segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

LIÇÃO 13, A INTEGRIDADE DE UM LÍDER




LIÇÃO 13, A INTEGRIDADE DE UM LÍDER
Lições Bíblicas do 4º Trimestre de 2011 - CPAD - Jovens e Adultos
NEEMIAS - Integridade e Coragem em Tempos de Crise
Comentários da revista da CPAD: Pr. Elinaldo Renovato de Lima
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD: Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e videos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
Com QUESTIONÁRIO
Resumo do trimestre em figuras ilustrativas
 
 
TEXTO ÁUREO
"Se é ministério, seja em ministrar [m]; o que preside, com cuidado [...]" (Rm 12.7,8).
 
 
VERDADE PRÁTICA
Somente com os líderes verdadeiramente chamados por DEUS e comprometidos com a sua obra é que a igreja de CRISTO poderá cumprir integralmente a missão que lhe confiou o Senhor.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - SI 113.7,8 O necessitado entre os príncipes
Terça - Et 2.17 Uma órfã torna-se rainha
Quarta - 1 Sm 16.1 Um pastor de ovelhas torna-se rei
Quinta - Ne 1.4 Um líder que orava
Sexta - Ne 5. 14, 1 5 O temor de DEUS evita a corrupção
Sábado - Ne 8.1 Um líder que valorizava a Lei
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Neemias 1.5-11
E disse: Ah! Senhor, DEUS aos céus, DEUS grande e terrível, que guardas o concerto e a benignidade para com aqueles que te amam e guardam os teus mandamentos! 6 - Estejam, pois, atentos os teus ouvidos, e os teus olhos, abertos, para ouvires a oração do teu servo, que eu hoje faço perante ti, de dia e de noite, pelos filhos de Israel, teus servos; e faço confissão pelos pecados dos filhos de Israel, que pecamos contra ti; também eu e a casa de meu pai pecamos. 7 - De todo nos corrompemos contra ti e não guardamos os mandamentos, nem os estatutos, nem os juízos que ordenaste a Moisés, teu servo. 8 - Lembra-te, pois, da palavra que ordenaste a Moisés, teu servo, dizendo: Vós transgredireis, e eu vos espalharei entre os povos. 9 - E vós vos convertereis a mim, e guardareis os meus mandamentos, e os fareis; então, ainda que os vossos rejeitados estejam no cabo do céu, de lá os ajuntarei e os trarei ao lugar que tenho escolhido para ali fazer habitar o meu nome. 10 - Estes ainda são teus servos e o:teu povo que resgataste com a tua grande força e com a tua forte mão. 11 Ah! Senhor, estejam, pois, atentos os teus ouvidos à oração do teu servo e à oração dos teus servos que desejam temer o teu nome; e faze prosperar hoje o teu servo e dá-lhe graça perante este homem. Então, era eu copeiro do rei.
 
1.1 NEEMIAS. Neemias partiu da Pérsia para Jerusalém em 444 a.C., como governador de Judá. Isto ocorreu treze anos após a chegada de Esdras a Jerusalém. Neemias veio incumbido pelo rei da Pérsia para reconstruir o muro de Jerusalém e fortificar a cidade (2.7,8). Apesar de muita oposição, Neemias completou o muro em cinqüenta e dois dias (6.15). Era um homem capaz, corajoso, perseverante e de oração (ver 2.4). Ele também cooperou com Esdras, para levar a efeito a renovação espiritual do povo (cap. 8).
1.4 CHOREI... E ESTIVE JEJUANDO E ORANDO. Neemias tinha grande solicitude pelo seu povo e pela obra de DEUS em Judá. Durante quatro meses (cf. v. 1 com 2.1), derramou seu coração diante de DEUS, em jejum e oração, com muitas lágrimas, por causa do problema que afligia o povo de DEUS em Jerusalém e em Judá (cf. At 20.31). Sua oração incluiu a confissão de pecados (vv. 6,7), súplica a DEUS para Ele cumprir a sua própria palavra (v. 8; cf. Lv 26.40-45; Dt 30.1-6), seu zelo pela glória e propósitos de DEUS (vv. 5-8) e intercessão incessante pelos filhos de Israel (v. 6).1.11 DÁ-LHE GRAÇA PERANTE ESTE HOMEM. "Este homem" era Artaxerxes, rei da Pérsia (2.1). Neemias orou para que DEUS lhe concedesse graça perante o rei, para o bem dos judeus. Quando precisarmos de alguma coisa doutra pessoa, devemos primeiramente apresentar diante de DEUS aquilo que estamos precisando. DEUS pode comover o coração e a mente de líderes influentes, para cumprirem a vontade divina (ver Et 4.16; Pv 21.1).
 
QUALIFICAÇÕES MORAIS DO PASTOR (BEP-CPAD)
1Tm 3.1,2 “Esta é uma palavra fiel: Se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja. Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar.”

Se algum homem deseja ser “bispo” (gr. episkopos, i.e., aquele que tem sobre si a responsabilidade pastoral, o pastor), deseja um encargo nobre e importante (3.1). É necessário, porém, que essa aspiração seja confirmada pela Palavra de DEUS (3.1-10; 4.12) e pela igreja (3.10), porque DEUS estabeleceu para a igreja certos requisitos específicos. Quem se disser chamado por DEUS para o trabalho pastoral deve ser aprovado pela igreja segundo os padrões bíblicos de 3.1-13; 4.12; Tt 1.5-9. Isso significa que a igreja não deve aceitar pessoa alguma para a obra ministerial tendo por base apenas seu desejo, sua escolaridade, sua espiritualidade, ou porque essa pessoa acha que tem visão ou chamada. A igreja da atualidade não tem o direito de reduzir esses preceitos que DEUS estabeleceu mediante o ESPÍRITO SANTO. Eles estão plenamente em vigor e devem ser observados por amor ao nome de
DEUS, ao seu reino e da honra e credibilidade da elevada posição de ministro.
(1) Os padrões bíblicos do pastor, como vemos aqui, são principalmente morais e espirituais. O caráter íntegro de quem aspira ser pastor de uma igreja é mais importante do que personalidade influente, dotes de pregação, capacidade administrativa ou graus acadêmicos. O enfoque das qualificações ministerais concentra-se no comportamento daquele que persevera na sabedoria divina, nas decisões acertadas e na santidade devida. Os que aspiram ao pastorado sejam primeiro provados quanto à sua trajetória espiritual (cf. 3.10). Partindo daí, o ESPÍRITO SANTO estabelece o elevado padrão para o candidato, i.e., que ele precisa ser um crente que se tenha mantido firme e fiel a JESUS CRISTO e aos seus princípios de retidão, e que por isso pode servir como exemplo de fidelidade, veracidade, honestidade e pureza. Noutras palavras, seu caráter deve demonstrar o ensino de CRISTO em Mt 25.21 de que ser “fiel sobre o pouco” conduz à posição de governar “sobre o muito”.
(2) O líder cristão deve ser, antes de mais nada, “exemplo dos fiéis” (4.12; cf. 1Pe 5.3). Isto é: sua vida cristã e sua perseverança na fé podem ser mencionadas perante a congregação como dignas de imitação.
(a) Os dirigentes devem manifestar o mais digno exemplo de perseverança na piedade, fidelidade, pureza em face à tentação, lealdade e amor a CRISTO e ao evangelho (4.12,15).
(b) O povo de DEUS deve aprender a ética cristã e a verdadeira piedade, não somente pela Palavra de DEUS, mas também pelo exemplo dos pastores que vivem conforme os padrões bíblicos.
O pastor deve ser alguém cuja fidelidade a CRISTO pode ser tomada como padrão ou exemplo (cf. 1Co 11.1; Fp 3.17; 1Ts 1.6; 2Ts 3.7,9; 2Tm 1.13).
(3) O ESPÍRITO SANTO acentua grandemente a liderança do crente no lar, no casamento e na família (3.2,4,5; Tt 1.6). Isto é: o obreiro deve ser um exemplo para a família de DEUS, especialmente na sua fidelidade à esposa e aos filhos. Se aqui ele falhar, como “terá cuidado da igreja de DEUS?” (3.5). Ele deve ser “marido de uma [só] mulher” (3.2). Esta expressão denota que o candidato ao ministério pastoral deve ser um crente que foi sempre fiel à sua esposa. A tradução literal do grego em 3.2 (mias gunaikos, um genitivo atributivo) é “homem de uma única mulher”, i.e., um marido sempre fiel à sua esposa.
(4) Conseqüentemente, quem na igreja comete graves pecados morais, desqualifica-se para o exercício pastoral e para qualquer posição de liderança na igreja local (cf. 3.8-12). Tais pessoas podem ser plenamente perdoadas pela graça de DEUS, mas perderam a condição de servir como exemplo de perseverança inabalável na fé, no amor e na pureza (4.11-16; Tt 1.9). Já no AT, DEUS expressamente requereu que os dirigentes do seu povo fossem homens de elevados padrões morais e espirituais. Se falhassem, seriam substituídos (ver Gn 49.4; Lv 10.2; 21.7,17; Nm 20.12; 1Sm 2.23; Jr 23.14; 29.23).
(5) A Palavra de DEUS declara a respeito do crente que venha a adulterar que “o seu opróbrio nunca se apagará” (Pv 6.32,33). Isto é, sua vergonha não desaparecerá. Isso não significa que nem DEUS nem a igreja perdoará tal pessoa. DEUS realmente perdoa qualquer pecado enumerado em 3.1-13, se houver tristeza segundo DEUS e arrependimento por parte da pessoa que cometeu tal pecado. O que o ESPÍRITO SANTO está declarando, porém, é que há certos pecados que são tão graves que a vergonha e a ignomínia (i.e., o opróbrio) daquele pecado permanecerão com o indivíduo mesmo depois do perdão (cf. 2Sm 12.9-14).
(6) Mas o que dizer do rei Davi? Sua continuação como rei de Israel, a despeito do seu pecado de adultério e de homicídio (2Sm 11.1-21; 12.9-15) é vista por alguns como uma justificativa bíblica para a pessoa continuar à frente da igreja de DEUS, mesmo tendo violado os padrões já mencionados. Essa comparação, no entanto, é falha por vários motivos.
(a) O cargo de rei de Israel do AT, e o cargo de ministro espiritual da igreja de JESUS CRISTO, segundo o NT, são duas coisas inteiramente diferentes. DEUS não somente permitiu a Davi, mas, também a muitos outros reis que foram extremamente ímpios e perversos, permanecerem como reis da nação de Israel. A liderança espiritual da igreja do NT, sendo esta comprada com o sangue de JESUS CRISTO, requer padrões espirituais muito mais altos.
(b) Segundo a revelação divina no NT e os padrões do ministério ali exigidos, Davi não teria as qualificações para o cargo de pastor de uma igreja do NT. Ele teve diversas esposas, praticou infidelidade conjugal, falhou grandemente no governo do seu próprio lar, tornou-se homicida e derramou muito sangue (1Cr 22.8; 28.3). Observe-se também que por ter Davi, devido ao seu pecado, dado lugar a que os inimigos de DEUS blasfemassem, ele sofreu castigo divino pelo resto da sua vida (2Sm 12.9-14).
(7) As igrejas atuais não devem, pois, desprezar as qualificações justas exigidas por DEUS para seus pastores e demais obreiros, conforme está escrito na revelação divina. É dever de toda igreja orar por seus pastores, assisti-los e sustentá-los na sua missão de servirem como “exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza” (4.12).
 
O CARÁTER DO LÍDER QUE DEUS USA
A liderança exige seguidores de confiança. A fé, no bom juízo e visão do cabeça de uma organização, durará somente enquanto o líder estiver dando à seus seguidores razões para nele confiar. A confiança tem suas raízes no caráter. É por isso que o caráter é central na liderança efetiva. Os líderes que apresentam os mais nobres traços de caráter não precisam se manter no poder por força bruta ou engano.
Stephen Covey escreveu em The Seven Habits of Highly Effictive People, que a liderança e o gerenciamento são duas funções distintas. O gerenciamento preocupa-se com o controle, a eficiência e as regras, enquanto que a liderança deve se preocupar com a direção, o propósito e o sentimento familiar.
A liderança sugere seguidores voluntários, ao passo que, o gerenciamento, muitas vezes, exige a obrigação e o dever. O cabeça da companhia pode ser considerado um bom gerente se ele toma decisões que aumentarão a rentabilidade da organização. A liderança deve ter uma visão maior, direcionada ao bem-estar, a longo prazo, de todas as pessoas beneficiadas pela organização. O gerenciamento preocupa-se com a qualidade do produto e seu bom nome, enquanto que, a liderança olha, em primeiro lugar, para a justificativa moral da fabricação do produto. "Gerenciamento é fazer as coisas de uma forma correta. Liderança é fazer as coisas corretas. Gerenciamento é eficiência subindo a escada do sucesso; liderança determina se a escada está posta contra a parede certa".
O autor de Hebreus refere-se a liderança quando ele exorta seus leitores: "Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles; pois velam por vossa alma, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo" (Hb 13.17). Um líder tem seu olho no Dia do Juízo, quando seus seguidores louvarão a DEUS por ele, ou o condenarão por ter colocado pedras de tropeço no caminho deles. Os traços do caráter, que seguem abaixo, são seguros, à toda prova, no que diz respeito a um homem que é usado por DEUS.
 
Santidade 
A primeira exigência de um líder cristão é santidade. Ele precisa ser sensível ao pecado que outros possivelmente consideram aceitável. Isaías tornou-se sensível a sua fala impura logo que viu o Senhor exaltado no templo. O tremendo som da repetição de "santo é o Senhor dos Exércitos" pelo serafim, estarreceu-o (ls 6.1-3). Ele gritou:”Ai de mim! Estou perdido!" (v.5). Esse foi o efeito que a visão teve no jovem profeta.
DEUS comanda todos os seus filhos: "Sede santos, porque eu sou santo" (IPe 1.16; Lv 11.44; 19.2). Ele, assim, revela ambos - a base e o padrão da santidade. O alicerce da santidade do líder está no caráter do DEUS que ele está representando. Se a descrição, "homem de DEUS", falha em representar a pessoa em comando, a organização cristã que ele lidera se sentirá mais livre para andar nas trevas. Um modelo com ações dúbias encoraja seguidores a dar "jeitinhos" e ser hipócritas. O comportamento não apropriado para um líder torna a nova natureza dos filhos da luz em uma farsa (Ef 5.8).
A santidade, do ponto de vista humano, coincide com boa reputação. Pedro não somente exortou os crentes da Ásia Menor para serem santos, mas para: "Manter exemplar o vosso procedimento no meio dos gentios, para que, naquilo que falam contra vós outros como de malfeitores, observando-vos em vossas boas obras, glorifiquem a DEUS no dia da visitação" (IPe 2.12). O mundo secular do primeiro século acreditava que os cristãos eram maus. Acusações das mais variadas e absurdas foram motivos de mexerico. Contudo, as boas obras dos cristãos e a preocupação amorosa dos crentes continuava a desmentir as acusações pagãs.
Os apóstolos alistaram uma boa reputação como a primeira exigência para aqueles que haveriam de ocupar a função de liderança (At 6.3). Na lista de exigências para o ofício pastoral, "irrepreensível" é a primeira (1Tm 3.2; Tt 1.6).
A falta de compromisso com os princípios éticos e doutrinários deve ressoar como um alerta.
 
Cheio do ESPÍRITO SANTO 
"Cheio do ESPÍRITO" foi o segundo traço de caráter que os apóstolos solicitaram dos líderes que cuidavam da distribuição diária (At 6.3). A "plenitude do ESPÍRITO SANTO"significa três coisas:
Primeiro, significa que o líder tornou-se corajoso e valente. A realidade do ESPÍRITO na vida de um homem como Pedro pode ser vista em seu sermão no dia de Pentecostes (At 2), e em sua resposta corajosa aos líderes e anciãos dos judeus, que tinham o poder de colocá-lo na prisão e matá-lo (At 4.8). O encontro de oração, após as ameaças dos líderes do Sinédrio, resultou em um novo encher do ESPÍRITO. A conseqüência foi que eles "com intrepidez, anunciavam a palavra de DEUS" (At 4.31).
Estêvão foi um dos sete que convenceu a igreja de Jerusalém que ele estava "cheio do ESPÍRITO". É surpreendente a tremenda coragem com a qual expressou sua interpretação do Antigo Testamento com relação a JESUS, como o Messias. Liderança e um "espírito de medo" não casam-se. Timidez em um líder não é um sinal saudável nem promete sucesso (cf. 2Tm 1.7).
Segundo, o enchimento do ESPÍRITO é encontrado no zelo e poder evangelístico que Filipe demonstrou em Samaria. Foi tão impressionante a unção pela qual Filipe proclamara CRISTO (At 8.6), que multidões deram atenção ao que disse. Além do mais, os demônios gritavam quando foram expulsos das pessoas possuídas. Ele realizou milagres poderosos de curas de doenças físicas (v.7). Atualmente, nos esquecemos de que líderes de organizações cristãs deveriam realizar milagres.
Terceiro, a plenitude do ESPÍRITO significa que o líder não está sozinho. Ele tem um "assistente divino". Sem o ESPÍRITO, será que Filipe saberia que precisava deixar o ministério frutífero em Samaria e viajar à Gaza para unir-se ao carro do eunuco, mordomo-mor de Candace, rainha dos etíopes (At 8.26-31)? Ou será que Paulo teria exercido a coragem e o entendimento de desafiar Elimas, o mágico, e puni-lo com cegueira, para que o procônsul de Chipre viesse a crer no Senhor (At 13.7-1O)? Permanece de importância máxima que o líder saiba a mente do Senhor antes de tomar decisões que venham afetar a sua vida e a vida de outras pessoas. Todos os filhos de DEUS devem ser guiados pelo ESPÍRITO (Rm 8.14) ou "andar no ESPÍRITO" (GI 5.16,25), mas é ainda mais importante que o líder seja assim liderado. Suas decisões afetam mais pessoas. Sua vida chama a atenção como um modelo exemplar.
 
Sabedoria 
A igreja de Jerusalém tinha acabado de nascer quando as circunstâncias levaram, a Igreja e os apóstolos, a entender que eles eram incapazes de gerenciar o fundo de distribuição às viúvas, além de seus outros deveres. A crítica às práticas injustas dessa distribuição estava bem fundamentada (At 6.1). Os apóstolos reconheceram a importância de manter o amor mútuo e a unidade na igreja. Conseqüentemente, eles formaram a base para um segundo nível de liderança, mais conhecido como "diaconia”. A sabedoria é a chave virtuosa entre as qualidades que os sete homens precisavam. Como a igreja de Jerusalém entendia esse termo? Tiago pastoreara aquela igreja depois que os apóstolos se espalharam.
Sabedoria significa mais do que mera inteligência. Enquanto esta refere-se à habilidade de resolver problemas de forma correta pelo uso da razão e experiência; aquela, refere-se à inteligência divina. Soluções humanas aos problemas são avaliados na base das vantagens que aquelas soluções trazem àqueles que estão encarregados. Isso explica a descrição de "sabedoria” que Tiago chama de terrena e natural (Tg 3.15). Esta é a motivação que produz um "sentimento faccioso", o qual normalmente cria "inveja amargurada”.
A sabedoria lá do alto, por outro lado, é "pura” (v.17). Isto é, livre de contaminação facciosa. Ela produz paz, em vez de contenda e disputa. É "gentil", ou seja, preocupada com o sentimento dos outros. É "razoável", disposta a ceder e a negociar. A sabedoria celestial é "plena de misericórdia", mostrando seu amor a outros. "Bons frutos" caracterizam o resultado dessa sabedoria em ação. Onde a "sabedoria" é usada, ações generosas e boas serão certamente encontradas. Sabedoria significa prontidão e perseverança, além da ausência de hipocrisia (T g 3.17).
Paulo expressa a verdadeira natureza da sabedoria que vem de DEUS como o caminho da cruz pelo qual ele salva pecadores desamparados (1 Co 1.19-25). .
Já que Daniel era o líder do grupo de judeus cativos, sua decisão influenciou-os. Em sabedoria, Daniel não somente recusou comer o que DEUS não permitira, mas também, designou um plano pelo qual sua decisão não resultaria no desagrado do rei. O Senhor deu sabedoria e inteligência para que os quatro jovens hebraicos fossem dez vezes mais doutos do que todos os outros quando chegou a hora de responder às perguntas do rei (v.20)
Daniel deixou evidente seu hábito de oração, não mantendo-o em segredo, para que assim, pudesse encorajar outros judeus cativos a continuarem buscando o Senhor publicamente (Dn 6). Certamente, milhares de judeus cativos foram fortificados em sua fé ao saberem que Daniel tinha escolhido viver pela sabedoria celestial. Imagine o quanto foram encorajados ao saberem que DEUS preservara a Daniel das ameaças do seu inimigo! Na verdade, Daniel saiu dessa situação mais forre do que nunca.
Daniel corajosamente demonstrou que DEUS era confiável se seus seguidores fossem orientados pela sabedoria divina. Ele comunicou essa sabedoria teológica a Nabucodonosor. Como um ditador antigo do Oriente, que reinou inteiramente por sua ambiciosa inteligência humana, Nabucodonosor, não foi um aluno apto. Veja o testemunho de Daniel acerca de DEUS ao rei: "Seu domínio é sempiterno, e seu reino é de geração em geração. Todos os moradores da terra são por ele reputados em nada; e, segundo a sua vontade, ele opera com o exército do céu e os moradores da terra; não há quem lhe possa deter a mão, nem lhe dizer: 'Que fazes?'" (Dn 4.34-35).
A capacidade de Daniel para liderar, desde sua mocidade, cresceu da sua convicção à respeito de DEUS e da sabedoria que esse conhecimento instilara em seu coração. Um líder, segundo o padrão de DEUS, certamente demonstrará a sabedoria lá do alto, concedida pelo ESPÍRITO SANTO de DEUS àqueles que, como Daniel, buscam-na para si.
 
Lucas não alista "fé" entre as qualidades que os apóstolos consideraram essenciais para a liderança que cuidaria do fundo de distribuição das viúvas na igreja de Jerusalém. Ele, porém, descreve Estêvão como um "homem cheio de fé" (6.5). Certamente, é um traço espiritual central de todos que desejam ser líderes piedosos.
O autor do livro de Hebreus afirma que "sem fé é impossível agradar a DEUS" (11.6). DEUS nunca poderia agradar-se de um líder que exerce autoridade em seu Reino, que não seja um homem de fé.
Paulo também não interpreta os eventos recentes em sua vida, como marcas dos golpes vencedores do diabo. Ele escreveu: "Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida. Contudo, já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte, para que não confiemos em nós, e sim no DEUS que ressuscita os mortos" (2Co 1.8-9). O apóstolo via a realidade pela lente da fé.
 
Amor 
Existe alguma qualidade de que um líder careça mais do que o amor? O "salvar a vida” por meio da "perda dela” por CRISTO e pelos necessitados não é mais algo popular, atualmente, embora seja o ponto central daquilo que JESUS exige de seus seguidores (Lc 9.23-24). O amor é mais importante no Novo Testamento do que os dons espirituais ou o conhecimento (1Co 13; 8.1). Uma liderança sem amor é como um corpo sem o coração. Morta e sem sentido, ela promove vaidade, em vez de maturidade cristã.
Paulo escreve para os Coríntios que o amor de CRISTO nos constrange (2Co 5.14). Significa que qualquer pessoa que sente intimamente o amor que CRISTO tem por ela, desejará segui-Io, e servi-Io. A mesma verdade é válida para relacionamentos entre líderes e seguidores. É por isso que JESUS fez o contraste entre o mercenário e o pastor, em João 10. O mercenário não é o dono das ovelhas, nem se preocupa com o que acontece com elas. Quando o lobo aparece, ele foge. Não sente nenhuma necessidade de arriscar sua vida pelo bem-estar e proteção das ovelhas (vv.12,13). O amor do pastor, ao contrário, é tão íntimo e sacrifical que ele dá a sua vida pelas ovelhas (v. 11).
Amor (agape) de caráter bíblico, não procura os seus próprios interesses, mas o bem-estar de um irmão ou do próximo. Como o bom samaritano (Lc 10), ele se alegra em dar de seu tempo, transporte e dinheiro para ajudar uma vítima de um assalto. A palavra "benigno" (1Co 13.4) descreve essa qualidade. O líder que se identifica com o sofrimento de um seguidor ganhará a sua lealdade. O amor é a qualidade que aproxima o líder do grupo. Quando membros de uma igreja sentem que seu o pastor os ama, o cinismo desaparece e a inveja evapora.
Os dez princípios, apresentados por Ted Engstrom, que seguem abaixo, ajudarão o líder a fazer do amor algo prático.
1. "Precisamos tomar a decisão de desenvolver amizades em que não exigimos nada em troca”. Essa é a base para o amor bíblico, incondicional e não manipulador.
2. "Deve haver um esforço consciente para nutrirmos um interesse autêntico por outras pessoas". Esse interesse deve procurar o benefício dos outros e não os nossos próprios interesses.
3. "Cada um de nós é uma criatura ímpar. Conseqüentemente, levaremos tempo, e muitas vezes um longo tempo, para conhecermos uns aos outros". Tempo expressa amor de modo prático.
4. "Comprometa-se a aprender como ouvir". Ouvir atentamente é difícil, especialmente quando a pessoa falando é monótona, mas isso expressa amor genuíno.
5. "Simplesmente, esteja presente, quer você saiba exatamente o que fazer ou não". Investir tempo em pessoas demonstrará o seu cuidado. Cuidar é amar.
6. "Sempre trate as pessoas de igual para igual". Ser um líder não faz de alguém melhor do que outros, nem mais valioso, aos olhos de DEUS.
7. "Seja generoso com elogios legítimos e encorajamento". É impossível demonstrar amor através de criticismo amargo e depreciação dos outros. Os elogios carregam a mensagem oposta.
8. "Faça de seus amigos prioridade, preferindo-os antes de si mesmo". O amor não pode ser praticado sem demonstrar o valor de seus amigos a outros. Considerar cada um superior a si mesmo é uma ordem do Senhor (Fp 2.3).
9. ''Aprenda amar a DEUS com todo o seu coração, alma, mente, e força. Depois ame seu próximo como a si mesmo". O Senhor deixou claro que amar ao próximo está ligado com amar a DEUS.
10. "Enfatize as qualidades e virtudes dos outros, não, seus pecados e fraquezas". Pecadores, somos todos; então, é importante que um líder não dê a impressão de que ele é perfeito, sem pecados, e seus seguidores são estúpidos e ruins.
 
Servilismo 
Elisabeth Elliot escreveu: "Creio que a Igreja será mais eficiente para levantar líderes, quando nós começarmos a exemplificar a serventia [...]
As pessoas, muitas vezes, estão fazendo coisas normais quando DEUS as chama para fazer aquilo que se torna grandes coisas. JESUS disse, 'Se você está pronto para ser o último, então, você será o primeiro. Se você está disposto para fazer coisas pequenas, então, encarregarei você de muitas coisas'. É um dos paradoxos bíblicos onde o princípio da Cruz entra em operação ¬você ganha, perdendo; e torna-se maior, tornando-se menor. Quando nós, como Igreja, evitamos a Cruz, estamos nos privando da possibilidade da verdadeira liderança espiritual. E, esse é o tipo de liderança que precisamos hoje, mais do que nunca".
Um líder, que é servo, não busca poder para auto-enriquecimento, mas para a glória do seu Mestre. Um servo que serve bem não se preocupa com sua fama ou bem-estar, conquanto, possa realizar os desejos do seu Senhor.
JESUS falou de si mesmo: "Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir (diakonein), e dar a sua vida em resgate por muitos" (Mc 10.45). Servilismo para JESUS não significou renúncia de poder. Seu ministério irradiou poder, curas, exorcismos, ensino e desafios à religiosidade hipócrita. Contudo, JESUS renunciou ao uso de poder para seu próprio conforto, fama ou satisfação. "Ele exercitou poder de forma apropriada e para fins apropriados. Sua vida proporciona o exemplo positivo sobre como o poder pode e deve ser usado".
JESUS, embora Senhor de todos, exemplificou o servilismo de várias formas. Ele colocou de lado sua própria vontade para fazer a vontade do Pai. No jardim do Getsêmani, ele colocou de lado a tentação de insistir na sua própria preferência para dar lugar a vontade do Pai (Mt 26.42).
Ele rejeitou o trono (Jo 6.14,15), mas permitiu que seus atormentadores coroassem-no com espinhos. Ele admitiu que, de fato, era o Messias (Mc 14.61,62), o Rei preanunciado de DEUS, mas não reagiu com ira e condenação contra aqueles que escarneceram dele, cuspiram nele e bateram na sua cabeça com um caniço (Mc 15.19, 20). Ele não se importou com a fama e o poder, que motivavam as pessoas comuns, mas estava totalmente preocupado com a glória do Pai.
A servilidade, para JESUS, demonstra-se na sua preocupação por outras pessoas e suas necessidades, especialmente, daqueles que eram desprezados e rejeitados pela própria sociedade. Ele não somente exigiu auto-negação dos seus discípulos, mas também, exemplificou-a em seu próprio viver. JESUS tinha uma missão a cumprir, e não, deu importância alguma para os altos e poderosos líderes que procuraram o bem-estar de si mesmos.
A atitude servil é enraizada em motivos corretos. Quando a glória de DEUS é o supremo prazer do servo, ele não tem nenhuma necessidade de fingir que é santo, como os fariseus fizeram na época de JESUS (Mt 6.1-4). JESUS alertou os títulos importantes que os escribas e fariseus apreciavam tanto. Nem "mestre", nem "pai" e nem "líder" (kathegetes) são apropriados para a atitude servil que é essencial à liderança (Mt 23.8-10).
Para JESUS, autoridade e poder são dons oferecidos por DEUS para pessoas indignas. "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de DEUS [...]" (Jo 1.12), claramente afirma que o direito (exousian, "autoridade", veja Mt 28.18) dos príncipes da família de DEUS, o Rei da glória, é distribuído liberalmente pelo Senhor JESUS.
A atitude servil pode ser melhor mantida em uma democracia do que numa autocracia ou ditadura. Em um governo democrático, o líder é uma pessoa que não herda autoridade, ou conquista-a pela força, mas ganha o privilégio de liderar. Os membros da organização estão convencidos de que o seu líder escolhido resolverá seus problemas mais eficazmente do que qualquer outro, senão, deixariam de apoiá-lo. Porém, se um líder tem uma ambição não bíblica por poder, e portanto, usa meios ilegítimos para consolidá-la em suas mãos, deverá ser lembrado do alerta do Senhor. "Se aquele servo disser consigo mesmo: Meu senhor tarda em vir, e passar a espancar os criados e as criadas, a comer, a beber e a embriagar-se, virá o senhor daquele servo, em dia em que não o espera e em hora que não sabe, e castigá-lo-á, lançando-lhe a sorte com os infiéis" (Lc 12.4-46).
Roboão perdeu a maior parte do seu reino por seguir conselhos de jovens que aconselharam-no dizendo que ele deveria reinar com um "dedo mínimo mais grosso do que os lombos de meu pai"  Assim que, se meu pai vos carregou dum jugo pesado, eu ainda aumentarei o vosso jugo; meu pai vos castigou com açoites; eu, porém, vos castigarei com escorpiões.(1Rs 12.10,11). Os anciãos estavam certos: "Se, hoje, te tornares servo deste povo, e o servires, e, atendendo, falares boas palavras, eles se farão teus servos para sempre" (v.7).
 
Conclusão 
Nenhuma virtude bíblica deve ser premiada mais em um líder do que a vida santa, a sabedoria com discernimento, a plenitude do ESPÍRITO e um senso de servilidade equilibrado. DEUS usa homens com esses perfis. Igrejas e organizações que notam que essas qualidades estão em falta em seu meio, necessitam clamar ao Senhor por avivamento. O caráter carnal da igreja de Corinto pode ser facilmente explicado pelo orgulho dos líderes da igreja que substituíram Paulo, um servo humilde do Senhor. Seu exemplo e alertas foram insuficientes para implantar naquele lugar um espírito servil. Os efésios perderam seu primeiro amor (Ap 2.5) devido à liderança defeituosa. O estado moribundo da igreja de Sardes foi a conseqüência da liderança pobre (Ap 3.1-3). A condição morna da igreja de Laodicéia foi o efeito natural de líderes orgulhosos e auto-suficientes que contagiaram a igreja com o vírus mortal do mundanismo (Ap 3.13-20).
 
RESUMO RÁPIDO
I - DEUS ESCOLHE E PREPARA LÍDERES PARA SUA OBRA
Não importa a cultura, cor, raça, diplomas, etc... É DEUS quem escolhe, chama e capacita aquele que escolheu para sua obra.
1. Um copeiro a serviço do Reino.
Neemias era copeiro, não possuía qualificações humanas especiais para exercer uma função administrativa de tamanha envergadura, tinha o que agradava a DEUS, a integridade. DEUS o capacitou por um milagre do ESPÍRITO SANTO.
2. Uma rainha a serviço do Reino.
Humanamente falando, Ester só possuía beleza estética, não tinha esperiência na realeza, mas tinha o mais importante, integridade, compromisso com seu povo a quem DEUS amava. DEUS lhe deu coragem.
3. Um pastor de ovelhas a serviço do Reino.
Davi, um pastorzinho de ovelhas, nada sabia sobre governar um país, porém, tinha algumas qualidades especiais que agradavam a DEUS; dentre as quais podemos citar integridade e capacidade de arrependimento.
II - AS CARACTERÍSTICAS DE UM LÍDER DE DEUS
1. Integridade espiritual.
A integridade espiritual tem a ver com a fidelidade a DEUS (não se deixar corromper por outros deuses).
2. Integridade moral.
A integridade moral tem a ver com a capacidade de não se deixar corromper por fortuna ou posição social ou qualquer outro tipo de prêmio.
3. Um testemunho irrepreensível.
Irrepreensível quer dizer: sem se deixar repreender por qualquer de seus atos. Ótimo testemunho de vida com DEUS.
III - A VIDA DEVOCIONAL DO LÍDER DE DEUS
1. A oração.
A oração é o alimento do espírito recriado, é a comunicação direta com DEUS, é intimidade, é saber os segredos de DEUS. Um líder verdadeiro ora todos os dias em algum local onde pode ficara a sós com DEUS.
2. O estudo da Palavra de DEUS. 
estudo da bíblia é o alimento da alma, é manter a mente ligada com o sobrenatural, com a verdade absoluta de DEUS. Um líder verdadeiro estuda sistematicamente a Bíblia.
3. Adoração ao Senhor.
É na adoração legítima, em Espírito e em verdade que chegamos realmente à presença de DEUS, é onde nos aconchegamos com nosso Pai. Um líder verdadeiro adora a DEUS.
 
OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Compreender que é o Senhor quem escolhe e prepara líderes para sua obra.
Descrever algumas das características que um líder de DEUS deve possuir.
Conscientiza-se de que o líder precisa ter uma vida devocional.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor, providencie cópias do quadro abaixo para os alunos. Em seguida, peça que citem algumas características da liderança de Neemias. À me dida que eles forem falando, relacione-as no quadro-de-giz. Enfatize o fato de que essas características são indispensáveis ao líder chamado por DEUS. Conclua lendo com os alunos, e discutindo a respeito dos princípios de liderança que aprendemos com Neemias e que ainda hoje são eficazes.
 
 
RESUMO DA LIÇÃO 13, A INTEGRIDADE DE UM LÍDER
I - DEUS ESCOLHE E PREPARA LÍDERES PARA SUA OBRA
1. Um copeiro a serviço do Reino.
2. Uma rainha a serviço do Reino.
3. Um pastor de ovelhas a serviço do Reino.
II - AS CARACTERÍSTICAS DE UM LÍDER DE DEUS
1. Integridade espiritual.
2. Integridade moral.
3. Um testemunho irrepreensível.
III - A VIDA DEVOCIONAL DO LÍDER DE DEUS
1. A oração.
2. O estudo da Palavra de DEUS. .
3. Adoração ao Senhor.
 
 
SINOPSE DO TÓPICO (1) Uma das principais características de um líder de DEUS é ter um coração íntegro.
SINOPSE DO TÓPICO (2) O líder deve ser íntegro espiritual e moralmente, tendo um testemunho irrepreensível.
SINOPSE DO TÓPICO (3) O líder deve ter uma vida de oração, leitura da Palavra e também de adoração.
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO
Subsídio Bibliológico
"DEUS trabalha por intermédio de seu povo para realizar até mesmo tarefas consideradas humanamente impossíveis. Ele costuma moldar as pessoas com características de personalidade, experiências e treinamento de modo a prepará-Ias para o seu ministério, e essas pessoas não costumam sequer ter idéia do que DEUS tem reservado para elas. DEUS preparou e posicionou Neemias para realizar uma dessas tarefas 'impossíveis' da Bíblia. Neemias era um homem comum em uma posição especial. Ele estava seguro na condição de bem-sucedido copeiro do rei Artaxerxes, da Pérsia. Neemias possuía pouco poder, mas grande influência. [u.] Do início ao fim Neemias orou pedindo a ajuda de DEUS. Ele nunca hesitou em pedir que DEUS se lembrasse dele, encerrando sua autobiografia com as seguintes palavras: 'Lembra-te de mim, DEUS meu, para o bem.' Talvez você não tenha as habilidades específicas de Neemias ou até mesmo pense que está em uma posição onde nada pode fazer para DEUS; mas existem duas formas através das quais você pode ser útil ao Senhor. Primeiro, seja uma pessoa que fala com DEUS. Permita que Ele entre em sua vida e compartilhe-a com Ele - suas preocupações, seus sentimentos e seus sonhos. Segundo, seja uma pessoa que anda com DEUS. Coloque em prática aquilo que você aprende nas Escrituras Sagradas. DEUS pode ter uma missão 'impossível' para realizar através de sua vida" (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. 1.ed. RJ: CPAD, 2004, p.670.
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
MAXWELL, John C.O Coração e a Mente do Líder. I.ed, Rio de Janeiro:.CPAD, 2009.
GETZ, Gene A. Pastores e lideres. O plano de DEUS para a liderança da igreja. I. ed. Rio de janeiro: CPAD. 2904.
 
SAIBA MAIS
Revista Ensinador Cristão
CPAD, nº 48, p.42.
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 13, A INTEGRIDADE DE UM LÍDER
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 4º TRIMESTRE DE 2011
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas.
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"Se é _____________________________, seja em ____________________________ [m]; o que _______________________, com cuidado [...]" (Rm 12.7,8).
 
VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
Somente com os líderes verdadeiramente _________________________________ por DEUS e _________________________________ com a sua obra é que a igreja de CRISTO poderá cumprir _____________________________________ a missão que lhe confiou o Senhor.
 
I - DEUS ESCOLHE E PREPARA LÍDERES PARA SUA OBRA
3- Qual era o trabalho de Neemias como copeiro a serviço do Reino?
(    ) Neemias era copeiro do rei Artaxerxes quando DEUS o chamou a liderar o seu povo num momento de profunda crise moral, espiritual e econômica.
(    ) Ele tinha como função proteger a vida do rei, provando-lhe o vinho, a fim de que o monarca não fosse envenenado.
(    ) Somente alguém especialmente qualificado poderia exercer semelhante cargo.
(    ) Neemias também fazia a tarefa de conselheiro oficial do rei.
(    ) Segundo alguns historiadores, os copeiros também aconselhavam o soberano em assuntos de estado.
(    ) Não obstante, Neemias abriu mão de todas essas vantagens para ajudar seus compatriotas a superar aquele momento tão difícil.
 
4- Como age uma rainha a serviço do Reino?
(    ) Certa vez, o rei Assuero, já tomado pelo vinho, resolveu exibir a beleza da esposa aos seus convidados.
(    ) Como a rainha Vasti se recusasse a comparecer perante ele, o monarca destronou-a.
(    ) Ester destacou-se por sua maquiagem perfeita.
(    ) E para ocupar o seu lugar, o rei determinou que se convocassem as mais belas moças do reino, a fim de que, dentre estas, fosse escolhida a substituta de Vasti.
(    ) E a escolha recaiu sobre Ester, que foi usada por DEUS para operar um grande livramento.
(    ) Ester destacou-se por uma coragem singular; ela não temeu perder a própria vida.
(    ) Somente os grandes líderes agem assim.
 
5- Como é, para DEUS, um pastor de ovelhas a serviço do Reino?
(    ) Tendo já rejeitado a Saul, o Senhor determinou ao profeta Samuel que fosse a Belém ungir, dentre os filhos de Jessé, um rei segundo o seu coração.
(    ) Davi era de uma família aristocrata e ativamente politica.
(    ) A escolha divina recaiu sobre o caçula da família que, naquele momento, cuidava das ovelhas do pai.
(    ) E grandes foram as obras realizadas por Davi.
(    ) DEUS não olha para a aparência do ser humano, mas para o coração.
(    ) O que agrada ao Senhor é um caráter reto e íntegro.
(    ) Essa é uma das principais características de um verdadeiro líder.
 
II - AS CARACTERÍSTICAS DE UM LÍDER DE DEUS
6- Como deve ser a integridade espiritual de um verdadeiro líder?
(    ) Neemias não compactuava com os pecados do povo.
(    ) Homem íntegro e temente a DEUS, não se limitou à reconstruiu os muros e as portas de Jerusalém, mas conduziu a nação a uma profunda reforma moral e espiritual.
(    ) Ele restaurou o ministério Levítico, combateu o casamento misto (Ne 13.25) e restabeleceu a guarda do sábado.
(    ) Um líder sempre deve ter uma ótima relação amistosa com os inimigos.
(    ) O líder espiritual conduz o povo à santidade e a um viver íntegro.
 
7- Como deve ser a integridade moral de um verdadeiro líder?
(    ) Neemias administrou os recursos financeiros e patrimoniais da nação com honestidade, transparência e sabedoria.
(    ) Ele não utilizou indevidamente os recursos financeiros do povo de DEUS, mas agiu com muita correção e cuidado.
(    ) Há um ditado popular que diz: "Quer saber quem é realmente uma pessoa? Dê-lhe poder".
(    ) Há certos homens e mulheres que, ao assumirem um cargo de liderança, mudam completamente.
(    ) Agem com arrogância e desonestidade.
(    ) Um verdadeiro líder possui muitos amigos e vive sempre em comunhão com seu inimigos.
(    ) O poder, entretanto, não corrompeu a Neemias. Ele soube como manter a sua integridade.
 
8- Como foi o testemunho irrepreensível de Neemias?
(    ) Neemias viveu de forma corrupta e desonesta, mas foi sempre um ótimo administrador.
(    ) Neemias viveu de forma correta e integra.
(    ) Não podemos nos esquecer que liderança é exemplo.
(    ) O discurso do líder tem de ser coerente com a sua prática.
 
III - A VIDA DEVOCIONAL DO LÍDER DE DEUS
9- Cite exemplos bíblicos e o significado da oração na vida dos servos de DEUS. Complete:
Na Palavra de DEUS, há vários exemplos de líderes que foram bem-sucedidos graças à oração. Davi e _____________________ oravam três vezes ao dia (SI 55.17; Dn 6.10). ____________________ orava em todo o tempo (Ef 6.18). E __________________________ orava diariamente (Mt 26.44). A oração preparou _______________________________ para enfrentar impiedosos ataques. Se ele não tivesse o hábito de orar, certamente teria sucumbido diante das dificuldades. A oração ____________________________________________ a alma e as mãos do homem de DEUS.
 
10- Qual o o significado do estudo da Palavra de DEUS na vida de seus servos? Complete:
Neemias reuniu o povo na praça principal da cidade para _________________________________________ a Palavra de DEUS (Ne 8.1-3). Todo crente necessita ler e ______________________________ a Bíblia diariamente, para crescer no conhecimento do Senhor (2 Pe 3.18). Infelizmente, há obreiros que, por não estudarem a Bíblia, acham-se espiritualmente ________________________________. Um líder nessas condições porta-se como __________________________________ espiritual. Precisamos ter a Palavra de DEUS no _____________________________________ para não pecarmos contra o Senhor (SI 119.11).
 
11- Como deve ser o louvor e a adoração ao Senhor na vida de seus servos?
(    ) Observe o que diz o salmista: Eu te louvei, Senhor, de todo o meu tempo; contei todas as tuas ilhas.
(    ) Adorar é uma forma de agradecer a DEUS, reconhecendo-O como o Senhor de nossas vidas, pois tudo o que somos e temos vêm dEle.
(    ) Observe o que diz o salmista: Eu te louvarei, Senhor, de todo o meu coração; contarei todas as tuas maravilhas.
(    ) Em ti me alegrarei e saltarei de prazer; cantarei louvores ao teu nome, Ó Altíssimo".
(    ) Neemias adorou a DEUS: "Ah! Senhor, DEUS dos céus, DEUS grande e terrível, que guardas o concerto e a benignidade para com aqueles que te amam e guardam os teus mandamentos!".
(    ) Na dedicação dos muros e portas de Jerusalém, preparou um culto especial de adoração e louvores a DEUS e ordenou que dois corais fossem à frente dos cortejos durante a celebração.
(    ) O verdadeiro líder adora a DEUS, porque sabe que toda a glória deve ser endereçada ao Senhor de toda a glória. Aleluia.
 
CONCLUSÃO
12- Complete segundo o exemplo de Neemias para nossos dias, como estudado no trimestre:
Neemias é um exemplo de _____________________________________ bem-sucedida. Ele não permitiu que nada o impedisse de ________________________________ ao Senhor. Ele soube como conduzir a reconstrução de Jerusalém e a restauração _______________________________ dos judeus. A sua vida de oração, leitura da Palavra de DEUS e adoração fizeram com que ele prosseguisse ________________________________, apesar da oposição que lhe moviam os adversários. Há muito trabalho no Reino de DEUS até ao arrebatamento da Igreja. Trabalhemos, pois, como _____________________________________. Sejamos fiéis e íntegros em todas as coisas, a fim de que o nome do Senhor seja sempre _____________________________.
 
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
 
 
RESUMO DO TRIMESTRE EM FIGURAS ILUSTRATIVAS
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/
Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com, http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao,
Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.
www.portalebd.org.br (Caramurú)
BANCROFT, E. H. Teologia Elementar. São Paulo, IBR, 1975.
CEGALLA, D. P. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1977.
BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. Edição contemporânea. São Paulo, Vida, 1994.
McNAIR, S. E. A Bíblia Explicada. Rio de Janeiro, CPAD, 1994.
Espada Cortante 2 - Orlando S. Boyer - CPAD - Rio de Janeiro - RJ
CHAMPLIN, R. N. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. 5. ed. São Paulo: Hagnos, 2001. v. 1
VOS, Howard F.; REA, John. Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2006.
VINE, W. E.; UNGER, Merril F.; WHITE JR, William. Dicionário Vine. 2. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.
Stephen Covey, The Seven Habits of Highly Efficient People,  New York: Simon and Schuster; Fireside Edition, 1990, p. 103 (em português: Os Sete Hábitos de Pessoas Muito Eficazes, Editora BestSeller).
Stephen Covey, ibid., p. 101.
Michael Green, Evangelização na Igreja Primitiva, São Paulo: Edições Vida Nova, 1984, pp 41-45.
Stephen Neill, On the Ministry, London: SCM Press, 1952, pp. 34-35.
13Wesley L. Duewel, Ablaze for God, Grand Rapids: Francis Asbury Press, 1989, p. 30 (em português: Em Chamas para DEUS, Editora Candeia).
Ted Engstrom, The Fine Art of Friendship, Nashville: Th. Nelson Publishers, 1985, pp 128-130, citado in John Haggai, Lead On, op. cit., p. 51.
Elisabeth Elliot, Discipleship Journal, Issue 41, 1987 citado por P. Borthwick, Leading the Way , Colorado Springs: NavPress, 1989, p. 69.
E. E. Ellis, "Paul and his Co-workers", New Testament Studies, Vol. 17, p. 440.
John W. Gardner, Leadership and Power, Washington D. c.: Independent Sector, 1986, p. 3 citado em E. B. Habecker, The Other Side of Leadership, Wheaton, IL: Victor Books, 1987, p. 34.
M. Rush, The New Leader, Wheaton, IL.: Victor Books, 1987, p. 80.  Ibid., p. 19.
E. B. Habecker, ibid, p. 35.
Cf. M. Rush, op. cit., p. 82.
Cheryl Forbes, The Religion of Power, Grand Rapids: Zondervan, 1983, p. 87, citado in E. B. Habecker, op. cit., p. 37.
 Richard Foster, Money, Sex and Power, S. Francisco: Harper and Row, 1985, pp. 178, 179, citado em H. B. Habecker, op. cit., p. 36.
M. Rush, op., cit., p. 85.
Shedd. Russell Philip. 1929­ O líder que DEUS usa: resgatando a liderança bíblica - para a Igreja no novo milênio / Russell P. Shedd; Tradução Edmilson E Bizerra. - São Paulo: Vida Nova. 2000. 128 p.; em. ISBN 85-275-0271-2 - Tradução de: Biblical Leadership : The leader God uses. I. Liderança cristã - Doutrina bíblica. I. Título. CDD-262.1
 
 
 
Índex
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos

Nenhum comentário: