sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

LIÇÃO 1, A APOSTASIA NO REINO DE DEUS




LIÇÃO 1, A APOSTASIA NO REINO DE DEUS
LIÇÕES BÍBLICAS - 1º Trimestre de 2013 - CPAD - Para jovens e adultos
Tema: Elias e Eliseu um Ministério de Poder para toda a Igreja.
Comentário: Pr. José Gonçalves
Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antonio Gilberto.
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva

QUESTIONÁRIO
NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  

 
 
TEXTO ÁUREO
"E sucedeu que (como se fora coisa leve andar nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate), ainda tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi, e serviu a Baal, e se encurvou diante dele" (1 Rs 16.31).
 
 
VERDADE PRÁTICA
A apostasia na história do povo de DEUS é um perigo real e não uma mera abstração. Por isso, vigiemos.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - Hb 6.4,5,6 A apostasia como um perigo real
Terça - 1 Tm 4.1 A apostasia possui seus agentes
Quarta - 2 Ts 2.3,12 A apostasia está sujeita ao juízo divino
Quinta - Hb 3.12 A apostasia afasta o homem de DEUS
Sexta - At 1.25 A apostasia exemplificada 
Sábado - Hb 6.11,12 A apostasia pode ser evitada
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE- 1 Reis 16.29-34
29 E Acabe, filho de Onri, começou a reinar sobre Israel no ano trigésimo-oitavo de Asa, rei de Judá; e reinou Acabe, filho de Onri, sobre Israel em Samaria, vinte e dois anos. 30 E fez Acabe, filho de Onri, o que era mal aos olhos do SENHOR, mais do que todos os que foram antes dele. 31 E sucedeu que (como se fora coisa leve andar nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate), ainda tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi, e serviu a Baal, e se encurvou diante dele. 32 E levantou um altar a Baal, na casa de Baal que edificara em Samaria. 33Também Acabe fez um bosque, de maneira que Acabe fez muito mais para irritar ao SENHOR, DEUS de Israel, do que todos os reis de Israel que foram antes dele.
34 Em seus dias, Hiel, o betelita, edificou a Jericó; morrendo Abirão, seu primogênito, a fundou; e, morrendo Segube, seu último, pôs as suas portas; conforme a palavra do SENHOR, que falara pelo ministério de Josué, filho de Num.
 
A história de derrota de todo o Israel (Israel ao norte e Judá ao sul) se deve à dois fatores:
1- União com mulheres estranhas a Israel e o pacto com DEUS
2- Idolatria aos deuses dos povos vizinhos.
 
1 Reis 11.1 O REI SALOMÃO AMOU MUITAS MULHERES ESTRANHAS. O cap. 11 de 1 Reis descreve o declínio espiritual de Salomão, e as conseqüências disso.
(1) Salomão começou como um homem que amava ao Senhor, que andava nos estatutos dEle, e que edificou o templo dEle (3.3; 6.1). Experimentou o amor de DEUS, a sua graça e a sua salvação; recebeu conhecimento espiritual especial (3.10-14; 2 Sm 12.24) e escreveu parte das Escrituras Sagradas sob a inspiração do ESPÍRITO SANTO (ver 4.29-34).
(2) Entretanto, Salomão endureceu-se pelo engano do pecado e desviou-se do Senhor para seguir outros deuses; provocou o Senhor à ira e conseqüentemente foi castigado por DEUS (vv. 1-13; Dt 29.14-21; 30.15-20; Hb 3.12-14).
(3) O erro fatal de Salomão foi o de buscar poder, sucesso, riquezas e prazer sensual, contemporizando com a idolatria e o pecado, e tolerando-os. Salomão envolveu-se com:
(a) alianças iníquas com nações pagãs (Tiro, 9.10-14; Egito, 3.1; 10.28,29; e outros povos, 9.25-10.13);
(b) muitas esposas e concubinas estrangeiras para selar essas alianças (vv. 1-8; Gn 29.28);
(c) e cada vez mais riquezas e glória (10.14-19; cf. 1 Tm 6.9).
(4) Leia em Deuteronômio 17.14-20, os preceitos de DEUS aos reis, quanto a firmar alianças com estrangeiros, adquirir cavalos no Egito, multiplicar esposas e acumular cada vez mais ouro.
1 Reis 11.2 DAS NAÇÕES... NÃO ENTRAREIS A ELAS. O fato de Salomão ter muitas esposas não somente foi um desprezo ao mandamento de DEUS aos reis, para não multiplicarem esposas (cf. Dt 17.17), mas também transgrediu a proibição divina contra casamentos com mulheres pagãs, dentre os cananeus (Êx 34.12-16; Js 23.12,13). É evidente que Salomão deixou de meditar cuidadosamente na lei de DEUS "para que aprenda a temer ao SENHOR, seu DEUS, para guardar todas as palavras desta lei" (Dt 17.19).
1 Reis11.4 NÃO ERA PERFEITO... COMO O CORAÇÃO DE DAVI. O coração de Davi era "perfeito", não no sentido de nunca ter fracassado terrivelmente diante de DEUS, mas porque nunca se envolveu com idolatria e adoração a outros deuses. Quando pecou com Bate-Seba, e tentou encobrir tudo, Davi cometeu grave delito, chegando ao ponto de desprezar a DEUS e à sua palavra (2 Sm 12.9,10). Contudo, nunca adorou a outros deuses, nem dependia deles, conforme muitos reis de Israel fizeram (cf. 15.5)
1 Reis 11.5-7 SALOMÃO ANDOU EM SEGUIMENTO DE ASTAROTE... MILCOM. De início Salomão tolerava os falsos deuses de suas esposas, mas, a seguir, desviou-se e passou a servi-los (vv. 2-9).
(1) Sendo Salomão um servo de DEUS, passou a adorar à deusa sidônia, Astarote (cujo culto continha ritos imorais e adoração às estrelas), ao deus moabita Milcom ou Moloque (que envolvia o sacrifício de criancinhas, cf. Lv 18.21; 20.1-5), e ao deus amonita, Camos (um deus-sol). A essa altura, Salomão não podia dizer que o Senhor do concerto era o único DEUS verdadeiro -(cf. Dt 6.4).
(2) A apostasia de Salomão revela que o mero conhecimento de DEUS e da sua palavra não é suficiente prevenção contra o pecado e apostasia. O pecado procede do coração e só pode ser debelado à medida que nosso coração se inclina para DEUS com fé e amor (Dt 6.4-9; cf. 3.9). Salomão, um pregador que admoestava os outros, decaiu em pecado tão ostensivo, que aceitou abertamente o espiritismo, fomentou a imoralidade e a crueldade, infamou Israel e manchou o nome do único DEUS verdadeiro.
1 Reis 11.11 RASGAREI DE TI ESTE REINO. O castigo divino de Salomão resultou na divisão de Israel em dois reinos, sendo que apenas um deles foi governado pelos sucessores de Salomão (vv. 9-13,31) - a tribo de Judá (incluindo Simeão, cf. Js 19.1) foi dada ao seu filho Roboão, a fim de conservar a linhagem messiânica (vv. 13,32). As dez tribos seriam dadas a Jeroboão, dentro em breve (vv. 31-36).
 
 
1 Reis 12.20 JEROBOÃO... REI SOBRE TODO O ISRAEL. Ao morrer Salomão (11.43), a nação dos hebreus dividiu-se em dois reinos.
(1) O Reino do Norte, chamado Israel, teve Jeroboão como seu primeiro rei. O Reino do Sul, chamado Judá, teve Roboão, filho de Salomão, como seu primeiro rei (v. 17). A divisão continuou até que as dez tribos do Norte foram levadas em cativeiro para a Assíria em 722 a.C. O Reino do Sul foi levado ao cativeiro em 586 a.C. pelos babilônios. A história dos dois reinos acha-se em 1 Rs 12-22; 2 Rs 1-25 ; e 2 Cr 10-36. (2) A história de Israel e de Judá revela a determinação deles em quebrar o concerto feito com DEUS. A Bíblia mostra que todos os reis do Reino do Norte procederam mal aos olhos do Senhor (e.g. 16.25,30; 22.52; 2 Rs 3.3; 10.29), por sua vez, a maioria dos reis de Judá desprezaram o concerto. Poucos reis de Judá, principalmente Ezequias (2 Rs 18.1-20.21) e Josias (2 Rs 22.1-23.29), fizeram "o que era reto aos olhos do SENHOR" (2 Rs 18.3; 22.2).
12.24 EU É QUE FIZ ESTA OBRA. Foi o Senhor quem levou a efeito a divisão do seu povo. A divisão das duas nações foi determinada por Ele
(1) como castigo pela sua idolatria, e
(2) como meio de preservar um remanescente fiel através de Judá (11.13). Embora Israel como um todo se desviasse de DEUS, um remanescente de Judá permaneceu fiel ao concerto, e através dessas pessoas DEUS pôde cumprir suas promessas e propósito redentor.
 
 
12.28 DOIS BEZERROS DE OURO... VÊS AQUI TEUS DEUSES. Jeroboão, do Reino do Norte, fundou um falso sistema religioso, levando o povo a adorar falsos deuses, (vv. 27-30; cf. Êx 20.3,4), tendo como modelo o bezerro de ouro feito por Arão (Êx 32.8). Nomeou sacerdotes "que não eram dos filhos de Levi" (v. 31), e assim pôs no ministério homens que não tinham as qualidades para isso segundo a lei de DEUS. A instituição de um falso sistema religioso, por Jeroboão, produziu dois resultados:
(1) a maior parte do povo do Reino do Norte passou a adorar a Baal, cujo culto incluía a prática imoral da prostituição religiosa.
(2) A maior parte do reino de Israel que permaneceu fiel a DEUS e à sua lei, teve grandes perdas, quando "deixaram... a sua possessão" e vieram para o Reino do Sul a fim de adorarem ao Senhor segundo sua revelação original (2 Cr 11.13,14). "De todas as tribos de Israel, os que deram o seu coração a buscarem ao SENHOR, DEUS de Israel, vieram a Jerusalém, para oferecerem sacrifícios ao SENHOR DEUS de seus pais" (2 Cr 11.16; cf. 15.9).
12.31 FEZ SACERDOTES... QUE NÃO ERAM DOS FILHOS DE LEVI. Jeroboão nomeou sacerdotes, homens que não tinham os requisitos segundo os padrões de DEUS, em Nm 3.6-9; 8.5-20. Segundo o novo concerto, o sacerdócio levítico já não existe, mas DEUS estabeleceu qualificações essenciais definidas, para aqueles que aspiram ao ministério, como pastores ou dirigentes da igreja. Essas qualificações espirituais e morais estão em (1 Tm 3.1-7 e Tt 1.5-9)

Em 1 Rs 14.22 E FEZ JUDÁ O... MAU. A conduta religiosa da tribo de Judá, governada por Roboão (v. 21), pouco diferiu das outras dez tribos de Israel. Os membros da tribo de Judá também abandonaram o Senhor e se entregaram a pecados terríveis.
Em 1 Rs 14.24 RAPAZES ESCANDALOSOS. A apostasia de Judá levou à depravação do homossexualismo, i.e., a prostituição masculina (Rm 1.25-28). O povo de DEUS aceitava "as abominações das nações" e, assim, foi subjugado pelas nações ímpias (vv. 25,26). CRISTO advertiu quanto a esse princípio de julgamento sobre os crentes que se conformarem com o mundo (ver Mt 5.13). A expressão "rapazes escandalosos", a ARA traduz apropriadamente "prostitutos-cultuais".
 
Em 1 Rs 16.7 O PROFETA JEÚ. Quando o povo de DEUS, a começar dos líderes, abandonou o caminho do Senhor e adotou os caminhos pecaminosos dos cananeus, DEUS enviou-lhe profetas para lhe proclamar a sua verdade e justiça. Os profetas do Senhor são também uma necessidade hoje.
Em 1 Rs 16.30 ACABE. O pecado e a iniqüidade avolumaram-se cada vez mais no reinado de Acabe. Imperavam a rebeldia insolente e a dureza de coração contra os mandamentos de DEUS. Cresceu a adoração a Baal. Diante de tal apostasia, DEUS enviou o poderoso profeta Elias a Israel, para lutar contra esse sistema religioso corrupto e proclamar o propósito de DEUS para o seu reino (17.1).
Em 1 Rs 16.31 BAAL. Ver Js 23.12; Jz 2.13.
 
Em 1 Rs 17.1 ELIAS. Elias foi profeta do Reino do Norte, nos reinados de Acabe e do seu filho Acazias. O nome Elias, que significa "o Senhor é meu DEUS", fala da convicção inabalável que destacou esse profeta (18.21,39). Os fatos principais da sua vida acham-se em 1 Rs 17-19; 21.17-29; 2 Rs 1-2.
(1) A vida de Elias girou em torno do conflito entre a religião do Senhor e a religião de Baal. Sua missão era levar os israelitas a reconhecerem sua apostasia e reconduzi-los à fidelidade ao DEUS de Israel (18.21,36,37). Elias era pois um restaurador e um reformador, empenhado em restabelecer o concerto entre DEUS e Israel.
(2) O AT no seu final, registra a profecia que Elias reaparecerá "antes que venha o dia grande e terrível do SENHOR" (Ml 4.5); esta profecia cumpriu-se parcialmente em João Batista (Mt 11.7-14; Lc 1.17) e poderá ter um cumprimento futuro antes da volta de CRISTO (cf. Mt 17.11; Ap 11.3-6; ver Ap 11.3).
(3) A fidelidade inabalável de Elias a DEUS e ao seu concerto, faz dele para todo o sempre, um exemplo de fé, destemor e lealdade a DEUS, ante intensa oposição e perseguição, e um exemplo de resoluta persistência em opor-se às falsas religiões e aos falsos profetas.
Em 1 Rs 17.1 NEM ORVALHO NEM CHUVA HAVERÁ. Elias, na qualidade de mensageiro de DEUS, pronunciou uma palavra de juízo da parte do Senhor contra a nação rebelde de Israel. DEUS ia reter a chuva durante três anos e meio (cf. Dt 11.13-17). Esse juízo humilhava Baal, pois seus adoradores criam que ele controlava a chuva e que era responsável pela abundância nas colheitas. O NT declara que essa seca em Israel resultou das ferventes orações de Elias (Tg 5.17).
Em 1 Rs 17.4 EU TENHO ORDENADO AOS CORVOS QUE ALI TE SUSTENTEM. DEUS sustentou Elias junto ao ribeiro Querite, porque esse profeta tomara posição firme ao lado de DEUS contra a apostasia do povo (vv. 3-7; cf. Sl 25.10). Assim, como Elias sustentou a luta pela causa de DEUS, o Senhor cuidaria agora da sua causa, i.e., sua subsistência (cf. Sl 68.19,20).

Em 1 Rs 18.18 DEIXASTES OS MANDAMENTOS DO SENHOR. O modo corajoso de Elias falar a Acabe e denunciar a impiedade de Israel fez dele um profeta exemplar, e a pessoa mais qualificada para ser o protótipo do precursor do Senhor JESUS CRISTO (cf. Ml 4.5,6; Lc 1.17).
(1) Era um verdadeiro "homem de DEUS" (17.24), que falava, não para agradar às multidões, mas como um servo fiel de DEUS (cf.Gl 1.10; 1 Ts 2.4; ver Lc 1.17).
(2) Assim como Elias foi chamado para mostrar quem é o verdadeiro DEUS de Israel, todos os ministros do novo concerto são chamados para defender o evangelho de CRISTO contra distorções, transigência com o mal e desvio doutrinário (ver Fp 1.17; Jd v. 3).
Em 1 Rs 18.21 SE O SENHOR É DEUS, SEGUI-O. Elias desafiou o povo a fazer uma escolha definitiva entre seguir a DEUS ou a Baal (cf. Ez 20.31,39). Os israelitas achavam que podiam adorar o DEUS verdadeiro e também Baal. O pecado deles era o de terem o coração dividido (cf. Dt 6.4,5), querendo servir a dois senhores. O próprio CRISTO advertiu contra essa atitude fatal (Mt 6.24; cf. Dt 30.19; Js 24.14,15)
 

Em 1 Rs 18.27 ELIAS ZOMBAVA DELES. Elias ao zombar dos profetas de Baal, revela sua ardente indignação ante a idolatria imoral e vil que Israel adotara. Sua ironia e sua atitude intransigente, expressavam sua inalterável lealdade ao DEUS, a quem ele amava e servia. Compare a reação de Elias com a ira e determinação de JESUS, ante a profanação do templo (ver Lc 19.45).
Em 1 Rs 18.36 ELIAS... DISSE: Ó SENHOR, DEUS DE ABRAÃO. A coragem e a fé patentes em Elias não têm paralelo em toda a história da redenção. Seu desafio ao rei (vv. 16-19), sua repreensão a todo o Israel (vv. 21-24) e seu confronto com os 450 profetas de Baal (vv. 19, 22) foram embates que ele os enfrentou dispondo apenas das armas da oração e da fé em DEUS. Vemos sua confiança em DEUS na brevidade e simplicidade da sua oração (41 palavras em hebraico), (vv. 36,37)
Em 1 Rs 18.37 TU FIZESTE TORNAR O SEU CORAÇÃO PARA TRÁS. O propósito de Elias no seu confronto com os profetas de Baal, e a oração que se seguiu, foi revelar a graça de DEUS para com o seu povo. Elias queria que o povo se voltasse para DEUS (v. 37). Semelhantemente, João Batista, o "Elias" do NT (ver 17.1), tinha como alvo levar muitos a buscarem a DEUS, como preparação para o advento de CRISTO.
Em 1 Rs 18.38 ENTÃO, CAIU FOGO DO SENHOR. O Senhor milagrosamente produziu fogo para consumir o sacrifício de Elias (cf. 1 Cr 21.26; 2 Cr 7.1). Esse milagre vindicou Elias como profeta de DEUS e comprovou que somente o Senhor de Israel era o DEUS vivo, a quem deviam servir. De modo semelhante, o crente deve orar, com fé, pela manifestação divina em seu meio, mediante o ESPÍRITO SANTO (ver 1 Co 12.4-11; 14.1-40).
Em 1 Rs 18.40 E ALI OS MATOU. Note os seguintes fatos a respeito da matança dos profetas de Baal:
(1) A sentença de morte contra eles era justa, pois foi executada em obediência à lei de Moisés (Dt 13.6-9; 17.2-5). O NT não contém qualquer mandamento similar. Ele proíbe a ação repressora contra os falsos mestres (Mt 5.44), embora DEUS ordene a sua rejeição e, que nos separemos deles (Mt 24.23,24; 2 Co 6.14-18; Gl 1.6-9; 2 Jo.7-11; Jd.3,4).
(2) A ação de Elias contra os falsos profetas de Baal representava a ira de DEUS contra os que tentavam destruir a fé do seu povo escolhido, e privá-lo das bênçãos divinas, e também expressava o amor e a lealdade do próprio Elias por seu Senhor.
(3) A destruição dos falsos profetas por Elias manifestava, também, profunda preocupação pelos próprios israelitas, uma vez que estavam sendo destruídos espiritualmente pela falsa religião de Baal. JESUS manifestou idêntica atitude (Mt 23; Lc 19.27), assim como também o apóstolo Paulo (Gl 1.6-9; ver Gl 1.9). Note, ainda, que a ira de DEUS será derramada sobre todos os rebeldes e impenitentes "no dia da ira e da manifestação do juízo de DEUS" (Rm 2.5; cf. 11.22; Ap 19.11-21; 20.7-10)
Em 1 Rs 18.42 ELIAS... METEU O SEU ROSTO ENTRE OS SEUS JOELHOS. De Elias, o NT cita sua fé e oração perseverante como exemplo e estímulo para o povo salvo, no tocante ao poder da oração (Tg 5.18). A oração de Elias era:
(1) a oração de um justo (Tg 5.16; cf. Sl 66.18),
(2) a oração de um homem, de natureza humana semelhante à nossa (Tg 5.17),
(3) a oração da fé, sincera e persistente (vv. 18.42-44; Tg 5.17; cf. Mt 21.21,22; Mc 9.23; Lc 18.1; Ef 6.18; Hb 11.6), e
(4) a oração de muita eficácia (v. 45; Tg 5.16,17)
Em 1 Rs 18.43 TORNA LÁ SETE VEZES. O número sete nas Escrituras, simboliza algo integral e completo. Neste capítulo Elias entregou-se a uma intercessão completa, sob três aspectos:
(1) intercedeu para restaurar o altar e a honra de DEUS na terra (vv. 21,24,30-39);
(2) intercedeu, travando uma guerra espiritual contra a falsa religião e culto de Baal e Asera (vv. 19,27,40); e
(3) intercedeu com DEUS, em oração intensa e persistente, suplicando chuva copiosa (vv. 41-46). Visto que o AT compara o derramamento do ESPÍRITO com o derramamento de chuva (e.g., Os 6.1-3; Jl 2.23-29), o confronto de Elias com o baalismo ilustra os três tipos principais de intercessão que devem caracterizar a oração intercessória do povo de DEUS:
(1) intercessão pela restauração da glória e honra de DEUS e por um avivamento espiritual entre o seu povo;
(2) intercessão pela guerra espiritual contra as fortalezas demoníacas; e
(3) intercessão pela sequidão espiritual, para que ela seja tragada pelo derramamento do ESPÍRITO de DEUS e pelo despertamento espiritual.

Em 1 Rs 21.25 JEZABEL. O alvo dessa esposa ímpia de Acabe era extinguir o culto ao Senhor, e colocar Baal de Tiro como o deus principal de Israel; não conseguiu seus intentos. Muito pelo contrário, o nome dela veio a ser sinônimo de iniqüidade, de feitiçaria, de traição e de sedução espiritual. João cita o nome de Jezabel, como o de uma falsa profetisa da igreja da Tiatira, que estava levando o povo de DEUS à imoralidade e ao mundanismo (ver Ap 2.20).
 
A APOSTASIA PESSOAL - BEP - CPAD
O QUE É APOSTASIA?

Hb 3.12 “Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do DEUS vivo”.

A apostasia (gr. apostasia) aparece duas vezes no NT como substantivo (At 21.21; 2Ts 2.3) e, aqui em Hb 3.12, como verbo (gr. aphistemi, traduzido “apartar”). O termo grego é definido como decaída, deserção, rebelião, abandono, retirada ou afastar-se daquilo a que antes se estava ligado.

(1) Apostatar significa cortar o relacionamento salvífico com CRISTO, ou apartar-se da união vital com Ele e da verdadeira fé nEle. Sendo assim, a apostasia individual é possível somente para quem já experimentou a salvação, a regeneração e a renovação pelo ESPÍRITO SANTO (cf. Lc 8.13; Hb 6.4,5); não é simples negação das doutrinas do NT pelos inconversos dentro da igreja visível. A apostasia pode envolver dois aspectos distintos, embora relacionados entre si:
(a) a apostasia teológica, i.e., a rejeição de todos os ensinos originais de CRISTO e dos apóstolos ou dalguns deles (1Tm 4.1; 2Tm 4.3); e
(b) a apostasia moral, i.e., aquele que era crente deixa de permanecer em CRISTO e volta a ser escravo do pecado e da imoralidade (Is 29.13; Mt 23.25-28; Rm 6.15-23; 8.6-13).

(2) A Bíblia adverte fortemente quanto à possibilidade da apostasia, visando tanto nos alertar do perigo fatal de abandonar nossa união com CRISTO, como para nos motivar a perseverar na fé e na obediência. O propósito divino desses trechos bíblicos de advertência não deve ser enfraquecido pela idéia que afirma: “as advertências sobre a apostasia são reais, mas a sua possibilidade, não”. Antes, devemos entender que essas advertências são como uma realidade possível durante o nosso viver aqui, e devemos considerá-las um alerta, se quisermos alcançar a salvação final. Alguns dos muitos trechos do NT que contêm advertências são: Mt 24.4,5,11-13; Jo 15.1-6; At 11.21-23; 14.21,22; 1Co 15.1,2; Cl 1.21-23; 1Tm 4.1,16; 6.10-12; 2Tm 4.2-5; Hb 2.1-3; 3.6-8,12-14; 6.4-6; Tg 5.19,20; 2Pe 1.8-11; 1Jo 2.23-25.

(3) Exemplos da apostasia propriamente dita acham-se em Êx 32; 2Rs 17.7-23; Sl 106; Is 1.2-4; Jr 2.1-9; At 1.25; Gl 5.4; 1Tm 1.18-20; 2Pe 2.1,15,20-22; Jd 4,11-13 - A POSTASIA segundo a Bíblia, ocorrerá dentro da igreja professa nos últimos dias desta era.

(4) Os passos que levam à apostasia são:
(a) O crente, por sua falta de fé, deixa de levar plenamente a sério as verdades, exortações, advertências, promessas e ensinos da Palavra de DEUS (Mc 1.15; Lc 8.13; Jo 5.44,47; 8.46).
(b) Quando as realidades do mundo chegam a ser maiores do que as do reino celestial de DEUS, o crente deixa paulatinamente de aproximar-se de DEUS através de CRISTO (4.16; 7.19,25; 11.6).
(c) Por causa da aparência enganosa do pecado, a pessoa se torna cada vez mais tolerante do pecado na sua própria vida (1Co 6.9,10; Ef 5.5; Hb 3.13). Já não ama a retidão nem odeia a iniqüidade (ver 1.9).
(d) Por causa da dureza do seu coração (3.8,13) e da sua rejeição dos caminhos de DEUS (v. 10), não faz caso da repetida voz e repreensão do ESPÍRITO SANTO (Ef 4.30; 1Ts 5.19-22; Hb 3.7-11).
(e) O ESPÍRITO SANTO se entristece (Ef 4.30; cf. Hb 3.7,8); seu fogo se extingue (1Ts 5.19) e seu templo é profanado (1Co 3.16). Finalmente, Ele afasta-se daquele que antes era crente (Jz 16.20; Sl 51.11; Rm 8.13; 1Co 3.16,17; Hb 3.14).
(5) Se a apostasia continua sem refreio, o indivíduo pode, finalmente, chegar ao ponto em que não seja possível um recomeço. (a) Isto é, a pessoa que no passado teve uma experiência de salvação com CRISTO, mas que deliberada e continuamente endurece seu coração para não atender à voz do ESPÍRITO SANTO (3.7-19), continua a pecar intencionalmente (10.26) e se recusa a arrepender-se e voltar para DEUS, pode chegar a um ponto sem retorno em que não há mais possibilidade de arrependimento e de salvação (6.4-6; Dt 29.18-21; 1 Sm 2.25; Pv 29.1). Há um limite para a paciência de DEUS (ver 1 Sm 3.11-14; Mt 12.31,32; 2 Ts 2.9-11; Hb 10.26-29,31; 1 Jo 5.16). (b) Esse ponto de onde não há retorno, não se pode definir de antemão. Logo, a única salvaguarda contra o perigo de apostasia extrema está na admoestação do ESPÍRITO: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações ( 3.7,8,15; 4.7).
(6) É próprio salientar que, embora a apostasia seja um perigo para todos os que vão se desviando da fé (2.1-3) e que se apartam de DEUS (6.6), ela não se consuma sem o constante e deliberado pecar contra a voz do ESPÍRITO SANTO (ver Mt 12.31).
(7) Aqueles que, por terem um coração incrédulo, se afastam de DEUS (3.12), podem pensar que ainda são verdadeiros crentes, mas sua indiferença para com as exigências de CRISTO e do ESPÍRITO SANTO e para com as advertências das Escrituras indicam o contrário. Uma vez que alguém pode enganar-se a si mesmo, Paulo exorta todos aqueles que afirmam ser salvos: "Examinai-vos a vós mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos" (ver 2 Co 13.5).
(8) Quem, sinceramente, preocupa-se com sua condição espiritual e sente no seu coração o desejo de voltar-se arrependido para DEUS, tem nisso uma clara evidência de que não cometeu a apostasia imperdoável. As Escrituras afirmam com clareza que DEUS não quer que ninguém pereça (2 Pe 3.9; cf. Is 1.18,19; 55.6,7) e declaram que DEUS receberá todos que já desfrutaram da graça salvadora, se arrependidos, voltarem a Ele (cf. Gl 5.4 com 4.19; 1 Co 5.1-5 com 2 Co 2.5-11; Lc 15.11-24; Rm 11.20-23; Tg 5.19,20; Ap 3.14-20; note o exemplo de Pedro, Mt 16.16; 26.74,75; Jo 21.15-22).
 
 
 
Jezabel - Uma vida de escolhas erradas. Keli Cristina
Jezabel, uma mulher que se parece muito com a mulher contemporânea... Ela é determinada, “inteligente”, capaz de realizar várias funções, independente, decidida, entre outras coisas. - I Reis 16:29-33:
 
Tudo começou para o povo de Israel exatamente como tudo se inicia nas nossas vidas, com uma decisão. Tempos atrás o povo de Israel pediu um rei para DEUS e Ele deu ao povo o que eles pediram, um rei – primeiro Saul, logo depois Davi, depois Salomão. Durante o reinado de Salomão a idolatria se espalhou tão espantosamente que DEUS decidiu acabar com o reino de Salomão. Porém, Ele tinha prometido a Davi que o reino pertenceria aos seus descendentes. Então DEUS cumpriu sua promessa, dividiu a terra de Israel em dois reinos: Norte e Sul dando o pequeno território do sul à descendência de Davi. O reino do Sul (Judá - Roboão) havia tolerado a idolatria, mas foi no reino do Norte que a ela foi promovida - com Jeroboão, quando fez os dois bezerros de ouro para que o povo não fosse até Jerusalém adorar ao DEUS eterno.
Acabe foi o sétimo rei de Israel (reino do Norte), e é nesse cenário que surge Jezabel com seus ídolos. Todos os reis idólatras de Israel foram maus, mas o pior de todos foi Acabe. Seu nome, três mil anos depois de sua existência, segue associado à JEZABEL.
Jezabel era filha de Etbaal, da Sidônia ou Sidon, que hoje é a terceira maior cidade do Líbano e, na época de Jezabel, era a cidade mais importante da Fenícia. O casamento aconteceu para estabelecer laços entre os fenícios e Israel.
I Reis 18:16-19
I Reis 18:22-24
Após seu casamento, Jezabel continuou adorando deuses fenícios, mas não se limitou a isso, pois o que ela queria era combater o culto e a adoração ao DEUS Eterno. Recorreu ao dinheiro público para sustentar seus 450 profetas de Baal (deus da terra) para sustentar mais os 400 profetas da deusa Aserá (deusa da fertilidade). Os sacerdotes israelitas foram eliminados ou então tiveram que se exilar no deserto, devido à perseguição da rainha.
Se somarmos as perversas bruxas dos contos de fadas mais a personagem do filme “O Diabo veste Prada”, teremos a figura de Jezabel, porém, ela não foi uma fantasia ou um personagem de uma estória, foi tão real quanto nós, aqui, hoje. Sem DEUS no centro de nossos corações, nós também podemos nos tornar uma Jezabel. Se ela tivesse vivido nos dias de hoje, a veríamos constantemente nas capas das mais famosas revistas. Sentir-se-ia livre para expressar sua sexualidade à sua maneira. Seu esposo seria um homem importante e líder, sobre quem ela teria uma forte influência. Ela certamente foi uma mulher de impacto e poder. Estava sempre enfocado em lucrar com o que lhe era proposto, era muito segura de si mesma e imponente. Suas características são muito estimuladas nos dia de hoje, no mundo, para as mulheres. Era uma mulher feminina, mas terrivelmente destrutiva:
Atraente;
Sedutora;
De língua persuasiva;
Com idéias contundentes;
Tinha grandes qualidades de liderança;
Era uma mulher determinada;
Independente;
Sem escrúpulos.
 
Salmo 135:15-18
Esta escritura descreve os ídolos e seus adoradores. Jezabel se tornou cega para DEUS e cega ao sofrimento dos outros por causa da sua busca a Baal. Possivelmente estava morta espiritualmente.
 
1- Cega para DEUS 
Todos nós fomos criados com uma real necessidade de DEUS para vivermos uma vida plena como diz em II Pedro 1:3-4
Os ídolos oferecem um rápido consolo que temporariamente sana o vazio, eles são como um amuleto para nos sentirmos seguros e para alcançarmos o que esperamos, porém, nunca nos satisfazem plenamente. Ao contrário, nos decepcionam e nos tornam cegos e incrédulos. Ídolos não são somente imagens como as que Jezabel adorava. Qualquer coisa que colocamos no lugar de DEUS, aquelas que temporariamente sanam o nosso vazio, são ídolos. Às vezes pode ser nossa própria ambição: trabalho, concurso, realização profissional, etc., como também pode ser pessoas: namorado, marido, mãe, irmão, filhos, etc
Ter ídolos não é uma prática exclusiva dos pagãos, é uma franqueza feminina. Tanto faz se você é cristã ou não. Pode acreditar: idolatria é uma de suas fraquezas. Constantemente precisamos verificar se algo está no lugar que somente DEUS pode ocupar em nossas vidas.
O mais dramático exemplo de cegueira de Jezabel foi a do Monte Carmelo.
Recorde do desafio de Elias, onde os profetas de Baal aceitaram a proposta e começaram a clamar por seu deus (Baal), a dançar, e Elias, em contrapartida, começou a zombar deles dizendo que gritassem mais alto, pois talvez Baal estivesse dormindo ou teria dado uma “saidinha”, etc. Eles passaram o dia inteiro tentando chamar a atenção do deus deles. Ao final da tarde Elias começou a preparar o altar para DEUS: “Com as pedras construiu um altar em honra ao nome do Senhor e cavou ao redor do altar uma valeta na qual poderiam ser semeadas duas medidas de sementes. Depois arrumou a lenha, cortou o novilho em pedaços e o pôs sobre a lenha. Então lhes disse: Encham de água quatro jarras grandes e derramem-na sobre o holocausto e sobre a lenha. Façam-no novamente, disse, e eles o fizeram de novo. Façam-no pela terceira vê, ordenou e eles o fizeram pela terceira vez. A água escorria do altar, chegando a encher a valeta. (Lembre-se: estavam sem chuvas por 3 anos e o bem mais precioso que havia em Israel era água - por isso o sacrifício com água). À hora do sacrifício, o profeta Elias colocou-se à frente do altar e orou: Ó Senhor DEUS de Abraão, de Isaque e de Israel, que hoje fique conhecido que tu és DEUS em Israel e que sou o teu servo e que fiz todas essas coisas por ordem tua. Responda-me ó Senhor, responda-me, para que este povo saiba que tu, ó Senhor, és DEUS e que fazes o coração deles voltar para ti. Então o fogo do Senhor caiu e queimou completamente o holocausto,a lenha, as pedras e o chão e também secou totalmente a água da valeta. Quando o povo viu, todos caíram prostrados e gritaram: O Senhor é DEUS! O Senhor é DEUS! Então Elias ordenou-lhes: prendam os profetas de Baal. Não deixem nenhum escapar. Eles os prenderam e Elias os fez descer ao riacho de Quison e lá os matou” ( Reis 18:32-40).
Elias tinha pedido que Acabe convocasse todos os profetas de Baal, e é interessante notar que Jezabel não estava lá. Ela se dizia chefe dos profetas. Possivelmente não quis se expor a nada que pudesse desestabilizar seu sistema de crenças.
DEUS deu a ela a oportunidade de livrar-se de sua cegueira, como fez com todas nós e como faz com todas as pessoas. Ele tentou revelar seu poder para ela através de:
1- Sua autoridade, impedindo que chovesse por três anos consecutivos (I Reis 17:1);
2- Seu poder; ao responder Elias através do sacrifício no Monte Carmelo;
3- Sua justiça, matando a todos os falsos profetas de Baal;
4- Sua misericórdia, ao restaurar a chuva (I Reis 18:41);
5- Sua amorosa paciência, ao dar-lhe tempo para que se arrependesse.
 
“Aqueles que são sábios reluzirão como o fulgor do céu, e aqueles que conduzem muitos à justiça serão como as estrelas, para todo o sempre” (Daniel 12:3).

Jezabel continuou com seu coração obstinado e endurecido:
 
I Reis 19:1-3
Você pode imaginar essa situação? Um homem que aparentemente era corajoso teve pavor dessa mulher! Um homem que tinha suas orações respondidas por DEUS! Somente um tempo cara-a-cara com DEUS, e a companhia de Eliseu ajudaram a restaurar a coragem deste homem desesperado. Elias necessitou ser convencido por DEUS, e este lhe mostrou que sua quieta e pequena voz era infinitamente mais poderosa que os vitoriosos alaridos de Jezabel.

2- Surda ao sofrimento dos outros
O deus pagão da terra (Baal) e da fertilidade (Aserá) exigiam a prostituição no templo e o sacrifício de crianças. Sacrificá-las era tão fácil como cortar o cabelo. Obviamente Jezabel não deu honras a DEUS porque ela não tinha respeito pelas pessoas criadas à imagem dEle..
 
I Reis 21:1-16
A cegueira para com DEUS ensurdece nossos ouvidos ao clamor dos outros. Jezabel também era surda ao clamor da alma do seu marido. Ressentido por causa das inquestionáveis demonstrações do poder de DEUS, o coração de Acabe não se voltou para o Senhor. O ambicioso rei desejou possuir a vinha de Nabote. Jezabel reprovou a atitude do marido, porém, não confrontou seu pecado e não o ajudou a ir para DEUS. Como poderia se ela mesma não conhecia DEUS? Ela tomou o problema em suas mãos: Decidiu fazer feliz ao seu marido sendo complacente com a natureza pecaminosa dele. Valendo-se de enganos e mentiras assassinou Nabote.
Essa é mais uma das fraquezas femininas: auto suficiência, que tem a raiz no egoísmo. Ela se aflora mais quando se casam. Querem dominar as situações. Muitas esposas chegam a pensar que o marido é fraco e “devagar”. Que tolice acreditar que por tentar resolver nossos problemas com nossas próprias mãos eles serão resolvidos!. Paramos de depender de DEUS e queremos depender das nossas próprias forças. O egoísmo torna surda a pessoa que sofre, pois o sofrimento é alheio.

3- Conseqüências da cegueira e da surdez de Jezabel
II Reis 9:30-37
I Reis 21:20-26
A falta de vulnerabilidade e humildade foi cara para Jezabel. É muito triste ver que ela chegou até as portas do inferno cheia de arrogância e soberba. Viveu sua vida como quis sem se importar com o custo disso, jamais se curvou diante de DEUS. Seu futuro foi um fracasso. Já era viúva antes de morrer. Foi uma péssima mãe, não nutriu nem amou as almas de seus filhos; os viu nascer somente para depois vê-los morrerem em humilhação.
Acazias, sucessor de Acabe no trono, reinou por dois anos em Israel e morreu depois de uma queda da sacada se sua casa. Seu neto, rei de Judá e seu filho Jorão, que reinava em Israel, morreram, por meio de Jeú horas antes que ela morresse. Possivelmente o fato de ela ter se arrumado quando viu Jeú fosse por causa do sofrimento que estava sentindo ou simplesmente era muito orgulhosa e queria morrer de maneira “digna”.
Ela deu a seus filhos terras que não eram dela e que só lhes causaram destruição. Seus filhos foram sacrificados no altar de seu próprio orgulho.
Foi mãe de Atalia, e não se sabe qual das duas foi mais cruel. Atalia foi dada em casamento a Jeorão, rei de Judá (reino do Sul), com a intenção de promover união entre Israel e Judá. Seu filho foi morto no mesmo dia em que morreu sua mãe (Jezabel). Quando soube da morte do filho mandou matar todos os descendentes da família real, inclusive seus netos, e governou Judá por seis anos. A Bíblia diz que Judá somente teve paz depois que Atalia morreu à espada no seu próprio palácio.
Sete anos após a morte de Jezabel, não restou nenhum descendente dela como DEUS havia profetizado.
A vida tem tudo a ver com tomar decisões. Tomamos decisões todos os dias – o que comer, com quem passar tempo e que tarefas priorizar. As boas decisões levam ao contentamento e a uma vida realizada, ao passo que as más decisões levam ao desapontamento, à dor e ao caos interior. Como a Bíblia diz você colhe o que semeia (Gl. 6:7).
O Ato de tomar boas decisões vem de DEUS.
 
Pra não nos parecermos tanto com Jezabel tenho quatro dicas:
1- Entregue suas vontades a DEUS. Jezabel fez o contrário e colheu o pior;
2- Escolha cuidadosamente suas amizades e relacionamentos. Acabe e Jezabel trouxeram à tona o pior um do outro. Eles queriam dominar a vida um do outro e dos outros. Busque conselhos de pessoas sábias. Entretanto, não deixe que elas tomem as decisões por você;
3- Conheça suas fraquezas e busque se fortalecer. Não deixe que suas fraquezas a dominem;
4- Peça sabedoria a DEUS. Não confie em seus “achismos”, ou seja, na sua própria sabedoria.
Acabe e Jezabel são exemplos perfeitos de duas pessoas que tomaram decisões erradas. Todos nós podemos aprender muito com eles e fazer o oposto, seguindo a DEUS, confiando nele em tudo o que fizermos e amando e respeitando um ao outro.
Convivemos diariamente com várias Jezabéis. Este estudo é uma grande oportunidade de ajudar essas mulheres a se livrarem de sua cegueira e da surdez espirituais.
(www.icibsb.org.br/artigos/071019.aspx)
 
INTERAÇÃO
Caro professor, o pastor José Gonçalves - professor de Teologia, escritor e vice-presidente da Comissão de Apologética da CGADB - é o comentarista das Lições Bíblicas deste trimestre. O tema que será abordado é "Elias e Eliseu: um ministério de poder para toda a Igreja". Estudaremos a vida desses profetas e veremos que ela é um divisor de águas no ministério e na historiografia judaica. Elias e Eliseu deixaram um legado de poder, ousadia, santidade e abnegação à sua posteridade. A partir de seus ministérios, podemos ver florescer Isaías, Jeremias, Ezequiel, Daniel e outros santos homens que honraram o caminho daqueles autênticos profetas do Senhor.
 
OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Identificar as causas e os agentes da apostasia em Israel.
Conscientizar-se  sobre os perigos da apostasia.
Compreender quais foram as consequências da apostasia para Israel.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor, para a primeira aula deste trimestre sugerimos que você reproduza o esquema abaixo.  Utilize-o para apresentar aos alunos um panorama geral da vida de Elias e Eliseu. Inicie a aula traçando as principais características desses profetas bíblicos. Diga à classe, que mesmo diante de uma sociedade apóstata, Elias e Eliseu obedeceram ao Senhor. Eles porfiaram por realizar a vontade de DEUS contra quaisquer prejuízos.
 


RESUMO DA LIÇÃO 1, A APOSTASIA NO REINO DE DEUS
COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO
Apostasia durante o reinado de Acabe, filho de Onri. . Na prática, o culto ao DEUS verdadeiro foi substituído pela adoração ao deus falso Baal, trazendo como consequência uma apostasia sem precedentes e pondo em risco até mesmo a verdadeira adoração a DEUS.
I. AS CAUSAS DA APOSTASIA
1. Casamento misto.
2. Institucionalização da idolatria.
II. OS AGENTES DA APOSTASIA
1- Acabe.
2- Jezabel
III. AS CONSEQUÊNCIAS DA APOSTASIA
1. A perda da identidade nacional e espiritual.
2. O julgamento divino.
IV. APOSTASIA
1. Um perigo real.
2. Um mal evitável.
CONCLUSÃO
Ficou perceptível nessa lição que a apostasia no reino do Norte pôs em perigo a existência do povo de DEUS durante o reinado de Acabe.
Não podemos fazer aliança com o paganismo mesmo que isso traga algumas vantagens políticas ou sociais. 
 
SINÓPSE DO TÓPICO (1) - Tanto no Antigo como em o Novo Testamento as Escrituras condenam o casamento misto.
SINOPSE DO TÓPICO (2) - Em Israel, Acabe e Jezabel foram os agentes mais eficazes da apostasia.
SINÓPSE DO TÓPICO (3) - As consequências da apostasia à nação de Israel foram duas: a perda da identidade nacional (e espiritual) e o julgamento divino.
SINÓPSE DO TÓPICO (4) - A apostasia é um perigo real, mas também é um mal evitável através da vigilância do crente.
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICOI
Subsídio Lexográfico - "Apostasia
[Do gr. apostásis, afastamento] Abandono premeditado e consciente da fé cristã. No Antigo Testamento, não foram poucas as apostasias cometidas por Israel. Só em Juízes, há sete desvios ou abjuração da verdadeira fé em DEUS. Para os profetas, a apostasia constituí-se num adultério espiritual. Se a congregação hebreia era tida como a esposa de Jeová, deveria guardar-lhe fielmente os preceitos, e jamais curvar-se diante dos ídolos. Jeremias e Ezequiel foram os profetas que mais enfocaram a apostasia israelita sob o prisma das relações matrimoniais.
No Primitivo Cristianismo, as apostasias não eram desconhecidas. Muitos crentes de origem israelita, por exemplo, sentindo-se isolados da comunidade judaica, deixavam a fé cristã, e voltavam aos rudimentos da Lei de Moisés e ao pomposo cerimonial levítico.
Há que se estabelecer, aqui, a diferença entre apostasia e heresia. A primeira é o abandono premeditado e completo da fé; a segunda, é a abjuração parcial dessa mesma fé" (ANDRADE, Claudionor Corrêa. Dicionário Teológico. 13. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, pp.56,57).
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICOII
Subsídio Biográfico –
"ELIAS
Elias foi chamado para servir como porta-voz de DEUS na ocasião em que o reino do norte havia alcançado sua mais forte posição econômica e política desde a separação feita pelo governo Davídico em Jerusalém. [...]
Sua primeira missão foi enfrentar o rei Acabe com o aviso de uma seca iminente, lembrando que o Senhor DEUS de Israel, a quem ele havia ignorado, tinha o controle da chuva na terra onde viviam (Dt 11.10-12). Em seguida, Elias isolou-se e caminhou em direção a leste do Rio Jordão. Nesse lugar, ele foi sustentado pelas águas do ribeiro de Querite e pelo pão e carne milagrosamente fornecidos pelos corvos. É possível que esse "ribeiro" (nahal) seja o profundo vale do Rio Jarmuque, ao norte de Gileade. Quando o suprimento de água terminou por causa da seca, Elias foi divinamente instruído a ir até Sarepta, na Fenícia, onde seria sustentado por uma viúva cuja reserva de farinha e óleo havia sido milagrosamente aumentada até que a estação das chuvas fosse restaurada à terra. A identidade de Elias como profeta ou homem de DEUS foi confirmada pela divina manifestação quando o filho da viúva foi restaurado à vida" (Dicionário Bíblico Wycliffe. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, pp.628-29). 
"ELISEU
[...] Seu ministério profético cobriu toda a última metade do século IX a.C., atravessando os reinados de Jorão, Jeú, Jeoacaz, e Joás, do reino do Norte. Sua influência estendia-se desde uma viúva endividada (2 Rs 4.1) até um homem rico e proeminente (4.8) e mesmo até dentro do próprio palácio de Israel (5.8; 6.9; 12, 21, 22; 6.32-7.2; 8.4; 13.14-19). Além disso, outros reis (Josafá de Judá, 2 Reis 3.11-19, Bem-Hadade da Síria, 8.7-9) e altos funcionários do exército sírio 5.1,9-19 procuravam sua ajuda. Diferentemente de Elias que tinha uma tendência ao ascetismo, e a se afastar dos olhos do público, Eliseu viveu próximo às pessoas que servia, e gostava da vida social. Tinha uma casa em Samaria, a capital (2 Rs 6.32), mas viajava constantemente pelo país, tal como Samuel havia feito antes dele. Frequentemente parava para visitar seus amigos em Suném. Exatamente como JESUS fez, mais tarde, muitas vezes com Maria e Marta. Eliseu chorou quando falou com Hazael, pois conhecia muito bem o cruel sofrimento que este causaria a Israel (2 Rs 8.11,12). [...] É evidente que muitos aspectos da pessoa e da obra de Eliseu são capazes de reproduzir em muitos aspectos o caráter e o ministério de nosso Senhor" (Dicionário Bíblico Wycliffe. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p.633).
 
VOCABULÁRIO
Abjuração: Renúncia solene a fé; a doutrina; a opinião.
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
Dicionário Bíblico Wycliffe. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009.HARRISON, R. K.
Tempos do Antigo Testamento: Um Contexto Social, Político e Cultural. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010.MERRIL. Eugene H. História de Israel no Antigo Testamento: O reino de sacerdotes que DEUS colocou entre as nações. 6.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
 
SAIBA MAIS PELA Revista Ensinador Cristão CPAD
nº 53, p.36.
 
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 1, A APOSTASIA NO REINO DE DEUS
Responda conforme a revista da CPAD do 1º Trimestre de 2013
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas verdadeiras e com "F" as falsas
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"E sucedeu que (como se fora coisa leve andar nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate), ainda tomou por mulher a ________________________________, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi, e serviu a ____________________________, e se _______________________________________ diante dele" (1 Rs 16.31).
 
VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
A ___________________________________ na história do povo de DEUS é um perigo real e não uma mera ______________________________. Por isso, _______________________________.
 
COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO
3- Quando ocorreu um dos períodos mais sombrios na história do reino do Norte, também denominado "Israel"?
(    ) Ocorreu durante o reinado de Acabe, filho de Jeroboão.
(    ) Ocorreu durante o reinado de Acabe, filho de Onri.
(    ) Acabe governou entre os anos 874 e 853 a.C., e o seu reinado foi marcado pela tentativa de conciliar os elementos do culto cananeu com a adoração israelita.
 
I. AS CAUSAS DA APOSTASIA
4- Quais as duas principais causas de apostasia em Israel na época do profeta Elias?
(    ) Casamento misto e Banimento da idolatria.
(    ) Casamento misto e Institucionalização da monarquia.
(    ) Casamento misto e Institucionalização da idolatria.
 
5- Que consequências trouxeram o casamento misto entre Acabe e Jezabel?
(    ) Embora se fale de um casamento simbólico, as consequências dele foram na verdade materiais.
(    ) O texto bíblico põe o casamento misto de Acabe com Jezabel, filha de Etbaal rei dos sidônios, como uma das causas da apostasia no reino do Norte.
(    ) O relato bíblico destaca que Acabe "tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi e serviu a Baal, e o adorou".
(    ) Foi em decorrência desse casamento pagão que a idolatria entrou com força em Israel.
(    ) Embora se fale de um casamento político, as consequências dele foram na verdade espirituais.
 
6- A mistura sempre foi um perigo constante na história do povo de DEUS. Os crentes devem tomar todo o cuidado para evitar as uniões mistas. Onde, na bíblia, vemos a advertência de DEUS quanto a isto?
(    ) A Escritura, tanto no Antigo como em o Novo Testamento, concorda esse tipo de união.
(    ) A Escritura, tanto no Antigo como em o Novo Testamento, não condena esse tipo de união.
(    ) A Escritura, tanto no Antigo como em o Novo Testamento, condena esse tipo de união.
 
7- Como se deu a institucionalização da idolatria no tempo de Acabe e como se dá hoje, em algumas oportunidades que são dadas ao inimigo?
(    ) A união de Acabe com Jezabel demonstrou logo ser desastrosa, pois através de sua influência, Acabe "levantou um altar a Baal, na casa de Baal que edificara em Samaria" (1 Rs 16.32).
(    ) A institucionalização da idolatria em Israel fica evidente quando o autor sagrado destaca que também Acabe "fez um poste-ídolo, de maneira que cometeu mais abominações para irritar ao Senhor, DEUS de Israel, do que todos os reis de Israel que foram antes dele" (1 Rs 16.33).
(    ) Não há dúvida de que o culto a Baal estava sendo implantado no verdadeiro culto a DEUS.
(    ) Não há dúvida de que o culto a Baal estava suplantando o verdadeiro culto a DEUS.
(    ) Havia uma idolatria financiada pelo Estado.
(    ) Vez por outra temos visto Satanás tentando se valer do poder estatal para financiar práticas que são contrárias aos princípios cristãos. 
(    ) Por isso devemos orar pela nação para que ela seja um canal de bênção e não de maldição.
 
II. OS AGENTES DA APOSTASIA
8- Quais foram os dois principais agentes da apostasia de israel na época do profeta Elias?
(    ) Acabe e Jeroboão.
(    ) Acabe e Jezabel.
(    ) Acabe e Jeorão.
 
9- Complete segundo a vida de Acabe:
Onri, pai de Acabe e rei de Israel que reinou entre os anos 885 e 874 a.C., foi um grande ______________________________, tanto na política interna como na externa de Israel. Mas foi um desastre como líder _____________________________ do povo de DEUS (1Rs 16.25,26). O pecado de Acabe foi andar nos caminhos _________________________________ de seu pai, que foi um seguidor de Jeroboão, filho de Nebate (1Rs 16.26) e também ter aderido aos maus costumes dos cananeus, trazidos por sua esposa, _____________________________ (1Rs 16.31). Esse fato fez com que Acabe se tornasse um instrumento muito eficaz na propagação do culto idólatra a ______________________________. Devemos ser imitadores do que é ___________________________________ e não daquilo que é mau.
 
10- Complete segundo a vida de Jezabel:
De acordo com o relato de 1 Rs 18.19, Jezabel trouxe para Israel seus deuses falsos e também seus __________________________________ profetas. Teve uma verdadeira obstinação na implantação da adoração a _________________________ em território israelita. Foi sem dúvida alguma uma agente do mal na tentativa de _____________________________________ ou acabar de vez com o verdadeiro culto a DEUS. Não fosse a intervenção do ___________________________ através dos profetas, em especial _______________________________________, ela teria conseguido o seu intento. O Senhor sempre conta com alguém a quem Ele levanta em tempos de crise.
 
III. AS CONSEQUÊNCIAS DA APOSTASIA
11- Como se deu a perda da identidade nacional e espiritual em israel, na época do rei Acabe?
(    ) As palavras de Elizeu: "Até quando estareis entre dois pensamentos?" (1 Rs 18.21), revela a crise de identidade dos israelitas do reino do Sul.
(    ) As palavras de Elias: "Até quando coxeareis entre dois pensamentos?" (1 Rs 18.21), revela a crise de identidade dos israelitas do reino do Norte.
(    ) A adoração a Baal havia sido fomentada com tanta força pela casa real que o povo estava totalmente dividido em sua adoração.
(    ) Sabemos pelo relato bíblico que DEUS havia preservado alguns verdadeiros adoradores, mas a grande massa estava totalmente propensa à adoração falsa.
(    ) A nação que sempre fora identificada pelo nome do DEUS a quem servia, estava agora perdendo essa identidade.
 
12- Como se deu o julgamento divino na época de Acabe (em Israel) e Jeorão (em Judá)?
(    ) Julgamento semelhante ocorre durante o reino de Jeroboão, filho de Josafá e genro de Jezabel, que recebe uma carta do profeta Elias.
(    ) É nesse cenário que aparece a figura do profeta Elias predizendo uma seca que duraria cerca de três anos (1 Rs 17.1; 18.1).
(    ) A fim de que a nação não viesse a perder de vez a sua identidade espiritual e até mesmo deixar de ser vista como povo de DEUS, o Senhor enviou o seu mensageiro para trazer um tratamento de choque à nação. 
(    ) Julgamento semelhante ocorre durante o reino de Jeorão, filho de Josafá e genro de Acabe, que recebe uma carta do profeta Elias.
(    ) Nela é anunciado o juízo divino sobre a sua vida e reinado (2 Cr 21.12-15).
(    ) O Senhor mostrou claramente que a causa do julgamento estava associada ao abandono da verdadeira fé em DEUS.
(    ) Tempos depois o apóstolo dos gentios irá nos lembrar da necessidade de nos corrigirmos diante do Senhor (1 Co 11.31,32).
 
IV. APOSTASIA
13- Como era o perigo real da apostasia em Israel?
(    ) A vantagem é que estava espalhada somente na parte norte de israel.
(    ) A apostasia era algo bem real no reino do Norte.
(    ) Estava espalhada por toda parte.
(    ) Era o que os israelitas estavam fazendo, estavam abandonando a adoração devida ao DEUS verdadeiro para seguirem aos deuses cananeus. 
 
14- O que significa a palavra apostasia?
(    ) Significa, segundo os léxicos, abandonar a religião ou mudar de país.
(    ) Significa, segundo os léxicos, abandonar a fé ou mudar de religião.
(    ) Significa, segundo os léxicos, abandonar a vida material e mudar de religião.
 
15- Como é observada a postasia no Novo Testamento?
(    ) Os cristãos são advertidos sobre o perigo da apostasia.
(    ) Na Epístola aos Hebreus o autor coloca a apostasia como um perigo real e não apenas como uma mera suposição.
(    ) Mesmo que o cristão não mantenha vigilância é possível sim que ele alcanse, assim mesmo, pelo menos a salvação..
(    ) Se o cristão não mantiver a vigilância é possível sim que ele venha a naufragar na fé.
 
16- Quem era o rei Acabe?
(    ) Ainda de acordo com esse mesmo capítulo, Acabe se contristou quando foi repreendido pelo profeta, tendo sido um arrependimento sincero e pontual do mesmo.
(    ) Já observamos que Acabe foi um rei mau (1 Rs 16.30).
(    ) Em vez de seguir os bons exemplos, como os de Davi, esse monarca do reino do Norte preferiu seguir os maus exemplos.
(    ) O cronista destaca que "ninguém houve, pois, como Acabe, que se vendeu para fazer o que era mal perante o Senhor, porque Jezabel sua mulher, o instigava".
(    ) Ainda de acordo com esse mesmo capítulo, Acabe se contristou quando foi repreendido pelo profeta, mas parece que foi um arrependimento tardio.
 
CONCLUSÃO
17- Complete:
Ficou perceptível nessa lição que a ____________________________ no reino do Norte pôs em perigo a existência do povo de DEUS durante o reinado de Acabe. A sua união com ____________________________ demonstrou ser nociva não somente para Acabe, que teve o seu reino destroçado, mas também para o povo de DEUS, que por muitos anos ficou dividido entre dois pensamentos em relação ao verdadeiro ___________________________. As lições deixadas são bastante claras para nós: não podemos fazer aliança com o ___________________________________ mesmo que isso traga algumas vantagens políticas ou sociais; a verdadeira _________________________________ a DEUS deve prevalecer sobre toda e qualquer oferta que nos seja feita. Mesmo que essas ofertas tragam grandes ganhos no presente. Todavia nada significam quando mensuradas pela régua da _________________________________. 
 
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm 
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
SOARES, Esequias. O Ministério Profético na Bíblia: A voz de DEUS na Terra. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010.
SOARES, Esequias. Visão Panorâmica do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.
ZUCK, Roy B (Ed.). Teologia do Antigo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009. 
William Macdonald - Comentário Bíblico popular (Antigo Testamento).
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.
O Novo Dicionário da Bíblia - J.D.DOUGLAS.
Comentário Bíblico NVI - EDITORA VIDA.
Revista Ensinador Cristão - nº 52 - CPAD.
Comentário Bíblico Beacon, v.5 - CPAD.
Revista - LIÇÃO JUVENIS CPAD 2002= ESTUDO PANORÂMICO DOS PROFETAS MENORES
GARNER, Paul. Quem é quem na Bíblia Sagrada. VIDA
ELISSEN, Stanley. Conheça melhor o Antigo Testamento. VIDA.
CHAMPLIN, R.N. O Novo Testamento Interpretado versículo por Versículo. HAGNOS.
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD

Nenhum comentário: