sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

QUESTIONARIO DA LI��O 7, PAULO, UM MODELO DE L�DER SERVIDOR

QUESTIONARIO DA LI��O 7, PAULO, UM MODELO DE L�DER SERVIDOR
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 4� TRIMESTRE DE 2009
Complete os espa�os vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas.
TEXTO �UREO
1- Complete:
"E n�s, __________________ tamb�m com ele, vos exortamos a que n�o recebais a _____________________ de DEUS em __________________" (2 Co 6.1).
VERDADE PR�TICA
2- Complete:
O l�der-servidor n�o age ______________________, antes serve ao povo de DEUS com esp�rito ____________________ e ______________________.
INTRODU��O
3- Como Paulo se identifica em algumas de suas cartas como em Rm 1.1 e 2 Co 4.5 e Tt 1.1?
( ) Como senhor.
( ) Como servo.
( ) Como conservo.
4- Qual era o modelo de Paulo, quando se identificava como servo?
( ) Seu modelo de l�der era o ap�stolo Pedro, que nos deixou um grande exemplo.
( ) Seu modelo de l�der-servidor era o pr�prio JESUS, que nos deixou um grande exemplo.
( ) Por isso, Paulo exortou aos cor�ntios que o imitassem assim como ele imitava ao Senhor.
I. PAULO SE IDENTIFICA COMO SERVIDOR DE CRISTO (6.1,2)
5- Como Paulo se descreve?
( ) Como cooperador de DEUS no minist�rio da salva��o.
( ) Como cooperador de DEUS no minist�rio da condena��o.
( ) Como cooperador de DEUS no minist�rio da reconcilia��o.
6- Complete:
Quando Paulo usa o plural e "n�s, cooperando tamb�m com ele", refere-se ao Senhor JESUS que realizou a obra ________________________, pois o Pai o fez pecado por n�s (5.21), a fim de pagar a d�vida da humanidade, reconciliando-nos com o Criador. Ao tornar conhecida a obra da ________________________, Paulo afirma que estamos cooperando com JESUS CRISTO. DEUS n�o depende de ningu�m para fazer o que precisa ser feito, mas Ele deseja uma rela��o de comunh�o e ____________________ em conjunto com o homem, para que este tenha o privil�gio de participar do minist�rio da ___________________________.
7- O que Paulo aprendeu com JESUS com rela��o ao servico cristao e a lideran�a?
( ) Que o servi�o � a postura ideal para quem deseja liderar, pois o Mestre mesmo disse que n�o tinha vindo ao mundo para ser servido, mas para servir.
( ) O ap�stolo dedicou, pois, sua vida e personificou sua lideran�a como um l�der-servidor.
( ) Paulo aprendeu que o l�der deve ser obedecido em tudo, sem qualquer d�vida de seu subordinado.
( ) Ele procurou imitar o Mestre em tudo, servindo apenas aos interesses da Igreja de CRISTO.
8- Como Paulo desperta os cor�ntios para a chegada do tempo aceit�vel (v.2)?
( ) Na profecia de Isa�as, cap�tulo 49, Paulo afirma que o tempo aceit�vel s� chegaria em nossos dias, ou seja, no s�culo 21.
( ) Paulo usa a profecia de Isa�as 49.8 para anunciar que o tempo aceit�vel � agora, o dia da salva��o � hoje, e a proclama��o do Evangelho que pregava est� no presente.
( ) O tempo aceit�vel por DEUS e pelos homens � agora, e todos podem participar livremente da reconcilia��o oferecida em CRISTO.
( ) A parte final do vers�culo dois evidencia a preocupa��o paulina com os cor�ntios em rela��o � gra�a de DEUS.
( ) A gra�a salvadora � para "agora", porque este � o momento oportuno de sua aceita��o.
II. A ABNEGA��O DE UM L�DER-SERVIDOR (6.3-10)
9- Como Paulo descreve o cuidado de um l�der-servidor?
( ) Paulo afirma que o importante � a prega��o do evangelho, mesmo que o pregador n�o viva o que prega.
( ) Paulo volta a descrever as agruras do seu minist�rio apost�lico, a fim de fortalecer o fato de que o l�der na Igreja de CRISTO precisa estar pronto para enfrentar as dificuldades inerentes ao minist�rio.
( ) O ap�stolo afirma essa verdade, com as seguintes palavras: "n�o dando n�s esc�ndalo em coisa alguma" (v.3).
( ) Ele estava dizendo que evitava dar qualquer "mau testemunho", para que o seu minist�rio em particular e o de seus companheiros n�o fossem desacreditados.
10- Quais as experi�ncias de um l�der-servidor (vv.4-6), mencionadas por Paulo nos versiculos 4, 5 e 6, pelas quais ele passava?
( ) "afli��es, necessidades e ang�stias" - situa��es de sofrimento, que causaram danos f�sicos e materiais ao ap�stolo Paulo.
( ) "divers�o, riquezas, fama" - Al�m dos sofrimentos, Paulo menciona as coisas boas pelas quais passava tamb�m.
( ) "a�oites, pris�es e tumultos" - situa��es de sofrimento, que causaram danos f�sicos e materiais ao ap�stolo Paulo.
( ) "trabalhos, vig�lias e jejuns" - dificuldades enfrentadas em seu minist�rio.
11- Paulo apresenta seis "elementos" que lhe deram for�a interior, resultantes da gra�a, e que o sustentaram, bem como a seus companheiros, naquelas tribula��es, quais sao?
( ) "pureza, ci�ncia (conhecimento), agressividade, benignidade, a presen�a do ESP�RITO SANTO e o amor n�o fingido (verdadeiro)".
( ) "pureza, ci�ncia (conhecimento), longanimidade, benignidade, a presen�a do ESP�RITO SANTO e o amor n�o fingido (verdadeiro)".
( ) "pureza, estudo (conhecimento), longanimidade, benignidade, a presen�a do ESP�RITO SANTO e o amor n�o vivido (verdadeiro)".
12- Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda:
A pureza

Fala da capacidade de suportar inj�rias e desprezos, sem nutrir ressentimentos.
Ao citar ci�ncia

Traduzida �s vezes por bondade, possibilita o l�der crist�o a n�o agir com revanche ou desforra.
Longanimidade

O qual produz o amor n�o fingido.
A benignidade

Paulo referia-se ao conhecimento da Palavra de DEUS.
Fazer algo no ESP�RITO SANTO

Que deve este ser a nossa maior motiva��o para o exerc�cio ministerial.
Paulo fala do amor

Significa reconhecer a dire��o do ESP�RITO SANTO em todas as decis�es da nossa vida.
Todos esses elementos positivos t�m sua fonte n(v.6)

Tem a ver com a atitude de um cora��o �ntegro e m�os limpas para realizar a obra de DEUS.
III. AS ARMAS DE ATAQUE E DEFESA DE UM L�DER-SERVIDOR
13- Como sao as armas da justi�a numa guerra espiritual (v.7)?
( ) Suas armas n�o s�o materiais ou exteriores; s�o espirituais.
( ) Sua for�a interior � o "poder de DEUS" que o capacita a enfrentar as adversidades sem se render ou transigir em sua integridade moral e espiritual.
( ) S�o armas poderosas como: Ardis, tramas, pol�tica de boa vizinhan�a.
14- Cite alguns contrastes da vida crist� na experi�ncia de um l�der-servidor (vv.8-10), como Paulo:
( ) Paulo "experimentou louvor e vergonha.
( ) Foi elogiado e caluniado.
( ) Visto como um genu�no servo de DEUS e como uma fraude enganosa.
( ) Paulo era acusado de ser de boa apar�ncia, bonito, bem vestido, mas fazia de tudo para parecer ao contr�rio.
( ) Foi tratado como uma celebridade e tamb�m ignorado".
( ) Em todas essas ocasi�es, Paulo superou as dificuldades e circunst�ncias sem perder de vista a perspectiva divina.
( ) Essas experi�ncias deram-lhe condi��es de ter alegria frente � tristeza e, pela pobreza material, ter a certeza da inef�vel riqueza celestial.
15- Qual a resposta de Paulo aos adeptos da Teologia da Prosperidade (v.10)?
( ) "Como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo e possuindo tudo".
( ) Paulo fala literalmente de pobreza material.
( ) Ele fortalece o conceito de que a possess�o material n�o � s�mbolo de riqueza espiritual.
( ) Paulo afirma que o servo de DEUS leg�timo � aquele que permanece pobre a vida toda.
( ) A riqueza que Paulo podia oferecer era proveniente do Evangelho de CRISTO.
( ) O ap�stolo demonstra que a pobreza terrena n�o significa nada, e que ningu�m precisa tornar-se pobre para obter riquezas espirituais.
( ) A quest�o aqui �: Qual a nossa prioridade - DEUS ou o dinheiro? Pois ningu�m pode servir a dois senhores.
CONCLUS�O
16- Complete:
Se quisermos servir ao Senhor com inteireza de __________________, precisamos seguir os passos de _____________________ que foi, � e sempre ser� o modelo perfeito de l�der-servidor. Ele viveu para fazer a vontade do Pai e _____________________ a todos (Mc 10.45).
RESPOSTAS DO QUESTION�RIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

Nenhum comentário: