama Este Per�odo de um ?"Ang�stia de Jac�?".
N�o obstante, Jeremias Encontra For�as Esperan�as ter par. Que DEUS LHE Mostra, no porvir, olharia favoravelmente par�grafo Israel, transladando-o � terra SUA, e restabelecendo-o Como Na��o Soberana.
Com o profeta Jeremias, aprenderemos Hoje um contra CRER A pr�pria Esperan�a (Rm 4.18). DEUS Confia Aquele em que, Mesmo Que Venha uma Esperan�a e um Morrer LHE Seja ELA sepultada, ha de Gl�ria em ressurgir.
PALAVRA ... DO Senhor, V�io. Os caps. 30 33 profecias uma contempla��o da Restaura��o Respeito e Reden��o Futuras de Israel (o Reino do Norte) e de Jud� (o Reino do Sul). Como profecias de Jeremias incluem uma Restaura��o (num Futuro Pr�ximo) dos Judeus, voltariam Que fazer ex�lio em Babil�nia, Eventos e distantes, Relacionados com o Messias, n�o dos tempos FIM, QUANDO CRISTO reinar� Sobre o Seu povo.
TRAZER � TERRA. Jeremias Tinha boas not�cias Para os exilados: a promessa de Retorno A SUA p�tria e da reocupa��o da terra SUA. A promessa Foi Feita Tanto AO Reino do Norte (Israel) Quanto ao Reino do Sul (Jud�).
TEMPO DE Ang�stia PARA Jaco. Os vers�culos Que Seguem se uma frase ESTA revelam Que Jeremias EST� uma Falar da tribula��o futura do povo judeu "(cf. Is 2,12-21; Ez 30,3; Dn 9,27; Jl 1,15; 14.1-8,12-15 Zc; Mt 24,21). Nenhum meio dessa grande ang�stia, hum remanescente de Israel Ser� Salvo; Ser� liberto dos SEUS opressores (v. 8) para SERVIR um DEUS (v. 9). A ang�stia de Jac� terminar� Por ocasi�o da Vinda de CRISTO par�grafo estabelecer o Seu reino terra na (Ap 19,11-21; 20,4-6).
SEU REI DAVI. Aquele A quem servir� o povo E Jesus o Messias, o descendente de Davi (cf. Os 3,5; Ez 37.24,25). Jac� refere-se a Um remanescente justo de Israel e de Jud�; Vivera em paz e Seguran�a, e que se opunham Na��es Que DEUS um perseguiam e OS SEUS destru�das Serao servos (v. 11).
O QUE � A ESPERAN�A CONTRA Esperar:
QUANDO � um morre Esperan�a e se Entrega Tudo Na M�o de Deus, humanamente POIs N�o se Solu��o Mais dez, a Esperan�a Coisas NAS e acabaram Pessoas, t�o Agora resta confiar em DEUS.
CAIM E ABEL (Poderia Superar Abel Caim?)
ABRA�O E Isaque (Isaque N�o Poderia Ser morto?)
Esa� e Jaco (Poderia Jac� herdar o Direito de primogenitura?)
MOIS�S E OS HEBREUS (como sobreviver Poderiam Circunst�ncias ante?)
ISRAEL E SUA DESTRUI��O TOTAL (UM DIA EM FAR-SE-IA UMA NA��O?)
Hist�ria de Israel: Os Descendentes de Abra�o
A hist�ria de Israel Come�a com uma Alian�a de DEUS com Abra�o Aproximadamente em 2000 AC: "de ti farei Uma grande na��o" (G�nesis 12:2). O Nome "Israel" (Qual o Que Significa Um "Luta vitoriosamente com DEUS" ou "um pr�ncipe Que DEUS prevalece com") VEM fazer DEU DEUS Que um novo Nome Jac�, o neto de Abra�o, Quando em prevaleceu elemento em Uma Luta Espiritual Jac� Peniel (G�nesis 32:28). � Neste ponto Que OS descendentes de Abra�o, Isaque e Jac� S�o muitas Vezes mencionados Como os "Filhos de Israel".
Hist�ria de Israel: A sele��o de Uma Na��o especial
A hist�ria de Israel Ainda comecou Antes de 2000 AC. Na Verdade, a Sele��o de Israel Como Uma Na��o especial Foi Uma parte do Plano de DEUS Desde o In�cio dos tempos. A escolha de DEUS da Na��o de Israel Como o Seu "povo escolhido" n�o Foi Devido a qualquer tamanho, Natureza Especiais Atra��o ou. Na Verdade, a na��o de Israel Foi a de menor Todas N�MERO Entre as Na��es outras (Deuteron�mio 7:6-8). Pelo contr�rio, DEUS Escolheu ESTAS Pessoas POR CAUSA DE Seu enguias Por Amor e Por Causa de Sua Alian�a incondicional com Abra�o. Isso N�o Quer Dizer Que DEUS amava Mais do Que um Israel Os outros Povos; isso significava Apenas Queria Que Ele USAR Israel Como o Seu Meio de amar e aben�oar a todos. Foi o Plano de DEUS Desde o In�cio USAR Israel par�grafo TRAZER o Messias, o Qual Iria atuar Como o salvador de todo o Mundo.
Hist�ria de Israel: O Registro B�blico
A hist�ria de Israel, conforme descrita nd B�blia, Abrange Cerca de 1.800 anos. Ela proclama��o Uma narrativa din�mica dos Milagres, julgamentos, Promessas e b�n��os de DEUS. Israel Come�a Como Uma promessa unilateral um Homem um, Abra�o. Por Mais de 400 anos, Abra�o e descendentes SEUS promessa Dessa dependem, Mesmo UM Durante Per�odo Significativo de escravid�o n�o Egito. milagrosos Em seguida, Por meio de Uma s�rie acontecimentos Incr�veis, OS israelitas do Egito liberta DEUS n�o �xodo (em hebraico: "saida"). O �xodo � um Que Ocasi�o uma maioria dos "judeus" Como enxergam uma Funda��o da Na��o de Israel. O �xodo � o ato de Liberta��o Que habita no Cora��o dos israelitas Como Uma Demonstra��o do amor de DEUS e da PROTE��O de Israel. Uma Vez Que o �xodo Foi completado, Estabeleceu DEUS Uma Alian�a COM OS condicional israelitas n�o monte Sinai. Foi l� Que DEUS proclamou um Sua Lei (os Dez Mandamentos). Foi l� par�grafo b�n��os Prometeu Que DEUS OS obedecem Que um Sua Lei e maldi��es Para os Que desobedecem um. O resto da hist�ria de Israel Como Registrada nd B�blia � UM ciclo Cont�nuo de B�n��o (pela obedi�ncia de Israel) e castigo (pela Desobedi�ncia � Lei de DEUS). Durante OS tempos de Vit�ria e Derrota, o rei e ju�zes OS, OS Sacerdotes e Profetas, restaura��o e ex�lio - os israelitas S�o aben�oados obedecem QUANDO DEUS e uma disciplinados obedecem N�o QUANDO O. Como Na��o, Israel Foi destru�da Pelos romanos em 70 DC. Naquele tempo, OS "judeus" se espalharam Pelo Mundo todo, Mantendo uma Esperan�a POR CAUSA das Promessas prof�ticas de hum eventual Retorno � terra Que DEUS DEU um Israel. Em 1948, DEPOIS de Quase 1900 anos, Israel Novamente Foi declarada Uma Na��o soberana e Oficialmente restabelecida na Terra Prometida. Atrav�s de Eventos Uma s�rie de miraculosos, Incluindo OS "judeus" Retomando uma legi�o de Jerusal�m em 1967, Gera��o ESTA EST� testemunhando o Cumprimento da Profecia Que Diz Respeito a na��o especial de DEUS.
Hist�ria de Israel: O Grande Prop�sito de DEUS
Por Que � TANTO QUE SE centraliza��o da B�blia na Hist�ria de Israel e n�o do povo Seu Futuro? Por que Uma Na��o Foi escolhida Como o "povo escolhido de Deus"? Est�s Perguntas respondidas S�o QUANDO examinamos o Grande Prop�sito de DEUS par�grafo Israel. QUANDO DEUS fez uma promessa incondicional de um Abra�o Que Ele faria de SEUS descendentes Uma Grande Na��o, DEUS Tamb�m Todas Prometeu aben�oar como Pessoas Atrav�s Dessa Na��o (G�nesis 12:1-3). Portanto, Israel Nunca Foi considerado o �nico Recipiente das b�n��os de Deus, Mas sim de UM canal de Distribui��o das b�n��os de DEUS um par�grafo Toda Humanidade. Os milagres de DEUS par�grafo Israel, Assim como a SUA Dram�tica Liberta��o do Egito, Destinados N�o t�o Foram Para os pr�prios israelitas, Mas como Prova do Poder absoluto e singularidade de DEUS UM par�grafo Mundo polite�sta Que assistia o Que estava com uma Acontecer a na��o de Israel (�xodo 07:05, 14:18, Josu� 2:09 -11). Sempre Foi a Inten��o de DEUS Que o Messias Que viesse Atrav�s da Na��o de Israel Fosse o Salvador de Toda uma humanidade (Isa�as 49:6). O Antigo Testamento Cont�m Tamb�m Para muitos convites para qu� todo o Mundo viesse em Israel adorar o DEUS �nico (Salmo 2:10-12; 117:1).

Devido a acontecimentos Recentes na Terra Santa, � Claro Que uma promessa de DEUS EST� uma Abra�o Ainda Sendo cumprida. Assim, a promessa de DEUS aben�oar n � de Todos os Povos Atrav�s de Israel Ainda e absolutamente evidente. O ensino, a morte EA ressurrei��o de JESUS CRISTO, crescimento de �xido de etileno e influ�ncia de Sua Igreja, Poss�veis Foram Atrav�s da escolha de DEUS de Israel Como o Seu povo. Todas de Pessoas Que aceitam Jesus Como o Seu Messias, Seja ESSA Pessoa hum Gentio UM OU Judeu, recebem Grandes b�n��os de DEUS Por meio de Seu povo escolhido, a na��o de Israel.
ISRAEL NO PLANO DIVINO PARA A Salva��o
Rm 9.6 "N�o que A Palavra de DEUS Haja faltado, PORQUE OS Nem Todos Que S�o de Israel S�o israelitas".

INTRODU��O. Em Rm 9-11, Paulo Trata da elei��o de Israel No passado, da SUA rejei��o do Evangelho n�o presente, e da SUA Salva��o futura. Esses Tr�s Escritos Foram cap�tulos par�grafo responder � Pergunta Que OS crentes judaicos faziam: como como DEUS Promessas de um Abra�o e � Na��o de Israel poderiam permanecer v�lidas, Quando a na��o de Israel, todo hum como, N�o Parece ter nenhuma parte o evangelho? O presente estudo retomar O argumento de Paulo.

S�NTESE. HA Tr�s Elementos Distintos n�o Que Exame Paulo Faz de Israel No plano divino da Salva��o.
(1) O Primeiro (9,6-29) e Um Exame da elei��o de Israel sem Passado. (A) Em 9,6-13, Paulo afirma que A promessa de uma Israel DEUS N�o falhou, POIs era uma promessa t�o Para os Fi�is da na��o. Visava Somente o Verdadeiro Israel, aqueles ERAM Que Fi�is � promessa (ver Gn 12,1-3; 17,19). Sempre H� UM Israel Dentro de Israel, recebido Tem que uma promessa. (B) Em 9,14-29, Paulo TEM chama uma Nossa Aten��o Para o Fato de Que DEUS o Direito de Fazer o Que Ele Quer COM OS como indiv�duos e Na��es. Tem o Direito de rejeitar um Estado de Israel, se desobedecerem uma Ele EO Direito de Miseric�rdia de USAR OS n. tios com, oferecendo-lhes uma Salva��o, se assim Ele Decidir.
(2) O segundo elemento (9,30-10,21) Analisa uma rejei��o do Evangelho Por PRESENTE Israel. Seu Erro de N�o voltar-se par CRISTO, nao se DEVE UM um decreto incondicional de DEUS, Mas A Sua Pr�pria incredulidade e Desobedi�ncia vers�o (10.3).
(3) Finalmente, explica Paulo (11,1-36) que a rejei��o de Israel e parcial Apenas e temporaria. Israel por fim aceitar� uma Salva��o em CRISTO divina. O argumento V�rios Passos Cont�m DELE. (A) DEUS N�o rejeitou o Israel Verdadeiro, POIs permaneceu Ele sente ao "remanescente" Permanece Que sentir Ele, Aceitando a Cristo (11,1-6). (B) No presente, DEUS endureceu um Maior parte de Israel, israelitas SO PORQUE N�o quiseram aceitar a Cristo (11,7-10; cf. 9,31-10,21). (C) DEUS transformou uma transgress�o de Israel (ie, uma crucifica��o de CRISTO) NUMA Oportunidade de proclamar uma Salva��o um todo o mundo (11.11,12, 15). (D) Durante esse tempo PRESENTE da incredulidade nacional de Israel, a Salva��o de indiv�duos, Tanto OS "judeus" Como OS tios (cf. 10.12,13) Depende da f� em JESUS CRISTO (11,13-24). (E) A f� em JESUS CRISTO, Por Uma parte do Israel nacional, acontecer� sem futuro (11,25-29). (F) O Prop�sito sincero de DEUS � ter Miseric�rdia de Todos, Tanto dos "judeus" Como dos tios, e n�o Incluir Todas Seu reino como Pessoas Que Creem em CRISTO (11,30-36; cf. 10.12,13; 11,20-24).

PERSPECTIVA. V�rias Coisas se destacam Nestes cap�tulos de Tr�s.
(1) Esse Exame da Condi��o de Israel, comunique N�o se A Vida ou Morte eterna Ap�s indiv�duos de uma morte. Pelo contr�rio, Paulo tratando EST� fazer Povos MoDo Como lida com DEUS Na��es e do Ponto de vista hist�rico, isto �, do Seu Direito de Povos e Na��es USAR conforme Quer Ele. Por exemplo, SUA escolha de Jac� em Lugar de Seu Irm�o Esa� (9.11) TeVe Como Fundar Prop�sito e como USAR Na��es de Israel e de Edom, oriundas dos Dois. Tinha Nada Que ver com Seu Destino eterno, ou seja, Quanto a SUA Salva��o OU Como indiv�duos condena��o. Uma Coisa � Certa: DEUS TEM O Direito como Chamar de Pessoas e das Na��es Que Quiser Ele, e determinar-lhes uma RESPONSABILIDADES Cumprir.
(2) Paulo Expressa SUA solicitude constante e Intensa tristeza Pela Na��o judaica (9,1-3). O pr�prio Fato Que Paulo ora para qu� SEUS compatriotas Sejam salvos, revela Que Ele N�o admitia o ensino teol�gico da predestina��o, afirmando Todas Pessoas Que J� como nascem os predestinadas, OU C�u o Par�, OU o inferno para. Pelo contr�rio, o sincero Desejo e Ora��o de Paulo reflete uma Vontade de DEUS Para o povo judaico (cf. 10,21; ver Lc 19,41, chorando Sobre JESUS POR CAUSA de Israel ter rejeitado o Caminho Divino da Salva��o). Nenhum NT N�o se Encontra o ensino de Pessoas Que Em determinadas Foram predestinadas AO inferno Antes de nascer.
(3) mais relevante Neste O Assunto � o tema da f�. O Espiritual estado de perdido, dos israelitas da maioria, nao f�runs Determinado Por hum decreto arbitr�rio de DEUS, mas, Resultado da SUA Pr�pria Recusa de se submeterem AO Plano Divino da Salva��o Mediante uma f� em CRISTO (9.33; 10,3; 11,20). In�meros tios, por�m, aceitaram o Caminho de Deus, Que � o da f�, e alcan�aram uma Justi�a Mediante uma f�. Obedeceram uma f� Pela DEUS e se tornaram "Filhos do DEUS vivo" (9.25,26). Esse fato ressalta um Import�ncia da obedi�ncia Mediante uma f� (1.5; 16,26) no tocante � Chamada e elei��o da parte de DEUS.
(4) Oportunidade de Salva��o EST� perante a na��o de Israel, SE ELA Estou te entregando SUA incredulidade (11.23). Semelhantemente, OS crentes tios Agora Que S�o parte da Igreja de S�o advertidos de DEUS correm Tamb�m Que o Mesmo Risco de serem cortados da Salva��o (11,13-22). eles sempre devem perseverar nd temor com f�. A Advertencia EAo crentes em tios 11,20-23, Pelo Fato da falha de Israel, � T�o valida Quanto Hoje Foi o dia em qualquer um Que Escreveu Paulo.
(5) Escrituras Est�o os repletas de Promessas de Uma Futura Restaura��o de Israel AO aceitarem o Messias. Tal Restaura��o tera Lugar AO findar-se uma Grande Tribula��o, Na imin�ncia da Volta Pessoal de CRISTO (ver Is 11,10-12; 24,17-23; 49.22,23; Jr 31,31-34; Ez 37,12-14; Rm 11,26; Ap 12.6) .
O TEMPLO DE SALOM�O
2cr 5.1 "Assim, se Acabou par�grafo Toda a obra Que Salom�o fez uma Casa do senhor; Salom�o, ent�o Trouxe As coisas consagradas de Davi, Seu pai, um prata, �xido de etileno ouro, e de Todos os utens�lios, e po-los Entre os Tesouros da Casa de DEUS ".

HIST�RIA DO TEMPLO.
(1) O precursor do Templo Foi o Tabern�culo, a tenda construida Pelos israelitas acampados Enquanto no deserto, Junto AO monte Sinai (�x 25-27, 30, 36-38; 39,32-40,33). Ap�s entrarem nd terra Prometida de Cana�, conservaram esse m�s Santu�rio M�vel At� os tempos do rei Salom�o. Durante os anos Primeiros fazer Deste Reinado contratou, elemento milhares de Pessoas nd trabalharem par�grafo Constru��o do Templo do Senhor (1RS 5,13-18). N Seu reinado do quarto ano, OS Foram Postos alicerces; sete anos Mais tarde, o Templo Foi Terminado (1RS 6.37,38). O culto AO Senhor, e, especialmente, sacrif�cios oferecidos um OS Ele, Lugar Tinham UM Preciso �gora na Cidade de Jerusal�m.
(2) Durante a Monarquia, o Templo Passou Por V�rios ciclos de profana��o e Restaura��o. Foi saqueado Por Sisaque do Egito Durante o reinado de Robo�o (12.9) e Foi Restaurado Pelo rei Asa (15.8, 18). DEPOIS Doutro Per�odo de e idolatria de Decl�nio Espiritual, o rei Josias fez reparos "OS NA Casa do Senhor (24,4-14). Posteriormente, o rei Acaz removeu dos Ornamentos parte do Templo, cerrou enviou-os AO rei da Assiria Como Meio de apaziguamento Pol�tico e como Portas do Templo (28,21, 24). Seu Filho, Ezequias, voltou Abrir uma consertar, e purificar o Templo (29,1-19), mas esse m�s Foi profanado de novo Herdeiro Seu pelo, Manass�s (33,1-7). O neto de Manass�s, Josias, Foi o ultimo rei de Jud� Que n�o fez reparos "Templo (34.1, 8-13). A idolatria continuou Entre SEUS sucessores, e permitiu Finalmente DEUS Que o rei Nabucodonosor de Babil�nia
TOTALMENTE destru�sse o Templo em 586 a.C. (2RS 25,13-17; 2cr 36.18,19).
(3) Cinq�enta anos Mais tarde, o rei Ciro autorizou o Regresso dos "judeus de Babil�nia Para a Palestina EA Reconstru��o do Templo (Ed 1.1-4). Zorobabel dirigiu obras como da Reconstru��o (Ed 3,8), mas um solu�o OPOSI��O dos habitantes daquela Regi�o (Ed 4,1-4). DEPOIS DE Uma pausa de dez anos de UO Mais, o povo Foi um Autorizado Reiniciar como obras (Ed 4,24-5,2), e em breve o Templo completado Foi e Dedicado (Ed 6,14-18). N era da In�cio do NT, o rei Herodes investiu tempo e Muito Dinheiro NA Reconstru��o e embelezamento de UM segundo Templo (Jo 2,20). Este Foi o Templo Que JESUS Duas purificou em ocasi�es (ver Mt 21.12,13; Jo 2,13-21). Em 70 dC, no entanto, DEPOIS DE Frequentes rebeli�es dos judeus "contra a Romanas Autoridades, o Templo de Jerusal�m eA Cidade, Mais Uma Vez Foram arrasados, smile Ent�o eu em ru�nas.

O SIGNIFICADO DO TEMPLO PARA OS ISRAELITAS. Aspectos Sob Para muitos, o Templo Tinha o Mesmo Significado Para os israelitas que A Cidade de Jerusal�m.
(1) Simbolizava EA PROTE��O A presen�a do Senhor DEUS Entre o Seu povo (cf. Ex 25,8; 29,43-46). QUANDO Ele Foi Dedicado, desceu do C�u EO DEUS encheu SUA da Gl�ria (7.1,2; cf. �x 40,34-38), e Prometeu o Que poria tudo Seu Nome (6,20, 33). Por isso, Quando o povo de DEUS Queria orar AO Senhor, Podia faz�-lo, voltado em Dire��o AO Templo (6,24, 26, 29, 32), e DEUS o ouviria "desde o Seu Templo" (Sl 18.6). (2) Tamb�m O Templo representava uma Reden��o de DEUS par com o Seu povo. Dois atos Lugar Tinham ali Importantes: OS sacrif�cios Di�rios Pelo Pecado, no altar de bronze (cf. Nm 28,1-8; 2cr 4.1) EO Dia da Expia��o QUANDO, ent�o, o sumo sacerdote entrava n�o Sant�ssimo Lugar a Fim de Sangue aspergir n�o propiciat�rio Sobre a arca n Pecados expiar OS do povo (cf. Lv 16; 1RS 6,19-28; 8,6-9; 1CR 28.11). Essas cerim�nias do Templo relembravam EAo israelitas o alto da PRE�O SUA Reden��o e reconcilia��o com DEUS. (3) Em tempo da hist�ria Algum do povo de DEUS, houve Mais de Uma morada f�sica OU habita��o de DEUS. Isso demonstrava Que H� UM DEUS t�o - o Senhor Jeov�, o dos israelitas DEUS, segundo o concerto. (4) Todavia, o Templo N�o oferecia nenhuma Garantia absoluta da PRESEN�A DE DEUS, simbolizava uma PRESEN�A DE DEUS Somente enquanto o povo rejeitasse Todos Os demais deuses e obedecesse � santa lei de DEUS. Miqu�ias, por exemplo, verberava contra OS Lideres do povo de DEUS, SUA Por viol�ncia e materialismo, OS Quais AO Mesmo tempo, sentiam-se mal Seguros de softwares antigos Que lhes sobreviria enquanto possu�ssem o S�mbolo da PRESEN�A DE DEUS entre eles: o Templo ( Mq 3,9-12); profetizou Que DEUS COM OS castigaria uma destrui��o de Jerusal�m e do Templo SEU. Posteriormente, Jeremias repreendeu OS id�latras de Jud�, PORQUE se consolavam Mediante um constante Repeti��o das palavras: "Templo do Senhor, Templo do Senhor, Templo do senhor Este �" (Jr 7,2-4, 8-12). POR CAUSA DE SUA Conduta �mpia, DEUS destruiria o S�mbolo da SUA Presen�a - o Templo (Jr 7.14,15). DEUS At� Mesmo um Jeremias Disse Que N�o adiantava elemento orar Por Jud�, PORQUE Ele N�o o atenderia (Jr 7.16). A �nica Esperan�a deles era endireitar OS SEUS Caminhos (Jr 7,5-7).

O SIGNIFICADO DO TEMPLO PARA A IGREJA CRISTA. A Import�ncia do Templo n�o NT considerada Ser DEVE nenhum contexto daquilo Que o Templo simbolizava n�o AT.
(1) O Pr�prio JESUS, SO ASSIM COMO Profetas do AT, censurou o USO indevido do Templo. Seu Primeiro grande ato P�blico (Jo 2,13-17) EO Seu �ltimo (Mt 21.12,13) Foram expulsar do Templo Que Estavam aqueles pervertendo o Seu Verdadeiro Prop�sito Espiritual (ver Lc 19,45). Passou a predizer o dia em Que o Templo s�ria Completamente destru�do (Mt 24.1,2; Mc 13.1,2; Lc 21.5,6).
(2) A Igreja primitiva em Jerusal�m estava Freq�entemente n�o Templo A Hora da Ora��o (At 2,46; 3.1, 5.21, 42). Assim faziam segundo o costume, Sabendo, contudo, esse m�s Que N�o era o �nico Lugar Onde OS crentes podiam orar (ver Na 4,23-31). Est�v�o, e posteriormente Paulo, testemunharam o Que DEUS vivo confinado N�o Poderia Ser um hum Templo Feito Por M�os Humanas (At 7,48-50; 17,24).
(3) A �nfase do culto, crist�os OS Par�, transferiu-se do Templo n o pr�prio JESUS CRISTO. � Ele, E n�o o Templo, agora Quem representantes A presen�a de DEUS Entre o Seu povo. Ele � o Verbo de DEUS Que se fez carne (Jo 1,14) e Toda Nele habita a plenitude de DEUS (Cl 2.9). O pr�prio Jesus declara o pr�prio Ser. Ele Templo (Jo 2,19-22).
Mediante o Seu Sacrif�cio nd cruz, Ele cumpriu TODOS ERAM OS Que sacrif�cios oferecidos n�o Templo (cf. Hb 9,1-10,18). Nota Tamb�m Que Na Sua fala � mulher samaritana, Jesus declarou que A Adora��o Dentro em breve Realizada s�ria, Num. N�o Pr�dio Espec�fico, mas "Em verdade e em Esp�rito", ou seja, Onde Pessoas como cressem verdadeiramente NA Verdade da Palavra de DEUS e recebessem O Esp�rito de DEUS Por meio de CRISTO (ver Jo 4.23).
(4) que Posto JESUS CRISTO personificou em si Mesmo O significado do Templo, e posto que A Igreja � o Seu Corpo (Rm12.5; 1 Cor�ntios 12,12-27; Ef 1.22,23; Cl 1.18), Ela � denominada "o Templo de Deus ", Onde habita CRISTO EO Seu ESP�RITO (1Co 3,16; 2 Co 6,16 cf. Ef 2.21,22). Mediante o Seu Esp�rito, habita CRISTO NA SUA Igreja, e express�o � uma excep��o Que o Seu Corpo Seja santo. Como Assim n�o AT, DEUS N�o tolerava qualquer profana��o do Templo SEU, assim Tamb�m Que Ele promete destruir� Quem DESTRU�R A SUA Igreja (ver 1CR 3.16,17), para Exemplos de Corrup��o e destrui��o da Igreja Pessoas por.
(5) O ESP�RITO SANTO N�o Somente Habita na Igreja, Mas Tamb�m n�o crente Individualmente Seu Templo como (1Co 6.19). Da�, a B�blia advertir enfaticamente contra qualquer Contamina��o do Corpo Humano Por impureza OU imoralidade (ver 1 Cor�ntios 6.18,19).
(6) Finalmente, note Que N�o H� UM Necessidade de Templo NA Nova Jerusal�m (Ap 21,22). A raz�o disso � evidente. O Templo era Apenas UM S�mbolo da PRESEN�A DE DEUS Entre o Seu povo, E n�o uma Realidade Plena. Portanto, o Templo N�o Ser� Necess�rio QUANDO DEUS EO Cordeiro estiverem habitando Entre o povo Seu: "� o Seu Templo o Senhor, DEUS Todo Poderoso, EO Cordeiro" (Ap 21,22).
A GRANDE TRIBULA��O
Mt 24,21. "Porque haver�, ent�o, grande afli��o, Como Nunca houve Desde o Princ�pio do Mundo �gora at�, Nem tampouco haver� jamais."

Come�ando com 24.15, JESUS Trata de Sinais Especiais Que ocorrer�o Durante a grande tribula��o (As express�es "grande afli��o", de 24,21, e "grande tribula��o", de Ap 7.14, S�o id�nticas n�o Grego). Tais indicam Sinais dos tempos O Que FIM EST� Muito Pr�ximo (24,15-29). S�o Sinais conducentes �, e Indicadores da volta de CRISTO � terra, DEPOIS da tribula��o (24.30,31; cf. Ap 19,11-20,4).
Desses Maior O Sinais e "a abomina��o da desola��o" (24.15), Fato Espec�fico UM e Vis�vel, Que adverte OS Fi�is vivos Durante a grande tribula��o de que A Vinda de CRISTO EST� � terra uma Prestes ocorrer. Esse Evento-sinal, Vis�vel, relaciona-se com Primeiramente uma profana��o do Templo judaico daqueles dias em Jerusal�m, Pelo Anticristo (ver Dn 9,27; 1Jo 2.18). O Anticristo, tamb�m o chamado Homem do Pecado, colocar� delegados imagem Uma Mesmo no Templo de Deus, Ele Mesmo declarando Ser Deus (2Ts 2.3,4; Ap 13.14,15). Seguem-se fatos salientes A respeito Desse Evento cr�tico.
(1) A "desola��o da abomina��o" Marcara O In�cio da etapa final da tribula��o, Que culmina com uma volta de CRISTO � terra EO Julgamento dos �mpios em Armagedom (24.21,29,30; ver Dn 9,27; Ap 19,11-21).
(2) Se os Santos da tribula��o atentarem n � tempo o fator Desse Evento ("Quando, pois, virdes", 24.15), poder�o saber com Bastante Aproxima��o QUANDO terminar� uma tribula��o, �poca Em que CRISTO voltar� � terra (ver 24,33). O decurso de tempo Entre Esse Evento EO FIM dos tempos � mencionado Quatro Vezes NAS Escrituras Como Sendo Tr�s anos e UO Meio 1.260 dias (ver Dn 9,25-27; Ap 11.1,2; 12,6; 13,5-7). Por Causa da grande expectativa da volta de CRISTO (24,33), os santos daqueles dias devem acautelar-se Quanto a informes afirmando Que CRISTO voltou j�. Tais informes falsos Serao (24,23-26). A "Vinda do Filho do Homem" depois da tribula��o Vis�vel Ser� conhecida e de Todos os Que n�o viverem mundo (24,27-30; Ap 1.7). Que ocorrer� Outro sinal, ent�o, Ser� o dos falsos Profetas Que, um Servi�o de satanas, Fara� "Grandes Sinais e Prodigios" (24,24).
(1) Jesus admoesta um SO Todos os crentes estarem Especialmente um Alerta Esses par�grafo discernir Profetas, mestres e pregadores, Que se declaram crist�os falsos sendo, por�m apesar disso, operam milagres, curas, sinais e Maravilhas e Que demonstram ter grande Sucesso nsa Minist�rios SEUS . Ao tempo Mesmo torcer�o, e rejeitar�o A Verdade da Palavra de DEUS (ver 7,22; Gl 1.9).
(2) Noutra parte, como OS Escrituras admoestam os crentes uma testarem semper o Esp�rito Que Atua nsa Mestres, l�deres e pregadores (ver 1Jo 4.1). Permite, DEUS o engano acompanhado de milagres, a Fim de testar OS crentes n�o tocante AO Seu Ele Por Amor e Lealdade SUA Sagradas Escrituras �s (Dt 13,3). Dif�ceis Serao dias, POIs JESUS em declara��es 24,24, Que Naqueles ultimos tempos o engano religioso Ser� T�o generalizado Que Sera Dif�cil At� Mesmo n "os Escolhidos" (ou seja, OS crentes Dedicados) discernirem Entre a Verdade EO Erro (ver 1Tm 4,16; Tg 1,21 ).
(3) Quem Entre o povo de DEUS N�o amar A Verdade Ser� enganado. N�o tera Mais Oportunidade de CRER NA Verdade do Evangelho, Depois do Surgimento do Anticristo (ver 2Ts 2.11).
Finalmente, a "grande tribula��o UM" Ser� Per�odo Espec�fico de terr�vel tribula��o e Sofrimento Para Todos Que terra nd viverem. Observe:
(1) Ser� de �mbito Mundial (ver Ap 3.10). (2) Ser� o tempo Pior de afli��o e ang�stia Que J� Ocorreu na Hist�ria da humanidade (Dn 12,1; Mt 24,21). (3) tempo de UM Ser� terr�vel de Sofrimento Para os "judeus" (Jr 30,5-7). (4) O per�odo Ser� controlado pelo "Homem do Pecado" (ie, o Anticristo, cf. Dn 9,27; Ap 13,12). (5) Os Fi�is da Igreja de CRISTO recebem uma promessa de livramento e "escape" dos tempos da tribula��o (ver Lc 21,36; 1TS 5,8-10; Ap 3.10). (6) Durante o per�odo da tribula��o, Para muitos judeus "OS Entre tios e crer�o em JESUS CRISTO e serao salvos (Dt 4.30,31; Os 5,15; Ap 7,9-17; 14.6,7). (7) Ser� tempo de hum grande Sofrimento e de persegui��o pavorosa Para Todos permanecerem Quantos Fi�is um DEUS (Ap 12,17; 13,15). (8) Ser� hum tempo de ira de DEUS e de Seu Ju�zo �mpios contra os (1TS 5,1-11; Ap 6.16,17). (9) A DECLARA��O DE JESUS De que abreviados aqueles dias Serao (24,22) n�o Pressup�e uma Redu��o dos Tr�s anos e meio, OU 1260 preditos dias. Pelo contr�rio, parece indicar o Per�odo Que � T�o terr�vel Que se N�o Fosse Curta Dura��o de uma totalidade da ra�a humana s�ria destru�da. (10) A grande tribula��o terminar� QUANDO JESUS vier em Gl�ria CRISTO, COM SUA noiva (Ap 19.7,8,14), para efetuar o livramento dos Fi�is remanescentes EO Ju�zo e destrui��o dos �mpios (Ez 20,34-38; Mt 24,29-31; Lc 19,11-27; Ap 19,11-21). (11) N�o devemos confundir ESSA fase da Vinda de Jesus, nenhum grande tribula��o da FIM, COM A SUA imprevista Descida do C�u, em 24,42-44 (ver Notas sobre Estes vers�culos, Que tratam da Vinda de JESUS, NA SUA fase do arrebatamento dos crentes), um n�me qua ocorrer� Momento Diferente do final da Volta SUA, n�o da tribula��o FIM. (12) O trecho principal das Escrituras Que descrev� uma totalidade da tribula��o de sete anos de Dura��o � Encontrado em Ap 6-18.
O PER�ODO DO Anticristo
2Ts 2.3,4 "Ningu�m, de MANEIRA Alguma, vos engane, PORQUE N�o Ser� assim sem Venha Antes Que uma apostasia e se manifeste o Homem do Pecado, o Filho da perdi��o, o Qual se op�e e se Levanta contra Tudo o Que se chama DEUS OU se adora; de sorte Que se assentar�, DEUS como, nenhum templo de DEUS, DEUS Parecer Querendo ".

Segundo a B�blia, ESTA n vir o Anticristo (cf. 1Jo 2,18), Aquele Que trama o derradeiro Ataque furioso de satanas contra CRISTO e os Santos, pouco Antes do tempo em Que Nosso Senhor JESUS CRISTO estabelecer� o Seu reino terra na. As express�es que A B�blia E.U.A. Para o Anticristo s�o "o Homem de Pecado" e "O filho da perdi��o" (2.3). Outras Express�es usadas nd B�blia s�o "uma besta Que sobe do mar" (Ap 13,1-10), a "besta de cor Escarlate" (Ap 17.3) e "a besta" (Ap 17.8, 16; 19.19,20, 20,10).

SINAIS DA VINDA DO Anticristo. Diferente do arrebatamento da Igreja, a Vinda do Anticristo N�o ocorrer� Sinais precursores sem. Pelo Menos Tr�s Eventos dever�o ocorrer pingos DELE Surgir terra na: (1) o "Mist�rio da injusti�a" J� Que a �pera n�o Mundo, Deverra intensificar-se (2.7), (2) vira uma apostasia "(2.3) e (3) "Que hum, agora," resiste, AFASTADO Ser DEVE (2,7). (1) O "Mist�rio da injusti�a", ie, a atividade secreta dos Poderes do mal, ora evidente n�o Mundo Inteiro (vers�o 2.7), aumentar� Seu alcan�ar At� Ponto M�ximo nd total zombaria e desprezo qualquer um Padr�o OU preceito b�blicos. Por Causa do predom�nio da Iniq�idade, o amor de Para muitos esfriar� (Mt 24,10-12; Lc 18,8). assim mesmo, remanescente UM sentir permanecer� leal � f� apost�lica conforme revelada nenhuma NT (Mt 24,13; 25,10; Lc 18,7; ver Ap 2.7). Desses Meio Por Fi�is, a Igreja permanecer� batalhando e manejando uma espada do Esp�rito At� Ser arrebatada (ver Ef 6.11). (2) Ocorrer� uma apostasia "(gr. apostasia), que literalmente''Significa" desvio "afastamento''," Abandono''(2.3). Nos �ltimos dias, hum grande numero de Pessoas da Igreja apartar-se-� da Verdade B�blica. (A) Tanto o ap�stolo Paulo Quanto UM CRISTO revelam Dif�cil Quadro da Condi��o de grande parte da Igreja - moral e espiritual doutrinariamente - � Medida Que Chega uma �poca PRESENTE AO FIM Seu (cf. Mt 24.5, 10-13, 24; 1Tm 4.1; 2Tm 4.3,4). Paulo, principalmente, ressalta Que nsa Elementos Ultimos dias �mpios ingressar�o NAS Igrejas em geral.
(B) Essa "apostasia" dentro da Igreja tera Duas Dimens�es. (I) A apostasia teol�gica, Que � o desvio de parte dos Ensinos OU totalidade de CRISTO e dos ap�stolos UO, a rejei��o deles (1Tm 4.1; 2 Tm 4.3). Os falsos Dirigentes apresentar�o Uma F�cil Salva��o e Uma Gra�a divina sem valor desprezando, como Exig�ncias de CRISTO Quanto ao arrependimento, � Separa��o da imoralidade, e � Lealdade um DEUS e SEUS Padr�es (2Pe 2.1-3,12-19). Os falsos evangelhos, voltados um Interesses Humanos, Necessidades e alvos ego�stas, gozar�o de Popularidade). (Ii) A apostasia moral, Que � o Abandono da Comunh�o salv�fica com CRISTO EO envolvimento com o Pecado imoralidade ea. Esses ap�statas poder�o At� anunciar uma s� doutrina b�blica, e nada Mesmo assim OS com Terem Padr�es morais de DEUS (Is 29,13; Mt 23,25-28). Muitas Igrejas permitir�o Quase Tudo Para muitos Terem MEMBROS, Dinheiro, sucesso e prest�gio (ver 1Tm 4.1). O Evangelho da cruz, com o desafio de Sofrer Por CRISTO (Fp 1.29), de renunciar todo Pecado (Rm 8.13), de sacrificar-se Pelo Reino de DEUS e de renunciar a SI Mesmo Ser� Algo raro (Mt 24,12; 2Tm 3,1 5, 4.3). (c) Tanto uma Igreja da hist�ria, Como uma apostasia predita Para os Ultimos Dias, advertem um todo crente N�o pressupor um Que o Progresso do reino de DEUS � infal�vel Na Sua Continuidade, no decurso de Todas �pocas e como At� o FIM. Em Determinado Momento da hist�ria da Igreja, a Rebeli�o contra DEUS e Sua Palavra assumir� propor��es espantosas. No dia do Senhor, Caira uma ira de DEUS contra rejeitarem OS Que A Verdade SUA (1TS 5,2-9).
(D) O triunfo final do reino de DEUS e Sua Justi�a No mundo, portanto, nao Depende do Professa Aumento gradual da Igreja, Mas Interven��o da final de DEUS, QUANDO Ele se manifestar� com AO Mundo Justo Ju�zo (Ap 19-22 ver; 2Ts 2.7,8; 1Tm 4.1; 2Pe 3,10-13; Jd). (3) Um Evento determinante Deverra ocorrer pingos Aparecimento fa�o "Homem do Pecado" e do Dia do Senhor Come�ar (2.2,3), que � uma saida de Algu�m (2.7) ou de Algo, det�m "que", resiste, OU refreia o "Mist�rio da injusti�a" EO "Homem do Pecado" (2,3-7). QUANDO restringidor o do "Homem do Pecado''para Retirado, ent�o podera Come�ar o Dia do Senhor (2.6,7).
(A) O Que Superuser o det�m, sem d�vida, Uma Refer�ncia AO ESP�RITO SANTO, POIs Somente Poder Ele TEM de deter um Iniq�idade, o Homem do Pecado e satanas (2,6). Esse Agora o Que resiste OU det�m (2,7), n�o lev Grego o Artigo Definido masculino e AO tempo Mesmo o Artigo Definido neutro, em 2.6 ("O Que o det�m"). De modo semelhante, A palavra "ESP�RITO" NA PoDE L�ngua Grega LeVar tradu��es na pr�xima OU masculino neutro (ver Gn 6.3; Jo 16,8; Rm 8,13; ver Gl 5.17, Sobre a obra do Esp�rito Santo uma restringir o Pecado).
(B) No come�o dos sete anos de tribula��o, o ESP�RITO SANTO Sera "AFASTADO" (v. 7). Isso N�o Significa Ser Ele Tirado do Mundo, Mas Que cessar� SUA Influ�ncia restritiva Iniq�idade a e ao Surgimento do Anticristo. Todas As restri��es contra o Pecado Serao removidas, e come�ar� uma Rebeli�o satanas Inspirada por. O ESP�RITO SANTO, todavia, Agira na Terra Durante a tribula��o, pessoas convencendo DOS SEUS Pecados, Convertendo-as a Cristo e Dando-lhes Poder (Ap 7.9, 14; 11,1-11; 14.6,7).
(C) Retirando-se o ESP�RITO SANTO, cessar� uma Inibi��o � Apari��o do "Homem do Pecado", No cen�rio terreno (2.3,4). DEUS ent�o liberar� Uma Poderosa Influ�ncia Sobre enganadora de Todos os Que se recusam um amar uma Verdade de DEUS (ver 2.11); OS TAIS aceitar�o como imposturas do Homem do Pecado, a EA Sociedade humana descer� A uma deprava��o jamais vista. (D) A A��o do ESP�RITO SANTO restringindo o Pecado � uma levada Efeito em grande parte da Igreja Atrav�s, Que � o Templo do Esp�rito Santo (1 Cor�ntios 3,16, 6,19). Por isso, Para muitos acreditam Que Expositores da B�blia uma saida do Esp�rito Santo e Uma clara Indica��o de Que o arrebatamento dos santos ocorrer� Nessa ocasi�o (1TS 4.17). Noutras palavras, a volta de CRISTO, n LeVar uma Igreja e Livra-la da ira vindoura (1TS 1.10), ocorrer� pingos In�cio fazem Dia do Senhor e da Manifesta��o do "Homem do Pecado".
(E) Entende-se, Meios nsa eruditos da B�blia, Que o restringente em 2.6 (sem g�nero neutro) refere-se Seu AO ESP�RITO SANTO e Minist�rio Conter de um Iniq�idade, AO Passo Em que 2.7, Que hum ", agora" ( no g�nero masculino) refere-se Reunidos EAo crentes a Cristo e Tirados daqui, ie, arrebatados AO Encontro do Senhor ares nsa, a Fim de estarem com Ele semper (1TS 4.17).

AS ATIVIDADES DO Anticristo. Ao Come�ar o Dia do Senhor, "o in�quo" aparecer� Neste Mundo. Trata-se, no Meios eruditos da B�blia, de hum governante Alian�a Mundial Que fara com Israel sete anos POR, Antes do Fim da era PRESENTE (ver Dn 9.27). (1) A identifica��o do Anticristo Verdadeira conhecida Ser� Tr�s anos e meio Mais tarde, Quando Ele romper SUA Alian�a com Israel, Tornar-se Mundial governante, DEUS Ser Declarar, profanar o templo de Jerusal�m, Proibir uma Adora��o DEUS A (ver 2.4, 8,9) e assolar uma terra de Israel (ver Dn 9,27; 11,36-45). (2) O Anticristo declarar� Ser DEUS, e perseguir� severamente Quem permanecer leal a Cristo (Ap 11.6,7; 13.7, 15-18; ver Dn 7.8, 24,25 Notas). Exigir� Adora��o, n�mero sediada Certamente Grande Templo Que Sera USADO Como centro de SEUS pronunciamentos (cf. Dn 7.8, 25; 8.4; 11,31, 36). O homem aspira Tornar-se divino Desde a Cria��o (vers�o 2.8; Ap 13.8,12).
(3) Homem "O Pecado''fara fazer Mediante Poder Satanico, Grandes Sinais, Maravilhas e milagres de um FIM Propagar o engano (2.9). "Prodigios de mentira" Significa Que SEUS Milagres S�o sobrenaturais, parecendo aut�nticos ", como enganar par�grafo Pessoas e lev�-los um CRER NA mentira. (A) Tais demostra��es Serao Possivelmente n�o vistas Mundo Inteiro, Pela Televis�o. Milh�es de Pessoas ficar�o impressionadas, enganadas Por esse L�der Altamente convincente, darem N�o por uma DEVIDA Import�ncia � Palavra de DEUS Nem ter amor Verdades �s SUAS (2,9-12). (B) Tanto como palavras de Paulo (2.9), quanto as de JESUS (Mt 24,24) OS crentes devem Despertar Para o Fato de Que Nem todo milagre prov�m de DEUS. Aparentes "Manifesta��es do Esp�rito" (1 Cor�ntios 12,7-10) ou fen�menos supostamente vindos da parte de Ser devem DEUS provados � base da obedi�ncia a Cristo e As Escrituras, Por parte da Pessoa atuante.

A Derrota DO Anticristo. Nenhum tribula��o da FIM, muitas satanas congregar� Na��es Armagedom n�o, o solu�o comando do Anticristo, e guerrear�o contra Deus eo Seu povo NUMA batalha Que envolver� o Mundo Inteiro (ver Dn 11,45; Ap 16.16). QUANDO isso ocorrer, CRISTO voltar� e intervir� de sobrenatural modo, Destruindo o Anticristo, SEUS ex�rcitos e de Todos os Que N�o obedecem AO Evangelho (ver Ap 19,15-21 Notas). A seguir, CRISTO prender� Satanas e estabelecer� Seu reino terra nd
(20,1-6).
EuNTERA��O
Como ter Esperan�a em Meio caos ao? N�o � f�cil, mas e Poss�vel! Basta observamos a Vida do profeta Jeremias. Aprendemos com Ele Que Podemos ter Esperan�a Mesmo enfrentando adversidades. Jeremias CONHECIA o Sofrimento: perseguido Pela fam�lia, amigos e Falsos Profetas; rejeitado, impedido de se casar e ter Filhos. Por�m, SUA Esperan�a N�o esvaiu se, pois n�o confiava Pai. A cr�tica era situa��o, Jerusal�m estava sitiada (32,1), mas Jeremias Sabia Que DEUS estava pronto par Acompanhar Seu povo.
Caso Voc�, professor, esteja Sentindo Que SUA Esperan�a EST� SE esvaindo, Que creia "Bom � o Senhor Para os Que se atem um para ele, uma alma Que o busca".
OBJETIVOS - Ap�s aula esta, o aluno Deverra Estar apto a:
Saber Que uma Esperan�a e Uma das virtudes da f� Crist� Fundamentos de.
Explicar o Significado da Express�o Ang�stia de Jac�.
Compreender Que Est�o os dias atribulados Reservados a Jerusal�m, Mas o Senhor jamais desamparar� um.
ORIENTA��O PEDAG�GICA
Sugerimos Que VOC� escreva no Quadro-de-giz o voc�bulo Esperan�a ". Pergunte VEM EAo alunos o que A Mente deles QUANDO ESTA Palavra ouvem. DEPOIS DE OS Ouvir Aten��o com alunos, Chora o Significado da Palavra apresentado no Primeiro T�pico da Li��o. Em seguida, escrevam no Quadro-de-giz ALGUMAS Caracter�sticas das Pessoas Que J� N�o Mais dez Esperan�a: apatia, ressentimento, desilus�o, mau humor, uam e isolamento. Que Enfatize OS Que confiam em DEUS jamais Serao subvertidos Pelas crises e dificuldades; POIs � justamente como Em crises Meio Brotas Que uma esperan�a.
Que nsa explique Encontramos cap�tulos 30 e 31 do livro de Jeremias palavras de Esperan�a e Consolo Para o povo de DEUS.
RESUMO DA Li��o 9 - Esperando CONTRA A ESPERAN�A
I. O QUE � A ESPERAN�A
1. Defini��o. Certeza do Cumprimento das Promessas.
2. A Esperan�a n�o livro de Jeremias.
II. A Ang�stia de Jaco
1. A ang�stia de Jac�.
2. Profecia de Ezequiel.
3. Profecia de Daniel.
4. Profecia de Zacarias.
III. O Restabelecimento DE ISRAEL
1. A volta de Israel � terra SUA.
2. O Restabelecimento do Estado do Israel.
3. A retomada de Jerusal�m.
CONCLUS�O
DEUS � O Que nsa inspira uma Esperan�a Mesmo Onde N�o Mais H� esperan�a.
Sinopse DO T�PICO (1)
O profeta Jeremias confiava inteiramente nd iChat de DEUS, POR ISSO, SUA Esperan�a N�o se desvanecia.
Sinopse DO T�PICO (2)
Israel e OS tios, logo DEPOIS do arrebatamento da Igreja, hum Experimentar V�o Per�odo de ang�stia.
Sinopse DO T�PICO (3)
Embora Israel viesse a Um Experimentar Per�odo de grande tribula��o, o Senhor Iria restaurar Seu povo.
AUX�LIO BIBLIOGR�FICOI - Subs�dio Teol�gico
As descri��es de Jeremias Acerca da Restaura��o futura
"[...] Jeremias anunciou Que o ex�lio duraria setenta anos, Mas uma Restaura��o da Na��o s�ria N�o Autom�tico. Dependia de hum Genu�no arrependimento nacional (29,10).
AC Em 536, hum n retornou uma terra remanescente, cumprindo uma Profecia de Jeremias Acerca dos setenta anos de ex�lio (2 Cr 36,22; Ed 1.1). Daniel, no entanto, informa que A Descri��o apresentada Por Jeremias De uma gloriosa Restaura��o do reino (Dn 9.1,2) n�o se cumpriu Completamente No s�culo VI aC, Mas postergada Foi Deverra e se n�o Cumprir futuro (Dn 9,24-27). Um remanescente arrependeu-se, Mas a na��o N�o voltou par�grafo permaneceu Nem DEUS sentir Durante o per�odo p�s-ex�lico (Ag 1,2-11; Ml 1,6-14).
Jeremias predisse o ex�lio babil�nico, Mas Tamb�m previu em dia Que UM SO DEUS exilados restauraria. DEUS traria de Volta OS exilados de Jud� e Israel, reunificando a na��o. Aparentemente, eles viriam de t�o contradit�rio Todas Todas e de como Na��es. Formariam Uma Grande Multid�o, Incluindo aqueles At� Que normalmente Seriam incapazes de Viajar, Como OS CEGOS, OS Coxos e Mulheres gr�vidas prestes a dar � luz um (31.7,8). ESTA grandiosa Liberta��o Seria UM como 'segundo �xodo "empalideceria, que A Primeira Liberta��o do Egito" (LAHAYE, Tim. Enciclop�dia Popular de Profecia B�blica. 1. Ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2008, p.190).
AUX�LIO BIBLIOGR�FICO II - Subs�dio devocional
A alian�a nova - "A Seguran�a nacional dependia da Reforma moral, nao do Templo. Notar Vale a Justi�a NA �nfase Como Alian�as b�blicas explicam com o Detalhe Que DEUS Fazer IRA. A Alian�a � o pronunciamento de DEUS.. Eu farei" Todavia, o Cumprimento das Promessas geralmente se posiciona Muito a Frente do tempo. Uma Alian�a � Diferente, PORQUE definir Como DEUS OS se envolvia com os crentes do Antigo Testamento enquanto aguardava Pelo final da hist�ria. Essa Alian�a era uma lei da Alian�a, ja a nova, Que torna uma lei Mosaica irrelevante, em Israel orienta��o de Como se comportar. Espec�fica como EAo b�n��os israelitas Que obedecem � lei de DEUS e como EAo puni��es Que um desobedecerem. lado Por outro, um solu�o Nova Alian�a (31,33), DEUS promete EAo crentes uma Transforma��o DEUS interior; OS crentes saber�o Que, de Pessoal maneira, perdoar� Pecados SEUS Que, por sua vez, responder�o anseios interiores EAo do Cora��o de Deus "(RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da B�blia. 1. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p.466).
Subs�dio Doutrin�rio
Futuras b�n��os e Salva��o - "Jeremias previu hum dia posterior Ju�zos de EAo Sobre como DEUS EO Na��es gent�licas resgate de Israel do ex�lio em Que OS tios se arrependeriam e da idolatria Somente abra�ariam um Jeov� (16,19-20). This Salva��o dos tios acompanharia um divina da Restaura��o arrependida Jud� (4.2). Como louvores e Gl�rias Na��es dariam um DEUS AO Verem Ser livre Jerusal�m e Coberta de b�n��os (33,9) "(LAHAYE, Tim. Enciclop�dia Popular de Profecia B�blica. 1. ed. Rio de Janeiro, CPAD , 2008, p.193).
Subs�dio Geogr�fico e Hist�rico
Israel - "Desde a proclama��o de Independ�ncia SUA, Diversos dez Israel enfrentado Conflitos b�licos: em 1948, a Guerra da Independ�ncia, em 1956, a Guerra de Suez, em 1967, a Guerra dos Seis Dias, em 1973, a Guerra do Yom Kippur ; e, em 1982, a Guerra do L�bano. Em todos os embates sos, como Tem judaicas For�as sa�do Vencedoras, PORQUE o Senhor dos Ex�rcitos EST� AO Seu lado "(ANDRADE, Claudionor de Geografia B�blica 22.. ed. Rio de Janeiro, CPAD , 2009, p.193).
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
MERRILL, Eugene H. Hist�ria de Israel Antigo Testamento n�o. 1. Ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2001.
PHILLIPS, John. Explorando como Escrituras: Uma Vis�o Geral de Todos os Livros da B�blia. 1. Ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2004.
Saiba Pela MAIS Revista Ensinador Crist�o - CPAD, N � 42, p.40.
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - B�blias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - B�blia de Estudos Pentecostal.
V�DEOS da EBD na TV, INCLUSIVE DE Li��o - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
B�BLIA ILUMINA EM CD - B�BLIA de Estudo NVI EM CD - B�BLIA Thompson EM CD.
Nosso novo endere�o: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/
Veja em v�deos http://ebdnatv.blogspot.com, http://www.ebdweb.com.br/ NOS - Ou sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, WeShow, Yahoo, Youtube.
http://www.allabouttruth.org/portuguese/historia-de-israel.htm acesso em 25-05-10

Nenhum comentário: