quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Lição 12, Exortações Gerais, 2 parte

Lição 12, Exortações Gerais, 2 parte

Tito 2.1-8 -
William Hendriksen, 1 Timóteo, 2 Timóteo e Tito, São Paulo: Cultura Cristã, 2001, p. 191-6 (Comentário do Novo Testamento) 
1 - Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina. 2 - Os velhos que sejam sóbrios, graves, prudentes, sãos na fé, no amor e na paciência. 3 - As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem, 4 - para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos, 5 - a serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seu marido, a fim de que a palavra de DEUS não seja blasfemada. 6 - Exorta semelhantemente os jovens a que sejam moderados. 7 - Em tudo, te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade, 8 - linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós.

ESBOÇO DO CAPÍTULO 2
Tema: O Apóstolo Paulo, Escrevendo a Tito, Ministra Diretrizes para a Promoção do ESPÍRITO de Santificação. Na Família e na Vida Individual 2.1-10 Todas as classes de indivíduos que compõem o círculo familiar deveriam conduzir-se de tal maneira que por sua conduta adornem a doutrina de DEUS, seu Salvador.
2.1-15 Razão: A graça de DEUS se manifestou a todos para santificação e para esperar com alegria o aparecimento glorioso de nosso grande DEUS e Salvador, JESUS CRISTO.
1. Foram dadas diretrizes para a promoção do espírito de santificação na vida congregacional. Paulo insistiu com Tito para que completasse a organização das diversas igrejas da ilha, para que, por meio da obra de presbíteros verdadeiramente consagrados, fosse silenciada a voz das pessoas que, por meio de suas falsas doutrinas e praticas, estavam contaminando as igrejas, e para que viesse a florescer a vida congregacional.
Esta e a substância do capitulo 1.
Ora, no capítulo 2 Paulo focaliza a atenção de Tito na vida familiar e individual. Ele dá mandamentos relativos à conduta apropriada de cinco classes de indivíduos: anciãos, anciãs, Jovens casadas, jovens (o próprio Tito deve dar o exemplo) e escravos. A ênfase posta na família se faz evidente especialmente à luz dos versículos 4 e 5: “de modo que [as mulheres idosas] orientem sabiamente as mulheres mais jovens a amarem a seus maridos, a amarem a seus filhos”, etc.
Para o ensino de Paulo com respeito à família cristã, ver também 1 Timóteo 5.1-8; então, Gálatas 3.28; Efésios 5.22-6.4; Colossenses 3.18-21. Sobre os escravos e seus senhores, considerados como membros da família, ver também 1 Timóteo 6.1, 2; então, Efésios 6.5-9; Colossenses 3.22-4.1; Filemom.
Posto que Tito é o homem que deve entregar as diretrizes de Paulo com respeito aos cinco grupos, o apóstolo começa escrevendo: Quanto a você, porém, fale o que é consistente com a sã doutrina. Note a palavra de contraste, “Quanto a você, porém”. Cf. um contraste semelhante em 1 Timóteo 6.11; 2 Timóteo 3.10, 14; 4.5. A vida e o ensino de Tito devem contrastar agudamente com os dos inimigos “imundos e incrédulos” da fé, os quais estavam causando tanto dano em Creta (como se viu no capítulo 1). Esses propagandistas do erro não só devem ser reprovados severamente (Tt 1.13), mas o mal deve ser vencido com o bem. Os presbíteros não só devem cumprir seu dever contra os mestres da falsa religião (capítulo 1), mas Tito pessoalmente deve dar o exemplo! Mesmo em sua conversação informal diária, ele deve “falar” o que é consistente com a sã doutrina. Note o verbo “falar” ou, literalmente, “conversar” (ÀáÀei), o que indica articulação vocal informal.
Ora, falar “o que é consistente com (ou “o que é próprio”, cf. 1Tm 2.10; Ef 5.3) a sã doutrina” certamente significa que, como o autor a concebe, a doutrina e a vida devem harmonizar-se. Eis a chave de tudo o que se segue nos versículos 2-10.
Por conseguinte, a posição defendida por alguns, a saber, que a moralidade exigida aqui não é de modo algum no sentido especificamente cristão, está em conflito com a de duração de Paulo. Naturalmente, é verdade que mesmo fora da igreja alguns dos traços do caráter aqui mencionados - por exemplo, ser Temperado, ou sóbrio, ter domínio próprio ou sensatez — são dados em listas de requisitos morais para os que ocupam certas posições importantes na vida: o filósofo estóico, o general, etc. Até mesmo o incrédulo tem “alguma consideração pela virtude e a boa conduta exterior”, verdade que jamais poderá ser negada (ver sobre 1 Tm 3.7 e os Cânones de Dort, capítulos terceiro e quarto, art. 4; note, todavia, a condição no final do artigo). Mas quando nesta carta se menciona estas mes­mas qualidades (ou em 1 Tm 3), não se podem separá-las de seu contexto, nem devem ser dissociadas do sentido geral dos ensinos das Escrituras. Não se pode separar Tito 2.1, 2 de Tito 2.12, 13. O contraste aparece claramente assim que se formula a pergunta: “Qual é a fonte dessas virtudes, como são motivadas, de acordo com que padrão deve a exibição delas ser julgada e com que propósito devam ser usadas?” Então surge imediatamente o grande contraste. Consequentemente, as qualidades que são mencionadas nos versículos que se seguem são virtudes especificamente cristãs neste sentido, a saber: elas pressupõem a graça dinâmica de DEUS operando no coração, são motivadas pelo exemplo de CRISTO, são medidas pela santa lei de DEUS e têm a glória de DEUS como seu alvo.
2. A primeira regra se refere aos “homens idosos”.Diz Paulo que os homens idosos devem ser temperados, dignos de confiança, sensatos, íntegros em sua fé, em seu amor, fé em sua paciência.
Os anciãos devem ter as mesmas características morais que os presbíteros e diáconos. Tito deve insistir (aqui no v. 2 o verbo do v. 6 está provavelmente implícito) com eles para que sejam temperados ou sóbrios, ou seja, moderados com respeito ao uso do vinho (ver v. 3) e em todos os gostos e hábitos (cf. 1 Tm 3.2, 11). Também devem ser dignos de confiança, ou seja, sérios, veneráveis, graves, respeitáveis (cf. 1 Tm 3.5, 8, 11); sensatos ou que tenham autodomínio, ou seja, homens de juízo maduro e que saibam refrear-se (cf. Tt 1.8; então 1 Tm 3.2); e sadios (ver sobre o v. 1); não mórbidos (cf. 1 Tm 6.4; então Rm 14.1), mas saudáveis e que comuniquem saúde: que em toda direção difundam saúde moral e espiritual (cf. Tt 1.9, 13; então 1 Tm 1.10; 6.3; 2 Tm 1.13; 4.3).
Essa saúde deve ser demonstrada em relação à fé, ao amor e à paciência. Aqui o artigo talvez seja melhor traduzido pelo possessivo sua... seu... sua. Sua fé, a fim de ser sadia, não deve ser nem indiferente nem mesclada com erro (cf. Tt 1.14). Seu amor não deve degenerar-se em sentimentalismo nem deve arrefecer (Mt 24.12; Ap 2.4). E sua paciência não deve ser substituída pela pusilanimidade, de um lado, e pela obstinação, do outro.
Em sua atitude para com DEUS, que os homens idosos demonstrem saúde em sua fé. Que confiem totalmente nele e em sua palavra revelada. Em sua atitude para com o próximo, que eles evidenciem saúde em seu amor. E em sua atitude para com as provações amargas, que eles revelem saúde em sua paciência ou firmeza (para um estudo dessa pa­lavra, ver C.N.T. sobre ITs 5.14, 2 Tm 14 e 3.5).
3. Aos quatro requisitos para os homens idosos acrescentam-se agora os quatro requisitos um tanto semelhantes para as mulheres idosas: [inste com] as mulheres idosas a [serem] semelhantemente reverentes em sua maneira de viver, não caluniadoras e não escraviza­das a muito vinho, mestras daquilo que é excelente.
Em toda sua paciência (daí, não só em seu vestuário, 1 Tm 2.9), tanto quanto em seu comportamento, as mulheres mais idosas devem ser reverentes, conduzindo-se como se fossem servas no templo de DEUS, porque na verdade é isso que são! Cf. Ap 1.6. O tema da vida dessas anciãs (assim como o de todos os membros da família cristã) deve ser sempre:
 Senhor meu DEUS, enche minha vida, Em todas suas partes, com louvor, Para que todo meu ser proclame Teu ser e teus caminhos. Louvor não apenas dos lábios, nem ainda louvor só do coração, mas uma vida feita toda de louvor. Louvor nas palavras comuns que eu falar, Nos olhares e tons da vida comum, na mesa ao conversar com meus entes queridos; suportando o erro, a repreensão ou a perda, com doçura e firme decisão, amando e abençoando os que odeiam, retribuindo o mal com o bem. (Horatius Bonar, 1866)

Note como “não caluniadoras’' (sobre o que ver 1 Tm 3.11) e “não escravizadas a muito vinho” são combinados. Amiúde beber vinho e gracejo malicioso vão juntos. (Para beber vinho, ver 1 Timóteo 3.8 e sobre 1 Timóteo 5.23.) As anciãs, pois, devem ser temperadas, justamente como os anciãos. Não devem deixar-se escravizar a (para o sentido figurado, ver também Rm 6.18, 22; ICo 9.19; Gl 4.3) muito vinho. Ao contrário, mediante seu exemplo piedoso, devem ser “mestras daquilo que é excelente” (cf. 1 Pe 3.1, 2).
4 e 5. Tal “ensino por meio do exemplo” tem com um de seus propósitos a “orientação” das jovens casadas. Daí, Paulo prossegue: De modo que orientem as mulheres mais jovens a amarem seus maridos (ou amantes de seus maridos) e a amarem seus filhos (ou amantes de seus filhos), a serem autocontroladas, castas, obreiras domésticas, submissas a seus próprios maridos.
Épossível entender mediatamente que ninguém - nem mesmo Tito - é mais apto a orientar uma jovem casada do que uma anciã mais experiente. Note a ênfase sobre o amor. A jovem cristã deve ser orientada a amar seu esposo e a amar seus filhos. Não foi o amor que a salvou? Ver João 3.16. Este amor, vindo do céu, sendo derramado no coração, deve “fluir” para os demais; e certamente entre aqueles “outros”, seu esposo e seus próprios filhos devem ocupar o lugar proeminente. Além do mais, a virtude cristã do domínio próprio, “sensatas” - a mesma virtude que se exige não só dos bispos (Tt 1.8; então 1 Tm 3.2), mas também dos presbíteros em geral (v. 2), e que está implícito no que se exige das anciãs (v. 3) - é um requisito imprescindível para toda esposa e mãe cristã prática. As mulheres mais jovens devem evitar escrupulosamente toda imoralidade de pensamento, palavra e ação. Além do mais, devem concentrar a atenção na própria família. Por isso, não só devem ser castas, mas também domésticas (ver sobre 1 Tm 2.10 e especialmente sobre 1 Tm 5.13). As duas virtudes se encontram obviamente relacionadas. Ora, enquanto desenvolvem suas tarefas na família, essas jovens devem tomar cuidado para que o constante empenho das lides domésticas não as faça irritáveis ou cruéis. Devem orar pedindo graça para continuar sendo amáveis, e isto não só em relação ao seu esposo e aos filhos, mas também em relação aos escravos.
Além do mais, para que as mulheres cristãs não comecem a pensar que a igualdade em posição espiritual perante DEUS e a grande liberdade que agora lhes pertence como crentes (Gl 3.28) as autorizem a ignorar a ordenança divina de criação acerca de sua relação com o marido (Gn 3.16), Paulo, inspirado pelo ESPÍRITO SANTO, acrescenta que elas devem ser “submissas a seus maridos” (ver também sobre 1 Tm 2.11-15, e cf. Rm 7.2; ICo 7.4; 14.34, 35; Ef 5.22-24, 33; Cl 3.18; 1 Pe 3.1-6). Certamente que, à luz de Gênesis 24.67; Ef 5.22-33; Cl 3.19; 1 Pe 3.7), quando o marido também é crente, isso não é um fardo. E quando ele não é crente, então “como para o Senhor” faz com que o fardo seja tolerável.
Acrescenta-se então uma cláusula que indica propósito:
A fim de que a palavra de DEUS não seja vituperada. Ver sobre I Timóteo 6.1. Esta é uma linguagem caracteristicamente paulina; cf. Romanos 2.24. Ele, por sua vez, tomou-a por empréstimo do Antigo Testamento (Is 52.5). A má conduta por parte da jovem casada facilmente conduziria a observações caluniosas com respeito ao evangelho. Não são só os gregos que julgam uma doutrina por seu efeito prático na vida cotidiana (Crisóstomo), mas também o mundo em geral. Se as mães jovens, que professam ser cristãs, manifestassem falta de amor por seus maridos e por seus filhos, falta de autocontrole, de pureza, de apego ao lar, de bondade e de submissão, levariam a mensagem da salvação a ser vituperada pelos de fora. Além do mais, é preciso ter em mente que, quando diz: “a fim de que a palavra de DEUS não venha a ser vituperada”, sua intenção seja: “a fim de que a palavra de DEUS seja honrada.” Como notamos antes, isto também é um modo tipicamente paulino de se expressar (ver pp. 23-24).
6. A admoestação que se deve comunicar a “os [mais] jovens” das diversas congregações é breve, porém em sua própria brevidade inclui tudo: Semelhantemente, insista com os homens [mais] jovens a exercerem autocontrole em todos os aspectos. O fato de essa admoestação ser breve faz com que seja bem provável que a frase “em todos os aspectos” tenha sentido próprio aqui e não deva ser construída com o versículo 7. Em todos os aspectos, pois, seja a atenção focalizada na moral ou na doutrina, os jovens devem pôr-se sob a disciplina do evangelho, e devem guardar-se contra os desvios, sejam provenientes das más inclinações de sua própria natureza pecaminosa, ou das opiniões e dos costumes que prevalecem no mundo pagão que os rodeia. Que não ponham suas próprias conclusões, sentimentos ou ambições acima da vontade de DEUS (cf. Rm 12.3; cf. 2Co 10.5). Que aprendam a dominar-se. O verbo traduzido “exercer domínio próprio” é da mesma raiz que o adjetivo traduzido “autocontrolado”. Daí, os jovens são aqui instados a exercerem a mesma virtude que é demandada dos bispos (Tt 1.8; cf. 1 Tm 3.2), dos anciãos (Tt 2.2), das jovens (v. 4) e, por implica­ção, das anciãs (v. 3).
7 e 8. Visto que Tito, ainda que não tão jovem como Timóteo (ver p. 54), deva provavelmente ser ainda considerado entre os “os [mais] jovens”, é lógico que Paulo insista para que ele seja um exemplo para o grupo mencionado no versículo precedente. Diz Paulo: demonstrando você mesmo um modelo de feitos nobres; em seu ensino [demonstrando] incorruptibilidade, dignidade; [sua] linguagem [sendo] sadia, acima de censura.
Uma admoestação similar foi endereçada a Timóteo. Ele também fora admoestado a ser um modelo para os crentes (na linguagem, na conduta, no amor, na fé, na pureza). O termo modelo é também precisamente o mesmo; daí, ver sobre 1 Timóteo 4.12 (cf. 2Ts 3.9; Fp 3.17). Note a bela coordenação: Tito deve
a. admoestar os [mais] jovens (v. 6); e
b. dar-lhes um bom exemplo (vv. 7 e 8).
Preceito e exemplo devem seguir de mãos dadas. O preceito isolado nunca funcionará, porque amiúde “onde o preceito fracassa, o exemplo logra êxito”. Os [mais] jovens das diversas congregações, confiados aos cuidados de Tito, de­vem ser aptos a ver em seu líder quais são realmente os feitos nobres. Note a ênfase constante, nas Pastorais, sobre esses feitos nobres ou boas obras. Não poderia isso ser considerado uma reação, da parte de Paulo, contra a desfiguração e abuso de sua doutrina da “salvação pela graça”?
Tito deve, em seu ensino, demonstrar incorruptibilidade. Deve ministrar a instrução de forma clara e corajosa na verdade bem equilibrada do evangelho para que se faça evidente a todos que ele não tem sido e nem pode ser infectado com as mentiras e distorções dos adversários. Além do mais, a atitude e o modo em que apresenta seu ensino deve ser de dignidade e seriedade. Seu ensino mais formal não deve ser apenas caracterizado pela pureza do conteúdo e seriedade do método, mas que toda sua linguagem (sua palavra sempre e onde quer que for expressa), quer expressa na forma de sermão, de lição, de mensagem de consolação ou de censura, ou seja, não sujeita a reprimenda justa ser sadia e acima (cf. sinônimo em 1 Tm 6.4).
Ora, o resultado ou propósito que se quer alcançar com tal conduta é de modo que [ou: a fim de que] quem está do [lado] oposto se sinta envergonhado, não tendo nenhum mal que dizer a nosso res­peito. Quanto à expressão “do [lado] oposto” ou “do [partido] contrário” - a elipse é obscura -, note que foi o centurião que se pôs “de frente” ou “encarava” JESUS na cruz (Mc 15.39). Lemos de ventos contrários (Mt 14.24; Mc 6.48; At 27.4). Na passagem em discussão, o composto com àvxí é usado num sentido metafórico; a oposição aqui adquire o caráter de hostilidade (cf. At 26.9; 28.17; ITs 2.15). O que está em oposição é o adversário espiritual (cf. 1 Tm 5.14; 2 Tm 2.25). A referência é especialmente a qualquer um dos defensores do erro em Creta, citados em Tito 1.10-16.
Ora, quando o oponente começa a notar que fracassa seu plano pouco engenhoso de espalhar boatos maliciosos acerca de Tito, ou de proferir acusações formais contra ele, em virtude da irrepreensível concluía do representante de Paulo, o qual refuta plenamente as insinuações e acusações que lhe são dirigidas, esse inimigo da verdade se sentirá envergonhado (como em 2 Ts 3.14; ICo 4.14). O mesmo parecerá um tolo, “não tendo nenhum mal (cf. 2 Co 5.10) a dizer a seu res­peito de”... aqui esperaríamos que a palavra seguinte fosse “você” (Tito), mas realmente é “nós”, porque o antagonismo não está dirigido contra Tito como um indivíduo isolado, mas contra ele como discípulo d. Visto; daí ser realmente contra CRISTO e todos os seus mensageiros.
William Hendriksen, 1 Timóteo, 2 Timóteo e Tito, São Paulo: Cultura Cristã, 2001, p. 191-6 (Comentário do Novo Testamento) 
 
Questionário Lição 11, A Organização de uma Igreja Local
3º trimestre de 2015 - A Igreja E O Seu Testemunho - As Ordenanças De CRISTO Nas Cartas Pastorais
Comentarista da CPAD: Pr. Elinaldo Renovato de Lima
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
Complete os espaços vazios e marque com"V" as respostas Verdadeiras e com"F" as Falsas, conforme a revista da CPAD.
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"Em tudo, te dá por ____________________________ de boas obras; na __________________________, mostra incorrupção, _________________________, sinceridade." (Tt 2.7)
 
VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
A __________________________ de DEUS tem _________________________ de grande valor para todos os _________________________, em todos os lugares.
 
I. O MODO CORRETO DE FALAR DO LÍDER
3- O que significa "Fala o que convém à sã doutrina" (v. 1)?
(    ) O líder deve ter a sua fala sempre fundamentada na Palavra de DEUS, e para isso precisa conhecê-la e nela meditar diariamente.
(    ) Precisa reconhecer e valorizar a Bíblia, sabendo que ela é especial para a formação de um caráter cristão.
(    ) A pregação sempre contribui para que o pastor e o obreiro tenham sempre o conhecimento necessários para dirigirem uma igreja.
(    ) O estudo bíblico contribui para que o pastor e o obreiro tenham sempre uma boa mensagem.
(    ) JESUS certa vez afirmou que falamos do que há em abundância em nosso coração.
(    ) Então um coração cheio da Palavra de DEUS vai sempre falar o que convém.

4- Como saber falar e saber ouvir?
(    ) Quem lidera tem que desenvolver a capacidade de escutar as pessoas, só as interrompendo quando falarem algo contrário à bíblia.
(    ) Tiago, apóstolo de JESUS, deixou precioso ensino sobre o saber falar: "Sabeis isto, meus amados irmãos; mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar".
(    ) Há pessoas, nas igrejas, que falam demais.
(    ) E dizem o que não deveriam, causando problemas de relacionamentos.
(    ) Ser "tardio para falar" e "pronto para ouvir" é sinal de sabedoria, de maturidade emocional e espiritual.
(    ) Quem lidera tem que desenvolver a capacidade de escutar as pessoas, ainda que não concorde com elas.
 
5- Como manter a Integridade no falar?
(    ) O obreiro deve procurar ter uma pregação sempre de autoajuda e de ânimo para a igreja.
(    ) O obreiro deve ter uma linguagem sempre sã e irrepreensível. JESUS ensinou: "Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não, porque o que passa disso é de procedência maligna".
(    ) Quando alguém, na igreja local, diz uma coisa e faz outra ou, quando mente, torce a mensagem, por motivos pessoais ou para agradar alguém, está sendo usado pelo maligno.
(    ) É "de procedência maligna". Isso não convém à sã doutrina. Integridade é fazer o que diz.
(    ) O que falamos deve contribuir para edificação de vidas.
 
II. EXORTAÇÕES AOS IDOSOS, AOS JOVENS E SERVOS
6-  Como os idosos devem portar-se.
(    ) "Os velhos que sejam sóbrios, graves, prudentes, sãos na fé, na caridade e na paciência".
(    ) O crente deve permanecer fiel ao Senhor e dar um bom testemunho até os últimos dias de sua vida.
(    ) Muitos acreditam que, pelo fato de já terem passado dos sessenta anos, podem fazer e falar o que bem entenderem na igreja.
(    ) Muitos acreditam que, pelo fato de já terem passado dos setenta anos, podem fazer e falar o que bem entenderem na igreja.
(    ) Os mais idosos devem ser exemplo para os mais jovens, por isso, Paulo diz que estes devem ser moderados, sérios, prudentes, firmes na fé, no amor e na esperança.
(    ) Acerca dos velhos crentes, disse o salmista: "Os que estão plantados na Casa do Senhor florescerão nos átrios do nosso DEUS.
(    ) Na velhice ainda darão frutos; serão viçosos e florescentes, para anunciarem que o Senhor é reto; ele é a minha rocha, e nele não há injustiça".
(    ) Os mais jovens precisam aprender com os mais idosos, por isso, estes precisam ser exemplo em tudo.
 
7- Como devem se portar as mulheres idosas?
(    ) "As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem".
(    ) Mulher idosa tem vivência e experiência, seja como mãe e esposa, seja como serva de DEUS, por isso podem ensinar as irmãs mais novas.
(    ) Devem ser mulheres santas, "sérias no viver", que não andem com atitudes e maus exemplos, no mundo. Não devem ser fofoqueiras (gr. diabolos), ou tecerem criticas a Tito.
(    ) Devem ser mulheres santas, "sérias no viver", que não andem com atitudes e maus exemplos, na igreja, ou fora dela. Não devem ser caluniadoras (gr. diabolos), ou que se deem a costumes carnais de falar dos outros, de criticar, ou murmurar.
 
8- Como devem se portar  os jovens cristãos (v. 6)?
(    ) Paulo chama a atenção para o comportamento juvenil, exortando os jovens a serem "castos", ou seja, virgens.
(    ) Paulo chama a atenção para o comportamento juvenil, exortando os jovens a serem "moderados", ou seja, controlados.
(    ) O jovem cristão precisa ser moderado no falar, no agir e em todas as áreas da sua vida, procurando em tudo exaltar e glorificar o nome do Senhor.
 
9- Como deve ser o comportamento dos servos cristãos (vv. 9,10)?
(    ) Paulo escreveu em uma época onde havia a escravidão humana.
(    ) Embora em Roma não houvesse mais escravidão, em Creta havia muitos escravos.
(    ) Em Creta, assim como em todo o império romano, havia muitos escravos.
(    ) Na igreja existia senhores e escravos que se converteram a CRISTO, por isso, Paulo mostra como devia ser o relacionamento, a conduta dos servos e dos senhores.
(    ) O apóstolo mostra que os servos deveriam agradar seus senhores "em tudo", pois um senhor crente não daria ordens que fossem incompatíveis com a fé cristã e com a Palavra de DEUS.
(    ) Os escravos que tinham senhores crentes deveriam manter uma atitude de submissão.
 
III. O BOM EXEMPLO EM TUDO
10- Qual tipo de exemplo o líder deve dar? (vv. 7,8).
(    ) O líder precisa ser exemplo. Se DEUS lhe confiou a autoridade e a responsabilidade de um rebanho, você precisa ter uma vida irrepreensível.
(    ) Ser irrepreensível não significa ser perfeito, dessa forma nenhum ser humano poderia assumir tal posição.
(    ) Ser irrepreensível significa ser perfeito, pois a vida cristã não admite outra posição.
(    ) Ser irrepreensível significa ter um padrão de conduta elevado e maduro, segundo os princípios bíblicos.
(    ) A conduta do líder não pode minar a confiança do rebanho.
 
11- Como deve ser a Incorrupção da doutrina?
(    ) Tito deveria ter muito cuidado com a doutrina, para que sua pregação e ensino fossem de modo correto, com fundamento na Palavra de DEUS, na "doutrina dos apóstolos".
(    ) Tito deveria ter muito cuidado com a doutrina, para que sua pregação e ensino fossem de modo correto, com fundamento na Palavra de DEUS, na "doutrina do apóstolo Paulo".
(    ) JESUS advertiu seus discípulos a se resguardarem da "doutrina dos fariseus".
(    ) Hoje, temos visto igrejas que "vendem" bênçãos por dinheiro; utilizam manipulação psicológica para arrecadar mais recursos das pessoas; fazem "curas" e milagres, em troca do vil metal.
 
12- O que são gravidade e sinceridade?
(    ) São atitudes que equivalem à eternidade.
(    ) São atitudes que equivalem à seriedade.
(    ) Um obreiro deve ser sério, honesto, com postura que honre a DEUS e ao seu ministério.
(    ) Completando a lista de recomendações, Paulo diz que Tito deve ter "linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer".
(    ) É conduta exemplar, exigida de todos os que querem ser obreiros, dedicados à obra do Senhor.
 
CONCLUSÃO
13- Complete:As exortações de Paulo a Tito são de grande valor para os ________________________, em todos os lugares e em todos os tempos. Ele especifica como tratar as pessoas, por suas diversas faixas _________________________. Destaca o valor do exemplo cristão, como forma de evitarem-se os _________________________ que tanto comprometem o bom nome do evangelho e da Igreja de CRISTO. São ensinamentos perfeitamente atualizados, não obstante terem sido __________________________ há tanto tempo.
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
 
Referências Bibliográficas (outras estão acima) Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.
Bíblia de Estudo Almeida. Revista e Atualizada. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2006.
Bíblia de Estudo Palavras-Chave Hebraico e Grego. Texto bíblico Almeida Revista e Corrigida.
Bíblia de Estudo Pentecostal. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida, com referências e algumas variantes. Revista e Corrigida, Edição de 1995, Flórida- EUA: CPAD, 1999.
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
www.ebdweb.com.br
www.escoladominical.net
www.gospelbook.net
www.portalebd.org.br/
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/alianca.htm
1 Timóteo, 2 Timóteo e Tito - J. N. D. Kelly - Novo Testamento - Vida Nova - Série Cultura Cristã.
William Hendriksen, 1 Timóteo, 2 Timóteo e Tito, São Paulo: Cultura Cristã, 2001, p. 191-6 (Comentário do Novo Testamento) 
A EPÍSTOLA A TITO - O testamento de Paulo à igreja - Hernandes Dias Lopes - Comentários Expositivos Hagnos

Tito - John Macarthur - Novo Testamento Comentário Expositivo de Titus - MOODY PRESS/CHICAGO - 1996 - by THE MOODY BIBLE INSTITUTE

Nenhum comentário: