sexta-feira, 29 de maio de 2009

ESTUDOS DA LIÇÃO 09 A IMPORTÂNCIA DA SANTA CEIA

LIÇÃO 09 - A IMPORTÂNCIA DA SANTA CEIA Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 2º TRIMESTRE DE 2009 1Coríntios - Os Problemas da Igreja e Suas Soluções Comentários do Pr. Antônio Gilberto Complementos e questionários: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva TEXTO ÁUREO "Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciais a morte do Senhor, até que venha" (1 Co 11.26). VERDADE PRÁTICA A Santa Ceia não é um mero símbolo; é um memorial da morte redentora de CRISTO por nós e um alerta quanto à sua vinda. LEITURA DIÁRIA Segunda Mt 26.28 A nova aliança em CRISTO Terça Mt.26.29 A vitória com CRISTO sobre a morte Quarta 1 Co 10.16,17 A Igreja é um só corpo em CRISTO Quinta 1 Co 11.28; 2 Co 13.5 O auto-exame interior do crente Sexta 1 Pe 1.18,19 Resgatados pelo precioso sangue de CRISTO Sábado Ap 19.7 As Bodas do Cordeiro no céu LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: 1 Coríntios 11.23-32. 23 Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor JESUS, na noite em que foi traído, tomou o pão; 24 e, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. 25 Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. 26 Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciais a morte do Senhor, até que venha. 27 Portanto, qualquer que comer este pão ou beber o cálice do Senhor, indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. 28 Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão, e beba deste cálice. 29 Porque o que come e bebe indignamente come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. 30 Por causa disso, há entre vós muitos fracos e doentes e muitos que dormem. 31 Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados. 32 Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo.
ALIANÇA (PACTO, MEMORIAL, TRATADO, COMPROMETIMENTO) REFEIÇÃO DA ALIANÇA: Um dos nove pontos de uma
Alianca de sangue. Significa: tudo o que eu como vai para o meu sangue e sangue é vida, então a minha vida se torna a tua e tua vida se torna minha; CRISTO, em Melquisedeque faz refeição com AbraHão. Agora a vida de Abrahão pertence a DEUS e a de DEUS (em CRISTO), pertence a Abrahão. Exemplo: Gn 14.18 Ora, Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; pois era sacerdote do DEUS Altíssimo; 19 e abençoou a Abrão, dizendo: bendito seja Abrão pelo DEUS Altíssimo, o Criador dos céus e da terra! 20 E bendito seja o DEUS Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos! E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo. A Ceia com os discípulos antes de morrer e conosco renovada sempre é um memorial da nova aliança. (Lc 22.7-23; Co 11.23-34; Jo 6.51-54) JESUS DEU SUA VIDA POR NÓS, DEVEMOS DAR NOSSA VIDA POR ELE - ISSO É ALIANÇA (RENOVADA SEMPRE). Palavra Chave: Memorial - Aquilo que mantém viva a memória de alguém ou de algo. INTERAÇÃO Caro professor, o tema desta semana nos oferece variadas lições espirituais. Portanto, ore e aprofunde-se no estudo do assunto. Nesta lição, explique aos alunos os termos transubstanciação e consubstanciação. O primeiro termo foi adotado pelos católicos em 1215 e depois confirmado pelo Concílio de Trento em 1551. Segundo eles, quando o sacerdote abençoa o pão e o vinho, estes transformam-se em corpo e sangue literais de JESUS. O segundo termo, ensinado por Lutero, significa que o corpo e o sangue de CRISTO se unem às substâncias do pão e do vinho. Não são literalmente o pão e o vinho, mas estão presentes. Talvez seja necessário você ainda distinguir os termos ordenanças e sacramentos. O segundo termo, mais usado pelos católicos, refere-se à idéia de que a Ceia do Senhor transmite graça espiritual ou salvífica a quem dela participa. Já a palavra ordenança, apenas sugere que a Santa Ceia foi "ordenada" pelo Senhor, entretanto, não é um meio de salvação para aqueles que participam do cálice e do pão. Boa aula! OBJETIVOS: Após esta aula, seu aluno deverá estar apto a: Definir Santa Ceia. Explicar os elementos da Ceia. Aplicar as lições doutrinárias da Santa Ceia a sua vida. ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA Utilize o quadro comparativo entre a Páscoa e JESUS CRISTO para introduzir o tópico III. Enfatize ao final da exposição do quadro que tanto a Páscoa quanto CRISTO refletem a graça salvadora de DEUS. INTERPRETAÇÃO DO QUADRO: Na Páscoa, o sangue de um cordeiro ou cabrito (sem mácula), era imolado, ou sacrificado para que seu sangue fosse passados nos umbrais da porta para que o anjo não matasse nessa casa o primogênito (ou filho mais velho). Na Ceia lembramos que o cordeiro que tira o pecado do mundo, JESUS, derramou seu sangue para nos livrar do pecado e morte eterna. No sacrifício da Páscoa o cordeiro substituiu o primogênito, morreu em lugar do primogênito. (O sacrifício era anual) Na Ceia, lembramos de que JESUS (nosso cordeiro pascoal) morreu em lugar de toda a humanidade pecadora. (O sacrifício é único e perfeito, efetuado uma vez por todas). Na Páscoa, o sangue derramado tinha que ser de um cordeiro ou cabrito sem mácula, ou seja, sem mancha, sem defeito. Na Ceia, nosso cordeiro que é JESUS nunca pecou e Nele nunca se achou engano, era perfeito e sempre será. Na Páscoa havia comunhão entre DEUS - Moisés - e os israelitas, pois todos estavam de acordo com esses negócio e todos os israelitas obedeceram à ordem de DEUS dada através de Moisés, assim o anjo da morte passou por cima de suas casas e só matou o primogênito nas casas dos egípcios. Na Ceia existe a comunhão entre JESUS e seu corpo, que é a igreja. Também existe união entre os próprios irmãos que estão obedecendo a ordem de seu salvador e Senhor, lembrando sua morte, sua ressurreição e esperando ansiosamente pela sua volta para nos buscar. TRANSUBSTANCIAÇÃO E CONSUBSTANCIAÇÃO Consubstanciação é o termo que indica a crença na presença espiritual de Jesus nas espécies do pão e do vinho. E significa que Jesus se encontra presente COM a substância do pão e do vinho sem modificá-las / transformá-las. Ao contrário da Transubstanciação que refere a transformação da substância do pão e do vinho no Corpo e sangue de Jesus. Na consubstanciação, o Corpo e o sangue, se juntam ao pão e vinho, porém a substância do pão permanece, juntamente com sua aparência. Na transubstanciação, não estão presentes mais a substância do Pão e vinho ,estas são aniquiladas, ficando apenas as substâncias do corpo e sangue de Jesus. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Jesus - 25-05-2009) TRANSUBSTANCIAÇÃO: (http://www.cacp.org.br/catolicismo/artigo.aspx?lng=PT-BR&article=164&menu=2&submenu=15) A eucaristia é um dos sete sacramentos da Igreja Católica. Segundo o dogma católico, Jesus Cristo se acha presente sob as aparências do pão e do vinho, com seu corpo, sangue, alma e divindade, isto é o que geralmente se entende por “Transubstanciação”.A doutrina da Transubstanciação não tem respaldo bíblico. Nem todos os representantes da Igreja Católica concordaram com esta doutrina, entre eles podemos citar o papa Gelásio I e Gelásio II, São Clemente, Agostinho...
O QUE É DISCERNIR O CORPO DO SENHOR?“Porque quem come e bebe, come e bebe para sua própria condenação, se não discernir o corpo do Senhor.” I Co. 11:29Entre os cristãos daquela época existia uma festa chamada “Festa Ágape” ou festas de amor (Judas 12). Era comum entre os cristãos celebrarem a ceia com esta refeição (esta prática perdurou até na época de Justino, o mártir) que era destinada a ajudar os pobres. Corinto era uma igreja problemática em termos de doutrinas (véu, dons espirituais, batismo, brigas, divisões e santa ceia). Os Coríntios não estavam discernindo o real objetivo de suas reuniões (v.17,18,20). Para eles aquilo era apenas uma festa como as demais festas mundanas da sociedade grega (Corinto era grega) da qual tinham vindo. Então, quando se reuniam, todos se embriagavam, (v.21) como faziam antes de se converterem e não discerniam que aquilo era muito mais que uma festa, era “em memória” de Cristo (v.25). Por isso as pessoas deveriam se examinar antes de tocar no pão e no cálice (v.28), pois correriam o risco de tomar a ceia de modo indigno, fora do propósito para qual fora estabelecida, ou seja, para a comunhão e não divisão dos fieis (v.18). Isto é o que Paulo queria dizer com discernir o corpo do Senhor. Não há nada que insinue no texto a herética doutrina da “Transubstanciação”. O contexto quando analisado honestamente não comporta tal idéia. Qualquer conclusão que passar disso é falsa!
OS DISPARATES DESSA DOUTRINAEnsina a teologia católica a transubstanciação (alteração de substância) durante a eucaristia. Após a consagração dos elementos, pão e vinho, recitada pelo padre, as palavras de Cristo, “isto é o meu corpo” e “isto é o meu sangue”, misteriosamente o pão se transforma na carne de Cristo e o vinho no seu sangue. Levando as palavras de Cristo a um literalismo irracional, dizem ser o pão o próprio corpo de Cristo presente na hóstia (depois dizem que nós é que somos fundamentalistas e interpretamos a Bíblia ao pé da letra!!!). Esta doutrina é baseada principalmente na perícope do evangelho de João 6:53. Contudo, daremos algumas razões de o porque rejeitarmos esta doutrina como errônea e perigosa.1. Se na frase “isto é o meu corpo” o verbo “é” implica a conversão literal do pão no corpo de Cristo, segue-se igualmente que nas palavras “Eu sou o pão da vida”(6:35) o verbo “sou” deve implicar igual mudança, ensinando-nos que Cristo se converte no pão, de modo, que se o primeiro é uma “prova” da transubstanciação, o segundo demonstra necessariamente o contrário; se o primeiro demonstra que o pão pode converter-se em Cristo, o segundo demonstra que Cristo pode converter-se em pão, o que é um verdadeiro absurdo, mas é isto o que a lógica desta filosofia nos leva a concluir! 2. Se acreditarmos que neste episódio Jesus estava se referindo a eucaristia então forçosamente ninguém pode se salvar sem o sacramento e todo o que o recebe não pode se perder. Seria sempre necessário o fiel se comungar para não perder a benção da vida eterna. E aqueles que não podem tomá-la ? Estariam destinados ao inferno ? Crêem os católicos que todo aquele que comunga tem a vida eterna ? Pois Jesus disse que sem exceção, “todo aquele” que comesse a sua carne teria de fato a vida eterna. E o que dizer então daqueles que bebem indignamente (I Coríntios 11:28) ? Tal é a contradição e confusão que nos mostra tão descabida teoria se levada ao pé da letra. 3. Este ponto já foi tratado acima, mas vamos reforçá-lo aqui. Ora, se tomadas literalmente estas palavras o beber o sangue é tão importante quanto o comer a sua carne, em outras palavras é tão necessário comer o pão (hóstia) como beber o cálice. E porque então o padre nega-lhes este direito desobedecendo a Bíblia?
LEMBRANÇA OU PRESENÇA REAL ?Na ceia, todas as suas ações e palavras tinham alguma relação com a antiga páscoa. Tendo isto em vista devemos procurar na antiga festa uma explicação para a santa ceia que Ele iria substituir, pois Ele, Jesus, é a nossa páscoa (I Cor. 5:7)!Quando Moisés (o tipo de Cristo) instituiu a páscoa, mandou comer a carne e aspergir o sangue do cordeiro em suas casas (Ex: 12:11). Só que o cordeiro que comiam NÃO ERA a “páscoa”, pois tal palavra se deriva do verbo “pasah”, “passar por cima” incluindo a idéia de “poupar e proteger” v.13. A páscoa do Senhor era o “passar do anjo por toda a terra do Egito”. Vê-se, pois, que o ato do passar por cima das casas dos israelitas era uma coisa e o cordeiro que os israelitas comiam era outra essencialmente distinta: uma era um fato, a outra a recordação daquele fato. Embora Moisés tivesse dito a respeito do cordeiro: “É a páscoa”, isto é, a passagem do Senhor, não se segue que quisesse dizer que o cordeiro que tinham assado e de que estavam comendo se tivesse mudado ou transformado no ato de passar o Senhor por cima das casas. O sentido simplesmente era: “É uma recordação da páscoa ou da passagem do Senhor”. Temos pois aqui um exemplo clássico dessa figura de retórica pela qual se dá o nome da coisa que ela recorda, ou se põe o sinal pela coisa significada. Quando pois, as famílias se reuniam em torno da mesa para comer a páscoa o chefe da família dizia: “Esta é a páscoa do Senhor”, quando então queriam dizer “Esta é a recordação da páscoa do Senhor”. Pois bem, fincado na essência dessa celebração Jesus certamente se valeu da mesma expressão conhecidíssima dos israelitas. Depois de abolida a páscoa e substituída pela santa ceia, serviu-se da mesma expressão de que tinha feito uso na celebração antiga; era natural que do mesmo modo que tinha dito da páscoa “Esta é a páscoa do Senhor”, querendo dizer que aquilo era apenas a recordação daquele feito na época de Moisés, usasse também mui naturalmente as palavras “ISTO É O MEU CORPO” para significar que aquele rito devia ser usado como recordação do seu corpo e do seu sangue oferecidos na cruz; sendo Ele, o verdadeiro cordeiro de Deus (João 1:29) que nos libertou do cativeiro do pecado.Os discípulos sendo judeus versados nas escrituras, estavam por certo familiarizados com tais figuras de linguagem (Salmos 27:1-2, Isaías 9:18-20, 49:26) e não foi difícil entenderem o que Jesus queria lhes dizer, pois antes disso, eles os ouviram dizer: “Eu sou a porta”, “Eu sou o caminho”, “Eu sou a luz do mundo...” e entenderam perfeitamente a linguagem. Nada é mais comum do que dar à lembrança, ou a representação de uma coisa, o mesmo nome da coisa de que é representação ou sinal. Até mesmo os membros da igreja romana ao verem a imagem da santa dizem: “esta é Nossa Senhora”, ou vendo a imagem de um santo qualquer dizem: “este é São Pedro, este Santo Expedito e aquele outro Santo Antônio etc...” mesmo sabendo que aquilo (segundo acreditam) é apenas uma representação ou lembrança do que está no céu. Servem-se constantemente desta figura de retórica que dá representação ou lembrança o nome da coisa representada ou lembrada. Quando então distribuía os elementos da ceia, pão e vinho disse: “Isto É O MEU CORPO” e “ISTO É O MEU SANGUE”, arrematando ordena: “FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM”. Temos razão para crer que aquilo era uma comemoração ou lembrança de sua morte na cruz e devíamos prosseguir fazendo isto até que Ele venha. Para corroborar nosso ponto de vista, veja que mesmo após Jesus ter consagrado o vinho ele ainda continuou o que sempre fora, simplesmente um vinho “porque vos digo que desde agora não mais beberei do fruto da videira,( não disse meu sangue) até que venha o reino de Deus.” Lucas 22:18 Paulo simplesmente considerava como pão e vinho, os elementos da santa ceia e não o corpo do Senhor transubstanciado: “Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.Porque todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes do cálice estareis anunciando a morte do Senhor, até que ele venha. De modo que qualquer que comer do pão, ou beber do cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma do pão e beba do cálice.” I Co. 11:26-28. O pão apenas representava o corpo do Senhor, o vinho o seu sangue. Todas as vezes que nós nos reunimos para celebrar a santa ceia nós fazemos isto sempre EM MEMÓRIA do Senhor, pois Ele mesmo disse “FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM”. É EM MEMÓRIA!!! Não podemos sacrificar Cristo novamente (Hebreus 7:24,27).
ABSURDO DOS ABSURDOS
Por darem ouvido ao dogma da transubstanciação os católicos além de incorrem num terrível engodo, acabam por abraçar uma teoria fictícia, absurda até!Veja porque:
a- Se naquela ocasião em que Jesus disse: “Isto é o meu corpo”, realmente tivesse ocorrido a tão propalada “transubstanciação” então somos levados a acreditar que existiam naquele momento dois corpos do Senhor? Levando este dogma às ultimas conseqüências teremos isto: Jesus pegou aquele pedaço de pão, já transformado em seu corpo (com divindade e alma, segundo crêem os católicos) e deu-se a si mesmo para seus discípulos comerem depois de terem comido o corpo do mestre sentaram-se ao seu lado. E ainda: Jesus também devia ter-se comido e engolido a si mesmo pois também é certo que Ele participou da ceia!
b- E se tal pão consagrado for comido acidentalmente por um roedor (rato, por exemplo) da-se o caso que tal animal também engoliu o Cristo com seu corpo, alma e divindade? Ou quando não, se tal hóstia se estragar e vier apodrecer; seria o caso do corpo de Cristo que está naquele elemento apodrecer também? E como fica então Atos 2:31 que diz que a carne de Cristo não se corrompe?
c- Quando se prova o pão, ele ainda é o pão, tem cheiro como tal, o gosto ainda é de pão, o mesmo se dá com o vinho! Onde o corpo de Cristo nisto tudo?•
d- Se Cristo nos ordenou que celebrássemos a cerimônia até que Ele voltasse, conforme I Co. 11:26 (até que venha), como pode estar presente na hóstia? Se vem, não está! Devemos ressaltar que tal vinda é escatológica quando virá em corpo, pois espiritualmente, Ele está conosco todos os dias Mat. 18:20 -28:20, e esta promessa não tem nada a ver com a santa ceia. RESUMO DA LIÇÃO 09 - A IMPORTÂNCIA DA SANTA CEIA INTRODUÇÃO: A Ceia do Senhor é um ato de suma importância, em si mesmo e na vida do crente. I. O QUE É A SANTA CEIA A Santa Ceia não é apenas um ato celebrado pela igreja, mas também uma proeminente doutrina bíblica. 1. Definição e designações. 2. Ordenança ou sacramento. II. OS ELEMENTOS DA SANTA CEIA Elementos da Santa Ceia: o pão e o vinho. 1. O pão. "Eu sou o pão da vida..." 2. O vinho. "fruto da vide" e "cálice do Senhor" III. LIÇÕES DOUTRINÁRIAS DA SANTA CEIA Lições ou ensinos doutrinários da Ceia do Senhor até a volta de JESUS. 1. A Santa Ceia é um mandamento do Senhor. 2. É um memorial divino. 3. É uma profecia a respeito da volta de JESUS. 4. Deve ser precedida de auto-exame do participante (v. 25). 5. A ceia do Senhor e o discernimento espiritual do crente. 6. É uma ocasião propícia ao recebimento de bênçãos. 7. A Santa Ceia é um momento de gratidão a DEUS. 8. A Santa Ceia é para os discípulos do Senhor. 9. É um momento de profunda e solene devoção e louvor a DEUS. 10. A Santa Ceia é alimento espiritual. 11. A Ceia do Senhor condena a duplicidade religiosa. CONCLUSÃO - A ceia é o Memorial da paixão e morte de Nosso Senhor JESUS CRISTO. SINOPSE DO TÓPICO (1) - A Santa Ceia é uma ordenança instituída por JESUS. SINOPSE DO TÓPICO (2) - O vinho simboliza o sangue de CRISTO, e o pão, o seu corpo. SINOPSE DO TÓPICO (3) - A Ceia é um mandamento, um memorial, uma profecia, e um momento de gratidão AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO - Subsídio Doutrinário "A importância da Ceia do Senhor: 1. Passado. É um memorial da morte de CRISTO no Calvário, para redimir os crentes do pecado e da condenação. Através da Ceia do Senhor, vemos mais uma vez diante de nós a morte salvífica de CRISTO e seu significado redentor para a nossa vida. A morte de CRISTO é nossa motivação maior para não cairmos em pecado e para nos abstermos de toda a aparência do mal (1 Ts 5.22).[...] 2. Presente. É um ato de comunhão com CRISTO e de participação nos benefícios da sua morte sacrificial e, ao mesmo tempo, comunhão com os demais membros do corpo de CRISTO (10.16,17). Nessa ceia, com o Senhor ressurreto, Ele, como anfitrião, faz-se presente de modo especial (cf. Mt 18-20; Lc 24.35). [...] 3. Futuro. É um antegozo do reino futuro de DEUS e do banquete messiânico futuro, quando então, todos os crentes estarão presentes com o Senhor (Mt 8.11; 22.1-14). Na Ceia do Senhor, toda essa importância acima mencionada só passa a ter significado se chegarmos diante do Senhor com fé genuína, oração sincera e obediência à Palavra de DEUS e à sua vontade." (Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD. p.1753). BIBLIOGRAFIA SUGERIDA SANTOS, Roberto dos Reis. A santa ceia. RJ: CPAD, 2005. HAMILTON, Victor P. Manual do Pentateuco. RJ: CPAD, 2006. SAIBA MAIS EM Revista Ensinador Cristão CPAD, nº 38, p.40. APLICAÇÃO PESSOAL Sem dúvida alguma, a essência da Santa Ceia é a comunhão. Comunhão significa ter algo em comum com alguém. No âmbito espiritual, é indispensável que a Igreja, como Corpo de CRISTO, possua algumas características em comum, tais como: "um só corpo, um só espírito, um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só DEUS e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos." (Ef 4.4-6). Jamais deveríamos nos esquecer de que a Igreja de CRISTO é um lugar onde, embora se manifeste uma diversidade de características físicas e culturais, a unidade é fundamental. Unidade na diversidade. Diversidade de dons, ministérios, talentos, mas unidade na doutrina, na fé e no ESPÍRITO. Estudo sobre a Santa Ceia A ORDEM DOS EVENTOS NA ÚLTIMA CEIA DO SENHOR (H.M.S. abril/98) Tenho visto muitos estudos sobre o assunto, mas todos eles me parecem obedecer mais a “pontos de partida lógicos” do que a simples e somente a seqüência que emerge mais naturalmente da Bíblia. (Estes pontos de partida, a meu ver desnecessários, são que: (1) o lava-pés deve ter ocorrido antes de tudo; (2) o pão e o cálice só foram repartidos após o definitivo encerramento e retirada de tudo da refeição pascal; e (3) não é admissível que Judas tenha participado do pão e do cálice). Baseamo-nos na seqüência de Lucas porque, dos escritores dos 4 evangelhos, é ele quem se prende rigorosamente à seqüência, à cronologia dos fatos Lc 1:1-3. A ordem dos acontecimentos da última ceia do Senhor com seus apóstolos e que me parece emergir do relato bíblico, simplesmente tomado, é a seguinte: 1. CRISTO pôs-se à mesa, com os 12 apóstolos Mt 26:20 Mc 14:17 Lc 22:14 2. CRISTO: “Desejei muito ... não a comerei mais até que...” Lc 22:15-16 3. Tomam a ceia pascal. Conforme Ex 12: cordeiro sem mácula, separado por 4 dias, sacrificado ao anoitecer, assado na brasa, servido com pães asmos e ervas amargosas, nada ficando para o amanhecer; todos com lombos cingidos, sapatos nos pés, cajado nas mãos, apressadamente, memorialmente, por estatuto perpétuo. Parece que CRISTO comeu apressadamente e terminou a ceia antes dos apóstolos. Houve um cálice Lc 22:17-18 (e, talvez, pão) nesta ceia pascal, antes da Ceia do Senhor, que teve lugar logo a seguir. 4. Tomam a Ceia do Senhor: Em 1o. lugar, CRISTO abençoa o pão, explica-o, reparte-o. Mt 26:26 Mc 14:22 Lc 22:19 1Co 11:23-24,26 5. Em 2o. lugar, CRISTO abençoa o cálice, explica-o, reparte-o, “não mais beberei dele até que...” Mt 26:27-29 Mc 14:23-25 Lc 22:20 1Co 11:25-26 6. CRISTO, turbado em espírito: “Um de vós me há de trair.” Mt 26:21 Mc 14:18 João 13:21 7. Apóstolos: “Sou eu, Senhor?”
Mt 26:22 Mc 14:19 João 13:22 8. CRISTO: “O que põe comigo a mão no prato ... ai daquele ...” Mt 26:23-24 Mc 14:20-21 Lc 22:21-23 João 13:18-20 9. João: “Quem é?” João 13:23-25 10. CRISTO, só a João: “É aquele ... bocado molhado” (comiam os restos das duas ceias) João 13:26 11. Satanás se apossa de Judas. João 13:27a 12. Judas Iscariotes: “Sou eu, Rabí?” Mt 26:25a 13. CRISTO: “Tu o disseste.” Mt 26:25b 14. CRISTO: “... faze-o depressa.” João 13:27b-29
15. Judas sai. João 13:30 16. Apóstolos: “Quem de nós será o maior?” Lc 22:24 17. CRISTO repreende os apóstolos. Lc 22:25-27 18. CRISTO revela aos apóstolos que eles reinarão. Lc 22:28-30 19. CRISTO lava os pés dos apóstolos. João 13:2-17
20. Hino. Mt 26:30a Mc 14:26a 21. Saída para o Monte das Oliveiras. Mt 26:30b Mc 14:26b 22. (no caminho) CRISTO anuncia Sua glorificação, ausência, e novo mandamento. João 13:31-35 23. CRISTO adverte a Pedro. Mt 26:31-35 Mc 14:27-31 Lc 22:31-34 João 13:36-38 24. As duas espadas. Lc 22:35-38
1. CRISTO pôs-se à mesa, com os 12 apóstolos Mt 26:20; Mc 14:17; Lc 22:14. (Mat 26:20) E, chegada a tarde, assentou-se à mesa com os doze. (Mc 14:17) E, chegada a tarde, foi com os doze. (Lc22:14)E, chegada a hora, pôs-se à mesa, e com ele os doze apóstolos. 2. CRISTO: “Desejei muito ... não a comerei mais até que...” Lc 22:15-16. (Lc 22:15-16) E disse-lhes: Desejei muito comer convosco esta páscoa, antes que padeça; (16) Porque vos digo que não a comerei mais até que ela se cumpra no reino de DEUS. 3. Tomam a ceia pascal. Conforme Ex 12: cordeiro sem mácula, separado por 4 dias, sacrificado ao anoitecer, assado na brasa, servido com pães asmos e ervas amargosas, nada ficando para o amanhecer; todos com lombos cingidos, sapatos nos pés, cajado nas mãos, apressadamente, memorialmente, por estatuto perpétuo. Parece que CRISTO comeu apressadamente e terminou a ceia antes dos apóstolos. Houve um cálice Lc 22:17-18 (e, talvez, pão) nesta ceia pascal, antes da Ceia do Senhor, que teve lugar logo a seguir. (Lc 22:17) E, tomando o cálice, e havendo dado graças, disse: Tomai-o, e reparti-o entre vós; (18) Porque vos digo que já não beberei do fruto da vide, até que venha o reino de DEUS. Este 1o. cálice, em Lc, fez parte da Ceia Pascal (profetizando a morte do Messias, para os judeus), não da Ceia do Senhor (memorial da morte do CRISTO, para a Igreja), que teve lugar logo a seguir. 4. (Começam a tomar a Ceia do Senhor:) O pão: CRISTO o abençoa, explica simbolismo memorial, reparte. Mt 26:26; Mc 14:22; Lc 22:19; 1Co 11:23-24,26. (Mat 26:26) E, quando comiam, JESUS tomou o pão, e abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. (Mc14:22) E, comendo eles, tomou JESUS pão e, abençoando-o, o partiu e deu-lho, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. (Lc 22:19) E, tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim. (1Co 11:23) Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor JESUS, na noite em que foi traído, tomou o päo; (24) E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. (26) Porque todas as vezes que comerdes este päo e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha. 5. O cálice: CRISTO o abençoa, explica simbolismo memorial, reparte, “não mais dele beberei até que...”. Mt 26:27-29; Mc 14:23-25; Lc 22:17-18,20; 1Co 11:25-26. (Mat 26:27) E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; (28) Porque isto é o meu sangue; o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados. (29) E digo-vos que, desde agora, não beberei deste fruto da vide, até aquele dia em que o beba novo convosco no reino de meu Pai. (Mc 14:23) E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho; e todos beberam dele. (24) E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que por muitos é derramado. (25) Em verdade vos digo que não beberei mais do fruto da vide, até àquele dia em que o beber, novo, no reino de DEUS. (20) Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós. (1Co 11:25) Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. (26) Porque todas as vezes que comerdes este päo e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha. 6. CRISTO, turbado em espírito: “Um de vós me há de trair.” Mt 26:21; Mc 14:18; João 13:21. (Mat 26:21) E, comendo eles, disse: Em verdade vos digo que um de vós me há de trair. (Mc 14:18) E, quando estavam assentados a comer, disse JESUS: Em verdade vos digo que um de vós, que comigo come, há de trair-me. (João 13:21) Tendo JESUS dito isto, turbou-se em espírito, e afirmou, dizendo: Na verdade, na verdade vos digo que um de vós me há de trair 7. Apóstolos: “Sou eu, Senhor?” Mt 26:22; Mc 14:19; João 13:22. (Mat 26:22) E eles, entristecendo-se muito, começaram cada um a dizer-lhe: Porventura sou eu, Senhor? (Mc 14:19) E eles começaram a entristecer-se e a dizer-lhe um após outro: Sou eu? E outro disse: Sou eu? (João 13:22) Então os discípulos olhavam uns para os outros, duvidando de quem ele falava. 8. CRISTO: “O que põe comigo a mão no prato ... ai daquele ...” Mt 26:23-24; Mc 14:20-21; Lc 22:21-23. (Mat 26:23) E ele, respondendo, disse: O que põe comigo a mão no prato, esse me há de trair. (24) Em verdade o Filho do homem vai, como acerca dele está escrito, mas ai daquele homem por quem o Filho do homem é traído! Bom seria para esse homem se não houvera nascido. (Mc 14:20) Mas ele, respondendo, disse-lhes: É um dos doze, que põe comigo a mão no prato. (21) Na verdade o Filho do homem vai, como dele está escrito, mas ai daquele homem por quem o Filho do homem é traído! Bom seria para o tal homem não haver nascido. (Lc 22:21) Mas eis que a mão do que me trai está comigo à mesa. (22) E, na verdade, o Filho do homem vai segundo o que está determinado; mas ai daquele homem por quem é traído! (23) E começaram a perguntar entre si qual deles seria o que havia de fazer isto. 9. João: “Quem é?” João 13:23-25. (João 13:23) Ora, um de seus discípulos, aquele a quem JESUS amava, estava reclinado no seio de JESUS. (24) Então Simão Pedro fez sinal a este, para que perguntasse quem era aquele de quem ele falava. (25) E, inclinando-se ele sobre o peito de JESUS, disse-lhe: Senhor, quem é? 10. CRISTO, só a João: “É aquele ... bocado molhado” João 13:26. (estavam comendo os restos das duas ceias) (João 13: 26) JESUS respondeu: É aquele a quem eu der o bocado molhado. E, molhando o bocado, o deu a Judas Iscariotes, filho de Simão 11. Satanás se apossa de Judas. João 13:27a (João 13:27a) E, após o bocado, entrou nele Satanás. ... 12. Judas Iscariotes: “Sou eu, Rabí?” Mt 26:25a. (Mat 26:25a) E, respondendo Judas, o que o traía, disse: Porventura sou eu, Rabi?. 13. CRISTO: “Tu o disseste.” Mt 26:25b. (Mat 26:25b) Ele disse: Tu o disseste. 14. CRISTO: “... faze-o depressa.” João 13:27b-29. (João 13:27b-30) ... Disse, pois, JESUS: O que fazes, faze-o depressa. (28) E nenhum dos que estavam assentados à mesa compreendeu a que propósito lhe dissera isto. (29) Porque, como Judas tinha a bolsa, pensavam alguns que JESUS lhe tinha dito: Compra o que nos é necessário para a festa; ou que desse alguma coisa aos pobres. 15. Judas sai. João 13:30. (João 13:30) E, tendo Judas tomado o bocado, saiu logo. E era já noite. 16. Apóstolos: “Quem de nós será o maior?” Lc 22:24. (Lc 22:24) E houve também entre eles contenda, sobre qual deles parecia ser o maior 17. CRISTO repreende os apóstolos. Lc 22:25-27. (Lc 22:25) E ele lhes disse: Os reis dos gentios dominam sobre eles, e os que têm autoridade sobre eles são chamados benfeitores. (26) Mas não sereis vós assim; antes o maior entre vós seja como o menor; e quem governa como quem serve. (27) Pois qual é maior: quem está à mesa, ou quem serve? Porventura não é quem está à mesa? Eu, porém, entre vós sou como aquele que serve 18. CRISTO revela aos apóstolos que eles reinarão. Lc 22:28-30. (Lc 22:28) E vós sois os que tendes permanecido comigo nas minhas tentações. (29) E eu vos destino o reino, como meu Pai mo destinou, (30) Para que comais e bebais à minha mesa no meu reino, e vos assenteis sobre tronos, julgando as doze tribos de Israel. 19. CRISTO lava os pés dos apóstolos. João 13:2-17. (João 13:2) E, acabada a ceia, tendo o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse, JESUS, (3) sabendo que o Pai tinha depositado nas suas mãos todas as coisas, e que havia saído de DEUS e ia para DEUS, (4) Levantou-se da ceia, tirou as vestes, e, tomando uma toalha, cingiu-se. (5) Depois deitou água numa bacia, e começou a lavar os pés aos discípulos, e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido. (6) Aproximou-se, pois, de Simão Pedro, que lhe disse: Senhor, tu lavas-me os pés a mim? (7) Respondeu JESUS, e disse-lhe: O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois. (8) Disse-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhe JESUS: Se eu te não lavar, não tens parte comigo. (9) Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, não só os meus pés, mas também as mãos e a cabeça. (10) Disse-lhe JESUS: Aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo. Ora vós estais limpos, mas não todos. (11) Porque bem sabia ele quem o havia de trair; por isso disse: Nem todos estais limpos. (12)Depois que lhes lavou os pés, e tomou as suas vestes, e se assentou outra vez à mesa, disse-lhes: Entendeis o que vos tenho feito? (13) Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. (14) Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros. (15) Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. (16)Na verdade, na verdade vos digo que não é o servo maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que aquele que o enviou. (17) Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as fizerdes. 20. Hino. Mt 26:30a; Mc 14:26a. (Mat 26:30a) E, tendo cantado o hino, ... (Mc 14:26a) E, tendo cantado o hino, ... 21. Saída para o Monte das Oliveiras. Mt 26:30b; Mc 14:26b; Lc 22:39. (Mat 26:30b) ... saíram para o Monte das Oliveiras. (Mc 14:26b) ... saíram para o Monte das Oliveiras. 22. (no caminho) CRISTO anuncia Sua glorificação, ausência, e novo mandamento. João 13:31-35. (João 13:31-35) Tendo ele, pois, saído, disse JESUS: Agora é glorificado o Filho do homem, e DEUS é glorificado nele. (32) Se DEUS é glorificado nele, também DEUS o glorificará em si mesmo, e logo o há de glorificar. (33) Filhinhos, ainda por um pouco estou convosco. Vós me buscareis, mas, como tenho dito aos judeus: Para onde eu vou não podeis vós ir; eu vo-lo digo também agora. (34) Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. (35) Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. 23. CRISTO adverte a Pedro. Mc 14:27-31; Lc 22:31-34; João 13:36-38. (Mc 14:27) E disse-lhes JESUS: Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão. (28) Mas, depois que eu houver ressuscitado, irei adiante de vós para a Galiléia. (29) E disse-lhe Pedro: Ainda que todos se escandalizem, nunca, porém, eu. (30) E disse-lhe JESUS: Em verdade te digo que hoje, nesta noite, antes que o galo cante duas vezes, três vezes me negarás. (31) Mas ele disse com mais veemência: Ainda que me seja necessário morrer contigo, de modo nenhum te negarei. E da mesma maneira diziam todos também. (Lc 22:31) Disse também o Senhor: Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo; (32) Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma teus irmãos. (33) E ele lhe disse: Senhor, estou pronto a ir contigo até à prisão e à morte. (34) Mas ele disse: Digo-te, Pedro, que não cantará hoje o galo antes que três vezes negues que me conheces (João 13:36-38) Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, para onde vais? JESUS lhe respondeu: Para onde eu vou não podes agora seguir-me, mas depois me seguirás. (37) Disse-lhe Pedro: Por que não posso seguir-te agora? Por ti darei a minha vida. (38) Respondeu-lhe JESUS: Tu darás a tua vida por mim? Na verdade, na verdade te digo que não cantará o galo enquanto não me tiveres negado três vezes. 24. As duas espadas. Lc 22:35-38. (Lc 22:35) E disse-lhes: Quando vos mandei sem bolsa, alforje, ou alparcas, faltou-vos porventura alguma coisa? Eles responderam: Nada. (36) Disse-lhes pois: Mas agora, aquele que tiver bolsa, tome-a, como também o alforje; e, o que não tem espada, venda a sua capa e compre-a; (37) Porquanto vos digo que importa que em mim se cumpra aquilo que está escrito: E com os malfeitores foi contado. Porque o que está escrito de mim terá cumprimento. (38) E eles disseram: Senhor, eis aqui duas espadas. E ele lhes disse: Basta. APÊNDICE: No ano 32 segundo nosso calendário, CRISTO foi traspassado e verteu todo Seu sangue ao anoitecer de uma quarta-feira (nossa). Para os judeus, esta ocasião foi o fim do dia 14 de Nissan, portanto foi a hora da imolação do cordeiro da Páscoa e o início do quinto dia da semana. Este quinto dia da semana foi também considerado um sábado (que significa dia de cessação dos trabalhos), pois, sendo o primeiro dia da festa dos pães asmos, era dia religioso a ser guardado em descanso. CRISTO ressuscitou durante a noite do sábado para o domingo. Portanto, como tinha profetizado, CRISTO ficou exatamente 3 dias completos e 3 noites completas no seio da terra, com a porta do túmulo fechada, até que ressuscitou e dele saiu. Por tudo isso, a última ceia do Senhor com seus apóstolos ocorreu numa noite da terça para a quarta-feira, noite que chamaríamos 13 de abril mas que, para CRISTO, já era 14 de Nissan e, para outros judeus, era 13 de Nissan. Notemos que, devido a diferenças na determinação da hora exata da uma lua cheia, em certos anos haviam alguns judeus que começavam a contar o 1o. dia do ano antes dos demais. Isto ocorreu naquele ano. Para CRISTO e seus discípulos, aquela terça-feira era 14 de Nissan, enquanto para os demais era somente 13 de Nissan. Porisso, CRISTO guardou a Páscoa 1 dia antes dos demais. Julgue se assim mesmo e aproveite o que for bom. (http://solascriptura-tt.org/EclesiologiaEBatistas/SequenciaEventosNoiteUltimaCeiaSenhor-Helio.htm) A refeição no noivado e casamento tem muito a ver com a ceia: Jo 14.3- “E, se eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também”. DEUS sempre vem ao homem no nível em que ele se encontra, de maneira simples e cotidiana, e aqui JESUS usa a figura do noivado judaico (hebreus) para infundir fé em seus ouvintes a respeito de sua volta para buscar-nos; vejamos: 1- Quem escolhia a noiva era a pai do noivo (Gn 24.2-4), compare com Rm 8.29 onde DEUS nos escolhe para seu filho. 2- O costume era que a escolhida fosse a filha mais velha, mas se a mesma fosse maior (acima de 18 anos), poderia aceitar ou não o noivo (Gn 29.24-26), compara com Jo 1.11,12 aonde JESUS veio para ISRAEL (a filha mais velha, porém de maior), mas estes não o receberam, assim JESUS escolheu a nós (gentios filhos mais novos que não eram os escolhidos, para sermos sua noiva, a Igreja). 3- No noivado o noivo ia à casa da noiva para cear e confirmar o compromisso (Gn 24.54), compare com Mt 22.14-20 aonde JESUS vem a nossa casa (o mundo) e ceia conosco (representados pelos apóstolos). 4- O noivo deixava um penhor como prova de que ia voltar para buscar a noiva (Gn 24.53), compare com Ef 1.13,14 onde o ESPÍRITO SANTO nos é dado como penhor e prova de que o SENHOR voltará para nos buscar. (2 Ts 2.7) 5- A noiva era comprada por preço de ouro (Gn 24.47), compare com 1 Co 6.19,20 e At 20.28 onde a palavra de DEUS nos diz que fomos comprados pelo sangue de JESUS CRISTO derramado na cruz do calvário (o preço maior que existe). 6- O noivo ia preparar uma casa para o casal, ao lado da casa de seu pai (Gn 24.67), compare com a leitura em Jo 14.2 onde JESUS diz que na casa de nosso pai existem muitas moradas e que ELE ia nos preparar lugar. 7- O noivo mandava recados e recebia recados da noiva através de algum emissário (a), dizendo como é que gostava da noiva: Se bem vestida, modo de falar correto e santo, etc... Também dizia que era pra esperá-lo, pois a casa estava quase pronta e ele estava voltando; compare com Hb 13.7 e 13.14; Ef 5.19 e 5.25-27; Ap 22.7 e 22.20; etc..., Onde JESUS está nos exortando a continuarmos firmes, com uma vida santa e irrepreensível e o ESPÍRITO SANTO sempre nos avisando: JESUS ESTÁ VOLTANDO, a casa está quase pronta, prepara-te. Sf 1.7 “Cala-te diante do Senhor DEUS, porque o dia do Senhor está perto; pois o Senhor tem preparado um sacrifício, e tem santificado os seus convidados”. QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 09 - A IMPORTÂNCIA DA SANTA CEIA RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD 2º TRIMESTRE DE 2009 TEXTO ÁUREO 1- Complete: "Porque, todas as vezes que ______________________ este pão e _____________________ este cálice, ____________________ a morte do Senhor, até que venha" (1 Co 11.26). VERDADE PRÁTICA 2- Complete: A Santa Ceia não é um mero ___________________; é um __________________ da morte redentora de CRISTO por nós e um _________________ quanto à sua vinda. INTRODUÇÃO 3- O que nos lembra a Santa Ceia? ( ) A Santa Ceia lembra as refeições dos discípulos em companhia de JESUS. ( ) A Santa Ceia lembra o arrebatamento de CRISTO em sua primeira vinda. ( ) A Santa Ceia lembra a paixão e a morte de CRISTO em nosso lugar, bem como a sua segunda vinda. I. O QUE É A SANTA CEIA 4- De quem Paulo recebeu o ensino da Santa Ceia, segundo a bíblia? ( ) Diretamente dos apóstolos no primeiro concílio da igreja. ( ) Diretamente dos apóstolos quando visitou Jerusalém e se reuniu com os mesmos. ( ) Diretamente do Senhor: "Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei". 5- Quando Paulo, provavelmente, recebeu de JESUS o ensino da Santa Ceia? ( ) Provavelmente durante os dois anos em que estivera a sós com DEUS na Arábia, sobre os quais as Escrituras silenciam (Gl 1.11,12, 15-17). ( ) Provavelmente durante os três anos em que estivera a sós com DEUS na Arábia, sobre os quais as Escrituras silenciam (Gl 1.11,12, 15-17). ( ) Provavelmente durante os quatro anos em que estivera a sós com DEUS na Arábia, sobre os quais as Escrituras silenciam (Gl 1.11,12, 15-17). 6- Complete, segundo as duas ordenanças da Igreja Cristã originadas do ministério terreno de Nosso Senhor JESUS CRISTO: Com o seu ___________________, no rio Jordão, Ele iniciou o seu glorioso ministério (Mt 3.13-16), encerrando-o com a instituição da Santa Ceia, sua paixão e morte redentora (Mt 26.26-30). Enquanto o __________________ fala da nossa fé em CRISTO e ocorre apenas uma vez na vida do crente (Mc 16.16), a __Ceia__ do Senhor diz respeito à nossa comunhão com Ele, e deve ser _______________________ renovada (Lc 22.14,15). 7- Para quem a Santa Ceia é uma ordenança da Igreja, instituída por JESUS na noite em que ele foi traído? ( ) A Ceia do Senhor é conhecida pelos católicos ortodoxos como ordenança, por constituir-se numa ordem dada por CRISTO aos santos apóstolos. ( ) A Ceia do Senhor é conhecida pelos católicos romanos como ordenança, por constituir-se numa ordem dada por CRISTO aos santos apóstolos. ( ) A Ceia do Senhor é conhecida pelos judeus como ordenança, por constituir-se numa ordem dada por CRISTO aos santos apóstolos. ( ) A Ceia do Senhor é conhecida pelos evangélicos como ordenança, por constituir-se numa ordem dada por CRISTO aos santos apóstolos. 8- Para quem a Santa Ceia é uma sacramento da Igreja? ( ) Para os católicos romanos e certas alas do protestantismo. ( ) Para os católicos ortodoxos e certas alas do judaísmo. ( ) Para os católicos protestantes. II. OS ELEMENTOS DA SANTA CEIA 9- Quais são os elementos da Santa Ceia e o que representam? ( ) O pão, o vinho e a água que JESUS lavou os pés dos discípulos, representam a vida terrena de CRISTO. ( ) O pão e o vinho por representarem, respectivamente, o corpo e o sangue do Senhor JESUS. ( ) O pão e o vinho são, biblicamente, o memorial do Calvário; representam o corpo e o sangue de CRISTO. 10- Por que o pão é um dos elementos da Santa Ceia do Senhor? ( ) Por ser este alimento o símbolo da vida, JESUS assim identificou-se aos seus discípulos (Jo 6.35). ( ) Porque o trigo, do qual o pão é feito, é símbolo de salvação. ( ) Quando o pão é partido, vem-nos à memória o sacrifício vicário de CRISTO. ELE deu sua vida em resgate da humanidade caída e escravizada pelo Diabo. 11- Por que o vinho é um dos elementos da Santa Ceia do Senhor? ( ) Porque lembra-nos da embriagues do pecado de Adão. ( ) Porque lembra-nos o sangue de CRISTO vertido na cruz para redimir a todos os filhos de Adão. ( ) Porque lembra-nos o sangue de CRISTO bebido pelos filhos de Adão. III. LIÇÕES DOUTRINÁRIAS DA SANTA CEIA 12- Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda as lições ou ensinos doutrinários da Ceia do Senhor até a volta de JESUS. 1. A Santa Ceia é um mandamento do Senhor. Toda ceia destina-se a alimentar. Devemos participar desse SANTO Memorial convictos, pela fé e esperança de que seremos novamente alimentados espiritualmente. 2. É um memorial divino. "Anunciais a morte do Senhor até que venha" (v.26). A igreja ao celebrar a Ceia do Senhor, está também anunciando a todos a sua vinda. "E digo-vos que, desde agora, não beberei deste fruto da vide até àquele Dia em que o beba de novo convosco no reino de meu Pai" (Mt 26.29). 3. É uma profecia a respeito da volta de JESUS. Conforme Lucas 22.14, JESUS levou apenas os Doze para a mesa da Páscoa, seguida da Ceia do Senhor. Se a Ceia fosse para qualquer um, Ele teria chamado a todos sem distinção. A Santa Ceia é para os santos em CRISTO JESUS. 4. Deve ser precedida de auto-exame do participante (v. 25). Participar da Ceia sem discernir "o corpo do Senhor" (v. 29), é ter os santos elementos da Ceia como coisas comuns, e não como emblemas do corpo e do sangue de CRISTO. 5. A ceia do Senhor e o discernimento espiritual do crente. Na Ceia do Senhor todo crente deve ser agradecido. "E tendo dado graças" (v.24). Em todos os registros da Ceia vemos ação de graças a DEUS: 1 Co 11.24; Mt 26.27; Mc 14.23; Lc 22.19. 6. É uma ocasião propícia ao recebimento de bênçãos. Trata-se do auto-julgamento do cristão diante de DEUS, quanto ao seu estado espiritual (v.31). Esse auto-exame deve ser feito com o auxílio do ESPÍRITO SANTO e tendo a nossa consciência alinhada às Escrituras. 7. A Santa Ceia é um momento de gratidão a DEUS. "Em memória de mim" (vv.24,25). É um memorial da morte do Cordeiro de DEUS em nosso lugar (1 Pe 1.18,19; Jo 1.29). Como tal, a Santa Ceia comemora algo já realizado (Lc 22.19). Assim como a sociedade, o governo, o povo, as instituições particulares têm seus memoriais, aos quais estimam, honram e preservam, nós temos muito mais razão, dever, direito e prazer de sempre participar da Ceia do Senhor. 8. A Santa Ceia é para os discípulos do Senhor. "Não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios" (10.21). A Santa Ceia é incompatível com a duplicidade da vida espiritual do cristão (Sl 119.113; Mt 6.24; 2 Co 6.14). 9. É um momento de profunda e solene devoção e louvor a DEUS. "O cálice de bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de CRISTO? O pão que partimos não é, porventura, a comunhão do corpo de CRISTO?" (10.16). Portanto, DEUS pode derramar copiosas bênçãos no momento da ceia. Houve milagres na preparação da primeira Ceia (Lc 22.10-13). 10. A Santa Ceia é alimento espiritual. "E, tendo cantado um hino" (Mt 26.30). Como JESUS cantou à sombra da sua cruz, não podemos compreender, nem explicar! 11. A Ceia do Senhor condena a duplicidade religiosa. Ele ordenou por duas vezes: "fazei isto em memória de mim" (vv.24,25) CONCLUSÃO 13- Complete: Tendo em mente o exposto, devemos sentar-nos à mesa do Senhor, com _____________________, temor de DEUS e humildade. Conscientizemo-nos, pois, de que, ali, não estão meros símbolos, mas o sublime _________________________ da paixão e morte de Nosso Senhor JESUS CRISTO. Caso contrário, seremos contados como __________________ diante de DEUS. Que o Senhor nos guarde a todos, por sua graça. RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO NOS VÍDEOS: http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm Ajuda: CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal. http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm (VÍDEOS da EBD na TV, DESTA LIÇÃO, INCLUSIVE) BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD. Nosso novo endereço:http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/ Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com , http://www.ebdweb.com.br/, em http://www.idbpa.net/joomla/index.php?option=com_content&task=category&sectionid=10&id=44&Itemid=133&limit=50&limitstart=0, http://www.sovitoria.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube. http://solascriptura-tt.org/EclesiologiaEBatistas/SequenciaEventosNoiteUltimaCeiaSenhor-Helio.htm http://www.apazdosenhor.org.br/prof/alianca.htm http://www.apazdosenhor.org.br/prof/ultimaceia.htm http://www.apazdosenhor.org.br/prof/precio2.htm OBRAS CONSULTADASPor Amor aos Católicos Romanos, Rick Jones – Chick PublicationsA Reforma Protestante, Abraão de Almeida – CPADA Igreja que veio de Roma, Karl Weiss – Editora Gráfica Universal LtdaNoites com os Romanistas, M. H Seymour – Edições CristãsEncyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda.

Nenhum comentário: